Finanças Corporativas

Baker e Wurgler (2004)
A Catering Theory of Dividends
21/10/2013

LUCAS TIMM LIMA
PROGRAMA DE PÓS G...
21/10/2013

Lucas Timm Lima

SUMÁRIO

1. MODELO TEÓRICO
2. TESTES E RESULTADOS EMPÍRICOS
3. EXPLICAÇÕES ALTERNATIVAS
4. DI...
Lucas Timm Lima

21/10/2013

1. Modelo teórico
 Três premissas básicas:

1. Assume-se que os investidores tem demandas di...
Lucas Timm Lima

21/10/2013

4

1. Modelo teórico
 Considere uma firma com

ações em circulação. Quando t=1, essa empresa...
Lucas Timm Lima

21/10/2013

5

1. Modelo teórico
 Os investidores categóricos esperam uma distribuição de liquidação

di...
Lucas Timm Lima

21/10/2013

6

1. Modelo teórico
 A demanda de um grupo de investidores k é dada por:

 Sendo que o pre...
Lucas Timm Lima

21/10/2013

1. Modelo teórico
 O gestor precisa decidir o que maximizar: o preço da ação no curto prazo,...
Lucas Timm Lima

21/10/2013

8

1. Modelo teórico
 Para incorporar outros fatos sobre dividendos, como a persistência dos...
Lucas Timm Lima

21/10/2013

9

2. Testes e resultados empíricos
 Base de dados do COMPUSTAT, com alguns critérios para s...
A taxa de iniciação começa alta nos
primeiros anos, caindo bastante ao
final dos anos 60, voltando a subir no
meio da déca...
Existe uma diferença significativa entre
as razões valor de mercado-valor
contábil das empresas pagadoras e não
pagadoras ...
A segunda forma de medir o prêmio de
dividendos, Citizens Utilities, tem
algumas vantagens e desvantagens em
relação à var...
A quarta e última medida reflete as diferenças dos retornos futuros das firmas pagadoras e das não pagadoras de
dividendos...
A Figura 2 mostra que durante grande parte do tempo houve uma relação entre a existência de um prêmio de
dividendo e uma c...
O Painel A reporta os determinantes
das iniciações de dividendos.

A primeira regressão reflete a Figura 2
(slide anterior...
A Tabela VI mostra as diferenças entre os retornos futuros das pagadoras e não pagadoras (Painel A), bem como
os retornos ...
Lucas Timm Lima

21/10/2013

3. Explicações alternativas
 Robustez estatística: a Tabela VII do artigo inclui uma variáve...
Lucas Timm Lima

21/10/2013

3. Explicações alternativas
 Erros correlacionados (gestores e investidores) nas suas previs...
PTI: Iniciar

PTC: Continuar PTL: Novas listadas iniciarem

As quatro primeiras colunas são os resultados do primeiro está...
21/10/2013

Lucas Timm Lima

3. Explicações alternativas
 Problemas contratuais variáveis no tempo: A Tabela VII também m...
Lucas Timm Lima

21/10/2013

4. Discussão
 Os gestores são “espertos”?

 As evidências mostradas até agora mostram que p...
21/10/2013

Lucas Timm Lima

4. Discussão
 Os gestores estão atendendo as “emoções” dos investidores (sentiment)?

 Se o...
21/10/2013

Lucas Timm Lima

4. Discussão

O prêmio do dividendo (linha tracejada) e o desconto do fundo fechado (linha só...
Lucas Timm Lima

21/10/2013

5. Conclusão
 Nós propomos um modelo de dividendos que se baseia em relaxar a hipótese de ef...
21/10/2013

Lucas Timm Lima

5. Conclusão
 Ao buscar a fonte da demanda dos investidores por firmas pagadoras de dividend...
21/10/2013

Lucas Timm Lima

27

Finanças Corporativas

Obrigado!

LUCAS TIMM LIMA
PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM ADMINISTRA...
Baker e Wurgler (2004) - A catering theory of dividends
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Baker e Wurgler (2004) - A catering theory of dividends

306 visualizações

Publicada em

Publicada em: Economia e finanças
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
306
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Baker e Wurgler (2004) - A catering theory of dividends

  1. 1. Finanças Corporativas Baker e Wurgler (2004) A Catering Theory of Dividends 21/10/2013 LUCAS TIMM LIMA PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL
  2. 2. 21/10/2013 Lucas Timm Lima SUMÁRIO 1. MODELO TEÓRICO 2. TESTES E RESULTADOS EMPÍRICOS 3. EXPLICAÇÕES ALTERNATIVAS 4. DISCUSSÃO 5. CONCLUSÃO 2
  3. 3. Lucas Timm Lima 21/10/2013 1. Modelo teórico  Três premissas básicas: 1. Assume-se que os investidores tem demandas diferentes com relação a dividendos, o que talvez possa variar também com o tempo. 2. A arbitragem falha em prevenir que essas demandas dirijam os preços de empresas pagadoras de dividendos e não pagadoras. 3. Os gestores racionalmente atendem a demanda dos investidores: pagam dividendos quando os investidores pagam um prêmio nos preços das ações e não pagam dividendos quando os investidores preferem as empresas não pagadoras.  Ou seja, relaxa-se a condição de eficiência de mercado, levantada por Miller e Modigliani (1961) e a propensão a pagar dividendos depende do prêmio (ou desconto) nos preços das ações. 3
  4. 4. Lucas Timm Lima 21/10/2013 4 1. Modelo teórico  Considere uma firma com ações em circulação. Quando t=1, essa empresa distribui um valor de liquidação de por ação, onde o erro é normalmente distribuído e tem média zero.  Quando t=0, os gestores tem a opção de pagar um dividendo de diminui o valor de liquidação em por ação, o qual por ação, onde a taxa livre de risco é zero e c é o custo do trade-off entre dividendos e a política de investimentos da empresa.  Para Miller e Modigliani (1961) o c era igual a zero.  Há dois tipos de investidores: investidores categóricos e arbitradores. Ambos tem uma aversão ao risco absoluta constante.  Os investidores categóricos se importam se as firmas pagam ou não dividendos, por várias razões.  A expectativa dos investidores categóricos a respeito da distribuição de liquidação é irracional e eles não reconhecem o custo c dos dividendos. Assim, existe uma demanda desinformada.
  5. 5. Lucas Timm Lima 21/10/2013 5 1. Modelo teórico  Os investidores categóricos esperam uma distribuição de liquidação dividendos e das pagadoras de das não pagadoras. Para simplificar, assume-se que eles erram o valor da média, mas não erram a distribuição em torno dessa média.  Sua tolerância ao risco agregada, por período, é dada por  Tipicamente, seu resultado líquido faz com que e . fiquem em lados opostos de .  Já os arbitradores tem expectativas racionais a respeito da distribuição terminal, sabem o custo de longo prazo c e tem tolerância ao risco agregada de  Eles esperam uma distribuição terminal de . se a firma não pagar dividendos e se a firma tiver pago dividendos.  A aversão ao risco dos arbitradores é como limitamos a arbitragem e, assim explica-se porque a demanda desinformada dos investidores categóricos é que direciona os preços das ações.
  6. 6. Lucas Timm Lima 21/10/2013 6 1. Modelo teórico  A demanda de um grupo de investidores k é dada por:  Sendo que o preço das pagadoras de dividendos crescimento) e das não pagadoras (firmas em são dados por:  Dados os preços, o administrador decide se distribui dividendos. O gestor é neutro ao risco e preocupa-se com ambos o preço corrente da ação e o valor total das distribuições.  A única influência do gestor no valor distribuído é por meio do custo c.  Para o gestor, de longo prazo. é a medida do peso relativo do preço corrente da ação em relação ao valor
  7. 7. Lucas Timm Lima 21/10/2013 1. Modelo teórico  O gestor precisa decidir o que maximizar: o preço da ação no curto prazo, afetado pela demanda dos investidores categóricos; ou o valor fundamental de longo prazo, determinado pela política de investimentos.  Essa decisão depende do horizonte do gestor e do quanto realmente existe de trade-off entre esses dois objetivos. Logo, sua decisão está nos parâmetros c e .  Assim, o gestor decide pagar dividendos quando o prêmio do dividendo é positivo e excede o valor presente do custo de longo prazo que ele incorpora. Ou seja: Pagar vs Não pagar Impacto Impacto positivo Custo de longo negativo imediato no prazo que o imediato pelo gestor incorpora. preço ao trocar reconhecimento de categoria. de c pelos arbitradores. 7
  8. 8. Lucas Timm Lima 21/10/2013 8 1. Modelo teórico  Para incorporar outros fatos sobre dividendos, como a persistência dos pagamentos, incluiu- se uma terceira categoria de ações no modelo, as “former payers”. Estas não tem nenhuma das características desejadas pelos investidores categóricos: não pagavam dividendos no passado e também não tiveram alto crescimento.  Assim, elas atraem apenas arbitradores e seu preço é: .  A decisão das firmas não pagadoras (em crescimento) de começar ou não a pagar dividendos ainda depende da equação (4), mas as empresas já pagadoras continuarão pagando dividendos quando: Continuar pagando vs Começar a pagar “former payers”  Continuar pode ser desejável, segundo (5), mesmo quando iniciar não é, conforme (4).  Isso ocorre quando ou c é pequeno e, além disso, e caem em lados opostos de .
  9. 9. Lucas Timm Lima 21/10/2013 9 2. Testes e resultados empíricos  Base de dados do COMPUSTAT, com alguns critérios para selecionar grandes empresas, do período de 1962 a 2000.  Primeiramente, foram usadas duas equações de séries temporais para identificar a quantidade de pagadoras e não pagadoras de dividendos e a sua evolução no tempo:  Após isso, foram criadas três variáveis para capturar a dinâmica dos pagamentos: Fração de não pagadoras sobreviventes que se tornam pagadoras. Fração de pagadoras sobreviventes que continuam pagando. Taxa de novas empresas na amostra que pagam dividendos.  Essas variáveis captam a decisão de pagar dividendos, mas não o quanto pagar.
  10. 10. A taxa de iniciação começa alta nos primeiros anos, caindo bastante ao final dos anos 60, voltando a subir no meio da década de 70 e caindo novamente ao final dessa mesma década, permanecendo baixa desde então. A taxa de continuidade varia menos, conforme é esperado. A taxa de novas listadas pagadoras (listplay) é a que mais varia, tendo reduzido nos últimos anos em comparação aos iniciais.
  11. 11. Existe uma diferença significativa entre as razões valor de mercado-valor contábil das empresas pagadoras e não pagadoras em pequenas frequências. As pagadoras atuaram com desconto nas últimas duas décadas do período estudado.
  12. 12. A segunda forma de medir o prêmio de dividendos, Citizens Utilities, tem algumas vantagens e desvantagens em relação à variável valor de mercadovalor contábil. A terceira variável é efeito médio do anúncio de pagamento.
  13. 13. A quarta e última medida reflete as diferenças dos retornos futuros das firmas pagadoras e das não pagadoras de dividendos. Se os gestores exploram o erro de precificação dos mercados, então eles iniciam o pagamento de dividendos e, assim a iniciação deveria ser seguida de baixos retornos das pagadoras de dividendos (em relação às não pagadoras). As correlações negativas evidenciam esse acontecimento. Obs.: A tabela também mostra autocorrelação e o teste de raiz unitária.
  14. 14. A Figura 2 mostra que durante grande parte do tempo houve uma relação entre a existência de um prêmio de dividendo e uma consequente iniciação do pagamento de dividendos, consistente com a equação (4). Porém, mais recentemente essa sequência parece ter se “quebrado”, o que será examinado mais detalhadamente a partir da próxima equação: Onde é o prêmio do dividendo (market), A é o efeito médio do anúncio de iniciação e de dividendo medido por Citizens Utilities. é o prêmio
  15. 15. O Painel A reporta os determinantes das iniciações de dividendos. A primeira regressão reflete a Figura 2 (slide anterior). A segunda regressão mostra que o efeito do prêmio do dividendo “equal-weighted” é o mesmo. As demais regressões utilizam outras variáveis e a última é multivariada. O Painel B faz o mesmo para a taxa de continuação e o Painel C para a taxa de iniciação para novas empresas da amostra.
  16. 16. A Tabela VI mostra as diferenças entre os retornos futuros das pagadoras e não pagadoras (Painel A), bem como os retornos de cada grupo (Painéis B e C). São examinados os retornos do primeiro, segundo e terceiro anos, além do resultado acumulado. Os resultados mostram que as empresas que iniciam o pagamento de dividendos e as que continuam, além das novas empresas da amostra que pagam dividendos, tem resultados inferiores nos anos subsequentes. Além disso, verifica-se que os sinais das pagadoras são negativos (Painel B) e os das não pagadoras são positivos (Painel C), conforme esperado.
  17. 17. Lucas Timm Lima 21/10/2013 3. Explicações alternativas  Robustez estatística: a Tabela VII do artigo inclui uma variável trend (anos) para checar se a significância estatística do prêmio do dividendo permanece, o que foi confirmado. Também foram feitos alguns outros testes, como a inclusão do efeito do anúncio de iniciação, que se mostrou positivo com uma trend.  Oportunidades de investimento variáveis no tempo: As empresas poderiam começar a pagar dividendos simplesmente porque estão com poucas oportunidades de investimento, por exemplo. No entanto, ao se controlar para o nível de oportunidades de investimento, em algumas regressões ela assume o sinal oposto ao esperado, além de não eliminar a significância do prêmio do dividendo.  Outra questão é se as oportunidades de investimento variáveis no tempo estão relacionadas com o nível de dividendos pagos, ao invés da decisão de pagar ou não. Porém, realizando os testes com dividend yield viu-se que o prêmio do dividendo se torna ainda mais significativo, confirmando a robustez dos resultados. 18
  18. 18. Lucas Timm Lima 21/10/2013 3. Explicações alternativas  Erros correlacionados (gestores e investidores) nas suas previsões.  Características variáveis no tempo: Outra possibilidade é que as medidas de demanda utilizadas são relacionadas à distribuição cross-sectional das características relevantes de dividendos dentro de cada grupo da amostra (pagadoras e não pagadoras).  Os autores examinam as características das firmas dentro de cada grupo da amostra conforme sugerido por Fama e French (2001), incluindo tamanho, oportunidades de investimento, crescimento e lucratividade.  São feitas estimações em dois estágios. No primeiro, estimam-se regressões logit com as variáveis mencionadas acima. No segundo, são regredidos os erros anuais de previsão, ou a “propensão a pagar” agregada, no prêmio de dividendo (value-weighted).  O prêmio do dividendo se mantém estatisticamente significativo, conforme pode ser visto na Tabela VIII (próximo slide). 19
  19. 19. PTI: Iniciar PTC: Continuar PTL: Novas listadas iniciarem As quatro primeiras colunas são os resultados do primeiro estágio. A última coluna é a regressão do segundo estágio, na qual o prêmio de dividendo se mantém estatisticamente significativo para quase todos os subgrupos. Obs.: Também foram realizados mais alguns testes de robustez, não reportados em tabelas no artigo.
  20. 20. 21/10/2013 Lucas Timm Lima 3. Explicações alternativas  Problemas contratuais variáveis no tempo: A Tabela VII também mostrou que a influência de seleção adversa (sinalização) não afeta os resultados do prêmio de dividendo, pois ao controlar-se para as oportunidades de investimento as regressões se mantiveram robustas.  Além disso, os autores também afirmam que os resultados mostrados em suas tabelas dificilmente poderiam ser explicados por problemas de agência (exigência de dividendos). 21
  21. 21. Lucas Timm Lima 21/10/2013 4. Discussão  Os gestores são “espertos”?  As evidências mostradas até agora mostram que parece existir, de fato, um “jogo” a partir do erro de precificação do mercado. No entanto, isso não quer dizer que os administradores são espertos no mesmo sentido do modelo teórico apresentado (conscientemente). Desta forma, os autores deixam essa distinção para um futuro trabalho.  Os gestores atendem a clientelas? Qual é a fonte da demanda variável no tempo?  Os argumentos teóricos indicam que se o prêmio de dividendo fosse dirigido por mudanças na estrutura das clientelas (racionais), ele deveria ter uma conexão mais próxima com o nível de dividendos do que com o número de firmas pagadoras. Porém, encontrou-se o oposto.  Também não foi possível relacionar o prêmio de dividendo com proxies naturais para clientelas ou comportamento do pagamento de dividendos, o que enfraquece essa visão.  Adicionalmente, não foram encontradas evidências significativas para custos de transação e para restrições de investimento como variáveis explicativas. 22
  22. 22. 21/10/2013 Lucas Timm Lima 4. Discussão  Os gestores estão atendendo as “emoções” dos investidores (sentiment)?  Se os gestores não estão atendendo a clientelas racionais, então demandas irracionais (sentiment) são a única possibilidade restante.  Apesar de ser um assunto relativamente novo, os autores buscam evidências de irracionalidade no comportamento dos investidores ao comparar o prêmio de dividendo com a existência de desconto em fundos fechados (closed-end). Posteriormente também usa-se os retornos futuros, que refletem os “sentimentos” de forma mais pura.  Os resultados fornecem suporte afirmativo para a hipótese de “sentimento” dos investidores (vide Figura 4, no próximo slide, e tabela IX do artigo). 23
  23. 23. 21/10/2013 Lucas Timm Lima 4. Discussão O prêmio do dividendo (linha tracejada) e o desconto do fundo fechado (linha sólida) apresentam certa correlação, o que não deveria acontecer baseado em um comportamento racional. 24
  24. 24. Lucas Timm Lima 21/10/2013 5. Conclusão  Nós propomos um modelo de dividendos que se baseia em relaxar a hipótese de eficiência de mercado assumida na prova da irrelevância dos dividendos (Miller e Modigliani).  A essência da Catering Theory é que os gestores dão aos investidores o que eles querem de fato. Ou seja, eles tendem a iniciar o pagamento de dividendos quando os investidores avaliam as ações das firmas pagadoras relativamente bem e, por outro lado, tendem a parar o pagamento de dividendos quando os investidores preferem firmas não pagadoras.  O trabalho empírico prevê que as taxas de iniciação e omissão de pagamento de dividendos se baseiam no prêmio do dividendo, que é a diferença entre os preços correntes das ações de firmas pagadoras e não pagadoras.  Após considerar explicações alternativas, catering parece ser a explicação mais plausível.  Os resultados sugerem que os dividendos são importantes na formação dos preços das ações, mas em diferentes direções em diferentes momentos.  Além disso, os gestores captam e atendem as mudanças na demanda dos investidores. 25
  25. 25. 21/10/2013 Lucas Timm Lima 5. Conclusão  Ao buscar a fonte da demanda dos investidores por firmas pagadoras de dividendos, a hipótese dos “sentimentos” (irracionalidade) parece a mais apropriada.  Os resultados limitam-se sobre a decisão de pagar ou não pagar dividendos, mas não entram na questão do nível de dividendos distribuídos. Uma vez que os pagamentos foram iniciados, o aumento ou a redução no seu nível parece estar mais associado à lucratividade da firma do que às avaliações dos investidores com respeito às pagadoras e não pagadoras. 26
  26. 26. 21/10/2013 Lucas Timm Lima 27 Finanças Corporativas Obrigado! LUCAS TIMM LIMA PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

×