SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 14
IX CONGRESSO IBEROAMERICANO DE PSICOLOGIA 
Terapia familiar e expressão pela arte 
nos problemas de comportamento na 
adolescência 
Francisco Gonçalves Ferreira, Ana Isabel Augusto, Joana Vilhena, Luana Cunha Ferreira 
casa estrela-do-mar 
Centro Terapêutico Multi-Sistémico para Adolescentes e Famílias 
11/09/2014
Terapia Familiar e Expressão pelas Artes na 
Perturbação (Disruptiva) do Comportamento 
A Terapia Familiar: promover competências que 
permitem às famílias lidar com os desafios com que se 
deparam. 
Transformar a Vulnerabilidade numa Força 
Expressão e partilha das Emoções 
Clarificação e Reforço dos limites e espaços de cada subsistema 
Reformulação da função do sintoma 
Re-introdução do jogo nas dinâmicas familiares 
www.casaestreladomar.pt
Terapia Familiar e Expressão pelas Artes na 
Perturbação do Comportamento 
A Expressão pelas Artes, pode surgir como um importante 
complemento à psicologia e à terapia familiar, na medida em 
que permite: 
Desenvolvimento de novas percepções de si; 
Promoção de uma identidade criativa e produtiva; 
Acesso ao conteúdo da experiência não-verbal; 
Construção de um ambiente menos “técnico/sério”. 
Boria, G., Psicoterapia Psicodrammatica. Franco Angeli, Milano,2002. 
www.casaestreladomar.pt
O Teatro e a Expressão pela arte na CEM 
O Teatro e a Expressão pela Arte são componentes 
fundamentais da intervenção da Casa estrela-do-mar 
(CEM). 
www.casaestreladomar.pt
A família da Patrícia 
Breve descrição: 
A família recorreu à Terapia com queixa de: 
Elevada impulsividade e comportamentos agressivos por parte 
da filha mais velha (11 anos); 
Grande dificuldade dos pais em gerir os comportamentos da 
filha; 
Descrição dos sintomas como resistentes às intervenções 
anteriores (leia-se como sintomas a oposição da filha e a 
insegurança/frustração dos pais); 
Medo de que a Patrícia fizesse mal a eles ou a si própria; 
www.casaestreladomar.pt
A Família da Patrícia 
Factores sistémicos relevantes: 
Irmã mais nova como consultora* 
Relato de uma impulsividade familiar 
Narrativa dominante 
Rigidez do sintoma: “já quando nasceu era estranha” 
Lentes de interpretação 
“Quando ela se passa, não sei o que hei de fazer, tenho que ser bruta 
também!...” 
As regras e os castigos 
“às vezes chega a um ponto em que ninguém consegue fazer nada, ela 
decide à última que quer ver a novela até ao fim...e aí temos que a 
arrastar literalmente para o quarto...é muito aflitivo! 
*Andolfi, M. A criança com recurso em terapia. Leya-Caminho, Lisboa, 2014. 
www.casaestreladomar.pt
O Reinado do Sintoma 
Ela é violenta 
Não sabemos lidar 
com a violência 
Não queremos lidar 
com a insegurança 
A insegurança não 
pertence à família! 
Ela tem que ser forte, 
tem que lutar para 
pertencer, para se 
esconder, para se 
controlar... 
Ela é Insegura
Circuitos Alternativos 
Ela está aflita 
Não sabemos como 
podemos ajudar 
Queremos ajudá-la a 
sentir-se melhor 
A Insegurança 
desafia a família 
A família abraça o 
desafio e em equipa 
une-se para construir 
ferramentas e superar 
obstáculos 
Ela está Insegura e 
sente-se sozinha
A Intervenção Familiar 
Focos da Intervenção: 
O Braço de Ferro familiar 
A valorização e reforço positivo 
A função do sintoma* 
As regras menos dependentes dos estados de humor 
A coesão e coerência da equipa parental 
*Lambruschi, F., & Muratori, P. Psicopatologia e psicoterapia dei distrubi della 
condotta. Carocci editore, Roma, 2013. 
www.casaestreladomar.pt
A Intervenção Familiar 
Focos da Intervenção: 
O reforço da conjugalidade 
Tens que ir para a cama porque os pais 
precisam de namorar! 
www.casaestreladomar.pt
A Intervenção pela Arte 
O recurso à expressão pela arte: 
A arte como objectivo / a mudança de comportamentos como 
consequência natural, e não o contrário. 
O “Eu” espontâneo da Dinamizadora da sessão 
O primado da vontade 
Fazer de conta que somos nós próprios 
Representar os sonhos 
Identificar emoções 
Convidar a arte a visitar o mundo interno 
Preparar a mudança 
“Durante a nossa conversa desenhámos isto...e agora? O que lhe 
queremos fazer?” 
www.casaestreladomar.pt
Reflexões sobre resistências 
Este foi (e é) também um processo de terapia conjugal 
camuflada 
A Falta de comunicação entre a família e o 
pedopsiquiatra aumenta a ansiedade dos pais 
Nota: 
O processo terapêutico encontra-se a decorrer, pelo que os 
resultados apresentados dizem respeito aos resultados obtidos 
até ao momento. 
www.casaestreladomar.pt
Outras Referências... 
Carr, A. (2006). Family Therapy. (A. Carr, Ed.). Chichester, UK: John Wiley & Sons 
Ltd. 
Haines, J. & Neumark-Sztainer, D. (2008). Theater as a Beahavior Change Strategy: 
Qualitative findings from a school based intervention. Eating Disorders, 16, 241– 
254 
Larson, R. & Brown, J. (2007). Emotional development in adolescence: What can 
be learned from a high school theater program? Child Development, 78, 1083 – 
1099 
Kindler, R. & Gray, A. (2010). Theatre and Therapy: How improvisation informs the 
analytic hour. Psychoanalytic Inquiry, 30, 254–266. 
Quek, L., White, A., Low, C., Brown, J., Dalton, N., Dow, D., & Connor, J. (2012). 
Good choices, great future: Na applied theatre prevention program to reduce 
alcool-related risky behaviours during schoolies. Drug and Alcohol Review, 31, 
897–902. 
Silva, J. (2013). Entre o teatro e a psicologia: Processos e vivências da mudança 
psicológica em contexto teatral (dissertação de doutoramento). Faculdade de 
Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto. 
www.casaestreladomar.pt
Contactos 
geral@casaestreladomar.pt 
tel.: 914262925 ; 917439469 
www.casaestreladomar.pt

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

conflitos familiares
conflitos familiaresconflitos familiares
conflitos familiaresderciomartins
 
Rumo à psicologia positiva e à resiliência 2ª parte
Rumo à psicologia positiva e à resiliência   2ª parteRumo à psicologia positiva e à resiliência   2ª parte
Rumo à psicologia positiva e à resiliência 2ª parteSara Baptista
 
Como melhorar sua qualidade de vida
Como melhorar sua qualidade de vidaComo melhorar sua qualidade de vida
Como melhorar sua qualidade de vidaMaria Cristina Lopes
 
Estudo de pais 27
Estudo de pais 27Estudo de pais 27
Estudo de pais 27Fatoze
 
Técnicas de abordagem familiar
Técnicas de abordagem familiarTécnicas de abordagem familiar
Técnicas de abordagem familiarLeonardo Savassi
 
Tcc: Emagrecimento e psicologia positiva
Tcc: Emagrecimento e psicologia positivaTcc: Emagrecimento e psicologia positiva
Tcc: Emagrecimento e psicologia positivaFábio Munhoz
 
A Comunicação e os Relacionamentos de Sucesso
A Comunicação e os Relacionamentos de SucessoA Comunicação e os Relacionamentos de Sucesso
A Comunicação e os Relacionamentos de SucessoHuman Pro Solutions
 
Saúde mental, desenvolvimento e transtornos da personalidade
Saúde mental, desenvolvimento e transtornos da personalidadeSaúde mental, desenvolvimento e transtornos da personalidade
Saúde mental, desenvolvimento e transtornos da personalidadeAroldo Gavioli
 
Ferramentas de acesso à família 2010 (carlos brasil)
Ferramentas de acesso à família 2010 (carlos brasil)Ferramentas de acesso à família 2010 (carlos brasil)
Ferramentas de acesso à família 2010 (carlos brasil)Carlos Brasil
 
17. comece depressão na adolescência - 06.2013
17. comece   depressão na adolescência - 06.201317. comece   depressão na adolescência - 06.2013
17. comece depressão na adolescência - 06.2013comece
 
Desequilíbrio Emocional Gera Doenças
Desequilíbrio Emocional Gera DoençasDesequilíbrio Emocional Gera Doenças
Desequilíbrio Emocional Gera Doençasbabibalbis
 
Stresssample
StresssampleStresssample
Stresssamplealfe24
 
Qualidade de Vida e Bem-Estar Subjetivo
Qualidade de Vida e Bem-Estar SubjetivoQualidade de Vida e Bem-Estar Subjetivo
Qualidade de Vida e Bem-Estar Subjetivopsimais
 

Mais procurados (19)

Stress na Adolescência
Stress na AdolescênciaStress na Adolescência
Stress na Adolescência
 
Vida prof saude emocional
Vida prof saude emocionalVida prof saude emocional
Vida prof saude emocional
 
conflitos familiares
conflitos familiaresconflitos familiares
conflitos familiares
 
Rumo à psicologia positiva e à resiliência 2ª parte
Rumo à psicologia positiva e à resiliência   2ª parteRumo à psicologia positiva e à resiliência   2ª parte
Rumo à psicologia positiva e à resiliência 2ª parte
 
Como melhorar sua qualidade de vida
Como melhorar sua qualidade de vidaComo melhorar sua qualidade de vida
Como melhorar sua qualidade de vida
 
Estudo de pais 27
Estudo de pais 27Estudo de pais 27
Estudo de pais 27
 
Técnicas de abordagem familiar
Técnicas de abordagem familiarTécnicas de abordagem familiar
Técnicas de abordagem familiar
 
Tcc: Emagrecimento e psicologia positiva
Tcc: Emagrecimento e psicologia positivaTcc: Emagrecimento e psicologia positiva
Tcc: Emagrecimento e psicologia positiva
 
A Comunicação e os Relacionamentos de Sucesso
A Comunicação e os Relacionamentos de SucessoA Comunicação e os Relacionamentos de Sucesso
A Comunicação e os Relacionamentos de Sucesso
 
Saúde mental, desenvolvimento e transtornos da personalidade
Saúde mental, desenvolvimento e transtornos da personalidadeSaúde mental, desenvolvimento e transtornos da personalidade
Saúde mental, desenvolvimento e transtornos da personalidade
 
Saúde emocional
Saúde emocionalSaúde emocional
Saúde emocional
 
Ferramentas de acesso à família 2010 (carlos brasil)
Ferramentas de acesso à família 2010 (carlos brasil)Ferramentas de acesso à família 2010 (carlos brasil)
Ferramentas de acesso à família 2010 (carlos brasil)
 
17. comece depressão na adolescência - 06.2013
17. comece   depressão na adolescência - 06.201317. comece   depressão na adolescência - 06.2013
17. comece depressão na adolescência - 06.2013
 
Emoções e saúde completo
Emoções e saúde completoEmoções e saúde completo
Emoções e saúde completo
 
Desequilíbrio Emocional Gera Doenças
Desequilíbrio Emocional Gera DoençasDesequilíbrio Emocional Gera Doenças
Desequilíbrio Emocional Gera Doenças
 
Stresssample
StresssampleStresssample
Stresssample
 
Burnout
BurnoutBurnout
Burnout
 
Qualidade de Vida e Bem-Estar Subjetivo
Qualidade de Vida e Bem-Estar SubjetivoQualidade de Vida e Bem-Estar Subjetivo
Qualidade de Vida e Bem-Estar Subjetivo
 
Doenças da alma
Doenças da almaDoenças da alma
Doenças da alma
 

Semelhante a Terapia Familiar Expressão Arte Problemas Comportamento Adolescência

fabcr22_apresentação_Captação de Recursos com emoção
fabcr22_apresentação_Captação de Recursos com emoçãofabcr22_apresentação_Captação de Recursos com emoção
fabcr22_apresentação_Captação de Recursos com emoçãoABCR
 
Nucleovivo novo2 1
Nucleovivo novo2 1Nucleovivo novo2 1
Nucleovivo novo2 1grizzdesign
 
Depressão infantil 2014
Depressão infantil 2014Depressão infantil 2014
Depressão infantil 2014kmillaalves
 
'No Meu Coração Pequenino'_ uma história sobre as emoções infantis.pdf
'No Meu Coração Pequenino'_ uma história sobre as emoções infantis.pdf'No Meu Coração Pequenino'_ uma história sobre as emoções infantis.pdf
'No Meu Coração Pequenino'_ uma história sobre as emoções infantis.pdfVivianeVianna9
 
Revista bem estar-20140112 sentimento humano
Revista bem estar-20140112 sentimento humanoRevista bem estar-20140112 sentimento humano
Revista bem estar-20140112 sentimento humanoFernanda Caprio
 
PRÉ-ESCOLA TERAPÊUTICA LUGAR DE VIDA.pptx
PRÉ-ESCOLA TERAPÊUTICA LUGAR DE VIDA.pptxPRÉ-ESCOLA TERAPÊUTICA LUGAR DE VIDA.pptx
PRÉ-ESCOLA TERAPÊUTICA LUGAR DE VIDA.pptxSEDF
 
O Livro que você Gostaria que Seus Pais Tivessem Lido.pdf
O Livro que você Gostaria que Seus Pais Tivessem Lido.pdfO Livro que você Gostaria que Seus Pais Tivessem Lido.pdf
O Livro que você Gostaria que Seus Pais Tivessem Lido.pdfmaviaeldesouza1
 
E-book-At.-Socioemocionais-vol-1-3.pdf
E-book-At.-Socioemocionais-vol-1-3.pdfE-book-At.-Socioemocionais-vol-1-3.pdf
E-book-At.-Socioemocionais-vol-1-3.pdfMarianneMeneses1
 
Schiz-X: Conversando Sobre A Esquizofrenia - Vol. 2 - Caminho até o diagnóstico
Schiz-X: Conversando Sobre A Esquizofrenia - Vol. 2 - Caminho até o diagnósticoSchiz-X: Conversando Sobre A Esquizofrenia - Vol. 2 - Caminho até o diagnóstico
Schiz-X: Conversando Sobre A Esquizofrenia - Vol. 2 - Caminho até o diagnósticoSchiz Ophrenic
 
Livro das emoções para os pais-infantil.pdf
Livro das emoções para os pais-infantil.pdfLivro das emoções para os pais-infantil.pdf
Livro das emoções para os pais-infantil.pdfAndersonSouzaCapacit
 
Autismo e Espiritismo.pdf
Autismo e Espiritismo.pdfAutismo e Espiritismo.pdf
Autismo e Espiritismo.pdfKarineGiotti
 
Disciplina, limite na_medida_certa_-_içami_tiba
Disciplina, limite na_medida_certa_-_içami_tibaDisciplina, limite na_medida_certa_-_içami_tiba
Disciplina, limite na_medida_certa_-_içami_tibaHeraldo Rimoli
 
Schiz-X: Conversando Sobre A Esquizofrenia - Vol. 5 - O convívio familiar
Schiz-X: Conversando Sobre A Esquizofrenia - Vol. 5 - O convívio familiarSchiz-X: Conversando Sobre A Esquizofrenia - Vol. 5 - O convívio familiar
Schiz-X: Conversando Sobre A Esquizofrenia - Vol. 5 - O convívio familiarSchiz Ophrenic
 

Semelhante a Terapia Familiar Expressão Arte Problemas Comportamento Adolescência (20)

fabcr22_apresentação_Captação de Recursos com emoção
fabcr22_apresentação_Captação de Recursos com emoçãofabcr22_apresentação_Captação de Recursos com emoção
fabcr22_apresentação_Captação de Recursos com emoção
 
Nucleovivo novo2 1
Nucleovivo novo2 1Nucleovivo novo2 1
Nucleovivo novo2 1
 
Nucleovivo
NucleovivoNucleovivo
Nucleovivo
 
Depressão infantil 2014
Depressão infantil 2014Depressão infantil 2014
Depressão infantil 2014
 
'No Meu Coração Pequenino'_ uma história sobre as emoções infantis.pdf
'No Meu Coração Pequenino'_ uma história sobre as emoções infantis.pdf'No Meu Coração Pequenino'_ uma história sobre as emoções infantis.pdf
'No Meu Coração Pequenino'_ uma história sobre as emoções infantis.pdf
 
Revista bem estar-20140112 sentimento humano
Revista bem estar-20140112 sentimento humanoRevista bem estar-20140112 sentimento humano
Revista bem estar-20140112 sentimento humano
 
Bullying na adolescência
Bullying na adolescênciaBullying na adolescência
Bullying na adolescência
 
Empatia
Empatia Empatia
Empatia
 
PRÉ-ESCOLA TERAPÊUTICA LUGAR DE VIDA.pptx
PRÉ-ESCOLA TERAPÊUTICA LUGAR DE VIDA.pptxPRÉ-ESCOLA TERAPÊUTICA LUGAR DE VIDA.pptx
PRÉ-ESCOLA TERAPÊUTICA LUGAR DE VIDA.pptx
 
Desenho da Família
Desenho da FamíliaDesenho da Família
Desenho da Família
 
O Livro que você Gostaria que Seus Pais Tivessem Lido.pdf
O Livro que você Gostaria que Seus Pais Tivessem Lido.pdfO Livro que você Gostaria que Seus Pais Tivessem Lido.pdf
O Livro que você Gostaria que Seus Pais Tivessem Lido.pdf
 
Nucleovivo novo 2
Nucleovivo novo 2Nucleovivo novo 2
Nucleovivo novo 2
 
E-book-At.-Socioemocionais-vol-1-3.pdf
E-book-At.-Socioemocionais-vol-1-3.pdfE-book-At.-Socioemocionais-vol-1-3.pdf
E-book-At.-Socioemocionais-vol-1-3.pdf
 
Schiz-X: Conversando Sobre A Esquizofrenia - Vol. 2 - Caminho até o diagnóstico
Schiz-X: Conversando Sobre A Esquizofrenia - Vol. 2 - Caminho até o diagnósticoSchiz-X: Conversando Sobre A Esquizofrenia - Vol. 2 - Caminho até o diagnóstico
Schiz-X: Conversando Sobre A Esquizofrenia - Vol. 2 - Caminho até o diagnóstico
 
Livro das emoções para os pais-infantil.pdf
Livro das emoções para os pais-infantil.pdfLivro das emoções para os pais-infantil.pdf
Livro das emoções para os pais-infantil.pdf
 
Sa final
Sa finalSa final
Sa final
 
Autismo e Espiritismo.pdf
Autismo e Espiritismo.pdfAutismo e Espiritismo.pdf
Autismo e Espiritismo.pdf
 
22
2222
22
 
Disciplina, limite na_medida_certa_-_içami_tiba
Disciplina, limite na_medida_certa_-_içami_tibaDisciplina, limite na_medida_certa_-_içami_tiba
Disciplina, limite na_medida_certa_-_içami_tiba
 
Schiz-X: Conversando Sobre A Esquizofrenia - Vol. 5 - O convívio familiar
Schiz-X: Conversando Sobre A Esquizofrenia - Vol. 5 - O convívio familiarSchiz-X: Conversando Sobre A Esquizofrenia - Vol. 5 - O convívio familiar
Schiz-X: Conversando Sobre A Esquizofrenia - Vol. 5 - O convívio familiar
 

Último

Amamentação: motricidade oral e repercussões sistêmicas - TCC
Amamentação: motricidade oral e repercussões sistêmicas - TCCAmamentação: motricidade oral e repercussões sistêmicas - TCC
Amamentação: motricidade oral e repercussões sistêmicas - TCCProf. Marcus Renato de Carvalho
 
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfSistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfGustavoWallaceAlvesd
 
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjdMedicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjdClivyFache
 
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃOeMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃOMayaraDayube
 
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery  after surgery in neurosurgeryEnhanced recovery  after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery after surgery in neurosurgeryCarlos D A Bersot
 
Assistencia de enfermagem no pos anestesico
Assistencia de enfermagem no pos anestesicoAssistencia de enfermagem no pos anestesico
Assistencia de enfermagem no pos anestesicoWilliamdaCostaMoreir
 

Último (6)

Amamentação: motricidade oral e repercussões sistêmicas - TCC
Amamentação: motricidade oral e repercussões sistêmicas - TCCAmamentação: motricidade oral e repercussões sistêmicas - TCC
Amamentação: motricidade oral e repercussões sistêmicas - TCC
 
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfSistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
 
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjdMedicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
 
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃOeMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
 
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery  after surgery in neurosurgeryEnhanced recovery  after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
 
Assistencia de enfermagem no pos anestesico
Assistencia de enfermagem no pos anestesicoAssistencia de enfermagem no pos anestesico
Assistencia de enfermagem no pos anestesico
 

Terapia Familiar Expressão Arte Problemas Comportamento Adolescência

  • 1. IX CONGRESSO IBEROAMERICANO DE PSICOLOGIA Terapia familiar e expressão pela arte nos problemas de comportamento na adolescência Francisco Gonçalves Ferreira, Ana Isabel Augusto, Joana Vilhena, Luana Cunha Ferreira casa estrela-do-mar Centro Terapêutico Multi-Sistémico para Adolescentes e Famílias 11/09/2014
  • 2. Terapia Familiar e Expressão pelas Artes na Perturbação (Disruptiva) do Comportamento A Terapia Familiar: promover competências que permitem às famílias lidar com os desafios com que se deparam. Transformar a Vulnerabilidade numa Força Expressão e partilha das Emoções Clarificação e Reforço dos limites e espaços de cada subsistema Reformulação da função do sintoma Re-introdução do jogo nas dinâmicas familiares www.casaestreladomar.pt
  • 3. Terapia Familiar e Expressão pelas Artes na Perturbação do Comportamento A Expressão pelas Artes, pode surgir como um importante complemento à psicologia e à terapia familiar, na medida em que permite: Desenvolvimento de novas percepções de si; Promoção de uma identidade criativa e produtiva; Acesso ao conteúdo da experiência não-verbal; Construção de um ambiente menos “técnico/sério”. Boria, G., Psicoterapia Psicodrammatica. Franco Angeli, Milano,2002. www.casaestreladomar.pt
  • 4. O Teatro e a Expressão pela arte na CEM O Teatro e a Expressão pela Arte são componentes fundamentais da intervenção da Casa estrela-do-mar (CEM). www.casaestreladomar.pt
  • 5. A família da Patrícia Breve descrição: A família recorreu à Terapia com queixa de: Elevada impulsividade e comportamentos agressivos por parte da filha mais velha (11 anos); Grande dificuldade dos pais em gerir os comportamentos da filha; Descrição dos sintomas como resistentes às intervenções anteriores (leia-se como sintomas a oposição da filha e a insegurança/frustração dos pais); Medo de que a Patrícia fizesse mal a eles ou a si própria; www.casaestreladomar.pt
  • 6. A Família da Patrícia Factores sistémicos relevantes: Irmã mais nova como consultora* Relato de uma impulsividade familiar Narrativa dominante Rigidez do sintoma: “já quando nasceu era estranha” Lentes de interpretação “Quando ela se passa, não sei o que hei de fazer, tenho que ser bruta também!...” As regras e os castigos “às vezes chega a um ponto em que ninguém consegue fazer nada, ela decide à última que quer ver a novela até ao fim...e aí temos que a arrastar literalmente para o quarto...é muito aflitivo! *Andolfi, M. A criança com recurso em terapia. Leya-Caminho, Lisboa, 2014. www.casaestreladomar.pt
  • 7. O Reinado do Sintoma Ela é violenta Não sabemos lidar com a violência Não queremos lidar com a insegurança A insegurança não pertence à família! Ela tem que ser forte, tem que lutar para pertencer, para se esconder, para se controlar... Ela é Insegura
  • 8. Circuitos Alternativos Ela está aflita Não sabemos como podemos ajudar Queremos ajudá-la a sentir-se melhor A Insegurança desafia a família A família abraça o desafio e em equipa une-se para construir ferramentas e superar obstáculos Ela está Insegura e sente-se sozinha
  • 9. A Intervenção Familiar Focos da Intervenção: O Braço de Ferro familiar A valorização e reforço positivo A função do sintoma* As regras menos dependentes dos estados de humor A coesão e coerência da equipa parental *Lambruschi, F., & Muratori, P. Psicopatologia e psicoterapia dei distrubi della condotta. Carocci editore, Roma, 2013. www.casaestreladomar.pt
  • 10. A Intervenção Familiar Focos da Intervenção: O reforço da conjugalidade Tens que ir para a cama porque os pais precisam de namorar! www.casaestreladomar.pt
  • 11. A Intervenção pela Arte O recurso à expressão pela arte: A arte como objectivo / a mudança de comportamentos como consequência natural, e não o contrário. O “Eu” espontâneo da Dinamizadora da sessão O primado da vontade Fazer de conta que somos nós próprios Representar os sonhos Identificar emoções Convidar a arte a visitar o mundo interno Preparar a mudança “Durante a nossa conversa desenhámos isto...e agora? O que lhe queremos fazer?” www.casaestreladomar.pt
  • 12. Reflexões sobre resistências Este foi (e é) também um processo de terapia conjugal camuflada A Falta de comunicação entre a família e o pedopsiquiatra aumenta a ansiedade dos pais Nota: O processo terapêutico encontra-se a decorrer, pelo que os resultados apresentados dizem respeito aos resultados obtidos até ao momento. www.casaestreladomar.pt
  • 13. Outras Referências... Carr, A. (2006). Family Therapy. (A. Carr, Ed.). Chichester, UK: John Wiley & Sons Ltd. Haines, J. & Neumark-Sztainer, D. (2008). Theater as a Beahavior Change Strategy: Qualitative findings from a school based intervention. Eating Disorders, 16, 241– 254 Larson, R. & Brown, J. (2007). Emotional development in adolescence: What can be learned from a high school theater program? Child Development, 78, 1083 – 1099 Kindler, R. & Gray, A. (2010). Theatre and Therapy: How improvisation informs the analytic hour. Psychoanalytic Inquiry, 30, 254–266. Quek, L., White, A., Low, C., Brown, J., Dalton, N., Dow, D., & Connor, J. (2012). Good choices, great future: Na applied theatre prevention program to reduce alcool-related risky behaviours during schoolies. Drug and Alcohol Review, 31, 897–902. Silva, J. (2013). Entre o teatro e a psicologia: Processos e vivências da mudança psicológica em contexto teatral (dissertação de doutoramento). Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto. www.casaestreladomar.pt
  • 14. Contactos geral@casaestreladomar.pt tel.: 914262925 ; 917439469 www.casaestreladomar.pt