Desenvolvimento motor normal da criança de 0 à 3 anos

11.925 visualizações

Publicada em

psicomotricidade

Publicada em: Educação
0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
11.925
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
53
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
182
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Desenvolvimento motor normal da criança de 0 à 3 anos

  1. 1. DESENVOLVIMENTO MOTOR NORMAL DA CRIANÇA DE 0 À 3 ANOS 18 DE FEVEREIRO DE 2012 GERAL 4 COMMENTS O desenvolvimento da criança abrange 3 etapas: psicológico, neurológico e motor. Apesar do desenvolvimento ter fases e etapas bem definidas, cada bebê irá definir o seu. Para cada bebê como um indivíduo irá responder de forma muito particular aos estímulos vividos e/ou oferecidos. O bebê ao nascer ainda não senta, não anda, devido ao seu sistema nervoso que ainda está imaturo em vários aspectos, entre eles o tônus muscular estará diminuído no pescoço e tronco e aumentado em braços e pernas. E para que o bebê adquira habilidades, este sistema nervoso precisará amadurecer, o que ocorre no primeiro ano de vida, e vai até 3 anos de idade. O amadurecimento do sistema nervoso se fará em 2 direções: da cabeça para o pescoço e da região proximal para a mais distante, ou seja, o bebê controla o pescoço antes de controlar o tronco, e controla os ombros antes das mãos.Todo esse processo é gradativo, e cada fase alcançada habilita a criança a avançar para a etapa seguinte. Esse processo é lento e diário, imperceptível. O amadurecimento do sistema nervoso depende da boa saúde global do bebê que é obtido através do aleitamento materno, controle de infecções e doenças com a ajuda das vacinas, o cuidado da própria mãe e o estímulo saudável do meio ambiente. Este estímulo não deve ser exagerado na intenção errônea de formar “campeões”, mas sim, deve ser espontâneo, tranquilo, calmo e natural, dentro do relacionamento de amor, carinho e respeito entre pais e filhos. O que acarretará um adulto que saberá se relacionar com o meio e com o outros de forma sadia respeitando-os e não competindo com eles. NO PRIMEIRO ANO DE VIDA, O DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA SE BASEIA NA ÁREA MOTORA GROSSA, PASSANDO A ENTENDER O MUNDO A PARTIR DESSA EXPERIÊNCIA. COM ESSE PROCESSO OCORRE O DESENVOLVIMENTO DA PERCEPÇÃO. AS NOÇÕES DE LONGE, PERTO, RASO, FUNDO, FRIO, QUENTE, ETC., PASSAM A SER PERCEBIDAS ATRAVÉS DO CORPO DA CRIANÇA. TUDO ELA SENTE NO SEU CORPO ( FEED-BACK). COM MAIOR CONTROLE SOBRE AS MOVIMENTAÇÕES, ELE ( BEBÊ ), APRIMORA SEU CONHECIMENTO SOBRE O MUNDO.
  2. 2. NOS 6 PRIMEIROS MESES O CONTROLE ANTIGRAVITÁRIO SE DARÁ NA HORIZONTAL (NAS POSTURAS MAIS BAIXAS), E DEPOIS ESTA IDADE O CONTROLE SE DARÁ NA VERTICAL (NAS POSTURAS MAIS ALTAS). NO FINAL DO PRIMEIRO ANO CONSEGUIRÁ CONTROLAR TODOS OS MOVIMENTOS ANTIGRAVITÁRIOS. HAVERÁ UMA MAIOR INTEGRAÇÃO DOS MOVIMENTOS JÁ ADQUIRIDOS. Desenvolvimento Motor Normal (0 à 3 anos) RECÉM-NASCIDO: Considerado até 28 dias de vida. Fase de adaptação ao meio. - hipertonia flexora (fisiológica) - reação automática - sem controle de cabeça – criança “molinha” - pélvis em retroversão - reflexo de preensão palmar - reação cervical de retificação PRIMEIRO MÊS: - Sem controle de cabeça/cifose - reflexo de Moro – primeira fase (abdução de braço + extensão de tronco) - diminuindo a flexão = aumento da extensão - em supino acompanha objetos atá certo ponto - pélvis retrovertida - reação automática - reflexo de preensão palmar
  3. 3. - marcha automática (pode ou não estar presente) - não faz simetria SEGUNDO MÊS - puxado para sentar a cabeça cai para trás – oscila - pelve diminuindo a retroversão - pouca flexão - terminando a marcha automática (astasia – abasia) - pernas fletidas - em supino acompanha mais objetos (reação óptica de retificação) - diminuindo o reflexo de preensão palmar - RTCA esporádico (discreta assimetria) - reação de colocação dos pés- presença do Galant - reação cervical de retificação TERCEIRO MÊS: Primeiro marco do desenvolvimento do bebê. - mais simétrico - reação labiríntica de retificação (puppy) - orientação na linha média - extensão do tronco em puppy alcança torácica alta (controla melhor a cabeça) - aumenta a anteroversão do quadril - desaparecendo o RTCA
  4. 4. - acompanha objetos - diminuição da preensão palmar (retém por pouco tempo) - desaparece Galant - termina reação de colocação dos pés - terminando reação cervical de retificação QUARTO MÊS: - simétrico - bom controle de cabeça - extensão do tronco em prono chega a região lombar - apoio nos cotovelos (+ alinhados) - entrando a reação corporal de retificação - inicia o rolar – começa a entrar a dissociação de cinturas devido aos movimentos de flexão/extensão realizados pela cabeça quando a criança esta em prono dando assim maior mobilidade ao tronco. - retificação lateral da cabeça (visto no rolar) - pelve em supino faz antero e retroversão, mas com pouco controle - boa visualização - termina os reflexos da face - a maioria dos reflexos estão abolidos - termina a primeira fase do Moro/ inicia a segunda (+ discreta com adução dos braços e flexão de tronco)
  5. 5. - não tem preensão voluntária - inicia Landau (brinca de mata – borrão) QUINTO MÊS: - ótimo controle de cabeça (extensão de tronco chegando à região lombar)- puxado para sentar participa do movimento – permanece com apoio - simétrico - inicia preensão voluntária - leva objetos à boca - presente reação corporal de retificação (rola de prono para supino) - sustenta a posição de pé por momentos com ajuda - inicia reação de equilíbrio em prono - inicia o arrastar (introdução à reação anfíbia) - em supino inicia levar pés à boca (alonga músculos extensores) - aumenta a reação de Landau SEXTO MÊS: Segundo marco no desenvolvimento do bebê - vence gravidade em supino - sentado apoia-se nas mão à frente - em supino brinca com os pés (aprimorando ainda mais a musculatura extensora) - em prono a extensão do tronco já chega aos quadris exercendo peso sobre eles. - pelve anterovertida - senta quando colocada com apoio à frente (sem muita transferência – caindo) - puxada para sentar estende os joelhos - alcança obejetos - inicia reação de equilíbrio em supino
  6. 6. - rola melhor, com dissociação - arrasta com facilidade - reação anfíbia madura- reação de extensão protetora para frente - termina a segunda fase do Moro - suporta mais peso sobre o quadril favorecendo o controle sobre a cabeça, tronco e MMSS. Uma vez que começa a receber peso, o quadril se torna mais estável ganhando mais extensão, e nas posições em supino, prono e sentada a criança tem liberdade e segurança de movimento do quadril para cima. - inicia a rotação propriamente dita – aumenta a dissociação - reação de Landau + aprimorada devido a extensão do quadril. - em pé com ajuda coloca peso nas duas pernas (inicia propriocepção dos MMII) suporta + peso SÉTIMO MÊS: Inicia maior independência da criança em posturas baixas – começa a explorar o ambiente. - arrasta (transferência de peso em prono - inicia gatas (balanceios) ou meio urso - sentado sozinho pega objetos e os transfere de uma mão a outra - reação corporal de retificação bem atuante – movimentos rotacionais do tronco - inicia o sentar a partir de 4 apoios - se puxam para de pé- sentam sem apoio (braços não cruzam a linha média) - inicia extensão protetora para os lados OITAVO MÊS: Terceiro marco do desenvolvimento da criança - engatinha usando mais a flexão lateral - mantém postura sentada com bom equilíbrio - em supino já se levanta para sentar - inicia a extensão protetora para os lados
  7. 7. - aumenta dissociação (inicia rotação oposta durante as reações de equilíbrio) - diminuindo o reflexo de preensão plantar - boa mastigação (mastigar simétrico – movimento da mandíbula para cima e para baixo) - se puxa para ficar de pé usando semi-ajoelhado - fica de pé com ajuda de uma única mão – inicia rotação do tronco sobre extremidade inferior - inicia a sequência joelho para semi-ajoelhado e desta para de pé - escala móveis - de pé com apoio transfere peso sobre MMII (3 planos – p/frente, p/trás e p/os lados) - inicia marcha lateral NONO E DÉCIMO MÊS: Não fica mais deitado. Fase com muita quebra de padrões. Dissociação aprimorada. Começa independência em posturas altas. - engatinha bem com contra rotação (explora + o ambiente) - escala com mais facilidade, mas não consegue descer - urso - equilíbrio de gatas - iniciando equilíbrio de joelhos - elaboram conceitos perceptivos - extensão protetora para trás - ótimo controle entre flexão/extensão (quebra de padrão) - descobre a terceira dimensão - marcha lateral + refinada – tenta soltar uma das mãos - ótima transferência de peso ONZE MESES:
  8. 8. - inicia marcha com aumento da base sem equilíbrio a curta distância de um móvel à outro – cai sentado - anda segurada pelos braços - de pé pega objetos no chão e volta se apoiando nos móveis - urso 1 ANO: Quarto marco do desenvolvimento da criança - anda seguro por uma das mãos, mas pode tentar andar sozinho - assume cócoras (oscila) – se abaixa para catar objetos - bom equilíbrio em todas as posturas - iniciando equilíbrio de pé - reação de retificação bem integradas na maioria dos movimentos - mastiga com + dissociação (diagonal) próximo a forma adulta 1 ANO E 3 MÊSES: - anda sozinho (braços para cima e base alargada compensando equilíbrio na postura, mas cai muito ainda) - cócoras + aprimorado - levanta do chão partindo de urso - sobe e desce escada com 4 apoios (engatinhando) - fica sobre uma perna com ajuda 1 ANO E 6 MÊSES:
  9. 9. - sobe e desce escada com apoio sem alternar MMII (com ajuda de alguém) - mais independente – cai ainda - desce do sofá com + facilidade - muito agachamento - bom equilíbrio de pé - inicia ficar sobre uma perna sozinha, ainda desequilibra - começa a empilhar cubos (3) 2 ANOS: - sobe e desce escada sozinha - começa a correr - inicia o pular com 2 pés - anda para trás - boa base de suporte - aprimorando equilíbrio dinâmico - termina reações associadas - ego-motor (representação mental do corpo – sabe o que fazer com ele) 3 ANOS: Último marco do desenvolvimento motor. Criança totalmente integrada em diversos níveis. Motoramente pronta. - integração total entre as reações de retificação e as de equilíbrio (integração de todos os níveis cerebrais - inicia equilíbrio sobre 1 pé só - boa desenvoltura motora - se expressa melhor - controla esfíncteres - pula com os 2 pés
  10. 10. - faz construções de 8 à 9 cubos Complementando: De 3 à 4 anos: - grande atividade motora: corre, pula com os dois pés, salta. - anda de triciclo - quer experimentar tudo - é curiosa e inquiridora - fica sobre 1 perna De 5 à 7 anos: - pula alternado- pula com um pé só - consciente do seu corpo (propriocepção das facilidades e das dificuldades em relação ao espaço) BIBLIOGRAFIA RECOMENDADA:  DESENVOLVIMENTO NORMAL E SEUS DESVIOS NO LACTENTE – DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DO NASCIMENTO ATÉ 18 MESES – INGE FLEHMIG – ED. LIVRARIA ATENEU  DIAGNÓSTICO DO DESENVOLVIMENTO – GESEL E AMATRUDA – ED. LIVRARIA ATENEU  UMA BASE NEUROFISIOLÓGICA PARA O TRATAMENTO DA PARALISIA CEREBRAL – KAREL BOBATH – ED. MANOLE arcos do desenvolvimento neuropsicomotor infantil
  11. 11. Crescer e desenvolver eh uma arte! Observe essas caracteristicas nas criancas ao seu redor... ► ATÉ 2 MESES: Audição: desenvolvida, atenção preferencial à voz feminina Visão: 20 a 30cm (distância-face da mãe), preto e branco, míope, movimentos oculares não-coordenados; percebem objetos qdo se movem; olha o rosto das pessoas que a observam e olha ao seu redor. Mãos fechadas Fixação do olhar Pequenos ruídos Atende ao som da campainha Esperneia alternadamente Sorriso social Abertura das mãos espontaneamente 2º mês – pescoço mais firme ► 4 MESES: Maior profundidade do campo visual Segue objetos ultrapassando a linha média (até 180º) Agarra brinquedos com a mão Responde ao examinador (olhar, sorriso, sons) Murmura, sorri alto, grita ► 6 MESES: Rola, gira, rasteja ou engatinha Tenta alcançar um brinquedo ao seu alcance e o procura qdo fora de alcance Leva objetos à boca Senta-se inclinando-se para frente e apoiando-se sobre as mãos Manifesta expectativa na hora de comer Localiza o som Tenta chamar a atenção da mãe (vocaliza, pede colo) Prefere a mãe Gosta do espelho ► 9 MESES: Senta-se sozinho e sem apoio, com o dorso reto Força para ficar em pé e anda apoiando nos móveis Transfere objetos de uma mão para outra
  12. 12. Agarra os objetos com o polegar e o lado do indicador (preensão radial-digital) Brinca de “esconde-achou” ou de “cadê a mamãe” Balbucia, duplica sílabas (mama, dada, papa) Responde ao ouvir seu nome Estranhamento (falta de estranhamento - esquizofrenia futura) ► 12 MESES: Caminha com ajuda, levanta-se independentemente Passa objetos para outras pessoas sob pedidos ou gestos Imita gestos: bater palma, dar tchau, jogar beijo Jargão: conversação incompreensível Algumas palavras além de “mamãe” e “dada” (combina sílabas) Segura copo/mamadeira Brinca de jogos simples com bola Faz ajustamentos posturais para se vestir ► 15 MESES: Executa gestos a pedidos Reconhece interdições (aparecimento do “não”) Primeiras palavras, chama cachorro Anda sem apoio Constrói torre de 2-3 cubos Indica alguns desejos ou necessidades Abraça os pais Eh Curiosa ► 18 MESES: Caminha sem cair, senta-se sozinha, anda para trás Nomeia desenhos, produz 3 palavras além de “papai” e “mamãe” Rabisca espontaneamente Usa a colher, derrama um pouco Adquire controle esfincteriano Constrói torre de 4 cubos Identifica uma ou mais partes do corpo Beija os pais com firmeza ► 24 MESES: Corre, sobe/desce escadas, abre portas, pula e salta Elabora frases simples (dá água, quer papar) Pede para fazer coco e xixi Manipula bem a colher Brinca com bonecos, chuta bola Aponta figuras com o dedo qdo solicitado Retira a roupa (exceto: meia, fralda e chinelo) Tenta impor sua vontade Cabeça firme, postura simétrica; senta-se com apoio e sustenta a cabeça Reconhece a mamadeira, abre a boca para receber a comida Brinca com as mãos e roupa Pode demonstrar desprazer quando é interrompido o contato Decúbito ventral: criança mantém a pelve plana e ergue a cabeça e os ombros ► 3 ANOS: Põe sapatos, veste-se com supervisão Lava e seca as mãos Sabe o nome, a idade e o sexo Brinca com jogos interativos Separa-se facilmente da mãe
  13. 13. Torre de 10 cubos, imita ponte de 3 cubos, copia um círculo Fica por momentos em um pé só Pedala triciclo, pula amplo Preferência pelo uso de uma das mãos Controle da bexiga e do intestino (molhar a cama à noite é normal até 4 anos em meninas e 5 anos nos meninos) Decréscimo normal do apetite Compreende frio, cansaço, fome Não compreensão e gagueira (em geral desaparecem com o tempo) Crescente complexidade e imaginação das brincadeiras ► 5 ANOS: Abotoa Copia figuras (quadrado, triângulos) Nomeia o objeto mais pesado entre dois Desenha homem com 6 partes Reconhece cores Repete sentença de 10 sílabas, com 10 moedas corretamente Veste-se sem supervisão Reconhecimento das regras como imutáveis ► 6-12 ANOS: Forma corporal relativamente estável Perda de dentes de leite por volta dos 6 anos Força muscular, coordenação e vigor físico aumentam Órgãos sexuais fisicamente imaturos Interesse ativo nas diferenças do sexo Procura de aceitação pelos professores e outros adultos Auto-estima: problema central (auto-avaliação e percepção sobre como os outros a vêem) Eu nunca tinha parado pra pensar que um dia eu nem me reconhecia no espelho! hahaha Interessante como o ser humano se desenvolve e mais interessante pensar em como seria o desenvolvimento sem os estimulos a que somos submetidos todos os dias...Podem imaginar?! Algumas coisas como "o mamanhes" parecem irrelevantes mas sao essenciais para que a crianca alcance o desenvolvimento esperado. Agora da pra entender o porque de quartinho de nenem ser bem colorido, o porque dos chocalhos, dos brinquedos que no comeco sao bem simples e se tornam gradativamente mais complexos. Postado por Camilla Santos às 09:19 Marcadores: Pediatria

×