SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 37
Romance é  show
Até que enfim: saiu a escalação da SELEÇÃO BRASILEIRA Veja os convocados:
SELEÇÃO NACIONAL    1820    1882 J.M. MACEDO 1 ,[object Object],[object Object],[object Object]
CARACTERÍSTICAS ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
SELEÇÃO NACIONAL    1825    1884 B. GUIMARÃES 2 ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
CARACTERÍSTICAS ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
SELEÇÃO NACIONAL 3 ,[object Object],[object Object],[object Object],   1823    1864 G. DIAS
CARACTERÍSTICAS ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
SELEÇÃO NACIONAL 4 ,[object Object],[object Object],[object Object],   1831    1852 A. AZEVEDO
CARACTERÍSTICAS ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
SELEÇÃO NACIONAL    1842    1888 5 F. TÁVORA ,[object Object],[object Object]
CARACTERÍSTICAS ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
SELEÇÃO NACIONAL V. TAUNAY 6    1843    1899 ,[object Object],[object Object]
CARACTERÍSTICAS ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
SELEÇÃO NACIONAL M. PENA 7    1815    1848 ,[object Object],[object Object]
CARACTERÍSTICAS ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
SELEÇÃO NACIONAL C. ALVES 8 ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],   1847    1871
CARACTERÍSTICAS ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
SELEÇÃO NACIONAL    1831    1861 M.A. ALMEIDA 9 ,[object Object],[object Object]
CARACTERÍSTICAS ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
SELEÇÃO NACIONAL J. ALENCAR 10 ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],   1829    1877
CARACTERÍSTICAS Peraí que daqui a pouco a gente fala
SELEÇÃO NACIONAL    1839    1908 M. ASSIS 11 ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
CARACTERÍSTICAS ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
AS ORIGENS DO ROMANCE Romanzo   Império Romano   Composições de cunho popular e folclórico em latim vulgar    his-tórias cheias de imaginação, fan-tasias e aventuras    Romance de cavalaria    Século XVIII: assume o significado que tem hoje.
O ROMANCE E O FOLHETIM    Publicação diária ou semanal     Ampliava o público leitor (prin-cipalmente mulheres)     A inven-ção dos ganchos     Século XX (extinção)      1970 (nova tentati-va).
O FOLHETIM As telenovelas
O PROJETO DE IDENTIDADE CULTURAL    Independência política     Inde-pendência cultural     O papel da Literatura      O papel de Alencar     O Indianismo e a "odisséia brasílica".
A LINGUAGEM DO ROMANCE    1840-1880     Modificação e amadurecimento     Novas técni-cas     A linguagem varia de acordo com o enredo.
O SERTANEJO (JA) O CABELEIRA (FT) O GAÚCHO (JA) INOCÊNCIA (VT) O GARIMPEIRO (BG) O SEMINARISTA (BG) O ERMITÃO DE MUQUÉM (BG) TIL (JA) O TRONCO DO IPÊ (JA) A ESCRAVA ISAURA (BG) ALENCAR MACEDO M. A. ALMEIDA M. ASSIS IRACEMA (JA) O REGIONALISMO
JOSÉ DE ALENCAR ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
CARACTERÍSTICAS No plano do espaço No plano do tempo No plano étnico 71/72
ATENÇÃO: preparar para a musiquinha
Pois o pai de  Iracema  e da  Senhora Eles eram um grande time de  escritores Do  romance , com certeza, a seleção E creio que se fossem jogadores Alencar  seria o craque então Ou de  índio , ou de cada  região Romance  urbano , da  História Jogava mesmo em toda posição:
Romance  é “show” Vinha em  folhetins E se buscou Retratar o  país Romance  é “show” Essa turma era nota 1000 Viva o  Romantismo Brasil
No romance a  idéia  era tudo Era bem mais importante que o real Um  EU  se  expressava  ou se  impunha Retratado sempre com a  cor local Nosso  índio  era mesmo uma  cópia Do saudoso  cavaleiro medieval Pois essa  escola , responde, não enrola Tinha um  projeto cultural
Romance  é “show” Vinha em  folhetins E se buscou Retratar o  país Romance  é “show” Essa turma era nota 1000 Viva o  Romantismo Brasil

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Genero textual romance
Genero textual romanceGenero textual romance
Genero textual romance
Jomari
 
GONÇALVES DIAS - ROMANTISMO (Vida, obra e características)
GONÇALVES DIAS - ROMANTISMO (Vida, obra e características)GONÇALVES DIAS - ROMANTISMO (Vida, obra e características)
GONÇALVES DIAS - ROMANTISMO (Vida, obra e características)
Danillo Rodrigues
 
Joaquim de sousa andrade
Joaquim de sousa andradeJoaquim de sousa andrade
Joaquim de sousa andrade
Julia Rech
 
Romantismo no Brasil - 1ª geração
Romantismo no Brasil - 1ª geraçãoRomantismo no Brasil - 1ª geração
Romantismo no Brasil - 1ª geração
Quezia Neves
 

Mais procurados (19)

Romantismo Prosa
Romantismo ProsaRomantismo Prosa
Romantismo Prosa
 
Genero textual romance
Genero textual romanceGenero textual romance
Genero textual romance
 
O romance romântico
O romance românticoO romance romântico
O romance romântico
 
GONÇALVES DIAS - ROMANTISMO (Vida, obra e características)
GONÇALVES DIAS - ROMANTISMO (Vida, obra e características)GONÇALVES DIAS - ROMANTISMO (Vida, obra e características)
GONÇALVES DIAS - ROMANTISMO (Vida, obra e características)
 
3ª geração do Romantismo By: Elayne Farias!
3ª geração do Romantismo By: Elayne Farias!3ª geração do Romantismo By: Elayne Farias!
3ª geração do Romantismo By: Elayne Farias!
 
3geraodoromantismo 130501104804-phpapp02
3geraodoromantismo 130501104804-phpapp023geraodoromantismo 130501104804-phpapp02
3geraodoromantismo 130501104804-phpapp02
 
Prosa romântica brasileira1
Prosa romântica brasileira1Prosa romântica brasileira1
Prosa romântica brasileira1
 
Romantismo prosa
Romantismo prosaRomantismo prosa
Romantismo prosa
 
Joaquim de sousa andrade
Joaquim de sousa andradeJoaquim de sousa andrade
Joaquim de sousa andrade
 
Romantismo Poesia
Romantismo PoesiaRomantismo Poesia
Romantismo Poesia
 
Prosa romântica brasileira
Prosa romântica brasileiraProsa romântica brasileira
Prosa romântica brasileira
 
Romantismo no Brasil - 1ª geração
Romantismo no Brasil - 1ª geraçãoRomantismo no Brasil - 1ª geração
Romantismo no Brasil - 1ª geração
 
Prosa conto e romance.
Prosa conto e romance.Prosa conto e romance.
Prosa conto e romance.
 
O romantismo - poesia
O romantismo -  poesiaO romantismo -  poesia
O romantismo - poesia
 
Romantismo poesia power point
Romantismo poesia power pointRomantismo poesia power point
Romantismo poesia power point
 
ROMANTISMO NO BRASIL
ROMANTISMO NO BRASILROMANTISMO NO BRASIL
ROMANTISMO NO BRASIL
 
Prosa romântica
Prosa românticaProsa romântica
Prosa romântica
 
Poesia romântica no Brasil
Poesia romântica no BrasilPoesia romântica no Brasil
Poesia romântica no Brasil
 
Romantismo - poesia - brasil
Romantismo - poesia - brasilRomantismo - poesia - brasil
Romantismo - poesia - brasil
 

Destaque (17)

Romance Urbano
Romance UrbanoRomance Urbano
Romance Urbano
 
Naturalismo no Brasil
Naturalismo  no BrasilNaturalismo  no Brasil
Naturalismo no Brasil
 
Gustav Courbet
Gustav CourbetGustav Courbet
Gustav Courbet
 
Exercícios cda
Exercícios cdaExercícios cda
Exercícios cda
 
UFU 2013_A volta do marido pródigo
UFU 2013_A volta do marido pródigoUFU 2013_A volta do marido pródigo
UFU 2013_A volta do marido pródigo
 
Barroco 2.0
Barroco 2.0Barroco 2.0
Barroco 2.0
 
Drummond
DrummondDrummond
Drummond
 
Camões 2.0
Camões 2.0Camões 2.0
Camões 2.0
 
Literatura simbolismo
Literatura simbolismoLiteratura simbolismo
Literatura simbolismo
 
O_Romantismo_A_Bela_e_a_Fera
O_Romantismo_A_Bela_e_a_FeraO_Romantismo_A_Bela_e_a_Fera
O_Romantismo_A_Bela_e_a_Fera
 
Vidas secas
Vidas secasVidas secas
Vidas secas
 
Tipologia e gêneros textuais
Tipologia e gêneros textuaisTipologia e gêneros textuais
Tipologia e gêneros textuais
 
Análise Literária do Livro "A Moreninha" de Joaquim Manuel Macedo
Análise Literária do Livro "A Moreninha" de Joaquim Manuel MacedoAnálise Literária do Livro "A Moreninha" de Joaquim Manuel Macedo
Análise Literária do Livro "A Moreninha" de Joaquim Manuel Macedo
 
A Bela E A Fera
A Bela E A FeraA Bela E A Fera
A Bela E A Fera
 
Princípios da textualidade 3º ano
Princípios da textualidade   3º anoPrincípios da textualidade   3º ano
Princípios da textualidade 3º ano
 
Romantismo prosa
Romantismo prosaRomantismo prosa
Romantismo prosa
 
Os mecanismos de coesão e coerência textuais
Os mecanismos de coesão e coerência textuais Os mecanismos de coesão e coerência textuais
Os mecanismos de coesão e coerência textuais
 

Semelhante a Romance é Show

Semelhante a Romance é Show (20)

Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
 
3.1 Romantismo e Indicações de Leitura.pptx
3.1 Romantismo e Indicações de Leitura.pptx3.1 Romantismo e Indicações de Leitura.pptx
3.1 Romantismo e Indicações de Leitura.pptx
 
3.1 Romantismo.pptx
3.1 Romantismo.pptx3.1 Romantismo.pptx
3.1 Romantismo.pptx
 
O ROMANTISMO BRASILEIRO - MOVIMENTO LITERARIO
O ROMANTISMO BRASILEIRO - MOVIMENTO LITERARIOO ROMANTISMO BRASILEIRO - MOVIMENTO LITERARIO
O ROMANTISMO BRASILEIRO - MOVIMENTO LITERARIO
 
Romantismo - Prosa
Romantismo - ProsaRomantismo - Prosa
Romantismo - Prosa
 
Uel05 Literatura
Uel05 LiteraturaUel05 Literatura
Uel05 Literatura
 
Romance urbano, soooocial, regional..ppt
Romance urbano, soooocial, regional..pptRomance urbano, soooocial, regional..ppt
Romance urbano, soooocial, regional..ppt
 
O sertanejo
O sertanejoO sertanejo
O sertanejo
 
Romance urbano, social, regional..ppt
Romance urbano, social, regional..pptRomance urbano, social, regional..ppt
Romance urbano, social, regional..ppt
 
Aula 10 romantismo no brasil e em portugal
Aula 10   romantismo no brasil e em portugalAula 10   romantismo no brasil e em portugal
Aula 10 romantismo no brasil e em portugal
 
Romantismo Brasileiro - poesia e prosa
Romantismo Brasileiro - poesia e prosaRomantismo Brasileiro - poesia e prosa
Romantismo Brasileiro - poesia e prosa
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
 
início-romantismo
início-romantismoinício-romantismo
início-romantismo
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
 
Romantismo no Brasil(trabalho 2ºano)
Romantismo no Brasil(trabalho 2ºano)Romantismo no Brasil(trabalho 2ºano)
Romantismo no Brasil(trabalho 2ºano)
 
Romantismo II
Romantismo IIRomantismo II
Romantismo II
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
 
Romantismo.
Romantismo.Romantismo.
Romantismo.
 
Lima Barreto
Lima BarretoLima Barreto
Lima Barreto
 
Memórias de um sargento de milícias (Versão detalhada)
Memórias de um sargento de milícias (Versão detalhada)Memórias de um sargento de milícias (Versão detalhada)
Memórias de um sargento de milícias (Versão detalhada)
 

Mais de José Ricardo Lima

Artigo sobre "A morte de Ivan Ilitch"
Artigo sobre "A morte de Ivan Ilitch"Artigo sobre "A morte de Ivan Ilitch"
Artigo sobre "A morte de Ivan Ilitch"
José Ricardo Lima
 

Mais de José Ricardo Lima (20)

Machado de Assis 2.0.ppt
Machado de Assis 2.0.pptMachado de Assis 2.0.ppt
Machado de Assis 2.0.ppt
 
Quincas Borba
Quincas Borba Quincas Borba
Quincas Borba
 
Claro enigma (Carlos Drummond de Andrade)
Claro enigma (Carlos Drummond de Andrade)Claro enigma (Carlos Drummond de Andrade)
Claro enigma (Carlos Drummond de Andrade)
 
O cortiço
O cortiçoO cortiço
O cortiço
 
Sobrevivendo no inferno (Unicamp)
Sobrevivendo no inferno (Unicamp)Sobrevivendo no inferno (Unicamp)
Sobrevivendo no inferno (Unicamp)
 
O bem-amado (Unicamp)
O bem-amado (Unicamp)O bem-amado (Unicamp)
O bem-amado (Unicamp)
 
Sonetos (Camões) UNICAMP
Sonetos (Camões) UNICAMPSonetos (Camões) UNICAMP
Sonetos (Camões) UNICAMP
 
O espelho (Machado de Assis) Unicamp
O espelho (Machado de Assis) UnicampO espelho (Machado de Assis) Unicamp
O espelho (Machado de Assis) Unicamp
 
Claro enigma
Claro enigma Claro enigma
Claro enigma
 
Maus: a história de um sobrevivente
Maus: a história de um sobreviventeMaus: a história de um sobrevivente
Maus: a história de um sobrevivente
 
Morte e vida severina
Morte e vida severinaMorte e vida severina
Morte e vida severina
 
Artigo sobre "A morte de Ivan Ilitch"
Artigo sobre "A morte de Ivan Ilitch"Artigo sobre "A morte de Ivan Ilitch"
Artigo sobre "A morte de Ivan Ilitch"
 
Romantismo 2.0
Romantismo 2.0Romantismo 2.0
Romantismo 2.0
 
Relações intertextuais 2.0
Relações intertextuais 2.0Relações intertextuais 2.0
Relações intertextuais 2.0
 
Manuel Bandeira (com textos)
Manuel Bandeira (com textos)Manuel Bandeira (com textos)
Manuel Bandeira (com textos)
 
Arcadismo 2.0
Arcadismo 2.0Arcadismo 2.0
Arcadismo 2.0
 
Quinhentismo no Brasil 2.0
Quinhentismo no Brasil 2.0Quinhentismo no Brasil 2.0
Quinhentismo no Brasil 2.0
 
Humanismo português
Humanismo portuguêsHumanismo português
Humanismo português
 
Semana 2.0
Semana 2.0Semana 2.0
Semana 2.0
 
Gêneros Literários 2.0
Gêneros Literários 2.0Gêneros Literários 2.0
Gêneros Literários 2.0
 

Último

ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
azulassessoria9
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
GisellySobral
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
azulassessoria9
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
WelitaDiaz1
 

Último (20)

Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptxProva nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
Questões sobre o Mito da Caverna de Platão
Questões sobre o Mito da Caverna de PlatãoQuestões sobre o Mito da Caverna de Platão
Questões sobre o Mito da Caverna de Platão
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
 
CATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºano
CATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºanoCATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºano
CATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºano
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
 
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdfMESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!
Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!
Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!
 
Apresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União EuropeiaApresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
 
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptxSlides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
 

Romance é Show

  • 1. Romance é show
  • 2. Até que enfim: saiu a escalação da SELEÇÃO BRASILEIRA Veja os convocados:
  • 3.
  • 4.
  • 5.
  • 6.
  • 7.
  • 8.
  • 9.
  • 10.
  • 11.
  • 12.
  • 13.
  • 14.
  • 15.
  • 16.
  • 17.
  • 18.
  • 19.
  • 20.
  • 21.
  • 22. CARACTERÍSTICAS Peraí que daqui a pouco a gente fala
  • 23.
  • 24.
  • 25. AS ORIGENS DO ROMANCE Romanzo  Império Romano  Composições de cunho popular e folclórico em latim vulgar  his-tórias cheias de imaginação, fan-tasias e aventuras  Romance de cavalaria  Século XVIII: assume o significado que tem hoje.
  • 26. O ROMANCE E O FOLHETIM  Publicação diária ou semanal  Ampliava o público leitor (prin-cipalmente mulheres)  A inven-ção dos ganchos  Século XX (extinção)  1970 (nova tentati-va).
  • 27. O FOLHETIM As telenovelas
  • 28. O PROJETO DE IDENTIDADE CULTURAL  Independência política  Inde-pendência cultural  O papel da Literatura  O papel de Alencar  O Indianismo e a "odisséia brasílica".
  • 29. A LINGUAGEM DO ROMANCE  1840-1880  Modificação e amadurecimento  Novas técni-cas  A linguagem varia de acordo com o enredo.
  • 30. O SERTANEJO (JA) O CABELEIRA (FT) O GAÚCHO (JA) INOCÊNCIA (VT) O GARIMPEIRO (BG) O SEMINARISTA (BG) O ERMITÃO DE MUQUÉM (BG) TIL (JA) O TRONCO DO IPÊ (JA) A ESCRAVA ISAURA (BG) ALENCAR MACEDO M. A. ALMEIDA M. ASSIS IRACEMA (JA) O REGIONALISMO
  • 31.
  • 32. CARACTERÍSTICAS No plano do espaço No plano do tempo No plano étnico 71/72
  • 33. ATENÇÃO: preparar para a musiquinha
  • 34. Pois o pai de Iracema e da Senhora Eles eram um grande time de escritores Do romance , com certeza, a seleção E creio que se fossem jogadores Alencar seria o craque então Ou de índio , ou de cada região Romance urbano , da História Jogava mesmo em toda posição:
  • 35. Romance é “show” Vinha em folhetins E se buscou Retratar o país Romance é “show” Essa turma era nota 1000 Viva o Romantismo Brasil
  • 36. No romance a idéia era tudo Era bem mais importante que o real Um EU se expressava ou se impunha Retratado sempre com a cor local Nosso índio era mesmo uma cópia Do saudoso cavaleiro medieval Pois essa escola , responde, não enrola Tinha um projeto cultural
  • 37. Romance é “show” Vinha em folhetins E se buscou Retratar o país Romance é “show” Essa turma era nota 1000 Viva o Romantismo Brasil