Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 56

2.285 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.285
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.476
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 56

  1. 1. Começa por resolver as lacunas daparte superior da página. Depois — mas só depois — podes irensaiando a leitura em voz alta dossonetos «Anósia» e «Pandemos».
  2. 2. Os quatro poemas que se seguemforam escritos por Jorge de Sena, em1961 («Quatro Sonetos a AfroditeAnadiómena», Metamorfoses, Lisboa,Moraes, 1963).
  3. 3. Se excetuarmos as palavras«gramaticais» (preposições, conjunções,determinantes, pronomes), há sobretudovocábulos criados pelo poeta, ainda queseguindo os padrões morfológicos doportuguês (palavras cunhadas, portanto).Também as características deversificação esperáveis são efetivamentecumpridas, já que, em termos de
  4. 4. métrica, temos versos decassilábicos, ea rima das quadras é interpolada eemparelhada, enquanto que, nas duasestrofes finais dos sonetos, surgem osesquemas rimáticos C-C-D-E-E-D (para oprimeiro e último poemas) e C-D-E-C-D-E, C-D-C-D-C-D (no segundo e terceirosonetos).
  5. 5. Reconhecemos também as classes damaioria das palavras inventadas por Sena(«sussúrica» será adjetivo; «escalca»,verbo; «transcêndia», nome), bem comopercebemos certas categorias(«palquitonará» há de ser uma 3.ª pessoado singular do Futuro do Indicativo;«fissivirão», uma 3.ª pessoa do plural domesmo tempo; «refucarai», a 2.ª pessoado plural do Imperativo).
  6. 6. Quanto a mim, há dois casos em queSena decidiu mal as grafias. No terceirosoneto há uma acentuação impossível nosistema ortográfico português: «uníflo»nunca poderia ter o acento gráfico que lhefoi posto, já que, mesmo sem ele, era já umapalavra grave. Também não concordo coma grafia «nigrors», no segundo soneto, poisque a formação do plural implicava um«res» (compare-se: «júnior», «juniores»). Noúltimo soneto, torço o nariz à acentuaçãográfica de «meláina» e «Hefáistos».
  7. 7. TPC — Prepara a leitura em voz altados sonetos que não lemos em aula.
  8. 8. Horácio, EpodosG. E. Lessing, Emilia GalottiHomero, OdisseiaMark Twain, Aventuras de Huckleberry FinnD. H. Lawrence, O amante de Lady ChatterleyHergé, [série de Tintin]Anton Tchekov, A dama do cachorrinhoLeão Tolstoi, Guerra e Paz
  9. 9. HorácioEpodos30 a.C.RomaPoesia lírica
  10. 10. G. E. LessingEmilia Galotti1772AlemanhaEmilia GalottiDrama
  11. 11. HomeroOdisseiaséc. VIIIa.C.GréciaUlisses, Penélope, TelémacoPoema épico
  12. 12. Mark TwainAventuras de Huckleberry Finn1884EUAHuckleberry Finn, Tom SawyerNovela de aventuras
  13. 13. D. H. LawrenceO amante de Lady Chatterley1928Reino UnidoConstance Chatterley, Clifford Chatterley, Oliver MellorsNovela passional, psicológica
  14. 14. Hergé[série de Tintin]1929-...BélgicaTintin, Haddock, MilouBD
  15. 15. Anton TchekovA dama do cachorrinho1899RússiaDimitri Gurov, Ana SiergueievnaConto
  16. 16. Leão TolstoiGuerra e Paz1865-1869RússiaPedro Bezukov, entre muitasRomance-fresco
  17. 17. TPC — Prepara a leitura em voz alta dos sonetos que não lemos em aula. Vê em Gaveta de Nuvens instruções para duas tarefas: bibliofilme (a entregar em maio); comentário-análise de canção (a entregar durante a próxima semana ou pouco mais).

×