Características do Jornalismo Online

5.446 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

Características do Jornalismo Online

  1. 1. Webjornalismo e o jornalista
  2. 2. Interatividade <ul><li>É o forte da internet. </li></ul><ul><li>É possível conversar, opinar, interferir no conteúdo, reclamar, elogiar... Tudo ao alcance do mouse . </li></ul>Exige compromisso por parte do veículo e do jornalista, que não deve deixar o leitor sem retorno. Alguns jornais dos EUA já criaram uma editoria de interatividade
  3. 6. http://noticias.uol.com.br/ultnot/grupos/
  4. 10. Instantaneidade <ul><li>Possibilidade de atualização constante 24 horas por dia, 7 dias na semana . </li></ul>Compromisso com a credibilidade da informação deve ser maior do que a rapidez na publicação da notícia
  5. 12. Hipertextualidade <ul><li>Permite o acesso a informações paralelas e inserção de longos documentos em camadas; </li></ul>Como o leitor é quem compõe o texto, o conteúdo da internet deve ser trabalhado em blocos relativamente independentes. É importante ter noções de arquitetura informacional.
  6. 16. Intertextualidade <ul><li>Cruzamento de textos, complemento da informação, citação de outras matérias </li></ul>Jornalistas com cultura ampla, memória histórica iniciativa
  7. 18. Multimidialidade <ul><li>Ou convergência de mídias – possibilidade de mostrar áudio, vídeo, imagens e texto, o que não acontece nos outros veículos. </li></ul>Exige do profissional capacidade de adequação da linguagem e criatividade na utilização dos recursos Multimídia
  8. 19. Infográficos
  9. 20. Personalização <ul><li>Em alguns sites, é possível “controlar&quot; a informação, p.e., exibindo apenas assuntos de interesse do usuário; </li></ul>Conhecer o público e suas necessidades é fundamental para o trabalho do webjornalista. Também um dos maiores desafios.
  10. 25. Memória <ul><li>Ao contrário dos outros veículos, a memória de um site está a um passo do mouse, o que amplia a capacidade do leitor de contextualizar a informação. </li></ul>Mas cabe ao jornalista dar sentido ao volume de informação disponibilizado na rede, contextualizando e facilitando o entendimento do leitor
  11. 28. O que não muda nunca <ul><li>Independência </li></ul><ul><li>Credibilidade </li></ul><ul><li>Criatividade </li></ul><ul><li>“Espírito jornalístico” </li></ul>
  12. 29. Desafios: <ul><li>Direitos autorais </li></ul><ul><li>Credibilidade </li></ul><ul><li>Qualidade do texto </li></ul><ul><li>Retorno financeiro </li></ul><ul><li>Tempo x qualidade </li></ul>
  13. 30. Olimpíadas na convergência
  14. 32. Multimidialidade/Convergência
  15. 33. Fotos
  16. 34. Maria Isabel, Pollyanna e Tatiana
  17. 35. Galeria de imagens
  18. 36. Vídeos
  19. 37. Transmissão ao vivo
  20. 39. TV chinesa
  21. 40. Canais YouTube
  22. 41. Comitê Olímpico brasileiro
  23. 42. Videocasts
  24. 43. Áudio
  25. 44. Podcast
  26. 45. Infográficos
  27. 48. Interatividade
  28. 49. Chat durante transmissões
  29. 50. Fanzone
  30. 51. Fanzone CNN
  31. 52. Fórum
  32. 53. Pergunte ao Time Brasil no You Tube
  33. 54. My games show – webcam ao vivo na BBC
  34. 55. Quiz Zero-Hora
  35. 56. Jogo - ZH
  36. 57. Crônicas, coleções, fotos - ZH
  37. 58. Mural
  38. 59. Ring tones
  39. 60. Enquete
  40. 61. Instantaneidade
  41. 62. Twitter
  42. 63. Memória
  43. 64. Web 2.0
  44. 65. Jornalismo cidadão
  45. 66. Clipping – Google News
  46. 67. Blogs de jornalistas
  47. 68. Blogs de atletas
  48. 69. Blogs curiosos
  49. 70. Corujão - ZH
  50. 71. Widgets (uídjits) ou Gadgets
  51. 72. Mashups São serviços criados pela combinação de dois aplicativos diferentes para a internet. Por exemplo, um site de mapas online junto com um serviço de anúncios de imóveis, mostrando a localização das casas que estão à venda.
  52. 74. Wiki
  53. 76. Nichos de público
  54. 78. London 2012

×