Deficiência Física

949 visualizações

Publicada em

Deficiências Física

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
949
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Deficiência Física

  1. 1. ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO DEFICIÊNCIA FÍSICA Curso de Formação Continuada de Professores SEESP / SEED / MEC
  2. 2. ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO DEFICIÊNCIA FÍSICA Apresentação Bem-vindos ao módulo de Deficiência Física! No decorrer de seis semanas, conheceremos as diversas possibilidades que nos ajudarão a promover o acesso do aluno com deficiência física ao conhecimento e ao ambiente escolar. O atendimento educacional especializado – AEE é garantia de inclusão e o professor especializado desempenha um importante papel quando atua, de forma criativa e colaborativa com o professor da classe comum, para a definição de estratégias pedagógicas e disponibilização de recursos que favoreçam o acesso do aluno ao currículo comum, sua interação no grupo, participação em todos os projetos e atividades pedagógicas e acesso físico aos espaços da escola. Para estudarmos o AEE para o aluno com deficiência física, como em todas as outras deficiências, desenvolveremos a metodologia denominada Aprendizagem colaborativa em rede com base em situações do cotidiano escolar. De acordo com essa proposta, o módulo de deficiência física apresenta uma situação do cotidiano escolar denominada Caso Maria Eduarda que nos conduzirá a estudar, a investigar, a planejar e a buscar alternativas para o AEE para crianças e jovens com deficiência física. As etapas da metodologia consistem em: propor e clarificar o Caso Maria Eduarda; discutir e buscar soluções para o problema, elaborar um plano de AEE com base no caso estudado; reelaborar o problema e o plano de AEE e, por fim, avaliar o módulo estudado. Os quinze professores-alunos deverão ser distribuídos em cinco grupos. Cada grupo contará com três professores-alunos. Desta forma, o caso Maria Eduarda será estudado por grupos de professores, de acordo com as etapas da metodologia. Não podemos esquecer que o trabalho coletivo exige participação, iniciativa e empenho de todos. Curso de Formação Continuada de Professores SEESP / SEED / MEC 2/28
  3. 3. ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO DEFICIÊNCIA FÍSICA As etapas da metodologia, distribuídas nas seis semanas, contarão com atividades específicas que serão realizadas em grupo ou individualmente Bom trabalho! PROFESSORES RESPONSÁVEIS Rosângela Machado (Coordenação de área) Carolina Schirmer (Supervisão de Conteúdo) Grasiela Maria Silva Rios (Supervisão de Conteúdo) Rita Bersch (Supervisão de Conteúdo) Simone De Mamann Ferreira (Supervisão de Conteúdo) Curso de Formação Continuada de Professores SEESP / SEED / MEC 3/28
  4. 4. ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO DEFICIÊNCIA FÍSICA Objetivos de Aprendizagem 1. Conhecer o conceito de deficiência física e compreender sua complexidade, variedade de causas e níveis de comprometimento funcionais. 2. Conhecer formas de atuação do AEE para a deficiência física. 3. Compreender o conceito da plasticidade neural e sua implicação no desenvolvimento infantil. Reconhecer a importância da oportunização de experiências sensoriais comuns e de qualidade, desde a primeira infância, buscando minimizar condições de carências e desvantagens das crianças com deficiência física, no processo de desenvolvimento. 4. Entender que a deficiência física pode causar importantes prejuízos da comunicação expressiva e que barreira da comunicação não pode ser confundida com impedimentos da compreensão e possibilidades de aprendizado. 5. Compreender o conceito de Tecnologia Assistiva, entendido como recursos e serviços, e a sua aplicação na educação . 6. Entender como se estrutura o serviço de Tecnologia Assistiva na escola, identificando sua importância para o AEE na deficiência física . 7. Identificar os profissionais que poderão colaborar com seus conhecimentos específicos e criar ações compartilhadas com outras áreas para redes de relacionamento. 8. Aplicar os conhecimentos adquiridos em situações reais do cotidiano escolar, desenvolvendo ações voltadas para a eliminação de barreiras impostas pela deficiência física. 9. Elaborar um plano de AEE, visando às necessidades do aluno com deficiência física. 10. Identificar e avaliar os resultados que deseja chegar para garantir a acessibilidade do aluno com deficiência física ao ambiente escolar. Curso de Formação Continuada de Professores SEESP / SEED / MEC 4/28
  5. 5. ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO DEFICIÊNCIA FÍSICA 1ª. Etapa: Proposição do caso Presencial (1ª. semana) A primeira e a segunda etapas da metodologia da Aprendizagem colaborativa em rede com base em situações do cotidiano escolar, que envolve a proposição do caso e a clarificação da situação-problema, identifica o problema em seus diferentes aspectos, ao mesmo tempo, que escolhe os referenciais bibliográficos adequados à investigação proposta. Nossa primeira etapa da metodologia consiste na distribuição para cada participante de uma situação real do cotidiano escolar a partir da qual os professores-alunos farão a leitura. A situação do cotidiano escolar: CASO MARIA EDUARDA Maria Eduarda, uma criança com 7 anos de idade, está matriculada na 1ª série do Ensino Fundamental. É a primeira experiência dela no ambiente escolar já que não freqüentou a educação infantil. A presença da criança na escola tem ocasionado muitos questionamentos por parte dos professores em relação a sua aprendizagem, comunicação e participação nas atividades desenvolvidas no ambiente escolar devido ao fato de apresentar paralisia cerebral, fazer uso de fraldas e de cadeira de rodas, necessitando de auxílio na sua higiene, locomoção e alimentação. A professora de sala de aula está muito angustiada com a situação da aluna, principalmente, quando não consegue estabelecer comunicação pela dificuldade de entender o que a aluna deseja expressar e pela dificuldade de saber o quanto a aluna compreende o que lhe é falado. A professora se angustia, ainda mais, quando não consegue avaliar Maria Eduarda pelo fato de ela não escrever, não ler e apresentar uma fala incompreensível. Outras situações do cotidiano, também, se tornam angustiantes, como por exemplo, a impossibilidade de ouvir um conto na biblioteca Curso de Formação Continuada de Professores SEESP / SEED / MEC 5/28
  6. 6. ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO DEFICIÊNCIA FÍSICA escolar que fica no andar superior da escola e o acesso é pelas escadas. Maria Eduarda acaba não participando com os demais alunos e fica em sala de aula na companhia de um atendente que a auxilia nos momentos de alimentação, higiene e locomoção. A aula de educação física é mais uma situação de desconforto para todos. Para a professora é muito difícil desenvolver atividades que envolvam Maria Eduarda com os demais alunos pelas limitações físicas impostas pela paralisia cerebral. No momento do lanche, Maria Eduarda volta para a sala de aula muito tempo depois dos seus colegas pelo seu ritmo lento de ingerir os alimentos. Novamente, Maria Eduarda se restringe a companhia da atendente que a ajuda na alimentação. Maria Eduarda, mesmo não tendo a fala para se comunicar, revela no seu comportamento a insatisfação de não poder interagir com os colegas de turma. Muitas vezes, ela se recusou a comer na hora do lanche para poder acompanhar a sua turma. Quando um colega se aproxima para conversar, ela registra em seu corpo, pelos movimentos desordenados e pelo sorriso aberto, o entusiasmo de receber a atenção de alguém. A mãe de Maria Eduarda aparece constantemente na escola e demonstra sua preocupação com a inclusão da menina, revelando que gostaria que sua filha não fosse colocada em um canto isolado da sala de aula. No transcorre do tempo, a professora de sala de aula observou que Maria Eduarda apresenta uma boa mobilidade na mão direita, consegue apontar e tenta pegar o que está próximo dela. A professora refere que seu rosto é bastante expressivo, ficando fácil perceber reações de desconforto, de prazer e alegria. É desta forma que Maria Eduarda manifesta com clareza que não gosta de ficar longe da turma. Curso de Formação Continuada de Professores SEESP / SEED / MEC 6/28
  7. 7. ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO DEFICIÊNCIA FÍSICA As atividades que deveremos desenvolver: o Leitura individual da situação real – Caso Maria Eduarda. o Registro escrito, individualmente e pelos grupos, de uma lista dos termos e assuntos desconhecidos identificados no texto lido. o Socialização, definição e esclarecimento acerca dos termos e assuntos listados pelos participantes do grupo. o Consulta e pesquisa de fontes bibliográficas disponíveis para elucidação e definição de termos, assuntos e conceitos desconhecidos. Segue, abaixo, uma tabela ao qual o grupo de professores-alunos deverá registrar os termos e assuntos desconhecidos encontrados no relato da situação do cotidiano escolar – Caso Maria Eduarda. Termos desconhecidos Assuntos desconhecidos Após o levantamento de termos e assuntos desconhecidos, os grupos devem socializar os registros feitos e trocar conhecimentos e experiências no grande grupo. O grupo deverá eleger um relator para que anote a discussão feita pelos participantes. Desta forma, os grupos poderão expor o Curso de Formação Continuada de Professores SEESP / SEED / MEC 7/28
  8. 8. ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO DEFICIÊNCIA FÍSICA que não foi entendido e solicitar esclarecimentos aos colegas e ao tutor que possam ter informação sobre o desconhecido. Os termos e assuntos desconhecidos que não forem esclarecidos no encontro presencial poderão ser pesquisados no referencial bibliográfico sugerido ao final da segunda etapa ou no referencial pesquisado pelo próprio professor-aluno. As informações encontradas, necessárias para esclarecimento dos termos e assuntos desconhecidos, deverão ser postadas no fórum de discussão, durante a semana. Curso de Formação Continuada de Professores SEESP / SEED / MEC 8/28
  9. 9. ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO DEFICIÊNCIA FÍSICA 2ª. Etapa: Clarificação do problema Presencial (1ª. semana) Nesta etapa, os professores-alunos deverão realizar as seguintes atividades:  Reescrita, com suas próprias palavras, do que entendeu da situação do cotidiano escolar – caso Maria Eduarda apresentada. A reescrita deverá ser feita pelos grupos.  Identificação do tipo do problema: cognitivo e linguagem, contexto (ambiente escolar, familiar e cultural), saúde e desenvolvimento físico, afetividade e socialização, aprendizagem.  Identificação da(s) idéia(s) central(is) do problema – o que precisa ser resolvido do ponto de vista do AEE?  Consulta e pesquisa de fontes bibliográficas disponíveis para elucidação e definição de termos, assuntos e conceitos desconhecidos. Cada grupo terá um tempo para a elaboração da reescrita da situação do cotidiano escolar – Caso Maria Eduarda que será apresentada a todos os participantes da turma com o objetivo de depurar as informações relevantes do relato. Curso de Formação Continuada de Professores SEESP / SEED / MEC 9/28
  10. 10. ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO DEFICIÊNCIA FÍSICA Reescrita da situação do cotidiano escolar – Caso Maria Eduarda Depois da reescrita feita, os grupos de professores-alunos continuam com mais duas atividades: 1. Identificar o tipo de problema relacionado à situação do cotidiano escolar – Caso Maria Eduarda; 2. Identificar a(s) idéia(s) central(is) da situação: O tipo de problema encontrado é: ( ) De ordem cognitiva – Temos informações sobre o potencial cognitivo de Maria Eduarda? Quais:_______________________________________________________ ____________________________________________________________ ( ) De linguagem – É possível perceber no relato da situação do cotidiano escolar que Maria Eduarda tem problemas de comunicação ? Há indicações de dificuldades na linguagem oral e/ou escrita? Quais dificuldades de Maria Eduarda encontradas no relato? ____________________________________________________________ _______________________________________________________ Curso de Formação Continuada de Professores SEESP / SEED / MEC 10/28
  11. 11. ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO DEFICIÊNCIA FÍSICA ( ) De contexto familiar – Há dados sobre o contexto familiar de Maria Eduarda? Quais? ____________________________________________________________ ___________________________________________ ( ) De contexto escolar – No relato da situação do cotidiano escolar, percebemos dados relevantes sobre a escola e Maria Eduarda? Quais? ____________________________________________________________ __________________________________________ ( ) De contexto sócio-cultural – As informações do relato são suficientes para conhecermos a vida social e cultural do aluno e de sua família? A partir do caso relatado, o que podemos inferir a este respeito? ____________________________________________________________ _____________________________________________________ ( ) De afetividade – Como é a interação de Maria Eduarda em casa e na escola? Temos dados a este respeito? Quais? ____________________________________________________________ _______________________________________________________ ( ) De desenvolvimento físico e motor – Quais são os aspectos que interferem no desenvolvimento físico e motor de Maria Eduarda? ____________________________________________________________ ____________________________________________________________ ( ) Aprendizagem – Quais são as suas principais informações que temos na área da aprendizagem? De que maneira a sua condição física pode interferir em seu desempenho escolar? ____________________________________________________________ ____________________________________________________________ Curso de Formação Continuada de Professores SEESP / SEED / MEC 11/28
  12. 12. ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO DEFICIÊNCIA FÍSICA Com base no levantamento dos tipos de problemas que envolvem a situação do cotidiano escolar, qual é o problema de Maria Eduarda do ponto de vista da necessidade de intervenção do AEE? ____________________________________________________________ ____________________________________________________________ ____________________________________________________________ Escreva a (as) idéia (s) central (is) do problema, resumida em poucas palavras, considerando apenas o foco do AEE no Caso Maria Eduarda. ____________________________________________________________ ____________________________________________________________ ____________________________________________________________ A reescrita do caso e do tipo de problema deve ser feita a partir do modelo T999_DF_Reescrita_do_Caso e postada por um dos integrantes do grupo no portfólio de grupos. Para isso deve ser criada uma pasta com o nome Deficiência Física para colocar esse trabalho - e os demais trabalhos desse módulo. Local: ambiente TelEduc, Portfólio de Grupo Título e nome do documento: T999_DF_Reescrita_do_Caso * substitua 999 pelo número de sua turma. Onde colocar: Gravar no computador pessoal e depois anexar no Portfólio de Grupo. É necessário que apenas uma pessoa do grupo coloque o trabalho. Compartilhamento: totalmente compartilhado Prazo: até 6ª feira da primeira semana, após o encontro presencial Curso de Formação Continuada de Professores SEESP / SEED / MEC 12/28
  13. 13. ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO DEFICIÊNCIA FÍSICA Curso de Formação Continuada de Professores SEESP / SEED / MEC 13/28
  14. 14. ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO DEFICIÊNCIA FÍSICA Consulta e Pesquisa de Fontes bibliográficas As fontes bibliográficas, sugeridas abaixo, auxiliarão na definição de termos e assuntos desconhecidos, bem como na clarificação da situação do cotidiano escolar – Caso Maria Eduarda. Atenção: Outras fontes podem ser consultadas e pesquisadas pelos professores-alunos e tutor. Atividade de Leitura Básica Texto 1: “Atendimento Educacional Especializado: deficiência física” Local: coletânea de livros sobre o AEE (kit): “Atendimento Educacional Especializado – deficiência física”, capítulo I, II e III. Texto 2: Experiências educacionais inclusivas Local: ambiente TelEduc, MATERIAL DE APOIO, pasta DF – p. 53 a 59. Assistir DVD (CD cor verde do kit) Vídeo: Atendimento Educacional Especializado – deficiência física Local: qualquer aparelho DVD normal, conectado à TV, ou no computador que tenha leitor de DVD Atividade de Leitura Complementar Texto 1: Paralisia Cerebral Local: ambiente TelEduc, MATERIAL DE APOIO, pasta DF – p. 53 a 59. Curso de Formação Continuada de Professores SEESP / SEED / MEC 14/28
  15. 15. ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO DEFICIÊNCIA FÍSICA Relatório do Encontro Presencial Como atividade final, o grupo, coordenado pelo tutor, elaborará um RELATÓRIO DO ENCONTRO PRESENCIAL do que foi discutido nesta primeira semana. Recomendamos que use o modelo que se encontra em ATIVIDADES com o nome T999_DF_Encontro_Presencial. O RELATÓRIO deverá ser colocado na plataforma pelo tutor. Local: ambiente TelEduc, Portfólio individual do Tutor, nas duas áreas: área da turma e na área “AEE Formação de Tutores”. Título e nome do documento: T999_DF_Encontro_Presencial * substitua 999 pelo número de sua turma. Onde colocar: Gravar no computador pessoal e depois anexar no Portfólio individual. É necessário que somente o Tutor coloque o trabalho. Compartilhamento: totalmente compartilhado Prazo: até 6ª feira da segunda semana Curso de Formação Continuada de Professores SEESP / SEED / MEC 15/28
  16. 16. ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO DEFICIÊNCIA FÍSICA 3ª. Etapa: Discussão do problema EAD (2ª e 3ª semanas) Essa etapa consiste na discussão do problema que envolve a situação do cotidiano escolar – Caso Maria Eduarda. Essa atividade será desenvolvida nos espaços designados na plataforma TelEduc. Atividades  Leitura do referencial bibliográfico  Relação das experiências anteriores com os conhecimentos adquiridos a partir do referencial bibliográfico  Relação dos conhecimentos novos com os objetivos de aprendizagem (estudo dirigido)  Esclarecimento de dúvidas Questões orientadoras  O que vocês aprenderam de novo durante o estudo do material de apoio?  O que devemos saber para resolver o problema?  Os conhecimentos de que você dispõe são suficientes para entender o problema e dar início à sua resolução? Os professores-alunos deverão debater estas questões no Fórum. Local: ambiente TelEduc, FÓRUNS DE DISCUSSÃO Fórum: DF Discussão e Solução do Problema Prazo: até 6ª feira da segunda semana Curso de Formação Continuada de Professores SEESP / SEED / MEC 16/28
  17. 17. ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO DEFICIÊNCIA FÍSICA Estudo Dirigido: Atividade de competência do aluno Para conhecer um pouco mais sobre o atendimento educacional especializado para a deficiência física e para colaborar na solução do problema da situação do cotidiano escolar – Caso Maria Eduarda, realize o estudo dirigido, individualmente, a partir do modelo que está disponível na plataforma TelEduc, em ATIVIDADES, pasta DF, sub-pasta MODELOS. Atividade de Leitura para o Estudo Dirigido: Para resolver o estudo dirigido, faça as leituras abaixo: Texto 1: “Atendimento Educacional Especializado: deficiência física” Local: coletânea de livros sobre o AEE (kit): “Atendimento Educacional Especializado – deficiência física”, capítulo I, II e III (já lidos nas etapas anteriores). Capítulos V e VI Texto 2: CORDE, Comitê de Ajudas Técnicas, Portaria que institui o Comitê. Disponível em http://www.mj.gov.br/sedh/ct/corde/dpdh/corde/comite_at.asp Local: ambiente TelEduc, Portfólio individual Título e nome do documento: T999_DF_Estudo_Dirigido * substitua 999 pelo número de sua turma. Onde colocar: Gravar no computador pessoal e depois anexar no Portfólio Individual. Compartilhamento: totalmente compartilhado Prazo: até 6ª feira da terceira semana Curso de Formação Continuada de Professores SEESP / SEED / MEC 17/28
  18. 18. ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO DEFICIÊNCIA FÍSICA 4ª. Etapa: Solução do problema EAD (4ª semana) Esta etapa consiste em buscar uma solução para a situação do cotidiano escolar – Caso Maria Eduarda. É preciso que resgatemos o que aprendemos nas etapas anteriores. A análise e solução do problema devem ser discutidas no fórum indicado abaixo e a solução do problema deve ser colocada no portfólio de grupos conforme orientações a seguir, dentro da pasta Deficiência Física. Atividades o Elaboração da solução do problema pelo grupo. o Apresentação da solução do problema pelo grupo. Atenção: É nesta etapa que devemos nos sentir desafiados e acreditar na nossa competência e capacidade de estudo. Devemos descrever, em grupos, a solução para situação do cotidiano escolar – Caso Maria Eduarda com base em tudo que fizemos e estudamos nas etapas anteriores. Cada grupo deverá elaborar as suas soluções no fórum. Local: ambiente TelEduc, FÓRUNS DE DISCUSSÃO Fórum: DF Discussão e Solução do Problema Prazo: até 6ª feira da quarta semana Curso de Formação Continuada de Professores SEESP / SEED / MEC 18/28
  19. 19. ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO DEFICIÊNCIA FÍSICA Quando o grupo chegar na solução final, esta deverá ser postada no portfólio de grupos por um dos elementos do grupo para que todos possam compartilhar e debater as soluções apresentadas. Local: ambiente TelEduc, Portfólio de Grupo Título e nome do documento: T999_DF_Solucao_do_Problema * substitua 999 pelo número de sua turma. Onde colocar: Gravar no computador pessoal e depois anexar no Portfólio de Grupo. É necessário que apenas uma pessoa do grupo coloque o trabalho. Compartilhamento: totalmente compartilhado Prazo: até 6ª feira da quarta semana Atividade de Leitura Básica: Texto: Tecnologia Assistiva no Processo Educacional Local: Ensaios Pedagógicos - Construindo escolas inclusivas. 1ª. ed. Brasília: MEC, SEESP, 2005. Ambiente TelEduc, MATERIAL DE APOIO, pasta DF – p. 87 a 92. Curso de Formação Continuada de Professores SEESP / SEED / MEC 19/28
  20. 20. ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO DEFICIÊNCIA FÍSICA 5ª. Etapa: Elaboração do plano de AEE EAD (4ª semana) Cada grupo de professores-alunos deverá elaborar o PLANO DE AEE para a situação do cotidiano escolar – Caso Maria Eduarda. Esta etapa é de fundamental importância porque demonstrará o quanto entendemos de atendimento educacional especializado e o que somos capazes de elaborar para que o aluno com deficiência física tenha acesso ao ambiente e conhecimento escolares. Plano de AEE: Roteiro para elaboração Disponibilizamos um roteiro / modelo para orientar a elaboração do Plano de AEE, pelos grupos de professores-alunos, que está disponível em ATIVIDADES, pasta DF. Questões orientadoras para a elaboração do Plano de AEE: o Que recursos humanos e materiais são necessários? Onde encontrá-los? Eles estão disponíveis na sua comunidade? o Quais parceiros e colaboradores podem contribuir? Onde encontrá-los? Eles estão disponíveis na sua comunidade? o Este Plano de AEE é coerente com a solução proposta para o problema? o Este Plano de AEE é exeqüível na sua realidade? o Os conhecimentos aprendidos foram suficientes para elaborar este Plano de AEE? Atividade de Leitura Básica Texto 1: “Atendimento Educacional Especializado: deficiência física” Curso de Formação Continuada de Professores SEESP / SEED / MEC 20/28
  21. 21. ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO DEFICIÊNCIA FÍSICA Local: coletânea de livros sobre o AEE (kit): “Atendimento Educacional Especializado – deficiência física”, capítulo IV, V e VI. Local: ambiente TelEduc, Portfólio de Grupo Título e nome do documento: T999_DF_Plano_AEE * substitua 999 pelo número de sua turma. Onde colocar: Gravar no computador pessoal e depois anexar no Portfólio de Grupo. É necessário que apenas uma pessoa do grupo coloque o trabalho. Compartilhamento: totalmente compartilhado Prazo: até 6ª feira da quarta semana Curso de Formação Continuada de Professores SEESP / SEED / MEC 21/28
  22. 22. ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO DEFICIÊNCIA FÍSICA 6ª. Etapa: Socialização da solução do problema e do plano de AEE EAD (5ª. Semana) Etapa destinada à socialização e a avaliação dos trabalhos desenvolvidos pelos grupos nas 4ª e 5ª etapas, sobre as soluções encontradas e os Planos AEE elaborados para a situação do cotidiano escolar – Caso Maria Eduarda. Atividades o Leitura e comentários das Soluções do Problema e Planos de AEE apresentados pelos grupos na Plataforma TelEduc. Para isso deve-se usar a opção comentários do portfólio de grupos. o Avaliação, pelo Tutor, das Soluções do Problema e dos Planos de AEE. o Avaliação, pelo Supervisor do Conteúdo, das Soluções do Problema e dos Planos de AEE. Questões orientadoras para a apreciação das Soluções do Problema e Planos de AEE: o Vocês identificam alguma contradição ou divergência entre as várias propostas feitas pelos membros do grupo? Se afirmativo, como solucioná-las (explicá-las)? o A partir da leitura das soluções do problema e dos Planos de AEE dos colegas, o que vocês mudariam na sua solução de problema e Plano de AEE? Local: ambiente TelEduc, FÓRUNS DE DISCUSSÃO Fórum: DF Socialização Prazo: até 6ª feira da quinta semana Curso de Formação Continuada de Professores SEESP / SEED / MEC 22/28
  23. 23. ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO DEFICIÊNCIA FÍSICA 7ª. Etapa: Reelaboração da solução do problema e do plano de AEE EAD (6ª. Semana) Esta etapa nos oferece a oportunidade de repensar e reelaborar a solução do problema e o plano de AEE. Devemos pensar se há necessidade de mudar alguma coisa depois das discussões que fizemos com nossos colegas. São as trocas que nos fazem aprimorar nossos olhares e nossas ações. Coloquem no fórum as suas justificativas para as modificações (ou não) das soluções encontradas para a situação do cotidiano escolar – Caso Maria Eduarda e para o plano de AEE, respondendo às questões abaixo. o O que vocês alteraram na Solução do Problema e no Plano de AEE? o Havendo ou não alteração(ões), justifiquem. o O plano de AEE atende as necessidades de Maria Eduarda, considerando todo o seu caso? Atividades o Reelaboração da solução do problema e do Plano de AEE o Apresentação da solução do problema e do Plano de AEE reelaborados. Local: ambiente TelEduc, FÓRUNS DE DISCUSSÃO Fórum: DF Socialização Prazo: até 6ª feira da sexta semana Curso de Formação Continuada de Professores SEESP / SEED / MEC 23/28
  24. 24. ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO DEFICIÊNCIA FÍSICA Local: ambiente TelEduc, Portfólio de Grupo Título e nome do documento: T999_DF_Solucao_do_Problema_Final * substitua 999 pelo número de sua turma. Onde colocar: Gravar no computador pessoal e depois anexar no Portfólio de Grupo. É necessário que apenas uma pessoa do grupo coloque o trabalho. Compartilhamento: totalmente compartilhado Prazo: até 4ª feira da sexta semana Local: ambiente TelEduc, Portfólio de Grupo Título e nome do documento: T999_DF_Plano_de_AEE_Final * substitua 999 pelo número de sua turma. Onde colocar: Gravar no computador pessoal e depois anexar no Portfólio de Grupo. É necessário que apenas uma pessoa do grupo coloque o trabalho. Compartilhamento: totalmente compartilhado Prazo: até 4ª feira da sexta semana Curso de Formação Continuada de Professores SEESP / SEED / MEC 24/28
  25. 25. ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO DEFICIÊNCIA FÍSICA Avaliação do módulo EAD (6ª. Semana) Para encerrar nossas atividades e o módulo da deficiência física, estão disponibilizados, em ATIVIDADES, pasta DF, instrumentos de avaliação que deverão ser utilizados, individualmente, pelo tutor e pelos professores-alunos. Local: ambiente TelEduc, Portfólio individual Título e nome do documento: T999_DF_Auto_Avaliacao * substitua 999 pelo número de sua turma. Onde colocar: Gravar no computador pessoal e depois anexar no Portfólio Individual Compartilhamento: totalmente compartilhado Prazo: até 6ª feira da sexta semana Local: ambiente TelEduc, Portfólio individual do Tutor, nas duas áreas: área da turma e na área “AEE Formação de Tutores”. Título e nome do documento: T999_DF_Avaliacao_Final * substitua 999 pelo número de sua turma. Onde colocar: Gravar no computador pessoal e depois anexar no Portfólio de individual. Compartilhamento: totalmente compartilhado Prazo: até 6ª feira da sexta semana Curso de Formação Continuada de Professores SEESP / SEED / MEC 25/28
  26. 26. ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO DEFICIÊNCIA FÍSICA REFERÊNCIAS COMPLEMENTARES BRASIL. Secretaria de Educação Especial. Portal de ajudas técnicas para a educação: equipamento e material pedagógico para a educação, capacitação e recreação da pessoa com deficiência física: recursos pedagógicos adaptados. Brasília: MEC/SEESP, 2002, fascículo 1. BRASIL. Secretaria de Educação Especial. Portal de ajudas técnicas para a educação: equipamento e material pedagógico para a educação, capacitação e recreação da pessoa com deficiência física: recursos para comunicação alternativa. 2ª ed. Brasília: MEC/SEESP, 2006. BRASIL. Secretaria de Educação Especial. Brincar para todos. 2ª ed. Brasília: MEC/SEESP, 2005. BRASIL. Saberes e Práticas da Inclusão: Dificuldades Acentuadas de Aprendizagem: Deficiência Múltipla. 2. ed. rev. – Brasília: MEC, SEESP, 2003 BERSCH, Rita; PELOSI, Miryam Bonadiu. Portal de Ajudas Técnicas para a Educação: Equipamento e Material Pedagógico para a Educação, Capacitação e Recreação da Pessoa com Deficiência Física: Recursos de Acessibilidade ao Computador. Secretaria de Educação Especial – Brasília: ABPEE – MEC: SEESP, 2007 BERSCH, Rita e SCHIRMER, Carolina. Tecnologia Assistiva no Processo Educacional. In: Ensaios Pedagógicos - Construindo escolas inclusivas. 1ª. ed. Brasília: MEC, SEESP, 2005. DISCHINGER, Marta e MACHADO, Rosângela. Desenvolvendo ações para criar espaços escolares acessíveis. IN.: Inclusão. Revista da Educação Curso de Formação Continuada de Professores SEESP / SEED / MEC 26/28
  27. 27. ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO DEFICIÊNCIA FÍSICA Especial Secretaria de Educação especial. Ano 2, nª 2, agosto/2006. Brasília: Secretaria de Educação Especial, 2006 MACHADO, Rosângela. O Atendimento Educacional Especializado na Rede Regular de Ensino de Florianópolis/SC. IN.: Educação Inclusiva: Experiências Educacionais Inclusivas. Brasília: Ministério da Educação, 2006. MANZINI, Eduardo José; DELIBERATO, Débora. Portal de Ajudas Técnicas para a Educação: Equipamento e Material Pedagógico para a Educação, Capacitação e Recreação da Pessoa com Deficiência Física: Recursos Pedagógicos Adaptados II. 1ª ed. Brasília: ABPEE-MEC: SEESP, 2007. Fascículo 4. PELOSI, Miryam Bonadiu. A comunicação alternativa escrita In: NUNES, Leila Regina d'Oliveira de Paula. Comunicação Alternativa – Favorecendo o desenvolvimento da comunicação alternativa em crianças e jovens com necessidades educacionais especiais. 1ª ed. Rio de Janeiro: Editora Dunya, 2003, p. 203-216. PELOSI, Miryam Bonadiu. As contribuições da comunicação alternativa no processo de inclusão. In: Tecnologia em (Re)Habilitação Cognitiva – Um novo olhar para avaliação e intervenção. Ed. São Paulo: Centro Universitário São Camilo, 2002, p. 303-312. PELOSI Miryan e BERSCH Rita. Material sobre comunicação alternativa para ser inserido no livro do professor. Texto complementar distribuído em cursos de comunicação alternativa. Disponível em < www.comunicacaoalternativa.com.br > RJ, 2002 Curso de Formação Continuada de Professores SEESP / SEED / MEC 27/28
  28. 28. ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO DEFICIÊNCIA FÍSICA SCHIRMER, Carolina R. Comunicação Suplementar e Alternativa no Trabalho com Portador de Paralisia Cerebral. IN.: RIBAS, Letícia Pacheco; PANIZ, Sandra Inês Marcon. Atualizações de Temas em Fonoaudiologia. Novo Hamburgo: Editora FEEVALE, 2004. SILVA, Adilson Florentino da. A inclusão escolar de alunos com necessidades educacionais especiais: deficiência física / elaboração Adilson Florentino da Silva, Ana de Lourdes Barbosa de Castro, Maria Cristina de Mello Castelo Branco. - Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Especial, 2006. Curso de Formação Continuada de Professores SEESP / SEED / MEC 28/28

×