SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 7
Faculdade Leão Sampaio
Curso: Odontologia
Disciplina: Imaginologia
Professor:Thiago França
Aluna: Lorem Krsna de Morais Sousa
Turma: 106.4
TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA
Juazeiro do Norte - 21 de novembro de 2012
Tomografia Computadorizada
Definição
É um método de exame radiográfico que consiste na aquisição
volumétrica de imagens de tecido duros e moles e, que possibilita a
interpretação tridimensional da região de interesse por meio de conjuntos de
cortes, eliminando a sobreposição destas imagens. É um método considerado
rápido, simples e indolor, sendo apontado como uma das técnicas
radiológicas mais confiáveis.
Tipos
 Tomografia Computadorizada por feixes em leque (Fan Beam)
Também conhecida como Tomografia Médica ou Espiral, neste método de
aquisição em feixes o paciente encontra-se deitado sobre uma maca móvel que
desloca-se para o interior de uma abertura chamada de “gantry”, onde está
localizada a fonte de raios-X e os detectores. Esta fonte de raios-X emite feixes e
o objeto é totalmente tomografado.
Aparelhos de TC de nova geração possuem movimentação sincronizada da
mesa e do tubo de raios X, o que possibilita o fluxo do feixe de raios X de forma
helicoidal (ou espiral), o que diminui o tempo de exposição e melhora a
qualidade da imagem. A tecnologia atual é o sistema multislice, com vários anéis
de detectores, com maior área por rotação do gantry. Apesar destes avanços a TC
Fan Beam não foi difundida de forma ampla na odontologia decido a limitações
que incluem uma dose elevada dose de radiação ao paciente; baixa resolução para
odontologia; tamanho amplo e alto custo do equipamento
.
 Tomografia Computadorizada por feixes cônicos (Cone Beam)
É o método mais amplamente utilizado na odontologia, e possui dentre suas
vantagens uma menor dose de radiação e uma qualidade maior de imagem do que
a tomografia médica, com distinção de estruturas delicadas, como do esmalte,
dentina, cavidade pulpar e cortical alveolar.
A imagem é adquirida por um feixe de raios-X de forma cônica, o qual é
produzido num ângulo constante de 14º, sobreposto a um filtro de alumínio. Os
raios-X são capturados por um intensificador de imagens ou uma placa amorfa de
silício ou selênio. Na maioria dos tomógrafos Cone Beam a imagem é adquirida
com o paciente sentado, uma vantagem para pacientes ansiosos em relação à Fan
Beam.
Como é feita a aquisição da imagem
A aquisição da imagem na Tomografia Computadorizada difere segundo os
tipos anteriormente citados. Na Tomografia Computadorizada por feixes em
leque (Fan Beam) o tubo de raios X montado em uma abertura chamada de
“gantry” gira ao redor do paciente através de uma trilha, imitando um feixe muito
fino de raios X. Esses raios são cuidadosamente colimados de tal forma que
colidem apenas numa secção do corpo, mas passando por um grande número de
ângulos dessa secção. Como os tecidos do corpo são compostos de diferentes
elementos, estes têm diversos níveis de absorção e atenuação dos raios X. Os
raios X, por sua vez, incidem sobre os detectores ou sensores de radiação ao
invés de fazê-lo sobre uma película radiográfica. A resposta do detector é
originar um sinal elétrico, que é diretamente proporcional ao número de fótons
que incidem sobre ele.
Estes sinais podem ser quantificados e gravados em um computador geral,
depois de cuidadoso processo é elaborado um desenho formado por múltiplos
pontos (pixels). O sistema de digitalização do equipamento transforma os valores
de cada pixel de cada corte, registrado no sensor, em valores numéricos,
correspondentes às variações dos tons de cinza. Estes valores variam de 0 (preto)
a 255 (branco). A imagem desta forma é exibida na tela em tons de cinza.
Na Tomografia Computadorizada por feixes cônicos (Cone Beam) o braço
contendo o sensor e o tubo de raios X gira em torno do paciente, adquirindo
múltiplas imagens bidimensionais em diferentes projeções. O número de
projeções varia entre 250 a 600 imagens adquiridas dentro um giro de 180 a 360
graus. O tempo de execução do exame geralmente ocorre entre 8 a 40 segundos,
mas como o raio X é pulsátil o tempo de exposição é bem menor. O sistema
Cone Beam é muito sensível a movimento da cabeça do paciente, portanto, o
mesmo deve ficar imóvel, durante a aquisição de imagem, sendo que aparelhos
com sistema de contenção adequado favorecem esta imobilidade.
Na leitura e processamento das imagens obtidas das múltiplas exposições há a
geração de um volume cilíndrico e o computador realiza a reconstrução primária
(da maneira citada anteriormente). Depois, para trabalho, executam-se
reconstruções secundárias da imagem de acordo com as necessidades.
Vantagens
Além da rapidez na realização do exame e da alta-resolução, a TC permite
avaliar estruturas anatômicas sem sobreposição de imagens e com representação
volumétrica, fornecendo imagens tridimensionais sem distorção e aumentado
assim a precisão favorecendo o diagnóstico.
A obtenção da imagem possibilita o uso de “cortes”, o que proporciona
percepção espacial privilegiadas em relação a outros exames como radiografias
convencionais.
Possibilidade de fazer uma melhor distinção entre os tecido devido maior
sensibilidade para variação de densidade, auxiliando na detecção de anomalias
que antes só seriam realizadas com procedimentos invasivos.
Fornecem imagens compatíveis com o tamanho real do objeto.
Possibilidade de manipulação de imagem com ajuste de detalhes e da escala
contraste graças à tecnologia digital utilizada.
Desvantagens
O uso de radiação é uma das principais desvantagens deste método devido à
natureza nociva dos raios- X e sendo a dose de radiação utilizada neste exame
considerada elevada em relação aos métodos convencionais.
Aplicações na odontologia
A tomografia computadorizada como modalidade diagnóstica possui uma
ampla aplicação na odontologia que abrange:
 Diagnóstico e avaliação de Tumores das glândulas salivares e
tecidos moles do pescoço;
 Identificação e localização dos processos patológicos;
 Avaliação de traumas faciais;
 Avaliação de fraturas e trincas na raiz;
 Avaliação dos componentes ósseos da Articulação
Temporomandibular;
 Avaliação dos Seios Paranasais;
 Visualização de dentes inclusos;
 Avaliação da extensão e integridade das corticais ósseas, bem como
suas relações com estruturas anatômicas como feixes vásculo-nervosos,
para o planejamento de implantes ósteo-integrados;
Exemplos de aplicação na odontologia
 Trauma facial
A Tomografia Computadorizada fornece detalhamento anatômico sem
sobreposição de estruturas de interesse e de fragmentos ósseos. Neste exame
específico ainda as estruturas podem ser vistas no plano axial, sagital e coronal,
além da grande vantagem de percepção espacial adquirida pela formação das
imagens tridimensionais que facilitam o reconhecimento das estruturas cranianas
 Pré - cirurgia na instalação de implantes.
Possibilita mensuração precisa sem a invasão de estruturas anatômicas nobres
adjacentes a área de interesse, e ainda a visualização de altura e largura
concomitantemente admitindo a visualização da profundidade e altura para o
planejamento do implante dentário sem comprometimento de estruturas vitais
como canal mandibular ou forame mentoniano.
Permite a visualização da forma do rebordo alveolar, côncavo ou convexo no
leito do implante e as reconstruções tridimensionais podem facilitar a
visualização de pontos anatômicos essenciais para a realização do procedimento.
REFERÊNCIAS.
1. RODRIGUES,A. F.; VITRAL, R. W. F. Aplicações da tomografia computadorizada na
odontologia. Pesq Bras Odontoped Clin Integr, João Pessoa, 7(3):317-324, set./dez.
2007.
2. ALVARES, L. C.; TAVANO, O. Curso De Radiologia Em Odontologia. © Livraria
Santos Editora Ltda. 5a
Edição, 2009.
3. PANELLA, Jurandir. Fundamentos de Odontologia - Radiologia Odontológica e
Imaginologia, © Guanabara Koogan, 2006
LINKS
1. http://www.croif.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=8&Itemid=
11
2. http://ceroimagem.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=70&Itemi
d=69

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Processamento Radiográfico
Processamento RadiográficoProcessamento Radiográfico
Processamento Radiográficoarianepenna
 
Apostila de radiologia odontológica
Apostila de radiologia odontológicaApostila de radiologia odontológica
Apostila de radiologia odontológicaLucas Almeida Sá
 
Utilização da Tomografia Computadorizada no Planejamento de Colocação de Impl...
Utilização da Tomografia Computadorizada no Planejamento de Colocação de Impl...Utilização da Tomografia Computadorizada no Planejamento de Colocação de Impl...
Utilização da Tomografia Computadorizada no Planejamento de Colocação de Impl...Alex Eduardo Ribeiro
 
Tomografia+CONE-BEAM+para+Odontologia.pdf
Tomografia+CONE-BEAM+para+Odontologia.pdfTomografia+CONE-BEAM+para+Odontologia.pdf
Tomografia+CONE-BEAM+para+Odontologia.pdfprof karla sao luis
 
Cistos odontogênicos e não odontogênicos
Cistos odontogênicos e não odontogênicosCistos odontogênicos e não odontogênicos
Cistos odontogênicos e não odontogênicosNadia Morais Tonussi
 
Técnicas de exames radiológicos
Técnicas de exames radiológicosTécnicas de exames radiológicos
Técnicas de exames radiológicosradiomed
 
Instrumentais odontologicos
Instrumentais odontologicosInstrumentais odontologicos
Instrumentais odontologicosRômulo Augusto
 
Radiologia odontologica modulo ii
Radiologia odontologica modulo iiRadiologia odontologica modulo ii
Radiologia odontologica modulo iiPriscilla Martins
 
RADIOLOGIA ODONTOLÓGICA UNIDADE I.pptx
RADIOLOGIA ODONTOLÓGICA UNIDADE I.pptxRADIOLOGIA ODONTOLÓGICA UNIDADE I.pptx
RADIOLOGIA ODONTOLÓGICA UNIDADE I.pptxVanessaMalvesteIto1
 
Roteiro identificação e montagem de radiografias intrabucais
Roteiro identificação e montagem de radiografias intrabucaisRoteiro identificação e montagem de radiografias intrabucais
Roteiro identificação e montagem de radiografias intrabucaisDr.João Calais.:
 
Tratamento endodontico
Tratamento endodonticoTratamento endodontico
Tratamento endodonticoWillams Alfaia
 
Radiografia panorâmica
Radiografia panorâmicaRadiografia panorâmica
Radiografia panorâmicaWaldenei Dias
 
Classificacão da protese parcial removível
Classificacão da protese parcial removívelClassificacão da protese parcial removível
Classificacão da protese parcial removívelRhuan
 
Radiologia odontológica.pptx
Radiologia odontológica.pptxRadiologia odontológica.pptx
Radiologia odontológica.pptxLaisaBrunaRibeiro
 

Mais procurados (20)

Processamento Radiográfico
Processamento RadiográficoProcessamento Radiográfico
Processamento Radiográfico
 
Apostila de radiologia odontológica
Apostila de radiologia odontológicaApostila de radiologia odontológica
Apostila de radiologia odontológica
 
20 radiologia-odontologica
20 radiologia-odontologica20 radiologia-odontologica
20 radiologia-odontologica
 
Radiologia digital
Radiologia digitalRadiologia digital
Radiologia digital
 
Preparo biomecânico
Preparo biomecânico  Preparo biomecânico
Preparo biomecânico
 
Utilização da Tomografia Computadorizada no Planejamento de Colocação de Impl...
Utilização da Tomografia Computadorizada no Planejamento de Colocação de Impl...Utilização da Tomografia Computadorizada no Planejamento de Colocação de Impl...
Utilização da Tomografia Computadorizada no Planejamento de Colocação de Impl...
 
Tomografia+CONE-BEAM+para+Odontologia.pdf
Tomografia+CONE-BEAM+para+Odontologia.pdfTomografia+CONE-BEAM+para+Odontologia.pdf
Tomografia+CONE-BEAM+para+Odontologia.pdf
 
Cistos odontogênicos e não odontogênicos
Cistos odontogênicos e não odontogênicosCistos odontogênicos e não odontogênicos
Cistos odontogênicos e não odontogênicos
 
Técnicas de exames radiológicos
Técnicas de exames radiológicosTécnicas de exames radiológicos
Técnicas de exames radiológicos
 
Instrumentais odontologicos
Instrumentais odontologicosInstrumentais odontologicos
Instrumentais odontologicos
 
Radiologia odontologica modulo ii
Radiologia odontologica modulo iiRadiologia odontologica modulo ii
Radiologia odontologica modulo ii
 
RADIOLOGIA ODONTOLÓGICA UNIDADE I.pptx
RADIOLOGIA ODONTOLÓGICA UNIDADE I.pptxRADIOLOGIA ODONTOLÓGICA UNIDADE I.pptx
RADIOLOGIA ODONTOLÓGICA UNIDADE I.pptx
 
Roteiro identificação e montagem de radiografias intrabucais
Roteiro identificação e montagem de radiografias intrabucaisRoteiro identificação e montagem de radiografias intrabucais
Roteiro identificação e montagem de radiografias intrabucais
 
Maxila
 Maxila Maxila
Maxila
 
Endodontia (Revisão e resumo)
Endodontia (Revisão e resumo)Endodontia (Revisão e resumo)
Endodontia (Revisão e resumo)
 
Tratamento endodontico
Tratamento endodonticoTratamento endodontico
Tratamento endodontico
 
Radiografia panorâmica
Radiografia panorâmicaRadiografia panorâmica
Radiografia panorâmica
 
Classificacão da protese parcial removível
Classificacão da protese parcial removívelClassificacão da protese parcial removível
Classificacão da protese parcial removível
 
Radiologia odontológica.pptx
Radiologia odontológica.pptxRadiologia odontológica.pptx
Radiologia odontológica.pptx
 
Cirurgia Odontológica - apostila
Cirurgia Odontológica - apostilaCirurgia Odontológica - apostila
Cirurgia Odontológica - apostila
 

Destaque

Tomografia computadorizada 04 (1)
Tomografia computadorizada 04 (1)Tomografia computadorizada 04 (1)
Tomografia computadorizada 04 (1)Brumiel Sampaio
 
Tomografia Computadorizada - Introdução
Tomografia Computadorizada - IntroduçãoTomografia Computadorizada - Introdução
Tomografia Computadorizada - Introduçãocelais0814
 
Radiología y Tomografía Oral y Maxilofacial | RX-ORAL 3D
Radiología y Tomografía Oral y Maxilofacial | RX-ORAL 3DRadiología y Tomografía Oral y Maxilofacial | RX-ORAL 3D
Radiología y Tomografía Oral y Maxilofacial | RX-ORAL 3DRX-ORAL 3D | Tuluá
 
Principio de interpretação radiográfica
Principio de interpretação radiográficaPrincipio de interpretação radiográfica
Principio de interpretação radiográficaPapaiz
 
Anomalias de posicão e anomalias maxilo mandibular i
Anomalias de posicão e anomalias maxilo mandibular iAnomalias de posicão e anomalias maxilo mandibular i
Anomalias de posicão e anomalias maxilo mandibular iPapaiz
 
Estudo radiográfico dos tumores i
Estudo radiográfico dos tumores iEstudo radiográfico dos tumores i
Estudo radiográfico dos tumores iPapaiz
 
Anomalias de posicao e anomalias maxilo mandibular ii
Anomalias de posicao e anomalias maxilo mandibular iiAnomalias de posicao e anomalias maxilo mandibular ii
Anomalias de posicao e anomalias maxilo mandibular iiPapaiz
 
Historia dos raios x i
Historia dos raios x iHistoria dos raios x i
Historia dos raios x iPapaiz
 
Historia dos raios x ii
Historia dos raios x iiHistoria dos raios x ii
Historia dos raios x iiPapaiz
 
Lesões maxilo mandibulares i
Lesões maxilo mandibulares iLesões maxilo mandibulares i
Lesões maxilo mandibulares iPapaiz
 
Lesões maxilo mandibulares ii
Lesões maxilo mandibulares iiLesões maxilo mandibulares ii
Lesões maxilo mandibulares iiPapaiz
 
Fraturas e corpos estranhos
Fraturas e corpos estranhosFraturas e corpos estranhos
Fraturas e corpos estranhosPapaiz
 
Estudo radiografico dos tumores iii
Estudo radiografico dos tumores iiiEstudo radiografico dos tumores iii
Estudo radiografico dos tumores iiiPapaiz
 
Anomalias de forma
Anomalias de formaAnomalias de forma
Anomalias de formaPapaiz
 
Anomalias de número ii
Anomalias de número iiAnomalias de número ii
Anomalias de número iiPapaiz
 
Anomalias de número i
Anomalias de número iAnomalias de número i
Anomalias de número iPapaiz
 

Destaque (20)

APOSTILA TOMOGRAFIA
APOSTILA TOMOGRAFIAAPOSTILA TOMOGRAFIA
APOSTILA TOMOGRAFIA
 
Tomografia computadorizada 04 (1)
Tomografia computadorizada 04 (1)Tomografia computadorizada 04 (1)
Tomografia computadorizada 04 (1)
 
Tomografia computadorizada
Tomografia computadorizadaTomografia computadorizada
Tomografia computadorizada
 
Tomografia Computadorizada - Introdução
Tomografia Computadorizada - IntroduçãoTomografia Computadorizada - Introdução
Tomografia Computadorizada - Introdução
 
Folder tomografia
Folder tomografiaFolder tomografia
Folder tomografia
 
Radiología y Tomografía Oral y Maxilofacial | RX-ORAL 3D
Radiología y Tomografía Oral y Maxilofacial | RX-ORAL 3DRadiología y Tomografía Oral y Maxilofacial | RX-ORAL 3D
Radiología y Tomografía Oral y Maxilofacial | RX-ORAL 3D
 
Principio de interpretação radiográfica
Principio de interpretação radiográficaPrincipio de interpretação radiográfica
Principio de interpretação radiográfica
 
Importancia y aplicaciones CBCT
Importancia y aplicaciones CBCTImportancia y aplicaciones CBCT
Importancia y aplicaciones CBCT
 
Anomalias de posicão e anomalias maxilo mandibular i
Anomalias de posicão e anomalias maxilo mandibular iAnomalias de posicão e anomalias maxilo mandibular i
Anomalias de posicão e anomalias maxilo mandibular i
 
Estudo radiográfico dos tumores i
Estudo radiográfico dos tumores iEstudo radiográfico dos tumores i
Estudo radiográfico dos tumores i
 
Anomalias de posicao e anomalias maxilo mandibular ii
Anomalias de posicao e anomalias maxilo mandibular iiAnomalias de posicao e anomalias maxilo mandibular ii
Anomalias de posicao e anomalias maxilo mandibular ii
 
Historia dos raios x i
Historia dos raios x iHistoria dos raios x i
Historia dos raios x i
 
Historia dos raios x ii
Historia dos raios x iiHistoria dos raios x ii
Historia dos raios x ii
 
Lesões maxilo mandibulares i
Lesões maxilo mandibulares iLesões maxilo mandibulares i
Lesões maxilo mandibulares i
 
Lesões maxilo mandibulares ii
Lesões maxilo mandibulares iiLesões maxilo mandibulares ii
Lesões maxilo mandibulares ii
 
Fraturas e corpos estranhos
Fraturas e corpos estranhosFraturas e corpos estranhos
Fraturas e corpos estranhos
 
Estudo radiografico dos tumores iii
Estudo radiografico dos tumores iiiEstudo radiografico dos tumores iii
Estudo radiografico dos tumores iii
 
Anomalias de forma
Anomalias de formaAnomalias de forma
Anomalias de forma
 
Anomalias de número ii
Anomalias de número iiAnomalias de número ii
Anomalias de número ii
 
Anomalias de número i
Anomalias de número iAnomalias de número i
Anomalias de número i
 

Semelhante a TC na Odontologia: Aplicações e Vantagens

Cintilografia ossea instrumentação
Cintilografia  ossea instrumentaçãoCintilografia  ossea instrumentação
Cintilografia ossea instrumentaçãoRodrigo Pina Almeida
 
Tomografia para tecnicos
Tomografia   para tecnicosTomografia   para tecnicos
Tomografia para tecnicosLuanapqt
 
Introdução à radiologia red. giordano
Introdução à radiologia red. giordanoIntrodução à radiologia red. giordano
Introdução à radiologia red. giordanogrtalves
 
Tomografia fisica basica
Tomografia   fisica basicaTomografia   fisica basica
Tomografia fisica basicaLuanapqt
 
Aula 1 - histórico e aspectos físicos
Aula 1 - histórico e aspectos físicosAula 1 - histórico e aspectos físicos
Aula 1 - histórico e aspectos físicosPedro Antonio
 
Modelo 3D de Imagens Radiográficas para Auxilio em Diagnósticos
Modelo 3D de Imagens Radiográficas para Auxilio em DiagnósticosModelo 3D de Imagens Radiográficas para Auxilio em Diagnósticos
Modelo 3D de Imagens Radiográficas para Auxilio em DiagnósticosElen Arantza
 
Radioterapia no Cancro da Próstata
Radioterapia no Cancro da PróstataRadioterapia no Cancro da Próstata
Radioterapia no Cancro da PróstataRui P Rodrigues
 
Tomografia computadorizada
Tomografia computadorizadaTomografia computadorizada
Tomografia computadorizadaLuanapqt
 
Ressonancia magnetica professor desconhecido.pdf
Ressonancia magnetica professor desconhecido.pdfRessonancia magnetica professor desconhecido.pdf
Ressonancia magnetica professor desconhecido.pdfPatriciaFarias81
 
aula painel de comando dia 30.pptx
aula painel de comando dia 30.pptxaula painel de comando dia 30.pptx
aula painel de comando dia 30.pptxKarlosEduardo30
 
Benefcios da-radiao-raios-x1848
Benefcios da-radiao-raios-x1848Benefcios da-radiao-raios-x1848
Benefcios da-radiao-raios-x1848rodrison
 
Aula de tomografia 2019
Aula de tomografia   2019Aula de tomografia   2019
Aula de tomografia 2019FLAVIO LOBATO
 
Oficina_Raios-X_agosto2011_Mario.pdf
Oficina_Raios-X_agosto2011_Mario.pdfOficina_Raios-X_agosto2011_Mario.pdf
Oficina_Raios-X_agosto2011_Mario.pdfMonicaTapety
 
Benefícios da Radiação - Raios X
Benefícios da Radiação - Raios XBenefícios da Radiação - Raios X
Benefícios da Radiação - Raios XProfªThaiza Montine
 
Aula de Introdução - Angio Tomografia.pptx
Aula de Introdução - Angio Tomografia.pptxAula de Introdução - Angio Tomografia.pptx
Aula de Introdução - Angio Tomografia.pptxRenatoLeite47
 

Semelhante a TC na Odontologia: Aplicações e Vantagens (20)

Apostila tomografia prof. ricardo pereira
Apostila tomografia   prof. ricardo pereiraApostila tomografia   prof. ricardo pereira
Apostila tomografia prof. ricardo pereira
 
Tc apostila almir
Tc apostila almirTc apostila almir
Tc apostila almir
 
Tc apostila almir
Tc apostila almirTc apostila almir
Tc apostila almir
 
Cintilografia ossea instrumentação
Cintilografia  ossea instrumentaçãoCintilografia  ossea instrumentação
Cintilografia ossea instrumentação
 
Tomografia para tecnicos
Tomografia   para tecnicosTomografia   para tecnicos
Tomografia para tecnicos
 
Introdução à radiologia red. giordano
Introdução à radiologia red. giordanoIntrodução à radiologia red. giordano
Introdução à radiologia red. giordano
 
Tomografia fisica basica
Tomografia   fisica basicaTomografia   fisica basica
Tomografia fisica basica
 
Aula 1 - histórico e aspectos físicos
Aula 1 - histórico e aspectos físicosAula 1 - histórico e aspectos físicos
Aula 1 - histórico e aspectos físicos
 
Modelo 3D de Imagens Radiográficas para Auxilio em Diagnósticos
Modelo 3D de Imagens Radiográficas para Auxilio em DiagnósticosModelo 3D de Imagens Radiográficas para Auxilio em Diagnósticos
Modelo 3D de Imagens Radiográficas para Auxilio em Diagnósticos
 
Radioterapia no Cancro da Próstata
Radioterapia no Cancro da PróstataRadioterapia no Cancro da Próstata
Radioterapia no Cancro da Próstata
 
Ressonancia magnetica
Ressonancia magneticaRessonancia magnetica
Ressonancia magnetica
 
Tomografia computadorizada
Tomografia computadorizadaTomografia computadorizada
Tomografia computadorizada
 
Dental Scan em Implantodontia
Dental Scan em ImplantodontiaDental Scan em Implantodontia
Dental Scan em Implantodontia
 
Ressonancia magnetica professor desconhecido.pdf
Ressonancia magnetica professor desconhecido.pdfRessonancia magnetica professor desconhecido.pdf
Ressonancia magnetica professor desconhecido.pdf
 
aula painel de comando dia 30.pptx
aula painel de comando dia 30.pptxaula painel de comando dia 30.pptx
aula painel de comando dia 30.pptx
 
Benefcios da-radiao-raios-x1848
Benefcios da-radiao-raios-x1848Benefcios da-radiao-raios-x1848
Benefcios da-radiao-raios-x1848
 
Aula de tomografia 2019
Aula de tomografia   2019Aula de tomografia   2019
Aula de tomografia 2019
 
Oficina_Raios-X_agosto2011_Mario.pdf
Oficina_Raios-X_agosto2011_Mario.pdfOficina_Raios-X_agosto2011_Mario.pdf
Oficina_Raios-X_agosto2011_Mario.pdf
 
Benefícios da Radiação - Raios X
Benefícios da Radiação - Raios XBenefícios da Radiação - Raios X
Benefícios da Radiação - Raios X
 
Aula de Introdução - Angio Tomografia.pptx
Aula de Introdução - Angio Tomografia.pptxAula de Introdução - Angio Tomografia.pptx
Aula de Introdução - Angio Tomografia.pptx
 

Mais de Lorem Morais

Delineamento em prótese parcial removível
Delineamento em prótese parcial removívelDelineamento em prótese parcial removível
Delineamento em prótese parcial removívelLorem Morais
 
Os diferentes usos do “mock up” na odontologia atual
Os diferentes usos do “mock up” na odontologia atualOs diferentes usos do “mock up” na odontologia atual
Os diferentes usos do “mock up” na odontologia atualLorem Morais
 
Planos de Orientação em Prótese Total
Planos de Orientação em Prótese TotalPlanos de Orientação em Prótese Total
Planos de Orientação em Prótese TotalLorem Morais
 
Síndrome de Kelly
Síndrome de KellySíndrome de Kelly
Síndrome de KellyLorem Morais
 
Dental problems associated with pregnancy
Dental problems associated with pregnancyDental problems associated with pregnancy
Dental problems associated with pregnancyLorem Morais
 
Ressonância magnética Nuclear
Ressonância magnética NuclearRessonância magnética Nuclear
Ressonância magnética NuclearLorem Morais
 

Mais de Lorem Morais (7)

Delineamento em prótese parcial removível
Delineamento em prótese parcial removívelDelineamento em prótese parcial removível
Delineamento em prótese parcial removível
 
Os diferentes usos do “mock up” na odontologia atual
Os diferentes usos do “mock up” na odontologia atualOs diferentes usos do “mock up” na odontologia atual
Os diferentes usos do “mock up” na odontologia atual
 
Planos de Orientação em Prótese Total
Planos de Orientação em Prótese TotalPlanos de Orientação em Prótese Total
Planos de Orientação em Prótese Total
 
Síndrome de Kelly
Síndrome de KellySíndrome de Kelly
Síndrome de Kelly
 
Xerostomia
XerostomiaXerostomia
Xerostomia
 
Dental problems associated with pregnancy
Dental problems associated with pregnancyDental problems associated with pregnancy
Dental problems associated with pregnancy
 
Ressonância magnética Nuclear
Ressonância magnética NuclearRessonância magnética Nuclear
Ressonância magnética Nuclear
 

Último

Aula Saúde da Criança e do Adolescente.pptx
Aula Saúde da Criança e do Adolescente.pptxAula Saúde da Criança e do Adolescente.pptx
Aula Saúde da Criança e do Adolescente.pptxIgrejaBblica1
 
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástrico
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástricoAnatomopatologico HU UFGD sobre CA gástrico
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástricoMarianaAnglicaMirand
 
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjdMedicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjdClivyFache
 
ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptx
ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptxENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptx
ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptxcontatofelipearaujos
 
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃOeMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃOMayaraDayube
 
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASER
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASERTERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASER
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASERCarlaDaniela33
 
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASAULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASArtthurPereira2
 
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery  after surgery in neurosurgeryEnhanced recovery  after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery after surgery in neurosurgeryCarlos D A Bersot
 
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfSistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfGustavoWallaceAlvesd
 
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdf
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdfManual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdf
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdfClivyFache
 
Primeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
Primeiros Socorros - Sinais vitais e AnatomiaPrimeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
Primeiros Socorros - Sinais vitais e AnatomiaCristianodaRosa5
 
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.pptPSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.pptAlberto205764
 

Último (13)

Aula Saúde da Criança e do Adolescente.pptx
Aula Saúde da Criança e do Adolescente.pptxAula Saúde da Criança e do Adolescente.pptx
Aula Saúde da Criança e do Adolescente.pptx
 
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástrico
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástricoAnatomopatologico HU UFGD sobre CA gástrico
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástrico
 
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjdMedicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
 
ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptx
ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptxENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptx
ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptx
 
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃOeMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
 
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASER
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASERTERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASER
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASER
 
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASAULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
 
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery  after surgery in neurosurgeryEnhanced recovery  after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
 
Aplicativo aleitamento: apoio na palma das mãos
Aplicativo aleitamento: apoio na palma das mãosAplicativo aleitamento: apoio na palma das mãos
Aplicativo aleitamento: apoio na palma das mãos
 
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfSistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
 
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdf
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdfManual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdf
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdf
 
Primeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
Primeiros Socorros - Sinais vitais e AnatomiaPrimeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
Primeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
 
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.pptPSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
 

TC na Odontologia: Aplicações e Vantagens

  • 1. Faculdade Leão Sampaio Curso: Odontologia Disciplina: Imaginologia Professor:Thiago França Aluna: Lorem Krsna de Morais Sousa Turma: 106.4 TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA Juazeiro do Norte - 21 de novembro de 2012
  • 2. Tomografia Computadorizada Definição É um método de exame radiográfico que consiste na aquisição volumétrica de imagens de tecido duros e moles e, que possibilita a interpretação tridimensional da região de interesse por meio de conjuntos de cortes, eliminando a sobreposição destas imagens. É um método considerado rápido, simples e indolor, sendo apontado como uma das técnicas radiológicas mais confiáveis. Tipos  Tomografia Computadorizada por feixes em leque (Fan Beam) Também conhecida como Tomografia Médica ou Espiral, neste método de aquisição em feixes o paciente encontra-se deitado sobre uma maca móvel que desloca-se para o interior de uma abertura chamada de “gantry”, onde está localizada a fonte de raios-X e os detectores. Esta fonte de raios-X emite feixes e o objeto é totalmente tomografado. Aparelhos de TC de nova geração possuem movimentação sincronizada da mesa e do tubo de raios X, o que possibilita o fluxo do feixe de raios X de forma helicoidal (ou espiral), o que diminui o tempo de exposição e melhora a qualidade da imagem. A tecnologia atual é o sistema multislice, com vários anéis de detectores, com maior área por rotação do gantry. Apesar destes avanços a TC Fan Beam não foi difundida de forma ampla na odontologia decido a limitações que incluem uma dose elevada dose de radiação ao paciente; baixa resolução para odontologia; tamanho amplo e alto custo do equipamento .
  • 3.  Tomografia Computadorizada por feixes cônicos (Cone Beam) É o método mais amplamente utilizado na odontologia, e possui dentre suas vantagens uma menor dose de radiação e uma qualidade maior de imagem do que a tomografia médica, com distinção de estruturas delicadas, como do esmalte, dentina, cavidade pulpar e cortical alveolar. A imagem é adquirida por um feixe de raios-X de forma cônica, o qual é produzido num ângulo constante de 14º, sobreposto a um filtro de alumínio. Os raios-X são capturados por um intensificador de imagens ou uma placa amorfa de silício ou selênio. Na maioria dos tomógrafos Cone Beam a imagem é adquirida com o paciente sentado, uma vantagem para pacientes ansiosos em relação à Fan Beam. Como é feita a aquisição da imagem A aquisição da imagem na Tomografia Computadorizada difere segundo os tipos anteriormente citados. Na Tomografia Computadorizada por feixes em leque (Fan Beam) o tubo de raios X montado em uma abertura chamada de “gantry” gira ao redor do paciente através de uma trilha, imitando um feixe muito fino de raios X. Esses raios são cuidadosamente colimados de tal forma que colidem apenas numa secção do corpo, mas passando por um grande número de ângulos dessa secção. Como os tecidos do corpo são compostos de diferentes elementos, estes têm diversos níveis de absorção e atenuação dos raios X. Os raios X, por sua vez, incidem sobre os detectores ou sensores de radiação ao invés de fazê-lo sobre uma película radiográfica. A resposta do detector é originar um sinal elétrico, que é diretamente proporcional ao número de fótons que incidem sobre ele. Estes sinais podem ser quantificados e gravados em um computador geral, depois de cuidadoso processo é elaborado um desenho formado por múltiplos pontos (pixels). O sistema de digitalização do equipamento transforma os valores de cada pixel de cada corte, registrado no sensor, em valores numéricos,
  • 4. correspondentes às variações dos tons de cinza. Estes valores variam de 0 (preto) a 255 (branco). A imagem desta forma é exibida na tela em tons de cinza. Na Tomografia Computadorizada por feixes cônicos (Cone Beam) o braço contendo o sensor e o tubo de raios X gira em torno do paciente, adquirindo múltiplas imagens bidimensionais em diferentes projeções. O número de projeções varia entre 250 a 600 imagens adquiridas dentro um giro de 180 a 360 graus. O tempo de execução do exame geralmente ocorre entre 8 a 40 segundos, mas como o raio X é pulsátil o tempo de exposição é bem menor. O sistema Cone Beam é muito sensível a movimento da cabeça do paciente, portanto, o mesmo deve ficar imóvel, durante a aquisição de imagem, sendo que aparelhos com sistema de contenção adequado favorecem esta imobilidade. Na leitura e processamento das imagens obtidas das múltiplas exposições há a geração de um volume cilíndrico e o computador realiza a reconstrução primária (da maneira citada anteriormente). Depois, para trabalho, executam-se reconstruções secundárias da imagem de acordo com as necessidades. Vantagens Além da rapidez na realização do exame e da alta-resolução, a TC permite avaliar estruturas anatômicas sem sobreposição de imagens e com representação volumétrica, fornecendo imagens tridimensionais sem distorção e aumentado assim a precisão favorecendo o diagnóstico. A obtenção da imagem possibilita o uso de “cortes”, o que proporciona percepção espacial privilegiadas em relação a outros exames como radiografias convencionais. Possibilidade de fazer uma melhor distinção entre os tecido devido maior sensibilidade para variação de densidade, auxiliando na detecção de anomalias que antes só seriam realizadas com procedimentos invasivos. Fornecem imagens compatíveis com o tamanho real do objeto.
  • 5. Possibilidade de manipulação de imagem com ajuste de detalhes e da escala contraste graças à tecnologia digital utilizada. Desvantagens O uso de radiação é uma das principais desvantagens deste método devido à natureza nociva dos raios- X e sendo a dose de radiação utilizada neste exame considerada elevada em relação aos métodos convencionais. Aplicações na odontologia A tomografia computadorizada como modalidade diagnóstica possui uma ampla aplicação na odontologia que abrange:  Diagnóstico e avaliação de Tumores das glândulas salivares e tecidos moles do pescoço;  Identificação e localização dos processos patológicos;  Avaliação de traumas faciais;  Avaliação de fraturas e trincas na raiz;  Avaliação dos componentes ósseos da Articulação Temporomandibular;  Avaliação dos Seios Paranasais;  Visualização de dentes inclusos;  Avaliação da extensão e integridade das corticais ósseas, bem como suas relações com estruturas anatômicas como feixes vásculo-nervosos, para o planejamento de implantes ósteo-integrados; Exemplos de aplicação na odontologia  Trauma facial A Tomografia Computadorizada fornece detalhamento anatômico sem sobreposição de estruturas de interesse e de fragmentos ósseos. Neste exame
  • 6. específico ainda as estruturas podem ser vistas no plano axial, sagital e coronal, além da grande vantagem de percepção espacial adquirida pela formação das imagens tridimensionais que facilitam o reconhecimento das estruturas cranianas  Pré - cirurgia na instalação de implantes. Possibilita mensuração precisa sem a invasão de estruturas anatômicas nobres adjacentes a área de interesse, e ainda a visualização de altura e largura concomitantemente admitindo a visualização da profundidade e altura para o planejamento do implante dentário sem comprometimento de estruturas vitais como canal mandibular ou forame mentoniano. Permite a visualização da forma do rebordo alveolar, côncavo ou convexo no leito do implante e as reconstruções tridimensionais podem facilitar a visualização de pontos anatômicos essenciais para a realização do procedimento.
  • 7. REFERÊNCIAS. 1. RODRIGUES,A. F.; VITRAL, R. W. F. Aplicações da tomografia computadorizada na odontologia. Pesq Bras Odontoped Clin Integr, João Pessoa, 7(3):317-324, set./dez. 2007. 2. ALVARES, L. C.; TAVANO, O. Curso De Radiologia Em Odontologia. © Livraria Santos Editora Ltda. 5a Edição, 2009. 3. PANELLA, Jurandir. Fundamentos de Odontologia - Radiologia Odontológica e Imaginologia, © Guanabara Koogan, 2006 LINKS 1. http://www.croif.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=8&Itemid= 11 2. http://ceroimagem.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=70&Itemi d=69