CAMPO REDUZIDO NO FUTEBOL

4.964 visualizações

Publicada em

CAMPO REDUZIDO E SUAS VARIEDADES NO FUTEBOL

Publicada em: Esportes
0 comentários
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.964
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
113
Comentários
0
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

CAMPO REDUZIDO NO FUTEBOL

  1. 1.  A metodologia de treinamento do futebol através dos jogos em campos reduzidos, muito utilizada pelas equipes européias, tem demonstrado ser uma excelente ferramenta para aquisição e manutenção de condicionamento físico e técnico por apresentar um conjunto de características essenciais ao futebol.
  2. 2.  No Brasil e em muitos países principalmente na Europa, o treinamento é focado em exercícios mecânicos, reduzidos. O treinamento é voltado para as situações de jogo os treinadores/educadores estão restringindo muito o treinamento em exercícios isolados sem dinamismo, robotizando a nova geração. Na infância é muito importante dar prioridade a criatividade e liberdade em campo, com certa organização.
  3. 3.  O principal foco é trazer uma nova proposta de treinamento, ou seja, o treinamento global. O treinamento global é definido como uma situação econômica onde os aspectos físicos, e principalmente técnicos e táticos são desenvolvidos em situações reais.
  4. 4.  Incorpora as raízes do futebol brasileiro, com uma forte influência do futsal, futebol de rua e futebol de areia ou praia. Serão jogos em espaços reduzidos divididos em quatro tópicos: Jogos de Aquecimento, Jogos Adaptados, Jogos com Regras Específicas e Jogos de Transição e tempo de execução.
  5. 5.  Incorporando essa nova proposta em seu treinamento ajudará a mudar o treinamento estático e mecânico pelo treinamento em situação real de jogo, desenvolvendo jogadores mais imprevisíveis e ao mesmo tempo trazendo mais motivação e diversão.
  6. 6.  Especificidade (situações de treino próximas à realidade dos jogos)  Componente motivacional por proporcionar aos atletas atividades com bola e com desafios/metas a serem perseguidas através da competição/jogos com bola;
  7. 7.  Essa modalidade de treinamento coletiva, é extremamente dinâmica e com situações de exigência múltipla, pois demanda grande rapidez de raciocínio quanto a “o que, como e quando fazer” devido à elevada pressão de tempo e espaço, o que contribui para o desenvolvimento cognitivo (inteligência específica de jogo) do atleta;
  8. 8.  Induz à valorização da posse de bola e ao envolvimento da equipe adversária através dos toques rápidos e curtos com deslocamentos constantes. Estilo de jogar tão badalado hoje em dia graças ao fenômeno Barcelona de Messi e Cia;  Demanda de agilidade e velocidade de deslocamentos em curtos espaços; equipe.
  9. 9.  A Intensidade elevada proporcionada pelo espaço reduzido que acarreta grande incidência de disputas pela posse da bola e obriga os constantes deslocamentos dos demais atletas para os espaços vazios a fim de se oferecerem como opções às situações problema enfrentadas pela equipe.
  10. 10.  Buscar Trabalhar repetidamente as atividades de alta intensidade e curta duração, inerentes à modalidade (arrancadas, frenagens, giros, saltos, dribles, fintas, combates e disputas individuais, etc.). 
  11. 11.  Vale ressaltar que, nos pequenos jogos o tiros curtos são ainda mais predominantes em detrimento dos tiros acima dos 25m (que representam apenas em torno de 5% do total de tiros em um jogo de futebol). Os tiros repetidos em distâncias maiores do que 25m sobrecarregam a musculatura posterior da coxa, aumentando a probabilidade de lesões musculares a médio e longo prazo em uma temporada longa e intensa;
  12. 12.  Tem características de treino intervalado por apresentar pausas para recuperação que permitem a manutenção da atividade em alta intensidade por períodos mais prolongados no somatório final do tempo efetivo de treinamento.
  13. 13. Os jogos em campo reduzido devem ser planejados de maneira muito criteriosa em termos de volume/intensidade e de acordo com as fases da temporada, englobando um desafio quantitativo no que se refere a: 1º Tamanho do campo; 2º Número de jogadores; 3º Tempo de jogo e número de séries; 4º Tempo de pausas; 5º Exigências de precisão técnica e restrições aplicadas pelas regras específicas adotadas nessas práticas a fim de se aumentar o grau de dificuldade/intensidade.
  14. 14. Ao analisarmos esta planilha fica evidente a obediência a alguns dos princípios básicos do treinamento esportivo: 1º Especificidade; 2º Continuidade; 3º Variabilidade; 4º Progressividade; 5º Sobrecarga 6º Recuperação .Provocando continuamente a quebra da homeostase através de estímulos com volumes e intensidades variadas e/ou alternadas.
  15. 15.  Tempo de execução: O tempo de execução nas atividades em campo reduzido, será sempre voltado de acordo com o planejamento.  VARIANTES NO AQUECIMENTO: Pode ser executado como forma de aquecimento com 03 tempos de 5 minutos em cada campo, recuperação30’’ , com formação de 02/03 campos 15x15 metros.
  16. 16.  VARIANTES NO TRABALHO AERÓBIO: É um bom aliado na preparação da resistência física (VO2Max.), Pode ser executado como forma de aumentar o limiar aeróbio. O limiar Anaeróbio indica até que ponto o sistema oxidativo está sendo suficiente para gerar energia para a atividade física e em que ponto as fontes energéticas anaeróbias começam a entrar em ação de maneira mais expressiva.
  17. 17.  VARIANTES NO TRABALHO AERÓBIO: Programar 04 tempos de 5’ a 10 minutos em cada campo, recuperação 30’’ a 40’’, com formação de 04 campos 20x20 metros, sendo que:  Campo 01, apenas um toque no passe de bola.  Campo 02,apenas dois toque no passe de bola. Campo 01, apenas um toque no passe de bola.  Campo 02,apenas dois toque no passe de bola. O numero de atletas sera de acordo com o números de atletas no grupo.
  18. 18.  Treino tático em campo reduzido: Busca sintetizar a execução de forma o mais próximo possível de uma situação de jogo. O mais prático é Ataque x Defesa.  O excesso de trabalho em campo reduzido pode comprometer e com isso diminuir o desempenho técnico/tático de meias e laterais.  OBS:O numero de atletas nos campos, será de acordo com o números de atletas no grupo. 3x3/4x4/5x5/ou 6x6, pode utilizar um coringa para ficar mais dinâmico
  19. 19. CAMPO REDUZIDOCAMPO REDUZIDO FUTEBOL MODERNOFUTEBOL MODERNO
  20. 20. CONCLUSÂO: No Brasil, a maioria dos técnicos utiliza o campo reduzido em seus treinamentos, mas ainda não da forma como se poderia ser aproveitado. O que geralmente acontece são programações semanais rotineiras com um trabalho físico, dois coletivos, um trabalho em espaço reduzido com um objetivo apenas, bolas paradas e o famoso “rachão”. Isso quando se tem a semana inteira de treinamentos – com dois jogos por semana, quase não se é trabalhado.
  21. 21.  CONCLUSÂO: Dentro do contexto geral do treinamento, não basta dizer que o treinamento é tático, e sim especificá-lo conforme sua classificação e função dentro do objetivo a se alcançar.  É necessário uma divisão do seu conteúdo para o uso consciente de tal treinamento, e não esporadicamente, sem analisar a situação e suas conseqüências. CAMPO REDUZIDOCAMPO REDUZIDO FUTEBOL MODERNOFUTEBOL MODERNO
  22. 22.  Fonte:  Editora Fontoura: Futebol, Treinamento Global em Forma de Jogos Reduzidos.2011.  www.universidadedofutebol.com.br- condicionamento físico para futebolistas através de treinos em campo reduzidos 2012.  www.ceperj.com.br, condicionamento físico em campo reduzido, 2012.

×