Formação slide

4.903 visualizações

Publicada em

1 comentário
2 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.903
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
417
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
292
Comentários
1
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Formação slide

  1. 1. FORMAÇÃO DE PROFESSORESDE MATEMÁTICA Diretoria de desenvolvimento pedagógico anos finais
  2. 2. Agenda do dia8h: Acolhida;8h30min: Reflexão sobre Avaliação (slide)9h: Apresentação da apostila10h: Intervalo;10h30min: Oficina: Resolução justificada dasalternativas.12h: Almoço;13h: Vídeo: Vestido azul13h30min: Apresentação do projeto e formação dasequipes;14h: Oficina: Tratamento da informação (IMC)16h30min: Encerramento.
  3. 3. AVALIAÇÃO
  4. 4. ERA UMA VEZ uma rainha que vivia emum grande castelo. Ela tinha uma varinha mágica que faziaas pessoas bonitas ou feias, alegres outristes, vitoriosas ou fracassadas.Como todas as rainhas, ela tinhatambém um espelho.
  5. 5. • Um dia querendo avaliar sua beleza, ela perguntou ao espelho: - Espelho, espelho meu, existe alguém mais bonita do que eu?
  6. 6. O espelho olhou bem para ela e respondeu: Minha rainha, os tempos estão mudados. Esta não é mais uma resposta assim tão simples. Hoje em dia, para responder a sua pergunta eu preciso de alguns elementos mais claros. Atônita, a rainha não sabia o que dizer. Só lhe ocorreu perguntar: - Como assim?
  7. 7. -Veja bem. Respondeu o espelho. Emprimeiro lugar eu preciso saber por queVossa Majestade fez essa pergunta, ouseja, o que pretende fazer com minharesposta. Pretende apenas levantar dadossobre o seu ibope no palácio?Pretende examinar o seu nível de beleza,comparando-o com o de outras pessoasou a sua avaliação visa aodesenvolvimento de sua própria beleza,sem nenhum critério externo?
  8. 8. -É uma avaliação que considera normasou critério pré- determinados?-De toda forma, é preciso, ainda, queVossa Majestade me diga se pretendefazer uma classificação dos resultados.
  9. 9. E continuou o espelho:_ Além disso, eu preciso que VossaMajestade me defina em que bases devofazer essa avaliação. Devo considerar opeso, a altura, a cor dos olhos, oconjunto? Quem devo consultar parafazer esta análise?
  10. 10. - Por exemplo: se consultar somente osmoradores do castelo, vou ter umaresposta; por outro lado, se utilizarparâmetros nacionais, terei uma outraresposta. Entre a turma da copa oumesmo entre anões, a Branca de Neveganha estourado. Mas se perguntar aosseus conselheiros, eu acho que a minharainha terá o primeiro lugar.
  11. 11. -Depois, ainda tem o seguinte, continuou oespelho, como vou fazer essa avaliação?Devo utilizar análises continuadas?Posso utilizar alguma prova para verificaro grau dessa beleza?Utilizo a observação?Finalmente, concluiu o espelho, será queestarei sendo justo? São tantos pontos aconsiderar...A rainha ficou, então, muito confusa e semsaber o que iria responder...
  12. 12. Quando se fala em avaliação,o que vem imediatamente asua cabeça?
  13. 13. A avaliação, bem interpretada, é uminstrumento rico e relevantepara planejamento de ações capazes de melhorar a aprendizagem.
  14. 14. Avaliação Externa x Avaliação Interna Avaliação Avaliação externa interna Fornecer diagnóstico doObjetivos desempenho dos alunos; acompanhar e subsidiar Avaliar todo o processo de aprendizagem politicas educacionaisPlanejamento São promovidas pelos Sistemas escolares Realizada pelo professor Utiliza testes Podem ser usados: portfólio;Instrumentos relatórios; trabalhos em grupo; testes, etc
  15. 15. Avaliações externas quecontemplam o 9º ano – EF SAEB/ PROVA BRASIL SPAECE
  16. 16. Notas e Metas IDEB Nota Meta Projetada Meta Obtida Ano 2011 2011 2013 Brasil 9º Ano 3,8 3,5 3,9 Ceará 3,9 3,3 3,6Caucaia 3,6 3,7 4,1
  17. 17. Dados do IDEB 2011- Escolas da redemunicipal de Caucaia (Prova Brasil) 67 escolas analisadas (8º/9º ano) 29 Escolas atingiram a meta 38 Escolas NÃO atingiram a meta 57% das escolas não atingiram!
  18. 18. RESULTADO SPAECE 2011 – 9º ANO MATEMÁTICA CAUCAIA70 6460 ADEQUADO 325 a 5005040 INTERMEDIÁRIO 275 a 39 324,930 CRÍTICO 225 a 274,92010 0 MUITO CRÍTICO 0 a 1 0 224,9
  19. 19. Matriz deReferência Tópicos/ Tema Descritor
  20. 20. Estrutura do Item Tópicos Principais
  21. 21. O que é um Item?São os elementos constituintes dos testeselaborados a partir dosdescritores da Matriz de Referência. Avaliaapenas uma habilidade.
  22. 22. ROTEIRO BÁSICO PARA A ELABORAÇÃO DE ITENS Devem ser inéditos. Devem conter 4 alternativas para a 8ª série/9º ano do E.F Devem estar rigorosamente relacionados aos descritores das Matrizes de Referência. Devem ser adequados à série a que se destinam. Devem medir uma única habilidade. Devem ser elaborados sem o emprego de “pegadinhas” Devem apresentar gabarito Devem identificar claramente o descritor a ser avaliado Devem apresentar o enunciado e as alternativas redigidos de acordo com a norma culta da língua portuguesa. Devem ser evitados termos como: “sempre”, “nunca”, “todo(a), “totalmente”, “absolutamente”, “completamente” e “somente”. Devem apresentar um único problema por item. Devem apresentar apenas um gabarito.
  23. 23. ITEM E SUAS PARTES
  24. 24. ENUNCIADO Devem apresentar, por completo, o problema a ser resolvido. É vedada a utilização de expressões negativas. É vedada a construção de enunciados que induzam o estudante à resposta É vedado o uso de expressões como “ Assinale a alternativa correta”, “ Qual das alternativas...”, “A alternativa que indica ...”, e equivalentes Devem evidenciar a habilidade prevista pelo descritor Devem atender à norma culta da língua. É vedada a redação em 1ª pessoa
  25. 25. SUPORTE• Devem apresentar bibliografia completa os textos-base, gráficos, figuras, ilustrações e tabelas.• É vedada a utilização de textos base, gráficos, figuras, ilustrações e tabelas que não estejam relacionados com o item.• Devem apresentar imagens de gráficos, figuras e tabelas nítidas e bem posicionadas.
  26. 26. ALTERNATIVAS As incorretas devem ser plausíveis (plausibilidade: semelhanças ou similaridade em relação à alternativa correta) É vedada a construção de alternativas que induzam ao erro É vedado o emprego da palavra NÃO ou dos demais prefixos que induzam negação É vedada a construção de alternativas que contenham detalhes irrelevantes ou conteúdos absurdos. É vedada a construção de alternativas mutuamente excludentes (salvo se o descritor assim o exigir). É vedada a construção de alternativas que induzam o estudante a acertar o item por exclusão. Devem ser ordenados de maneira lógica (progressão textual ou ordem alfabética) Devem ter, aproximadamente, a mesma extensão Devem ser redigidas usando-se vocabulário adequado à série Devem apresentar respostas completas É vedada a construção de alternativas demasiadamente longas
  27. 27. GABARITO• Devem atender à habilidade indicada pelo descritor• Devem ser redigidos de forma a não se tornarem atrativos (em relação aos distratores).• Devem ser redigidos de forma clara e objetiva.• Devem ter, aproximadamente, a mesma extensão dos distratores• Devem ser redigidos usando-se vocabulário adequado à série.
  28. 28. A CONSTRUÇÃO DAS ALTERNATIVAS DE RESPOSTA É de suma importância que não sejam utilizados elementos que possam induzir ao erro ou ao acerto, tais como:  Determinantes específicos como sempre, nunca, completamente e absolutamente;  Associações óbvias, ou opções que sejam idênticas ou semelhantes às palavras contidas no enunciado;  Inconsistências gramaticais que deem ao examinado pistas para achar a resposta;  Uma opção correta muito chamativa, seja pelo seu conteúdo óbvio ou por sua formatação especial: extensão diferente das demais, por exemplo; duas ou três opções de respostas totalmente implausíveis o que remete o estudante à resposta correta, inevitavelmente. Opções absurdas ou ridículas.
  29. 29. RECOMENDAÇÕES PARA JUSTIFICAR ASALTERNATIVAS  As justificativas devem ser explicativas, analíticas e argumentativas de acordo com o que foi cobrado no comando para resposta;  Evite usar a mesma redação para justificar todas as alternativas erradas. É necessário apresentar argumentos que diferenciem o porquê da opção por determinada alternativa de resposta em comparação às demais;  A justificativa do gabarito deve apresentar um argumento que sustente a veracidade da mesma. Você, elaborador, deve estar ciente que a resolução justificada funciona como resposta a um recurso que possa ser interpelado contra a sua questão. Ela deve explicar, justificar e assegurar que o gabarito está correto.
  30. 30. EXEMPLO DE ITEM COM RESOLUÇÃO JUSTIFICADADAS ALTERNATIVAS DE RESPOSTA(M090085A8) Um número é maior do que outro 4unidades, e a soma desses dois números é 192.Se X é o menor desses números, então uma equaçãoque permite calcular o valor de X é(A) X + 4 = 192.(B) X + 4X = 192.(C) X + (X – 4) = 192.(D) X + (X + 4) = 192.
  31. 31. Resolução justificada(A) Incorreta. O aluno considera apenas um número e não dois.(B) Incorreta. O aluno considera 4X em vez de X + 4.(C) Incorreta. O aluno não leva em conta a informação dada noproblema de que X é menor dos números.(D) Correta: O aluno é capaz de identificar uma equação do 1ºgrau que expressa uma situação problema, cuja solução é dadapela equação X + (X+4) = 192.
  32. 32. Vídeo: VESTIDO AZUL
  33. 33. Projeto:INTERAGINDO COM OS DESCRITORES
  34. 34. Interagindo com os descritores1.OBJETIVO GERAL:Promover uma melhoria significativa na qualidade de ensino e obtermelhores resultados quanto à aprendizagem dos alunos do 8º e 9º anosdo município de Caucaia.2. OBJETIVOS ESPECÍFICOS:2.1. Contemplar os conteúdos mencionados na matriz de referênciadas avaliações externas nas práticas de sala de aula;2.2. Ampliar e intensificar as relações de afetividade entre professor ealuno através do processo de ensino e aprendizagem;2.3. Acompanhar as ações realizadas pelo professor em sala de aula deacordo com as propostas sugeridas nas formações;2.4. Melhorar os índices indicativos de desempenho em línguamaterna e em matemática pelas avaliações externas SPAECE e ProvaBrasil.
  35. 35. Interagindo com os descritores3. METODOLOGIA3.1. Os professores do 8º e 9º anos deverão aplicar atividadessugeridas durante as formações a serem desenvolvidas emturma com os alunos;3.2. As ações desenvolvidas pelos professores deverão serelaboradas em conjunto com outros professores da mesmadisciplina, com outras escolas da mesma região;3.3. O desenvolvimento de tais atividades deve ser organizadopor região do município: Jurema, Sede, Praia, Garrote, BR –020 e BR – 222;3.4. Cada região deverá ser dividida proporcionalmente deacordo com o número de professores;3.5. As regiões foram divididas da seguinte forma:
  36. 36. Interagindo com os descritores REGIÃO MÉDIA DE QTDE QTDE DE QTDE DE PROFESSO DE PROFS. APRESENT. RES GRUPOS POR POR DIA GRUPO SEDE 20 4 5 2 JUREMA 20 4 5 2 PRAIA 10 2 5 1 GARROTE 10 2 5 1 BR – 020 10 2 5 1 BR – 222 10 2 5 1
  37. 37. Interagindo com os descritores3.6. Nos dias das formações, os grupos apresentarão asatividades que foram desenvolvidas com os alunos;3.7. Os professores receberão certificação de 80h (oitentahoras), constituídas de 64h (75%) presenciais na formação e16h (25%) de elaboração de atividades;3.8. A garantia dessa certificação somente será efetivada seforem obedecidos os seguintes critérios:3.8.1. O professor deverá fazer duas apresentações (umapor semestre) de como está o andamento do projeto;3.8.2. Serão toleradas apenas duas faltas durante o ano àsformações e nenhuma falta no dia da apresentação do seugrupo;
  38. 38. Interagindo com os descritores• 3.8.3. As atividades devem ser desenvolvidas através de oficinas ou aulas diferenciadas contemplando os descritores abordados nas formações, Estrutura da apresentação:• Tópico (tema);• Objetivos:• Descritores contemplados;• Metodologia;• Análise dos resultados;• Conclusão;• Anexos.
  39. 39. Nosso blog da Matemática Endereço: anosfinaismatematica.blogspot.com.br

×