SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 2
Keynesiana, Doutrina, conjunto de ideias que propunham a intervenção estatal na
vida económica com o objectivo de conduzir a um regime de pleno emprego. As teorias de
John Maynard Keynes tiveram enorme influência na renovação das teorias clássicas e na
reformulação da política de livre mercado. Acreditava que a economia seguiria o caminho
do pleno emprego, sendo o desemprego uma situação temporária que desapareceria graças
às forças do mercado.
O objectivo do keynesianismo era manter o crescimento da demanda em paridade
com o aumento da capacidade produtiva da economia, de forma suficiente para garantir o
pleno emprego, mas sem excesso, pois isto provocaria um aumento da inflação. Na década
de 1970 o keynesianismo sofreu severa crítica por parte de uma nova doutrina económica: o
monetarismo. Em quase todos os países industrializados o pleno emprego e o nível de vida
crescente alcançados nos 25 anos posteriores à II Guerra Mundial foram seguidos pela
inflação. Os keynesianos admitiram que seria difícil conciliar o pleno emprego e o controle
da inflação, considerando, sobretudo, as negociações dos sindicatos com os empresários por
aumentos salariais. Por esta razão, foram tomadas medidas que evitassem o crescimento
dos salários e preços, mas a partir da década de 1960 os índices de inflação foram
acelerados de forma alarmante.
A partir do final da década de 1970, os economistas têm adoptado argumentos
monetaristas em detrimento daqueles propostos pela doutrina keynesiana; mas as recessões,
em escala mundial, das décadas de 1980 e 1990 reflectem os postulados da política
económica de John Maynard Keynes.
Keynes, John Maynard (1883-1946), economista britânico. Em 1930, escreveu o
Tratado sobre o dinheiro, procurando explicar por que a
economia funciona de forma irregular, enfrentando
alterações nos ciclos económicos. Em sua obra A teoria
geral do emprego, lucro e moeda (1936), analisou os
problemas relativos às grandes recessões, sustentando a
inexistência de mecanismos de ajuste automático que
permitam à economia recuperar-se delas. Afirmava que a
poupança não investida prolonga a estagnação económica e que o investimento das
empresas comerciais depende da criação de novos mercados, de novos avanços técnicos e
de outras variáveis independentes da taxa de juros ou da poupança. Dado que o
investimento empresarial flutua, não se pode esperar que este possa preservar um alto nível
de emprego e receitas estáveis; e propõe que o gasto público deve compensar o
investimento privado insuficiente durante uma recessão. Em 1944, dirigiu a delegação
britânica na Conferência de Bretton Woods, onde promoveu a criação do Banco
Internacional de Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD) e do Fundo Monetário
Internacional (FMI). Suas ideias influíram na criação de uma nova escola de pensamento
denominada keynesianismo.
Monetarismo, teoria macro-económica que se ocupa de analisar a oferta monetária.
Identifica-se com uma interpretação da forma como a oferta de dinheiro afecta outras
variáveis, como os preços, a produção e o emprego, contrapondo-se ao keynesianismo.
A ‘teoria quantitativa do dinheiro’ de Irving Fisher prevaleceu no monetarismo
durante o século XX e formalizou-se em uma equação onde o nível geral de preços
equivalia à quantidade de dinheiro multiplicada por sua ‘velocidade de circulação’ e
dividida pelo volume de transações. Durante a década de 1970, analisava-se a demanda de
dinheiro dos indivíduos da mesma forma que a de qualquer outro bem, dependendo da
riqueza de cada indivíduo e do preço relativo do bem em questão.
O monetarismo analisa em conjunto a demanda total de dinheiro e a oferta monetária.
Os níveis desejados de saldos monetários reais tendem a variar com lentidão, enquanto a
mudança dos saldos nominal é instantânea e dependem da actuação das autoridades
monetárias. Esta afirmação implica que as variações dos preços ou as receitas nominais
respondem, obrigatoriamente, a alterações na oferta de dinheiro, o que constitui o ponto de
partida da tese de Milton Friedmam segundo a qual a inflação é apenas um fenómeno
monetário.
Conferência de Bretton Woods, Conferência Monetária e Financeira das Nações
Unidas, realizada em Bretton Woods, New Hampshire, em 1944. Nela, foram criados o
Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Banco Internacional de Reconstrução e
Desenvolvimento (BIRD).

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Economia – introdução às teorias da inflação
Economia – introdução às teorias da inflaçãoEconomia – introdução às teorias da inflação
Economia – introdução às teorias da inflação
Felipe Leo
 
Expectativas racionais e adaptadas
Expectativas racionais e adaptadasExpectativas racionais e adaptadas
Expectativas racionais e adaptadas
Filipe Simão Kembo
 
Economia aula 8 - o sistema is - lm e as políticas fiscal e monetária
Economia   aula 8 - o sistema is - lm e as políticas fiscal e monetáriaEconomia   aula 8 - o sistema is - lm e as políticas fiscal e monetária
Economia aula 8 - o sistema is - lm e as políticas fiscal e monetária
Felipe Leo
 
Economia aula 7 - a macroeconomia keynesiana
Economia   aula 7 - a macroeconomia keynesianaEconomia   aula 7 - a macroeconomia keynesiana
Economia aula 7 - a macroeconomia keynesiana
Felipe Leo
 
Economia – inflação e emprego
Economia – inflação e empregoEconomia – inflação e emprego
Economia – inflação e emprego
Felipe Leo
 
Economia – a economia intertemporal
Economia – a economia intertemporalEconomia – a economia intertemporal
Economia – a economia intertemporal
Felipe Leo
 
Economia – a economia intertemporal parte 3
Economia – a economia intertemporal parte 3Economia – a economia intertemporal parte 3
Economia – a economia intertemporal parte 3
Felipe Leo
 
Economia – aula 0 – a elasticidade e suas aplicações
Economia – aula 0 – a elasticidade e suas aplicaçõesEconomia – aula 0 – a elasticidade e suas aplicações
Economia – aula 0 – a elasticidade e suas aplicações
Felipe Leo
 
Microsoft Power Point Expectativas Racionais E InflaçãO
Microsoft Power Point   Expectativas Racionais E InflaçãOMicrosoft Power Point   Expectativas Racionais E InflaçãO
Microsoft Power Point Expectativas Racionais E InflaçãO
joseguilhermevieira
 
Resumo+de+macroeconomia
Resumo+de+macroeconomiaResumo+de+macroeconomia
Resumo+de+macroeconomia
bergerbird
 

Mais procurados (19)

Economia – introdução às teorias da inflação
Economia – introdução às teorias da inflaçãoEconomia – introdução às teorias da inflação
Economia – introdução às teorias da inflação
 
Exercício
 Exercício Exercício
Exercício
 
Expectativas racionais e adaptadas
Expectativas racionais e adaptadasExpectativas racionais e adaptadas
Expectativas racionais e adaptadas
 
Economia aula 8 - o sistema is - lm e as políticas fiscal e monetária
Economia   aula 8 - o sistema is - lm e as políticas fiscal e monetáriaEconomia   aula 8 - o sistema is - lm e as políticas fiscal e monetária
Economia aula 8 - o sistema is - lm e as políticas fiscal e monetária
 
Cap1 introdução 13_14_set
Cap1 introdução 13_14_setCap1 introdução 13_14_set
Cap1 introdução 13_14_set
 
Economia aula 7 - a macroeconomia keynesiana
Economia   aula 7 - a macroeconomia keynesianaEconomia   aula 7 - a macroeconomia keynesiana
Economia aula 7 - a macroeconomia keynesiana
 
09.02.2012 economia (4)
09.02.2012 economia (4)09.02.2012 economia (4)
09.02.2012 economia (4)
 
Economia – inflação e emprego
Economia – inflação e empregoEconomia – inflação e emprego
Economia – inflação e emprego
 
Finanças Públicas da República de Angola, Prof. Doutor Rui Teixeira Santos (I...
Finanças Públicas da República de Angola, Prof. Doutor Rui Teixeira Santos (I...Finanças Públicas da República de Angola, Prof. Doutor Rui Teixeira Santos (I...
Finanças Públicas da República de Angola, Prof. Doutor Rui Teixeira Santos (I...
 
Teoriakeynesiana
TeoriakeynesianaTeoriakeynesiana
Teoriakeynesiana
 
Ec 2 ad_a06
Ec 2 ad_a06Ec 2 ad_a06
Ec 2 ad_a06
 
Economia – a economia intertemporal
Economia – a economia intertemporalEconomia – a economia intertemporal
Economia – a economia intertemporal
 
Economia – a economia intertemporal parte 3
Economia – a economia intertemporal parte 3Economia – a economia intertemporal parte 3
Economia – a economia intertemporal parte 3
 
Economia – aula 0 – a elasticidade e suas aplicações
Economia – aula 0 – a elasticidade e suas aplicaçõesEconomia – aula 0 – a elasticidade e suas aplicações
Economia – aula 0 – a elasticidade e suas aplicações
 
Ec6
Ec6Ec6
Ec6
 
Microsoft Power Point Expectativas Racionais E InflaçãO
Microsoft Power Point   Expectativas Racionais E InflaçãOMicrosoft Power Point   Expectativas Racionais E InflaçãO
Microsoft Power Point Expectativas Racionais E InflaçãO
 
Resumo+de+macroeconomia
Resumo+de+macroeconomiaResumo+de+macroeconomia
Resumo+de+macroeconomia
 
Fundamentos da Economia - Slide do Primeiro Semestre COMPLETO
Fundamentos da Economia - Slide do Primeiro Semestre COMPLETOFundamentos da Economia - Slide do Primeiro Semestre COMPLETO
Fundamentos da Economia - Slide do Primeiro Semestre COMPLETO
 
Cap1 macro
Cap1 macroCap1 macro
Cap1 macro
 

Destaque

Grandes etapas da história da terra
Grandes etapas da história da terraGrandes etapas da história da terra
Grandes etapas da história da terra
Bárbara Pereira
 
História do pensamento econômico cap 1 - introdução e k hunt
História do pensamento econômico   cap 1 - introdução e k huntHistória do pensamento econômico   cap 1 - introdução e k hunt
História do pensamento econômico cap 1 - introdução e k hunt
Daniele Rubim
 
Liberalismo, Nacionalismo, Socialismo
Liberalismo, Nacionalismo, SocialismoLiberalismo, Nacionalismo, Socialismo
Liberalismo, Nacionalismo, Socialismo
histicasa
 
As Escolas: Mercantilista, Fisiocrata e Clássica
As Escolas: Mercantilista, Fisiocrata e ClássicaAs Escolas: Mercantilista, Fisiocrata e Clássica
As Escolas: Mercantilista, Fisiocrata e Clássica
economiadeuniversitario
 
Evolução do pensamento econômico
Evolução do pensamento econômicoEvolução do pensamento econômico
Evolução do pensamento econômico
André Dal Bello
 
Oceanos e continentes
Oceanos e continentesOceanos e continentes
Oceanos e continentes
IsildaMourato
 

Destaque (20)

Grandes etapas da história da terra
Grandes etapas da história da terraGrandes etapas da história da terra
Grandes etapas da história da terra
 
Assuntos importantes para estudos
Assuntos importantes para estudosAssuntos importantes para estudos
Assuntos importantes para estudos
 
História do pensamento econômico cap 1 - introdução e k hunt
História do pensamento econômico   cap 1 - introdução e k huntHistória do pensamento econômico   cap 1 - introdução e k hunt
História do pensamento econômico cap 1 - introdução e k hunt
 
7ª aula 09 04-2010
7ª aula 09 04-20107ª aula 09 04-2010
7ª aula 09 04-2010
 
Localização e orientação
Localização e orientaçãoLocalização e orientação
Localização e orientação
 
02 Economia - Pensamento Econômico
02 Economia - Pensamento Econômico02 Economia - Pensamento Econômico
02 Economia - Pensamento Econômico
 
introdução à história econômica para economistas
  introdução à história econômica para economistas  introdução à história econômica para economistas
introdução à história econômica para economistas
 
Aula 01 LocalizaçAo Caracteristica
Aula 01   LocalizaçAo CaracteristicaAula 01   LocalizaçAo Caracteristica
Aula 01 LocalizaçAo Caracteristica
 
Historia Do Pensamento Economico
Historia Do Pensamento EconomicoHistoria Do Pensamento Economico
Historia Do Pensamento Economico
 
Liberalismo, Nacionalismo, Socialismo
Liberalismo, Nacionalismo, SocialismoLiberalismo, Nacionalismo, Socialismo
Liberalismo, Nacionalismo, Socialismo
 
História do pensamento econômico da escola clássica, marxista, neoclássica e ...
História do pensamento econômico da escola clássica, marxista, neoclássica e ...História do pensamento econômico da escola clássica, marxista, neoclássica e ...
História do pensamento econômico da escola clássica, marxista, neoclássica e ...
 
Crise de 29
Crise de 29Crise de 29
Crise de 29
 
As Escolas: Mercantilista, Fisiocrata e Clássica
As Escolas: Mercantilista, Fisiocrata e ClássicaAs Escolas: Mercantilista, Fisiocrata e Clássica
As Escolas: Mercantilista, Fisiocrata e Clássica
 
Império Austro - Húngaro - Prof. Altair Aguilar
Império Austro - Húngaro - Prof. Altair AguilarImpério Austro - Húngaro - Prof. Altair Aguilar
Império Austro - Húngaro - Prof. Altair Aguilar
 
Evolução do pensamento econômico
Evolução do pensamento econômicoEvolução do pensamento econômico
Evolução do pensamento econômico
 
Liberalismo Económico E Capitalismo Financeiro
Liberalismo Económico E Capitalismo FinanceiroLiberalismo Económico E Capitalismo Financeiro
Liberalismo Económico E Capitalismo Financeiro
 
Capitalismo Financeiro
Capitalismo FinanceiroCapitalismo Financeiro
Capitalismo Financeiro
 
Oceanos e continentes
Oceanos e continentesOceanos e continentes
Oceanos e continentes
 
Liberalismo, socialismo, nacionalismo
Liberalismo, socialismo, nacionalismoLiberalismo, socialismo, nacionalismo
Liberalismo, socialismo, nacionalismo
 
Bem estar social apresentação
Bem estar social apresentaçãoBem estar social apresentação
Bem estar social apresentação
 

Semelhante a Keynesianismo

Cap3macro 110223114501-phpapp01
Cap3macro 110223114501-phpapp01Cap3macro 110223114501-phpapp01
Cap3macro 110223114501-phpapp01
Vanessa Alves
 
Síntese histórica da macroeconomia
Síntese histórica da macroeconomiaSíntese histórica da macroeconomia
Síntese histórica da macroeconomia
lucasjatem
 
A implantação do new deal
A implantação do new dealA implantação do new deal
A implantação do new deal
Igor Oliveira
 
Resumo Capitalismo
Resumo CapitalismoResumo Capitalismo
Resumo Capitalismo
CADUCOCMED
 
Gestão e economia
Gestão e economiaGestão e economia
Gestão e economia
cattonia
 
120420170231 snowdone vane_traducaolivre_revisada
120420170231 snowdone vane_traducaolivre_revisada120420170231 snowdone vane_traducaolivre_revisada
120420170231 snowdone vane_traducaolivre_revisada
Jefferson Fraga
 
Aula2 evolucao pensamento_economico
Aula2 evolucao pensamento_economicoAula2 evolucao pensamento_economico
Aula2 evolucao pensamento_economico
Vanessa Alves
 

Semelhante a Keynesianismo (20)

Curso de Gestão Bancária, I Módulo, Prof. Doutor Rui Teixeira Santos (ISCAD 2...
Curso de Gestão Bancária, I Módulo, Prof. Doutor Rui Teixeira Santos (ISCAD 2...Curso de Gestão Bancária, I Módulo, Prof. Doutor Rui Teixeira Santos (ISCAD 2...
Curso de Gestão Bancária, I Módulo, Prof. Doutor Rui Teixeira Santos (ISCAD 2...
 
Cap3macro 110223114501-phpapp01
Cap3macro 110223114501-phpapp01Cap3macro 110223114501-phpapp01
Cap3macro 110223114501-phpapp01
 
John keynes
John keynesJohn keynes
John keynes
 
8 RESUMO KEYNESIANAS E CLÁSSICA LIBERAL AULA 3 ECONOMIA POLITICA.pdf
8 RESUMO  KEYNESIANAS E CLÁSSICA LIBERAL AULA 3 ECONOMIA POLITICA.pdf8 RESUMO  KEYNESIANAS E CLÁSSICA LIBERAL AULA 3 ECONOMIA POLITICA.pdf
8 RESUMO KEYNESIANAS E CLÁSSICA LIBERAL AULA 3 ECONOMIA POLITICA.pdf
 
Neoliberalismo apresentação
Neoliberalismo apresentaçãoNeoliberalismo apresentação
Neoliberalismo apresentação
 
Neoliberalismo apresentação
Neoliberalismo apresentaçãoNeoliberalismo apresentação
Neoliberalismo apresentação
 
Síntese histórica da macroeconomia
Síntese histórica da macroeconomiaSíntese histórica da macroeconomia
Síntese histórica da macroeconomia
 
Capitalismo gerenciador de dinheiro e desigualdade de renda e riqueza: o caso...
Capitalismo gerenciador de dinheiro e desigualdade de renda e riqueza: o caso...Capitalismo gerenciador de dinheiro e desigualdade de renda e riqueza: o caso...
Capitalismo gerenciador de dinheiro e desigualdade de renda e riqueza: o caso...
 
A implantação do new deal
A implantação do new dealA implantação do new deal
A implantação do new deal
 
apppss.pptx
apppss.pptxapppss.pptx
apppss.pptx
 
Resumo Capitalismo
Resumo CapitalismoResumo Capitalismo
Resumo Capitalismo
 
AS CAUSAS DO CAOS NA ECONOMIA MUNDIAL E COMO ELIMINÁ-LAS.pdf
AS CAUSAS DO CAOS NA ECONOMIA MUNDIAL E COMO ELIMINÁ-LAS.pdfAS CAUSAS DO CAOS NA ECONOMIA MUNDIAL E COMO ELIMINÁ-LAS.pdf
AS CAUSAS DO CAOS NA ECONOMIA MUNDIAL E COMO ELIMINÁ-LAS.pdf
 
Globalização
GlobalizaçãoGlobalização
Globalização
 
O conflito dos objectivos finais da macroeconomia e suas implicações na gestã...
O conflito dos objectivos finais da macroeconomia e suas implicações na gestã...O conflito dos objectivos finais da macroeconomia e suas implicações na gestã...
O conflito dos objectivos finais da macroeconomia e suas implicações na gestã...
 
Eco6
Eco6Eco6
Eco6
 
Gestão e economia
Gestão e economiaGestão e economia
Gestão e economia
 
120420170231 snowdone vane_traducaolivre_revisada
120420170231 snowdone vane_traducaolivre_revisada120420170231 snowdone vane_traducaolivre_revisada
120420170231 snowdone vane_traducaolivre_revisada
 
Texto de apoio: Capitalismo
Texto de apoio: CapitalismoTexto de apoio: Capitalismo
Texto de apoio: Capitalismo
 
Apostilaeconomiabasica
ApostilaeconomiabasicaApostilaeconomiabasica
Apostilaeconomiabasica
 
Aula2 evolucao pensamento_economico
Aula2 evolucao pensamento_economicoAula2 evolucao pensamento_economico
Aula2 evolucao pensamento_economico
 

Mais de lucasjatem

120 pegadinhas lingua portuguesa
120 pegadinhas lingua portuguesa120 pegadinhas lingua portuguesa
120 pegadinhas lingua portuguesa
lucasjatem
 
Matemática Financeira
Matemática FinanceiraMatemática Financeira
Matemática Financeira
lucasjatem
 
Teoria das finanças públicas
Teoria das finanças públicasTeoria das finanças públicas
Teoria das finanças públicas
lucasjatem
 
Administração de recursos materiais
Administração de recursos materiaisAdministração de recursos materiais
Administração de recursos materiais
lucasjatem
 
Raciocínio lógico para concurso
Raciocínio lógico para concursoRaciocínio lógico para concurso
Raciocínio lógico para concurso
lucasjatem
 
Fundamentos de contabilidade 1
Fundamentos de contabilidade 1Fundamentos de contabilidade 1
Fundamentos de contabilidade 1
lucasjatem
 
Fundamentos de contabilidade 2
Fundamentos de contabilidade 2Fundamentos de contabilidade 2
Fundamentos de contabilidade 2
lucasjatem
 
Resumo esquemático da lei 8112
Resumo esquemático da lei 8112Resumo esquemático da lei 8112
Resumo esquemático da lei 8112
lucasjatem
 
Regime juridico unico
Regime juridico unicoRegime juridico unico
Regime juridico unico
lucasjatem
 
Questões+8.112 90+cespe
Questões+8.112 90+cespeQuestões+8.112 90+cespe
Questões+8.112 90+cespe
lucasjatem
 
Questoes da lei_8.112
Questoes da lei_8.112Questoes da lei_8.112
Questoes da lei_8.112
lucasjatem
 
Exercicios rju
Exercicios rjuExercicios rju
Exercicios rju
lucasjatem
 
Exerccios lei 8112
Exerccios lei 8112Exerccios lei 8112
Exerccios lei 8112
lucasjatem
 

Mais de lucasjatem (20)

Matemática financeira.
Matemática financeira.Matemática financeira.
Matemática financeira.
 
Manual de procedimentos de protocolo, expedição e arquivo.
Manual de procedimentos de protocolo, expedição e arquivo.Manual de procedimentos de protocolo, expedição e arquivo.
Manual de procedimentos de protocolo, expedição e arquivo.
 
Direito Ambiental esquematizado
Direito Ambiental  esquematizadoDireito Ambiental  esquematizado
Direito Ambiental esquematizado
 
120 pegadinhas lingua portuguesa
120 pegadinhas lingua portuguesa120 pegadinhas lingua portuguesa
120 pegadinhas lingua portuguesa
 
Juros simples
Juros simplesJuros simples
Juros simples
 
Juros Simples
Juros SimplesJuros Simples
Juros Simples
 
Matemática Financeira
Matemática FinanceiraMatemática Financeira
Matemática Financeira
 
Teoria das finanças públicas
Teoria das finanças públicasTeoria das finanças públicas
Teoria das finanças públicas
 
Arquivologia2
Arquivologia2Arquivologia2
Arquivologia2
 
Arquivologia1
Arquivologia1Arquivologia1
Arquivologia1
 
Administração de recursos materiais
Administração de recursos materiaisAdministração de recursos materiais
Administração de recursos materiais
 
Raciocínio lógico para concurso
Raciocínio lógico para concursoRaciocínio lógico para concurso
Raciocínio lógico para concurso
 
Fundamentos de contabilidade 1
Fundamentos de contabilidade 1Fundamentos de contabilidade 1
Fundamentos de contabilidade 1
 
Fundamentos de contabilidade 2
Fundamentos de contabilidade 2Fundamentos de contabilidade 2
Fundamentos de contabilidade 2
 
Resumo esquemático da lei 8112
Resumo esquemático da lei 8112Resumo esquemático da lei 8112
Resumo esquemático da lei 8112
 
Regime juridico unico
Regime juridico unicoRegime juridico unico
Regime juridico unico
 
Questões+8.112 90+cespe
Questões+8.112 90+cespeQuestões+8.112 90+cespe
Questões+8.112 90+cespe
 
Questoes da lei_8.112
Questoes da lei_8.112Questoes da lei_8.112
Questoes da lei_8.112
 
Exercicios rju
Exercicios rjuExercicios rju
Exercicios rju
 
Exerccios lei 8112
Exerccios lei 8112Exerccios lei 8112
Exerccios lei 8112
 

Keynesianismo

  • 1. Keynesiana, Doutrina, conjunto de ideias que propunham a intervenção estatal na vida económica com o objectivo de conduzir a um regime de pleno emprego. As teorias de John Maynard Keynes tiveram enorme influência na renovação das teorias clássicas e na reformulação da política de livre mercado. Acreditava que a economia seguiria o caminho do pleno emprego, sendo o desemprego uma situação temporária que desapareceria graças às forças do mercado. O objectivo do keynesianismo era manter o crescimento da demanda em paridade com o aumento da capacidade produtiva da economia, de forma suficiente para garantir o pleno emprego, mas sem excesso, pois isto provocaria um aumento da inflação. Na década de 1970 o keynesianismo sofreu severa crítica por parte de uma nova doutrina económica: o monetarismo. Em quase todos os países industrializados o pleno emprego e o nível de vida crescente alcançados nos 25 anos posteriores à II Guerra Mundial foram seguidos pela inflação. Os keynesianos admitiram que seria difícil conciliar o pleno emprego e o controle da inflação, considerando, sobretudo, as negociações dos sindicatos com os empresários por aumentos salariais. Por esta razão, foram tomadas medidas que evitassem o crescimento dos salários e preços, mas a partir da década de 1960 os índices de inflação foram acelerados de forma alarmante. A partir do final da década de 1970, os economistas têm adoptado argumentos monetaristas em detrimento daqueles propostos pela doutrina keynesiana; mas as recessões, em escala mundial, das décadas de 1980 e 1990 reflectem os postulados da política económica de John Maynard Keynes. Keynes, John Maynard (1883-1946), economista britânico. Em 1930, escreveu o Tratado sobre o dinheiro, procurando explicar por que a economia funciona de forma irregular, enfrentando alterações nos ciclos económicos. Em sua obra A teoria geral do emprego, lucro e moeda (1936), analisou os problemas relativos às grandes recessões, sustentando a inexistência de mecanismos de ajuste automático que permitam à economia recuperar-se delas. Afirmava que a poupança não investida prolonga a estagnação económica e que o investimento das empresas comerciais depende da criação de novos mercados, de novos avanços técnicos e
  • 2. de outras variáveis independentes da taxa de juros ou da poupança. Dado que o investimento empresarial flutua, não se pode esperar que este possa preservar um alto nível de emprego e receitas estáveis; e propõe que o gasto público deve compensar o investimento privado insuficiente durante uma recessão. Em 1944, dirigiu a delegação britânica na Conferência de Bretton Woods, onde promoveu a criação do Banco Internacional de Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD) e do Fundo Monetário Internacional (FMI). Suas ideias influíram na criação de uma nova escola de pensamento denominada keynesianismo. Monetarismo, teoria macro-económica que se ocupa de analisar a oferta monetária. Identifica-se com uma interpretação da forma como a oferta de dinheiro afecta outras variáveis, como os preços, a produção e o emprego, contrapondo-se ao keynesianismo. A ‘teoria quantitativa do dinheiro’ de Irving Fisher prevaleceu no monetarismo durante o século XX e formalizou-se em uma equação onde o nível geral de preços equivalia à quantidade de dinheiro multiplicada por sua ‘velocidade de circulação’ e dividida pelo volume de transações. Durante a década de 1970, analisava-se a demanda de dinheiro dos indivíduos da mesma forma que a de qualquer outro bem, dependendo da riqueza de cada indivíduo e do preço relativo do bem em questão. O monetarismo analisa em conjunto a demanda total de dinheiro e a oferta monetária. Os níveis desejados de saldos monetários reais tendem a variar com lentidão, enquanto a mudança dos saldos nominal é instantânea e dependem da actuação das autoridades monetárias. Esta afirmação implica que as variações dos preços ou as receitas nominais respondem, obrigatoriamente, a alterações na oferta de dinheiro, o que constitui o ponto de partida da tese de Milton Friedmam segundo a qual a inflação é apenas um fenómeno monetário. Conferência de Bretton Woods, Conferência Monetária e Financeira das Nações Unidas, realizada em Bretton Woods, New Hampshire, em 1944. Nela, foram criados o Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Banco Internacional de Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD).