Capoeira

2.032 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.032
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
111
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Capoeira

  1. 1. Capoeira
  2. 2. Origem A palavra capoeira vem do termo “capoeiras”, que significa “mata que foi”. A capoeira teve inicio no Brasil após o século XVI, praticada pelos escravos nas senzalas era uma forma de diversão e de defesa quando fugiam e eram caçados pelos capitães-do-mato, que sempre andavam a cavalo e armados, essa era a única forma deles terem alguma chance de fugirem e conseguirem lutar.
  3. 3. Proibição da capoeira  Em 1890, logo após o decreto da lei Áurea, que libertava os escravos, a capoeira foi proibida porque após a libertação os antigos escravos não havia trabalho para os escravos por causa da discriminação, e como havia mão de obra de europeus e asiáticos sobrando só piorou tudo, ela foi proibida porque alguns dos praticantes formaram grupos de assassinos de aluguel e guarda costas, que eram a única oportunidade de emprego que sobravam para eles.
  4. 4. Atualmente  Atualmente a capoeira é praticada em vários países e muitos estrangeiros vem para o Brasil apenas para aprenderem a arte marcial, e constantemente os mestres brasileiros são convidados para dar aula no exterior ou para formar novos grupos de capoeira em outros países.
  5. 5. Roda de capoeira  A roda de capoeira é um círculo de capoeiristas com uma bateria musical em que a capoeira é jogada, tocada e cantada. A roda serve tanto para o jogo, divertimento e espetáculo, quanto para que capoeiristas possam aplicar o que aprenderam durante o treinamento.  Em geral, o objetivo do jogo da capoeira não é o nocaute ou destruir o oponente. O maior objetivo do capoeirista ao entrar em uma roda é a queda, ou seja, derrubar o oponente sem ser golpeado, preferencialmente com uma rasteira. Na maioria das vezes, entre o jogo de um capoeirista mais experiente e um novato, o capoeirista experiente prefere mostrar sua superioridade marcando o golpe no oponente, ou seja, freando o golpe um instante antes de completá-lo. Entre dois capoeiristas experientes o jogo poderá ser muito mais agressivo e as consequências mais graves.
  6. 6. A ginga  A ginga é o movimento básico da capoeira, mas além da ginga são muito comuns os chutes em rotação, rasteiras, floreios (como o aú ou a bananeira), golpes com as mãos, cabeçadas, esquivas, acrobacias (como o salto mortal), giros apoiados nas mãos ou na cabeça e movimentos de grande elasticidade.
  7. 7. O apelido  O costume do apelido surgiu na época em que a capoeira era ilegal. Capoeiristas evitavam dizer seus nomes para evitar problemas com a polícia e se apresentavam a outros capoeiristas ou nas rodas pelos seus apelidos. Dessa forma um capoeirista não poderia revelar os nomes dos seus companheiros à polícia, mesmo que fosse preso e torturado.  Hoje em dia o apelido continua uma forte tradição na capoeira, apesar de não ser mais necessário.
  8. 8. A dança e a capoeira  Devido à sua origem e história, existiu sempre a necessidade de se esconder ou disfarçar o aprendizado e a prática da capoeira. Na época da escravidão era um risco enorme aos senhores de engenho possuir escravos hábeis em uma arte-marcial. Para evitar represálias por parte de seus senhores, os escravos praticavam enquanto seus companheiros cantavam e batiam palmas. Os golpes e esquivas eram praticados durante uma falsa dança que seria o começo da atual ginga.
  9. 9. Estilos  Angola: Capoeira Angola refere-se a toda a capoeira que mantém as tradições da época anterior à da criação do estilo Regional. Em outras palavras é a capoeira mais tradicional. Existindo em diversas áreas do país desde tempos mais remotos, notadamente no Rio de Janeiro, em Salvador e em Recife, é impossível precisar onde e quando a capoeira Angola começou a tomar sua forma atual.  O nome "Angola" já começa a aparecer com os negros que vinham para o Brasil oriundos da África, embarcados no Porto de Luanda que, independente de sua origem, eram designados na chegada ao Brasil de negros de Angola.
  10. 10.  Regional: A capoeira regional começou a nascer na década de 1920, do encontro de mestre Bimba com seu futuro aluno, José Cisnando Lima. Ambos acreditavam que a capoeira estaria perdendo seu valor marcial e chegaram à conclusão de que uma reestruturação era necessária. Bimba criou, então, sequências de ensino e metodizou o ensino de capoeira. Aconselhado por Cisnando, Bimba chamou sua capoeira de Luta Regional Baiana, visto que a capoeira ainda era ilegal na época. A capoeira tradicional é mais voltada para a pratica de ataque e contra-ataque.
  11. 11. Capoeira contemporânea  A capoeira usa primariamente os pés como ataque. Golpes podem ser diretos, como no caso do Martelo, ou giratórios, como no caso da Meia-lua de compasso. A rasteira é de suma importância, considerada por muitos como a melhor arma disponível para o capoeirista. Desenvolvida para o combate em desvantagem, o ataque do capoeirista deve ser aplicado no momento oportuno e de forma definitiva.  A defesa usa o princípio da não-resistência, isto é, evitar um golpe com uma esquiva em vez de apará-lo. Esquivas podem ser executadas tanto em pé quanto com os apoios das mãos no chão. No caso de impossibilidade da esquiva o Capoeirista se defende aparando ou desviando o golpe com as mãos ou as pernas.  A ginga é importantíssima para a defesa e para o ataque do capoeirista, tornando o capoeirista imprevisível durante o ataque e dificultando um possível contra- ataque, além de evitar que o capoeirista se torne um alvo fixo.
  12. 12. Golpes  Martelo É necessário um bom alongamento de pernas e equilíbrio. Tal como na Benção é necessária a elevação de joelho, mas a movimentação da perna é feita num ângulo diferente. O Martelo é muito Regional, muito competitivo, forte e rápido.  Meia lua de compasso levanta-se a perna e roda-se de modo a se fazer um semicírculo, mas desta feita, o movimento é feito com ambas as mãos no chão e de costas voltadas para o oponente  Rolê O Rolê trata-se de um meio de se movimentar na "Roda", tal como a Ginga e o Au.
  13. 13.  Chapa de costas: O Chapa de Costas é um movimento de Capoeira Angola, consiste num pontapé, efectuado de costas para o adversário, normalmente de forma a atingir a cabeça ou o tronco do oponente.  Armada: Trata-se de um pontapé rodado muito comum em Capoeira. Parecido com uma Meia Lua, devido à rotação, começa-se, como quase sempre, a partir da Ginga. Neste caso não existe apenas um rotação da perna, mas também uma importante rotação de corpo.  Meia lua de frente: A partir da Ginga levanta-se a perna aliviada - mais traseira - e roda-se numa trajectória correspondente a semi-círculo. É necessário que, no movimento, não se perca a orientação. Para melhor equilibrio, empurram-se os braços em sentido contrário.
  14. 14.  Ponteira: É muito parecido com a Benção, mas trata-se de facto de um movimento bem diferente, visto que é bem mais rápido e imprevisível. Na Ponteira, o capoeirista não levanta o joelho, mas levante logo a perna num movimento arqueado, apenas flecte um pouco a perna na subida de modo a atingir com maior impacto o peito ou estômago do oponente.  Ginga: O movimento básico de Capoeira. Em vez de o capoeirista se fixar numa posição, ele está sempre em movimento, efectuando esta espécie de dança.  Cocorinha: A Cocorinha é um método evasivo, nomeadamente consiste na forma de evitar pontapés circulares efectuados em curta distância. Neste movimento é necessário que a mão que toca no solo mantenha o equilíbrio, e, tal como em todos os movimentos e "jogo" capoeirista, é necessário manter sempre o contacto visual com o adversário.
  15. 15. Bibliografia  http://pt.wikipedia.org/wiki/Capoeira  http://arodacapoeira.no.sapo.pt/mov_basicos.html  http://arodacapoeira.no.sapo.pt/mov_basicos_2.html  http://arodacapoeira.no.sapo.pt/mov_basicos_3.html

×