SlideShare uma empresa Scribd logo
MODERNISMO
E SUAS FASES
EQUIPE:
EMILLY CRISTINA
LAIANA DE SOUSA
LEIDIVAN SOUSA
LUAN VICTOR
LUCAS CAVALCANTE
MARIA VITÓRIA
SABRINA MATIAS
PROFESSORA:
ANDREZZA MAGALHÃES
SÉRIE:
3° ANO A
TURNO:
MANHÃ
A DIVISÃO DO
MODERNISMO BRASILEIRO
Para fins de estudo pedagógico,
tornou-se necessário dividir o
Modernismo em três fases:
1. A PRIMEIRA GERAÇÃO OU FASE
MODERNISTA (1922 a 1930)
2. A SEGUNDA GERAÇÃO OU FASE
MODERNISTA (1930 a 1945)
3. A TERCEIRA GERAÇÃO OU FASE
MODERNISTA (1945 a 1960)
A DIVISÃO DO MODERNISMO BRASILEIRO
É importante lembrar que a partir da terceira
fase, surgiram outros movimentos que
sucederam o Modernismo, como o Concretismo.
MODERNISMO
(1922 a 1960)
OUTROS MOVIMENTOS
(a partir de 1960)
Concretismo
Neoconcretismo
Poesia-Práxis
Poema-Processo
AS FASES DO
MODERNISMO
BRASILEIRO
A PRIMEIRA FASE MODERNISTA
FASE
HEROICA
CARACTERÍSTICAS:
✓ Rompimento com os padrões
da literatura produzida até
então;
✓ Linguagem mais próxima do
padrão coloquial;
✓ Brasil passa a ser visto como o
país da mistura;
✓ Autores sentem-se livres para
experimentar novos temas.
OS AUTORES DA PRIMEIRA GERAÇÃO MODERNISTA
Oswald de
Andrade
Mário de
Andrade
Manuel
Bandeira
OS AUTORES DA PRIMEIRA GERAÇÃO MODERNISTA
Alcântara
Machado
Menotti
del Picchia
Raul Bopp
OS AUTORES DA PRIMEIRA GERAÇÃO MODERNISTA
Ronald de
Carvalho
Guilherme
de Almeida
CARACTERÍSTICAS
DOS PRINCIPAIS
AUTORES DA
PRIMEIRA FASE
OSWALD DE ANDRADE
✓ Pregava a liberdade na
construção do texto;
✓ Buscava formar uma
identidade nacional;
✓ Acreditava na
relevância da cultura
brasileira;
✓ Percebeu que era
possível unir a cultura
mais popular e a
erudita.
Pronominais
Dê-me um cigarro
Diz a gramática
Do professor e do aluno
E do mulato sabido
Mas o bom negro e o bom branco
Da Nação Brasileira
Dizem todos os dias
Deixa disso camarada
Me dá um cigarro.
ANDRADE, Oswald de.
MÁRIO DE ANDRADE
✓ Principal obra:
Macunaíma (1928);
✓ Uso do coloquialismo
na linguagem;
✓ Debate sobre a
identidade nacional;
✓ Inovações na escrita;
✓ Assim como Oswald,
foi um dos
organizadores da
Semana de Arte
Moderna.
Início de Macunaíma
No fundo do mato-virgem nasceu
Macunaíma, herói de
nossa gente. Era preto retinto e
filho do medo da noite. Houve
um momento em que o silêncio foi
tão grande escutando o
murmurejo do Uraricoera, que a
índia tapanhumas pariu uma
criança feia. Essa criança é que
chamaram de Macunaíma.
ANDRADE, Mário de. Macunaíma. 22 ed.
Belo Horizonte: Itatiaia, 1986. p. 9.
MANUEL BANDEIRA
✓ Escrita direta e
simples;
✓ Colocava a angústia
em suas obras, que
eram cotidianas;
✓ Algumas obras
apresentam certa
nostalgia;
✓ É possível perceber o
tradicionalismo e a
liberdade em
diferentes poemas.
Os sapos
Enfunando os papos,
Saem da penumbra,
Aos pulos, os sapos.
A luz os deslumbra.
Em ronco que aterra,
Berra o sapo-boi:
– “Meu pai foi à guerra!”
– “Não foi!” – “Foi!” – “Não
foi!” [...]
BANDEIRA, Manuel. Estrela da vida inteira. 16 ed.
Rio de Janeiro: José Olympio, 1989. p. 46.
ALCÂNTARA MACHADO
✓ Linguagem objetiva
(provavelmente,
advinda da
jornalística), concisa e
popular, características
que davam dinamismo
às suas narrativas;
✓ Observação crítica das
transformações pelas
quais passava a
sociedade paulista.
Brás, Bexiga e Barra
Funda
— Xi, Gaetaninho, como é bom!
Gaetaninho ficou banzando bem no
meio da rua. O Ford quase derrubou
e ele não viu o Ford. O carroceiro
disse um palavrão
e ele não ouviu o palavrão.
— Eh! Gaetaninho! Vem pra dentro.
Grito materno sim: até filho surdo
escuta. Virou o rosto tão feio de
sardento, viu a mãe e viu o chinelo.
— Súbito!
Foi-se chegando devagarinho,
devagarinho. Fazendo beicinho.
Estudando o terreno. Diante da mãe e
do chinelo parou. [...]
MACHADO, Alcântara.
A SEGUNDA
GERAÇÃO
MODERNISTA
A SEGUNDA FASE MODERNISTA
FASE CONSTRUTIVA
CARACTERÍSTICAS:
✓ Manteve as conquistas de sua fase
antecessora;
✓ Aborda temas sociais;
✓ É marcada pelo contexto da
Segunda Guerra Mundial;
✓ É chamada por alguns de
neorrealista, pois os autores voltam
seus olhos para a realidade.
OS AUTORES DA SEGUNDA GERAÇÃO MODERNISTA (POESIA)
Carlos
Drummond de
Andrade
Jorge
de Lima
Murilo
Mendes
OS AUTORES DA SEGUNDA GERAÇÃO MODERNISTA (POESIA)
Cecília
Meireles
Vinicius
de Moraes
Mário
Quintana
OS AUTORES DA SEGUNDA GERAÇÃO MODERNISTA (PROSA)
Rachel
de Queiroz
José Lins
do Rego
Jorge
Amado
OS AUTORES DA SEGUNDA GERAÇÃO MODERNISTA (PROSA)
Graciliano
Ramos
Érico
Veríssimo
POESIA DA SEGUNDA GERAÇÃO MODERNISTA
Carlos
Drummond
de Andrade
Drummond viveu em um período marcado
pela Guerra Fria. A incerteza da época pode
ser percebida em sua obra, o eu lírico se
mostra sem esperança e impotente diante
de certas situações.
A morte se fez presente muito cedo na vida
da autora, que perdeu a mãe com apenas três
anos de idade. Assim, é perceptível o quanto
a vida pessoal se insere na obra literária de
Meireles.
Cecília
Meireles
PROSA DA SEGUNDA GERAÇÃO MODERNISTA
Rachel de Queiroz
“O Quinze” (1930)
“Caminho de
pedras” (1937)
“As três Marias”
(1939)
PROSA DA SEGUNDA GERAÇÃO MODERNISTA
Jorge Amado
“O país do
carnaval” (1931)
“Mar morto”
(1936)
“Capitães da
areia” (1937)
PROSA DA SEGUNDA GERAÇÃO MODERNISTA
Graciliano Ramos
“Vidas secas”
(1938)
Érico Veríssimo
“Clarissa”
(1933)
“Olhai os lírios do
campo” (1938)
A TERCEIRA
GERAÇÃO
MODERNISTA
A TERCEIRA FASE MODERNISTA
FASE DE REFLEXÃO
CARACTERÍSTICAS:
✓ Academicismo;
✓ Passadismo e retorno ao passado;
✓ Oposição à liberdade formal;
✓ Experimentações artísticas (ficção experimental);
✓ Realismo fantástico (contos fantásticos);
✓ Retorno à forma poética (valorização da métrica e da rima);
✓ Influência do Parnasianismo e Simbolismo;
✓ Inovações linguísticas e metalinguagem;
✓ Regionalismo universal;
✓ Temática social e humana;
✓ Linguagem mais objetiva.
A TERCEIRA FASE MODERNISTA
Em virtude da grande discrepância
com o padrão estético inaugurado por
nomes como Mário e Oswald de
Andrade e Manuel Bandeira — a tríade
do Modernismo de 1922 —, muitos
críticos literários consideram a
terceira geração como pós-modernista,
na qual se pode notar um rigor formal
distante do proposto pelos
precursores do movimento.
OS AUTORES DA TERCEIRA GERAÇÃO MODERNISTA
Clarice
Lispector
Guimarães
Rosa
Lygia Fagundes
Telles
OS AUTORES DA TERCEIRA GERAÇÃO MODERNISTA
Ariano
Suassuna
João Cabral
de Melo Neto
Ferreira
Gullar
OS AUTORES DA TERCEIRA GERAÇÃO MODERNISTA
Manoel
de Barros
PROSA DA TERCEIRA GERAÇÃO MODERNISTA
Clarice Lispector
“Perto do coração
selvagem” (1943)
Guimarães Rosa
“Grande sertão:
veredas” (1958)
GERAÇÃO DE 45
Já citados anteriormente, os três autores
que se destacaram nesse subgrupo dos
terceiros modernistas foram:
• JOAO CABRAL DE MELO NETO
• FERREIRA GULLAR
• MANOEL DE BARROS
João Cabral
de Melo Neto
Ferreira
Gullar
Manoel
de Barros
GERAÇÃO DE 45
✓ Objetividade;
✓ Abordagem de
assuntos como
pintura,
arquitetura e a
própria poesia.
✓ Embora
pertença ao
Modernismo,
iniciou-se na
literatura
contemporânea
com o
movimento
Concretista.
✓ Detalhista nas
suas obras,
narrou sua
infância no
Pantanal, falou
sobre a Natureza
e também sua
relação com as
palavras.
A
LITERATURA
PÓS-
MODERNISTA
A LITERATURA PÓS-MODERNISTA
O Modernismo começa a dividir
espaço com outros movimentos a
partir das décadas de 1950 e 1960,
dando lugar à corrente Concretista.
De qualquer forma, o Modernismo
foi um marco na representação
artística do Brasil, que redescobriu
sua identidade e tornou-se um
movimento influente nas artes
(literatura, TV, teatro) até hoje.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Romantismo no Brasil - 1ª geração
Romantismo no Brasil - 1ª geraçãoRomantismo no Brasil - 1ª geração
Romantismo no Brasil - 1ª geração
Quezia Neves
 
O modernismo brasileiro
O modernismo brasileiroO modernismo brasileiro
O modernismo brasileiro
Junior Onildo
 

Mais procurados (20)

Romantismo no Brasil - 1ª geração
Romantismo no Brasil - 1ª geraçãoRomantismo no Brasil - 1ª geração
Romantismo no Brasil - 1ª geração
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
 
Arcadismo no Brasil
Arcadismo no BrasilArcadismo no Brasil
Arcadismo no Brasil
 
Prosa romântica
Prosa românticaProsa romântica
Prosa romântica
 
3ª fase do modernismo blog
3ª fase do modernismo blog3ª fase do modernismo blog
3ª fase do modernismo blog
 
Modernismo 2 fase (geração de 30)
Modernismo 2 fase (geração de 30)Modernismo 2 fase (geração de 30)
Modernismo 2 fase (geração de 30)
 
Literatura contemporânea
Literatura contemporâneaLiteratura contemporânea
Literatura contemporânea
 
LITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIAS
LITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIASLITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIAS
LITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIAS
 
Vanguarda europeia
Vanguarda europeiaVanguarda europeia
Vanguarda europeia
 
O modernismo brasileiro
O modernismo brasileiroO modernismo brasileiro
O modernismo brasileiro
 
Simbolismo
SimbolismoSimbolismo
Simbolismo
 
A geração de 45
A geração de 45A geração de 45
A geração de 45
 
Parnasianismo e Simbolismo
Parnasianismo e SimbolismoParnasianismo e Simbolismo
Parnasianismo e Simbolismo
 
Ppt realismo (1)
Ppt realismo (1)Ppt realismo (1)
Ppt realismo (1)
 
Parnasianismo'
Parnasianismo'Parnasianismo'
Parnasianismo'
 
Romantismo no Brasil
Romantismo no BrasilRomantismo no Brasil
Romantismo no Brasil
 
Segunda geração modernista
Segunda geração modernistaSegunda geração modernista
Segunda geração modernista
 
Modernismo em Portugal
Modernismo em PortugalModernismo em Portugal
Modernismo em Portugal
 
Quinhentismo
Quinhentismo Quinhentismo
Quinhentismo
 
O pré modernismo
O pré modernismoO pré modernismo
O pré modernismo
 

Semelhante a Modernismo e suas fases

Modernismo Brasileiro 1ª geração
Modernismo Brasileiro 1ª geraçãoModernismo Brasileiro 1ª geração
Modernismo Brasileiro 1ª geração
Tim Bagatelas
 
Semana da Arte Moderna e Modernismo
Semana da Arte Moderna e ModernismoSemana da Arte Moderna e Modernismo
Semana da Arte Moderna e Modernismo
Thanmires Quariniri
 
Modernismono brasil ii fase
Modernismono brasil ii faseModernismono brasil ii fase
Modernismono brasil ii fase
rillaryalvesj
 
Segundafasedomodernismonobrasil 120509063705-phpapp02
Segundafasedomodernismonobrasil 120509063705-phpapp02Segundafasedomodernismonobrasil 120509063705-phpapp02
Segundafasedomodernismonobrasil 120509063705-phpapp02
Brigitte Lispector
 
Semana de Arte Moderna
Semana de Arte ModernaSemana de Arte Moderna
Semana de Arte Moderna
José Emílio
 
MODERNISMO_2a_FASE.pptx Contexto histórico, principais autores e obras.
MODERNISMO_2a_FASE.pptx Contexto histórico, principais autores e obras.MODERNISMO_2a_FASE.pptx Contexto histórico, principais autores e obras.
MODERNISMO_2a_FASE.pptx Contexto histórico, principais autores e obras.
Helena475977
 

Semelhante a Modernismo e suas fases (20)

Modernismo no Brasil.pptx
Modernismo no Brasil.pptxModernismo no Brasil.pptx
Modernismo no Brasil.pptx
 
Modernismo
ModernismoModernismo
Modernismo
 
Hipertexto modernismo semana_da_arte_moderna_d
Hipertexto modernismo semana_da_arte_moderna_dHipertexto modernismo semana_da_arte_moderna_d
Hipertexto modernismo semana_da_arte_moderna_d
 
Hipertexto Modernismo-Semana da Arte moderna de 22
Hipertexto Modernismo-Semana da Arte moderna de 22Hipertexto Modernismo-Semana da Arte moderna de 22
Hipertexto Modernismo-Semana da Arte moderna de 22
 
Modernismo: FASE HERÓICA
Modernismo: FASE HERÓICAModernismo: FASE HERÓICA
Modernismo: FASE HERÓICA
 
2 tempo modernista
2 tempo modernista2 tempo modernista
2 tempo modernista
 
A semana de arte moderna
A semana de arte modernaA semana de arte moderna
A semana de arte moderna
 
Modernismo Brasileiro 1ª geração
Modernismo Brasileiro 1ª geraçãoModernismo Brasileiro 1ª geração
Modernismo Brasileiro 1ª geração
 
ModernismoTD1.pdf
ModernismoTD1.pdfModernismoTD1.pdf
ModernismoTD1.pdf
 
Semana da Arte Moderna e Modernismo
Semana da Arte Moderna e ModernismoSemana da Arte Moderna e Modernismo
Semana da Arte Moderna e Modernismo
 
Modernismono brasil ii fase
Modernismono brasil ii faseModernismono brasil ii fase
Modernismono brasil ii fase
 
Análise Libertinagem (Manuel Bandeira)
Análise Libertinagem (Manuel Bandeira)Análise Libertinagem (Manuel Bandeira)
Análise Libertinagem (Manuel Bandeira)
 
Modernismo ii fase
Modernismo ii faseModernismo ii fase
Modernismo ii fase
 
Segundafasedomodernismonobrasil 120509063705-phpapp02
Segundafasedomodernismonobrasil 120509063705-phpapp02Segundafasedomodernismonobrasil 120509063705-phpapp02
Segundafasedomodernismonobrasil 120509063705-phpapp02
 
2º Geração modernista
2º Geração modernista2º Geração modernista
2º Geração modernista
 
Semana de Arte Moderna
Semana de Arte ModernaSemana de Arte Moderna
Semana de Arte Moderna
 
MODERNISMO_2a_FASE.pptx Contexto histórico, principais autores e obras.
MODERNISMO_2a_FASE.pptx Contexto histórico, principais autores e obras.MODERNISMO_2a_FASE.pptx Contexto histórico, principais autores e obras.
MODERNISMO_2a_FASE.pptx Contexto histórico, principais autores e obras.
 
AA MOD ppt7
AA MOD  ppt7AA MOD  ppt7
AA MOD ppt7
 
Arte moderna
Arte modernaArte moderna
Arte moderna
 
Primeira Geração Modernista
Primeira Geração ModernistaPrimeira Geração Modernista
Primeira Geração Modernista
 

Mais de Luan Victor (7)

As sufragistas
As sufragistasAs sufragistas
As sufragistas
 
Dadaísmo
DadaísmoDadaísmo
Dadaísmo
 
Gastronomia da Inglaterra
Gastronomia da InglaterraGastronomia da Inglaterra
Gastronomia da Inglaterra
 
Seminário - Verbo/9°A
Seminário -  Verbo/9°ASeminário -  Verbo/9°A
Seminário - Verbo/9°A
 
Verbo - Seminário de Português (1° Bimestre)
Verbo - Seminário de Português (1° Bimestre)Verbo - Seminário de Português (1° Bimestre)
Verbo - Seminário de Português (1° Bimestre)
 
Revolta dos Malês
Revolta dos MalêsRevolta dos Malês
Revolta dos Malês
 
Trabalho de Ed. Física [1° bimestre]
Trabalho de Ed. Física [1° bimestre]Trabalho de Ed. Física [1° bimestre]
Trabalho de Ed. Física [1° bimestre]
 

Último

AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
ssuserbb4ac2
 
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docxCONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
EduardaMedeiros18
 
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
edjailmax
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
rarakey779
 

Último (20)

Recurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/AcumuladorRecurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
 
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
 
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco LeiteOs Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Poema - Reciclar é preciso
Poema            -        Reciclar é precisoPoema            -        Reciclar é preciso
Poema - Reciclar é preciso
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
 
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docxCONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
 
O carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
O carteiro chegou - Janet & Allan AhlbergO carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
O carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
 
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimentoApresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
 
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anosFotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
 
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfRespostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
 

Modernismo e suas fases

  • 1. MODERNISMO E SUAS FASES EQUIPE: EMILLY CRISTINA LAIANA DE SOUSA LEIDIVAN SOUSA LUAN VICTOR LUCAS CAVALCANTE MARIA VITÓRIA SABRINA MATIAS PROFESSORA: ANDREZZA MAGALHÃES SÉRIE: 3° ANO A TURNO: MANHÃ
  • 2. A DIVISÃO DO MODERNISMO BRASILEIRO Para fins de estudo pedagógico, tornou-se necessário dividir o Modernismo em três fases: 1. A PRIMEIRA GERAÇÃO OU FASE MODERNISTA (1922 a 1930) 2. A SEGUNDA GERAÇÃO OU FASE MODERNISTA (1930 a 1945) 3. A TERCEIRA GERAÇÃO OU FASE MODERNISTA (1945 a 1960)
  • 3. A DIVISÃO DO MODERNISMO BRASILEIRO É importante lembrar que a partir da terceira fase, surgiram outros movimentos que sucederam o Modernismo, como o Concretismo. MODERNISMO (1922 a 1960) OUTROS MOVIMENTOS (a partir de 1960) Concretismo Neoconcretismo Poesia-Práxis Poema-Processo
  • 5. A PRIMEIRA FASE MODERNISTA FASE HEROICA CARACTERÍSTICAS: ✓ Rompimento com os padrões da literatura produzida até então; ✓ Linguagem mais próxima do padrão coloquial; ✓ Brasil passa a ser visto como o país da mistura; ✓ Autores sentem-se livres para experimentar novos temas.
  • 6. OS AUTORES DA PRIMEIRA GERAÇÃO MODERNISTA Oswald de Andrade Mário de Andrade Manuel Bandeira
  • 7. OS AUTORES DA PRIMEIRA GERAÇÃO MODERNISTA Alcântara Machado Menotti del Picchia Raul Bopp
  • 8. OS AUTORES DA PRIMEIRA GERAÇÃO MODERNISTA Ronald de Carvalho Guilherme de Almeida
  • 10. OSWALD DE ANDRADE ✓ Pregava a liberdade na construção do texto; ✓ Buscava formar uma identidade nacional; ✓ Acreditava na relevância da cultura brasileira; ✓ Percebeu que era possível unir a cultura mais popular e a erudita. Pronominais Dê-me um cigarro Diz a gramática Do professor e do aluno E do mulato sabido Mas o bom negro e o bom branco Da Nação Brasileira Dizem todos os dias Deixa disso camarada Me dá um cigarro. ANDRADE, Oswald de.
  • 11. MÁRIO DE ANDRADE ✓ Principal obra: Macunaíma (1928); ✓ Uso do coloquialismo na linguagem; ✓ Debate sobre a identidade nacional; ✓ Inovações na escrita; ✓ Assim como Oswald, foi um dos organizadores da Semana de Arte Moderna. Início de Macunaíma No fundo do mato-virgem nasceu Macunaíma, herói de nossa gente. Era preto retinto e filho do medo da noite. Houve um momento em que o silêncio foi tão grande escutando o murmurejo do Uraricoera, que a índia tapanhumas pariu uma criança feia. Essa criança é que chamaram de Macunaíma. ANDRADE, Mário de. Macunaíma. 22 ed. Belo Horizonte: Itatiaia, 1986. p. 9.
  • 12. MANUEL BANDEIRA ✓ Escrita direta e simples; ✓ Colocava a angústia em suas obras, que eram cotidianas; ✓ Algumas obras apresentam certa nostalgia; ✓ É possível perceber o tradicionalismo e a liberdade em diferentes poemas. Os sapos Enfunando os papos, Saem da penumbra, Aos pulos, os sapos. A luz os deslumbra. Em ronco que aterra, Berra o sapo-boi: – “Meu pai foi à guerra!” – “Não foi!” – “Foi!” – “Não foi!” [...] BANDEIRA, Manuel. Estrela da vida inteira. 16 ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1989. p. 46.
  • 13. ALCÂNTARA MACHADO ✓ Linguagem objetiva (provavelmente, advinda da jornalística), concisa e popular, características que davam dinamismo às suas narrativas; ✓ Observação crítica das transformações pelas quais passava a sociedade paulista. Brás, Bexiga e Barra Funda — Xi, Gaetaninho, como é bom! Gaetaninho ficou banzando bem no meio da rua. O Ford quase derrubou e ele não viu o Ford. O carroceiro disse um palavrão e ele não ouviu o palavrão. — Eh! Gaetaninho! Vem pra dentro. Grito materno sim: até filho surdo escuta. Virou o rosto tão feio de sardento, viu a mãe e viu o chinelo. — Súbito! Foi-se chegando devagarinho, devagarinho. Fazendo beicinho. Estudando o terreno. Diante da mãe e do chinelo parou. [...] MACHADO, Alcântara.
  • 15. A SEGUNDA FASE MODERNISTA FASE CONSTRUTIVA CARACTERÍSTICAS: ✓ Manteve as conquistas de sua fase antecessora; ✓ Aborda temas sociais; ✓ É marcada pelo contexto da Segunda Guerra Mundial; ✓ É chamada por alguns de neorrealista, pois os autores voltam seus olhos para a realidade.
  • 16. OS AUTORES DA SEGUNDA GERAÇÃO MODERNISTA (POESIA) Carlos Drummond de Andrade Jorge de Lima Murilo Mendes
  • 17. OS AUTORES DA SEGUNDA GERAÇÃO MODERNISTA (POESIA) Cecília Meireles Vinicius de Moraes Mário Quintana
  • 18. OS AUTORES DA SEGUNDA GERAÇÃO MODERNISTA (PROSA) Rachel de Queiroz José Lins do Rego Jorge Amado
  • 19. OS AUTORES DA SEGUNDA GERAÇÃO MODERNISTA (PROSA) Graciliano Ramos Érico Veríssimo
  • 20. POESIA DA SEGUNDA GERAÇÃO MODERNISTA Carlos Drummond de Andrade Drummond viveu em um período marcado pela Guerra Fria. A incerteza da época pode ser percebida em sua obra, o eu lírico se mostra sem esperança e impotente diante de certas situações. A morte se fez presente muito cedo na vida da autora, que perdeu a mãe com apenas três anos de idade. Assim, é perceptível o quanto a vida pessoal se insere na obra literária de Meireles. Cecília Meireles
  • 21. PROSA DA SEGUNDA GERAÇÃO MODERNISTA Rachel de Queiroz “O Quinze” (1930) “Caminho de pedras” (1937) “As três Marias” (1939)
  • 22. PROSA DA SEGUNDA GERAÇÃO MODERNISTA Jorge Amado “O país do carnaval” (1931) “Mar morto” (1936) “Capitães da areia” (1937)
  • 23. PROSA DA SEGUNDA GERAÇÃO MODERNISTA Graciliano Ramos “Vidas secas” (1938) Érico Veríssimo “Clarissa” (1933) “Olhai os lírios do campo” (1938)
  • 25. A TERCEIRA FASE MODERNISTA FASE DE REFLEXÃO CARACTERÍSTICAS: ✓ Academicismo; ✓ Passadismo e retorno ao passado; ✓ Oposição à liberdade formal; ✓ Experimentações artísticas (ficção experimental); ✓ Realismo fantástico (contos fantásticos); ✓ Retorno à forma poética (valorização da métrica e da rima); ✓ Influência do Parnasianismo e Simbolismo; ✓ Inovações linguísticas e metalinguagem; ✓ Regionalismo universal; ✓ Temática social e humana; ✓ Linguagem mais objetiva.
  • 26. A TERCEIRA FASE MODERNISTA Em virtude da grande discrepância com o padrão estético inaugurado por nomes como Mário e Oswald de Andrade e Manuel Bandeira — a tríade do Modernismo de 1922 —, muitos críticos literários consideram a terceira geração como pós-modernista, na qual se pode notar um rigor formal distante do proposto pelos precursores do movimento.
  • 27. OS AUTORES DA TERCEIRA GERAÇÃO MODERNISTA Clarice Lispector Guimarães Rosa Lygia Fagundes Telles
  • 28. OS AUTORES DA TERCEIRA GERAÇÃO MODERNISTA Ariano Suassuna João Cabral de Melo Neto Ferreira Gullar
  • 29. OS AUTORES DA TERCEIRA GERAÇÃO MODERNISTA Manoel de Barros
  • 30. PROSA DA TERCEIRA GERAÇÃO MODERNISTA Clarice Lispector “Perto do coração selvagem” (1943) Guimarães Rosa “Grande sertão: veredas” (1958)
  • 31. GERAÇÃO DE 45 Já citados anteriormente, os três autores que se destacaram nesse subgrupo dos terceiros modernistas foram: • JOAO CABRAL DE MELO NETO • FERREIRA GULLAR • MANOEL DE BARROS
  • 32. João Cabral de Melo Neto Ferreira Gullar Manoel de Barros GERAÇÃO DE 45 ✓ Objetividade; ✓ Abordagem de assuntos como pintura, arquitetura e a própria poesia. ✓ Embora pertença ao Modernismo, iniciou-se na literatura contemporânea com o movimento Concretista. ✓ Detalhista nas suas obras, narrou sua infância no Pantanal, falou sobre a Natureza e também sua relação com as palavras.
  • 34. A LITERATURA PÓS-MODERNISTA O Modernismo começa a dividir espaço com outros movimentos a partir das décadas de 1950 e 1960, dando lugar à corrente Concretista. De qualquer forma, o Modernismo foi um marco na representação artística do Brasil, que redescobriu sua identidade e tornou-se um movimento influente nas artes (literatura, TV, teatro) até hoje.