O slideshow foi denunciado.
Seu SlideShare está sendo baixado. ×

PALESTRA – Alta Competitividade pela INTELIGÊNCIA de Mercado: monitoramento e análise de mercado

Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Carregando em…3
×

Confira estes a seguir

1 de 68 Anúncio

PALESTRA – Alta Competitividade pela INTELIGÊNCIA de Mercado: monitoramento e análise de mercado

Baixar para ler offline

PALESTRA – Alta Competitividade pela INTELIGÊNCIA de Mercado: monitoramento e análise de mercado


Tópicos da palestra

Monitoramento e análise de mercado
Modelos de uso de informações sistematizadas
De requisições ad-hocs para fluxos estruturados de inteligência competitiva
Ações de inteligência aplicadas em planos de fidelidade e incrementos da competitividade

Sobre o Prof. Valdec Romero Castelo Branco
Professor universitário há 22 anos, formado em administração de empresas; mestre em administração de empresas; mestre em educação, administração e comunicação (multidisciplinar); pós-graduação Lato Sensu em Docência do Ensino Superior. Trabalha com consultoria e assessoria, desde 1995, na Área de Treinamento e Desenvolvimento (T&D): palestras, cursos, treinamentos, seminários, workshops, cursos in company etc. Autor dos livros: “Aprendizagem organizacional: da pedagogia a gestão estratégica de recursos humanos”, “Rumo ao Sucesso: aprenda como transformar sua vida profissional em uma carreira de sucesso”, Comida, Sexo & Administração (ensaios sobre liderança)”, Emprego, educação e família no Brasil: os efeitos da globalização na economia brasileira” e “O Brasil do Desemprego”.

PALESTRA – Alta Competitividade pela INTELIGÊNCIA de Mercado: monitoramento e análise de mercado


Tópicos da palestra

Monitoramento e análise de mercado
Modelos de uso de informações sistematizadas
De requisições ad-hocs para fluxos estruturados de inteligência competitiva
Ações de inteligência aplicadas em planos de fidelidade e incrementos da competitividade

Sobre o Prof. Valdec Romero Castelo Branco
Professor universitário há 22 anos, formado em administração de empresas; mestre em administração de empresas; mestre em educação, administração e comunicação (multidisciplinar); pós-graduação Lato Sensu em Docência do Ensino Superior. Trabalha com consultoria e assessoria, desde 1995, na Área de Treinamento e Desenvolvimento (T&D): palestras, cursos, treinamentos, seminários, workshops, cursos in company etc. Autor dos livros: “Aprendizagem organizacional: da pedagogia a gestão estratégica de recursos humanos”, “Rumo ao Sucesso: aprenda como transformar sua vida profissional em uma carreira de sucesso”, Comida, Sexo & Administração (ensaios sobre liderança)”, Emprego, educação e família no Brasil: os efeitos da globalização na economia brasileira” e “O Brasil do Desemprego”.

Anúncio
Anúncio

Mais Conteúdo rRelacionado

Diapositivos para si (20)

Quem viu também gostou (19)

Anúncio

Semelhante a PALESTRA – Alta Competitividade pela INTELIGÊNCIA de Mercado: monitoramento e análise de mercado (20)

Mais recentes (20)

Anúncio

PALESTRA – Alta Competitividade pela INTELIGÊNCIA de Mercado: monitoramento e análise de mercado

  1. 1. ALTA COMPETITIVIDADE PELA INTELIGÊNCIA DE MERCADO Prof. Ms. Valdec Romero Castelo Branco
  2. 2. 1. MONITORAMENTO E ANÁLISE DE MERCADO Clientes Monitoramento e Planejamento Fornecedores Análise do Mercado Estratégico e Tático Concorrentes
  3. 3. MERCADO COMPETITIVO INTERNACIONALIZADO  De uma velocidade cada O ATUAL vez maior dos processos de negócios. CONTEXTO  De uma sobrecarga de COMPETITIVO informações. INTERNACION  De Um crescimento global ALIZADO VEM do processo competitivo.  De uma concorrência cada ACOMPANHAD vez mais agressiva. O:  De rápidas mudanças tecnológicas.
  4. 4. Como aumentar a competitividade nas empresas?
  5. 5. ALTA COMPE TITIVIDADE GESTÃO DO CONHECIMENTO Criação e Difusão do Conhecimento VANTAGEM COMPETITIVA MUDANÇA CONTÍNUA Inteligência de Mercado e Criatividade e Inovação Inteligência Competitiva
  6. 6. Geralmente como funciona o processo de marketing? Briefing: Descrição dos É a área responsável por objetivos que a colocar o planejamento e empresa pretende criação em prática, ou alcançar com o seja, é o que vai “comprar marketing. Tradução: O mídias” Tradução: É a que que a empresa quer. vai torrar o budget (a verba para a campanha) Outdoor Busdoor Indoor O CLIENTE Televisão (empresa contratante) Rádio Atendimento Mídia Mídia impressa Cinema Surge um novo personagem no marketing Agência de Agência de Patrocínios Sites Marketing Marketing Mídias Sociais Inteligência Planejamento Criação de Mercado Adaptado: Inteligência de Mercado em comunicação. Gabriel Ishida
  7. 7. Fonte: Inteligência de Mercado. Prof. Dr. Eduardo Maróstica, 2011.
  8. 8. 2. MODELOS E USO DE INFORMAÇÕES SISTEMATIZADAS Mercados Informações Inteligência Informações Sistematizadas Empresarial Inteligência
  9. 9. Mas, como enfrentar essas ameaças e sobreviver? A lógica é a seguinte.... 2 3 Não significa que as empresas não façam Mas o que precisa mudar este trabalho, com na empresa em relação certeza muitas já o ao mercado? 1 fazem. Esse contexto competitivo internacionalizado envolvem o 4 monitoramento dos mercados de atuação das empresas, clientes, concorrente Ter um processo s e fornecedores. estruturado. 6 5 Como se consegue isso? A estruturação dos processos Com a implementação de um garante a qualidade e a disponibilização da informação Programa de Inteligência trabalhada no momento certo para a pessoa certa. Empresarial
  10. 10. Mudanças no ambiente de negócio Programa de Inteligência Empresarial Adaptado: Gomes & Braga – sistemas inteligentes de gestão
  11. 11. O que o Starbucks fez para ser a marca mais admirada nas mídias sociais?
  12. 12. Quando a Revista Capricho percebeu que suas leitoras poderiam gostar de uma linha de moda na revista?
  13. 13. Quando a Coca Cola percebeu que utilizar músicas em suas propagandas dava resultados positivos?
  14. 14. INTELIGÊNCIA DE MERCADO Inteligência de Mercado É um processo que envolve o monitoramento dos mercados, por meio da análise apurada dos clientes, concorrentes e fornecedores, de forma estruturada.
  15. 15. INTELIGÊNCIA DE MERCADO ROI SIMPLIFICANDO (Return-of-investment) É o processo de construção da inteligência ativa que garanta a disponibilização A Inteligência de Mercado envolve de informação inteligente investimentos em no momento certo para a marketing, comunicação e pessoa certa. informação. EMPRESAS > RENTABILIDADE
  16. 16. INTELIGÊNCIA DE MERCADO O que é imprescindível ter? Visão de Negócio
  17. 17. VAMOS ANALISAR UM EXEMPLO REAL O novo Leite Moça Demanda: Pesquisas de mercado (Nielsen / Ad Hoc) apontaram desgaste do Leite Moça na concorrência com outras marcas. E a embalagem era vista como commodity. Como implementar uma solução que diferencie e agregue valor ao produto? Fonte: O que é inteligência de mercado? - João GabrielChebante-ESPM
  18. 18. Objetivos de cada empresa no projeto Além de evitar a migração de volume grande de latas Reestruturar a imagem de para os concorrentes um produto tradicional e longa-vida, fixar-se como símbolo da sua parceiro vital à Nestlé de categoria, porém sob ótimas soluções de concorrência crescente de embalagens. marcas “talebans”.
  19. 19. Qual foi a solução mesmo?
  20. 20. Como se chegou lá? 1. Onde podemos inovar? • Novos formatos, sabores, comunicação. • Embalagem: o que ainda não foi feito no segmento e é viável ao Leite Moça? 2. O que o consumidor acharia de uma nova embalagem? • Pesquisa Ad-Hoc de Conceito – Quantitativa & Focus Groups. • Percepção de mudanças semelhantes na categorias em outras regiões ou de outras categorias no país.
  21. 21. Como se chegou lá? 3. Quais foram os resultados / percepções em mercado teste? • O processo de tornar a embalagem de Leite Moça curvilínea passou pela revisão da construção das chapas de metais e da sua transformação em latas por parte da Prada junto a sua controlada CSN. • Em pesquisas com consumidores(as), os grandes pontos de destaque foram: - A associação das curvas com a silhueta de uma mulher, e a comparação com a camponesa garota-propaganda. - Na comparação com outras embalagens, inclusive em mercados teste, o trunfo da lata X longa vida foi o fato dela ter exatamente a medida para uma porção de brigadeiro ou doce de leite, o que Tetra Pak e Sig só conseguiram + de 5 anos depois.
  22. 22. E como a inteligência de mercado participa disso? Dados internos Em todas as etapas do do produto projeto a geração de dados de inteligência de mercado Dados Externos é parte fundamental na análise e tomada de decisão. 2 5 ORGANIZAÇÃO A importância da área de Pesquisas Pesquisas inteligência de mercado em Validação Geração toda empresa É FATOR da solução de idéias Criatividade DECISIVO para o aumento e Inovação da competitividade. este processo é CÍCLICO...
  23. 23. 3. DE REQUISIÇÕES AD HOC PARA FLUXOS ESTRUTURADOS DE INTELIGÊNCIA COMPETITIVA Mercados Fluxos Estruturados Inteligência de Mercado Informações Inteligência Competitiva Inteligência
  24. 24. REQUISIÇÕES AD HOC Pesquisa Ad Hoc Pesquisa ad hoc é uma pesquisa feita sob encomenda (customizada), ou seja, a partir das necessidades específicas de cada cliente.
  25. 25. DIFERENÇAS ENTRE INTELIGÊNCIA DE MERCADO E INTELIGÊNCIA COMPETITIVA INTELIGÊNCIA DE MERCADO: Tem um foco no mercado (clientes, fornecedores, conco rrentes etc.), é responsável por municiar as equipes de produtos com dados, projeções que construirão com a estratégia e táticas de marketing da empresa. Campanha desenvolvida pela agência GP7, somada a Inteligência de Mercado Yakult, que é o maior esforço de comunicação da empresa dos últimos anos. 10/03/2011
  26. 26. DIFERENÇAS ENTRE INTELIGÊNCIA DE MERCADO E INTELIGÊNCIA COMPETITIVA INTELIGÊNCIA COMPETITIVA: Tem seu foco maior na competitividade, analisando com maior ênfase os concorrentes. Ao analisar os passos de seus concorrentes, isso permite as empresas antecipem futuras direções e tendências do mercado, ao invés de meramente reagir a elas. Opel e Vauxhall, empresas alemã e inglesa, respectivamente, e filiadas à General Motors, apresentaram o compacto Adam.
  27. 27. INTELIGÊNCIA DE MERCADO
  28. 28. INTELIGÊNCIA COMPETITIVA
  29. 29. O que é Inteligência Competitiva? Adaptado: Inteligência Competitiva: Construindo conhecimento. Armando Levy Professor e Diretor da e-Press Comunicação Inteligência, P Inteligência roduto e Concorrente Mercado Inteligência Gestão Inteligência Cliente Estratégica Ambiental Planos Planos Táticos Estratégicos
  30. 30. O que NÃO é Inteligência Competitiva? Planilhas Bola de Espionagem Business Cristal Intelligence Software Internet Pesquisas em Função para uma pessoa base de dados esperta Adaptado: Inteligência Competitiva: Construindo conhecimento. Armando Levy Professor e Diretor da e-Press Comunicação
  31. 31. 2. Identificação das necessidades 3. Coleta das de informação. informações. PROCESSO DE IC:  Comunicação e sensibilização dos 1. Identificação funcionários; 4. Análise das das necessidades  Estruturação da área e definição da equipe de informações. de Inteligência. IC;  Capacitação da Equipe de IC;  Definição da missão e objetivos de IC;  Definição e implantação de sistemas de informação. 6. Avaliação do 5. Disseminação. processo.
  32. 32. 1. Identificação das necessidades de Inteligência Inteligência Competitiva (IC) , pode PROCESSAMENTO ser, ainda, compreendido como o processo com o apoio de DADOS INFORMAÇÃO tecnologia necessárias para transformar: 1. Dados em Informações; 2. Informações em Conhecimento; CONHECIMENTO PROCESSAMENTO 3. Conhecimento com a finalidade de auxiliar a tomada de decisões que sejam mais lucrativas aos negócios da empresa, com menores riscos. TOMADA DE DECISÃO
  33. 33. PARA QUE SERVE A INTELIGÊNCIA COMPETITIVA:
  34. 34. 2. Identificação das necessidades de informação 1. Avaliar a empresa ou o setor; 2. Identificar suas dúvidas; 3. Conhecer os temas essenciais do negócio; 4. Organizar em hierarquias; 5. Priorizar áreas.
  35. 35. 3. COLETA DE INFORMAÇÕES FONTES PRIMÁRIAS - Networking; - Feiras e Congressos; - Visitas; - Pesquisas diretas etc. SECUNDÁRIAS - Internet; - Associações / Órgãos governamentais; - Jornais/ revistas; - Publicações especializadas.
  36. 36. Coleta e Monitoramento de Fontes Primárias e Secundárias 1. Identificar fontes. 2. Monitorar o mercado. 3. Coletar as informações. 4. Organizar.
  37. 37. Como extrair as informações estratégicas nestas fontes? http://exame.abril.com.br/revista-exame/edicoes/0995/
  38. 38. EXPANSÃO MUITA FÉ NO PLANO DE SAÚDE O empreendedorismo está em alta na Igreja Universal do Reino de Deus. Depois de marcas de bebidas, alimentos e de uma rede de varejo, a igreja do bispo Edir Macedo está construindo um hospital em São Paulo e deverá lançar em breve um plano de saúde voltado principalmente para seus fiéis. O novo hospital ficará localizado na região do aeroporto de Congonhas, na zona sul de São Paulo, em um terreno que já abrigou a sede da Rede Record, emissora que também pertence à Universal. De acordo com pessoas que acompanham o processo, Macedo determinou que fossem instalados apenas equipamentos de última geração no hospital, principal atrativo do novo plano de saúde. Os cultos da Universal, que tem mais de 15 milhões de fiéis, serão o principal meio de divulgação da novidade. Fonte: Revista Exame
  39. 39. Igreja Universal lança Leão de Judá (Cola) A Igreja Universal do Reino de Deus continua a expandir sua atuação. Além da presença na área da comunicação, com a Rede Record, e na política, com a eleição de deputados e senadores e a nomeação de ministros, a igreja do bispo Edir Macedo se lançou no ramo de bebidas, alimentos e no varejo. Em sociedade com o empresário e fiel Moisés Magalhães, a Universal é dona da marca Leão de Judá, que já produz refrigerantes, sucos e biscoitos. A principal estratégia da marca é formar uma rede de varejo com 7000 distribuidores que venderiam apenas produtos Leão de Judá. De acordo com os planos dos líderes da Universal, cada distribuidor comprará 360 000 reais por mês da marca, divulgada em cultos da igreja. A meta de Magalhães, presidente da empresa, é faturar improváveis 30 bilhões de reais por ano até 2020. Os distribuidores estão sendo recrutados na Igreja. Fonte: Revista Exame
  40. 40. 4. ANÁLISE DAS INFORMAÇÕES 1. Avaliar; 2. Analisar; 3. Desenvolver o produto de inteligência. www.taggalaxy.de
  41. 41. 5. Dissemi nação 1. Enviar as informações estratégicas às pessoas certas. 2. Orientar a aplicação. 3. Avaliar os resultados. Pesquisa Inteligência Estratégica e Tática Inteligência Competitiva (IC) Resultados
  42. 42. 6. Avaliação do processo. INFORMAÇÕES ESTRUTURADAS BI Extração, Transfo rmação e ERP Armazenamento CRM PLANILHAS BANCOS DE DADOS INFORMAÇÕES NÃO ESTRUTURADAS JORNAIS INTERNET Coleta de Entrega de BIBLIOTECAS informações informações REVISTAS Análise das NOTICIAS informações
  43. 43. 4. AÇÕES DE INTELIGÊNCIA COMPETITIVA APLICADAS AO INCREMENTO DA COMPETITIVIDADE Visão Inteligência de Mercado Incremento na Inteligência Inteligência Competitiva Competitividade Informações
  44. 44. QUAL O OBJETIVO DA INTELIGÊNCIA COMPETITIVA? RESPOSTA: AUMENTAR A COMPETITIVIDADE DAS EMPRESAS. DE QUE FORMA?  Monitorar o mercado e os concorrentes;  Descobrir concorrentes novos ou potenciais;  Analisar suas estratégias;  Antecipar as ações dos concorrentes;  Avaliar e antecipar mudanças no mercado.  As informações estratégicas devem chegar antes para a pessoa certa, na hora certa, por que são elas que melhor orientam a tomada de decisão.
  45. 45. ...nósQUE UTILIZAMOS A INTELIGÊNCIA COMPETITIVA? POR utilizamos o processo de Inteligência Competitiva para... Inteligência = Obter as informações estratégicas Competitividade = Estar à frente do concorrente sempre
  46. 46. Como agradar o cliente e estar à frente da concorrência sempre
  47. 47. Interação entre IC e a Competitividade INTELIGÊNCIA Coleta e análise de informações: Oportunidades, ameaça Interferências na • Concorrentes. s e análises estratégica estratégia: • Novos entrantes. • Reavaliação e ajuste na estratégia • Clientes. atual. • Fornecedores. IC Gestão de Inteligência Estratégia • Novas prioridades. • Produtos • Novas premissas. substitutos. • Atuação proativa • Alianças. no mercado. • Investidores. Necessidades de • Redução de riscos. • Novas informação tecnologias. estratégica • Regulamentação. MAIOR COMPETITIVIDADE Fonte: GOMES, Elisabeth; BRAGA, Fabiane. Inteligência Competitiva. Sebrae/DF, 2007.
  48. 48. Fórum para debater Inteligência Competitiva e Estratégica no Brasil CARREIRA IC Criatividade e o Processo de Análise By SCIP Brasil on Sep . 26, 2011 . Tomar decisões em um ambiente de alta complexidade e incerteza é uma atividade que envolve grandes riscos e possibilidades de erros. A atividade de Inteligência busca minimizar estes riscos por meio da constante coleta e análise de informações que tragam novos insights aos decisores. Procura ampliar o leque de opções e avaliar criticamente as práticas........
  49. 49. AMBIENTE DE MERCADO Movimentações e Tendências: Político, Econômico, Social, Tecnológico EMPRESA IC CLIENTE Gestão do Conhecimento Auditoria da Performance I.D.O: Informações de Observação. da Empresa x Concorrentes I.D.R: Informações de Relacionamento e Transação. Adaptado: Inteligência Competitiva - Uma prática que leva à boa sorte nos negócios - Patrícia Marra, agosto/2009.
  50. 50. Quanto maior o valor gerado pelas análises, maior será a complexidade em obtê-las Análise do Macroambiente. Estratégico Tecnologia. Modelagem estatística. Dinâmica do mercado. Ações de inteligência Análise dos principais fornecedores e da cadeia produtiva. Agregação de Análise competitiva ( o que nossos Valor concorrentes estão fazendo ). Indicadores de Desempenho dos processos (custo, produtividade ). Indicadores commodities ( preços, mão de Tático obra, ociosidade ). Indicadores macroeconômicos. Baixa Alta Fonte: Adaptação Corporate Strategy Board/análise Atman
  51. 51. Competên cias 1. Equipe multidisciplinar; 2. Especialistas-generalistas; 3. Desenvolvimento de fontes primárias e secundárias; 4. Disseminação do conhecimento; 5. Processo de Inteligência; 6. Ferramentas estratégicas; 7. Desenvolvimento de softwares.
  52. 52. Ambiente de Geração de Inteligência – criação de comunidade e redes de analistas e coletores Processo de Inteligência 1. Planejamento 4. Geração e Comunidade Registros de Novos 2. Concepção e de Conhecimentos Planejamento Inteligência 3. Compartilhamento e Administração Fonte: Eduardo Lapa, 2004
  53. 53. Ambiente de Negócios MECANISMOS DE VIGILÂNCIA 2. ECONÔMICAS 3. POLÍTICAS ATORES CONCORRENTES CLIENTES NOVOS 4. LEGAL 1. SOCIAIS GOVERNO ORGANIZAÇÃO ENTRANTES FORNECEDORES SINDICATOS 5. TECNOLÓGICAS O que são vigilâncias? São mecanismos de captura de informação voltados para aspectos relevantes do negócio.
  54. 54. Vigilância Social Avalia informações como: - Costumes da época. - Infraestrutura social. - Mão de obra. - Segurança. - Taxa de crescimento demográfico. Por quê? - Mudanças sociais podem ser ameaças ou oportunidades e é muito importante estar preparado.
  55. 55. Vigilância Eco nômica Avalia informações sobre: - Análise estrutural e conjuntural da economia. - Linhas de financiamento e impostos. - Incentivos fiscais. - Concorrentes atuais e potenciais. - Clientes e fornecedores. - Mercado de trabalho. Por quê? – Alterações na economia impactam diretamente nos negócios.
  56. 56. Vigilância Política e Legal Avalia informações como: - Leis. - Decretos. - Órgãos de governo. - Leis trabalhistas e fiscais. Por quê? – Alterações na lei impactam diretamente seu negócio.
  57. 57. Vigilância Tecnológica Balanço do mar se transforma em energia Avalia informações sobre elétrica no litoral do Ceará inovações técnicas como: Idealizada e projetada no Laboratório de Tecnologia Submarina da Coppe, a usina está - Pesquisa. situada no porto do Pecém, a 60 quilômetros de - Novos produtos. Fortaleza. O projeto insere o Brasil no seleto - Serviços. grupo de países que estão testando diferentes - Processos. conceitos tecnológicos para atingir um mesmo - Patentes. objetivo: comprovar que as ondas do mar podem produzir eletricidade com confiabilidade de Por quê? suprimento e a custos viáveis. O potencial energético das ondas no Brasil é – Uma inovação radical pode estimado em 87 gigawatts. Testes da Coppe tirar seu produto do mercado. indicam que é possível converter cerca de 20% desse potencial em energia elétrica, o que equivale a cerca de 17 % da capacidade total instalada no país. Fonte: Coppe – Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia, da Universidade Federal do Rio de Janeiro.
  58. 58. INTELIGÊNCIA COMPETITIVA Fatores Críticos de Sucesso: constância, longevidade e envolvimento. Monitorar, buscar informação, antecipar- se, saber antes, mudar de rota, ser mais competitivo... “Saber onde encontrar a informação e como usá-la. Esse é o segredo do sucesso”. (Albert Einstein) Adaptado: A. Yamaguchi – IC Conference, São Paulo, Abril 2007.
  59. 59. Não é sobre as faltas alheias que devemos fixar a atenção, mas sobre o que nós mesmos deixamos de fazer. Fácil é ver as faltas do próximo; difícil, as próprias. Às dos outros, damos o maior relevo possível; às nossas, ao contrário, dissimulamos, como o trapaceiro esconde os dados.” Buda (Siddharth Gautama). OBRIGADOOOOOOOOOOOOOOOOO!!!!!!!! Prof. Ms. Valdec Romero Castelo Branco
  60. 60. BIBLIOGRAFIA CAMALIONTE, Edilberto; FONTES, Adolfo. Inteligência de mercado: conceitos, ferramentas e aplicações. São Paulo: Saint Paul, 2011. DAVENPORT, Thomas H.; PRUSAK, Laurence. Conhecimento empresarial: como as organizações gerenciam o seu capital intelectual. 4. ed. Rio de Janeiro: Campus, 1998. PRESCOTT, John E.; MILLER, S. H. Inteligência competitiva na prática: técnicas e práticas bem sucedidas para conquistar mercados. Rio de Janeiro: Campus, 2002. SANDMAN, Michael A. Técnicas e modelos analíticos. In: MILLER, Jerrry P. O milênio da inteligência competitiva. Porto Alegre: Bookmam, 2002. PASSOS, Alfredo. Inteligência competitiva: como fazer IC acontecer na sua empresa. São Paulo: LCTE, 2005. PASSOS, Alfredo; MARTINI, Sandra; CUNHA, Telma. E a concorrência… não levou!: inteligência competitiva para gerar novos negócios empresariais. São Paulo: LCTE, 2006. PORTER, Michael E. Estratégia competitiva: técnicas para análise de indústrias e da concorrência. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004. TEIXEIRA FILHO, Jayme. Gerenciamento conhecimento: como a empresa pode usar a memória organizacional e a inteligência competitiva no desenvolvimento de negócios. Rio de Janeiro: SENAC, 2000.
  61. 61. https://sites.google.com/site/profvaldec
  62. 62. Professor universitário há 22 anos, formado em administração de empresas; mestre em administração de empresas; mestre em educação, administração e comunicação (multidisciplinar); pós-graduação Lato Sensu em Docência do Ensino Superior. Leciona disciplinas ligadas às áreas de Economia (Introdução à Economia / Micro e Macroeconomia / Economia Brasileira / Economia Internacional) e Administração de Empresas (TGA / Gerência e Liderança / RH Operacional e Estratégico / Empreendedorismo / Consultoria Empresarial / Gestão Estratégica, entre outras), para diversos cursos: Pós-Graduação: MBA, Especialização (Lato Sensu). Graduação: Cursos de Administração de Empresas, Ciências Contábeis, Ciências Econômicas, Engenharia e Tecnologia em Processos de Produção. Cursos de Curta Duração e Extensão: Criatividade e Inovação, Marketing Pessoal, Gestão Empresarial, Relações Internacionais e Comércio Exterior, Economia e Mercados etc. Trabalha com consultoria e assessoria, desde 1995, na Área de Treinamento e Desenvolvimento (T&D): palestras, cursos, treinamentos, seminários, workshops, cursos in company etc. Ex-sócio da Lume Recursos Humanos, empresas especializada em mão de obra temporária e efetiva, terceirização, cursos, palestras etc. Autor dos livros: 1. Aprendizagem organizacional: da pedagogia a gestão estratégica de recursos humanos. 2. Rumo ao Sucesso: aprenda como transformar sua vida profissional em uma carreira de sucesso; 3. Comida, Sexo & Administração (ensaios sobre liderança); 4. Emprego, educação e família no Brasil: os efeitos da globalização na economia brasileira; 5. O Brasil do Desemprego. https://sites.google.com/site/profvaldec

×