Neurociência da dor

1.936 visualizações

Publicada em

Palestra on line ministrada por Lisandro Antonio Ceci

Publicada em: Saúde
0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.936
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Neurociência da dor

  1. 1. NEUROCIÊNCIA DA DOR Lisandro Antonio Ceci
  2. 2. Teorias da dor • Teoria das comportas – Melzack & Wall – 1965 – Fibras sensoriais aδ e C • Se aδ ativada – comporta fechada • Se aδ e C ativadas – comporta fechada • Se C ativada – comporta aberta • Neuromatriz da dor – Melzack – 1989 – Uma “rede” de informações • Sensoriais • Cognitivas • Motoras Além da incorporação do sistema límbico no processo.
  3. 3. Sensação Percepção • Detecção de alguns estímulos na periferia (receptores) e à transmissão de sinais sensoriais para o sistema nervoso central • Processo de pegar a informação sensorial, filtrá-la, organiza-la e interpretar seu significado para criar uma experiência subjetiva ou consciente relacionada à esta sensação Através da sensação os ouvidos dão informações sobre ondas sonoras para o cérebro, e através da percepção é que ouvimos (distinguimos) como sendo música
  4. 4. Nocicepção • É a decodificação e processamento de ESTÍMULOS NOCIVOS (AMEAÇA) no sistema nervoso. • Nociceptores – Cutâneos – Somáticos – Viscerais • Via – Trato espinotalamico • Neo – Fibras aδ – Tálamo  cortex somatossensorial ( S1 e S2) • Paleo – Fibras C * – Tálamo, córtex cingular anterior**, cortéx insular ***e córtex somatossensorial****
  5. 5. • * Fibras C – Transmitem dor = “no”ciception – Toque suave = “yes”ciception • ** Córtex Cingular Anterior – Funções: detecção de erros, antecipação de tarefas, atenção, motivação e modulação de respostas emocionais • *** Córtex insular – Emoção e homeostase, percepção, controle motor, auto- consciência, função cognitiva • **** Córtex somatossensorial – S 1 – representação tátil  homunculo – S2 – toque suave, dor sensação visceral
  6. 6. - A imobilidade de um membro priva o SNC de todas as informações sensoriais habitualmente associadas a sua mobilidade e “deleta” no córtex cerebral, a imagem deste movimento • Roll J.P. 1998 Les muscles organes de la perception pour la Science • Ao mesmo passo que a imobilidade « deleta » a imagem do movimento no córtex, a memorização (continuidade) faz com que a percepção seja mantida mesmo quando o fator causal não esteja mais presente
  7. 7. Educação da dor • Ensinar o paciente o processo fisiológico da dor – Fator cognitivo – Estudos mostram o benefício – Questionário sobre a neurofisiologia da dor
  8. 8. Neurociência e Fisioterapia • A evolução dos conceitos mecanicistas/cartesianos para metodologias mais “neuro” do que “orto” se deu através da aplicação clinica da neurodinâmica. – Neuro reflexa ao invés de pato-mecanica • A terapia manual até então estudada e clinicamente utilizada mostra que esta evolução se dá mediante a evolução dos métodos de pesquisa, onde hoje se leva em conta não somente as evidências científicas mas também a experiência de cada profissional devido à característica multifatorial das patologias tratadas por fisioterapeutas. • Com esta abordagem neuro-reflexa a fisioterapia abre o leque de condições que podem ser tratadas.
  9. 9. TÉCNICAS DENTRO DOS NOVOS CONCEITOS
  10. 10. Neurodinâmica • Metodologia oriunda dos trabalhos de Alf Breig, mas disseminada com grandeza por Elvey, Butler e Shacklock • No início - Alteração da mobilidade neural interfere nas patologias musculo-esqueléticas. • Hoje – a função neural e a fisiologia da dor podem complementar e às vezes substituir as características mecânicas da mobilidade neural
  11. 11. Neurônios espelho • Anos 80 e 90 – Giacomo Rizzolatti – Verificar as áreas do cortex pré motor relacionadas à mão e à boca quando macacos manuseavam pedaços de comida – Verificaram que a mesma área era ativada quando o macaco via os pesquisadores ou outros macacos manuseando a comida. • Clinicamente – O paciente executa o movimento desejado com o lado são ou o próprio terapeuta executa enquato o paciente visualiza o movimento de acompanha dentro de sua capacidade – Pode ser usada tbem com a caixa de espelho (mirror box therapy) – Dar a informação ao córtex do movimento limitado/doloroso ser normal/indolor.
  12. 12. Caixa de espelho
  13. 13. Graded Motor Imagery • Imagética motora gradual – Devolver a percepção (imagem do movimento no córtex) motora de forma gradual • Discriminação direita/esquerda • Imagética motora implicita e explicita • Caixa de espelho Livraria cultura
  14. 14. Dermoneuromodulação • Diane Jacobs • Dermo = pele • Neuro = sistema nervoso • Modulação = mudança • Trabalha sobre a inervação superficial para modular a percepção das estruturas profundas de acordo com sua inervação • Terapia – estiramentos superficiais da pele para normalizar as informações aferentes neurais até o cortex e como consequencia diminuição da dor
  15. 15. Simple contact • Barrett Dorko • Movimento ideomotor – Efeito ideomotor é o nome dado à influência da sugestão sobre movimentos corporais involuntários e inconscientes - 1852 • As sobrecargas no corpo estão associadas à supressão voluntária dos movimentos ideomotores – “Poker face” • Ao realizar a supressão as sobrecargas ocorrem e com isso as disfunções • Terapia = elicitar o movimento ideomotor e ensinar o paciente sobre este tipo de movimentos
  16. 16. QUESTIONÁRIO DE NEUROFISIOLOGIA DA DOR • 19 perguntas – Responder com VERDADEIRO OU FALSO – Caso não tenha certeza deixe em branco
  17. 17. QUESTIONÁRIO DE NEUROFISIOLOGIA DA DOR • 1 - Quando alguma parte do seu corpo está machucada, receptores especiais de dor enviam a mensagem de dor para o cérebro Receptores especiais de dor??? Nociceptores??? Não existem receptores de dor, os nociceptores são receptores de ameaça…
  18. 18. QUESTIONÁRIO DE NEUROFISIOLOGIA DA DOR • 2 - A dor ocorre quando você está machucado Lesão e dor não são sinonimos: imagine quando voce tem um arranhado e só percebe tempos depois dele ter ocorrido
  19. 19. QUESTIONÁRIO DE NEUROFISIOLOGIA DA DOR • 3 - A duração e intensidade de receptores de dor são iguais ao número de sinais em mensagens de ameaça A intensidade e duração da dor dependem das características da neuromatrix, ou seja, as experiências passadas, o estado autonomico/emocional, situação na qual o indivíduo se encontra, etc… Há interferencia da modulação da dor e também da possivel resposta do SNC com opióides endogenos para inibir a dor mesmo que os estimulos aferentes estejam presentes.
  20. 20. QUESTIONÁRIO DE NEUROFISIOLOGIA DA DOR • 4 - Nervos tem que conectar uma parte do corpo ao cérebro para que esta parte do corpo esteja com dor As representações corticais somáticas independem da presença física daquela parte do corpo….isso explica as dores fantasmas…..
  21. 21. QUESTIONÁRIO DE NEUROFISIOLOGIA DA DOR • 5 - Na dor crônica, o sistema nervoso central se torna mais sensível a mensagens de ameaça dos tecidos Como a dor é uma experiência constante, o SNC diminui seu limiar de produção de dor pois é como se a ameaça esteja presente o tempo todo…Isso é uma forma de proteção…
  22. 22. QUESTIONÁRIO DE NEUROFISIOLOGIA DA DOR • 6 - O corpo avisa o cérebro quando está com dor O cérebro produz dor, o corpo somente produz ameaça…..o cérebro é que define se haverá dor ou não
  23. 23. QUESTIONÁRIO DE NEUROFISIOLOGIA DA DOR • 7 - O cérebro pode mandar mensagens que descem pela medula espinhal que podem aumentar as mensagens de ameaça que sobem pela medula espinhal Se houver sinais de ameaça suficientes chegando ao cérebro, o cérebro irá querer saber mais sobre o que está acontecendo, então há a maior sensibilização na periferia….
  24. 24. QUESTIONÁRIO DE NEUROFISIOLOGIA DA DOR • 8 - Nervos podem se adaptar aumentando seu nível de resistência à ativação A chave aqui são os potenciais de ação. Existe uma quantidade de estímulo para que ocorra os potenciais de ação. Se uma pessoa é hiper sensivel, ela vai modificar o limiar necessário para que o potencial de ação ocorra.
  25. 25. QUESTIONÁRIO DE NEUROFISIOLOGIA DA DOR • 9 - Dor crônica significa que uma lesão não cicatrizou apropriadamente Os tecidos cicatrizam….a dor acontece mesmo assim, pela memorização de que ela foi experimentada
  26. 26. QUESTIONÁRIO DE NEUROFISIOLOGIA DA DOR • 10 - Receptores nos nervos trabalham abrindo canais de íons (sensores) na parede dos nervos Lembram-se dos potenciais de ação da pergunta 8 ????
  27. 27. QUESTIONÁRIO DE NEUROFISIOLOGIA DA DOR • 11 - O cérebro decide quando você irá sentir a dor Se o SNC decidir que a ameaça deve ser combatida, ele irá gerar a dor, caso não seja o momento ele inibirá a ameaça Ex: entorse de tornozelo
  28. 28. QUESTIONÁRIO DE NEUROFISIOLOGIA DA DOR • 12 - Lesões piores resultam em dores piores A mesma resposta da pergunta 3 A intensidade e duração da dor dependem das características da neuromatrix, ou seja, as experiências passadas, o estado autonomico/emocional, situação na qual o indivíduo se encontra, etc…
  29. 29. QUESTIONÁRIO DE NEUROFISIOLOGIA DA DOR • 13 - Quando você está lesionado, o ambiente que você está não terá um efeito na quantidade de dor que você sente Os fatores ambientais fazem parte da neuromatriz, e interferem sim sobre a dor….veja o vídeo como exemplo – somente depois de terem falado para ele que ele machucou ele sente a dor….
  30. 30. QUESTIONÁRIO DE NEUROFISIOLOGIA DA DOR • 14 - É possível ter dor e não perceber A dor é uma percepção…e é uma decisão consciente do cérebro NO BRAIN – NO PAIN
  31. 31. QUESTIONÁRIO DE NEUROFISIOLOGIA DA DOR • 15 - Nervos podem se adaptar criando mais canais de íons (sensores) A mesma resposta da pergunta 8 e 10 sobre os potenciais de ação????
  32. 32. QUESTIONÁRIO DE NEUROFISIOLOGIA DA DOR • 16 - Potencial de membrana pós sináptica de nervos mensageiros (excitação) são dependentes de modulação descendente O cérebro tem a capacidade de inibir informações aferentes através de mecanismos endógenos – é como funciona o placebo.
  33. 33. QUESTIONÁRIO DE NEUROFISIOLOGIA DA DOR • 17 - Nervos se adaptam fazendo que os canais de íons(sensores) fiquem abertos mais tempo Se o cérebro precisa de mais informações para conhecer melhor a ameaça ele irá manter os canais mais tempo para receber mais informações para decidir o que é melhor fazer.
  34. 34. QUESTIONÁRIO DE NEUROFISIOLOGIA DA DOR • 18 - Quando você está lesionado, substancias químicas no tecido podem deixar os nervos mais sensiveis A sensibilidade dos receptores é maior em estados de simpaticotonia (adrenalina, cortisol etc). Os pacientes com lesão/dor crônica estão neste estado
  35. 35. QUESTIONÁRIO DE NEUROFISIOLOGIA DA DOR • 19 - Na dor crônica, subst. químicas associadas ao estresse podem diretamente ativar nervos mensageiros de ameaça A mesma resposta da anterior
  36. 36. QUESTIONÁRIO DE NEUROFISIOLOGIA DA DORRespostas 1 FALSO 11 VERDADEIRO 2 FALSO 12 FALSO 3 FALSO 13 FALSO 4 FALSO 14 FALSO 5 VERDADEIRO 15 VERDADEIRO 6 FALSO 16 VERDADEIRO 7 VERDADEIRO 17 VERDADEIRO 8 VERDADEIRO 18 VERDADEIRO 9 FALSO 19 VERDADEIRO 10 VERDADEIRO
  37. 37. • Ainda temos muito o que aprender sobre a função cerebral, e neste caso específico sobre a DOR. • Mas lembrem-se: – A dor está no cérebro – O corpo manda as mensagens de ameaça – As características na neuromatrix interferem na percepção da dor • Sensorio-discriminativo • Afetivo-motivacionais • Avaliativo-cognitivo
  38. 38. • Estudem sobre o assunto e ensinem os pacientes – Quanto mais se sabe sobre um assunto menos ele é uma “AMEAÇA” • Se sabemos que o cérebro é quem controla, deixemos de ser “orto” para ser mais “neuro” – As novas técnicas mostram isso….
  39. 39. 7 características para nunca esquecer sobre neurociência da dor • 1 – A dor é um mecanismo de sobrevivência onde o propósito é proteger o corpo. • 2 – A dor está no cérebro, não uma sensação no corpo • 3 – Lesão não é igual a dor. E vice-versa • 4 – O cérebro frequentemente “acha” que está em ameaça, mesmo não estando • 5 – Dor semeia dor • 6 – Dor pode ser iniciadas por fatores não relacionados à lesão física • 7 – O SNC pode mudar sua sensisibilidade aos níveis de dor

×