Ficha de trabalho escolha múltipla -o x representa beijos

21.529 visualizações

Publicada em

Ficha de trabalho de Português, de escola múltipla, corrigida, sobre gramática (para 3º ciclo).

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
21.529
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
16.279
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
488
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ficha de trabalho escolha múltipla -o x representa beijos

  1. 1. 1 FICHA DE TRABALHO DE PORTUGUÊS FICHA DE ESCOLHA MÚLTIPLA PARA 3º CICLO-GRAMÁTICA Acha que assinar com "xxx" em vez de "beijinhos" é coisa da malta jovem? 1 5 10 15 O dicionário de inglês Oxford define a letra X como "usada para representar um beijo". A letra tornou-se popular, sobretudo entre jovens que a usam como forma de se despedirem em mensagens, comentários deixados nas redes sociais e até mesmo no correio electrónico. Será evolução da linguagem ou puro modernismo efémero? Os teóricos dizem que não é nada disso e acenam com provas que apontam para uma existência secular. A primeira referência ao termo designando um beijo terá acontecido em 1763 numa carta escrita pelo naturalista Gilbert White. Mais de um século depois, era a vez de Winston Churchill, político britânico, escrever: "Desculpe os erros pois estou com uma terrível pressa. (Muitos Beijos) XX WSC". O Mashable, site de notícias que se dedica a assuntos da Internet e redes sociais, recorreu a Marcel Danesi, professor de antropologia da Universidade de Toronto, para encontrar uma explicação. O mesmo relata num artigo publicado que a origem do X é bem mais longínqua do que aquilo que se pensa. Já no período medieval, as cartas eram seladas com um X. Os analfabetos usavam também a letra X para assinar documentos, aos quais juntavam um beijo físico. A prática foi-se assim tornando simbólica, até hoje, sofrendo algumas alterações na sua utilização. Haverá ainda alguns que se perdem em justificações mais românticas, afirmando que o X está relacionado com o toque dos quatro lábios no momento do beijo. Resta agora saber se o X (letra) irá resistir à efervescência dos tempos, na qual os emoticons ganham cada vez mais terreno. In http://www.msn.com/pt-pt/noticias/other/acha-que-assinar-com-xxx-em-vez-de-beijinhos- %c3%a9-coisa-da-malta-jovem/ar-BBhKiCs?ocid=mailsignoutmd (cons. dia 19-02-2015) 1. O recurso à letra “X” para representar “beijos” é a) exclusivo das camadas mais jovens da sociedade. b) na sua maioria, utilizado pela juventude. c) usado, de modo equilibrado, por todas as camadas sociais. d) uma marca da evolução da sociedade. 2. De acordo com os especialistas, esta estratégia a) revela uma tendência do século em que vivemos. b) tem séculos de existência. c) tem tendência a desaparecer e ser substituída por outra. d) acompanha a evolução da tecnologia. 3. A letra “X” tem servido, ao longo dos tempos, para a) assinalar a despedida no final de uma carta de alguém com pressa. b) os analfabetos poderem escrever cartas. c) várias utilizações, desde a Idade Média. d) marcar simbolicamente a evolução da escrita. 4. O autor conclui o texto deixando a dúvida se a) o “X” representará o toque dos lábios a beijarem-se. b) os emoticons irão ser tão bem sucedidos quanto o uso do “X”. c) na efervescência dos tempos atuais, o “X” coexistirá com os emoticons. d) o uso do “X” não será ultrapassado pelos emoticons.
  2. 2. 2 5. O adjetivo “popular” (linha 2) desempenha a função sintática de a) predicativo do sujeito. b) complemento direto. c) modificador do grupo verbal. d) complemento oblíquo. 6. A forma verbal “Será” (linha 3) quanto à sua subclasse, designa-se por verbo a) auxiliar. b) principal transitivo direto. c) principal intransitivo. d) copulativo. 7. Com a questão “Será evolução da linguagem ou puro modernismo efémero?” o autor apresenta uma interrogação a) retórica. b) anímica. c) indireta. d) hiperbólica. 8. A palavra “efémero” (linha 4) pode ser substituída pelo adjetivo a) atual. b) passageiro. c) tecnológico. d) frequente. 9. Como classificas as orações sublinhadas na frase “Os teóricos dizem que não é nada disso e acenam com provas que apontam para uma existência secular.” (linhas 5-6)? a) Oração subordinante; oração subordinada adjetiva relativa restritiva; oração coordenada explicativa. b) Oração subordinada adjetiva relativa restritiva; oração subordinante; oração subordinada adverbial final. c) Oração subordinada substantiva completiva; oração coordenada copulativa; oração subordinada adjetiva relativa restritiva. d) Oração subordinada adverbial consecutiva; oração subordinada adjetiva relativa restritiva; oração subordinante. 10. O adjetivo “secular” (linha 6) classifica-se como a) qualificativo. b) numeral. c) relacional. d) indicativo. 11. Transforma a frase em discurso direto –“Desculpeos erros pois estoucomuma terrível pressa” (linha 8)– e coloca-a no discurso indireto: a) Winston Churchill disse desculpe pelos erros pois estou com uma terrível presa. b) Winston Churchill pediu que o desculpasse pelos erros uma vez que estava com uma terrível pressa. c) Winston Churchill disse desculpa pelos erros pois estava com muita pressa. d) Winston Churchill implorou que o desculpasse pelos erros pois tinha pressa. 12. A oração “que se dedica a assuntos da Internet e redes sociais” (linha 9) classifica-se como oração subordinada
  3. 3. 3 a) adverbial causal. b) substantiva relativa. c) adjetiva relativa restritiva. d) adverbial final. 13. O constituinte “a Marcel Danesi” (linhas 9-10) desempenha a função sintática de a) complemento indireto. b) complemento oblíquo. c) complemento agente da passiva. d) complemento direto. 14. A oração subordinada adverbial “para encontrar uma explicação” (linha 10) classifica-se como a) consecutiva. b) concessiva. c) comparativa. d) final. 15. O constituinte “professor de antropologia da Universidade de Toronto” (linha 10) encontra-se entre vírgulas por se tratar de um a) modificador apositivo do nome. b) modificador do grupo verbal. c) vocativo. d) sujeito. 16. Atenta no uso da palavra “que” na frase “O mesmo relata num artigo publicado que a origem do X é bem mais longínqua do que aquilo que se pensa.” (linhas 10-11) e diz a que classe(s) pertence, pela ordem em que surge: a) pronome relativo; conjunção subordinativa causal; conjunção subordinativa completiva. b) conjunção subordinativa completiva; conjunção subordinativa comparativa; pronome relativo. c) conjunção subordinativa completiva; pronome relativo; conjunção subordinativa concessiva. d) conjunção coordenativa ; conjunção subordinativa temporal; pronome relativo. 17. O constituinte “Já no período medieval” (linhas 11-12) desempenha a função sintática de a) sujeito. b) vocativo. c) modificador do nome. d) modificador do grupo verbal. 18. A forma verbal “Haverá” (linha 15), quanto à flexão, é um verbo a) regular. b) irregular. c) auxiliar. d) defetivo. 19. A palavra “Algumas” (linha 14), quanto à classe, é um a) quantificador. b) determinante c) adjetivo. d) pronome.
  4. 4. 4 20. A palavra “Alguns” (linha 15), quanto à sua classe, é um a) quantificador. b) determinante. c) adjetivo. d) pronome. A PROFESSORA: Lucinda Cunha PROPOSTA DE CORREÇÃO 1-b 2-b 3-c 4-d 5-a 6-d 7-a 8-b 9-c 10-c 11-b 12-c 13-b 14-d 15-a 16-b 17-d 18-d 19-a 20-d

×