O slideshow foi denunciado.

Ruído em higiene e segurança no trabalho

465 visualizações

Publicada em

Slide sobre ambiente de trabalho e surdez

Publicada em: Saúde
  • Seja o primeiro a comentar

Ruído em higiene e segurança no trabalho

  1. 1. Ruído em Higiene e Segurança no Trabalho Apresentador: Lucas Vinícius dos Santos Assis
  2. 2. Resumo da apresentação ● Introdução - ambiente de trabalho e surdez ● O que causa a surdez? ● Som ou ruido: o que é e suas características ● Medindo o ruido do ambiente de trabalho ● Efeitos do ruído na audição do trabalhador ● Norma Regulamentadora nº 15 ● Equipamento de proteção individual
  3. 3. Introdução - Ambiente de trabalho e surdez [1] ● 10% das pessoas com mais de 65 anos tem sua comunicação comprometida graças à diminuição de sua capacidade de ouvir adequadamente; ● 50% dos trabalhadores com menos de 50 anos de idade são acometidos, devido a exposição a ruído e ou a outros agentes tóxicos para a audição, à diminuição da capacidade de ouvir adequadamente ● A diminuição da capacidade de audição é a doença ocupacional mais comum, pelo fato do ruído ser o agente nocivo presente em grande parte dos ambientes de trabalho.
  4. 4. O que causa a surdez? [1] ● Exposição a ruído ○ Pode acometer indivíduos fora do ambiente de trabalho, como moradores em áreas de tráfego intenso, da vizinhança de empresas. ○ Maioria dos casos responsáveis são as condições e ou o ambiente de trabalho. ○ Para provocar dados a audição é necessário que o trabalhador se exponha a níveis de ruído ou de pressão sonora elevada. ○ Diversos estudos que levaram à criação da NR 15 mostram que a aexposição a ruído com valores acimas de 85 decibéis é lesivo ao ouvido humano. ● Outras causas ○ Solventes, metais e gases ○ Medicamentos e doenças
  5. 5. Som ou ruído: o que é e suas características [1] ● Qualquer vibração em meio elástico, como o ár, recebe o nome de som ou ruído. ● Há uma segregação de ruído como um som indesejável e de som como uma sensação prazerosa de ser ouvida. Entretanto, prazeroso ou não podem causar danos ao ouvido se estiverem elevados. ● O som ou ruído tem duas principais características: ○ Intensidade: para o som é medida em decibéis e indica a quantidade de energia transmitida pela onda; ○ Frequência: indica o número de vibrações produzidas no meio de transporte da onda sonora por segundo.
  6. 6. Medindo o ruído do ambiente de trabalho [1] ● Informal: ○ O barulho do ambiente de trabalho interfere em conversas normais entre indivíduos, exigindo um aumento na intensidade da voz. ○ Relato de trabalhadores que estão há mais tempo no trabalho sobre possível diminuição em sua audição; ● Formalizado: ○ Utilizando equipamentos específicos que apresentam os valores em decibéis da energia sonora, como: medidores de pressão sonora (decibelímetro) e analisadores de frequência.
  7. 7. Efeitos do ruído na audição do trabalhador [1] ● Alteração na capacidade de audição dos indivíduos, devido à exposição a um ambiente de trabalho de elevado ruído sem condições de proteção adequada; ● Lesões muitas vezes irreversíveis com a medicina atual; ● Sintomas com o passar dos anos de exposição: ○ Dores de cabeça, tonturas, zumbido no ouvido e diminuição temporária da audição. ○ Dificuldade de ouvir sons agudos e de entendimento de palavras individuais ditas em um grupo de conversa com várias pessoas. ○ Dificuldade para ouvir de uma maneira geral, comprometendo a comunicação.
  8. 8. Norma Regulamentadora nº 15 [2] NR 15 - Atividades e operações insalubres 15.1 - São consideradas atividades ou operações insalubres as que se desenvolvem: 15.1.1 Acima dos limites de tolerância previstos nos Anexos nº 1, 2, 3, 5, 11 e 12. Anexo I - Limites de tolerância para ruído contínuo ou intermitente Anexo II - Limites de tolerância para ruídos de Impacto
  9. 9. NR 15 - Anexo I [2] Anexo I - Limites de tolerância para ruído contínuo ou intermitente. Quadro contendo os tempos de exposição.
  10. 10. Norma Regulamentadora 15 - Anexo I [2] Anexo I - Limites de tolerância para ruído contínuo ou intermitente ● Entende-se por Ruído Contínuo ou Intermitente, para os fins de aplicação de Limites de Tolerância, o ruído que não seja ruído de impacto. ● Os níveis de ruído contínuo ou intermitente devem ser medidos em decibéis (dB) com instrumento de nível de pressão sonora operando no circuito de compensação “A” e circuito de resposta lenta (SLOW). As leituras devem ser feitas próximas ao ouvido do trabalhador. ● Não é permitida exposição a níveis de ruído acima de 115 dB(A) para indivíduos que não estejam adequadamente protegidos.
  11. 11. Norma Regulamentadora 15 - Anexo I [2] Anexo I - Limites de tolerância para ruído contínuo ou intermitente ● Se durante a jornada de trabalho ocorrerem dois ou mais períodos de exposição a ruído de diferentes níveis, devem ser considerados seus efeitos combinados, de forma que, se a soma das seguintes frações exceder a unidade, a exposição estará acima do limite de tolerância: ○ (C1/T1) + (C2/T2) + (C3/T3) + ... + (CN/TN) ○ Na equação acima, Cn indica o tempo total que o trabalhador fica exposto a um nível de ruído específico, e Tn indica a máxima exposição diária permissível a este nível, segundo o Quadro em anexo.
  12. 12. Norma Regulamentadora 15 - Anexo I [2] Anexo I - Limites de tolerância para ruído contínuo ou intermitente ● As atividades ou operações que exponham os trabalhadores a níveis de ruído, contínuo ou intermitente, superiores a 115 dB(A), sem proteção adequada, oferecerão risco grave e iminente.
  13. 13. Norma Regulamentadora 15 - Anexo II [2] Anexo II - Limites de tolerância para ruídos de Impacto ● Entende-se por ruído de impacto aquele que apresenta picos de energia acústica de duração inferior a 1 (um) segundo, a intervalos superiores a 1 (um) segundo. ● Os níveis de impacto deverão ser avaliados em decibéis (dB), com medidor de nível de pressão sonora operando no circuito linear e circuito de resposta para impacto. As leituras devem ser feitas próximas ao ouvido do trabalhador. O limite de tolerância para ruído de impácto será de 130 dB (linear). Nos intervalos entre os picos, o ruído existente deverá ser avaliado como ruído contínuo.
  14. 14. Norma Regulamentadora 15 - Anexo II [2] Anexo II - Limites de tolerância para ruídos de Impacto ● Em caso de não se dispor de medidor do nível de pressão sonora com circuito de resposta para impacto, será válida a leitura feira no circuito de resposta rápida (FAST) e circuito de compensação “C”. Neste caso, o limite de tolerância será de 120 dB(C). ● As atividades ou operações que exponham os trabalhadores, sem proteção adequada, a níveis de ruído de impacto superiores a 140 dB (LINEAR), medidos no circuito de resposta para impacto, ou superiores a 130 dB(C), medidos no circuito de resposta rápida (FAST), oferecerão risco grave e iminente.
  15. 15. Equipamento de proteção individual [3] Protetores auditivos adaptáveis Protetores auditivos do tipo concha Protetores auditivos pré-moldados
  16. 16. Referências Bibliográficas [1] SANTOS, U. P. SANTOS, M. P. Cadernos de Saúde do Trabalhador. Exposição a ruído: efeitos na saúde e como prevení-los. Disponível em: <http://www.cerest.piracicaba.sp.gov. br/site/images/caderno7_ruido.pdf>. Acesso em: 2 fev. 2016. [2] NR 15 - Norma Regulamentadora 15. Atividades e Operações Insalubres. Disponível em: <http://www.guiatrabalhista.com.br/legislacao/nr/nr15.htm>. Acesso em: 2 fev. 2016. [3] Proteção auditiva 3M. Disponível em: <http://solutions.3m.com. br/wps/portal/3M/pt_BR/PPE_SafetySolutions_LA/Safety/Products/Endeca-Product-Catalog/? N=5023182+3294857441+8695826&rt=r3>. Acesso em: 2 fev. 2016.

×