Questões de gramática-o fantasma de canterville

25.546 visualizações

Publicada em

Questões de gramática em escolha múltipla

Publicada em: Educação
1 comentário
2 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
25.546
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
18.561
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
682
Comentários
1
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Questões de gramática-o fantasma de canterville

  1. 1. ***FICHA DE TRABALHO COM QUESTÕES DE GRAMÁTICA*** (classes de palavras) Lê o excerto comatençãoe responde às questões, selecionandoas alíneas corretas. O FANTASMA DE CANTERVILLE 1 5 10 15 20 Quando Mr. Hiram B. Otis, o embaixador americano, adquiriu o Parque Canterville, não faltou quem o advertisse de que cometia uma loucura, porque na habitação apareciam, indubitavelmente, almas do outro mundo. Na verdade, o próprio Lord Canterville, cujo caráter era dos mais exigentes em escrúpulos, supusera seu dever assinalar o facto, chegado o momento de discutirem as condições do negócio. - Até nós mesmos tínhamos já muito pouca vontade de residir aqui - disse Lord Canterville - desde que a minha tia-avó, a duquesa donatária de Bolton, desmaiou de terror (ela nunca pôde restabelecer-se desse abalo moral) quando as mãos de um esqueleto lhe assentaram nas espáduas, numa ocasião em que se vestia para o jantar. Devo igualmente dizer-lhe, Mr. Otis, que o fantasma tem sido visto por muitos membros ainda vivos da minha família, assim como pelo cura da paróquia, o Reverendo Augustus Dampier, agregado do King.s College, em Cambridge. Depois do desgraçado acidente sucedido à duquesa, nenhum dos nossos criados novos quis manter-se a serviço, e Lady Canterville raramente conseguia conciliar o sono durante a noite por causa dos misteriosos ruídos vindos do corredor e da biblioteca. - Lord Canterville, - respondeu o embaixador - eu sou o comprador da propriedade e do fantasma pelo valor que lhes seja atribuído. Venho de um país moderno em que o povo tem tudo quanto o dinheiro pode obter. Não é certo que a nossa atrevida mocidade revoluciona o Velho Mundo? Não lhes arrebatam as melhores atrizes e prima-donas? Se existisse um fantasma na Europa, dentro em pouco o teríamos lá, estou convicto disso; ele seria exposto num dos nossos museus ou exibido nas ruas. - Pois muito receio que o fantasma ainda, de facto, exista - disse, sorrindo, Lord Canterville. - Pode ser que haja resistido às propostas dos seus arrojados empresários. É bem conhecido desde há três séculos, precisamente a partir do ano de 1584, e nunca deixa de fazer a sua aparição às vésperas do falecimento de cada pessoa da nossa família. - Oh! Em todas as famílias o médico faz exatamente o mesmo, Lord Canterville. Vamos, não existe fantasma algum. Não creio que as leis da natureza abram uma exceção em favor da aristocracia inglesa. Oscar Wilde (com adaptações) 1. A palavra “americano” (linha 1), quanto à sua subclasse, é um adjetivo a) qualificativo. b) existencial. c) relacional. d) universal. 2. A forma verbal “advertisse” (linha 2) encontra-se no a) Pretérito Perfeito do modo Indicativo. b) Pretérito Imperfeito do modo Conjuntivo. c) Pretérito Mais-que-Perfeito do modo Indicativo. d) Pretérito Perfeito do modo Conjuntivo. 3. Quanto à classe de palavras, “indubitavelmente” (linha 2) é um advérbio de a) frase. b) inclusão. c) predicado. d) afirmação. 4. A palavra “cujo” (linha 3) pertence à subclasse dos determinantes a) definidos. b) possessivos. c) demonstrativos. d) relativos. 5. O adjetivo “exigentes” (linha 3) encontra-se no grau a) normal. b) comparativo de superioridade. c) superlativo absoluto analítico. d) superlativo relativo de superioridade. 6. A forma verbal “supusera” (linha 4) encontra-se em que tempo e modo verbais? a) Pretérito Mais-que-Perfeito simples do modo Indicativo.
  2. 2. b) Presente composto do modo Conjuntivo. c) Pretérito Perfeito simples do modo Indicativo. d) Pretérito Imperfeito simples do modo Indicativo. 7. O verbo sublinhado no enunciado “quando as mãos de um esqueleto lhe assentaram nas espáduas” (linha 6) pertence à subclasse dos verbos a) auxiliares. b) copulativos. c) principais intransitivos. d) principais transitivos indiretos. 8. A palavra “lhe” (linha 8) é um pronome a) pessoal. b) demonstrativo. c) indefinido. d) relativo. 9. Como é composto o complexo verbal “tem sido visto” (linha 8)? a) Verbo auxiliar da passiva+ verbo auxiliar dos tempos compostos+ verbo principal no Particípio Passado. b) Verbo principal da passiva+ verbo auxiliar dos tempos compostos+ verbo principal no Infinitivo. c) Verbo auxiliar dos tempos compostos + verbo auxiliar da passiva + verbo principal no Particípio Passado. d) Verbo principal no Particípio Passado+ verbo auxiliar da passiva+ verbo auxiliar dos tempos compostos. 10. O nome “fantasma” (linha 8) pode considerar-se um nome a) comum de dois. b) sobrecomum. c) próprio. d) epiceno. 11. No constituinte “Devo igualmente dizer-lhe, Mr. Otis, que o fantasma tem sido visto por muitos membros ainda vivos da minha família” (linhas 8 e 9) a palavra sublinhada é uma conjunção subordinativa a) temporal. b) relativa. c) completiva. d) concessiva. 12. A locução “assim como” (linha 9) designa-se por locução a) coordenativa copulativa. b) subordinativa causal. c) subordinativa comparativa. d) coordenativa explicativa. 13. No enunciado “eu sou o comprador da propriedade e do fantasma pelo valor que lhes seja atribuído.” (linhas 13 e 14) que palavras são preposições contraídas? a) “o”e “do”. b) “da”, “do” e “pelo”. c) “do” e “lhes”. d) “pelo”, “lhes” e “seja”. 14. Identifica os tempos e modos verbais em que se encontram os verbos presentes no enunciado “Se existisse um fantasma na Europa, dentro em pouco o teríamos lá, estou convicto disso” (linhas 16 e 17): a) Pretérito Imperfeito simples do Conjuntivo; Condicional simples; Presente simples do Indicativo. b) Pretérito Imperfeito simples do Indicativo; Presente simples do Condicional; Presente do Indicativo. c) Pretérito Perfeito simples do Conjuntivo; Presente simples do Conjuntivo; Presente do Indicativo. d) Pretérito Mais-que-Perfeito simples do Conjuntivo; Presente simples do Gerúndio; Presente do Indicativo. 15. A palavra “desde” (linha 19) é a) um advérbio. b) uma conjunção. c) um pronome. d) uma preposição. 16. A forma verbal “há” (linha 19) pertence a um verbo que, quanto à flexão, se designa por a) defetivo pessoal. b) defetivo impessoal. c) defetivo unipessoal.
  3. 3. d) defetivo expletivo. 17. O nome “vésperas” (linha 20) a) só se emprega no plural. b) pode empregar-se no singular. c) é um nome epiceno. d) é um nome comum não contável. 18. Identifica os determinantes presentes na frase que se segue: “É bem conhecido desde há três séculos, precisamente a partir do ano de 1584, e nunca deixa de fazer a sua aparição às vésperas do falecimento de cada pessoa da nossa família.” (linhas 19-21): a) “bem”, “desde”, a” “de”. b) “desde”, “do”, “nunca”, nossa”. c) “sua”, cada”, “nossa”. d) “três”, “partir”, sua”, “cada”. 19. A que classe de palavras pertence a palavra “Oh!” (linha 22)? a) Pronomes. b) Preposições. c) Interjeições. d) Conjunções. 20. Em relação à palavra “algum” (linha 23) assinala a única opção correta: a) A palavra “algum”, quanto à sua classe, trata-se de um quantificador existencial. b) Apesar de parecer um quantificador existencial, neste contexto trata-se de um quantificador universal. c) A palavra “algum” é um pronome indefinido. d) A palavra “algum” não exige a presença de um nome. BOM TRABALHO!!! A DOCENTE: Lucinda Cunha CORREÇÃO: 1-c 2-b 3-a 4-d 5-d 6-a 7-d 8-a 9-c 10-b 11-c 12-a 13-b 14-a 15-d 16-d 17-a 18-c 19-c 20-b

×