Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 9

3.643 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.643
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2.842
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 9

  1. 2. <ul><li>pretendia-se momentos (não tanto acontecimentos) </li></ul>
  2. 3. <ul><li>uso do presente </li></ul><ul><li>períodos curtos </li></ul>
  3. 4. <ul><li>Ele parte. </li></ul><ul><li>Parte. </li></ul>
  4. 5. <ul><li>E, de repente, ... </li></ul>
  5. 7. <ul><li>7. Postiga, o melhor avançado do mundo, falhou mais uma vez. </li></ul><ul><li>8. Comi uma alface, quando a conheci. </li></ul><ul><li>2. Stor, dê-me a fatia do bolo rançoso. </li></ul><ul><li>4. Bebi sangria, aguardente, bagaço, vinho tinto, chá. </li></ul>
  6. 8. <ul><li>1. Ela tem uma das melhores memórias; ele, uma das piores. </li></ul><ul><li>3. Ontem, comi uma alface de estimação. </li></ul><ul><li>5. Não voteis na lista Z, votai na lista de vinhos. </li></ul><ul><li>6. Não creio, contudo, que sejas parvo. </li></ul>
  7. 9. <ul><li>3. Combinava, por vezes, uns assaltos. </li></ul><ul><li>8. E, se tudo correr bem, encontramo-nos em Paris. </li></ul><ul><li>8. Porque estava frio, despi a camisola. </li></ul><ul><li>9. A iguana, que estava lindíssima, beijou o iguano. </li></ul>
  8. 10. <ul><li>Stor , dê-me a fatia do bolo rançoso. </li></ul><ul><li>vocativo </li></ul><ul><li>Dê-me, stor , a fatia do bolo rançoso. </li></ul><ul><li> vocativo </li></ul><ul><li>Dê-me a fatia do bolo rançoso, stor . </li></ul><ul><li>vocativo </li></ul>
  9. 11. <ul><li>Ela tem uma das melhores memórias. </li></ul><ul><li>Ele, uma das piores. </li></ul><ul><li>elisão </li></ul>
  10. 12. <ul><li>Ontem , comi uma alface de estimação. </li></ul><ul><li>modificador </li></ul><ul><li>Comi uma alface, quando a conheci . </li></ul><ul><li>oração subordinada adverbial (temporal) </li></ul><ul><li>Porque estava frio , despi a camisola. </li></ul><ul><li>oração subordinada adverbial (causal) </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Combinava, por vezes , uns assaltos. </li></ul><ul><li> modificador </li></ul>
  11. 13. <ul><li>E, se tudo correr bem , encontramo-nos em Paris. </li></ul><ul><li>oração subordinada adverbial (condicional) </li></ul>
  12. 14. <ul><li>Não creio, contudo , que sejas parvo. </li></ul><ul><li> advérbio conectivo </li></ul>
  13. 15. <ul><li>Não voteis na lista Z , votai na lista de vinhos. </li></ul><ul><li>oração coordenada + oração coordenada (assindética) </li></ul>
  14. 16. <ul><li>Bebi sangria , aguardente , bagaço , vinho tinto , chá . </li></ul><ul><li>palavras da mesma classe </li></ul>
  15. 17. <ul><li>oração subordinada relativa explicativa </li></ul><ul><li>A iguana, que estava lindíssima , beijou o iguano. </li></ul><ul><li>modificador apositivo </li></ul><ul><li>Postiga, o melhor avançado do mundo , falhou mais uma vez. </li></ul>
  16. 19. <ul><li>Autobiografia </li></ul><ul><li>No sentido estrito da palavra, autobiografia será a biografia de alguém realizada pelo próprio , de tal forma que o narrador e o objecto narrado sejam equivalentes . </li></ul>
  17. 20. <ul><li>Em termos literários, a autobiografia assume algumas regras (sempre passíveis de transgressão) que poderemos reduzir ao seguinte: o autor assume a responsabilidade pessoal de criação e de organização do seu texto; o indivíduo revelado ao longo da organização textual é idêntico ao referenciado; </li></ul>
  18. 21. <ul><li> admite-se, portanto, a existência real desse indivíduo, de tal forma que essa existência pode ser comprovada publicamente; aceita-se uma espécie de pacto autobiográfico, segundo o qual os acontecimentos relatados são tidos pelo leitor como verídicos. No romance autobiográfico, naturalmente que, em virtude das regras da ficcionalidade, essas normas admitem um nível maior de transgressão. </li></ul>
  19. 23. <ul><li>Resolve a pergunta 2 da p. 113 </li></ul><ul><li>2. Comprova a natureza autobiográfica do excerto a partir do levantamento de marcas linguísticas que denotam a presença do «eu» no discurso (deíticos pessoais), nomeadamente: a) pronomes pessoais; b) verbos; c) determinantes possessivos. </li></ul>
  20. 24. <ul><li>2. </li></ul><ul><li>a) pronomes pessoais: eu (l. 14); me (24); nos (38); </li></ul><ul><li>b) verbos: nasci (3); abri (6); associei (l. 8); devo (l. 10); tivesse (14); recebi (16); tive (18); dispunha (27); encontrei (29); etc. </li></ul><ul><li>c) determinantes possessivos: meu (9); meus (10); nosso (12); minha (10, 14). </li></ul>
  21. 25. <ul><li>Resolve as perguntas 3. e 3.1 da p. 113. </li></ul>
  22. 26. <ul><li>3. O nascimento, o percurso escolar na infância e académico na juventude e a idade adulta e as vivências familiares. </li></ul><ul><li>3.1 Os momentos da vida do narrador são apresentados por ordem cronológica. </li></ul>
  23. 27. <ul><li>O filme cujo início vamos ver também é autobiográfico. Melhor, tem como personagem principal alguém que vai narrando a sua vida. Em rigor, para ser uma autobiografia mesmo, deveríamos ter como personagem e narrador uma figura correspondente ao próprio realizador. </li></ul>
  24. 28. <ul><li>Num livro, diríamos que o narrador é homodiegético (é também personagem da história que narra) ou autodiegético (já que é até a personagem principal , o herói). Porém, no filme, além de intervenções em off (na 1.ª pessoa, claro), também temos partes em que não há bem narração, como é o mais natural no cinema. </li></ul>
  25. 29. <ul><li>Aspecto talvez pouco usual é que o narrador, apesar de se situar já depois de percorrida a vida toda (a história parece ser relatada em flash back , ou seja, em analepse ), surge-nos com a voz da idade que teria à data dos acontecimentos narrados (e não como alguém já velhote que os relatasse a posteriori ). </li></ul>
  26. 30. <ul><li>A etiqueta mais adequada ao género deste Jeux d’enfants [ Amor ou consequência ] seria ‘memórias de uma paixão’, mais do que ‘autobiografia’, ‘memórias’ ou ‘romance autobiográfico’. Note-se ainda que há saltos (de décadas) na biografia do casal, o que também é conveniente a filmes, já que se ultrapassa assim a necessidade fazer envelhecer as personagens paulatinamente. </li></ul>
  27. 31. <ul><li>Uma última nota: o objeto que serve de agregador das várias peripécias daria um excelente ‘prémio Tia Albertina’. </li></ul>
  28. 34. <ul><li>TPC — Ler nas páginas castanhas do manual uma série de definições, em revisão de matérias recentes: Preposição (p. 305); Grupo preposicional (306); Vocativo (308); Modificador [de frase] (307), [de verbo] (309), [apositivo de nome] (310); Orações assindéticas (311); Oração explicativa (312); Orações subordinadas adverbais (313). </li></ul>

×