SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 40
Baixar para ler offline
Uma publicação da Igreja Batista da Lagoinha 
1ª Edição: janeiro/2013 
Capa e Diagramação: 
João Paulo Fortunato
Introdução 
Todos nós temos um chamado, ninguém pode 
fugir desta realidade, seja integral ou voluntário, 
existe uma ação no reino que Deus escolheu exclu-sivamente 
para você fazer. O quanto antes você en-tender 
qual é o seu chamado e colocá-lo em prática, 
mais proveitosa será sua vida aqui na terra. Neste 
livro busco na direção do Espírito lhe ajudar a en-tender 
quais são as características de um verdadei-ro 
chamado de Deus 
No ano do meu aniversário de 35 anos tive uma 
das mais poderosas experiências com Deus até 
então. No início do mês fui tomado por uma forte 
laringite que me deixou totalmente afônico, como 
5
sou professor fiquei impedido de lecionar e recebi 
uma licença de cinco dias. Foi então que decidir ir 
para o sítio da família em Sete Lagoas, minha mãe 
e minha irmã moram lá, levei meu filho e apro-veitei 
aquele tempo para oração e meditação. Foi 
um tempo precioso que marcou profundamente a 
minha vida. O fato inusitado era que todas as noi-tes 
quando dormia tinha um longo sonho em que 
encontrava com líderes e pessoas do dia a dia e 
conversava com elas longamente sobre ministério, 
recebia orientações de como deveria seguir, acor-dava, 
passava o dia e na noite seguinte o sonho 
continuava de onde havia parado e foi assim até o 
fim da licença. Eram tantas informações que às ve-zes 
ao acordar eu tomava o cuidado de anotar tudo 
para não esquecer. Para não ocupar o seu precioso 
tempo com detalhes, gostaria de resumir que todo 
o sonho tinha como ideia central a chegada do 
momento de eu me envolver integralmente no mi-nistério, 
deixar o meu trabalho e abraçar a vocação 
pastoral. Talvez você ache que seria um momento 
maravilhoso e fácil, mas sou professor e já havia 20 
anos que estava em sala de aula (comecei a lecionar 
em cursinhos pré- CEFET com 15 anos), lecionava 
6
em uma das melhores escolas do Brasil, tinha uma 
vida bem estável, não posso reclamar da vida que 
tinha. Mas o que Jesus estava me informando é que 
deveria agir como o profeta Eliseu: 
“Voltou, pois, de o seguir, e tomou a junta de bois, 
e os matou, e com os aparelhos dos bois cozeu as car-nes, 
e as deu ao povo, e comeram; então se levantou e 
seguiu a Elias, e o servia.” (1 Reis 19.21) 
Nesse texto o profeta Elias chama Eliseu para 
segui-lo, ele então, convicto que era uma direção 
de Deus, pegou sua fonte de renda que era a junta 
de bois e queimou fazendo churrasco com os bois, 
e atendeu o chamado de Deus. Observe que com 
essa atitude ele criou elementos que impediriam 
sua volta ao trabalho de arar a terra, pois suas ferra-mentas 
de trabalho deixaram de existir, a partir dali 
ele dependeria exclusivamente de Deus em seu mi-nistério. 
Um desafio e tanto não? Pois isso que Deus 
me pediu naqueles sonhos, Ele me queria na obra 
24 horas, que nada mais me prendesse de servi-lo 
pastoralmente em minha igreja. 
Para reforçar, no dia do meu aniversário estáva-mos 
em casa comemorando e um grande amigo 
meu, o pastor Davi Lago, me entregou uma palavra 
7
que inspirou a produção desse livro e afirmou que 
minha vida o inspirava, que ele não via a hora de 
um maior envolvimento meu na obra. 
Diante de tantas e outras situações tinha duas 
opções: obedecer ou sacrificar. Confesso que em 
um primeiro momento fui tomado por ansiedade, 
mas depois de servir 12 anos na mocidade como 
pastor voluntário sentia que estava preparado para 
dar um passo de fé. Procurei as escolas em que le-cionava 
para pedir demissão em pleno mês de maio 
(o que geralmente é considerado suicídio profissio-nal) 
e para minha surpresa até os diretores não cris-tãos 
me apoiaram e abençoaram a minha decisão, 
mais uma confirmação de Deus, pois Ele não é de 
confusão. Então, me apresentei aos meus líderes e 
me coloquei à disposição para servir integralmente. 
É verdade que nem todos os dias são ensolarados, 
mas a cada nova experiência sobrenatural, a cada 
novo fruto tenho a confirmação que não há nada 
mais maravilhoso que seguir a Cristo. 
Todos nós temos um chamado, ninguém pode 
fugir desta realidade, seja integral ou voluntário, 
existe uma ação no reino que Deus escolheu exclu-sivamente 
para você fazer. O quanto antes você en- 
8
tender qual é o seu chamado e colocá-lo em prática, 
mais proveitosa será sua vida aqui na terra. Neste li-vro 
busco na direção do Espírito lhe ajudar a enten-der 
quais são as características de um verdadeiro 
chamado de Deus e espero que como eu, você seja 
ousado a dizer as palavras do profeta Isaías quando 
também recebeu o seu chamado: 
“Depois disto ouvi a voz do Senhor, que dizia: A 
quem enviarei, e quem há de ir por nós? Então disse 
eu: Eis-me aqui, envia-me a mim.” (Isaías 6.8) 
9
10
A NATUREZA 
DO CHAMADO 
“E Jesus, andando junto ao mar da Galileia, viu 
a dois irmãos, Simão, chamado Pedro, e André, os 
quais lançavam as redes ao mar, porque eram pes-cadores; 
E disse-lhes: Vinde após mim, e eu vos farei 
pescadores de homens. 
Então eles, deixando logo as redes, segui-ram- 
no.” 
(Mateus 4.18-20) 
Não há nada mais emocionante e empolgante 
11
que receber um chamado de Jesus, ao mesmo tem-po 
nada nos deixa tão aterrorizados e conflituosos. 
Creio que toda pessoa tem um chamado específi-co 
para servir a Deus aqui na Terra. Por isso mesmo 
existem lugares como o Centro de Treinamento 
Ministerial Diante do Trono (CTMDT) e o Seminá-rio 
Teológico Carisma para preparar os chamados 
para a missão e o ministério de louvor. Mas dentro 
de grandes chamados existem os mais detalhados, 
mais específicos. Talvez a grande dúvida de um ini-ciante 
nesse caminho é esse: Qual o meu chamado 
específico? Eu já sei que fui chamado para missões, 
mas qual missão: Urbana? Transcultural? Atenden-do 
crianças? Capelania? Eu sei que fui chamado 
para o louvor e adoração, mas o que especificamen-te: 
Montar um coral? Um grupo de louvor? Fixo ou 
itinerante? Minimalista ou de grande vulto? Ensinar 
outros? 
Entendo que você tem uma bela oportunidade 
de responder a estas e outras perguntas lendo este 
livro. Dentro da visão de nossas escolas queremos 
que você “alcance o mundo servindo a igreja”, que-remos 
oportunizar em nossa igreja essa experiên-cia. 
Durante todo período de sua jornada na Terra 
12
você irá experimentar várias maneiras de servir ao 
Senhor na igreja e pela igreja. Caberá a você ao fi-nal 
do processo definir esse chamado específico 
por meio dessa maravilhosa experiência. Falaremos 
mais sobre isso adiante. 
No texto que abre esse capítulo temos um mo-mento 
de chamado de Cristo. Ali Ele está chamando 
alguns pescadores para se tornarem seus discípu-los. 
Mas esse chamado também é para mim e para 
você, lendo o texto podemos detectar todas as ca-racterísticas 
que marcam um verdadeiro chamado. 
13 
1. Vinde: 
Jesus os chama a sair de onde estão para 
segui-lo, vemos o tempo todo que o ministério 
de Jesus é dinâmico, Ele nunca está parado. Não 
montou uma igreja porque o seu trabalho era 
indo aos lugares. É incrível perceber que Jesus 
nunca parava e junto dele estavam àqueles dis-cípulos. 
Ele mesmo falou que não tinha aonde 
pousar a cabeça. 
“E disse Jesus: As raposas têm covis, e as aves 
do céu têm ninhos, mas o Filho do homem não tem 
onde reclinar a cabeça” (Mateus 8.20)
Um chamado de Deus nos tira da zona de con-forto, 
nos coloca em movimento, não acredito em 
um chamado que o desacelera, desanima, o ver-dadeiro 
chamado é empolgante, por maior e mais 
difícil que ele seja, você está disposto a encará-lo 
porque não há outra maneira de viver. Foi assim 
com Mateus, ele estava sentado cobrando impos-tos 
e ao receber o chamado de Cristo se levantou 
e foi com ele, foi assim com Paulo no deserto, com 
Zaqueu em cima de uma árvore e também foi ou 
será com você. 
Pessoas que cumprem o chamado são mais feli-zes, 
mesmo na adversidade, porque sabem que são 
as pessoas certas nos lugares certos. Estão no cen-tro 
da vontade de Deus. Portanto, o seu chamado 
deve ter essa característica. Quando não vivemos 
essa realidade esmorecemos, morremos aos pou-cos. 
O ministério pode ser tudo, difícil, desafiador, 
intenso, mas ele nunca será um peso, um sacrifício 
intransponível. 
Jesus logo que começou o seu ministério esta-beleceu 
um ritmo tal que o evangelista afirma que 
seria impossível transcrever todos os seus atos em 
papel. 
14
“Há, porém, ainda muitas outras coisas que Jesus 
fez; e se cada uma das quais fosse escrita, cuido que 
nem ainda o mundo todo poderia conter os livros que 
se escrevessem. Amém.” (João 21.25) 
O mais impressionante é perceber que, até em 
seus últimos momentos na Terra, Jesus tinha esse 
princípio em seu coração. Depois de três anos de 
muito movimento, Ele olha para os seus discípulos, 
antes de ascender aos céus, e deixa uma última pa-lavra 
para eles: 
“Finalmente apareceu aos onze, estando eles as-sentados 
à mesa, e lançou-lhes em rosto a sua incre-dulidade 
e dureza de coração, por não haverem crido 
nos que o tinham visto já ressuscitado. 
E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o 
evangelho a toda criatura.” (Marcos 16.14-15) 
Traduzindo: Vão, continuem em movimento 
pregando o evangelho. Então, o seu chamado tem 
que ter essa característica: dinâmica, movimento. 
15 
2. Após mim 
Não existe chamado que venha de uma fonte di-ferente 
de Jesus. Quando Jesus chama os discípulos 
ele os chama para segui-lo. Não há chamado sem
Jesus participando. O projeto de Deus começa em 
Deus, se desenvolve por meio Dele e tem como fim, 
que as pessoas fiquem cada vez mais próximas dele. 
Portanto, você precisa verificar a origem do seu 
chamado para ver o quão ele é genuíno. Muitas são 
as maneiras de se enganar e seguir um falso chama-do. 
Não precisa de muita mudança na rota para fu-girmos 
de nosso verdadeiro chamado. A vigilância 
16 
tem que ser contínua. 
Existem pessoas que acreditam em hereditarie-dade 
de chamado, vou fazer isso porque meu pai 
fez isso. Outras procuram os ministérios mais atra-entes 
e de maior visibilidade. Outros ainda procu-ram 
o que está na moda. E infelizmente tem aque-les 
que buscam os mais lucrativos. 
O verdadeiro chamado não tem nada a ver com 
essas características, ele envolve a essência do Cris-tianismo: 
sermos servos de Deus, anulando nosso 
ego, nossa vontade e nos disponibilizando para o 
serviço que Ele designar. 
Você pode se surpreender sobre a real natureza 
de seu comissionamento. Certa feita um amigo dis-se 
que o chamado dele era para a China e acabou 
fazendo um belo trabalho em Nova Lima (cidade
da região metropolitana de Belo Horizonte). Deixe 
Deus calar as vozes das pessoas, do mundo e de seu 
próprio coração para lhe falar o que Ele realmente 
deseja fazer com você. 
Todo projeto que não tem Cristo no centro está 
fadado ao fracasso. Estabeleça uma relação de pro-funda 
intimidade com Jesus para saber qual é a 
boa, perfeita e agradável vontade dele para o seu 
chamado. 
“Da qual salvação inquiriram e trataram diligente-mente 
os profetas que profetizaram da graça que vos 
17 
foi dada, 
Indagando que tempo ou que ocasião de tempo 
o Espírito de Cristo, que estava neles, indicava, ante-riormente 
testificando os sofrimentos que a Cristo ha-viam 
de vir, e a glória que se lhes havia de seguir. 
Aos quais foi revelado que, não para si mesmos, 
mas para nós, eles ministravam estas coisas que agora 
vos foram anunciadas por aqueles que, pelo Espírito 
Santo enviado do céu, vos pregaram o evangelho; 
para as quais coisas os anjos desejam bem atentar. 
Portanto, cingindo os lombos do vosso entendi-mento, 
sede sóbrios, e esperai inteiramente na gra-ça 
que se vos ofereceu na revelação de Jesus Cristo.
Como filhos obedientes, não vos conformando com 
as concupiscências que antes havia em vossa igno-rância; 
Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede 
vós também santos em toda a vossa maneira de viver; 
Porquanto está escrito: Sede santos, porque eu 
sou santo.” (1 Pedro 1.10-16) 
A revelação do seu chamado, segundo o texto da 
carta de Pedro acima, envolve mistério que os pró-prios 
anjos anseiam observar, mas alcançá-los você 
precisa investir em santidade, em intimidade com 
Deus. Conforme o texto isto é um caminho que exigirá 
entendimento, sobriedade, atitude, graça e inconfor-midade 
com o pecado. O maior exemplo foi o próprio 
Cristo quando passou pela Terra; por isso, nos desafia a 
sermos como Ele, ou como diz Paulo, imitadores Dele. 
Seja no campo missionário ou em um grupo de 
louvor e adoração, as pessoas precisam ver Jesus na 
materialização de seu chamado. 
18 
E vos farei: 
É o próprio Jesus que nos capacita para o Seu 
chamado. Nada que tenhamos feito antes, nenhum 
título que tenhamos alcançado, nenhuma influ-
ência que possamos ter, será capaz de se colocar 
acima desta realidade. Muitas vezes Ele o chamará 
para algo que pouco tem a ver com suas habilida-des. 
Talvez você se pergunte: Por que isso? Se eu tenho 
uma formação acadêmica superior, um cargo impor-tante 
no governo, experiência em uma área especí-fica, 
qual a vantagem para Deus de me chamar para 
fazer algo que não tem relação nenhuma com todo 
esse abastado currículo? A reposta é simples: Para 
que você tenha certeza de que toda a obra está sen-do 
realizada por Ele por intermédio de você, para você 
seja totalmente dependente Dele. Talvez se estivesse 
ligado à sua habilidade você seria tentado a acreditar 
que parte do mérito na obra é seu, o que seria um erro 
terrível. 
Ele fará o seu chamado se tornar realidade. Ele lhe 
dará as ferramentas o conhecimento. Quanto mais 
você crer nisso mais claro ficará o seu chamado. 
Uma das mais poderosas do verdadeiro chama-do 
é o seu poder transformador, ele nos leva a vi-ver 
o verdadeiro Cristianismo, aquele do qual Jesus 
sonhou que vivêssemos quando passou na terra. 
Nossa visão de mundo pelos olhos de Cristo é um 
19
sintoma inequívoco que estamos no caminho certo 
para a consolidação de nosso chamado. 
Creio que a bagagem que você trouxe de sua 
igreja é valiosa, mas não se assuste ao perceber que 
Deus pode lhe fazer abrir mão dela para fazer algo 
totalmente novo em sua vida. Deixe-se envolver 
pelo que Ele falar ao seu coração, sem preconceitos, 
sem repostas prontas, deixe Ele fazer! 
“Que transformará o nosso corpo abatido, para 
ser conforme o Seu corpo glorioso, segundo o Seu 
eficaz poder de sujeitar também a Si todas as coisas.” 
(Filipenses 3.21) 
3. Pescadores de homens 
Finalmente, o verdadeiro chamado de Deus nos 
abre a mente e expande nossa noção de mundo. Sa-ímos 
de nossas medíocres aspirações e somos apre-sentados 
a um amplo cenário de atuação. Aqueles ho-mens 
pescavam peixe e passariam a pescar almas do 
inferno para abastecer o céu, pescadores de homens. 
O chamado de Cristo muda a dimensão de nossas 
ações, ele jamais nos faz andar para trás ou regredir. 
Ele é progressivo, crescente, poderoso. Muitas vezes 
procuramos coisas que nada têm a ver com o que 
20
Deus planejou para nós, porque entendemos que é 
um caminho de grandeza, mas o verdadeiro cresci-mento 
se perfaz pelo caminho que Jesus nos dese-nhou, 
andemos por ele e tudo será tão diferente. 
Saia do mundo que você está tentando construir 
para lhe proteger dos desafios da vida e deixe-se ex-perimentar 
um mundo amplo e diversificado pelo 
qual Deus irá usá-lo de uma forma que jamais você 
sonhou ou planejou. 
4. É hora de você exercer o seu chamado: 
Salvo para quê? Essa é uma pergunta que deve-ria 
estar presente no coração do verdadeiro crente 
em Cristo. Se o único objetivo de Deus fosse nos 
salvar da morte eterna, da escravidão do pecado, 
certamente após aceitarmos a Jesus seríamos ar-rebatados 
ou morreríamos. Muitos, infelizmente, 
agem dessa forma e transformam o Cristianismo 
numa mera religiosidade e não o encara como uma 
cosmovisão que é. 
Para quê Deus colocaria em risco tudo isso ao 
nos deixar à mercê das armadilhas desse mundo, 
de desviarmos, de voltarmos às práticas antigas do 
pecado? Certamente Deus não correria esse risco se 
21
não houvesse um motivo muito forte, e há: A verda-de 
do evangelho é tão importante e fundamental 
que não foi feita só para você, mas temos que com-partilhar. 
O evangelho deve ser propagado a par-tir 
de nós, foi assim que Ele determinou. Implantar 
uma cosmovisão cristã é um desafio, mas também 
é bastante estimulante. A seguir veremos algumas 
estratégias para transformarmos a realidade e im-plantarmos 
uma cosmovisão cristã. 
22 
EDUCAÇÃO CRISTÃ 
As nações que têm se destacado nas últimas 
décadas possuem um fator comum: Educação. In-vestir 
na educação é investir no futuro de uma na-ção. 
Como falamos no início, uma cosmovisão é 
plantada desde cedo na formação do pensamento 
da criança. Uma educação com princípios seria uma 
brilhante estratégia para implantar desde cedo 
uma cosmovisão cristã. 
O que adianta formarmos técnicos e mestres há-beis, 
mas que não têm ética, moral e caráter? Junto 
com física, matemática, história e outras matérias, 
a fé cristã precisa ser apresentada. Não como uma 
matéria à parte, mas algo que está dentro de todas
as matérias. Devemos apresentar que o Cristianis-mo 
não é uma coisa, mas a base de todas as coisas. 
23 
SOCIEDADE 
A igreja precisa resgatar um de seus antigos pa-péis: 
ser a consciência de sua comunidade. Ela pre-cisa 
ser importante e relevante em seu meio a tal 
ponto que ninguém tome uma decisão que irá afe-tar 
as pessoas sem antes, pelo menos, saber o que 
a igreja pensa. As pessoas têm que olhar para igreja 
como uma reserva moral e não como uma institui-ção 
falida e retrógrada. 
Há pouco tempo, perdemos uma grande opor-tunidade 
quando na eleição presidencial de 2010 
os temas cristãos estiveram no foco dos debates e 
foram considerados os principais responsáveis pelo 
segundo turno de uma eleição considerada ganha. 
Aborto foi o foco dos debates na reta final e a su-posta 
opinião favorável de um candidato acabou 
fazendo-o perder preciosos votos que migraram 
para uma candidata declaradamente cristã. Infe-lizmente, 
muitos políticos tentaram capitalizar, na 
questão, vantagens em vez de desenvolver uma re-flexão 
realmente relevante. Uma pena.
Além disso, precisamos de cristãos em todos 
os ramos da sociedade. Todo mundo quer ser 
pastor; precisamos de pastores, mas falta psicó-logos 
cristãos, médicos cristãos, cientistas cris-tãos, 
pensadores cristãos, filósofos cristãos, en-fim, 
formadores de opinião cristãos para sempre 
colocarem um contraponto a falas controversas 
que atacam o bom Cristianismo. Temas como o 
homossexualismo, sexo, relações interpessoais, 
vida cotidiana e tantos outros assuntos em que 
vemos o discurso de todos, mas nos quais não há 
um especialista de formação cristã para fazer o 
contraponto. 
Antigamente, estudar era até desestimulado 
pelos pastores; eles diziam que a universidade 
desviava as pessoas. O que é preciso é preparar 
as ovelhas para não serem confundidas ou sedu-zidas 
pelo discurso do mundo. 
Uma sociedade saudável e equilibrada é aque-la 
que tem na igreja uma referência e inspiração. 
24 
CIÊNCIAS 
Formar cientistas cristãos irá ajudar nas gran-des 
questões do universo. Ter alguém com uma
formação específica para questionar sobre a reve-lação 
geral de Deus. Deus criou todas as coisas e 
podemos conhecê-lo pela sua obra também. Pouca 
ciência nos afasta de Deus, mas muita ciência nos 
aproxima de Deus. 
25 
ARTES 
Precisamos também de artistas cristãos para res-gatar 
as artes. A arte é uma obra de Deus, o diabo a 
distorceu. A chamada cultura pop alcançou todo o 
mundo, uma arte pasteurizada que não o desafia a 
pensar e lhe entrega tudo pronto. A verdadeira arte 
nos faz pensar, nos leva a outros níveis de atitude 
e pensamento. Pintura, cinema, literatura, música, 
história em quadrinhos, esculturas, não necessaria-mente 
tratando diretamente do Cristianismo, mas 
sempre impregnada de princípios cristãos. 
É importante entender que não só a letra de 
uma música pode estar com uma cosmovisão não 
cristã, mas a própria harmonia da música pode ter 
sido criada para afetar alguém de maneira impró-pria. 
Pessoas estudam essas ferramentas com obje-tivos 
os mais escusos. Não devemos imitar o mundo 
na nossa arte, mas buscar uma inspiração genuína
direto de Deus que está à nossa disposição para nos 
presentear com ideias novas e maravilhosas. 
26
CAMPO 
MINISTERIAL 
Assim como existem pessoas chamadas de 
bivocacionadas, existem também aquelas que 
servirão integralmente ao reino. É importante 
nesse caso entender qual é o seu papel. Para 
entender melhor essa ideia vamos ler o que 
Paulo fala para a igreja de Éfeso a respeito do 
assunto: 
“Aquele que desceu é também o mesmo que 
subiu acima de todos os céus, para cumprir todas 
as coisas. 
27
E Ele mesmo deu uns para apóstolos, e ou-tros 
para profetas, e outros para evangelistas, e 
outros para pastores e doutores. 
Querendo o aperfeiçoamento dos santos, 
para a obra do ministério, para edificação do 
corpo de Cristo; 
Até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao 
conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, 
à medida da estatura completa de Cristo. 
Para que não sejamos mais meninos inconstan-tes, 
levados em roda por todo o vento de doutrina, 
pelo engano dos homens que com astúcia enga-nam 
fraudulosamente. 
Antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos 
em tudo naquele que é a cabeça, Cristo, 
Do qual todo o corpo, bem ajustado, e ligado 
pelo auxílio de todas as juntas, segundo a justa ope-ração 
de cada parte, faz o aumento do corpo, para 
sua edificação em amor.” (Efésios 4.10-16) 
Esse texto deixa bem claro que os diferentes 
chamados não têm a ver com hierarquia, mas com 
diferentes funções, uma não é melhor ou pior que 
o outro, são diferentes. Por causa de pensamentos 
equivocados ocorre uma glamorização do minis- 
28
tério apostólico e do pastoral em detrimento dos 
demais. Mas imagine se na igreja todos fossem pas-tores? 
Iriam pastorear quem? E se todos são apósto-los? 
Todo ministério é de fundamental importância 
e não despreze aquele pelo qual você foi chamado. 
O apóstolo é o zelador da doutrina e o plantador 
de igrejas. O pastor é o apascentador e o conselhei-ro. 
O evangelista é o pregador da salvação e o pes-cador 
de almas. O mestre é o que ensina e discipula. 
O profeta é porta voz de Deus e intercessor do povo. 
Entenda que todas as funções são fundamen-tais 
para aperfeiçoar as pessoas dentro da igreja, 
conforme fala o texto de Efésios, pois eles ajudam a 
igreja a se santificar e se proteger do engano. Além 
disso, permitem o seu crescimento saudável e sis-temático. 
29
30
E AGORA, 
COMO 
VIVEREMOS? 
Viveremos buscando e pregando a fé cristã, 
de maneira amável, por meio do nosso testemu-nho 
profundo daquilo que cremos. Será, às vezes, 
desafiador e difícil? Sim, mas sempre muito gra-tificante. 
Por isso, o encorajo a vivê-lo como Paulo en-corajou 
Timóteo em seu ministério, e faço destas 
palavras a minha oração por você: 
31
“Dou graças a Deus, a quem desde os meus an-tepassados 
sirvo com uma consciência pura, de que 
sem cessar faço memória de ti nas minhas orações 
noite e dia. 
Desejando muito ver-te, lembrando-me das 
tuas lágrimas, para me encher de gozo; trazendo 
à memória a fé não fingida que em ti há, a qual 
habitou primeiro em tua avó Lóide, e em tua mãe 
Eunice, e estou certo de que também habita em 
ti. 
Por cujo motivo te lembro que despertes o 
dom de Deus que existe em ti pela imposição das 
minhas mãos. 
Porque Deus não nos deu o espírito de temor, 
mas de fortaleza, e de amor, e de moderação. 
Portanto, não te envergonhes do testemunho 
de nosso Senhor, nem de mim, que sou prisionei-ro 
seu; antes participa das aflições do evangelho 
segundo o poder de Deus.” (2 Timóteo 1.3-8) 
Ore como Samuel, que ainda uma criança ou-viu 
o chamado de Deus: 
“E o jovem Samuel servia ao SENHOR perante 
Eli; e a palavra do SENHOR era de muita valia na-queles 
dias; não havia visão manifesta. 
32
E sucedeu, naquele dia, que, estando Eli dei-tado 
no seu lugar (e os seus olhos começavam a 
escurecer, pois não podia ver), 
e estando também Samuel já deitado, antes 
que a lâmpada de Deus se apagasse no templo 
do SENHOR, onde estava a arca de Deus, 
o SENHOR chamou a Samuel, e disse ele: Eis-me 
33 
aqui. 
E correu a Eli, e disse: Eis-me aqui, porque tu me 
chamaste. Mas ele disse: Não te chamei eu, torna a 
deitar-te. E foi e se deitou. 
E o SENHOR tornou a chamar outra vez a Sa-muel, 
e Samuel se levantou, e foi a Eli, e disse: Eis- 
-me aqui, porque tu me chamaste. Mas ele disse: 
Não te chamei eu, filho meu, torna a deitar-te. 
Porém, Samuel ainda não conhecia ao SENHOR, 
e ainda não lhe tinha sido manifestada a palavra do 
SENHOR. 
O SENHOR, pois, tornou a chamar a Samuel ter-ceira 
vez, e ele se levantou, e foi a Eli, e disse: Eis-me 
aqui, porque tu me chamaste. Então entendeu Eli 
que o SENHOR chamava o jovem. 
Por isso Eli disse a Samuel: Vai deitar-te e há de 
ser que, se te chamar, dirás: Fala, SENHOR, porque o
teu servo ouve. Então Samuel foi e se deitou no seu 
lugar. Então, veio o SENHOR, e pôs-se ali, e chamou 
como das outras vezes: Samuel, Samuel. E disse 
Samuel: Fala, porque o teu servo ouve.” (1 Samuel 
3.1-10) 
Não tenha medo quando ouvir a voz de Deus 
lhe chamando, se sinta privilegiado, honrado e 
responda-a prontamente, não pense que você 
não é capaz ou não está preparado o suficiente. 
Lembre-se que Jesus não chama capacitados, 
mas capacita aqueles que chama. Deixe-se ser 
usado e Ele mesmo vai equipá-lo e capacitar no 
processo. 
Foi isso mesmo que Deus falou com o profeta 
Jeremias no dia de seu chamado: 
“Assim veio a mim a palavra do SENHOR, dizendo: 
Antes que te formasse no ventre te conheci, e antes 
que saísses da madre, te santifiquei; às nações te dei 
por profeta. Então, disse eu: Ah, Senhor DEUS! Eis que 
não sei falar; porque ainda sou um menino. Mas o SE-NHOR 
me disse: Não digas: Eu sou um menino; por-que 
a todos a quem eu te enviar, irás; e tudo quanto 
te mandar, falarás. Não temas diante deles; porque 
estou contigo para te livrar, diz o SENHOR. E estendeu 
34
o SENHOR a sua mão, e tocou-me na boca; e disse- 
-me o SENHOR: Eis que ponho as minhas palavras na 
tua boca; olha, ponho-te neste dia sobre as nações, e 
sobre os reinos, para arrancares, e para derrubares, e 
para destruíres, e para arruinares; e também para edi-ficares 
e para plantares.” (Jeremias 1.4-10) 
Não deixe de buscar compreender qual é o seu 
chamado e quando compreendê-lo busque cum-pri- 
lo em toda sua plenitude, que Deus o abençoe 
35 
nesse lindo propósito.
36
JESUS TE 
AMA E QUER 
VOCÊ! 
1º PASSO: Deus o ama e tem um plano 
maravilhoso para sua vida. “Porque Deus amou 
o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigê-nito, 
para que todo o que nele crê não pereça, mas 
tenha a vida eterna.“ (Jo 3.16.) 
37
2º PASSO: O Homem é pecador e está 
separado de Deus. “Pois todos pecaram e ca-recem 
da glória de Deus.“ (Rm 3.23b.) 
3º PASSO: Jesus é a resposta de Deus, 
para o conflito do homem. “Respondeu-lhe 
Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; 
ninguém vem ao Pai senão por mim.“ (Jo 14.6.) 
4º PASSO: É preciso receber a Jesus em 
nosso coração. “Mas, a todos quantos o rece-beram, 
deu-lhes o poder de serem feitos filhos 
de Deus, a saber, aos que crêem no seu nome.“ 
(Jo 1.12a.) “Se, com tua boca, confessares Jesus 
como Senhor e, em teu coração, creres que Deus 
o ressuscitou dentre os mortos, será salvo. Porque 
com o coração se crê para justiça e com a boca 
se confessa a respeito da salvação.” (Rm 10.9-10.) 
5º PASSO: Você gostaria de receber a 
Cristo em seu coração? Faça essa oração de 
decisão em voz alta: “Senhor Jesus eu preciso 
38
de Ti, confesso-te o meu pecado de estar 
longe dos teus caminhos. Abro a porta do 
meu coração e te recebo como meu único 
Salvador e Senhor. Te agradeço porque me 
aceita assim como eu sou e perdoa o meu pe-cado. 
Eu desejo estar sempre dentro dos teus 
planos para minha vida, amém”. 
6º PASSO: Procure uma igreja evangé-lica 
próxima à sua casa. 
Nós estamos reunidos na Igreja Batista da 
Lagoinha, à rua Manoel Macedo, 360, bairro 
São Cristóvão, Belo Horizonte, MG. 
Nossa igreja está pronta para lhe acom-panhar 
neste momento tão importante da 
39 
sua vida. 
Nossos principais cultos são realizados 
aos domingos, nos horários de 10h, 15h e 
18h horas. 
Ficaremos felizes com sua visita!
Uma publicação da Igreja Batista da Lagoinha 
Gerência de Comunicação 
Rua Manoel Macedo, 360 - São Cristóvão 
CEP: 31110-440 - Belo Horizonte - MG 
www.lagoinha.com 
Twitter: @Lagoinha_com 
40

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

JORMI - Jornal Missionário n° 96
JORMI - Jornal Missionário n° 96JORMI - Jornal Missionário n° 96
JORMI - Jornal Missionário n° 96Almir Rodrigues
 
7296943 john-bevere-a-uncao-profetica
7296943 john-bevere-a-uncao-profetica7296943 john-bevere-a-uncao-profetica
7296943 john-bevere-a-uncao-profeticaantonio ferreira
 
kathryn-kuhlman-nada-e-impossivel-para-Deus
  kathryn-kuhlman-nada-e-impossivel-para-Deus   kathryn-kuhlman-nada-e-impossivel-para-Deus
kathryn-kuhlman-nada-e-impossivel-para-Deus antonio ferreira
 
Kenneth e. hagin o ministerio de um profeta
Kenneth e. hagin   o ministerio de um  profetaKenneth e. hagin   o ministerio de um  profeta
Kenneth e. hagin o ministerio de um profetaprfavinho
 
038c - A Humanidade está correndo riscos de guerras e de matança
038c - A Humanidade está correndo riscos de guerras e de matança038c - A Humanidade está correndo riscos de guerras e de matança
038c - A Humanidade está correndo riscos de guerras e de matançaOrdineGesu
 
Andando no espírito dave roberson
Andando no espírito   dave robersonAndando no espírito   dave roberson
Andando no espírito dave robersonDeusdete Soares
 
A cura de cristo como recebê la (t. l. osborn)
A cura de cristo como recebê la (t. l. osborn)A cura de cristo como recebê la (t. l. osborn)
A cura de cristo como recebê la (t. l. osborn)Deusdete Soares
 
2579110 Curando Os Enfermos Charles E Frances Hunter
2579110 Curando Os Enfermos Charles E Frances Hunter2579110 Curando Os Enfermos Charles E Frances Hunter
2579110 Curando Os Enfermos Charles E Frances Hunterguestf5f9194
 
JORMI - Jornal Missionário nº 95
JORMI - Jornal Missionário nº 95JORMI - Jornal Missionário nº 95
JORMI - Jornal Missionário nº 95Almir Rodrigues
 
Os presentes de DEUS
Os presentes de DEUSOs presentes de DEUS
Os presentes de DEUSjb1955
 
A QUARTA DIMENSÃO de Paul Yonggi Sho
A QUARTA DIMENSÃO de Paul Yonggi ShoA QUARTA DIMENSÃO de Paul Yonggi Sho
A QUARTA DIMENSÃO de Paul Yonggi ShoEnaldo Ribeiro
 
Slide conferencia colecao 21 dias
Slide conferencia   colecao 21 diasSlide conferencia   colecao 21 dias
Slide conferencia colecao 21 diasVinha Editora
 
32214258 4850767-dois-tipos-de-justica-e-w-kenyon
32214258 4850767-dois-tipos-de-justica-e-w-kenyon32214258 4850767-dois-tipos-de-justica-e-w-kenyon
32214258 4850767-dois-tipos-de-justica-e-w-kenyonAntonio Ferreira
 
Mahech chavda o poder secreto do jejum e da oração
Mahech chavda   o poder secreto do jejum e da oraçãoMahech chavda   o poder secreto do jejum e da oração
Mahech chavda o poder secreto do jejum e da oraçãoMidia Jornalismo
 

Mais procurados (20)

JORMI - Jornal Missionário n° 96
JORMI - Jornal Missionário n° 96JORMI - Jornal Missionário n° 96
JORMI - Jornal Missionário n° 96
 
7296943 john-bevere-a-uncao-profetica
7296943 john-bevere-a-uncao-profetica7296943 john-bevere-a-uncao-profetica
7296943 john-bevere-a-uncao-profetica
 
Saia do seu lugar
Saia do seu lugarSaia do seu lugar
Saia do seu lugar
 
kathryn-kuhlman-nada-e-impossivel-para-Deus
  kathryn-kuhlman-nada-e-impossivel-para-Deus   kathryn-kuhlman-nada-e-impossivel-para-Deus
kathryn-kuhlman-nada-e-impossivel-para-Deus
 
O Homem do Céu
O Homem do CéuO Homem do Céu
O Homem do Céu
 
Kenneth e. hagin o ministerio de um profeta
Kenneth e. hagin   o ministerio de um  profetaKenneth e. hagin   o ministerio de um  profeta
Kenneth e. hagin o ministerio de um profeta
 
Bruce wilkinson além de jabez
Bruce wilkinson   além de jabezBruce wilkinson   além de jabez
Bruce wilkinson além de jabez
 
038c - A Humanidade está correndo riscos de guerras e de matança
038c - A Humanidade está correndo riscos de guerras e de matança038c - A Humanidade está correndo riscos de guerras e de matança
038c - A Humanidade está correndo riscos de guerras e de matança
 
Andando no espírito dave roberson
Andando no espírito   dave robersonAndando no espírito   dave roberson
Andando no espírito dave roberson
 
A cura de cristo como recebê la (t. l. osborn)
A cura de cristo como recebê la (t. l. osborn)A cura de cristo como recebê la (t. l. osborn)
A cura de cristo como recebê la (t. l. osborn)
 
2579110 Curando Os Enfermos Charles E Frances Hunter
2579110 Curando Os Enfermos Charles E Frances Hunter2579110 Curando Os Enfermos Charles E Frances Hunter
2579110 Curando Os Enfermos Charles E Frances Hunter
 
JORMI - Jornal Missionário nº 95
JORMI - Jornal Missionário nº 95JORMI - Jornal Missionário nº 95
JORMI - Jornal Missionário nº 95
 
Os presentes de DEUS
Os presentes de DEUSOs presentes de DEUS
Os presentes de DEUS
 
InfoHeaven - Setembro
InfoHeaven  - SetembroInfoHeaven  - Setembro
InfoHeaven - Setembro
 
E. w. kenyon os dois tipos de fé
E. w. kenyon   os dois tipos de féE. w. kenyon   os dois tipos de fé
E. w. kenyon os dois tipos de fé
 
A QUARTA DIMENSÃO de Paul Yonggi Sho
A QUARTA DIMENSÃO de Paul Yonggi ShoA QUARTA DIMENSÃO de Paul Yonggi Sho
A QUARTA DIMENSÃO de Paul Yonggi Sho
 
Slide conferencia colecao 21 dias
Slide conferencia   colecao 21 diasSlide conferencia   colecao 21 dias
Slide conferencia colecao 21 dias
 
32214258 4850767-dois-tipos-de-justica-e-w-kenyon
32214258 4850767-dois-tipos-de-justica-e-w-kenyon32214258 4850767-dois-tipos-de-justica-e-w-kenyon
32214258 4850767-dois-tipos-de-justica-e-w-kenyon
 
Emanuel - Deus conosco
Emanuel - Deus conoscoEmanuel - Deus conosco
Emanuel - Deus conosco
 
Mahech chavda o poder secreto do jejum e da oração
Mahech chavda   o poder secreto do jejum e da oraçãoMahech chavda   o poder secreto do jejum e da oração
Mahech chavda o poder secreto do jejum e da oração
 

Destaque

Destaque (20)

Book Cover
Book CoverBook Cover
Book Cover
 
San mateo educacion superior informatica
San mateo educacion superior informaticaSan mateo educacion superior informatica
San mateo educacion superior informatica
 
Minicurso WordPress
Minicurso WordPressMinicurso WordPress
Minicurso WordPress
 
Weeks_FullLogo_Revised - Copy
Weeks_FullLogo_Revised - CopyWeeks_FullLogo_Revised - Copy
Weeks_FullLogo_Revised - Copy
 
388
388388
388
 
Salmos de salomao (1)
Salmos de salomao (1)Salmos de salomao (1)
Salmos de salomao (1)
 
Amos r binney-compendio_de_teologia (2)
Amos r binney-compendio_de_teologia (2)Amos r binney-compendio_de_teologia (2)
Amos r binney-compendio_de_teologia (2)
 
02 o segredo
02 o segredo02 o segredo
02 o segredo
 
SiS Design
SiS DesignSiS Design
SiS Design
 
Comminication skills
Comminication skillsComminication skills
Comminication skills
 
CPP Certificate
CPP CertificateCPP Certificate
CPP Certificate
 
MDP compact
MDP compactMDP compact
MDP compact
 
MARLINS TEST - Georgi_BOYADZHIEV
MARLINS TEST - Georgi_BOYADZHIEVMARLINS TEST - Georgi_BOYADZHIEV
MARLINS TEST - Georgi_BOYADZHIEV
 
FSI_article_IOP_Chile
FSI_article_IOP_ChileFSI_article_IOP_Chile
FSI_article_IOP_Chile
 
Excellent Certificate From Projects
Excellent Certificate From ProjectsExcellent Certificate From Projects
Excellent Certificate From Projects
 
jerazen 2016 s-pass
jerazen 2016 s-passjerazen 2016 s-pass
jerazen 2016 s-pass
 
Wardle College - logos
Wardle College - logosWardle College - logos
Wardle College - logos
 
Quattro (22gen)
Quattro (22gen)Quattro (22gen)
Quattro (22gen)
 
NOMI p03 image
NOMI p03 imageNOMI p03 image
NOMI p03 image
 
Writing for computer science, 3rd edition springer
Writing for computer science, 3rd edition springerWriting for computer science, 3rd edition springer
Writing for computer science, 3rd edition springer
 

Semelhante a 248

Quando foi que jesus cristo nasceu
Quando foi que jesus cristo nasceuQuando foi que jesus cristo nasceu
Quando foi que jesus cristo nasceuJoselito Machado
 
2579110 curando-os-enfermos-charles-e-frances-hunter-100226170808-phpapp01
2579110 curando-os-enfermos-charles-e-frances-hunter-100226170808-phpapp012579110 curando-os-enfermos-charles-e-frances-hunter-100226170808-phpapp01
2579110 curando-os-enfermos-charles-e-frances-hunter-100226170808-phpapp01Hellen Rocha
 
O caminho da Quaresma, tempo de conversão
O caminho da Quaresma, tempo de conversãoO caminho da Quaresma, tempo de conversão
O caminho da Quaresma, tempo de conversãocontabilidadesiessen
 
Por54 0329 redemption by power vgr
Por54 0329 redemption by power vgrPor54 0329 redemption by power vgr
Por54 0329 redemption by power vgrnara machado
 
Por54 0329 redemption by power vgr
Por54 0329 redemption by power vgrPor54 0329 redemption by power vgr
Por54 0329 redemption by power vgrnara machado
 
A patrola de deus (reinando em vida) bob mumford
A patrola de deus (reinando em vida)   bob mumfordA patrola de deus (reinando em vida)   bob mumford
A patrola de deus (reinando em vida) bob mumfordArauto Profetico
 
Dave roberson o andar no espirito - o andar no poder - 302
Dave roberson   o andar no espirito - o andar no poder - 302Dave roberson   o andar no espirito - o andar no poder - 302
Dave roberson o andar no espirito - o andar no poder - 302Mariano Silva
 
2182100 ensinando-pregando-curando-elder-holland
2182100 ensinando-pregando-curando-elder-holland2182100 ensinando-pregando-curando-elder-holland
2182100 ensinando-pregando-curando-elder-hollandantonio ferreira
 
Carta de elcio noticias senegal
Carta de elcio noticias senegalCarta de elcio noticias senegal
Carta de elcio noticias senegalPessoal
 
Vocacional franciscano
Vocacional franciscanoVocacional franciscano
Vocacional franciscanoEdione Mercês
 
Os pontos concretos de esforço meditação - instrumental
Os pontos concretos de esforço   meditação - instrumentalOs pontos concretos de esforço   meditação - instrumental
Os pontos concretos de esforço meditação - instrumentalRubens José Terra Campos
 
Kenneth e. hagin O nome de jesus
Kenneth e. hagin   O nome de jesusKenneth e. hagin   O nome de jesus
Kenneth e. hagin O nome de jesusRoberto Dias
 
Oração que transporta montes gordon lindsay
Oração que transporta montes   gordon lindsayOração que transporta montes   gordon lindsay
Oração que transporta montes gordon lindsaydeusdetdfsoares
 

Semelhante a 248 (20)

Quando foi que jesus cristo nasceu
Quando foi que jesus cristo nasceuQuando foi que jesus cristo nasceu
Quando foi que jesus cristo nasceu
 
2579110 curando-os-enfermos-charles-e-frances-hunter-100226170808-phpapp01
2579110 curando-os-enfermos-charles-e-frances-hunter-100226170808-phpapp012579110 curando-os-enfermos-charles-e-frances-hunter-100226170808-phpapp01
2579110 curando-os-enfermos-charles-e-frances-hunter-100226170808-phpapp01
 
curando os enfermos
curando os enfermoscurando os enfermos
curando os enfermos
 
Conquistando almas
Conquistando almasConquistando almas
Conquistando almas
 
Sborn
SbornSborn
Sborn
 
O caminho da Quaresma, tempo de conversão
O caminho da Quaresma, tempo de conversãoO caminho da Quaresma, tempo de conversão
O caminho da Quaresma, tempo de conversão
 
Profeciasdoapocalipse pg
Profeciasdoapocalipse pgProfeciasdoapocalipse pg
Profeciasdoapocalipse pg
 
Por54 0329 redemption by power vgr
Por54 0329 redemption by power vgrPor54 0329 redemption by power vgr
Por54 0329 redemption by power vgr
 
Por54 0329 redemption by power vgr
Por54 0329 redemption by power vgrPor54 0329 redemption by power vgr
Por54 0329 redemption by power vgr
 
A patrola de deus (reinando em vida) bob mumford
A patrola de deus (reinando em vida)   bob mumfordA patrola de deus (reinando em vida)   bob mumford
A patrola de deus (reinando em vida) bob mumford
 
Dave roberson o andar no espirito - o andar no poder - 302
Dave roberson   o andar no espirito - o andar no poder - 302Dave roberson   o andar no espirito - o andar no poder - 302
Dave roberson o andar no espirito - o andar no poder - 302
 
2182100 ensinando-pregando-curando-elder-holland
2182100 ensinando-pregando-curando-elder-holland2182100 ensinando-pregando-curando-elder-holland
2182100 ensinando-pregando-curando-elder-holland
 
Carta de elcio noticias senegal
Carta de elcio noticias senegalCarta de elcio noticias senegal
Carta de elcio noticias senegal
 
Quero seguir-te - Pe. Marcos lvim
Quero seguir-te - Pe. Marcos lvimQuero seguir-te - Pe. Marcos lvim
Quero seguir-te - Pe. Marcos lvim
 
Vocacional franciscano
Vocacional franciscanoVocacional franciscano
Vocacional franciscano
 
Os pontos concretos de esforço meditação - instrumental
Os pontos concretos de esforço   meditação - instrumentalOs pontos concretos de esforço   meditação - instrumental
Os pontos concretos de esforço meditação - instrumental
 
Kenneth e. hagin O nome de jesus
Kenneth e. hagin   O nome de jesusKenneth e. hagin   O nome de jesus
Kenneth e. hagin O nome de jesus
 
13385265 melhor-de-deus
13385265 melhor-de-deus13385265 melhor-de-deus
13385265 melhor-de-deus
 
melhor-de-Deus
  melhor-de-Deus  melhor-de-Deus
melhor-de-Deus
 
Oração que transporta montes gordon lindsay
Oração que transporta montes   gordon lindsayOração que transporta montes   gordon lindsay
Oração que transporta montes gordon lindsay
 

Mais de Luiza Dayana

William barclay jesus-cristo_para_hoje (1)
William barclay jesus-cristo_para_hoje (1)William barclay jesus-cristo_para_hoje (1)
William barclay jesus-cristo_para_hoje (1)Luiza Dayana
 
Os cacadores-de-deus
Os cacadores-de-deusOs cacadores-de-deus
Os cacadores-de-deusLuiza Dayana
 
O poder secreto do jejum e da oração
O poder secreto do jejum e da oraçãoO poder secreto do jejum e da oração
O poder secreto do jejum e da oraçãoLuiza Dayana
 
Luzparavida espiritosanto
Luzparavida espiritosantoLuzparavida espiritosanto
Luzparavida espiritosantoLuiza Dayana
 
Livro ebook-a-obra-do-espirito-santo
Livro ebook-a-obra-do-espirito-santoLivro ebook-a-obra-do-espirito-santo
Livro ebook-a-obra-do-espirito-santoLuiza Dayana
 
Libertação (psicografia chico xavier espírito andré luiz)
Libertação (psicografia chico xavier   espírito andré luiz)Libertação (psicografia chico xavier   espírito andré luiz)
Libertação (psicografia chico xavier espírito andré luiz)Luiza Dayana
 
Junho 05-resgatando-a-honra-em-nossa-geração
Junho 05-resgatando-a-honra-em-nossa-geraçãoJunho 05-resgatando-a-honra-em-nossa-geração
Junho 05-resgatando-a-honra-em-nossa-geraçãoLuiza Dayana
 
Jose goncalves salvador-arminianismo_e_metodismo
Jose goncalves salvador-arminianismo_e_metodismoJose goncalves salvador-arminianismo_e_metodismo
Jose goncalves salvador-arminianismo_e_metodismoLuiza Dayana
 
Jose goncalves salvador-arminianismo_e_metodismo (5)
Jose goncalves salvador-arminianismo_e_metodismo (5)Jose goncalves salvador-arminianismo_e_metodismo (5)
Jose goncalves salvador-arminianismo_e_metodismo (5)Luiza Dayana
 
Jose goncalves salvador-arminianismo_e_metodismo (4)
Jose goncalves salvador-arminianismo_e_metodismo (4)Jose goncalves salvador-arminianismo_e_metodismo (4)
Jose goncalves salvador-arminianismo_e_metodismo (4)Luiza Dayana
 
Jose goncalves salvador-arminianismo_e_metodismo (3)
Jose goncalves salvador-arminianismo_e_metodismo (3)Jose goncalves salvador-arminianismo_e_metodismo (3)
Jose goncalves salvador-arminianismo_e_metodismo (3)Luiza Dayana
 
Jose goncalves salvador-arminianismo_e_metodismo (2)
Jose goncalves salvador-arminianismo_e_metodismo (2)Jose goncalves salvador-arminianismo_e_metodismo (2)
Jose goncalves salvador-arminianismo_e_metodismo (2)Luiza Dayana
 
Jose goncalves salvador-arminianismo_e_metodismo (1)
Jose goncalves salvador-arminianismo_e_metodismo (1)Jose goncalves salvador-arminianismo_e_metodismo (1)
Jose goncalves salvador-arminianismo_e_metodismo (1)Luiza Dayana
 
John wesley explicacao-clara_da_perfeicao_crista
John wesley explicacao-clara_da_perfeicao_cristaJohn wesley explicacao-clara_da_perfeicao_crista
John wesley explicacao-clara_da_perfeicao_cristaLuiza Dayana
 
John wesley explicacao-clara_da_perfeicao_crista (5)
John wesley explicacao-clara_da_perfeicao_crista (5)John wesley explicacao-clara_da_perfeicao_crista (5)
John wesley explicacao-clara_da_perfeicao_crista (5)Luiza Dayana
 
John wesley explicacao-clara_da_perfeicao_crista (4)
John wesley explicacao-clara_da_perfeicao_crista (4)John wesley explicacao-clara_da_perfeicao_crista (4)
John wesley explicacao-clara_da_perfeicao_crista (4)Luiza Dayana
 

Mais de Luiza Dayana (20)

William barclay jesus-cristo_para_hoje (1)
William barclay jesus-cristo_para_hoje (1)William barclay jesus-cristo_para_hoje (1)
William barclay jesus-cristo_para_hoje (1)
 
Salmos de salomao
Salmos de salomaoSalmos de salomao
Salmos de salomao
 
Peter wagner
Peter wagnerPeter wagner
Peter wagner
 
Perdao
PerdaoPerdao
Perdao
 
Os cacadores-de-deus
Os cacadores-de-deusOs cacadores-de-deus
Os cacadores-de-deus
 
O poder secreto do jejum e da oração
O poder secreto do jejum e da oraçãoO poder secreto do jejum e da oração
O poder secreto do jejum e da oração
 
Luzparavida espiritosanto
Luzparavida espiritosantoLuzparavida espiritosanto
Luzparavida espiritosanto
 
Livro ebook-a-obra-do-espirito-santo
Livro ebook-a-obra-do-espirito-santoLivro ebook-a-obra-do-espirito-santo
Livro ebook-a-obra-do-espirito-santo
 
Lição 01
Lição 01Lição 01
Lição 01
 
Libertação (psicografia chico xavier espírito andré luiz)
Libertação (psicografia chico xavier   espírito andré luiz)Libertação (psicografia chico xavier   espírito andré luiz)
Libertação (psicografia chico xavier espírito andré luiz)
 
Junho 05-resgatando-a-honra-em-nossa-geração
Junho 05-resgatando-a-honra-em-nossa-geraçãoJunho 05-resgatando-a-honra-em-nossa-geração
Junho 05-resgatando-a-honra-em-nossa-geração
 
Jose goncalves salvador-arminianismo_e_metodismo
Jose goncalves salvador-arminianismo_e_metodismoJose goncalves salvador-arminianismo_e_metodismo
Jose goncalves salvador-arminianismo_e_metodismo
 
Jose goncalves salvador-arminianismo_e_metodismo (5)
Jose goncalves salvador-arminianismo_e_metodismo (5)Jose goncalves salvador-arminianismo_e_metodismo (5)
Jose goncalves salvador-arminianismo_e_metodismo (5)
 
Jose goncalves salvador-arminianismo_e_metodismo (4)
Jose goncalves salvador-arminianismo_e_metodismo (4)Jose goncalves salvador-arminianismo_e_metodismo (4)
Jose goncalves salvador-arminianismo_e_metodismo (4)
 
Jose goncalves salvador-arminianismo_e_metodismo (3)
Jose goncalves salvador-arminianismo_e_metodismo (3)Jose goncalves salvador-arminianismo_e_metodismo (3)
Jose goncalves salvador-arminianismo_e_metodismo (3)
 
Jose goncalves salvador-arminianismo_e_metodismo (2)
Jose goncalves salvador-arminianismo_e_metodismo (2)Jose goncalves salvador-arminianismo_e_metodismo (2)
Jose goncalves salvador-arminianismo_e_metodismo (2)
 
Jose goncalves salvador-arminianismo_e_metodismo (1)
Jose goncalves salvador-arminianismo_e_metodismo (1)Jose goncalves salvador-arminianismo_e_metodismo (1)
Jose goncalves salvador-arminianismo_e_metodismo (1)
 
John wesley explicacao-clara_da_perfeicao_crista
John wesley explicacao-clara_da_perfeicao_cristaJohn wesley explicacao-clara_da_perfeicao_crista
John wesley explicacao-clara_da_perfeicao_crista
 
John wesley explicacao-clara_da_perfeicao_crista (5)
John wesley explicacao-clara_da_perfeicao_crista (5)John wesley explicacao-clara_da_perfeicao_crista (5)
John wesley explicacao-clara_da_perfeicao_crista (5)
 
John wesley explicacao-clara_da_perfeicao_crista (4)
John wesley explicacao-clara_da_perfeicao_crista (4)John wesley explicacao-clara_da_perfeicao_crista (4)
John wesley explicacao-clara_da_perfeicao_crista (4)
 

248

  • 1.
  • 2.
  • 3.
  • 4. Uma publicação da Igreja Batista da Lagoinha 1ª Edição: janeiro/2013 Capa e Diagramação: João Paulo Fortunato
  • 5. Introdução Todos nós temos um chamado, ninguém pode fugir desta realidade, seja integral ou voluntário, existe uma ação no reino que Deus escolheu exclu-sivamente para você fazer. O quanto antes você en-tender qual é o seu chamado e colocá-lo em prática, mais proveitosa será sua vida aqui na terra. Neste livro busco na direção do Espírito lhe ajudar a en-tender quais são as características de um verdadei-ro chamado de Deus No ano do meu aniversário de 35 anos tive uma das mais poderosas experiências com Deus até então. No início do mês fui tomado por uma forte laringite que me deixou totalmente afônico, como 5
  • 6. sou professor fiquei impedido de lecionar e recebi uma licença de cinco dias. Foi então que decidir ir para o sítio da família em Sete Lagoas, minha mãe e minha irmã moram lá, levei meu filho e apro-veitei aquele tempo para oração e meditação. Foi um tempo precioso que marcou profundamente a minha vida. O fato inusitado era que todas as noi-tes quando dormia tinha um longo sonho em que encontrava com líderes e pessoas do dia a dia e conversava com elas longamente sobre ministério, recebia orientações de como deveria seguir, acor-dava, passava o dia e na noite seguinte o sonho continuava de onde havia parado e foi assim até o fim da licença. Eram tantas informações que às ve-zes ao acordar eu tomava o cuidado de anotar tudo para não esquecer. Para não ocupar o seu precioso tempo com detalhes, gostaria de resumir que todo o sonho tinha como ideia central a chegada do momento de eu me envolver integralmente no mi-nistério, deixar o meu trabalho e abraçar a vocação pastoral. Talvez você ache que seria um momento maravilhoso e fácil, mas sou professor e já havia 20 anos que estava em sala de aula (comecei a lecionar em cursinhos pré- CEFET com 15 anos), lecionava 6
  • 7. em uma das melhores escolas do Brasil, tinha uma vida bem estável, não posso reclamar da vida que tinha. Mas o que Jesus estava me informando é que deveria agir como o profeta Eliseu: “Voltou, pois, de o seguir, e tomou a junta de bois, e os matou, e com os aparelhos dos bois cozeu as car-nes, e as deu ao povo, e comeram; então se levantou e seguiu a Elias, e o servia.” (1 Reis 19.21) Nesse texto o profeta Elias chama Eliseu para segui-lo, ele então, convicto que era uma direção de Deus, pegou sua fonte de renda que era a junta de bois e queimou fazendo churrasco com os bois, e atendeu o chamado de Deus. Observe que com essa atitude ele criou elementos que impediriam sua volta ao trabalho de arar a terra, pois suas ferra-mentas de trabalho deixaram de existir, a partir dali ele dependeria exclusivamente de Deus em seu mi-nistério. Um desafio e tanto não? Pois isso que Deus me pediu naqueles sonhos, Ele me queria na obra 24 horas, que nada mais me prendesse de servi-lo pastoralmente em minha igreja. Para reforçar, no dia do meu aniversário estáva-mos em casa comemorando e um grande amigo meu, o pastor Davi Lago, me entregou uma palavra 7
  • 8. que inspirou a produção desse livro e afirmou que minha vida o inspirava, que ele não via a hora de um maior envolvimento meu na obra. Diante de tantas e outras situações tinha duas opções: obedecer ou sacrificar. Confesso que em um primeiro momento fui tomado por ansiedade, mas depois de servir 12 anos na mocidade como pastor voluntário sentia que estava preparado para dar um passo de fé. Procurei as escolas em que le-cionava para pedir demissão em pleno mês de maio (o que geralmente é considerado suicídio profissio-nal) e para minha surpresa até os diretores não cris-tãos me apoiaram e abençoaram a minha decisão, mais uma confirmação de Deus, pois Ele não é de confusão. Então, me apresentei aos meus líderes e me coloquei à disposição para servir integralmente. É verdade que nem todos os dias são ensolarados, mas a cada nova experiência sobrenatural, a cada novo fruto tenho a confirmação que não há nada mais maravilhoso que seguir a Cristo. Todos nós temos um chamado, ninguém pode fugir desta realidade, seja integral ou voluntário, existe uma ação no reino que Deus escolheu exclu-sivamente para você fazer. O quanto antes você en- 8
  • 9. tender qual é o seu chamado e colocá-lo em prática, mais proveitosa será sua vida aqui na terra. Neste li-vro busco na direção do Espírito lhe ajudar a enten-der quais são as características de um verdadeiro chamado de Deus e espero que como eu, você seja ousado a dizer as palavras do profeta Isaías quando também recebeu o seu chamado: “Depois disto ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem enviarei, e quem há de ir por nós? Então disse eu: Eis-me aqui, envia-me a mim.” (Isaías 6.8) 9
  • 10. 10
  • 11. A NATUREZA DO CHAMADO “E Jesus, andando junto ao mar da Galileia, viu a dois irmãos, Simão, chamado Pedro, e André, os quais lançavam as redes ao mar, porque eram pes-cadores; E disse-lhes: Vinde após mim, e eu vos farei pescadores de homens. Então eles, deixando logo as redes, segui-ram- no.” (Mateus 4.18-20) Não há nada mais emocionante e empolgante 11
  • 12. que receber um chamado de Jesus, ao mesmo tem-po nada nos deixa tão aterrorizados e conflituosos. Creio que toda pessoa tem um chamado específi-co para servir a Deus aqui na Terra. Por isso mesmo existem lugares como o Centro de Treinamento Ministerial Diante do Trono (CTMDT) e o Seminá-rio Teológico Carisma para preparar os chamados para a missão e o ministério de louvor. Mas dentro de grandes chamados existem os mais detalhados, mais específicos. Talvez a grande dúvida de um ini-ciante nesse caminho é esse: Qual o meu chamado específico? Eu já sei que fui chamado para missões, mas qual missão: Urbana? Transcultural? Atenden-do crianças? Capelania? Eu sei que fui chamado para o louvor e adoração, mas o que especificamen-te: Montar um coral? Um grupo de louvor? Fixo ou itinerante? Minimalista ou de grande vulto? Ensinar outros? Entendo que você tem uma bela oportunidade de responder a estas e outras perguntas lendo este livro. Dentro da visão de nossas escolas queremos que você “alcance o mundo servindo a igreja”, que-remos oportunizar em nossa igreja essa experiên-cia. Durante todo período de sua jornada na Terra 12
  • 13. você irá experimentar várias maneiras de servir ao Senhor na igreja e pela igreja. Caberá a você ao fi-nal do processo definir esse chamado específico por meio dessa maravilhosa experiência. Falaremos mais sobre isso adiante. No texto que abre esse capítulo temos um mo-mento de chamado de Cristo. Ali Ele está chamando alguns pescadores para se tornarem seus discípu-los. Mas esse chamado também é para mim e para você, lendo o texto podemos detectar todas as ca-racterísticas que marcam um verdadeiro chamado. 13 1. Vinde: Jesus os chama a sair de onde estão para segui-lo, vemos o tempo todo que o ministério de Jesus é dinâmico, Ele nunca está parado. Não montou uma igreja porque o seu trabalho era indo aos lugares. É incrível perceber que Jesus nunca parava e junto dele estavam àqueles dis-cípulos. Ele mesmo falou que não tinha aonde pousar a cabeça. “E disse Jesus: As raposas têm covis, e as aves do céu têm ninhos, mas o Filho do homem não tem onde reclinar a cabeça” (Mateus 8.20)
  • 14. Um chamado de Deus nos tira da zona de con-forto, nos coloca em movimento, não acredito em um chamado que o desacelera, desanima, o ver-dadeiro chamado é empolgante, por maior e mais difícil que ele seja, você está disposto a encará-lo porque não há outra maneira de viver. Foi assim com Mateus, ele estava sentado cobrando impos-tos e ao receber o chamado de Cristo se levantou e foi com ele, foi assim com Paulo no deserto, com Zaqueu em cima de uma árvore e também foi ou será com você. Pessoas que cumprem o chamado são mais feli-zes, mesmo na adversidade, porque sabem que são as pessoas certas nos lugares certos. Estão no cen-tro da vontade de Deus. Portanto, o seu chamado deve ter essa característica. Quando não vivemos essa realidade esmorecemos, morremos aos pou-cos. O ministério pode ser tudo, difícil, desafiador, intenso, mas ele nunca será um peso, um sacrifício intransponível. Jesus logo que começou o seu ministério esta-beleceu um ritmo tal que o evangelista afirma que seria impossível transcrever todos os seus atos em papel. 14
  • 15. “Há, porém, ainda muitas outras coisas que Jesus fez; e se cada uma das quais fosse escrita, cuido que nem ainda o mundo todo poderia conter os livros que se escrevessem. Amém.” (João 21.25) O mais impressionante é perceber que, até em seus últimos momentos na Terra, Jesus tinha esse princípio em seu coração. Depois de três anos de muito movimento, Ele olha para os seus discípulos, antes de ascender aos céus, e deixa uma última pa-lavra para eles: “Finalmente apareceu aos onze, estando eles as-sentados à mesa, e lançou-lhes em rosto a sua incre-dulidade e dureza de coração, por não haverem crido nos que o tinham visto já ressuscitado. E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura.” (Marcos 16.14-15) Traduzindo: Vão, continuem em movimento pregando o evangelho. Então, o seu chamado tem que ter essa característica: dinâmica, movimento. 15 2. Após mim Não existe chamado que venha de uma fonte di-ferente de Jesus. Quando Jesus chama os discípulos ele os chama para segui-lo. Não há chamado sem
  • 16. Jesus participando. O projeto de Deus começa em Deus, se desenvolve por meio Dele e tem como fim, que as pessoas fiquem cada vez mais próximas dele. Portanto, você precisa verificar a origem do seu chamado para ver o quão ele é genuíno. Muitas são as maneiras de se enganar e seguir um falso chama-do. Não precisa de muita mudança na rota para fu-girmos de nosso verdadeiro chamado. A vigilância 16 tem que ser contínua. Existem pessoas que acreditam em hereditarie-dade de chamado, vou fazer isso porque meu pai fez isso. Outras procuram os ministérios mais atra-entes e de maior visibilidade. Outros ainda procu-ram o que está na moda. E infelizmente tem aque-les que buscam os mais lucrativos. O verdadeiro chamado não tem nada a ver com essas características, ele envolve a essência do Cris-tianismo: sermos servos de Deus, anulando nosso ego, nossa vontade e nos disponibilizando para o serviço que Ele designar. Você pode se surpreender sobre a real natureza de seu comissionamento. Certa feita um amigo dis-se que o chamado dele era para a China e acabou fazendo um belo trabalho em Nova Lima (cidade
  • 17. da região metropolitana de Belo Horizonte). Deixe Deus calar as vozes das pessoas, do mundo e de seu próprio coração para lhe falar o que Ele realmente deseja fazer com você. Todo projeto que não tem Cristo no centro está fadado ao fracasso. Estabeleça uma relação de pro-funda intimidade com Jesus para saber qual é a boa, perfeita e agradável vontade dele para o seu chamado. “Da qual salvação inquiriram e trataram diligente-mente os profetas que profetizaram da graça que vos 17 foi dada, Indagando que tempo ou que ocasião de tempo o Espírito de Cristo, que estava neles, indicava, ante-riormente testificando os sofrimentos que a Cristo ha-viam de vir, e a glória que se lhes havia de seguir. Aos quais foi revelado que, não para si mesmos, mas para nós, eles ministravam estas coisas que agora vos foram anunciadas por aqueles que, pelo Espírito Santo enviado do céu, vos pregaram o evangelho; para as quais coisas os anjos desejam bem atentar. Portanto, cingindo os lombos do vosso entendi-mento, sede sóbrios, e esperai inteiramente na gra-ça que se vos ofereceu na revelação de Jesus Cristo.
  • 18. Como filhos obedientes, não vos conformando com as concupiscências que antes havia em vossa igno-rância; Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver; Porquanto está escrito: Sede santos, porque eu sou santo.” (1 Pedro 1.10-16) A revelação do seu chamado, segundo o texto da carta de Pedro acima, envolve mistério que os pró-prios anjos anseiam observar, mas alcançá-los você precisa investir em santidade, em intimidade com Deus. Conforme o texto isto é um caminho que exigirá entendimento, sobriedade, atitude, graça e inconfor-midade com o pecado. O maior exemplo foi o próprio Cristo quando passou pela Terra; por isso, nos desafia a sermos como Ele, ou como diz Paulo, imitadores Dele. Seja no campo missionário ou em um grupo de louvor e adoração, as pessoas precisam ver Jesus na materialização de seu chamado. 18 E vos farei: É o próprio Jesus que nos capacita para o Seu chamado. Nada que tenhamos feito antes, nenhum título que tenhamos alcançado, nenhuma influ-
  • 19. ência que possamos ter, será capaz de se colocar acima desta realidade. Muitas vezes Ele o chamará para algo que pouco tem a ver com suas habilida-des. Talvez você se pergunte: Por que isso? Se eu tenho uma formação acadêmica superior, um cargo impor-tante no governo, experiência em uma área especí-fica, qual a vantagem para Deus de me chamar para fazer algo que não tem relação nenhuma com todo esse abastado currículo? A reposta é simples: Para que você tenha certeza de que toda a obra está sen-do realizada por Ele por intermédio de você, para você seja totalmente dependente Dele. Talvez se estivesse ligado à sua habilidade você seria tentado a acreditar que parte do mérito na obra é seu, o que seria um erro terrível. Ele fará o seu chamado se tornar realidade. Ele lhe dará as ferramentas o conhecimento. Quanto mais você crer nisso mais claro ficará o seu chamado. Uma das mais poderosas do verdadeiro chama-do é o seu poder transformador, ele nos leva a vi-ver o verdadeiro Cristianismo, aquele do qual Jesus sonhou que vivêssemos quando passou na terra. Nossa visão de mundo pelos olhos de Cristo é um 19
  • 20. sintoma inequívoco que estamos no caminho certo para a consolidação de nosso chamado. Creio que a bagagem que você trouxe de sua igreja é valiosa, mas não se assuste ao perceber que Deus pode lhe fazer abrir mão dela para fazer algo totalmente novo em sua vida. Deixe-se envolver pelo que Ele falar ao seu coração, sem preconceitos, sem repostas prontas, deixe Ele fazer! “Que transformará o nosso corpo abatido, para ser conforme o Seu corpo glorioso, segundo o Seu eficaz poder de sujeitar também a Si todas as coisas.” (Filipenses 3.21) 3. Pescadores de homens Finalmente, o verdadeiro chamado de Deus nos abre a mente e expande nossa noção de mundo. Sa-ímos de nossas medíocres aspirações e somos apre-sentados a um amplo cenário de atuação. Aqueles ho-mens pescavam peixe e passariam a pescar almas do inferno para abastecer o céu, pescadores de homens. O chamado de Cristo muda a dimensão de nossas ações, ele jamais nos faz andar para trás ou regredir. Ele é progressivo, crescente, poderoso. Muitas vezes procuramos coisas que nada têm a ver com o que 20
  • 21. Deus planejou para nós, porque entendemos que é um caminho de grandeza, mas o verdadeiro cresci-mento se perfaz pelo caminho que Jesus nos dese-nhou, andemos por ele e tudo será tão diferente. Saia do mundo que você está tentando construir para lhe proteger dos desafios da vida e deixe-se ex-perimentar um mundo amplo e diversificado pelo qual Deus irá usá-lo de uma forma que jamais você sonhou ou planejou. 4. É hora de você exercer o seu chamado: Salvo para quê? Essa é uma pergunta que deve-ria estar presente no coração do verdadeiro crente em Cristo. Se o único objetivo de Deus fosse nos salvar da morte eterna, da escravidão do pecado, certamente após aceitarmos a Jesus seríamos ar-rebatados ou morreríamos. Muitos, infelizmente, agem dessa forma e transformam o Cristianismo numa mera religiosidade e não o encara como uma cosmovisão que é. Para quê Deus colocaria em risco tudo isso ao nos deixar à mercê das armadilhas desse mundo, de desviarmos, de voltarmos às práticas antigas do pecado? Certamente Deus não correria esse risco se 21
  • 22. não houvesse um motivo muito forte, e há: A verda-de do evangelho é tão importante e fundamental que não foi feita só para você, mas temos que com-partilhar. O evangelho deve ser propagado a par-tir de nós, foi assim que Ele determinou. Implantar uma cosmovisão cristã é um desafio, mas também é bastante estimulante. A seguir veremos algumas estratégias para transformarmos a realidade e im-plantarmos uma cosmovisão cristã. 22 EDUCAÇÃO CRISTÃ As nações que têm se destacado nas últimas décadas possuem um fator comum: Educação. In-vestir na educação é investir no futuro de uma na-ção. Como falamos no início, uma cosmovisão é plantada desde cedo na formação do pensamento da criança. Uma educação com princípios seria uma brilhante estratégia para implantar desde cedo uma cosmovisão cristã. O que adianta formarmos técnicos e mestres há-beis, mas que não têm ética, moral e caráter? Junto com física, matemática, história e outras matérias, a fé cristã precisa ser apresentada. Não como uma matéria à parte, mas algo que está dentro de todas
  • 23. as matérias. Devemos apresentar que o Cristianis-mo não é uma coisa, mas a base de todas as coisas. 23 SOCIEDADE A igreja precisa resgatar um de seus antigos pa-péis: ser a consciência de sua comunidade. Ela pre-cisa ser importante e relevante em seu meio a tal ponto que ninguém tome uma decisão que irá afe-tar as pessoas sem antes, pelo menos, saber o que a igreja pensa. As pessoas têm que olhar para igreja como uma reserva moral e não como uma institui-ção falida e retrógrada. Há pouco tempo, perdemos uma grande opor-tunidade quando na eleição presidencial de 2010 os temas cristãos estiveram no foco dos debates e foram considerados os principais responsáveis pelo segundo turno de uma eleição considerada ganha. Aborto foi o foco dos debates na reta final e a su-posta opinião favorável de um candidato acabou fazendo-o perder preciosos votos que migraram para uma candidata declaradamente cristã. Infe-lizmente, muitos políticos tentaram capitalizar, na questão, vantagens em vez de desenvolver uma re-flexão realmente relevante. Uma pena.
  • 24. Além disso, precisamos de cristãos em todos os ramos da sociedade. Todo mundo quer ser pastor; precisamos de pastores, mas falta psicó-logos cristãos, médicos cristãos, cientistas cris-tãos, pensadores cristãos, filósofos cristãos, en-fim, formadores de opinião cristãos para sempre colocarem um contraponto a falas controversas que atacam o bom Cristianismo. Temas como o homossexualismo, sexo, relações interpessoais, vida cotidiana e tantos outros assuntos em que vemos o discurso de todos, mas nos quais não há um especialista de formação cristã para fazer o contraponto. Antigamente, estudar era até desestimulado pelos pastores; eles diziam que a universidade desviava as pessoas. O que é preciso é preparar as ovelhas para não serem confundidas ou sedu-zidas pelo discurso do mundo. Uma sociedade saudável e equilibrada é aque-la que tem na igreja uma referência e inspiração. 24 CIÊNCIAS Formar cientistas cristãos irá ajudar nas gran-des questões do universo. Ter alguém com uma
  • 25. formação específica para questionar sobre a reve-lação geral de Deus. Deus criou todas as coisas e podemos conhecê-lo pela sua obra também. Pouca ciência nos afasta de Deus, mas muita ciência nos aproxima de Deus. 25 ARTES Precisamos também de artistas cristãos para res-gatar as artes. A arte é uma obra de Deus, o diabo a distorceu. A chamada cultura pop alcançou todo o mundo, uma arte pasteurizada que não o desafia a pensar e lhe entrega tudo pronto. A verdadeira arte nos faz pensar, nos leva a outros níveis de atitude e pensamento. Pintura, cinema, literatura, música, história em quadrinhos, esculturas, não necessaria-mente tratando diretamente do Cristianismo, mas sempre impregnada de princípios cristãos. É importante entender que não só a letra de uma música pode estar com uma cosmovisão não cristã, mas a própria harmonia da música pode ter sido criada para afetar alguém de maneira impró-pria. Pessoas estudam essas ferramentas com obje-tivos os mais escusos. Não devemos imitar o mundo na nossa arte, mas buscar uma inspiração genuína
  • 26. direto de Deus que está à nossa disposição para nos presentear com ideias novas e maravilhosas. 26
  • 27. CAMPO MINISTERIAL Assim como existem pessoas chamadas de bivocacionadas, existem também aquelas que servirão integralmente ao reino. É importante nesse caso entender qual é o seu papel. Para entender melhor essa ideia vamos ler o que Paulo fala para a igreja de Éfeso a respeito do assunto: “Aquele que desceu é também o mesmo que subiu acima de todos os céus, para cumprir todas as coisas. 27
  • 28. E Ele mesmo deu uns para apóstolos, e ou-tros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores. Querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo; Até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo. Para que não sejamos mais meninos inconstan-tes, levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enga-nam fraudulosamente. Antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo, Do qual todo o corpo, bem ajustado, e ligado pelo auxílio de todas as juntas, segundo a justa ope-ração de cada parte, faz o aumento do corpo, para sua edificação em amor.” (Efésios 4.10-16) Esse texto deixa bem claro que os diferentes chamados não têm a ver com hierarquia, mas com diferentes funções, uma não é melhor ou pior que o outro, são diferentes. Por causa de pensamentos equivocados ocorre uma glamorização do minis- 28
  • 29. tério apostólico e do pastoral em detrimento dos demais. Mas imagine se na igreja todos fossem pas-tores? Iriam pastorear quem? E se todos são apósto-los? Todo ministério é de fundamental importância e não despreze aquele pelo qual você foi chamado. O apóstolo é o zelador da doutrina e o plantador de igrejas. O pastor é o apascentador e o conselhei-ro. O evangelista é o pregador da salvação e o pes-cador de almas. O mestre é o que ensina e discipula. O profeta é porta voz de Deus e intercessor do povo. Entenda que todas as funções são fundamen-tais para aperfeiçoar as pessoas dentro da igreja, conforme fala o texto de Efésios, pois eles ajudam a igreja a se santificar e se proteger do engano. Além disso, permitem o seu crescimento saudável e sis-temático. 29
  • 30. 30
  • 31. E AGORA, COMO VIVEREMOS? Viveremos buscando e pregando a fé cristã, de maneira amável, por meio do nosso testemu-nho profundo daquilo que cremos. Será, às vezes, desafiador e difícil? Sim, mas sempre muito gra-tificante. Por isso, o encorajo a vivê-lo como Paulo en-corajou Timóteo em seu ministério, e faço destas palavras a minha oração por você: 31
  • 32. “Dou graças a Deus, a quem desde os meus an-tepassados sirvo com uma consciência pura, de que sem cessar faço memória de ti nas minhas orações noite e dia. Desejando muito ver-te, lembrando-me das tuas lágrimas, para me encher de gozo; trazendo à memória a fé não fingida que em ti há, a qual habitou primeiro em tua avó Lóide, e em tua mãe Eunice, e estou certo de que também habita em ti. Por cujo motivo te lembro que despertes o dom de Deus que existe em ti pela imposição das minhas mãos. Porque Deus não nos deu o espírito de temor, mas de fortaleza, e de amor, e de moderação. Portanto, não te envergonhes do testemunho de nosso Senhor, nem de mim, que sou prisionei-ro seu; antes participa das aflições do evangelho segundo o poder de Deus.” (2 Timóteo 1.3-8) Ore como Samuel, que ainda uma criança ou-viu o chamado de Deus: “E o jovem Samuel servia ao SENHOR perante Eli; e a palavra do SENHOR era de muita valia na-queles dias; não havia visão manifesta. 32
  • 33. E sucedeu, naquele dia, que, estando Eli dei-tado no seu lugar (e os seus olhos começavam a escurecer, pois não podia ver), e estando também Samuel já deitado, antes que a lâmpada de Deus se apagasse no templo do SENHOR, onde estava a arca de Deus, o SENHOR chamou a Samuel, e disse ele: Eis-me 33 aqui. E correu a Eli, e disse: Eis-me aqui, porque tu me chamaste. Mas ele disse: Não te chamei eu, torna a deitar-te. E foi e se deitou. E o SENHOR tornou a chamar outra vez a Sa-muel, e Samuel se levantou, e foi a Eli, e disse: Eis- -me aqui, porque tu me chamaste. Mas ele disse: Não te chamei eu, filho meu, torna a deitar-te. Porém, Samuel ainda não conhecia ao SENHOR, e ainda não lhe tinha sido manifestada a palavra do SENHOR. O SENHOR, pois, tornou a chamar a Samuel ter-ceira vez, e ele se levantou, e foi a Eli, e disse: Eis-me aqui, porque tu me chamaste. Então entendeu Eli que o SENHOR chamava o jovem. Por isso Eli disse a Samuel: Vai deitar-te e há de ser que, se te chamar, dirás: Fala, SENHOR, porque o
  • 34. teu servo ouve. Então Samuel foi e se deitou no seu lugar. Então, veio o SENHOR, e pôs-se ali, e chamou como das outras vezes: Samuel, Samuel. E disse Samuel: Fala, porque o teu servo ouve.” (1 Samuel 3.1-10) Não tenha medo quando ouvir a voz de Deus lhe chamando, se sinta privilegiado, honrado e responda-a prontamente, não pense que você não é capaz ou não está preparado o suficiente. Lembre-se que Jesus não chama capacitados, mas capacita aqueles que chama. Deixe-se ser usado e Ele mesmo vai equipá-lo e capacitar no processo. Foi isso mesmo que Deus falou com o profeta Jeremias no dia de seu chamado: “Assim veio a mim a palavra do SENHOR, dizendo: Antes que te formasse no ventre te conheci, e antes que saísses da madre, te santifiquei; às nações te dei por profeta. Então, disse eu: Ah, Senhor DEUS! Eis que não sei falar; porque ainda sou um menino. Mas o SE-NHOR me disse: Não digas: Eu sou um menino; por-que a todos a quem eu te enviar, irás; e tudo quanto te mandar, falarás. Não temas diante deles; porque estou contigo para te livrar, diz o SENHOR. E estendeu 34
  • 35. o SENHOR a sua mão, e tocou-me na boca; e disse- -me o SENHOR: Eis que ponho as minhas palavras na tua boca; olha, ponho-te neste dia sobre as nações, e sobre os reinos, para arrancares, e para derrubares, e para destruíres, e para arruinares; e também para edi-ficares e para plantares.” (Jeremias 1.4-10) Não deixe de buscar compreender qual é o seu chamado e quando compreendê-lo busque cum-pri- lo em toda sua plenitude, que Deus o abençoe 35 nesse lindo propósito.
  • 36. 36
  • 37. JESUS TE AMA E QUER VOCÊ! 1º PASSO: Deus o ama e tem um plano maravilhoso para sua vida. “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigê-nito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.“ (Jo 3.16.) 37
  • 38. 2º PASSO: O Homem é pecador e está separado de Deus. “Pois todos pecaram e ca-recem da glória de Deus.“ (Rm 3.23b.) 3º PASSO: Jesus é a resposta de Deus, para o conflito do homem. “Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim.“ (Jo 14.6.) 4º PASSO: É preciso receber a Jesus em nosso coração. “Mas, a todos quantos o rece-beram, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que crêem no seu nome.“ (Jo 1.12a.) “Se, com tua boca, confessares Jesus como Senhor e, em teu coração, creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, será salvo. Porque com o coração se crê para justiça e com a boca se confessa a respeito da salvação.” (Rm 10.9-10.) 5º PASSO: Você gostaria de receber a Cristo em seu coração? Faça essa oração de decisão em voz alta: “Senhor Jesus eu preciso 38
  • 39. de Ti, confesso-te o meu pecado de estar longe dos teus caminhos. Abro a porta do meu coração e te recebo como meu único Salvador e Senhor. Te agradeço porque me aceita assim como eu sou e perdoa o meu pe-cado. Eu desejo estar sempre dentro dos teus planos para minha vida, amém”. 6º PASSO: Procure uma igreja evangé-lica próxima à sua casa. Nós estamos reunidos na Igreja Batista da Lagoinha, à rua Manoel Macedo, 360, bairro São Cristóvão, Belo Horizonte, MG. Nossa igreja está pronta para lhe acom-panhar neste momento tão importante da 39 sua vida. Nossos principais cultos são realizados aos domingos, nos horários de 10h, 15h e 18h horas. Ficaremos felizes com sua visita!
  • 40. Uma publicação da Igreja Batista da Lagoinha Gerência de Comunicação Rua Manoel Macedo, 360 - São Cristóvão CEP: 31110-440 - Belo Horizonte - MG www.lagoinha.com Twitter: @Lagoinha_com 40