"Perfeição" - Cap. 27

481 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
481
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
119
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

"Perfeição" - Cap. 27

  1. 1. Perfeição/ Capítulo 027 PÁG.: 01Recanto das Capítulo 027Letras PERFEIÇÃO novela de: LUCAS VINÍCIUS escrita por: LUCAS VINÍCIUS PERSONAGENS DESTE CAPÍTULO: LISA DESIRRÉ MIRELA SIMONE FÁTIMA BARTOLOMEU GEOVANE CARMÉLIA LENINHA CLÁUDIO ERMELITA MARIZETE MOURÃO PEDRO JUNIOR LEANDRO RAQUEL ESTER JECA PARTICIPAÇÕES ESPECIAIS: Porteiro, Vendedora
  2. 2. Perfeição/ Capítulo 027 PÁG.: 02CENA 01/ CONDOMÍNIO/ PORTARIA/ EXT/ DIA/ CONTINUIDADE DO CAP. ANTERIOR/Continuidade da última cena do capítulo anterior. MIRELA SEMCHÃO, APAVORADA. LISA A ENCARA. PORTEIRO OBSERVA; LISA —— Anda, mirela. Me responde. Quem era esse garoto de quem o Seu Manoel tá falando? MIRELA —— (pálida) Ah, Lisa... seu Manoel vê coisas. PORTEIRO —— Não, eu vi muito bem. Com esses dois olhos aqui, que um dia a terra há de comer. E ele sempre perguntava pela senhorita. LISA —— É. E eu quero saber, mocinha... PORTEIRO —— Não sei se devo contar, mas ontem/ MIRELA —— (corta, pálida) Chega! Chega, né Seu Manoel? Já falou demais, e a Lisa vai se atrasar. (p/ Lisa) Vamos, Lisa? LISA —— (séria) Vamos, sim. Mas eu vou querer saber no caminho, quem é esse mocinho, ouviu bem?Close NO OLHAR TRANSTORNADO DE MIRELA.Corta para: CENA 02/ TRÂNSITO A FORA/ CARRO DE LISA/ INT/ DIA/TENSO. LISA AO VOLANTE, MIRELA AO LADO. LISA —— Então você quer dizer que esse garoto é um/ MIRELA —— (corta) Isso! (mentindo) Um gay, Lisa. Me desculpa, mas se é pra esclarecer as coisas, vamos deixar em pratos limpos. Ele é gay, um amigo da escola, não tem como rolar nada entre a gente. LISA —— Mas você devia sempre me consultar, Mirela, antes de receber visita. Ainda mais homem! Tá certo que ele é gay, mas opção sexual não muda em nada. Você
  3. 3. Perfeição/ Capítulo 027 PÁG.: 03 pode ficar falada. MIRELA —— Dane-se o povo, Lisa! Eu tô cansado de mandarem em mim, já. Tenho 16 anos, e se Deus quiser, ainda esse ano eu faço 17. LISA —— Faz 17. e dezessete não é dezoito, portanto, você continua sob meus cuidados, e eu a responsável. MIRELA —— Tá vendo? Eu quero minha carta de alforria logo, minha irmã! (empolgada) Ai... esse dia vai ser o dia mais feliz da minha vida. LISA —— Ser feliz pra você é sair da casa onde você morou sua vida toda? É abandonar sua irmã, que te deu carinho, amor e comida? MIRELA —— Ai, olha o drama! Claro que não é bem assim. E responsável, você sabe que sou desde meus 4 anos. LISA —— Com 4 sim. Mas com 13 anos, namorava o Paulo. Você sabe, ele era barra- pesada. Sorte que agora tá lá em Curitiba, sabe-se Deus o que virou esse garoto. MIRELA —— (incomodada) Ai... vamo parar de falar em Paulo, em assuntos deprês? Olha, Lisa, peço mais uma vez... me deixe na esquina da escola. Já tá ótimo, tá? LISA —— Tá. Mocinha cada vez mais rebelde. Mirela, Mirela... olhe lá! Olhe lá!MIRELA ACHA GRAÇA E CAI NA GARGALHADA. LISA SÉRIA A OLHA.Corta para: CENA 03/ ESCRITÓRIO DE GEOVANE/ INT/ SALA RECEPÇÃO/ DIA/ CONTINUIDADE/Continuidade do Cap. Anterior. LENINHA CONTINUA EMPOLGADA,OLHANDO PARA GEOVANE, QUE ESTÁ SÉRIO. FÁTIMA ACOMPANHA TUDO: GEOVANE —— Leninha... entenda duma vez... periguete num entra num escritório sério como esse.
  4. 4. Perfeição/ Capítulo 027 PÁG.: 04 LENINHA —— (exibida) Ah, cê achou que eu tô periguete? Hum, eu também achei! Quer dizer, não tô não! FÁTIMA —— Dr. Geovane, eu tentei alertá-la sempre. Esse escritório exige decoro. Não esses decotes parecendo fio-dental! LENINHA —— (p/ Fátima) Cê cala a boca, Maria de Fátima! Num dá palpite, bocuda! FÁTIMA —— Bocuda é tua avó, tá! LENINHA —— Ó, eu nem conheci minha avó, se você falar mal da véia vai tomar umas bolachas. GEOVANE —— Vocês duas! Parem! FÁTIMA —— Ela começou. LENINHA —— (p/ Fátima) Escuta aqui, ô palpiteira, vai trabalhar. Senta aí e começa a trabalhar... que a conversa é entre eu (sensualmente) e o Gêzinho, aqui. GEOVANE —— Não tem Gêzinho não! Vai embora, caça a tua turma! Aliás, você devia é ir no hotel, puxar o saco da tua amiga Ester! LENINHA —— (exibida) Também quero! Tu podia ir comigo... eu queria chegar lá e pegar o Leandro pelado. Será que é difícil?GEOVANE E FÁTIMA FICAM BOQUIABERTOS COM O QUE OUVEM: GEOVANE —— É caso perdido! FÁTIMA —— (p/ Leninha) Sabe como isso se chama em minha terra? Olho gordo! Talarica! Já quer roubar o casado da outra! LENINHA —— (p/ Fátima) Sai pra lá, ô! Saravá! Macumbeira! O que tem demais em admirar o noivo da minha amiga? Porque o que é belo, meu bem, é pra ser admirado.LENINHA SE APROXIMA DO OUVIDO DE GEOVANE E SUSSURA: LENINHA —— (sussurrando) E sem modéstia... você é mais que belo! É meu xodó, meu gostoso, minha paixão, meu sonho de consumo, minha vida, minha família, meu conforto...
  5. 5. Perfeição/ Capítulo 027 PÁG.: 05DEPOIS, ELA DÁ UMA OLHADA SENSUAL PRA GEOVANE, QUE NÃO DIZNADA. FÁTIMA SE RÓI DE CIÚME, E FICA COM CARA FEIA. LENINHAENCARA FÁTIMA, SORRINDO MALDOSA. FÁTIMA —— Você acha que me mata, Maria Helena? LENINHA —— Alguém disse isso, querida? Enfim, vou-me indo! Sayonará pra quem fica!LENINHA VIRA-SE TODA-TODA E QUANDO CHEGA A PORTA, PARA...PENSATIVA SE APROXIMA VIBORAMENTE DE FÁTIMA. LÁ, ELA ENFIA AMÃO NO SUTIÃ, TIRA UMA NOTA DE 10 REAIS E JOGA EM CIMA DAMESA DE FÁTIMA, DIZENDO: LENINHA —— Compra um batom melhor que esse, tá? 25 de março vende um muito melhor. (manda beijo)LENINHA VIRA-SE E SAI, DEIXANDO FÁTIMA BOQUIABERTA EOFENDIDA. GEOVANE —— (impressionado) Temos que concordar... ela arrasou! E como arrasou!FÁTIMA SE SENTA, ARRASADA.Corta para: CENA 04/ CASA DE MOURÃO/ INT/ SALA/ DIA/ CONTINUIDADE/ERMELITA SENTADA, SOZINHA, NO SOFÁ, À ESPERA DE MOURÃO. ELACOMEÇA ASSOVIAR, DISTRAIDAMENTE: ERMELITA —— Eita... será que ele demora?ELA VÊ A SUA FRENTE, NA MESA DE CENTRO, UMA CARTEIRA DEDINHEIRO, TODA DE COURO... “PLIM!”, UMA LÂMPADA ACENDE.ERMELITA OLHA PRA LÁ... CÁ... NINGUÉM À VISTA, ENTÃO SEAPROXIMA, ABRINDO A CARTEIRA: ERMELITA —— Ah, eu sou eu! Então, se o fiduma égua do Mourão não me hospedar aqui, pelo menos algum eu levo!
  6. 6. Perfeição/ Capítulo 027 PÁG.: 06ERMELITA FUÇA ATÉ QUE ACHA UM BOLO DE NOTAS. FICABOQUIABERTA. ERMELITA —— Nossa! Menina, o homi ´tá rico e fica se lamentando. Vou pegar apenas um pouco... pra pagar pela ponte que eu vou ficar, pelo visto.ELA PEGA UM BOLO, ENFIA NO SUTIÃ E GUARDA O RESTO NACARTEIRA, PONDO-A NO MESMO LUGAR. DEPOIS, VOLTA-SEDISFARÇANDO PRO SOFÁ. ERMELITA —— (sorrindo) Ah, é agora que entra o teatro! Meu grande talento, atuar!ELA TIRA DO BOLSO DA CALÇA UM VIDRO DE CORÍLIO. DEPOIS,POSICONA A CABEÇA E VIRA O VIDRO. REPETE NOS DOIS OLHOS EFICA PARECENDO QUE CHOROU LITROS. DEPOIS, GUARDA O VIDRO NOBOLSO NOVAMENTE. ERMELITA —— Pronto. Agora é só fingir tristeza pro pato-burro cair! (risinhos)Corta para: CENA 05/ HOTEL DE SÃO PAULO/ INT/ RESTAURANTE/ DIA/Cam SE APROXIMA. VÁRIOS HÓSPEDES ALMOÇANDO. NUMA DAS MESASPERTO DA PORTA, LEANDRO E ESTER COMEM, QUIETOS. NA OUTRA,METROS DALI, DESIRRÉ E SIMONE COMEM, ÀS BOAS CONVERSAS.Corta para MESA DE LEANDRO E ESTER: LEANDRO —— Está quieta, Ester? Por quê? ESTER —— Nada. Só estou pensando que... (sorrindo) enfim, vou lavar a alma! LEANDRO —— Lavar a alma? Como assim? ESTER —— (ri) Ai, como é bom, meu Deus! Você já teve a sensação de ter sido traído, e depois acerta as conta com o desgraçado?LEANDRO FICA TENSO, DESCONFIA DE ALGO SÉRIO. LEANDRO —— Ester, fala brasileiro, porque eu
  7. 7. Perfeição/ Capítulo 027 PÁG.: 07 não tô entendendo. ESTER —— Enfim, eu vou me vingar! Mas não pense você, que é vingança na vida real. (mentindo) numa brincadeira.LEANDRO ESTRANHA MESMO ASSIM, A HISTÓRIA DE ESTER NÃO COLA.Corta para MESA DE DESIRRÉ E SIMONE SIMONE —— Ai, amiga, sei que meu papo de solteira tá ficando chato, mas... eu tô na seca, entende?! DESIRRÉ —— (ri) Ai, Simone! Quem convive com você um dia percebe isso. Eu vi aquela hora você trocando olhares com o garçom. SIMONE —— (ri) Você viu? DESIRRÉ —— Vi, mas... Si, o homem não é nenhum Ken da Barbie, não. Tá mais pra Shreek. SIMONE —— Acha que num sei? Tô pra matar cachorro a grito, a sorriso, então, se me vier um verdadeiro Shreek eu aceito de joelhos! DESIRRÉ —— Bom, se quer tanto um homem, saia mais. Não fique presa nesse hotel, vá a bailes, coloca roupa curta, vire uma periguete. E arrasa! SIMONE —— Ai... assim, você acha que eu fico bem de Peri? Ah, sei não! Vou ficar com o Deilson mesmo, o garçom! DESIRRÉ —— (rindo) Vai na minha, não fica não. O cara é feio do nome à cara! Deílson? SIMONE —— Ó, tô solteira, pego até um cego, surdo e mudo! Você, também, tá inteirona, viúva e não se interessa por ninguém. Não gosta da fruta? DESIRRÉ —— Depois do falecido, que Deus o tenha, não quero homem mais não. É praga na vida da gente. SIMONE —— (ri) Mas o falecido não era, né? Te deixou milionária depois de morto!DESIRRÉ E SIMONE RIEM TÃO ALTO, QUE DESPERTA A CURIOSIDADE DELEANDRO E ESTER, QUE OLHAM PRA TRÁS PRA OLHAR.
  8. 8. Perfeição/ Capítulo 027 PÁG.: 08 ESTER —— (p/ Leandro) Ai, gente pobre adora rir alto! LEANDRO —— E quem disse que elas são pobres? Esqueceu que esse hotel é um dos mais caros de São Paulo? Pensa! ESTER —— Ainda acho que devíamos passar a lua-de-mel no Pará, Bahia... Londres! Não em São Paulo mesmo. Tá fechando a mão agora, é? LEANDRO —— De forma alguma. Só não queria sair de São Paulo. Se esquece que tenho faculdade? ESTER —— Às vezes eu fico pensando: gente rica gosta mesmo é de se exibir! Você é rico, pra que fica fazendo faculdade? LEANDRO —— (ri) É questão de querer ter uma profissão mesm/ELES SÃO INTERROMPIDOS PELO ALTO RISO DE SIMONE LÁ DA OUTAMESA. ESTER FICA BOQUIABERTA. ESTER —— Ave-credo! Leandro, tô te dizendo, essa moreninha aí é pobre! A outra mais velha até que não ri tão alto, é rica! LEANDRO —— (ri) Que bobagem, nada a ver.ESTER FICA DE CARA COM AS DUAS.Corta para: CENA 06/ CASA DE MOURÃO/ INT/ SALA/ DIA/ CONTINUIDADE/ERMELITA AINDA FINGINDO CHORAR, DE COLÍRIO NOS OLHOS. SENTADAAO SOFÁ. MOURÃO VEM CHEGANDO COM UMA XÍCARA DE CHOCOLATEQUENTE ÀS MÃOS: MOURÃO —— (percebe) Você tá chorando, Ermelita? ERMELITA —— (Se levanta, fingindo) Tô... sabe o que é? Tô pensando no cheiro de maconha que vou ter enfrentar embaixo daquela ponte que vou morar agora, sabe? MOURÃO —— (com pena) Sério? Poxa, Erme... ERMELITA —— (no drama) E sabe... eu também vou
  9. 9. Perfeição/ Capítulo 027 PÁG.: 09 apanhar. Tenho certeza! É que mendigo é muito estressado, aí vai descontar nos outros. MOURÃO —— (triste) Descontar em você? ERMELITA —— Caparam meu tio embaixo dum viaduto. Caparam! Eu não tem como me caparem, né, afinal... enfim! MOURÃO —— Caparam seu tio? Coitado! ERMELITA —— E não foi só isso! Fizeram o infeliz se viciar em drogas! MOURÃO —— Nossa... que barra. ERMELITA —— Barra não, barrão. Barra vai ser a de ferro que eu vou levar na cabeça daqueles maloqueiros, malandros!ARRASADO, MOURÃO SE SENTA NO SOFÁ AO LADO DE ERMELITA. MOURÃO —— Oh céus... Eu não posso deixar você ir morar embaixo duma ponte com esses vândalos...ERMELITA DÁ UM SORRISO DISCRETO VITORIOSO. MOURÃO —— Afinal de contas, você foi meu primeiro amor. Uma golpista, safada, que me zerou, mas minha primeira namorada. ERMELITA —— (irônica) Obrigada! Pela parte que me toca. Então eu fico? MOURÃO —— Fica, fica, Ermelita! ERMELITA —— (dispara um grito alegre) Ah! Que notícia animadora! MOURAO —— Mas vai trabalhar pra ajudar nas despesas diárias! ERMELITA —— (desanima) Desgraça! Digo: Desgraça boa... (p/ si) trabalhar?ERMELITA BUFA, MOURÃO NEM SE DÁ CONTA.Corta para: CENA 07/ SÃO PAULO/ PLANOS GERAIS/ TARDECER/Sonoplastia: MÚSICA ANIMADÍSSIMA e IMAGENS DE ARQUIVO. SÃOPAULO AO PÔR DO SOL, E BELAS IMAGENS DA METRÓPOLE AO
  10. 10. Perfeição/ Capítulo 027 PÁG.: 010TARDECER.Corta para:CENA 08/ CASA DE BARTOLOMEU E CARMÉLIA/ INT/ COZINHA/ TARDE/LENINHA ACABA DE PÔR A MESA PRA CARMÉLIA E BARTOLOMEU, QUEESTÃO SENTADOS, UMA LASANHA TODA DURA E QUEIMADA. CARMÉLIAFICA ESPANTADA. CARMÉLIA —— Quê que isso, Maria Helena? LENINHA —— Eu que lhe pergunto! A senhora me deu 8 reais pra comprar mistura pro jantar. Fui no seu Zé do Açougue, ele disse que nada lá custa isso. Aí me ofereceu uma lasanha como essa.CARMÉLIA ENFIA O GARFO NA LASANHA, QUE DURA COMO BORRACHA. CARMÉLIA —— Tinha que ser o seu Zé! Olha que borracha! Não vamos dar pros cachorros porque acho que eles têm mais comida que nós, né, Bartô? BARTOLOMEU —— Pois é verdade. LENINHA —— (pega a assadeira dizendo) Oba, dá pra mim! CARMÉLIA —— (braba) Opa, solta daí! Não põe a mão, Maria Helena, que eu enfio-lhe o garfo na mão!DE BICO TORTO E CHATEADA, LENINHA PÕE A ASSADEIRA NA MESA DEVOLTA. CARMÉLIA —— Largue mão! Que mais tarde eu vou pôr minha dentadura e tentar mastigar isso. BARTOLOMEU —— Falando nisso, que festão aquele de ontem! CARMÉLIA —— Eu que o diga! Mas quando as luzes se apagaram, achava que ia sair guerra de tortas, sabe, igual nas novelas das seis. Porque você viu, tava cheio de gente barraqueira, intrigueira, futriqueira lá, querendo lavar roupa suja. LENINHA —— Posso dar minha opinião?
  11. 11. Perfeição/ Capítulo 027 PÁG.: 011 CARMÉLIA —— Claro que não, sua peste! E por que tá aqui ainda? Já serviu, vaza! LENINHA —— (humilhada) Tá vendo? Cada vez mais eu tenho vontade de reclamar meus direitos trabalhistas lá no IBAMA. BARTOLOMEU —— No IBAMA? CARMÉLIA —— Deixa ela, ela é uma anta, é no IBAMA que tem de ir! Cavala! Some daqui!CABISBAIXA, LENINHA SAI DE CENA. BARTOLOMEU —— Carmélia, você pegou pesado. Lembra que tínhamos de tê-la a nosso lado? Pra ela não nos denunciar. CARMÉLIA —— Ah, fique tranquilo. Que essa daí ladra mas não morde. Ela não nos denuncia, de jeito nenhum. BARTOLOMEU —— Assim espero.Corta para: CENA 09/ CASA DE MARIZETE E CLÁUDIO/ INT/ COZINHA/ TARDE/MARIZETE E CLÁUDIO JANTANDO JÁ, À MESA. PEDRO JR. ACABA DEDAR UM BEIJO EM MARIZETE, DIZENDO: PEDRO JR. —— A Bianca pode me levar na casa da Sara, mãe? MARIZETE —— Depende. Quem é Bianca e quem é Sara? PEDRO JR. —— A Bianca mora perto da casa da Maria, e a Sara também. Só que a Bianca prometeu me buscar aqui pra me levar lá. MARIZETE —— Bom... se você prometer que não vai passar na casa da sua irmã Maria, eu deixo você ir. Porque Maria fica com você nos fins de semana, não em dia comum como hoje. Tá? PEDRO JR. —— Tá bom, mãe. Tchau! (beija-a) Tchau, pai. CLÁUDIO —— Tchau, filho.PEDRO JR. SAI CORRENDO DALI, SAINDO DE CENA.
  12. 12. Perfeição/ Capítulo 027 PÁG.: 012 MARIZETE —— Cláudio, será que fiz bem em deixar o menino ir perto da casa da Maria? CLÁUDIO —— Não vejo mal algum. MARIZETE —— Mas eu vejo! Imagina se ela resolve abrir o jogo com ele, contando que é mãe dele? Não quero nem pensar... a´que ele vai querer ficar com ela, e vai dizer isso no tribunal. CLÁUDIO —— Acho que ele não vai falar com a Maria, já que você proibiu. A audiência será semana que vem, até que enfim! MARIZETE —— Esperei tanto que quase mofei. Sorte nossa, parece que tudo está a nosso favor. E advogado Castanha me parece um homem tão íntegro e responsável. CLÁUDIO —— Além de ser o mais influente advogado da Zona Sul de São Paulo! MARIZETE —— Isso aí, meu amor!Corta para: CENA 10/ LOJA DE ROUPAS DE GRIFE/ EXT/ FACHADA/ DIA/Sonoplastia: MÚSICA TEMA ANIMADA. RAQUEL VEM SE APROXIMANDO,E COM UMA BOLSA AOS BRAÇOS. ELA PARA A FRENTE DUMA ENORMELOJA DE ROUPAS. RAQUEL —— Uau! Que imensidão! Mas essa loja é só pra quem pode. (se dá conta) Ué, eu tô podendo! Tô nadando no dinheiro, minha gente! Brincadeira, assaltantes!ELA ENTRA.Corta para: CENA 11/ LOJA DE ROUPAS DE GRIFE/ INT/ DIA/ CONTINUIDADE/PLANOS GERAIS: RAQUEL CAMINHA PELA IMENSIDÃO, REPLETA DEROUPAS DE MARCA. VESTIDOS, BATAS, SAPATOS, BOLSAS, PERUCAS,CALÇAS... PAUSA. RAQUEL CONVERSA COM UMA VENDEDORA LOIRA. RAQUEL —— Então, tô querendo tipo umas roupas mais “Miau!” pra ver se eu desencalho! VENDEDORA —— (ri) Ah, entendi. Você quer uma
  13. 13. Perfeição/ Capítulo 027 PÁG.: 013 roupa sensual? Mais aperiguetada? RAQUEL —— “Marromeno”. VENDEDORA —— É, porque periguete você é, já, dá pra ver. RAQUEL —— (ofendida) E tu, loira aguada? Tá pensando o quê, vai me ofender, me chamar de periguete? VENDEDORA —— (sem graça) Me desculpa! Foi tentando elogiá-la que ofendi. Foi mal! RAQUEL —— Tudo bem. Eu sou da turma do bem, sacou, sorria que a vida é bela! Ser Feliz! Não guardo mágoa! VENDEDORA —— Hum... vejamos, vamos procurar uma roupa pra você, então...A VENDEDORA VIRA-SE E COMEÇA A FUÇAR PELOS CABIDES PRAENCONTRAR UMA ROUPA.PAUSA. CORTA PARA PROVADOR. EXT.RAQUEL SAI DO PROVADOR COM UM VESTIDO CURTÍSSIMO, DE ONCINHA,PROVOCANTE E SENSUAL. CAMINHA DESFILANDO. VENDEDORA SORRI,GOSTANDO: RAQUEL —— Então? VENDEDORA —— Linda, linda, linda! Adorei! Vai levar? RAQUEL —— Menina... esse vai deixar o Júlio aos meus pés... tem fio-dental aqui, bem? VENDEDORA —— Temos! Temos dos mais simples, aos mais provocantes! RAQUEL —— (gritinho) Oba! Num quero um só não, me traz uma dúzia de fio-dentais!AS COMEÇAM A SE ENTROSAR, CONVERSAR E VÃO CAMINHANDO.Corta para: CENA 12/ ESCOLA PÚBLICA DE SÃO PAULO/ EXT/ DIA/VEMOS ESTACIONADO A FRENTE EXTERIOR DA ESCOLA O CARRO DELISA. Sonoplastia: COMEÇA INSTRUMENTAL SUSPENSE. CAM MOSTRAQUE METROS DO CARRO DE LISA, MAIS ATRÁS, TEM O CARRO DE JECA.ELE ESPIA TUDO.
  14. 14. Perfeição/ Capítulo 027 PÁG.: 014 JECA —— Ei, professorinha! Como demora, essa vaca!LISA VEM SAINDO DA ESCOLA, COM SUA BOLSA E LIVROS DA AULA.ELA SAI E NEM PERCEBE QUE ESTÁ SENDO OBSERVADA. PV JECA: LISAABRE O PORTÃO DA ESCOLA, SAI, CAMINHA ATÉ O CARRO. ABRE APORTA DO CARRO, E ENTRA. Corta pra LISA: LISA FECHA A PORTADO CARRO E SE SENTA AO VOLANTE. LISA —— Ai, que vida cansativa, meu Deus do céu! (p/ si) Ainda tenho 57 provas de duas classes pra corrigir. É fogo!ELA ENFIA A CHAVE E LIGA O CARRO.Corta para: CENA 13/ AVENIDA QUALQUER DE SÃO PAULO/ EXT/ DIA/Sonoplastia: SUSPENSE CONTINUA. PLANOS DE CIMA: CARRO DE LISASEGUE NORMALMENTE. ATRÁS, O DE JECA. JECA —— (ri) Onde será que a professorinha mora? Vamos descobrir!Corta para: CENA 14/ CONDOMÍNIO/ EXT/ FACHADA/ DIA/CARRO DE LISA VEM ESTACIONANDO A FRENTE DO CONDOMÍNIO. METROSDALI, JECA PARA SEU CARRO. PV DELE: LISA DESCE SEGUNDOSDEPOIS DO CARRO, E FECHA A PORTA. DEPOIS CAMINHA E APERTA ACAMPAINHA DO CONDOMÍNIO. DIZ ALGO E ENTRA. JECA SORRI. JECA —— Então é aí! Num condomínio? Missão cumprida.ELE PEGA O CELULAR, DISCA ALGO, LOGO RAQUEL ATENDE. JECA —— (ao cel) Alô, linda. Missão cumprida. Lisa mora na Rua Eugênio de Melo, condomínio... RAQUEL —— (off) Ótimo... bom trabalho! JECA —— (ao cel) Thank.
  15. 15. Perfeição/ Capítulo 027 PÁG.: 015ELE RI. FIM DO CAPÍTULO.

×