Alunos 7A

1.014 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.014
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
17
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
24
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • O ouvido externo é formado pelo pavilhão auricular, a orelha, e pelo conduto auditivo. O ouvido médio é formado pelo tímpano e por um conjunto de três pequenos ossos: o martelo, a bigorna e o estribo O ouvido interno é formado pela cóclea e pelo nervo auditivo cuja função é receber as ondas sonoras e transformá-las em impulsos nervosos enviando-os ao córtex cerebral
  • Alunos 7A

    1. 1. Compreender para colaborar… Deficiência auditiva: Agrupamento de Escolas de Mealhada Turma 7ºA 9 janeiro de 2012 Docente de Educação Especial: Lúcia Ferreira
    2. 2. O som O som é uma vibração que se propaga pelo ar em forma de ondas e que é percebida pelo ouvido humano. É uma sensação agradável, em nível suportável e que não irrita. Ele pode ser mais ou menos perigoso dependendo da sua frequência e intensidade.
    3. 3. O nosso Ouvido “… o ouvido desempenha a função mais importante que os órgãos da fala…”
    4. 4. Quando falamos, cantamos, ou fazemos qualquer barulho estamos a emitir vibrações, ou também chamadas ondas sonoras.
    5. 5. O CAMINHO DO SOM * As ondas sonoras entram no orelha pelo conduto auditivo e fazem vibrar o tímpano, que por sua vez, faz vibrar três ossinhos que se localizam ali perto: o martelo, a bigorna e o estribo. *Este último transmite aquelas vibrações para a cóclea onde, através do nervo auditivo, as células cocleares enviarão uma mensagem para o cérebro que reconhecerá os sons: fala, música ou barulho
    6. 7. FREQUÊNCIA A frequência medida em Hertz (Hz), é a quantidade de ondas de um som propagado no tempo de 1 segundo. Os sons de baixa frequência são chamados de graves e os de alta frequência agudos.   INTENSIDADE A intensidade, medida em decibel (dB), é a força ou pressão que o som exerce nos nossos ouvidos. É conhecido como altura, volume. Um lugar tranquilo tem sons de baixa intensidade, enquanto que uma máquina ruidosa tem alta intensidade. Quando a intensidade alcança altos valores, o som transforma-se em risco para audição. TEMPO O som dispõe-se no tempo em alternância com silêncios sendo produzido com diferentes durações. O som
    7. 8. O ruído é um som prejudicial à saúde humana que causa sensação desagradável e irritante. RUÍDO
    8. 9. Deficiência auditiva é o nome utilizado para indicar perda de audição ou diminuição na capacidade de escutar os sons. Qualquer problema que ocorra em algumas das partes do ouvido pode levar a uma deficiência na audição. surdo é o indivíduo que tem uma perda auditiva ... e que dificilmente adquirirá a linguagem oral sem um trabalho/treino específico para utilização da audição residual e da fala.
    9. 10. <ul><li>Surdez ligeira - entre 20 e 40 dB </li></ul><ul><li>Surdez média/moderada - entre 40 e 60 dB </li></ul><ul><li>Surdez severa - entre 60 e 90 dB </li></ul><ul><li>Surdez profunda - 90 a 100 dB </li></ul>GRAUS DE PERDA AUDITIVA Classificação BIAP (Bureau International d’Audiophonologic)
    10. 11. IMPLANTE COCLEAR É uma prótese auditiva ativada por estimulação elétrica que tem por objetivo codificar os sons e a fala de forma a que o sistema nervoso central os possa detetar e implantar .
    11. 12. “ para ensinar alguém a falar é necessário primeiro ensinar a ouvir”
    12. 13. <ul><li>Detecção do som : Isto é um som? </li></ul><ul><li>Discriminação: Este som é igual ou diferente daquele? </li></ul><ul><li>Localização: Onde está o som? </li></ul><ul><li>Reconhecimento: Eu conheço este som? </li></ul><ul><li>Compreensão: Eu sei o que este som significa? </li></ul><ul><li>Memória: Eu já ouvi este som? </li></ul><ul><li>Atenção Seletiva: Qual o som que eu prestarei atenção? </li></ul>
    13. 14. Comunicar: a fala Falar é o resultado da compreensão, não só da linguagem articulada (falada), como também dos pensamentos e das experiências da vida diária. A criança ouvinte capta de maneira consciente e inconsciente o que está acontecendo ao seu redor e, com essas informações, expressa sentimentos de amor, alegria, raiva, ressentimento, de acordo com os acontecimentos que a rodeiam. A criança surda também capta as mesmas informações, mas expressa-se de maneira diferente.
    14. 15. O surdo <ul><li>dificuldade em concentrar a atenção </li></ul><ul><li>vocabulário restrito e dificuldade em adquirir novo vocabulário </li></ul><ul><li>linguagem oral estereotipada </li></ul><ul><li>necessidade de recorrer a gestos , mímica ou outros meios de expressão para exprimir as suas emoções em situações comunicativas </li></ul><ul><li>Identificação dos sons é feita com ajuda do contexto (ex: associa o som aos cheiros) já que o aparelho apenas aumenta o volume dos sons </li></ul>
    15. 16. <ul><li>Os sons, sendo vibrações são sentidos pelos órgãos táteis (a pele). Enquanto o ouvido pode selecionar os sons que lhe interessam, o tato recebe todas as vibrações de modo imperfeito, todas ao mesmo tempo criando uma amálgama confusa. Quanto maior o ruído maior a dificuldade de concentração do surdo. </li></ul>O que podemos fazer para ajudar?
    16. 17. <ul><li>Manter um nível mínimo de ruído durante as aulas é indispensável! S erá bom para o Pedro mas todos tirarão proveito desta situação </li></ul>
    17. 18. Falar de frente para o Pedro em local bem iluminado, articulando as palavras correta e calmamente, de modo que este possa fazer leitura orofacial.
    18. 19. <ul><li>Certifica-te de que o Pedro olha para ti quando lhe quiseres dizer alguma coisa, evita gritar, chama-o pelo nome ou toca-lhe. </li></ul><ul><li>Ajuda-o explicando por outras palavras quando este não perceba o que lhe queres dizer, se possível mostra-lhe uma imagem ou o objeto a que te referes. </li></ul>
    19. 20. <ul><li>Procura aprender o alfabeto manual de modo a poder ajudá-lo quando este apresenta dificuldade de compreensão ou na escrita de palavras. </li></ul>
    20. 21. E, lembra-te… … é porque somos diferentes que nos podemos enriquecer uns aos outros, uns com os outros.

    ×