Modelo 3 circulos - Paulino Silva

540 visualizações

Publicada em

Seminário "Sucessão Empresarial em Portugal" AEP
Apresentação Paulino Silva - ISCAP

Publicada em: Economia e finanças
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
540
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Modelo 3 circulos - Paulino Silva

  1. 1. SUCESSÃO EM EMPRESAS FAMILIARES O MODELO DOS 3 CÍRCULOS PAULINO SILVA DOCENTE DO ISCAP / IPP paulino@iscap.ipp.pt
  2. 2. SUMÁRIO • Introdução • A importância da sucessão • Estudos académicos • O modelo dos 3 círculos • Conclusão Paulino Silva | ISCAP 2
  3. 3. INTRODUÇÃO: CONTEXTO MUNDIAL • Entre 65% e 80% das empresas a nível mundial são familiares. • Desde as mais pequenas às mundialmente conhecidas como é o caso da Wal-­‐Mart e da Fidelity Investments. • Das 500 maiores empresas listadas pela Fortune cerca de 40% são detidas ou controladas por famílias. Gersick et al. (1998) Paulino Silva | ISCAP 3
  4. 4. INTRODUÇÃO: CONTEXTO NACIONAL • 80% das empresas nacionais são de cariz familiar, geram 60% do PIB português e são responsáveis por 50% do emprego (AEP, 2012). • Temos vários exemplos de grandes e conhecidas empresas familiares, como é o caso do Grupo Espírito Santo, Jerónimo Martins, Grupo Sonae, Grupo Amorim, Luís Simões ou Salvador Caetano. Paulino Silva | ISCAP 4
  5. 5. DEFINIÇÃO DE EMPRESA FAMILIAR Uma empresa familiar é uma empresa em que um ou mais membros de uma ou mais famílias têm uma participação significativa e compromissos significativos na direção do negócio. Paulino Silva | ISCAP 5
  6. 6. DEFINIÇÃO DE SUCESSÃO A sucessão é entendida como o rito de transferência do poder e do capital entre a atual geração dirigente e a que virá a liderar. Paulino Silva | ISCAP 6
  7. 7. A SUCESSÃO É UM PROBLEMA? Paulino Silva | ISCAP 7
  8. 8. O DESAFIO DA SUCESSÃO • A experiência evidencia que a sucessão é um dos maiores problemas que surgem nas empresas de cariz familiar, independentemente da sua dimensão ou setor em que estão inseridas, e que a maior parte das empresas não sobrevive a este obstáculo. Paulino Silva | ISCAP 8
  9. 9. O DESAFIO DA SUCESSÃO • Nos EUA – Cerca de 70% das empresas familiares desaparecem antes da segunda geração; – Cerca de 88% das empresas familiares falham antes da terceira geração. Lansberg (1999) Paulino Silva | ISCAP 9
  10. 10. O DESAFIO DA SUCESSÃO • Em Portugal – 50% das empresas familiares não passam para a segunda geração; – Somente 20% alcança a terceira geração. (AEP, 2012) Paulino Silva | ISCAP 10
  11. 11. E O QUE DIZ O POVO? Paulino Silva | ISCAP 11
  12. 12. NO BRASIL… “Pai rico, filho nobre e neto pobre.” Paulino Silva | ISCAP 12
  13. 13. EM ITÁLIA… “Dalle stalle alle stelle alle stalle.” Dos estábulos, às estrelas, aos estábulos em três gerações. Paulino Silva | ISCAP 13
  14. 14. NA INGLATERRA… “Shirtsleeves to shirtsleeves in three generations.” De mangas de camisa a mangas de camisa em 3 gerações. Paulino Silva | ISCAP 14
  15. 15. NO MÉXICO… “Padre bodeguero; hijo millionario; nieto pordiosero.” Pai comerciante, filho milionário, neto mendigo. Paulino Silva | ISCAP 15
  16. 16. NA CHINA… “Fu bu guo san daí.” As riquezas nunca se mantêm por três gerações. Paulino Silva | ISCAP 16
  17. 17. PORQUÊ ESTE PESSIMISMO POPULAR? • Formação não adequada dos sucessores? • Desinteresse dos herdeiros? • Inexistência de investidores? • Conflitos familiares? • Problemas de mercado? • Falta de inovação constante? Paulino Silva | ISCAP 17
  18. 18. FALHAS NA SUCESSÃO? • A falha no processo de sucessão nas empresas familiares pode levar a vários problemas graves: – Perda de postos de trabalho; – Perda de investimentos tangíveis (edifícios, máquinas, etc.); – Perda de investimentos intangíveis (carteira de clientes, know-­‐how, etc.). Paulino Silva | ISCAP 18
  19. 19. MAS NEM TUDO É PESSIMISMO… Paulino Silva | ISCAP 19
  20. 20. OS BONS EXEMPLOS Apesar dos provérbios populares em todo o mundo serem muito pessimistas em relação à longevidade geracional das empresas, há bons exemplos, que vale a pena mencionar! Paulino Silva | ISCAP 20
  21. 21. NO JAPÃO... Paulino Silva | ISCAP 21
  22. 22. HOUSHI HOTEL • Está listado no Guinness Book of World Records como o mais antigo do mundo. O hotel tem sido gerido por mais de 1.300 anos, e operado pela mesma família há 46 gerações. • O custo dos quartos começa nos 500,00 euros por noite com pequeno almoço e jantar incluídos. Paulino Silva | ISCAP 22
  23. 23. ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA Paulino Silva | ISCAP 23
  24. 24. ZILDJIAN “Fundada há 14 gerações em Constantinopla por um alquimista chamado Avedis I, que descobriu uma liga de metal extremamente musical para criar poderosos e duráveis címbalos. O sultão chamou-­‐lhe "Z i ldj i a n " , armêni o para "cymbalsmith." Esta família chegou aos EUA em 1929, a tempo de Avedis Zildjian III estabelecer laços com bateristas de jazz em alta nessa altura. O seu filho Armand criou uma moderna fábrica. Atualmente, as suas filhas Craigie (CEO) e Debbie administram a empresa.” Paulino Silva | ISCAP 24
  25. 25. EM PORTUGAL… Paulino Silva | ISCAP 25
  26. 26. J. B. FERNANDES, S.A. • Empresa que comercializa ferro, ferragens e ferramentas; • Fundada em 12 de Janeiro de 1781 por Ignácio José Fernandes é a empresa familiar mais antiga do país. • Atualmente está na 6ª geração. Paulino Silva | ISCAP 26
  27. 27. ESTUDOS ACADÉMICOS • As empresas familiares começaram a ser estudadas no meio académico, nos anos 60 e 70 através de artigos que salientavam as suas características, como por exemplo, o nepotismo, as diferenças geracionais, a rivalidade entre membros da família e a falta de profissionais de gestão. • Nessa altura era popular um modelo conceptual que considerava a existência de 2 subsistemas que se interrelacionavam: a família e a gestão da empresa. Paulino Silva | ISCAP 27
  28. 28. ESTUDOS ACADÉMICOS • Muita da investigação realizada entretanto concluiu que muitos problemas das empresas familiares, sobretudo a partir da segunda ou terceira geração estão nos conflitos entre o controlo de capital e o controlo da gestão. • É neste contexto que surge um modelo conceptual que relaciona 3 tipos de relação, o modelo dos 3 círculos. Paulino Silva | ISCAP 28
  29. 29. MODELO DOS 3 CÍRCULOS PROPRIEDADE GESTÃO 1. Familiar FAMÍLIA 2. Proprietário 3. Trabalhador 4. Familiar proprietário 5. Proprietário trabalhador 6. Familiar trabalhador 7. Proprietário familiar trabalhador Paulino Silva | ISCAP 29
  30. 30. • Os três círculos são úteis para identificar as fontes de conflito interpessoal, os dilemas, as prioridades e as fronteiras da família. MODELO DOS 3 CÍRCULOS Paulino Silva | ISCAP 30
  31. 31. MODELO DOS 3 CÍRCULOS • Cada pessoa envolvida numa empresa familiar pode ser colocada num dos sete setores dos subsistemas. Paulino Silva | ISCAP 31
  32. 32. A FAMÍLIA à 1 Membros da família que não possuem capital nem trabalham na empresa. Paulino Silva | ISCAP 32
  33. 33. A PROPRIEDADE à 2 Acionistas ou sócios que não são membros da família e que não trabalham na empresa. Paulino Silva | ISCAP 33
  34. 34. A GESTÃO à 3 Trabalhadores que não são membros da família nem possuem qualquer parte do capital. Paulino Silva | ISCAP 34
  35. 35. FAMÍLIA + PROPRIEDADE à 4 Membros da família que detêm ações ou quotas da empresa, mas que não trabalham na empresa. Paulino Silva | ISCAP 35
  36. 36. FAMÍLIA + GESTÃO à 5 Acionistas ou sócios que não são membros da família mas que trabalham na empresa. Paulino Silva | ISCAP 36
  37. 37. PROPRIEDADE + GESTÃO à 6 Membros da família que trabalham na empresa mas que não possuem ações ou quotas da empresa. Paulino Silva | ISCAP 37
  38. 38. FAMÍLIA + PROPRIEDADE + GESTÃO à 7 Membros da família que possuem ações ou quotas e trabalham na empresa. Paulino Silva | ISCAP 38
  39. 39. MODELO DOS 3 CÍRCULOS PROPRIEDADE GESTÃO 1. Familiar FAMÍLIA 2. Proprietário 3. Trabalhador 4. Familiar proprietário 5. Proprietário trabalhador 6. Familiar trabalhador 7. Proprietário familiar trabalhador Paulino Silva | ISCAP 39
  40. 40. O MODELO DOS 3 CÍRCULOS • Dadas as tensões e possíveis conflitos inerentes do sistema empresarial familiar, há necessidade da existência de ‘lugares’ próprios para lidar com essas mesmas tensões e aprender a geri-­‐las. Paulino Silva | ISCAP 40
  41. 41. OS LUGARES PRÓPRIOS FAMÍLIA à CONSELHO FAMILIAR PROPRIEDADE à ASSEMBLEIA-­‐GERAL GESTÃO à REUNIÃO DE GERÊNCIA / ADMINISTRAÇÃO Paulino Silva | ISCAP 41
  42. 42. OS TRÊS ÓRGÃOS • A forma como estes três órgãos funcionam determina a estrutura de governo da empresa familiar. • Esta estrutura é a base de continuidade das empresas, pois permite preservar a estabilidade, formando os seus vários intervenientes. Paulino Silva | ISCAP 42
  43. 43. CONCLUSÃO • As empresas familiares desempenham um papel fundamental na economia mundial; • O processo de sucessão é decisivo na continuidade do negócio; • O modelo de três círculos pode ser muito útil para análise da empresa familiar, num determinado momento do tempo e durante a sua evolução. Paulino Silva | ISCAP 43
  44. 44. Muito obrigado pela vossa atenção! J Questões? Paulino Silva | ISCAP 44

×