Bardana
Nome Científico:  Arctium minus
Características Gerais:  As folhas são rosuladas basais no primeiro ano, muito largas, com a parte de baixo branca – tomen...
Utilização:  Na Europa e no Japão as plantas são consumidas como verdura.  Na medicina caseira serve como depurativas, diu...
Parte da Planta utilizada:  Todas as partes da planta são utilizadas.
Forma de utilização:  Em forma de chá, ou ingestão das sementes e raízes.
Toxicidade:  Sua toxicidade é desconhecida.
IMAGENS
Fonte:  Plantas Medicinais do Brasil nativas e exóticas, Autor: Harri Lorenzi e F. J. Abreu Matos. Imagens:  internet.
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Bardana

7.036 visualizações

Publicada em

Bardana, planta medicinal brasileira.

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.036
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
46
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
29
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Bardana

  1. 1. Bardana
  2. 2. Nome Científico: Arctium minus
  3. 3. Características Gerais: As folhas são rosuladas basais no primeiro ano, muito largas, com a parte de baixo branca – tomentosa, as caulinares formadas no segundo ano ano são menores, de 5 à 17 cm de comprimento.
  4. 4. Utilização: Na Europa e no Japão as plantas são consumidas como verdura. Na medicina caseira serve como depurativas, diuréticos, diaforéticas, anti-sépticas, e estomáquicas. Também pode ser usada contra afecções de pele, das vias urinárias, reumatismo e gota, diabetes, afecções gástricas e hepáticas, diurético e laxativo.
  5. 5. Parte da Planta utilizada: Todas as partes da planta são utilizadas.
  6. 6. Forma de utilização: Em forma de chá, ou ingestão das sementes e raízes.
  7. 7. Toxicidade: Sua toxicidade é desconhecida.
  8. 8. IMAGENS
  9. 9. Fonte: Plantas Medicinais do Brasil nativas e exóticas, Autor: Harri Lorenzi e F. J. Abreu Matos. Imagens: internet.

×