A ciencia Geografia

7.044 visualizações

Publicada em

Texto que trata da geografia enquanto ciência

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.044
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
93
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A ciencia Geografia

  1. 1. Geografia A CIÊNCIA GEOGRÁFICA Prof. Jayro Agente de transformação da Sociedade Rios, mares, oceanos, florestas, países, capitais, planetas, pontos cardeais, latitude, longitude, planaltos, clima, poluição, mapas. Ufa! Tudo isso é geografia. E tem mais: a matéria também estuda o mundo, as guerras, os fenômenos da natureza, os movimentos sociais e políticos, a sociedade. Nos noticiários que assistimos, vimos guerras, tráfico de drogas, desastres ambientais. Novelas mostram metrópoles, pontos turísticos do país e do mundo, desigualdades sociais e artistas que, geralmente, representam a classe rica da sociedade em que vivemos. Como discernir tudo isso sem antes aprender geografia? A Geografia está em tudo que vivemos. Dificilmente, alguém que não a conhece entenderá o que acontece ao seu redor e no mundo. Então para assumirmos nosso papel de agente transformador dentro desta sociedade, para expressarmos com inteligência nossas opiniões, é preciso que conheçamos as razões e os porquês dos fatos e agirmos com consciência e determinação. Ser cidadão pleno em nossa época significa antes de tudo estar integrado criticamente na sociedade, participando ativamente de suas transformações. Para isso, devemos refletir buscando uma compreensão ampla do mundo, desde o local em que moramos, nosso bairro, nossa cidade, a região, o estado, nosso país, e o planeta como um todo. Observando a nossa cidade veremos que existem problemas que são comuns em todo o Brasil, como falta de moradia para população de baixa renda, redução das oportunidades de emprego, desmatamento, ocupação de áreas de preservação ambiental, saturação do aterro sanitário, invasões e ocupações de terras. Os problemas sociais da América Latina. No continente europeu, os conflitos envolvendo os diversos grupos étnicos (Iugoslávia, desmembrada em várias nações ), no Oriente Médio , a questão da Palestina, envolvendo árabes e Judeus, na Ásia a invasão americana do Iraque, a disputa da região da Caxemira entre Índia e Paquistão, as relações comerciais com a China e seus 1,3 bilhão de habitantes. No Brasil, a economia vai bem, a política nem tanto, o relacionamento do Brasil com seus parceiros do Mercosul. Além disso, com a globalização da economia, os problemas ambientais também se globalizaram. O mundo todo despertando interesse pela região amazônica. Diante destas questões, é que a Geografia torna-se uma importante ferramenta para reflexão, compreensão dos fatos naturais e aqueles provocados pelo homem no espaço em que est á inserido. É a Geografia uma ciência que nos permite ser um agente de transformação da sociedade a partir da compreensão da realidade em que vivemos. DEFINIÇÃO Geografia é uma palavra que tem origem na Grécia antiga, onde "geo" significa Terra e "graphos" significa escrever, portanto, Geografia é o estudo científico da superfície da Terra com o objetivo de descrever e analisar a variação espacial de fenômenos físicos, biológicos e humanos que acontecem na superfície do globo terrestre. Modernamente a Geografia é definida como o estudo das relações entre o espaço e as sociedades. Daí a necessidade, hoje experimentada pelo geógrafo, de recorrer a outras ciências como à Geologia, Oceanografia, Meteorologia, Ecologia, matemática, estatística, bem como também às Ciências Sociais, tais como a Economia, Sociologia, História e Política. A Geografia é o estudo do nosso próprio planeta enquanto morada da humanidade. Pois ela enfoca a organização da sociedade e nas suas relações com espaço físico, os diversos aspectos da natureza e da paisagem. 1
  2. 2. Geografia HISTÓRIA DA GEOGRAFIA A geografia surgiu na Antiga Grécia, sendo no começo chamada de história natural ou filosofia natural. Grande parte do mundo ocidental conhecido era dominada pelos gregos, em especial o leste do Mediterrâneo. Sempre interessados em descobrir novos territórios de domínio e atuação comercial, era fundamental que conhecessem o ambiente físico e os fenômenos naturais. No século IV a.C., os gregos observavam o planeta como um todo. Através de estudos filosóficos e observações astronômicas, Aristóteles foi o primeiro a receber crédito ao conceituar a Terra como uma esfera. Em sua especulação sobre o formato da Terra, Strabo acabou escrevendo uma obra de 17 volumes, 'Geographicae', onde descrevia suas próprias experiências do mundo - da Galícia e Bretanha para a Índia, e do Mar Negro à Etiópia. Apesar de alguns erros e omissões em sua obra, Strabo acabou tornando -se o pai de geografia regional. Os gregos deixaram para as futuras gerações escritos que contavam a sua vivência geográfica. Estudos feitos acerca do rio Nilo, no Egito, detalhavam, entre outras coisas, seu período de cheia anual. Com o colapso do Império Romano, os grandes herdeiros da geografia grega foram os árabes. Muitos trabalhos foram traduzidos do grego para o árabe. Ocorreram, no entanto, a partir daí, algumas regressões: após o ano de 900 d.C., as indicações de latitude e longitude já não apareciam mais nos mapas. Os árabes acabaram recuperando e aprofundando o estudo da geografia, e já no século XII, Al-Idrisi apresentaria um sofisticado sistema de classificação climática. Em suas viagens à África e à Ásia, outro explorador árabe, Ibn Battuta, encontrou a evidência concreta de que, ao contrário do que afirmara Aristóteles, as regiões quentes do mundo eram perfeitamente habitáveis. Já no século XV, viajantes como Bartolomeu Dias e Cristóvão Colombo redescobririam o interess e pela exploração, pela descrição geográfica e pelo mapeamento. A confirmação do formato global da Terra veio quinze anos mais tarde, em uma viagem de circunavegação realizada pelo navegador português Fernando Magalhães, permitindo uma maior precisão das medidas e observações. Ainda que a Geografia possua uma gênese grega, e que dela tenham resultado os primeiros estudos geográficos, sua verdadeira gênese como ciência ocorreu na Alemanha do século XIX, à luz dos trabalhos de Alexander von Humboldt e Karl Ritter. Somente após a brilhante contribuição desses grandes mestres, a Geografia pôde estabelecer-se sobre bases científicas verdadeiras, deixando de ser uma simples descrição do planeta para transformar-se em uma ciência, fundamentada na busca pelas relações entre natureza e sociedade, suas causas e consequências. AS CORRENTES DE PENSAMENTO GEOGRÁFICO A evolução do pensamento geográfico ao longo da história evidenciou o aparecimento de linhas de raciocínio distintas entre si. Estas diferentes formas de se pensar a geografia originaram o surgimento das seguintes escolas: A) Determinismo Ambiental – O determinismo ambiental surge na Alemanha no final do século XIX quando a geografia torna-se, neste país, uma disciplina acadêmica. Seus principais defensores o geógrafo alemão Frederic Ratzel e sua discípula Ellem Semple afirmavam que as condições naturais, especialmente as climáticas, e dentro delas a variação de temperatura ao longo das estações do ano, determinam o comportamento do homem, interferindo na sua capacidade de progredir. Cresceriam aqueles países ou povos que estivessem localizados em áreas climáticas mais propícias. B) Possibilismo – Em reação ao determinismo ambiental surge, na França, no final do século XIX um outro paradigma da geografia, o possibilismo. À semelhança do determinismo ambiental, a v isão possibilista, que teve como principal divulgador e mestre Vidal de La Blache, focaliza as relações homem natureza, 2
  3. 3. Geografia mas não o faz considerando a natureza determinante do comportamento humano. Para os possibilistas, os homens podem modificar a natureza de acordo com as suas necessidades. C) Método Regional – O método regional consiste no terceiro paradigma da geografia, opondo-se ao determinismo ambiental e ao possibilismo. Esta escola ganha força apenas a partir dos anos 40 nos Estados Unidos. Principal autor desta corrente de pensamento, o geógrafo norte-americano Richard Hartshorne, defendia que a superfície terrestre era muito heterogênea e com isso evidenciava -se a necessidade de se produzir uma geografia regional. D) Nova geografia – Na década de 60 surge simultaneamente na Inglaterra e na Suécia a Nova geografia também chamada de teorética, pragmática ou quantitativa. Este paradigma incorpora métodos matemáticos e estatísticos na busca pela compreensão do espaço, utilizando-os como ferramenta para o planejamento dos estados capitalistas, em virtude das novas dinâmicas geopolíticas e geoeconômicas inauguradas no pós-guerra. E) Geografia Crítica – Surgida nos anos 70 e 80 em virtude das novas circunstâncias que passam a caracterizar o capitalismo, a geografia critica é calcada no materialismo histórico e na dialética marxista. Este paradigma passa a questionar as desigualdades econômicas em todas as escalas (mundial, regional e entre indiv íduos), compreendendo-as como um produto da expansão do capitalismo. A relação sociedade natureza é repensada à luz do Marxismo. Surgem as discussões a cerca da degradação do meio ambiente. Seus principais autores são o francês Yves Lacoste e o brasileiro Milton Santos. SUJEITO E OBJETO DA CIÊNCIA GEOGRÁFICA O campo de preocupações da Geografia é o espaço da sociedade humana, onde vivem homens e mulheres e, ao mesmo tempo, produzem modificações neste espaço, que esta em permanente (re) construção. Indústrias, cidades, agricultura, rios, solos, climas, populações e muitos outros elementos constituem o espaço geográfico, isto é, o meio ou a realidade material onde a humanidade vive. Tudo neste espaço depende da natureza e do ser humano. A natureza é a fonte primeira de todo o mundo real. A água, a madeira, o petróleo, o ferro, o cimento, e todas as outras coisas existentes, nada mais são do que aspectos da natureza. Mas a ação do homem, reelabora, transforma os elementos naturais e o meio ambiente ao fabricar os plásticos a partir do petróleo, ao represar rios e construir usinas hidrelétricas, ao aterrar mangues edificar cidades, ao inventar meios de transportes e comunicações para encurtar as distâncias. Assim, o espaço geográfico, não é apenas o local de morada da sociedade humana, mas principalmente por uma realidade que a cada momento é transformada pela ação do homem. AS CATEGORIAS GEOGRÁFICAS A Geografia usa conceitos-chave como instrumentos de análise científica do espaço: Território: Conceito ligado ao poder, dominação e conquista. O território é todo espaço definido e delimitado por e a partir de relações de poder, podendo ser contíguo ou fragmentado, variando, por exemplo, de um quarteirão dominado por uma quadrilha de traficantes ou um País constituído de unidades federativas ou um bloco constituído por vários países membros (blocos econômicos). Região: É uma porção do espaço, mutável, de dimensão variável e passível de ser indiv idualizada através de critérios naturais e/ou socioeconômicos. 3
  4. 4. Geografia Paisagem: É uma porção do espaço compreendida com base no horizonte visual do indiv íduo, ou seja, tudo que é possível de se ver num lance de vista.. A paisagem é composta por elementos concretos e visíveis (relevo, vegetação etc.) e por elementos abstratos que podem ser percebidos a partir de uma visão geográfica mais aprofundada (Segregação Espacial, Dinâmicas Sociais, etc.). A paisagem é, portanto, composta de elementos naturais e humanizados. Paisagem natural – é a paisagem sem a ação modificadora do homem. Paisagem cultural – é modelada a partir de uma paisagem natural por meio de um grupo cultural. A cultura é o agente, a área natural é o meio e a paisagem cultural é o resultado. Lugar: O lugar pode ser definido como a porção do espaço apreendida a partir da experiência p essoal de cada indiv íduo. É o espaço viv ido, pensado, sentido, apropriado. O lugar pode ser analisado pela tríade: habitante-identidade-lugar. O “não lugar” são áreas de passagem, como aeroportos, estradas, supermercados, local de trabalho etc., não existindo uma relação ou mesmo uma identidade com o indiv iduo. Espaço: Corresponde ao resultado da ação humana sobre a natureza. O espaço geográfico ou simplesmente espaço, É construído pela sociedade quando esta imprime na paisagem as marcas de sua atuação e organização social. Outros conceitos de Espaço Geográfico: “Espaço geográfico é a união dos elementos físicos e culturais da paisagem” (Prof. Roberto Lobato) “Espaço geográfico é a natureza socializada, pois, muitos fenômenos apresentados como se fossem naturais, são, de fato, sociais” (Prof. Milton Santos) “O espaço é formado por elementos naturais ou artificiais construídos pelo homem, ou seja, a interrelação existente entre sociedade e natureza delimitada numa porção da superfície terrestre.” (Prof. Humberto Catuzzo) EXERCÍCIO 1. Atente para o texto: “A Geografia hoje se propõe a algo mais que descrever paisagens, pois a simples descrição não nos fornece elementos suficientes para uma compreensão global daquilo que pretendemos conhecer geograficamente. As paisagens que vemos são as manifestações fís icas das sociedades que as constituíram.” (Geografia, Ciência do Espaço. Diamantino Pereira et allii – Edit. Atual) O que expressa o texto vale: a) b) c) d) apenas para as paisagens naturais. para qualquer espaço em que haja o trabalho humano. somente para espaços urbanizados. exclusivamente para onde haja obras de engenharia civ il. 2. Estudar geograficamente o mundo é essencialmente: a) verificar as diferenciações de áreas, a partir da relação do homem com a natureza. 4
  5. 5. Geografia b) mapear e localizar as regiões, países e cidades. c) investigar a dinâmica física que está por trás das paisagens ou formas espaciais. d) estudar as condições naturais, especialmente o clima, que determina o comportamento do homem, interferindo na sua capacidade de progredir. 3. Referindo-se às manifestações geográficas decorrentes dos novos progressos, Milton Santos revela “A diferença, ante as formas anteriores do meio geográfico, vem da lógica global que acaba por se impor a todos os territórios e a cada território como um todo. (...) O meio geográfico tende a ser universal. Mesmo onde se manifesta pontualmente, [o meio geográfico] ele assegura o funcionamento dos processos encadeados a que se está chamando de globalização.” SANTOS, Milton. A natureza do espaço. São Paulo: Hucitec, 1996. Na perspectiva teórica acima, o autor considera que estamos diante de um meio geográfico que representa a produção de algo novo, ao privilegiar a interação entre a) natureza e trabalho. b) técnica e natureza. c) sociedade e história. d) ciência, natureza e redes sociais. e) técnica, ciência e informação. 4. “O agricultor que tem acesso ao conhecimento do solo, de plantas, de animais, de máquinas, de fertilizantes, de irrigação e de muitas outras técnicas agrícolas pode produzir alimentos em abundância, mesmo que a terra seja pobre.” O texto reflete o pensamento da Escola Geográfica: a) Determinista d) Renovada b) Humanista e) Capitalista c) Possibilista 5. “O homem não pode ser estudado cientificamente desligado da terra que cultiva, das regiões que percorre, dos mares que navega, como o urso polar e o cacto não podem ser compreendidos sem se ter em conta seu habitat.” Quanto às concepções geográficas, pode-se afirmar que o texto acima é típico da: a) Escola Renovadora b) Geografia Pragmática c) Escola Alemã d) Escola Francesa e) Geografia Comportamental 6. Considerando-se o homem como sujeito e objeto do estudo da ciência geográfica, é correto afirmar a) O homem não pode ser qualificado como o elemento mais importante na construção do espaço geográfico. b) O homem se apropria da natureza e, ao fazer isso, ele a modifica e constrói o que vem a ser considerado espaço geográfico. c) A paisagem geográfica já existe mesmo antes de o homem nascer, sendo irrelevante, portanto, considerar a sua atuação na construção do espaço geográfico. d) O principal papel do homem é construir a natureza, tornando-se, assim, o elemento mais importante na organização do espaço geográfico. 5
  6. 6. Geografia e) No sentido geográfico, o homem é mais importante que a natureza, sendo desnecessário para a Geografia estudar a paisagem natural. 7. A história da Geografia, como de todas as ciências particulares, passou por fases determinadas pelo pensamento de eminentes geógrafos. Desse modo, podemos afirmar a) A Geografia só teve dois momentos: o do Determinismo e o do Positiv ismo. b) Hoje predominam os trabalhos de geógrafos mais ligados ao pensamento Lablachiano. c) No último pós-guerra, ficou a Geografia reduzida às postulações da Geografia quantitativa, um ramos da Geografia pragmática. d) Na atualidade, as propostas da Geografia crítica, como instrumento de libertação do homem, opõem-se às postulações da Geografia pragmática e às da Geografia tradicional. 8. “A partir do momento em que o homem começou a modificar a natureza, plantando e colhendo, criando animais, erguendo construções, o planeta deixou de ser apenas uma paisagem natural para se transformar em espaço geográfico: um espaço humanizado”. (Igor Moreira – O espaço geográfico – p.9) Com base no transcrito acima, é correto afirmar que a) O espaço geográfico é a natureza modificada pelo homem, através de seu trabalho, portanto, um produto histórico e social. b) O espaço geográfico não pode ser considerado humanizado, uma vez que nele se estabelecem lutas, conflitos e desigualdades. c) As sociedades indígenas não produzem Espaço geográfico, uma vez que convivem em harmonia com a natureza. d) O espaço geográfico é definido como sendo a adaptação do homem ao meio natural, visto que a ação humana está limitada pelas condições climáticas. e) Algumas áreas da superfície terrestre como: Antártida, Amazônia, e os grandes desertos permanecerão como espaços naturais devido à impossibilidade de transforma-los. 9. “É qualquer porção da superfície terrestre apropriada por grupos humanos que, estabelece ndo suas fronteiras ou limites, exercem relação ou prática de poder no espaço.” O texto acima apresenta a definição de qual Categoria Geográfica? a) b) c) d) e) Paisagem. Lugar. Território. Região. Nação. 10. RIO DA BARRA (Zé Marcolino) “Oh, Deus me manda Pr’aquela terrinha Que ela é só minha Quero pra mim só ... Rio da Barra, vejo ele de cá Pareço estar lá na imaginação Eu amo tanto aquele lugarejo 6
  7. 7. Geografia Fecho os olhos e vejo na recordação.” Fonte: CD Pedra de Amolar, da obra de Zé Marcolino. Memorial Musical da Paraíba. V.2. Campina GrandePB: Prosound Estúdio, dez/2003 – mar/2004. Os termos terrinha e lugarejo, na composição do poeta paraibano Zé Marcolino, têm o sentido geográfico de a) PAISAGEM, espaço delimitado pelo alcance visual, constituído de elementos materia is e culturais. b) TERRITÓRIO, espaço delimitado e definido pelas relações de poder, apropriado e ocupado por grupos sociais. c) LUGAR, pois estão revestidos da ideia de espaço vivido, no qual as relações cotidianas, as ideias de pertencimento e identidade estão presentes. d) REGIÃO, espaço no qual o domínio de determinadas características o distingue das demais áreas. e) ESPAÇO, pois se refere ao produto das ações humanas na interação com o meio. 11. “O tratamento dos aspectos físicos do planeta ou, como querem alguns, do quadro natural, não faz da geografia e nem da geografia física uma ciência natural, biológica ou da terra; ela é, acima de tudo, uma ciência do espaço e é aí que encontramos sua característica fundamental. Enquanto div isão geral das ciências, ela se encontra indubitavelmente entre as ciências humanas e é ali o seu lugar correto, haja vista possuir como objetivo primeiro o estudo do jogo de influências entre sociedade e natureza na organização do espaço.” (MENDONÇA, Francisco. Geografia Física: Ciência Humana? Ed. Contexto, 1989) Após a leitura do texto, pode-se afirmar que o autor: a) considera que a Geografia, por ser uma ciência do espaço, não mantém relações com as ciências naturais, que se dedicam ao estudo da estruturação natural das paisagens. b) defende que a Geografia é uma ciência humana, mas, mesmo assim, não pode ser considerada uma ciência social porque também estuda a estruturação do quadro natural. c) só considera como análise geográfica a interpretação das interferências do quadro natural sobre a produção do espaço geográfico. d) defende que o objetivo central da ciência geográfica é a análise da produção do espaço a partir das relações entre a sociedade e o meio natural. e) concorda com o fato de que a Geografia é apenas uma disciplina e não uma ciência natural, biológica ou da Terra. 12. Vamos supor que um determinado pesquisador escreveu o seguinte texto sobre a Amazônia brasileira. “A Amazônia brasileira, uma das principais regiões do País, está fadada ao subdesenvolvimento. O distanciamento físico entre ela e as demais regiões e as condições naturais extremamente adversas impedem ou dificultam consideravelmente qualquer tentativa governamental de promover o crescimento econômico regional. É praticamente impossível pensar em desenvolvimento num espaço geográfico caracterizado por um clima com elevadas temperaturas médias mensais, uma umidade relativa do ar excessiva e solos bastante lix iviados.” 7
  8. 8. Geografia Esse pesquisador está defendendo ideais que podem ser considerados como nitidamente: a) marxistas. b) possibilistas. c) neoliberais. d) neomalthusianos. e) deterministas. 13. Um dos conceitos mais importantes no estudo da Geografia é o do espaço geográfico. Qual das alternativas abaixo é a que melhor o caracteriza? a) O espaço geográfico é sinônimo de espaço natural, portanto podemos utilizar indistintamente qualquer um desses dois termos para nos referirmos ao objeto de estudo da geografia. b) O conceito de espaço geográfico tem como fundamento a noção da transformação de um espaço natura l pela ação dos grupos humanos. c) O espaço natural nunca poderá se transformar em espaço geográfico, pois são dois conceitos absolutamente distintos entre si. d) O conceito de espaço geográfico abrange somente as características que se relacionam com os a spectos da natureza. e) O espaço geográfico deve considerar em sua conceituação todos os elementos do quadro natural, independentemente da ação humana em sua transformação. 14. De acordo com a composição “Triste Partida” de Patativa do Assaré, nas estrofes que dizem No topo da serra Oiando pra terra Seu berço, seu lar [...] Aquele nortista Partido de pena De longe acena Adeus meu lugar... A categoria geográfica “lugar” que aparece no fragmento do texto está empregada a) com o sentido de paisagem, pois é do topo da serra que o retirante delimita visualmente o que ele denomina como o seu lugar. b) erroneamente porque ninguém pode ter o sentimento de identidade e de pertencimento a uma terra inóspita que só lhe causa sofrimento. O lugar é para cada pessoa o espaço onde consegue se reproduzir economicamente. c) com o sentido de território, pois trata-se de um espaço apropriado pelo fazendeiro, o qual exerce sobre o mesmo uma relação de poder. d) corretamente porque está impregnada de emoções e de afetividade. Há uma identidade de pertencimento para com esta parcela d espaço. e) com conotação de região natural, pois trata-se do Sertão nordestino de abrangência do clima semiárido de chuvas escassas e irregulares e da presença da vegetação de caatinga. 8
  9. 9. Geografia 15. Leia o fragmento da música, e assinale a opção VERDADEIRA referente à categoria geográfica utilizada: SAMBA DO AVIÃO Composição: Antônio Carlos Jobim Eparrê Aroeira beira de mar [...] Vejo o Rio de Janeiro Estou morrendo de saudades Rio, seu mar Praia sem fim [...] Este samba é só porque Rio, eu gosto de você A morena vai sambar Seu corpo todo balançar [...] Aperte o cinto, vamos chegar Água brilhando, olha a pista chegando E vamos nós Pousar... a). CARTOGRAFIA, o trecho da música citada mostra aspectos visuais do espaço geográfico que podemos representar em mapas. b). ESPAÇO GEOGRAFICO, pois a composição mostra aspectos do Universo que v ivemos, ou seja, nosso Espaço Sideral. c). REGIÃO, os recortes espaciais abordados na canção trazem implícitos a ideia de particularidade e agrupa elementos semelhantes entre si. d). LUGAR, pois remete a ideia de espaço vivido e conhecido, pode-se dizer que é com este sentido afetivo que o autor se refere à sua terra. e). TERRITÓRIO, pois na composição, o autor aborda as territorialidades disputadas por grupos sociais diferentes. 9

×