Arquétipos da alma

3.295 visualizações

Publicada em

0 comentários
10 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.295
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
166
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
166
Comentários
0
Gostaram
10
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Arquétipos da alma

  1. 1. INTRODUÇÃO Arquétipos da alma
  2. 2. O que é o arquétipo? Formas ou imagens de natureza coletiva, que ocorrem em praticamente toda a terra como componentes de mitos e, ao mesmo tempo, como produtos individuais de origem inconsciente. -CG Jung, Psicologia e Religião
  3. 3.  São ideias comuns partilhadas funcionando como instintos moldadores do comportamento.  Os arquétipos existem através de inúmeras imagens e símbolos.  Metáforas ou paradigmas – padrões mentais que direcionam o modo como percebemos o mundo  Deuses e Deusas presentes no inconsciente coletivo
  4. 4. O arquétipo é um conteúdo inconsciente, o qual se modifica através de sua conscientização e percepção, assumindo variações de acordo com a consciência individual na qual se manifesta.
  5. 5. O entendimento do arquétipo pode minimizar os equívocos referentes aos gêneros masculinos e femininos por considerar que a RAIZ de ambos é única, como pode ser vista na Sabedoria Tradicional dos Povos.
  6. 6. Todo ser humano carrega a matriz como seu patrimônio e se orienta, em todos os momentos, por ela. Em geral, isso acontece por meio das forças que impulsionam o inconsciente e que determinam seu funcionamento espontâneo.
  7. 7. Mitólogos e antropólogos veem os mesmos temas, situações e histórias sendo representados sempre e sempre, ao longo do tempo e em todo o globo. Eles defendem que os vários mitos e arquétipos são basicamente expressões do drama íntimo do ser humano e podem ser entendidos como diferentes expressões do impulso eterno para encontrar um significado humano no mistério da criação.
  8. 8. O mito é um conjunto de metáforas sobre as possibilidades humanas no mistério do existir. Todo sofrimento humano, o prazer, vitórias e derrotas e a própria morte assumem a forma de dragões, abismos, deuses, que são símbolos gerados pela sabedoria instintiva e criativa de nosso inconsciente coletivo.
  9. 9. O significado original da palavra grega “arquétipo” é algo como “o que é impresso desde o inicio”. A palavra alma indica o aspecto imortal e duradouro
  10. 10. Por um lado, o arquétipo é a característica mais pessoal, que possibilita ver a vida de uma perspectiva individual.
  11. 11. Por outro lado, estabelece relacionamentos arquetípicos de parentesco com todos os que defendem a mesma essência, tanto na Terra como no cosmo.
  12. 12. Finalidade Motivação Arquétipo Lema Dom Sombra Alcançar o “Paraíso” Independência e Satisfação Bobo Livre para ser Manter ou renovar a fé Negação, autoindulgência, irresponsabilidade, brincadeiras mesquinhas. Sábio A verdade libertará Compreender o mundo que vivem Dogmatismo, Desligamento com a realidade. Deixar sua marca no mundo Risco e Mestria Revolucionário As regras são feitas para serem quebradas Ser um Divisor de águas Falta de adaptabilidade e marginalização Mago Pode acontecer! Influir na transformação Manipulação e espera de milagres
  13. 13. Finalidade Motivação Arquétipo Lema Dom Sombra Nenhum homem ou mulher é uma ilha Pertença e Prazer Xamã Amarás o teu próximo como a ti mesmo Ajudar os outros servidão, martírio, culpa Amante Eu só tenho olhos para você Encontrar e dar amor Perda da individualidade, promiscuidade, obsessão, ciúme, inveja Fornecer uma estrutura para o Mundo Estabilidade e Controle Guerreiro Onde há vontade, há um caminho Alcançar um objetivo e Proteger Desumanidade e necessidade obsessiva de vencer Governante O poder não é tudo...é só o que importa Ordenar e Abençoar Comportamentos tirânicos e ditatoriais
  14. 14. Bibliografia  HASSELMANN, Varda; SCHMOLKE, Frank. Arquétipos da Alma: Um guia para se reconhecer a matriz dos padrões anímicos. Editora Pensamento. São Paulo, 2004.  MARK, Margaret; PEARSON, Carol S. O herói e o fora-da- lei: Como construir marcas extraordinárias usando o poder dos arquétipos. Editora Cultrix. São Paulo, 2011.  GILLETE, David; MOORE, Robert. Rei Guerreiro Mago Amante. A redescoberta dos arquétipos do masculino A redescoberta dos arquétipos do masculino. Editora Campus, 1993.
  15. 15. Apresentação sobre a Introdução dos Arquétipos da Alma criada por Lorena Souza, Fábio Espiga, Raiana Márcia, Madana Ribas, Ricardo Pinto, Laércio Santos, Sol Mascarenhas e Tamara Novais. Ao utilizar a apresentação, favor inserir os devidos créditos bibliográficos e de criação. http://www.enthusiasmus.qlix.com.br/

×