Empirismo
Definição
• Empirismo é uma doutrina filosófica que defende a
ideia de que somente as experiências são capazes de
gerar id...
Surgimento
• Esta doutrina filosófica foi definida no século
XVII pelo filósofo inglês John Locke. De acordo
com este filó...
Filósofos que defenderam ideias ligadas ao
empirismo:
• Aristóteles
• Tomás de Aquino
• Francis Bacon
• Thomas Hobbes
• Jo...
Francis Bacon
Barão de Verulam
Visconde de St. Alban
Bacon de Verulâmio
Franciscy de Velurâmio
Dados
• Nasceu na cidade de Londres (Inglaterra);
• No dia 22 de janeiro de 1561;
• Filho caçula de Sir Nicholas Bacon, e ...
Quem é Francis Bacon?
• Um dos maiores pensadores da história da filosofia, fazendo e criando várias
obras literárias, cie...
Linha do Tempo
• 1561- Nasce Francis Bacon
• 1576 – Formou – se em Direito, pela universidade de
Cambridge.
 Como diploma...
• 1605 – Dedicou “O avanço do Conhecimento” ao Rei.
• 1607 – Procurador Geral.
• 1613 – Fiscal Geral.
• 1616 – Lorde Conse...
• 1617 – Lorde Guardião (Guarda do Selo).
• 1618 – Foi condecorado Barão de Veluram .
 Lorde Chanceler.
• 1620 – Publicaç...
• 1622 – Publicou “ História de Henrique VII”.
Suas obras influenciam a fundação de uma “sociedade
secreta”, que se reuni...
Curiosidades
• A respeito de sua família:
Seu pai: Era Guardião do Selo Real.
Sua mãe: Falava 5 idiomas e foi considerad...
• A primeira parte da “Grande restauração”
chegou a completar-se e se encontra nos
“Nove livros sobre a dignificação e pro...
Principais realizações e atuações
• Foi eleito para a Câmara dos Comuns Inglesa.
• Durante o reinado de Jaime I, atuou com...
Principais ideias
• Como filósofo foi muito importante na defesa do uso do
método científico (empirismo). Defendia que a o...
• O conhecimento, para ele, tem por finalidade
servir o homem e dar-lhe poder sobre a
natureza.
• Seu método era a observa...
• O conhecimento científico, para ele, tem por
finalidade servir o homem e dar – lhe poder
sobre a natureza.
• Criticava a...
A ciência deve restabelecer o imperium
hominis (império do homem) sobre as coisas.
A filosofia verdadeira não é apenas a c...
As descobertas nem sempre são feitas
pela ciência mesma, sou o acaso as
descobre ou a própria experiência
vulgar.
Após aqu...
A obra de Bacon representa a tentativa de
realizar um vasto plano de grande restauração
(Instauratio Magna).
De acordo com...
O Método
• O objetivo do método baconiano é constituir uma nova
maneira de estudar os fenômenos naturais.
• Para Bacon, a descobert...
• Com isso, seria possível eliminar causas que
não se relacionam com o efeito ou com o
fenômeno analisado e, pelo registro...
O método, no entanto, possui pelo menos
duas falhas importantes.
1. Em primeiro lugar, Bacon não dá muito valor à
hipótese...
Em função da nova metodologia, e
como meio de realizar a busca das
formas que se poderão revelar como
regularidades no dom...
A Tábua da Presença
Responsável pelo registro de
presenças das formas que se
investigam.
A Tábua de Ausência ou de
Declinação
Responsável pelo controle de
situações nas quais as formas
pesquisadas se revelam aus...
A Tábua de Comparação
Responsável pelo registro das
variações que as referidas formas
manifestam.
Raciocínio ou Método Indutivo
• Método indutivo, ou indução, é o raciocínio
que, após considerar um número suficiente de
c...
Raciocínio Silogístico Aristotélico
• É um termo filosófico com qual Aristóteles
designou a argumentação lógica perfeita,
...
Embora Bacon não tenha realizado nenhum grande
progresso nas ciências naturais, foi ele quem primeiro
esboçou uma metodolo...
“ Capacidade da Leitura, Conversa e o
Escrever.”
• Bacon dizia que a leitura torna o homem completo, a
conversação o torna...
Esboço Racional
• de Metodologia Científica
Inicialmente, Bacon propõe a classificação
das ciências em três grupos:
1º) A Poesia ou Ciência da imaginação;
2º) A Histó...
História
Natural
Civil
Filosofia
Natural
Antropologia
Jurídicas
• Elementos das Leis Comuns da Inglaterra
• Casos de Traição
• Douta: Leitura do Código de Costumes
Literárias
•...
Principais obras
• Novum organum
• Instauratio magna
• Elementos das leis comuns da Inglaterra
• Casos de traição
• Ensaios
“ Novum organum”
• Expõe sua filosofia da ciência, onde salienta a
primazia dos fatos em relação à teorização e
rejeita a ...
Instauratio Magna
• A primeira parte da "Grande restauração" chegou a ser terminada.
Encontra - se nos "Nove livros sobre ...
• Bacon se preocupou inicialmente com a
análise dos fatores (ídolos) que se revelam
responsáveis pelos erros cometidos no
...
ÍDOLOS = FALSAS NOÇÕES
• Se revelam responsáveis pelos erros
cometidos pela ciência ou pelos homens que
dizem fazer ciênci...
Classificou – os em quatro grupos
1
 Ocorrem por conta das
deficiências do próprio espírito
humano e se revelam pela
facilidade com que generalizamos
os pe...
2
 Resultam da própria
educação e da pressão dos
costumes.
 De acordo com Bacon,
cada pessoa possui sua
própria caverna,...
3
 Vinculam – se à linguagem e
decorrem do mau uso que dela
fazemos.
 Segundo Bacon, os ídolos do foro são
os mais pertu...
4
 Decorrem da irrestrita
subordinação à autoridade; por
exemplo, a de Aristóteles.
 Têm suas causas nos sistemas
filosó...
Nova Atlantis
• Descreve uma utopia, onde as possibilidades
de experimentação científica seriam
ilimitadas.
ENSAIOS
(3ª Edição – 58)
• Revela um pensamento elevado e um estilo
tão rico que foi citado ao lado de William
Shakespeare...
“Carta de Conselho”
- À rainha Elizabeth
• Advoga várias medidas de tolerância religiosa
e de supremacia estatal em relaçã...
Frases
"As esposas são amantes dos homens mais
novos, companheiras para os de meia-idade e
amas para os idosos".
"As obras...
FRASES EXPLICADAS
“ As descobertas já conseguidas se
devem ao acaso e à experiência
vulgar mais do que à ciência.”
Francis Bacon
O que diz a frase?
• A experiência e as descobertas se devem ao
que vivemos, sentimos e presenciamos, todo
o conhecimento,...
Contextualizar a frase
• O autor da frase Francis Bacon, pensa que a
descoberta de fatos verdadeiros não depende de
racioc...
“ A leitura, faz o homem completo;
a conversa, ágil ; e o escrever,
preciso.”
• Além da capacidade de leitura é necessário
desenvolver a capacidade de discernimento,
porque as propagandas publicitária...
Bibliografia Indicada
Lógica da Sensação – Francis
Bacon
Autor: Deleuze, Gilles
GRUPO: Lizandra Dias, Gabriela
Gentil
Cidade: Jaguarão, RS
ESCOLa: Carlos Alberto Ribas
CECAR
SÉRIE: 2º BPM
Ano:2014
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Empirismo, Francis Bacon, Filosofia, Trabalho Escolar

8.332 visualizações

Publicada em

Francis Bacon
Empirismo
Empirista Inglês
Filosofia
Resumo da vida e obra de Francis Bacon

Publicada em: Educação
0 comentários
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.332
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
140
Comentários
0
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Empirismo, Francis Bacon, Filosofia, Trabalho Escolar

  1. 1. Empirismo
  2. 2. Definição • Empirismo é uma doutrina filosófica que defende a ideia de que somente as experiências são capazes de gerar ideias e conhecimentos. • De acordo com o empirismo, as teorias das ciências devem ser formuladas e explicadas a partir da observação do mundo e da prática de experiências científicas. Portanto, este sistema filosófico descarta outras formas não científicas (fé, intuição, lendas, senso comum) como forma de geração de conhecimentos.
  3. 3. Surgimento • Esta doutrina filosófica foi definida no século XVII pelo filósofo inglês John Locke. De acordo com este filósofo, todos os seres humanos nascem com a mente em branco, ou seja, limpa. Com as experiências e conhecimentos adquiridos em vida é que a personalidade se forma. Logo, a sociedade interfere diretamente na formação dos indivíduos.
  4. 4. Filósofos que defenderam ideias ligadas ao empirismo: • Aristóteles • Tomás de Aquino • Francis Bacon • Thomas Hobbes • John Locke (considerado o “pai” do empirismo filosófico) • George Berkeley • David Hume • John Stuart Mill
  5. 5. Francis Bacon Barão de Verulam Visconde de St. Alban Bacon de Verulâmio Franciscy de Velurâmio
  6. 6. Dados • Nasceu na cidade de Londres (Inglaterra); • No dia 22 de janeiro de 1561; • Filho caçula de Sir Nicholas Bacon, e de Ann Cooke Bacon. • Faleceu de complicações respiratórias mais precisamente bronquite; • Faleceu em 9 de abril de 1626, na mesma cidade. • Encontra – se sepultado em St Michael Churchyard, Hertfordshire, na Inglaterra. (Conhecido por St Alban) • Nasceu há 453 anos • Morreu aos 65 anos • Morreu há 388 anos
  7. 7. Quem é Francis Bacon? • Um dos maiores pensadores da história da filosofia, fazendo e criando várias obras literárias, científicas e entre outros pensamentos. • Autor do primeiro esboço racional de uma metodologia científica. • Político bem sucedido • Filósofo Empirista Inglês, usava o método indutivo em suas pesquisas. • Ensaísta. • Foi importante na formulação de teorias que fundamentaram a ciência moderna. Sendo muitas vezes chamado de “fundador” da mesma. • É considerado o pai do método experimental. • Como filosofo destacou-se com uma obra onde a ciência era exaltada, como benéfica para o homem. • Sua educação orientou-lhe para a vida política, na qual alcançou posições elevadas. • Em suas investigações ocupou-se especialmente da metodologia científica e do empirismo. • Foi um dos mais conhecidos e influentes Rosacruzes • Alquimista • Esteve envolvido com investigações naturais até o fim de sua vida, tentando realizar na prática o seu método. • Foi um pioneiro no campo científico. • Marco importante entre o homem da Idade Média e o homem Moderno.
  8. 8. Linha do Tempo • 1561- Nasce Francis Bacon • 1576 – Formou – se em Direito, pela universidade de Cambridge.  Como diplomata, esteve na França como acompanhante do embaixador. • 1579 – Com o falecimento do pai, regressou para Londres a fim de retomar a carreira jurídica e política. • 1584 – Eleito para a câmara dos Comuns Inglesa, como representante de um pequeno distrito.  Escreve a "Carta de Conselhos" à rainha Elizabeth.  Casou – se com Alice Barnham.
  9. 9. • 1605 – Dedicou “O avanço do Conhecimento” ao Rei. • 1607 – Procurador Geral. • 1613 – Fiscal Geral. • 1616 – Lorde Conselheiro.
  10. 10. • 1617 – Lorde Guardião (Guarda do Selo). • 1618 – Foi condecorado Barão de Veluram .  Lorde Chanceler. • 1620 – Publicação do Novum Organum.  Apareceu um “Novo Método ou Manifestações sobre a Interpretação da Natureza.” • 1621 – Foi condecorado Barão de Saint Albans.  Acusado de corrupção pela Casa dos Comuns; onde foi condenado ao pagamento de pesada multa e proibido de exercer cargos públicos.
  11. 11. • 1622 – Publicou “ História de Henrique VII”. Suas obras influenciam a fundação de uma “sociedade secreta”, que se reunia para a experimentação científica. • 1624 – Publicou “ Nova Atlantis”. • 1625 – Publicou a 3ª edição de seus “Ensaios”. (Agora formavam 58) • 1626 – Faleceu por conta das complicações de sua saúde e de sua idade já avançada, que em sua vez, pelo inverno rigoroso que se encontrava acabaram por agravar– se. (Estava envolvido com experiências sobre o frio e a conservação, na época de sua morte. Desejava saber por quanto tempo o frio poderia preservar a carne.)
  12. 12. Curiosidades • A respeito de sua família: Seu pai: Era Guardião do Selo Real. Sua mãe: Falava 5 idiomas e foi considerada como uma das mulheres mais eruditas da época. Era a 2ª esposa de Sir Nicholas Bacon. Sua esposa: Era filha de um Conselheiro Municipal londrino. • Muitas pessoas acreditam que tenha sido ele o verdadeiro autor das peças de Shakespeare, teoria essa surgida a muitos séculos atrás, na chamada “Questão da autoria de Shakespeare”.
  13. 13. • A primeira parte da “Grande restauração” chegou a completar-se e se encontra nos “Nove livros sobre a dignificação e progressos da ciência”. • Sua primeira obra foi “Instauratio Magna Scientiarum”, porém inacabada. • Quando rosacruz, Bacon ocupou o posto mais elevado da Ordem dos Rosacruz, o de Imperador. • Estudiosos apontam Bacon como sendo o real autor dos famosos manifestos rosacruzes: Fama Fraternitatis (1614) Confessio Fraternitatis (1615) Núpcias Alquímicas de Christian Rozenkreuz (1616).
  14. 14. Principais realizações e atuações • Foi eleito para a Câmara dos Comuns Inglesa. • Durante o reinado de Jaime I, atuou como Procurador-Geral, Fiscal- Geral, Lorde Conselheiro, Lorde Guardião (Guarda do Selo )e Lorde Chanceler. • Escreveu tratados filosóficos, obras literárias e jurídicas. • Seus “Ensaios” são os primeiros modelos da prosa inglesa moderna. • Acusado de corrupção ainda quando Chanceler. • Escreveu sobre questões do estado e de relações entre a coroa e o parlamento. • Influenciou a psicologia ao argumentar que todas as ideias são o produto da sensação e da reflexão. • Contestou a afirmação medieval de que a verdade poderia ser elucidada através de pouca observação e muito raciocínio.
  15. 15. Principais ideias • Como filósofo foi muito importante na defesa do uso do método científico (empirismo). Defendia que a obtenção dos fatos verdadeiros se dava através da observação e experimentação (regulada pelo raciocínio lógico). • Propôs a classificação das ciências em três grupos: Ciência da Imaginação (poesia), Ciência da Memória (História) e Ciência da Razão (Filosofia). • Julgava os sentidos e a experiência como principais fatores fundadores da ideia. • Acreditava nas ciência, movidas pela experiência, memória e razão que todo conhecimento adquirido provinha dos sentidos e experiências pela qual o ser humano passava.
  16. 16. • O conhecimento, para ele, tem por finalidade servir o homem e dar-lhe poder sobre a natureza. • Seu método era a observação dos fatos através do raciocínio indutivo. • Para ele, a ciência era exaltada como benéfica para o homem. • Desejava uma reforma completa do conhecimento.
  17. 17. • O conhecimento científico, para ele, tem por finalidade servir o homem e dar – lhe poder sobre a natureza. • Criticava a ciência antiga, de origem aristotélica. • Demócrito, era tido em alta, era considerado mais importante que Platão e Aristóteles, para Bacon.
  18. 18. A ciência deve restabelecer o imperium hominis (império do homem) sobre as coisas. A filosofia verdadeira não é apenas a ciência das coisas divinas e humanas. É também algo prático. “Saber é poder”. A mentalidade científica somente será alcançada através do expurgo de uma série de preconceitos por Bacon chamados ídolos. O conhecimento, o saber, é apenas um meio vigoroso e seguro de conquistar poder sobre a natureza.
  19. 19. As descobertas nem sempre são feitas pela ciência mesma, sou o acaso as descobre ou a própria experiência vulgar. Após aquele descobrimento, a ciência só aprofunda – o. É somente para estudo e aprofundamento que a ciência entra em ação de verdade.
  20. 20. A obra de Bacon representa a tentativa de realizar um vasto plano de grande restauração (Instauratio Magna). De acordo com o prefácio do Novo Método (Novum Organum), a Grande Restauração deveria desenvolver – se através de seis partes: 1. Classificação das Ciências 2. Novo método ou Manifestações sobre a Interpretação da Natureza 3. Fenômenos do Universo ou História Natural e Experimental para a Fundamentação da Filosofia 4. Escala do Entendimento ou O fio do labirinto 5. Introdução ou Antecipações à Filosofia Segunda 6. Filosofia Segunda ou Ciência nova
  21. 21. O Método
  22. 22. • O objetivo do método baconiano é constituir uma nova maneira de estudar os fenômenos naturais. • Para Bacon, a descoberta de fatos verdadeiros não depende do raciocínio silogístico aristotélico, mas sim da observação e da experimentação regulada pelo raciocínio indutivo. O conhecimento verdadeiro é resultado da concordância e da variação dos fenômenos que, se devidamente observados, apresentam a causa real dos fenômenos. • Para isso, no entanto, deve-se descrever de modo pormenorizado os fatos observados para, em seguida, confrontá-los com três tábuas que disciplinarão o método indutivo: 1. A tábua da presença 2. A tábua de ausência 3. A tábua da comparação
  23. 23. • Com isso, seria possível eliminar causas que não se relacionam com o efeito ou com o fenômeno analisado e, pelo registro da presença e variações seria possível chegar à verdadeira causa de um fenômeno. • Estas tábuas não apenas dão suporte ao método indutivo mas fazem uma distinção entre a experiência vaga (noções recolhidas ao acaso) e a experiência escriturada (observação metódica e passível de verificações empíricas). - Mesmo que a indução fosse conhecida dos antigos, é com Bacon que ela ganha amplitude e eficácia.
  24. 24. O método, no entanto, possui pelo menos duas falhas importantes. 1. Em primeiro lugar, Bacon não dá muito valor à hipótese. De acordo com seu método, a simples disposição ordenada dos dados nas três tábuas acabaria por levar à hipótese correta. Isso, contudo, raramente ocorre. 2. Em segundo lugar, Bacon não imaginou a importância da dedução matemática para o avanço das ciências. A origem para isso, talvez, foi o fato de ter estudado em Cambridge, reduto platônico que costumava ligar a matemática ao uso que dela fizera Platão.
  25. 25. Em função da nova metodologia, e como meio de realizar a busca das formas que se poderão revelar como regularidades no domínio dos fatos Bacon recomendava o uso de três tábuas que disciplinariam o método indutivo: a tábua da presença, a tábua de ausência ou de declinação e a tábua de comparação.
  26. 26. A Tábua da Presença Responsável pelo registro de presenças das formas que se investigam.
  27. 27. A Tábua de Ausência ou de Declinação Responsável pelo controle de situações nas quais as formas pesquisadas se revelam ausentes.
  28. 28. A Tábua de Comparação Responsável pelo registro das variações que as referidas formas manifestam.
  29. 29. Raciocínio ou Método Indutivo • Método indutivo, ou indução, é o raciocínio que, após considerar um número suficiente de casos particulares, conclui uma verdade geral. A indução, ao contrário da dedução, parte da experiência sensível, dos dados particulares.
  30. 30. Raciocínio Silogístico Aristotélico • É um termo filosófico com qual Aristóteles designou a argumentação lógica perfeita, constituída de três preposições declarativas que se conectam de tal modo que a partir das duas primeiras, chamadas premissas , é possível deduzir uma conclusão. A teoria foi exposta por Aristóteles em Analíticos anteriores.
  31. 31. Embora Bacon não tenha realizado nenhum grande progresso nas ciências naturais, foi ele quem primeiro esboçou uma metodologia racional para uma atividade científica. E sua teoria dos “Ídolos" antecipa,pelo menos, potencialmente, a moderna Sociologia do Conhecimento.
  32. 32. “ Capacidade da Leitura, Conversa e o Escrever.” • Bacon dizia que a leitura torna o homem completo, a conversação o torna ágil o escrever o torna preciso. Quem não se cultiva um pouco, parece que não sabe desfrutar das satisfações inerentes a nossa condição de seres pensantes. É péssimo conhecer gente incapaz de sustentar se quer por uns minutos uma conversa sobre algo alheio a sua especialidade, porque nunca leu nada com um pouco mais de conteúdo. • A prática da leitura e do escrever são de grande importância para uma pessoa e se torna crucial ao ser humano, pois é através dela que podemos enriquecer nosso vocabulário, e obter mais conhecimento, como diz a frase de bacon:
  33. 33. Esboço Racional • de Metodologia Científica
  34. 34. Inicialmente, Bacon propõe a classificação das ciências em três grupos: 1º) A Poesia ou Ciência da imaginação; 2º) A História ou Ciência da memória; 3º) A Filosofia ou Ciência da razão
  35. 35. História Natural Civil Filosofia Natural Antropologia
  36. 36. Jurídicas • Elementos das Leis Comuns da Inglaterra • Casos de Traição • Douta: Leitura do Código de Costumes Literárias • Ensaios • Estandartes do bem e do mal • Da sabedoria dos Antigos • História de Henrique VII Filosóficas • Instauratio magna (Grande restauração) • Novum Organum OBRAS A produção intelectual de Bacon foi vasta e variada. De modo geral, pode ser dividida em três partes:
  37. 37. Principais obras • Novum organum • Instauratio magna • Elementos das leis comuns da Inglaterra • Casos de traição • Ensaios
  38. 38. “ Novum organum” • Expõe sua filosofia da ciência, onde salienta a primazia dos fatos em relação à teorização e rejeita a especulação filosófica como cientificamente válida. • É a expressão de uma perspectiva que tanto se afasta do empirismo radical quanto do racionalismo exagerado; ambos duramente criticados por Bacon.
  39. 39. Instauratio Magna • A primeira parte da "Grande restauração" chegou a ser terminada. Encontra - se nos "Nove livros sobre a dignificação e progressos da ciência”. • O próprio pensamento filosófico de Bacon representa a tentativa de realizar aquilo mesmo que ele chamou de “Grande Restauração”. • A realização desse plano compreendia uma série de tratados que, partindo do estado em que se encontrava a ciência da época, estudavam o novo método que deveria substituir o de Aristóteles, descreviam o modo específico de se investigarem os fatos, passavam ao plano da investigação das leis e voltavam ao mundo dos fatos, para nele promoverem as ações que se revelassem possíveis. • Ele desejava um reforma completa do conhecimento. Obviamente, a impossibilidade de realizar obra tão grande foi logo percebida por Bacon, que produziu apenas certo número de tratados. • A reforma do conhecimento é justificada em uma crítica à filosofia anterior (especialmente a Escolástica), considerada estéril por não apresentar nenhum resultado prático para a vida do homem.
  40. 40. • Bacon se preocupou inicialmente com a análise dos fatores (ídolos) que se revelam responsáveis pelos erros cometidos no domínio da ciência. Franciscy de Verulamio Summi Anglias Cancelsaris “Instauratio Magna Scientiarum” Frontispício da ”Instauratio magna” Londres 1620
  41. 41. ÍDOLOS = FALSAS NOÇÕES • Se revelam responsáveis pelos erros cometidos pela ciência ou pelos homens que dizem fazer ciência. • É um dos aspectos mais fascinantes e de interesse permanente na filosofia de Bacon
  42. 42. Classificou – os em quatro grupos
  43. 43. 1  Ocorrem por conta das deficiências do próprio espírito humano e se revelam pela facilidade com que generalizamos os pensamentos com base nos casos favoráveis , omitindo os desfavoráveis. O homem é o padrão das coisas, faz com que todas as percepções dos sentidos e da mente sejam tomadas como verdade, sendo que pertencem apenas ao homem e não ao universo.  Dizia que a mente se desfigura da realidade. São assim chamados porque são inerentes à natureza humana, à própria tribo ou raça humana. Ídolos da Tribo Ídolos da Raça Idola Tribus
  44. 44. 2  Resultam da própria educação e da pressão dos costumes.  De acordo com Bacon, cada pessoa possui sua própria caverna, que interpreta e distorce ao uso particular, à qual estão acostumados. Isso quer dizer que, na mesma maneira presente na obra “República” de Platão, os indivíduos, cada um, possuem a sua crença, sua verdade particular, tida como única e indiscutível. Portanto, os ídolos da caverna perturbam o conhecimento, uma vez que mantém o homem preso em preconceitos e singularidades. Ídolos da Caverna Idola Specus
  45. 45. 3  Vinculam – se à linguagem e decorrem do mau uso que dela fazemos.  Segundo Bacon, os ídolos do foro são os mais perturbadores, já que estes alojam – se no intelecto graças ao pacto de palavras e de nomes. Para os teóricos matemáticos um modo de restaurar a ordem seria através das definições. Porém de acordo com a teoria Baconiana, nem mesmo as definições poderiam remediar totalmente esse mau, tratando se de coisas materiais e naturais posto que as próprias definições constam de palavras e as palavras geram palavras. Percebe – se portanto, que as palavras possuem certo grau de distorção e erro, sendo que umas possuem maior distorção e erros que outras. Ídolos da Vida Pública Ídolos do Foro Idola Fori
  46. 46. 4  Decorrem da irrestrita subordinação à autoridade; por exemplo, a de Aristóteles.  Têm suas causas nos sistemas filosóficos e em regras falseadas de demonstrações. Os falsos conceitos, são as ideologias, essas são produzidas por conhecimentos filosóficos, teológicos, políticos e científicos, todos ilusórios. Os ídolos do teatro, para Bacon, eram os mais perigosos, porque, em sua época, predominava o princípio da autoridade – os livros da antiguidade e os livros sagrados eram considerados a fonte de todo o conhecimento. Ídolos da Autoridade Ídolos do Teatro Idola Theatre
  47. 47. Nova Atlantis • Descreve uma utopia, onde as possibilidades de experimentação científica seriam ilimitadas.
  48. 48. ENSAIOS (3ª Edição – 58) • Revela um pensamento elevado e um estilo tão rico que foi citado ao lado de William Shakespeare como o solidificador da língua inglesa.
  49. 49. “Carta de Conselho” - À rainha Elizabeth • Advoga várias medidas de tolerância religiosa e de supremacia estatal em relação à Igreja.
  50. 50. Frases "As esposas são amantes dos homens mais novos, companheiras para os de meia-idade e amas para os idosos". "As obras e fundações mais nobres foram criadas por homens sem filhos". "A verdade aparece mais facilmente do erro do que da confusão".
  51. 51. FRASES EXPLICADAS
  52. 52. “ As descobertas já conseguidas se devem ao acaso e à experiência vulgar mais do que à ciência.” Francis Bacon
  53. 53. O que diz a frase? • A experiência e as descobertas se devem ao que vivemos, sentimos e presenciamos, todo o conhecimento, é adquirido através dos sentidos e vivência daquilo que julgamos “experiência”, se estamos de tal maneira, se cremos em algo, e conhecemos algo, provém dos sentimentos e do acaso, e não da ciência em si somente.
  54. 54. Contextualizar a frase • O autor da frase Francis Bacon, pensa que a descoberta de fatos verdadeiros não depende de raciocínios como os de Aristóteles, mas elas provêem da observação e experimentação. Ele propôs o raciocínio indutivo para essas observações onde o conhecimento verdadeiro é resultado da concordância e da variação dos fenômenos. O que Bacon propõe é que tudo deve vir a partir de experiências, sejam elas vulgares ou não.
  55. 55. “ A leitura, faz o homem completo; a conversa, ágil ; e o escrever, preciso.”
  56. 56. • Além da capacidade de leitura é necessário desenvolver a capacidade de discernimento, porque as propagandas publicitárias das editoras, mídias, e os atrativos do mundo nos fazem sofrer uma grande influência. • A frase de bacon expõe que devemos buscar por informações dinamizar o raciocínio e a aprendizagem, termos uma visão crítica mediante a sociedade atual.
  57. 57. Bibliografia Indicada Lógica da Sensação – Francis Bacon Autor: Deleuze, Gilles
  58. 58. GRUPO: Lizandra Dias, Gabriela Gentil Cidade: Jaguarão, RS ESCOLa: Carlos Alberto Ribas CECAR SÉRIE: 2º BPM Ano:2014

×