COESÃO TEXTUAL
DEFINIÇÃO
Forma como os elementos linguísticos
presentes na superfície textual se interligam
por meio de recursos também l...
1. COESÃO
LEXICAL
DEFINIÇÃO
Elementos que fazem remissão/referência a
outros elementos de forma a garantir
continuação de sentido.
Bicicletai!
Antônio Prata
Um dias desses, evidentemente, tudo há de dar certo, os
automóveis se extinguirão e a superfície...
Durante todo o século XX, muitos artistas aproveitaram-
se de seus encantos. É pedalando que vemos quase todo
o tempo mons...
Bicicletai!
Antônio Prata
Um dias desses, evidentemente, tudo há de dar certo, os
automóveis se extinguirão e a superfície...
Bicicletai!
Antônio Prata
Um dias desses, evidentemente, tudo há de dar certo, os
automóveis se extinguirão e a superfície...
Durante todo o século XX, muitos artistas aproveitaram-
se de seus encantos. É pedalando que vemos quase todo
o tempo mons...
Durante todo o século XX, muitos artistas aproveitaram-
se de seus encantos. É pedalando que vemos quase todo
o tempo mons...
COESÃO REFERENCIAL
Bicicleta
Ela [pronome]
O veículo [hiperônimo]
Camelo [sinônimo]
A máquina de paz [expressão nominal]
2. COESÃO
SEQUENCIAL
2. COESÃO SEQUENCIAL
Elementos que estabelecem relações
entre segmentos do texto ou
comentários a eles.
Editorial Folha de S. Paulo
Comerciantes protestaram em diversos pontos da
cidade; moradores de alguns bairros também
recl...
Editorial Folha de S. Paulo
Trata-se, não por acaso, de tendência nas principais
metrópoles do mundo. A bicicleta é um mei...
Editorial Folha de S. Paulo
Comerciantes protestaram em diversos pontos da
cidade; moradores de alguns bairros também
recl...
Editorial Folha de S. Paulo
Trata-se, não por acaso, de tendência nas principais
metrópoles do mundo. A bicicleta é um mei...
2.1. ARTICULADORES
LÓGICOS
=> Estabelecem relações lógicas ou argumentativas
entre segmentos de texto.
Exemplos:
Causa: po...
2.2. ARTICULADORES DE
COMENTÁRIO
Estabelecem comentários a segmentos textuais.
Exemplos:
Delimitadores: geograficamente, e...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Atividade 10 coesão

511 visualizações

Publicada em

Aula de coesão

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
511
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
94
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Atividade 10 coesão

  1. 1. COESÃO TEXTUAL
  2. 2. DEFINIÇÃO Forma como os elementos linguísticos presentes na superfície textual se interligam por meio de recursos também linguísticos, de modo a formar um tecido “tessitura”.
  3. 3. 1. COESÃO LEXICAL
  4. 4. DEFINIÇÃO Elementos que fazem remissão/referência a outros elementos de forma a garantir continuação de sentido.
  5. 5. Bicicletai! Antônio Prata Um dias desses, evidentemente, tudo há de dar certo, os automóveis se extinguirão e a superfície da terra será povoada apenas por bicicletas. Alguns carros, ônibus e caminhões serão expostos nos museus, feito mamutes, guilhotinas e outros monstros findos, para divertir a criançada e alertar os adultos: que o horror jamais se repita. Sobre selins acolchoados, seremos felizes para sempre. É inegável a simpatia das bicicletas. Máquina desengonçada: se parada, destrambelha-se como um albatroz em terra, mas ao impulso dos pedais, projeta- se como uma flecha, esguia, impoluta e silenciosa. Bicicletas, ninguém pode negar, são irmãs dos guarda- chuvas, primas das girafas e parentes distantes dos abacaxis (não me peça para explicar, foi uma ideia que tive agora).
  6. 6. Durante todo o século XX, muitos artistas aproveitaram- se de seus encantos. É pedalando que vemos quase todo o tempo monsieur Hulot, personagem do filme Meu Tio, utopia lírica de Jacques Tati. Marceu Duchamp, depois haver exposto um mictório no museu, enfiou uma roda de bicicleta num banco de madeira e deixou as velhas noções sobre arte – literalmente – de pernas pro ar. É impensável um facínora de bicicleta, inconcebível um ditador pedalando. As “máquinas da paz”, como as chamou Vinícius de Moraes, em sua Balada das meninas de bicicleta, são muito mais afeitas aos suaves cuidados das moças: “Bicicletai, meninada!/ Aos ventos do Arpoador/ Solta a flâmula agitada/Das cabeleiras em flor”. As bicicletas são um indício de civilização. Recomendadas por ecologistas, urbanistas, cardiologistas e artistas, têm logo de entrar na agenda política.
  7. 7. Bicicletai! Antônio Prata Um dias desses, evidentemente, tudo há de dar certo, os automóveis se extinguirão e a superfície da terra será povoada apenas por bicicletas. Alguns carros, ônibus e caminhões serão expostos nos museus, feito mamutes, guilhotinas e outros monstros findos, para divertir a criançada e alertar os adultos: que o horror jamais se repita. Sobre selins acolchoados, seremos felizes para sempre. É inegável a simpatia das bicicletas. Máquina desengonçada: se parada, destrambelha-se como um albatroz em terra, mas ao impulso dos pedais, projeta- se como uma flecha, esguia, impoluta e silenciosa. Bicicletas, ninguém pode negar, são irmãs dos guarda- chuvas, primas das girafas e parentes distantes dos abacaxis (não me peça para explicar, foi uma ideia que tive agora). Expressão nominal
  8. 8. Bicicletai! Antônio Prata Um dias desses, evidentemente, tudo há de dar certo, os automóveis se extinguirão e a superfície da terra será povoada apenas por bicicletas. Alguns carros, ônibus e caminhões serão expostos nos museus, feito mamutes, guilhotinas e outros monstros findos, para divertir a criançada e alertar os adultos: que o horror jamais se repita. Sobre selins acolchoados, seremos felizes para sempre. É inegável a simpatia das bicicletas. Máquina desengonçada: se parada, destrambelha-se como um albatroz em terra, mas ao impulso dos pedais, projeta- se como uma flecha, esguia, impoluta e silenciosa. Bicicletas, ninguém pode negar, são irmãs dos guarda- chuvas, primas das girafas e parentes distantes dos abacaxis (não me peça para explicar, foi uma ideia que tive agora). Elipse
  9. 9. Durante todo o século XX, muitos artistas aproveitaram- se de seus encantos. É pedalando que vemos quase todo o tempo monsieur Hulot, personagem do filme Meu Tio, utopia lírica de Jacques Tati. Marceu Duchamp, depois haver exposto um mictório no museu, enfiou uma roda de bicicleta num banco de madeira e deixou as velhas noções sobre arte – literalmente – de pernas pro ar. É impensável um facínora de bicicleta, inconcebível um ditador pedalando. As “máquinas da paz”, como as chamou Vinícius de Moraes, em sua Balada das meninas de bicicleta, são muito mais afeitas aos suaves cuidados das moças: “Bicicletai, meninada!/ Aos ventos do Arpoador/ Solta a flâmula agitada/Das cabeleiras em flor”. As bicicletas são um indício de civilização. Recomendadas por ecologistas, urbanistas, cardiologistas e artistas, têm logo de entrar na agenda política. Pronome
  10. 10. Durante todo o século XX, muitos artistas aproveitaram- se de seus encantos. É pedalando que vemos quase todo o tempo monsieur Hulot, personagem do filme Meu Tio, utopia lírica de Jacques Tati. Marceu Duchamp, depois haver exposto um mictório no museu, enfiou uma roda de bicicleta num banco de madeira e deixou as velhas noções sobre arte – literalmente – de pernas pro ar. É impensável um facínora de bicicleta, inconcebível um ditador pedalando. As “máquinas da paz”, como as chamou Vinícius de Moraes, em sua Balada das meninas de bicicleta, são muito mais afeitas aos suaves cuidados das moças: “Bicicletai, meninada!/ Aos ventos do Arpoador/ Solta a flâmula agitada/Das cabeleiras em flor”. As bicicletas são um indício de civilização. Recomendadas por ecologistas, urbanistas, cardiologistas e artistas, têm logo de entrar na agenda política. Expressão nominal
  11. 11. COESÃO REFERENCIAL Bicicleta Ela [pronome] O veículo [hiperônimo] Camelo [sinônimo] A máquina de paz [expressão nominal]
  12. 12. 2. COESÃO SEQUENCIAL
  13. 13. 2. COESÃO SEQUENCIAL Elementos que estabelecem relações entre segmentos do texto ou comentários a eles.
  14. 14. Editorial Folha de S. Paulo Comerciantes protestaram em diversos pontos da cidade; moradores de alguns bairros também reclamaram; e até vereadores da base aliada do prefeito Fernando Haddad (PT) fizeram críticas à implantação de ciclovias pelas ruas e avenidas de São Paulo. Embora capazes de chamar a atenção, esses grupos representam opinião minoritária entre os moradores da capital. Como pesquisa Datafolha publicada neste final de semana deixou claro, a maioria expressiva dos paulistanos defende a expansão de vias exclusivas para ciclistas. Ainda bem.
  15. 15. Editorial Folha de S. Paulo Trata-se, não por acaso, de tendência nas principais metrópoles do mundo. A bicicleta é um meio de transporte limpo, que ocupa muito menos espaço do que um carro (embora não seja "a" solução para os problemas de mobilidade urbana) e oferece a seus usuários a possibilidade de não ficar refém das condições do trânsito. Numa cidade como São Paulo, porém, nunca foi fácil usar bicicletas, e não surpreende que apenas 3% dos paulistanos digam se valer desse transporte com frequência.
  16. 16. Editorial Folha de S. Paulo Comerciantes protestaram em diversos pontos da cidade; moradores de alguns bairros também reclamaram; e até vereadores da base aliada do prefeito Fernando Haddad (PT) fizeram críticas à implantação de ciclovias pelas ruas e avenidas de São Paulo. Embora capazes de chamar a atenção, esses grupos representam opinião minoritária entre os moradores da capital. Como pesquisa Datafolha publicada neste final de semana deixou claro, a maioria expressiva dos paulistanos defende a expansão de vias exclusivas para ciclistas. Ainda bem. Concessão Conformidade
  17. 17. Editorial Folha de S. Paulo Trata-se, não por acaso, de tendência nas principais metrópoles do mundo. A bicicleta é um meio de transporte limpo, que ocupa muito menos espaço do que um carro (embora não seja "a" solução para os problemas de mobilidade urbana) e oferece a seus usuários a possibilidade de não ficar refém das condições do trânsito. Numa cidade como São Paulo, porém, nunca foi fácil usar bicicletas, e não surpreende que apenas 3% dos paulistanos digam se valer desse transporte com frequência. Comentário Oposição Comentário
  18. 18. 2.1. ARTICULADORES LÓGICOS => Estabelecem relações lógicas ou argumentativas entre segmentos de texto. Exemplos: Causa: porque, devido a Condição: se...então, caso Explicação: pois, já que, afinal Conclusão: portanto, dessa forma, assim
  19. 19. 2.2. ARTICULADORES DE COMENTÁRIO Estabelecem comentários a segmentos textuais. Exemplos: Delimitadores: geograficamente, economicamente Organizadores: Primeiro, segundo, por fim Comprometimento: evidentemente, aparentemente Imperatividade: é indispensável que, opcionalmente Introdutores: a respeito, sobre, quanto a

×