Comissão de Serviços á Comunidade

375 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
375
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Comissão de Serviços á Comunidade

  1. 1. Lucas Gabriel (Lukinha) Rotaract Club Maringá – Interação D.4630 - Paraná- Presidente - 2007/2008 – Rotaract Club de Paranavaí – D.4630- RDR – 2009/2010 – D.4630- Arquivo Nacional de Projetos – Omir Brasil – 2010 a 2012- Presidente Eleito Omir – Brasil – 2013/2014
  2. 2. É a comissão da “solidariedade”, assim definidapor Rotary International.É a comissão que conduz o interactiano e orotaractiano a serviços e projetos que irãodesenvolver ou amparar a comunidade.A comissão deve ter um diretor nomeado pelopresidente da gestão. É permitida a criação desubcomissões coordenadas por outroscompanheiros.
  3. 3. Projeto x Ação
  4. 4. PROJETOÉ um empreendimento não repetitivo,caracterizado por uma sequência clarae lógica de eventos, com início, meio efim, que se destina a atingir umobjetivo claro e definido, sendoconduzido por pessoas dentro deparâmetros pré-definidos de tempo,custo, recursos envolvidos e qualidade.
  5. 5. ATIVIDADE/AÇÃOSão regulares, ou seja, repetem-sesempre do mesmo modo, compequenas variações (ação de páscoa,dia das crianças, natal) e são tambémintermináveis. Não tem perspectiva deserem finalizadas.Ex.: Ação de Pascoa , Natal,...
  6. 6. Faça projetos que sejam realmenteNECESSÁRIOS.Busque por indicadores
  7. 7. Faça pesquisas locais, ouvindo dos possíveis beneficiários. Neste caso, procure não apenas carências, bem como, procure habilidades eoportunidades de se desenvolver um projeto.
  8. 8. 1) Toda pessoa tem capacidades e habilidades. Todacomunidade tem potencialidades e recursos.2) Recursos financeiros podem ser escassos mas recursosentendidos como ‘capital social’ – relações de confiança ecolaboração entre as pessoas, redes informais de proteção eajuda mútua – existem em volume superior ao que se imagina.
  9. 9. 3) Combater a pobreza não é transformar pessoas ecomunidades em beneficiários passivos de programasassistenciais. Combater a pobreza é fortalecer ascapacidades das pessoas e os recursos das comunidades.4) A parceria entre múltiplos atores – comunidades, ONGs,governos, empresas, universidades – ampliam ascompetências e recursos. A colaboração em rede entreprojetos e organizações maximiza a eficiência e o impactodas ações.5) A experimentação e a inovação podem crescer emescala, transformando projetos em processos sustentáveisde desenvolvimento.
  10. 10. Sendo assim ...• Toda iniciativa de estabelecer um projeto que seja sustentável deve ter a participação da comunidade beneficiada, em todas as etapas.
  11. 11. Importância da participação: Pessoas que participam de todo o processo sentem-se mais comprometidas e responsáveis pelos resultados obtidos; Assegura a transparência das ações; Acumula “capital social”; Tem caráter essencialmente democrático e Possibilita a capacitação e o aprendizado coletivo.
  12. 12. Como conseguir a participação ?1. Sensibilizando a comunidade (público alvo do projeto), através de palestras alusivas ao tema a ser abordado.2. Envolver os interessados no processo de Diagnóstico Local.
  13. 13. www.facebook.com/lukinha.gabriel @lucasparanavai lgac87@gmail.comhttp://www.slideshare.net/lucas_rotaract/

×