O texto descritivo

526 visualizações

Publicada em

O TEXTO DESCRITIVO

O TEXTO DESCRITIVO

Nas provas de Português, em todos os Concursos, estão presentes textos das mais diversas naturezas, por exemplo, persuasivo, informativo, humorístico, didático... Contudo, vale lembrar que todos se organizam em três modos: descrição, narração e dissertação.
DESCRIÇÃO: é descrever um objeto, uma pessoa, um lugar. Requer observação cuidadosa, para tornar o que vai ser descrito em um modelo inconfundível, porém, não se trata de enumerar uma série de elementos, mas transmitir sensações, sentimentos. É criar o que não se vê, mas se percebe ou imagina; é não copiar friamente uma imagem, mas deixá-la rica, pois o ser e o ambiente são aspectos importantíssimos na descrição.Existem duas possibilidades de descrição:
a) Descrição objetiva: quando o objeto, o ser, a cena, são apresentadas no seu sentido real. Exemplo: "Sua altura é 1,85m. Seu peso, 70Kg. Aparência atlética, ombros largos, pele bronzeada. Moreno, olhos negros, cabelos negros e lisos".
b) Descrição subjetiva: quando há maior participação da emoção, ou seja, quando o objeto, o ser, a cena, a paisagem são apresentados em sentido figurado. Exemplo: "Nas ocasiões de aparato é que se podia tomar pulso ao homem. Não só as condecorações gritavam-lhe no peito como uma couraça de grilos. Ateneu! Ateneu! Aristarco todo era um anúncio; os gestos, calmos, soberanos, calmos, eram de um rei..." ("O Ateneu", Raul Pompéia)
ESTRUTURA:
a) Introdução: a perspectiva do observador focaliza o ser ou objeto e distingue seus aspectos gerais.
b) Desenvolvimento: capta os elementos numa ordem coerente com a disposição em que eles se encontram no espaço, caract

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
526
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
75
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O texto descritivo

  1. 1. Professora: Ludmylla Farias
  2. 2. Nas provas de Português, em todos os Concursos, estão presentes textos das mais diversas naturezas, por exemplo, persuasivo, informativo, humorístico, didático... Contudo, vale lembrar que todos se organizam em três modos: descrição, narração e dissertação.
  3. 3. DESCRIÇÃO: é descrever um objeto, uma pessoa, um lugar. Requer observação cuidadosa, para tornar o que vai ser descrito em um modelo inconfundível, porém, não se trata de enumerar uma série de elementos, mas transmitir sensações, sentimentos. É criar o que não se vê, mas se percebe ou imagina; é não copiar friamente uma imagem, mas deixá-la rica, pois o ser e o ambiente são aspectos importantíssimos na descrição.Existem duas possibilidades de descrição:
  4. 4. a) Descrição objetiva: quando o objeto, o ser, a cena, são apresentadas no seu sentido real. Exemplo: "Sua altura é 1,85m. Seu peso, 70Kg. Aparência atlética, ombros largos, pele bronzeada. Moreno, olhos negros, cabelos negros e lisos". b) Descrição subjetiva: quando há maior participação da emoção, ou seja, quando o objeto, o ser, a cena, a paisagem são apresentados em sentido figurado. Exemplo: "Nas ocasiões de aparato é que se podia tomar pulso ao homem. Não só as condecorações gritavam-lhe no peito como uma couraça de grilos. Ateneu! Ateneu! Aristarco todo era um anúncio; os gestos, calmos, soberanos, calmos, eram de um rei..." ("O Ateneu", Raul Pompéia).
  5. 5. Estrutura: a) Introdução: a perspectiva do observador focaliza o  ser ou objeto e distingue seus aspectos gerais. b) Desenvolvimento: capta os elementos numa ordem  coerente com a disposição em que eles se encontram  no espaço, caracterizando-os objetiva e  subjetivamente, física e psicologicamente. c) Conclusão: não há um procedimento específico  para conclusão. Considera-se concluído o texto  quando se completa a caracterização.
  6. 6. Características: a) Presença de Substantivos e Adjetivos. O dia transcorria amarelo, frio, ausente do calor alegre do sol. b) Frases curtas dão um tom de rapidez ao texto. Vida simples. Roupa simples. Tudo simples. O pessoal, muito crente. c) Sensibilidade para combinar e transmitir sensações física (cores, formas, sons, gestos, odores) e psicológicas (impressões subjetivas, comportamentos). d) Verbos de estado e) Linguagem metafórica 
  7. 7. Exemplos: Darcy Ribeiro (fragmento) Um dos mais brilhantes cidadãos brasileiros, Darcy Ribeiro provou ao mundo que um homem de nada mais precisa além da coragem e da força de vontade para modificar aquilo que, por covardia, simplesmente ignoramos. Ouvi-lo, mesmo que por alguns instantes, nos levava a conhecer sua sabedoria e simplicidade, era um verdadeiro intelectual cuja convivência com os índios o fez adquirir invejável formação humanística. Darcy tinha a pele clara, olhos negros e curiosos, lábios finos e trazia em seu rosto marcas de quem já deixou sua marca na história, as quais harmoniosamente faziam-lhe inspirar profunda confiança. Apesar de diabético e lutar contra dois cânceres, não fez disso desculpa para o comodismo ante os seus ideais maiores, ele sabia o que queria, e não mediu esforço para conseguir.
  8. 8. Lembrança rural Chão verde e mole. Cheiros de relva. Babas de lodo.  A encosta barrenta aceita o frio, toda nua.  Carros de bois, falas ao ven to, braços, foices.  Os passarinhos bebem do céu pingos de chuvas.  Casebres caindo, na erma tarde. Nem existem na história  Do mundo. Sentam-se à porta as mães descalças.  É tão profundo, o campo, que ninguém chega a ver que é triste.  A roupa da noite esconde tudo, quando passa...  Flores molhadas. Última abelha. Nuvens g ordas.  Vestidos vermelhos, muito longe, dançam nas cercas.  Cigarra escondida, ensaiando na sombra rumores de bronze.  Debaixo da ponte, a água suspira, presa...  Vontade de ficar neste sossego toda a vida:  Para andar à toa, falando sozinha,  Enquanto as formigas caminhavam nas árvores...  (Cecília Meireles) 
  9. 9. Retrato Eu não tinha este rosto de hoje, Assim calmo, assim triste, assim magro, Nem estes olhos tão vazios, Nem o lábio amargo. Eu não tinha estas mãos sem força, Tão paradas e frias e mortas; Eu não tinha este coração Que nem se mostra. Eu não dei por esta mudança, Tão simples, tão certa, tão fácil: _ Em que espelho ficou perdida a minha face? (Cecília Meireles)
  10. 10. ATIVIDADE I:
  11. 11. CRIE UM TÍTULO. Observe as questões que servem como lembrete: Quem são os personagens?  Como é o cenário (local)? Que roupas usam?  Como está a expressão do rosto dos personagens? O que estão fazendo? A imagem é triste, engraçada ou estranha? Por quê? – Agora, abaixo do título, monte seu texto descrevendo a imagem
  12. 12. ATIVIDADE II:  Atividade de produção de texto: Propor aos alunos que escolham uma entre as fotos abaixo e produzam um texto, com duas versões: no primeiro farão uso de descrição objetiva e no segundo descrição subjetiva. Os alunos deverão entregar os textos produzidos à professora para correção.

×