Luis Rasquilha: Entrevista Villeneuve

429 visualizações

Publicada em

Entrevista á marca de roupa Villeneuve Brasil.

Publicada em: Negócios
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
429
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
40
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Luis Rasquilha: Entrevista Villeneuve

  1. 1. Luis Rasquilha, faz parte do Mundo Villeneuve. http://modavilleneuve.tumblr.com/post/82157802606/luis-rasquilha-faz-parte-do-mundo-villeneuve Admirados, inspiradores, precursores…. Essas são as estrelas que inspiram nossa marca! Pessoas de sucesso, sejam por seu posicionamento na vida, em suas carreiras, em suas escolhas, motivações, superações, positividade, criatividade e, a essência principal que é a vontade de fazer a diferença em um mundo repleto de iguais. O convidado dessa semana, que tomou um café conosco, é Luis Rasquilha, que detém uma ficha técnica impecável, um tipico workaholic que vive de país em país disseminando inovações. Mas, seria mesmo, ele, tão tipico e tradicional? Afinal quantos executivos e CEO’s você conhece que possuem 54 pares de tênis extravagantemente coloridos? E que faz questões de usa- los no dia a dia operacional de suas muitas palestras, eventos e também, claro, nos seus momentos de puro lazer? Luis é CEO na AYR Consulting, Worldwide, consultora mundial de Tendências e Inovação Estratégica, com presença em 4 continentes e matriz recentemente trazida da Europa para São Paulo, que actua na monitorização e identificação de tendências, desenvolvendo processos de inovação empresarial. Luis tem como formação acadêmica: Criatividade e Design Thinking (Stanford, USA), Empreendedorismo e Gestão da Inovação (UCP, Portugal), Gestão (ISG e ISCTE, Portugal), Marketing (UCP, Portugal) e Comunicação (INP, Portugal). Atuou em vários países como Portugal, França, Bélgica, Holanda, Cabo-Verde, USA, Moçambique, Inglaterra e Brasil. É autor e coautor de 18 livros relacionados com as temáticas da Comunicação, Marketing, Tendências e Inovação e professor convidado em Busines Schools e Universidades na Europa e na América Latina (Brasil – FIA, Saint Paul Business School, HSM Educação, ESAMC e INOVA Business School). Pois bem, esse é Luis Rasquilha. Um homem que aos 39 anos, pode usar tênis coloridos sem perder a excelência e maestria da profissão que escolheu seguir como legado inspirador para essa, e futuras gerações inovadoras e criativas.
  2. 2. E para os mais céticos, veja a brasilidade em um dos seus pares: A equipe Villeneuve não perdeu tempo, e com um bate papo descontraído e agradável, Luis compartilhou conosco suas impressões sobre o varejo nacional, e até divagaram sobre musicalidade poética. O vídeo com todo o bate papo, em breve, estará disponível aqui. Fiquem atentos. Por ora, algumas questões que valem a pena serem lidas e refletidas mediante o ponto de vista desse grande profissional.
  3. 3. Entrevista concedida em 04 de abril de 2014 no Joe e Leo’s Shopping Parque Dom Pedro Campinas. Luis Rasquila, claro, veste Villeneuve. Villeneuve: No Brasil o empreendedorismo não é algo que vem da família, diferente dos USA onde as crianças são incentivadas a venderem limonada ou fazer as liquidações de garagens, nas escolas brasileiras isso é algo também que não é valorizado, você vem de um País tem que fortes ligações históricas e logicamente culturais com o Brasil, e isso deve ter sido determinante pra sua vinda pra cá, mas sabemos que existem muitas diferenças, qual foi o momento marcante do jovem Luis que o levou ao Empreendedorismo? Como isso fez parte da sua formação? Luis Rasquilha: O empreendedorismo ainda que de forma indireta sempre esteve na minha vida. O meu pai (profissional da área de seguros) tinha a sua empresa (mediadora de seguros) desde os meus 7/8 anos. Sempre o vi
  4. 4. muito empenhado e dedicado ao trabalho. Talvez aí tenha despertar algo em mim que só mais tarde ganhou forma. Já fiz e participei na criação de 6 empresas ao longo da vida. Umas com mais sucesso, outras com menos. A AYR foi a que resultou de todo o aprendizado. Também na minha formação o empreendedorismo existiu: na graduação, entre 1993 e 1997, um professor da matéria de Marketing nos incentivou a criar um produto inexistente para um trabalho. Não lhe chamou em empreendedorismo nem inovação mas estavam lá ambas as vertentes. Também no meu MBA em 2003 tive uma disciplina de empreendedorismo que focou a importância do criar empreendimentos e negócios. E mais recentemente em 2009 no meu Master em Empreendedorismo e Gestão da Inovação o foco era totalmente aí. Acho que isso somado construiu um mapa mental empreendedor que hoje me ajuda muito no meu dia a dia enquanto professor e executivo. Villeneuve: Em uma das suas palestras, mais especificamente na TED Lisboa você aborda a questão da importância de sair da teoria e partir para a prática, no entanto sabemos que a Educação, principalmente de nível superior tanto no Brasil quanto em Portugal tem uma política de formação individualista, o que na prática no mercado é bem diferente, o talento está em se adaptar a essa mudança comportamental? O que é mais importante, ser individualista ou colaborativo? Luis Rasquilha: A prática vai no futuro assumir 80% da formação superior no mundo, sendo a teórica responsável pelos outros 20. Não me interessa nada saber de cor as definições e os conceitos sem saber como usá-los na prática. Sempre digo aos meus alunos: o Presidente da empresa nunca perguntará o que é Marketing. Ele vai pedir para vocês resolverem o problema de Marketing. Teoria e Prática andam juntas mas não é sustentável um modelo de ensino teórico baseado em livros, citações e referencias sem colocar a mão na massa, ou seja, sem fazer. O saber fazer é cada vez mais importante. Acho que algumas Universidades e professores ainda não entenderam isso. Daí talvez o afastamento que ainda se vê entre o mundo acadêmico e o profissional e o surgimento de business schools e universidades corporativas com tanto sucesso. Em cima disso a prática de sucesso é aquela que junta perspectivas, mentes e pessoas, logo eu só aceito uma educação colaborativa, de partilha e crescimento conjunto entre alunos e professores e entre alunos como grupos de trabalho.
  5. 5. Villeneuve: Hoje nossa sociedade vive em uma época marcada por uma furiosa velocidade da informação, como antecipar mudanças em um cenário tão dinâmico? Pessoas, processos e tecnologias, o que é preciso para alinhar essa tríade? Luis Rasquilha: Passamos da era da informação para a era do conhecimento. A velocidade a que o mundo anda é maior, as transformações mais rápidas e profundas e para estar na crista da onda é preciso manter um espaço de atualização permanente em nossas agendas, de consumo de conteúdo relevante ás nossas vidas e de relacionamento com outras pessoas que nos complementem em conhecimento e experiência. Villeneuve: Em 1982 um genial artista brasileiro chamado Lulu Santos foi muito feliz ao escrever: Eu vejo um novo começo de era, de gente fina, elegante e sincera, com habilidade pra dizer mais sim do que não. A questão é que todo mundo, independente de qualquer classe ou classificação, de sonhos ou possibilidades tem um mesmo objetivo que é serem felizes, como uma empresa pode romper o paradigma de produzir artefatos para produzir sorrisos? Luis Rasquilha: A gestão dos sorrisos é a única que leva empresas e profissionais ao sucesso. Antes de vender produtos u serviços vendemos experiências, sonhos e no final do processo benefícios que geram sorrisos e sentimentos de felicidade. Mais do que produtos vendemos experiências e as empresas precisam incorporar isso nos seus DNA’s para ganharem mais clientes, amigos e terem mais sucesso. Villeneuve: Onda, moda ou tendência? Qual a diferença? Ao seu ver as Empresas reconhecem essa diferenciação? Luis Rasquilha: ONDAS: Vêm com um impacto grande, mas dissipam-se rapidamente. As pessoas incorporam-nas sem entenderem porquê. Dizem- nos o que se está a passar agora. MODAS: Incorporadas de forma consciente na rotina diária. Não acarretam mudança de comportamentos. Têm um impacto menor que as Ondas mas duram mais tempo. Dão-nos a indicação do que aplicar, agora e durante algum tempo.
  6. 6. TENDÊNCIAS: Resultado de uma mudança de comportamento. Começam de forma mais tímida que a Onda e a Moda mas a sua duração é grande e com impactos profundos. Assumidas como uma mentalidades emergentes e dominantes. Dão-nos pistas e insights sobre o que desenvolver e fazer, agora e para o futuro. Uma Tendência é um PROCESSO DE MUDANÇA que resulta da observação do comportamento dos consumidores e que origina a criação e o desenvolvimento de novas ideias: de negócio, de produto ou serviço, de marca ou de ação. É um processo de mudança comportamental que está assente em mentalidades emergentes e que é suportada, posteriormente, em interpretações passíveis de gerar insights capazes de serem convertidos em negócios. Insight é tudo o que, do ponto-de-vista do Consumidor, traz uma nova e relevante forma de ver, criar, produzir e vender uma Companhia, Marca, Produto ou Serviço. Villeneuve: Você já escreveu dezoito livros sobre Negócios, é professor e também coordena vários núcleos empresariais ao redor do mundo, o que e quem te move ou inspira? Qual o seu maior objetivo e qual o seu legado para o mundo? Luis Rasquilha: As vezes nem acredito em tudo isso. As faculdades, as empresas, as pessoas com quem trabalhei e trabalho e o nível de confiança que temos uns nos outros levam-nos a produzir coisas nunca pensadas. De fato nunca pensei chegar nem perto de onde estou (estamos, enquanto empresa). Acredito no valor do trabalho, do empenho e da dedicação. Acredito muito em inspiração mas muito mais em transpiração, porque é esta que dá corpo à primeira. Inspira-me o fato de trabalharmos no limiar do conhecimento, na busca do novo e da próxima ideia que ajudará empresas a terem mais sucesso. Acredito na felicidade de colaboradores e clientes como fator de sucesso. E acredito que se fizer bem o que faço posso ajudar outros a ter sucesso. Alunos, colegas, amigos, professores, clientes… Legado? Gostaria que o nome fosse reconhecido como alguém que ajudou a entender melhor o complexo mundo dos negócios e ajudou alguns a ter mais sucesso. E gostaria de me aposentar com saúde e uma pousada de praia em algum lugar do Brasil, para dividir com amigos e hospedes um pouco do conhecimento acumulado. Só não sei em que ano e onde vai ser a minha pousada… mas está na pauta… Quer ler a matéria completa? Aguarde o vídeo. Tem muito mais informação de qualidade por vir.
  7. 7. Até breve!  

×