Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 27-28

1.209 visualizações

Publicada em

Aula 27-28

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.209
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
692
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 27-28

  1. 1. O cartaz dedicado à água das Pedras Salgadas aposta sobretudo na associação da água das Pedras à ideia de pureza («sem qualquer alteração»; «intocada pelo Homem»). Esta qualidade seria conferida pelo caráter absolutamente natural do produto. Não surpreende por isso que imagem, título e slogan façam da Natureza, com maiúscula, o foco do anúncio.
  2. 2. Sublinha-se, mais até do que as propriedades da água, o facto de esta não ser adulterada por processos da responsabilidade da civilização, mesmo na sua recolha e transporte. De tal modo, que só é trazida até nós, como reza o título, «pela Natureza». A imagem é uma alegoria desse momento. Um esquilo, aparente- mente sem esforço, carrega uma garrafa das Pedras, decerto mais pesada do que ele. O slogan explica a força hercúlea: «O poder da Natureza é infinito». Como é infinito o verde que cobre o cartaz, da garrafa ao bosque. [145 palavras]
  3. 3. O cartaz «Maçãs de Alcobaça» pretende sensibilizar-nos através de um discurso que parece apenas preocupado com a promoção da saúde. Dir-se-ia tratar- se até de publicidade institucional. O corpo do anúncio é um texto expositivo, que pouco se distingue do que encontraríamos numa enciclopédia ou num manual sobre nutrição. Impressiona o léxico científico («fitonutrientes», «sódio», «gordura saturada», etc.).
  4. 4. No entanto, nos limites destas linhas de informação e conselho desinteressado, descobrimos um enunciado diretivo, o slogan «Coma maçãs. Nenhuma dentada é de mais». Porém, só o título fará a síntese entre a defesa sanitária e os vis instintos comerciais. As duas metáforas quase bélicas em «Combata a obesidade à dentada» aproximam, finalmente, saúde e maçãs, e são ilustradas por um verdíssimo pomo que alguém trincou vorazmente. Entretanto, no canto inferior direito avista-se, tímido, o logotipo que desvenda a marca, «Maçã de Alcobaça». [140 palavras]
  5. 5. Guarda e Setúbal são interessantes cidades. As demais cidades portuguesas, não. De mais (cp. «de menos»; cp. «a mais») no resto. Mas há visões mais abrangentes e «demais» acaba por ser usado em muitos contextos.
  6. 6. Natureza (qualidade de) * naturalidade caráter / carácter natural … intocado … inviolado pureza
  7. 7. usam mostram … Os autores usam Usa-se Mostra-se
  8. 8. A partir de
  9. 9. Acho que Não valorar (explicitamente)
  10. 10. Gaitán
  11. 11. «Há-des» — isto assim não está bem «Salchicha» — isto assim não está bem «Devia de haver» — isto assim não está bem E dizer «tu fizestes» também não está bem!
  12. 12. Acerca dos trabalhos de casa procurar dar na aula seguinte; se se tratar de conclusão de tarefa iniciada em aula, completar mesmo os textos (não dar a folha como já estava).
  13. 13. Ir arrumando tudo em dossiê (folhas das aulas; trabalhos; questionários)
  14. 14. Tarefa de leitura — Em folha solta, ao longo da próxima semana, trazer-me referência bibliográfica (ou referências) — e, já agora, bem redigida (exemplo de como se faz referência: Rubem Fonseca, O selvagem da ópera, Porto, Sextante Editora, 2015) — do que estão a pensar ler. Se não tiverem ainda ideia, dizer-mo, porventura assinalando as perspetivas e preferências que tenham ou ideias de que precisem. Porém, leiam antes o que deixei escrito em ‘Leituras possíveis para tarefa em novembro de 2015’ (Gaveta de Nuvens).
  15. 15. Aceito que me deem notícia por mail. E também há dias em que tenho horário para receção dos alunos (ver ‘Horário’) e também posso falar convosco em intervalos.
  16. 16. Depois de dar uns tempos para a leitura, direi a tarefa que pretendo. Mas, nessa altura, convém já ir muito adiantado ou ter terminado a leitura.
  17. 17. Indícios «é o quarto a seguir ao das crianças» o riso de Paul Marshall ao ver as crianças festas feitas por Paul Marshall na cabeça das crianças «belas calças» amo, amas, amat «tens de trincar o chocolate» «o tal de cabelo ruivo não era de confiar» (na história escrita por Briony)
  18. 18. choctail < chocolate + cocktail
  19. 19. «recuos estratégicos» = eufemismo de «retirada»
  20. 20. Relativamente aos anúncios da p. 66: Na p. 62, salientara-se a importância de cinco elementos do processo publicitário, tradutíveis no acrónimo AIDMA.
  21. 21. Atenção Capta-se a atenção através da notoriedade das personalidades (identificadas apenas pelo primeiro nome e profissão) e pelo insólito da sua presença numa imagem reportada à sua infância.
  22. 22. Interesse A escolha de pessoas com sucesso para protagonistas da campanha — pela procura de identificação de cada um com os seus heróis — favorece que queiramos ler o que o anúncio proponha.
  23. 23. Desejo Aposta-se, neste caso, no instinto de proteção dos pais, sublinhando-se a garantia de saúde no futuro.
  24. 24. Memorização Vinca-se, pela repetição, a necessidade de os pais serem preventivos (apostando numa responsabilização subliminar): «as grandes decisões tomam-se muito cedo»; «os primeiros momentos [...] são importantes»», «pense nele logo no primeiro instante»; «Não perca mais tempo».
  25. 25. Ação Remetidos para o final, em cor diferente, os contactos da firma que presta o serviço de criopreservação.
  26. 26. Relativamente ao anúncio televisivo que veremos (cfr. ponto 2 da p. 68): Marca ou Instituição Médicos do Mundo Título da campanha Faz o teste do VIH/SIDA
  27. 27. Slogan Lutamos contra todas as doenças, até mesmo a injustiça. Argumentos «Anónimo», «Confidencial», «Gratuito».
  28. 28. Expressividade da banda sonora Soturna e grave, mas ritmada e progressivamente enfática. Valor do texto icónico Sequência essencialmente a preto e branco, investindo-se no mistério, na obscuridade, para sublinhar a revelação final, o conselho-solução.
  29. 29. Relativamente aos anúncios (A e B) na p. 69, preenche: ONG APAV Ajuda de Mãe
  30. 30. Público alvo Todos As jovens
  31. 31. Problemáticas sociais em causa Abandono das pessoas idosas Gravidez na adolescência
  32. 32. Resolve 1.4: a.falsa ato ilocutório diretivo
  33. 33. b. verdadeira
  34. 34. c. falsa «engravidares» = futuro do conjuntivo «muda» = presente do indicativo
  35. 35. Idealiza um anúncio (cartaz) para uma cerveja, incluindo título assertivo [descrição breve da] imagem slogan diretivo
  36. 36. Esboça outro anúncio, agora sobre alguma pasta de dentes (cfr. p. 60): Couto, Colgate, Pepsodent. Título será expressivo; slogan, compromissivo.
  37. 37. TPC — Terminar (melhorar) a idealização de anúncios agora começados.

×