Exame físico da criança

4.122 visualizações

Publicada em

Aula ministrada pela Dra. Maria Goretti Lins para os membros da Liga de Pediatria do RN - LiPERN.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.122
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Exame físico da criança

  1. 1. EXAME FÍSICO DA CRIANÇA: COMO PROCEDER: MARIA GORETTI LINS MONTEIROMEDICA PEDIATRA – COORDENADORA DA RESIDÊNCIAMÉDICA DE PEDIATRIA DO HOSPITAL INFANTIL VARELA SANTIAGO. NATAL – RN Aula proferida para os participantes da LIPERN
  2. 2. EXAME FÍSICO DA CRIANÇA I - ADMISSÃO NO CONSULTÓRIO: a) TRATAMENTO DADO À CRIANÇA; b) EMPATIA DA CRIANÇA COM O PEDIATRA;c) CONFIANÇA DA CRIANÇA – RETIRADA DAS VESTES; d) POSTURA MÉDICA.
  3. 3. II - O EXAME PRORPRIAMENTE DITO:a) Inspeção de todo o corpo da criança: cor da pele, manchas e sinais; b) contagem das frequências: FC e FR; c) medição dos perímetros: cefálico, torácico e abdominal; d) palpação abdominal: aferição das massas; piparote; hérnias; e) palpação das cadeias ganglionares; dos pulsos; “A criança deve chegar no consultório com peso e estatura na ficha”. III – PROCEDIMENTOS NA PEDIATRIA: a) PUNÇÕES VENOSAS; b) DRENAGEM DE TÓRAX, DE ABSCESSOS; c) PUNÇÃO LIQUÓRICA; d) SUTURAS; e) BIÓPSIAS.
  4. 4. IV - USO DOS GRÁFICOS: a) É importante a colocação das medidas nos gráficos; b) É importante explicar o que eles significam aos pais e crianças;c) É importante solicitar que tragam cartões de pré-natal, parto e de vacinação. V – AMBIENTE: a) Calmo, aconchegante e com mobiliário apropriado às crianças; b) A presença de figuras leves ou de crianças tornam o ambiente familiar.
  5. 5. VI – CONDUTAS: a) comunicar a criança as decisões a ser tomadas; b) explicar os porquês de suas atitudes; c) elogiar o comportamento da criança quando em procedimentos desagradáveis (dolorosos). VII – ENGANOS E MENTIRAS: a) Usar linguagem acessível a elas; b) Explicar sem iludir ou enganar a criança;c) Nunca dizer que não dói e aplicar –lhe um procedimento doloroso (vacina ou injeção).
  6. 6. VIII– ATENÇÃO DIRETA `A CRIANÇA: a) dirigir sempre a primeira fala à criança; b) valorizar as suas informações; c) respeitar sua privacidade (adolescentes). d) Não fazer promessas impossíveis; e) Não aceitar ser enganado por seu paciente;f) Manter sempre o respeito entre ambos e sua família.
  7. 7. IX – ANOTAÇÕES:a) todas as medidas, perímetros, tamanho de massas, de vísceras, etc. devem ser anotadas na ficha ; b) todas as informações devem ser datadas; c) todas as condutas devem ser anotadas; d) as receitas devem ser lidas repetidas vezes. X – ACOMPANHAMENTO: a) Marcar sempre os egressos - compromisso; b) Oferecer sempre um meio de comunicação à família; c) Fazer reavaliações frequentes quando necessário;
  8. 8. XI – A CRIANÇA QUE NÃO SE DEIXA EXAMINAR: Diante de uma criança com esse tipo de comportamento, devemos: a) saber quais os motivos que a levaram a agir dessa maneira;b) procurar uma aproximação da criança diferente da forma que acarretou aquele medo; c) nunca forçar uma atendimento nem muito menos um procedimento se o medo está expresso na face da criança; d) Não confundir medo com manhas ou crianças mal-educadas; e) Casos em que haja urgência no atendimento ou procedimento, procurar fazê-lo com maior carinho e paciência possíveis. f) Falar sempre para a criança olhando nos olhos dela.
  9. 9. XII – CONCLUSÕES:a) os diagnósticos só devem ser informados aos familiares diante de muita certeza; b) cuidado na informação de prognósticos precipitados; c) a participação do médico junto à família é fundamental; d) paciência e compreensão nunca são demais; e) dividir a dor da família não diminui sua superioridade médica; f) orientar a família a procurar também apoio espiritual, respeitando suas escolhas.
  10. 10. XIII - INDICES ANTROPOMÉTRICOSMANUAL DE AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DEPARTAMENTO DE NUTROLOGIA: PAGINAS: 45, 46, 60, 72, 73 A 80,
  11. 11. ATENÇÃO:O EXAME FÍSICO ATRELADO A UMA HISTÓRIA CLÍNICA CRITERIOSA E ATENTA, CONSTITUEM OS MAIORES PILARES PARA UM BOM DIAGNÓSTICO. AS CRIANÇAS SÃO NOSSOS CIDADÃOS DO FUTURO E MERECEM SER TRATADAS COM TODA DIGNIDADE POSSÍVEL, COM MUITO CARINHO E AMOR , ATITUDES QUE NUNCA SERÃO DEMAIS!
  12. 12. OBRIGADO!Maria Goretti Lins Monteiro 10 de maio de 2012.

×