Melissa

1.849 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.849
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
27
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Melissa

  1. 1. Análise do discurso da campanha publicitária “ Contos de Melissa” Componentes: - Katia Cilene - Luanny Nazareth - Pedro Augusto - Raimunda Brandão
  2. 2. <ul><li>Objetivo Geral : </li></ul><ul><li>Demonstrar no texto “Contos de melissa” a construção de diferentes personalidades femininas , a partir das sandálias, induzindo o leitor a comportamentos sensuais. </li></ul>
  3. 3. Utilizando como suporte a revista Capricho, para promover as sandálias melissa, através da campanha publicitária: “ Contos de melissa”, a Grendene visando o público feminino (pré-adolescentes e adolescentes) - que por estar na fase de transição de menina para mulher, é comum sentir curiosidade por assuntos relacionados a sexo e o desejo de liberdade - explorando o erotismo e a sensualidade como forma de chamar atenção dessas leitoras para o produto. Explorou textos puramente visuais, produzido sob a ideologia da sexualidade da mulher moderna. Os produtores dessa campanha utilizaram-se da ambiguidade do termo contos, para fazer uma intertextualidade entre contos de fadas e contos eróticos, transformando as inocentes personagens de contos de fadas em maliciosas e sedutoras personagens de possíveis fantasias eróticas. Os apelos ao erotismo estão nítidos em cada texto através dos corpos sensuais das personagens e nos ambientes munidos de camas e bebidas sugerindo sexo e o uso de álcool. Portanto a propaganda acaba exercendo um função modelizante, pois modela o comportamento através de vinculação de valores a serem incorporados e posturas a serem adotadas, implicando na desvalorização ou discriminação da mulher por seu estilo de vida.
  4. 4. “ Discurso é um efeito de sentido entre os interlocutores e a existência de informações imaginarias que designam a imagem que os interlocutores fazem de si do outro e do referente do discurso.” Pêcheux, 1990.

×