Body Art

1.281 visualizações

Publicada em

body art, movimento, características, artistas e contexto

Publicada em: Arte e fotografia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.281
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
35
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Body Art

  1. 1. Body Art Docente Prof. Dr. Tiago Franklin Discentes Jéssica Pádua Kleber Felipe Luana Colosio Seminário do 1º Bimestre Arte Digital
  2. 2. Introdução Século XX  Arte que questiona;  Georges Braque e Pablo Picasso;  O conteúdo da tela passou a ir além da tinta;  Esta “luta com a tela” definiu o caminho para muitos artistas do século XX. BODY ART
  3. 3. Guernica Pablo Picasso BODY ART
  4. 4. BODY ART
  5. 5. BODY ART  Abstração, surrealismo e conceitualismo são algumas formas do século XX;  Profundo questionamento das pinturas tradicionais;  “Natureza Experimental”;  Os artistas passaram a romper limites da pintura e escultura;  Acarretando o uso de novos materiais ao seu trabalho;  Passaram a usar novos meios tecnológicos e novas ideias de tempo e espaço.
  6. 6. Segundo Gene Younglood: “Toda Arte é experimental” ou “não é arte”. BODY ART
  7. 7.  Mundo eletronicamente conectado;  A rápida expansão de práticas artísticas que vão além da escultura e pintura tradicionais até o uso quase frenético de objetos do cotidiano no cenário da arte;  Preocupação central do artista contemporâneo; BODY ART
  8. 8.  Marcel Duchamp;  O artista já não esta sujeito à força gravitacional da tela, ele ficou livre para expressar qualquer conceito, por qualquer meio possível. A arte ficou entrelaçada com “O pessoal” BODY ART
  9. 9. Atualmente, a arte interativa computadorizada proporciona e requer uma suspensão do tempo, enquanto o observador celebra um contrato com a máquina que inicia e sustenta a ação artística. BODY ART
  10. 10. Contexto Origem na premissa de Duchamp "tudo pode ser usado como uma obra de arte", inclusive o corpo. Então, no final da década de 60, houve o reconhecimento da capacidade de comunicação do corpo humano, pelo seu significado e expressividade; BODY ART RITOS > IDEAL> IGREJA > NATUREZA > HOMEM
  11. 11. O que é Body Art? Apropriar-se do corpo como suporte, meio de expressão, e intervenções de modo geral, para criação artística; Corpo encarado enquanto matéria (sangue, suor, química e física do corpo), como um vasto campo de possibilidades de criações; Exige pesquisa, análise e conceito; BODY ART
  12. 12. Alguns tipos de de Body Art Escarificações Suspensão do corpo Tatuagens Maquiagens Implantes Piercing Deformações Ferimentos Pinturas corporais BODY ART
  13. 13. Associada à violência, à dor e ao esforço físico; Desafiavam os limites do corpo; Objetivo de chocar o espectador e provocar emoções fortes! BODY ART Rudolf Schwarzkogle (1940-1969) Suicida-se, aos 29 anos, diante do público, numa performance.
  14. 14. Apresentação As manifestações de Body Art assumem por vezes caráter de rituais, apresentações públicas, ligando-se à performance e o happining. Ou transmitidas através de documentações, vídeos e fotografias. BODY ART
  15. 15. BODY ART
  16. 16. BODY ART
  17. 17. Renato Cohen pesquisador brasileiro A Body Art é o movimento em que: “A artista é sujeito e objeto de sua arte (ao invés de pintar, de esculpir algo, ele mesmo se coloca enquanto escultura viva)” BODY ART
  18. 18. Body Art x Body Modification  Diferem-se pelo nome, já de início  Alteração deliberada da anatomia humana ou aparência física;  Estética;  Ex: aumentar o desejo sexual, ritos de passagem, crenças religiosas, mostrar a associação de grupo ou afiliação, valor de choque, autoexpressão, entre outras. BODY ART
  19. 19. Conclusão: “A Body Art pode acontecer sem estar ligada com a modificação do corpo e a modificação corporal não está sempre inclusa em um contexto artístico” BODY ART *A modificação corporal não necessariamente é uma manifestação artística, o que não a desqualifica como prática cultural e social e tão pouco retira sua legitimidade simbólica e histórica.
  20. 20. CORPO E ARTE DIGITAL  A participação do corpo nas experiências artísticas digitais é o resultado da experiência estética;  Quando reconfiguramos nosso corpo estamos experimentando o mundo;  As interações entre o corpo e maquina, corpo e objeto, contribui muito para a estética tecnológica, e vice-versa.  A atualização do corpo BODY ART
  21. 21. Couto, 1999 BODY ART “Aponta a necessidade que os sujeitos possuem de se autorecriarem, apropriando-se dos modelos corporais que circulam na mídia”
  22. 22. ARTISTAS DO CORPO Yves Klein, o precursor BODY ART
  23. 23. Yves Klein  Utilizava o corpo para imprimir representações em grandes telas “pincéis vivos”. BODY ART
  24. 24. BODY ART
  25. 25. Yves Klein BODY ART
  26. 26. Marina Abramović “vovó da performance”  Body Artist e Performer  Iniciou sua carreira no início dos anos 70 e manteve-se em atividade desde então.  Seu trabalho os limites do corpo e as possibilidades da mente. "Vivemos num estado de sonho, ignorando os outros", diz a artista. "Nunca olhamos ninguém nos olhos de verdade. Quero derrubar essas barreiras. Se você olhar fundo nos olhos de alguém, terá respostas a todas as suas perguntas." BODY ART
  27. 27. Carolee Schneemann  Conhecida por seus discursos sobre o corpo, sexualidade e gênero  Sua obra desenvolve-se no momento da afirmação do feminismo;  Lida com o registro do corpo;  Se divertia com os tabus sociais e desafiadores em seus trabalhos;  Busca retratar a expressão sexual e a libertação feminina. BODY ART
  28. 28. Carolee Schneemann BODY ART
  29. 29. Entrevista com Fernanda Maleski BODY ART
  30. 30. No seu entendimento, o que é Body art? “Body Art é tudo o que envolve alguma arte feita no corpo humano. Podem ser tatuagens, piercing, incluindo escarificações e implantes.” BODY ART
  31. 31. Que relação você mantém ou manteve com a Body art? “Eu trabalhei num estúdio de tatuagem por um tempo no Brasil como Body Pierce e ao mesmo tempo estava aprendendo a tatuar. No fim, percebi que mesmo amando meu trabalho lá, eu gostava mesmo é de apenas apreciar a arte, sem ter que trabalhar com isso. Hoje tenho ambos os ante abraços e panturrilhas tatuados, alguns piercings pelo corpo e já pensando na próxima que vou fazer. Tatuagem é um negocio viciante! (quem possui sabe, haha)” BODY ART
  32. 32. O que é mais importante: o significado ou a estética? “Eu prefiro a estética. Acho que ter uma arte bem feita em você é algo que você não vai se arrepender nunca. Eu não tatuaria algo “feinho” só porque significa algo lindo ou lembra alguma pessoa que eu gosto. Prefiro fazer algo bonito que tenha um significado bem pessoal – e que eu nem tenha a obrigação de ficar contanto pra todo mundo o porquê da tattoo – e que se depois o significado perder o sentido, eu sei lá... Invento outro? Mas a tatuagem vai ser bonita do mesmo jeito. BODY ART
  33. 33. VÍDEO “Extreme Body Modifications” BODY ART

×