Sociedade e Cultura

16.453 visualizações

Publicada em

Apresentação sobre o texto "Sociedade e Cultura", de Renato Ortiz.

Publicada em: Tecnologia, Esportes
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
16.453
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
65
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
123
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sociedade e Cultura

  1. 1. SEMINÁRIO DE SOCIOLOGIA SOCIEDADE E CULTURA – RENATO ORTIZ 2009
  2. 2. <ul><li>Texto: Sociedade e Cultura </li></ul><ul><li>Livro: Brasil, Um Século de transformações </li></ul><ul><li>Organizador: Paulo Sérgio Pinheiro </li></ul>Sociedade & Cultura
  3. 3. Sociedade & Cultura <ul><li>Apresentação online </li></ul><ul><li>www.slideshare.net/luis.rick/slideshows </li></ul>
  4. 4. <ul><li>QUEM É RENATO ORTIZ </li></ul><ul><li>Renato José Pinto Ortiz </li></ul><ul><li>Sociólogo formado na Universidade de Paris; </li></ul><ul><li>Mestrado e Doutorado em Sociologia na </li></ul><ul><li>Escola de Altos Estudos em Ciências Sociais; </li></ul><ul><li>Pós-Doutorado nas Universidade de Columbia </li></ul><ul><li>e de Nova Iorque; </li></ul><ul><li>Professor convidado na Universidade de Córdoba; </li></ul><ul><li>Professor titular na Unicamp. </li></ul>Sociedade & Cultura
  5. 5. <ul><li>Como a Cultura transformou um país agrário e sem união em uma unidade nacional? </li></ul><ul><li>Quais são as formas de disseminação da Cultura? </li></ul>Sociedade & Cultura
  6. 6. <ul><li>Períodos de estudo: </li></ul><ul><li>1900 – 1930 </li></ul><ul><li>1930 – 1964 </li></ul><ul><li>1964 – 1990 </li></ul><ul><li>O século então é separado em 2 diferentes datas: </li></ul><ul><li>1930 – Fim da República Velha e das oligarquias do Café </li></ul><ul><li>1964 – Início do Governo Militar </li></ul><ul><li>Por quê? </li></ul>Sociedade & Cultura
  7. 7. <ul><li>Porque não separar o século em datas significativas para a cultura em si, como a chegada do rádio ou da televisão? </li></ul><ul><li>1930 e 1964 foram momentos de ruptura. </li></ul><ul><li>Esses anos abalaram com o Brasil como um todo, modificando as vidas dos brasileiros de forma profunda. </li></ul>Sociedade & Cultura
  8. 8. <ul><li>1900 – 1930 </li></ul><ul><li>País agrário, economia fortemente baseada no café; </li></ul><ul><li>Passado escravocrata, pois abolição ainda tinha 12 anos, ainda sendo muito encontrada no interior do país; </li></ul><ul><li>País separado, sem integração entre as múltiplas culturas, e poderes independentes; </li></ul><ul><li>Meios de comunicação e cultura da época: imprensa, livros e cinema. </li></ul>Sociedade & Cultura
  9. 9. <ul><li>No começo da década de 20 há um aumento nas tiragens de livros e periódicos, porém era um crescimento contraditório e limitado: o analfabetismo ainda atingia 75% da população. O crescimento era na Elite de Letrados. </li></ul><ul><li>Com um mercado literário tão restrito, a única maneira de um escritor ser lido era através do meio mais popularizado, o Jornal. A literatura então era estreitamente ligada à imprensa. </li></ul>Sociedade & Cultura
  10. 10. Sociedade & Cultura
  11. 11. <ul><li>Semana de Arte Moderna de 1922 </li></ul><ul><li>Artistas com a pretensão de romper a realidade agrária mostrando à sociedade brasileira os sinais da modernidade, acreditando influenciar a tradicional sociedade. </li></ul><ul><li>Em São Paulo já havia “sinais da modernidade”, como o asfalto e rádio, contrastando com a realidade de uma São Paulo provinciana, ainda não acostumada à velocidade das mudanças. </li></ul><ul><li>A modernidade nunca deixou de ser um projeto, um objetivo a ser alcançado. </li></ul>Sociedade & Cultura
  12. 12. <ul><li>1930 – 1964 </li></ul><ul><li>Revolução de 30, definindo o fim da República Velha; </li></ul><ul><li>Revoluções separatistas no RS e em SP; </li></ul><ul><li>Crescimento do rádio; </li></ul><ul><li>Chegada da TV. </li></ul>Sociedade & Cultura
  13. 13. <ul><li>Fim da República Velha com a Revolução de 1930 </li></ul><ul><li>A derrota dos movimentos separatistas no RS e em SP, culminando com a queima das bandeiras estaduais , simbolizando a precedência da Nação. </li></ul><ul><li>Criação de políticas para desenvolvimento da língua portuguesa e criação de um sistema escolar nacional. </li></ul><ul><li>Objetivo: intensificar a unidade nacional </li></ul>Sociedade & Cultura
  14. 14. <ul><li>Neste período os aparelhos de rádio ainda eram muito caros, e os ouvintes pagavam ao Estado pela utilização das ondas. </li></ul><ul><li>Nova legislação na década de 30 permite publicidade em parte da programação e aparelhos ficam mais baratos. </li></ul><ul><li>Surgem os espetáculos, programas de auditório e rádio-novelas. Rádio começa a se popularizar. </li></ul>Sociedade & Cultura
  15. 15. <ul><li>Paralelamente, o Cinema passa a ser um bem de consumo popular. </li></ul><ul><li>EUA passam a exportar para a América Latina, pois no cenário de guerra e pós-guerra a Europa não tinha condições de consumir cinema. </li></ul><ul><li>Surgem na década de 40 a Atlântida e a Vera Cruz , produtoras pioneiras de cinema brasileiro. </li></ul>Sociedade & Cultura
  16. 16. <ul><li>O mercado de publicações também cresce e empresas passam a fabricar papel em território nacional . </li></ul><ul><li>Surgem os primeiros frutos da política de educação nacional, com crescimento significativo de pessoas com ensino primário. </li></ul><ul><li>Crescimento leva à segmentação , e revistas e livros passam a atender diferentes públicos. </li></ul><ul><li>Jornalismo é regulamentado e passa a ser gradativamente informativo , deixando a tendência opinativa. </li></ul>Sociedade & Cultura
  17. 17. <ul><li>Busca por uma identidade nacional e reinterpretação de valores antes tido como negativos pela elite. </li></ul><ul><li>Mistura racial, samba, carnaval e futebol passam a ser constitutivos da brasilidade. Essa imagem passa a ser exportada, é a identidade do brasileiro no exterior. </li></ul><ul><li>Rádio e Cinema se tornam então importantes meios distribuidores da nova e reinterpretada brasilidade. </li></ul>Sociedade & Cultura
  18. 18. <ul><li>No Rádio, um meio de experimentação, canções folclóricas são “esquecidas” e a MPB passa a ser amplamente divulgada, passando a ser o ritmo nacional. </li></ul><ul><li>No Cinema somos apresentados à chanchada , uma comédia de espírito carnavalesco passada na capital nacional, levando essa realidade a diferentes classes sociais de diferentes locais. </li></ul>Sociedade & Cultura
  19. 19. <ul><li>O Estado percebe a importância e a influência dos novos meios de comunicação, que passam a ser vistos como “armas políticas” . </li></ul><ul><li>Letras de samba começam a ser censuradas . Malandragem e e preguiça são substituídas pelo trabalho árduo. </li></ul><ul><li>Estado tenta elaborar mitos e heróis nacionais , mas falha. Mito de maior identificação com a sociedade é Tiradentes, justamente líder de uma revolta contra o Estado da época. </li></ul>Sociedade & Cultura
  20. 20. <ul><li>O Estado, tendo pleno conhecimento da força dos meios de comunicação, busca inserir propagandas governamentais neles. </li></ul><ul><li>Apesar disso, a Rádio Nacional, controlada pelo Estado, tem somente 4,5% da programação voltada à “ Cultura do Estado ”. </li></ul><ul><li>A fonte de renda principal era a publicidade, pois o financiamento estatal não era suficiente para manter a estrutura. </li></ul>Sociedade & Cultura
  21. 21. <ul><li>No mercado editorial, o período pós-guerra traz estagnação e editoras fecham. </li></ul><ul><li>Mercado cinematográfico e produtoras brasileiras também decaem, devido a irregularidade das exibições. </li></ul><ul><li>Rádios eram populares, mas tinham expansão restrita, e presença só nas cidades grandes. </li></ul>Sociedade & Cultura
  22. 22. <ul><li>Televisão chega em 1950, com alcance bastante restrito. </li></ul><ul><li>TV TUPI é a primeira emissora de televisão da América Latina. </li></ul><ul><li>“ Você quer ou não quer a televisão? Para tornar a televisão uma realidade no Brasil, um consórcio rádio-jornalístico investiu milhões em cruzeiros. Agora é a sua vez. Qual será a sua contribuição para sustentar tão grandioso empreendimento? Do seu apoio dependerá o progresso em nossa terra, dessa maravilha da ciência eletrônica. Bater palmas e aclamar admiravelmente é louvável, mas não basta; seu apoio só será efetivo quando você adquirir um televisor.” </li></ul><ul><ul><ul><li>Assis Chateaubriand </li></ul></ul></ul><ul><li>Dono da TV Tupi </li></ul>Sociedade & Cultura
  23. 23. <ul><li>1964 – 1990 </li></ul><ul><li>Golpe militar age de modo repressor , com a censura, mas também traz uma modernização autoritária . </li></ul><ul><li>2ª Revolução Industrial: expansão da produção, distribuição e consumo de bens culturais. </li></ul><ul><li>Crescimento do mercado fonográfico. </li></ul>Sociedade & Cultura
  24. 24. <ul><li>O Governo Militar promove uma política de telecomunicações, visando a integração nacional. </li></ul><ul><li>A expansão do consumo de televisões ocorreu de acordo com as concessões do Estado e ligado a interesses políticos. </li></ul><ul><li>A Copa do Mundo de 1970 inaugura a transmissão em rede nacional. Após isso, inicia-se a disseminação do costume entre todas as classes sociais. </li></ul>Sociedade & Cultura
  25. 25. Sociedade & Cultura <ul><li>A administração das empresas de telecomunicações era deficitária, pois prevaleciam interesses pessoais . </li></ul><ul><li>Simultaneamente, a indústria procurava se adaptar cada vez mais ao padrão internacional e comercial. </li></ul><ul><li>A tradição dos teleteatros diminuiu devido à expansão do mercado das novelas e telenovelas. </li></ul>
  26. 26. Sociedade & Cultura Investimentos Publicitários
  27. 27. Sociedade & Cultura “ Popular ” segundo Dicionário Michaelis: 1 Pertencente ou relativo ao povo; próprio do povo. 2 Comum, usual entre o povo: Linguagem popular. 3 Adaptado à compreensão ou ao gosto do povo. 4 Promovido pelo povo; que provém do povo: Manifesto popular. 5 Originado entre o povo ou por ele composto ou transmitido: Música popular; dança popular. 6 Que representa ou pretende representar a vontade do povo: Partido popular; governo popular. 7 Que é do agrado do povo; que tem as simpatias, o afeto do povo. 8 Notório, vulgar. 9 Democrático. sm Homem do povo. sm pl Homens do povo; partidários do povo; democratas. sf pl Nos estádios desportivos, as acomodações de menor preço: Os espectadores do lado das populares.
  28. 28. Sociedade & Cultura <ul><li>A cultura popular era, até 1960 vista como uma cultura fortemente influenciada pela política. </li></ul><ul><li>Depois disso, popular adquire o sentido de ser aquilo que é comum e consumido pelo povo . </li></ul><ul><li>As telenovelas antes possuíam muito da influência externa. Com a popularização houve o “ abrasileiramento ”. Portanto, a busca de uma cultura nacional encontra-se realizada na cultura popular de mercado. </li></ul>
  29. 29. Sociedade & Cultura <ul><li>Os modernistas diziam que para sermos modernos , era preciso que fôssemos primeiramente nacionais . </li></ul><ul><li>Valorização da cultura nacional pelas elites e intelectuais. </li></ul><ul><li>A modernidade passa a ser realidade , mas não beneficia a sociedade como um todo. </li></ul>
  30. 30. Sociedade & Cultura <ul><li>A partir de 1990, a cultura popular de mercado já não é mais o único produto da modernidade. </li></ul><ul><li>O moderno tem seu próprio mercado e produto, constituindo um padrão entre as nações. </li></ul><ul><li>Mundo do consumo . </li></ul>
  31. 31. Grupo <ul><li>Luis Henrique Mello dos Reis </li></ul><ul><li>Marcos Luciano Rodrigues </li></ul><ul><li>Mariana Ortega Garcia </li></ul><ul><li>Nádia Seabra Munhoz </li></ul><ul><li>Rafaela Rozendo </li></ul>
  32. 32. Mantenha o foco no seu Core Business . A Trevisan resolve sua questão de Educação Corporativa . São Paulo - Rua Bela Cintra, 934 Cerqueira César - São Paulo - SP Fone: (5511) 3138-5200 Fax: (5511) 3138-5231 Ribeirão Bonito - Rua Padre Guedes, 695 Centro – Ribeirão Bonito SP Fone: (5516) 3344-3238 Rio de Janeiro – Rua 1° de Março, 33 11° and Centro – Rio de Janeiro – RJ Fone: (55 21) 2233-0863 www.trevisan.edu.br

×