Cultura, Linguagem, CóDigo E RepertóRio

7.009 visualizações

Publicada em

aula para os alunos do curso de Com. Social da UMC

Publicada em: Tecnologia
1 comentário
2 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.009
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
41
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
117
Comentários
1
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cultura, Linguagem, CóDigo E RepertóRio

  1. 1. Luci Bonini Cultura, linguagem, código e repertório
  2. 2. Natureza x Cultura <ul><li>Quando o sol se vai, a lua surge. Quando a lua se vai, o sol surge. O sol e a lua se alternam. O sol e a luz se alternam, e assim nasce a luz. Quando o frio se vai, surge o calor. Quando o sol se vai, surge o frio. O frio e o calor se alternam e assim o ano se completa. O passado se contrai. O futuro se expande ( I Ching). </li></ul>
  3. 4. <ul><li>Vários autores, entre eles Levi-Strauss, nos ensinaram que o conceito de raça é completamente ultrapassado . A moderna genética recentemente mostrou que o patrimônio genético da humanidade é apenas um; isso significa que todos os homens, estejam onde estiverem e independentemente da aparência ou da cor de sua pele, são todos descendentes de um mesmo ancestral. Ou seja, somos todos parentes uns dos outros, todos viemos de um mesmo homem; esta constatação elimina a possibilidade dos hominídeos serem provenientes de 'galhos' distintos durante a evolução biológica do ser humano e também elimina a possibilidade de existirem várias raças, mesmo que os biotipos ( ou a aparência externa seja distinta, como por exemplo a cor da pele, cor e formato dos olhos e assim por diante). </li></ul><ul><ul><li>Joana Aparecida Fernandes Silva Prof. Depto de Antropologia, Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, Mato Grosso, Brasil. </li></ul></ul>
  4. 5. Raça humana
  5. 6. Etnias
  6. 10. CONCEITO DE CULTURA <ul><li>Tudo que o homem, através da sua racionalidade, mais precisamente a inteligência, consegue executar, dessa forma todos os povos e sociedades possuem sua cultura por mais tradicional e arcaica que seja, pois todos os conhecimentos adquiridos são passados das gerações passadas para as futuras. </li></ul><ul><li>Tudo o que não é natural </li></ul>
  7. 11. CULTURA POPULAR <ul><li>A cultura popular está constantemente mudando e é específica quanto ao local e ao tempo. </li></ul><ul><li>Dentro da cultura popular, formam-se correntes, na medida em que um pequeno grupo de indivíduos terá maior interesse numa área mais específica  grupos étnicvos por exemplo </li></ul>
  8. 12. Cultura Popular <ul><li>FOLCLORE  deixa transparecer valores herdados dos ancestrais </li></ul><ul><li>ARTE  emprego de suportes e técnicas diferenciadas dependendo das comunidades onde ela surge </li></ul><ul><li>CONTOS, ANEDOTAS, CRENÇAS  se espalham pela população de boca em boca, tal como sempre aconteceu. </li></ul>
  9. 15. Cultura de massa <ul><li>Produção, armazenamento e circulação de bens simbólicos sempre em grande escalas (por causa do desenvolvimento tecnológico)  tornaram-se mercadorias </li></ul>
  10. 16. Cultura de elite <ul><li>A polarização entre cultura popular e cultura de elite surge associada ao processo político  foram as elites dominantes quem decidiram o que é cultura popular </li></ul>
  11. 20. Linguagem <ul><li>Atividade humana que, nas representações de mundo que constrói, revela aspectos históricos, sociais e culturais. </li></ul><ul><li>É por meio da linguagem que o ser humano representa a realidade e dá forma às suas experiências. </li></ul><ul><li>Ela é constituída de unidades que chamamos de signos </li></ul>
  12. 24. Linguagens <ul><li>Verbais  a palavra escrita ou falada </li></ul><ul><li>Não verbais  pintura, arquitetura, escultura </li></ul><ul><li>Sincréticas  aquelas que misturam diferentes tipos de códigos (verbais e não verbais) </li></ul><ul><ul><li>Os meios de comunicação de massa são o melhor exemplo de linguagens sincréticas </li></ul></ul>
  13. 25. Código <ul><li>A linguagem materializa-se nos códigos  estes por sua vez são compostos de unidades chamadas signos </li></ul>
  14. 26. Signo <ul><li>Qualquer coisa que represente qualquer coisa para alguém (Peirce) </li></ul>
  15. 27. Repertório <ul><li>Nível de conhecimento do receptor, o seu nível cultural, a sua instrução. </li></ul>
  16. 29. Ideologia - ALTHUSSER <ul><ul><li>Segundo Marx, a ideologia é uma construção imaginária a partir da história concreta dos indivíduos </li></ul></ul><ul><ul><li>Ideologia - IDEO - LOG - IA - ciência da formação das idéias. </li></ul></ul><ul><ul><li>Ideologia é o conjunto de idéias, conceitos e comportamentos que prevalecem sobre uma sociedade. </li></ul></ul><ul><ul><li>Seu objetivo é encobrir as divisões existentes na sociedade e na política, mostrando uma forma maquiada de indivisão. . </li></ul></ul>
  17. 30. <ul><li>Meus heróis Morreram de overdose Meus inimigos Estão no poder Ideologia! Eu quero uma prá viver Ideologia! Eu quero uma prá viver... </li></ul>
  18. 31. Estrutura e funcionamento da ideologia
  19. 34. CONCEITOS <ul><li>Os AIE se apresentam na forma de instituições: </li></ul>Mídia
  20. 35. <ul><li>Os AIE não se confundem com o ARE, pois: </li></ul><ul><ul><li>O ARE pertence ao domínio público, a maior parte dos AIE remetem-se ao domínio privado. </li></ul></ul><ul><ul><li>As instituições privadas podem ser consideradas AIE, pois a distinção entre o público e o privado é intrínseca ao Direito burguês e o domínio do Estado lhe escapa, estando além do Direito. </li></ul></ul><ul><ul><li>violência. </li></ul></ul>
  21. 38. O CRESCIMENTO DA INDÚSTRIA DA MÍDIA <ul><li>A transformação das instituições da mídia em interesses comerciais de grande escala: </li></ul><ul><li>Guttemberg – A Bíblia; </li></ul>
  22. 39. Os jornais <ul><li>Século XIX: Inovações técnicas na indústria da imprensa – máquina a vapor, prensa rotativa – aumentaram a produção de jornais. </li></ul><ul><li>Diversificação do Jornal com seus suplementos </li></ul>
  23. 41. <ul><li>As sociedades ocidentais se tornaram mais urbanas, declínio significativo das taxas de analfabetismo. </li></ul><ul><li>À medida que a indústria gráfica foi se tornando mais industrializada o mercado foi expandido </li></ul>
  24. 42. A Globalização da comunicação remonta o século XIX também: <ul><li>Fluxo internacional de informações e de comunicação assumiu uma forma mais organizada; </li></ul><ul><li>Desenvolvimento das agências internacionais; </li></ul><ul><li>Correspondentes nacionais / internacionais / free – lances. </li></ul>
  25. 44. Estabeleceram o começo de um sistema global de processamento de comunicação e informação: <ul><li>O uso da energia elétrica; </li></ul><ul><li>O telégrafo eletromagnético (1830 – EUA) sinais telegráficos; </li></ul><ul><li>1870 – transmissão da fala e o telefone – Graham Bell; </li></ul>
  26. 45. <ul><li>Marconi (1898) – transmitiu sinais através de ondas eletromagnéticas dispensando o uso de fios; </li></ul><ul><li>1898 – Marconi transmitiu sinais a uma distância de 23 Km sobre o mar; </li></ul><ul><li>1899 – Através do Canal da Mancha, Westinghouse EUA X Marconi na Inglaterra ampliaram as transmissões para vastas audiências; </li></ul>
  27. 46. <ul><li>1920 – O Rádio definitivamente se instala como um grande meio de comunicação; </li></ul><ul><li>1940 – A televisão. </li></ul>
  28. 47. PROGRESSO CIENTÍFICO <ul><li>Publicações: livros, revistas, congressos, simpósios. </li></ul><ul><li>(Hoje uma descoberta leva menos de 2 anos para chegar ao mercado); </li></ul>
  29. 48. O FENÔMENO <ul><li>As coisas acontecem, e, depois que acontecem os pesquisadores devem buscar várias formas de interpretá-las. </li></ul><ul><li>Os paradigmas da ciência: </li></ul><ul><ul><li>Idade Média – Deus como Criador de todas as coisas; </li></ul></ul><ul><ul><li>Idealismo. </li></ul></ul>
  30. 49. O Renascimento da filosofia trouxe nova luz às ciências: <ul><ul><li>observação do fenômeno; </li></ul></ul><ul><ul><li>análise dos elementos que compõem o fenômeno; </li></ul></ul><ul><ul><li>indução de hipóteses; </li></ul></ul><ul><ul><li>verificação de hipóteses aventadas por intermédio das experiências; </li></ul></ul><ul><ul><li>generalização do resultado das experiências; </li></ul></ul><ul><ul><li>confirmação das hipóteses obtendo – se leis gerais. </li></ul></ul>
  31. 50. Leis: <ul><li>Mecanicismo – Newton – Revolução industrial </li></ul><ul><li>Positivismo – Século XIX Eletricidade; </li></ul><ul><li>Leis de Mendel; </li></ul><ul><li>Relativismo – Einstein. </li></ul>
  32. 51. A transformação das instituições de mídia em interesses comerciais de grande escala: <ul><li>A imprensa de Guttemberg </li></ul><ul><li>Século XIX Inovações ténicas na indústria da imprensa: máquina a vapor e prensa rotativa </li></ul><ul><li>Diversificação do jornal ( surgimento dos suplementos) </li></ul>
  33. 52. <ul><li>“ As sociedades ocidentais se tornaram mais urbanas houve um declínio significativo do analfabetismo. À medida que a indústria gráfica foi se tornando mais industrializada e o mercado foi expandindo: o mercado de impressos passa a competir com as indústrias gráficas” Thompson (2005) </li></ul>

×