A filiação de jesus

996 visualizações

Publicada em

Este estudo retrata tudo sobre afiliação de Jesus Cristo nos escritos de Ellen G. White.

Publicada em: Espiritual
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
996
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
241
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A filiação de jesus

  1. 1. “Deus é o Pai de Cristo; Cristo é o Filho de Deus. A Cristo foi atribuída uma posição exaltada. Foi feito igual ao Pai. Cristo participa de todos os desígnios de Deus.” Testemunhos Seletos Volume 3, página 266 “A dedicação do primogénito teve sua origem nos primitivos tempos. Deus prometera dar o Primogénito do Céu para salvar os pecadores. Este dom devia ser reconhecido em todas as famílias pela consagração do primogênito.” O Desejado de Todas as Nações, pág. 51
  2. 2. “O Senhor Jesus Cristo, o divino Filho de Deus, existiu desde a eternidade, como pessoa distinta, mas um com o Pai. Era Ele a excelente glória do Céu. Era o Comandante dos seres celestes, e a homenagem e adoração dos anjos era por Ele recebida como de direito. Isto não era usurpação em relação a Deus. "O Senhor Me possuiu no princípio de Seus caminhos", declara Ele, "e antes de Suas obras mais antigas. Desde a eternidade, fui ungida; desde o princípio, antes do começo da Terra. Antes de haver abismos, fui gerada; e antes ainda de haver fontes carregadas de águas. Antes que os montes fossem firmados, antes dos outeiros, eu fui gerada. Ainda Ele não tinha feito a Terra, nem os campos, nem sequer o princípio do pó do mundo. Quando Ele preparava os céus, aí estava Eu; quando compassava ao redor a face do abismo." Prov. 8:22-27. Exaltai-O, MM 1992, pág. 16.
  3. 3. Cristo declarou por intermédio de Salomão: "O Senhor Me possuiu no princípio de Seus caminhos e antes de Suas obras mais antigas. Quando punha ao mar o Seu termo, para que as águas não trespassassem o Seu mando; quando compunha os fundamentos da Terra, então, Eu estava com Ele e era Seu aluno; e era cada dia as Suas delícias, folgando perante Ele em todo o tempo." Prov. 8:22, 29 e 30.“Exaltai-O, MM 1992, pág. 17. “O eterno Pai, Aquele que é imutável, deu seu único Filho gerado, retirado do seu seio, aquele que foi feito a expressa imagem de sua pessoa e enviado a terra para revelar o quanto Ele amou a raça humana.” Ellen G. White, Adventist Review - 07-09-1895
  4. 4. O Filho de Deus foi retirado do Seio do Pai, ou seja, Ele nasceu de Seu Pai, tem a mesma natureza divina de Deus. Deus enviou Seu Filho ao mundo para revelar o quanto Ele amou a raça humana. Veja que ao chamar Jesus de Filho de Deus, a Sra. White tem em mente que Jesus Cristo é Aquele que foi gerado (nascido) de Deus.
  5. 5. “Deus amou tanto o mundo que deu Seu Filho unigénito - não um filho por criação como foram os anjos, nem um filho por adopção como é o pecador arrependido, mas um Filho gerado, na expressa imagem de Seu Pai.” E. G. White , Sinais dos Tempos, 30 de Maio de 1895
  6. 6. Cristo não é um ser criado. Nós nunca acreditamos ou ensinamos isso. É uma grave blasfémia sugerir que Cristo é um ser criado. O equívoco na mente das pessoas é devido ao falso pressuposto de que as palavras “gerar” e “criar” significam a mesma coisa. O fato é que elas não significam a mesma coisa. A Bíblia nos dá exemplos de ambos, mostrando a diferença entre eles. Da Bíblia aprendemos que Deus criou o mundo do nada.
  7. 7. “Pela fé entendemos que os mundos foram criados pela palavra de Deus; de modo que o visível não foi feito daquilo que se vê.” Hebreus 11:3 Portanto, criar é fazer algo do nada. O primeiro capítulo da Bíblia é um bom exemplo de coisas que estão sendo criadas a partir do nada. Deus não precisa usar uma matéria pré-existente para fazer coisas novas. É assim que é ainda descrito:
  8. 8. “Na formação de nosso mundo, Deus não dependia de substância ou matéria preexistente. Ao contrário, todas as coisas, materiais e espirituais, surgiram perante o Senhor Jeová ao Seu comando, e foram criadas para o Seu próprio desígnio. Os céus e todas as suas hostes, a Terra e tudo quanto nela há, são não somente obra de Suas mãos; vieram à existência pelo sopro de Sua boca.” Mensagens Escolhidas, Volume 3, capítulo 1, página 312. A irmã White passa a citar o Salmo 33:6-9. Assim, observamos uma clara demonstração do significado da palavra “criar”, que é fazer algo do nada. É quando algo começa a existir sem depender de uma matéria pré- existente para vir a existência. Por isso, é criado.
  9. 9. “O eterno Pai, Aquele que é imutável, deu seu único Filho gerado, retirado do seu seio, aquele que foi feito a expressa imagem de sua pessoa e enviado a terra para revelar o quanto Ele amou a raça humana.” Ellen G. White, Adventist Review - 07-09-1895
  10. 10. “Deus amou tanto o mundo que deu Seu Filho unigénito - não um filho por criação como foram os anjos, nem um filho por adopção como é o pecador arrependido, mas um Filho gerado, na expressa imagem de Seu Pai.” E. G. White , Sinais dos Tempos, 30 de Maio de 1895
  11. 11. “Satanás está determinado que os homens não devem enxergar o amor de Deus que O levou a dar Seu Filho unigénito para salvar uma raça perdida; porque é a bondade de Deus que leva os homens ao arrependimento.” Mensagens Escolhidas – Vol. 1, pág. 156.
  12. 12. “Os anjos foram expulsos do céu porque eles não trabalhariam em harmonia com Deus. Eles caíram de sua posição elevada porque desejavam ser exaltados. Eles chegaram a exaltar a si mesmos, e se esqueceram que sua beleza de personalidade viera do Senhor Jesus. Este fato os anjos [caídos] iriam obscurecer, que Cristo foi o único Filho gerado de Deus, e eles decidiram que não iriam consultar a Cristo.” Este Dia com Deus, página 126 http://books.google.com.br/books?id=PSdoRxcTN2wC&printsec=frontcover&dq=This+ Day+with+God&source=bl&ots=7T6exkQmId&sig=GhOdB-4d72O4aPA89xR0j- 6I84o&hl=pt-BR&ei=7BqSTcCMOumT0QHr- O3MBw&sa=X&oi=book_result&ct=result&resnum=4&ved=0CDYQ6AEwAw#v=onep age&q&f=false
  13. 13. Quem foi o líder desses anjos? Lúcifer. Ele está determinado que você não enxergue o amor de Deus que O levou a dar o Seu Filho unigénito para te salvar. O inimigo de nossas almas quer obscurecer, esconder o fato de que Jesus é o único Filho gerado de Deus, e isso já acontece desde o céu. Para fazer isso, ele afirma que o termo “Filho de Deus” é um “símbolo”, uma “metáfora” ou uma “profecia”. Mas, o Espírito de Profecia nos diz que não é nada disso. Não é um símbolo, não é uma metáfora e não é uma profecia. É um fato. O Fato é que Jesus é realmente o único Filho gerado de Deus.
  14. 14. - Jesus já era o Filho de Deus no céu, antes de Vir ao Mundo - A Cristo foi atribuída uma Posição exaltada. Foi feito igual ao Pai - Jesus é o Primogénito do Céu - Provérbios 8:22-30 refere-se ao Filho de Deus - Jesus é o único gerado de Deus. Foi retirado do Seio do Pai e, mais tarde, enviado a Terra
  15. 15. - Jesus não é um Filho pela Criação. Ele é um Filho gerado pelo Pai, diferente de criado. - As palavras “Gerar” e “Criar” possuem significados diferentes - Satanás não quer que as pessoas enxerguem o amor de Deus por elas, que O [Deus] levou a dar Seu Filho unigénito para salvá-las - Satanás quer obscurecer o fato de que Jesus é o único Filho gerado de Deus
  16. 16. Possível Objecção: ”Jesus declarou: "Eu sou a ressurreição e a vida." Em Cristo há vida original, não emprestada, não derivada. "Quem tem o Filho tem a vida." I João 5:12. A divindade de Cristo é a certeza de vida eterna para o crente.” O Desejado de Todas as Nações, página 530 Resposta Curta: A Cristo foi dada (por herança divina) a vida “original, não emprestada, não derivada” de seu Pai. Isso está claro quando Ele disse em João 5:26.
  17. 17. Resposta Detalhada: Essa declaração é muito mal compreendida hoje. Mais uma vez, vamos permitir que os Testemunhos sejam a chave da interpretação. Lendo a plena declaração:
  18. 18. "NEle estava a vida, e a vida era a luz dos homens." João 1:4. Não é a vida física que é aqui especificada, mas a imortalidade, a vida que é exclusivamente propriedade de Deus. O Verbo, que estava com Deus e era Deus, possuía essa vida. A vida física é algo que todo indivíduo recebe. Não é eterna ou imortal; pois Deus, o doador da vida, toma-a outra vez. O homem não tem domínio sobre sua vida. A vida de Cristo, porém, não era de empréstimo. Ninguém pode arrebatar-Lhe essa vida. "Eu de Mim mesmo a dou" (João 10: 18), disse Ele.
  19. 19. NEle havia vida, original, não tomada por empréstimo, não derivada. Essa vida não é inerente ao homem. Ele só a pode possuir mediante Cristo. Não a pode ganhar por mérito; é-lhe dada como dádiva livre, se ele crer em Cristo como seu Salvador pessoal. "A vida eterna é esta: que Te conheçam, a Ti só, por único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste." João 17:3. Esta é a fonte de vida, aberta ao mundo.” Mensagens Escolhidas Vol. 1, páginas 296, 297
  20. 20. A partir do contexto, nós aprendemos que a vida original, não emprestada, não derivada pode ser dada. Vai ser dada (por doação) como um dom gratuito a todos aqueles que crêem. Isto está em harmonia com as palavras de Cristo quando Ele disse que Deus o Pai Lhe deu a vida (Original, não emprestada, não derivada):
  21. 21. Esta vida foi dada a Cristo, em virtude de sua origem divina e por herança (sendo gerado com esta vida). Nós sabemos que Cristo está falando aqui sobre a vida eterna (original, não emprestada, não derivada). Para verificar esse fato tudo o que precisamos fazer é nos perguntar: Que tipo de vida que o Pai tem em si mesmo? Certamente não pode ser a vida mortal. Só pode ser a vida imortal (1 Timóteo 1:17), que é descrito como original, não emprestada, não derivada.
  22. 22. Esta é a vida do Filho, por direito de herança. Ele herdou a vida de Seu Pai por nascimento (pois Ele é o único Filho gerado). Portanto, Cristo é o único que tem essa vida como o Pai. É a Sua vida do Pai e Cristo herdou essa vida em virtude de ser gerado Dele. Cristo recebeu TODAS as coisas (por nascimento) do Pai. Sendo assim, isso inclui a Vida? É verdade que é a vida do Pai, que flui através de Seu Filho unigénito?
  23. 23. “Cristo recebeu todas as coisas de Deus, mas recebeu para dar. Assim, nas cortes celestiais, em Seu ministério para todos os seres criados; através do amado Filho, a vida do Pai flui para todos; através do Filho ela retorna, em louvor e serviço prazeroso, uma maré de amor, para a grande Fonte de tudo.” Desejado de Todas as Nações, página 21
  24. 24. "Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida", diz Cristo, "ninguém vem ao Pai, senão por mim." Cristo é investido de poder para dar vida a todas as criaturas.” Ellen G. White, Review and Herald, 05 de abril de 1906 par. 12 A Mensageira de Deus diz claramente: a vida do Pai flui através do Filho. “O Pai é a grande Fonte de tudo”. Ele é a fonte da vida. Ele é o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo. É a Sua vida que podemos receber através de Cristo. Cristo tem esta mesma vida por direito de herança. Esta vida foi dada a ele por Seu Pai!
  25. 25. “Cristo é o Filho de Deus, preexistente, existente por Si mesmo. ... Falando de Sua preexistência, Cristo conduz a mente através de séculos incontáveis. Afirma-nos que nunca houve tempo em que Ele não estivesse em íntima comunhão com o eterno Deus. Aquele cuja voz os judeus estavam então ouvindo estivera com Deus como Alguém que vivera sempre com Ele. Signs of the Times, 29 de agosto de 1900.” Evangelismo, página 615
  26. 26. Resposta Curta: “Cristo era o Filho de Deus, em Sua pré- existência (ou seja, Ele não se tornou o Filho de Deus apenas em Belém). Desde o nascimento de Cristo no céu (lá nos séculos incontáveis) Ele tem estado em íntima comunhão com o Pai divino. Cristo é o pré-existente Filho de Deus, significando que Ele era um filho em sua pré-existência. Sabemos que esta filiação é real e literal e baseada em Seu nascimento. É depois de esclarecer esse fato, que Cristo é o Filho de Deus, em Sua pré-existência que ela então diz que nunca houve um momento em que Ele não estava em comunhão com o Deus eterno. O significado deve ser claro para todos. Desde que Cristo foi gerado pelo Pai, Ele já esteve em comunhão íntima com ele. Isto é o que diz a declaração.
  27. 27. Resposta Detalhada: Esta declaração é usada por alguns para ensinar que Cristo nunca foi gerado de Seu Pai no céu. É este o significado que a irmã White tinha em mente ao escrevê-lo? Essa declaração nos ensina que Cristo não foi gerado do Pai? Essa declaração nos diz que Cristo não é o verdadeiro Filho literal de Deus? Pelo contrário, estamos certos que Cristo é verdadeiramente o pré-existente, o “Auto existente” Filho de Deus. Ele era um filho na sua pré- existência. Longe de negar o fato de que Cristo é o unigénito do Pai, este trecho realmente demonstra a própria verdade da divina filiação de nosso Mestre. Que Cristo é o pré-existente Filho de Deus. Ele era o Filho de Deus antes de Belém.
  28. 28. “Cristo era o Filho de Deus; tinha sido um com Ele antes que os anjos fossem chamados à existência. Sempre estivera Ele à destra do Pai...” Patriarcas e Profetas, página 38 Vamos usar novamente a chave infalível: “Os testemunhos serão a chave que irá explicar as mensagens enviadas, como a Escrituras são explicadas pelas Escrituras.”
  29. 29. Cristo, desde seu nascimento antes de todas as coisas (Provérbios 8:22-30), sempre estivera em íntima comunhão com o Pai, o Deus eterno. “Ele sempre estivera à destra do Pai”. Ele é igual ao Pai em atributos divinos, pois Ele tem-nos por herança (Hebreus 1:4). Observe como ela disse que “Cristo conduz a mente através de séculos incontáveis”. Não podemos colocar uma data sobre o nascimento de Cristo no céu. Está além da nossa compreensão. Não podemos calcular Sua pré-existência dos nossos valores humanos:
  30. 30. “Cristo lhes mostra que, embora eles considerassem que Sua vida era de menos de cinquenta anos, todavia Sua existência divina não podia ser contada pelo cômputo humano. A vida de Cristo antes de Sua encarnação não se calcula por algarismos.” Signs of the Times, 3 de maio de 1899
  31. 31. E sobre essa expressão quando ela diz “Nunca houve tempo em que Ele não estivesse em íntima comunhão com o eterno Deus”? Isto quer dizer que nunca houve um momento em que Ele foi gerado? Certamente que não! Esta afirmação é clara no que desde que Cristo foi gerado do Pai, nunca houve um momento em que Ele não estava com o Pai, pois Ele era o seu prazer diário (Veja Provérbios 8:30).
  32. 32. Vamos ver o que realmente significa a declaração fazendo alguma substituição de nomes e ver como o significado mantém-se. Vamos aplicar a declaração do anjo Gabriel (um anjo criado que não temos ideia de quanto tempo atrás foi o dia de sua criação). Você vai ler algo como isto: “Gabriel é um anjo de Deus... ao falar de sua existência, Gabriel conduz a mente através de séculos incontáveis. Gabriel garante que nunca houve um tempo em que ele não estivesse em íntima comunhão com o Filho de Deus...”
  33. 33. Será que alguém usaria essa declaração no sentido de que Gabriel não foi criado? Claro que não. Todos nós entendemos que ele vai dizer isto: desde que Gabriel foi criado, ele sempre esteve em comunhão íntima com Cristo. Isso é verdade, tanto quanto nós podemos dizer.
  34. 34. Alem disso, Ele é auto existente, existente por si mesmo, como Seu Pai porque herdou isso. Foi dada a Ele a vida Auto existente, como Ele nos disse: “Porque, como o Pai tem a vida em si mesmo, assim deu também ao Filho ter a vida em si mesmo” João 5:26 “Deus é o Pai de Cristo; Cristo é o Filho de Deus. A Cristo foi atribuída uma posição exaltada. Foi feito igual ao Pai. Cristo participa de todos os desígnios de Deus.” Testemunhos Seletos Volume 3, página 266
  35. 35. O fato de que Cristo é o Filho de Deus (sendo gerado por ele) é a chave para a compreensão da posição exaltada e igualdade de Cristo com o Pai. Ele é assim, porque é assim que Ele foi gerado, possuindo todos esses atributos divinos.
  36. 36. “Cristo era o Filho de Deus; tinha sido um com Ele antes que os anjos fossem chamados à existência. Sempre estivera Ele à destra do Pai; Sua supremacia, tão cheia de bênção a todos os que vinham sob Seu domínio benigno, não havia até então sido posta em dúvida. A harmonia do Céu nunca fora interrompida; por que deveria agora haver discórdia?” Patriarcas e Profetas, página 38 e 39
  37. 37. “Deus é o Pai de Cristo; Cristo é o Filho de Deus. A Cristo foi atribuída uma posição exaltada. Foi feito igual ao Pai. Cristo participa de todos os desígnios de Deus.” Testemunhos Seletos Volume 3, página 266

×