SlideShare uma empresa Scribd logo
BRASIL
CLIMAS
Elaborado e produzido por:
Prof. Luiz Fernando Wisniewski
lfw.geografia@gmail.com
Prof. Lawrence Mayer Malanski
law.malanski@gmail.com
- Latitude
- Altitude
- Continentalidade / Maritimidade
- Correntes Marinhas
- Pressão Atmosférica
ESQUEMA DA AULA
- Equatorial Continente
- Equatorial Atlântica
- Tropical continental
- Tropical Atlântica
- Polar Atlântica
- Diferenças entre Clima e Tempo
- Características Gerais dos climas no
Brasil
- Equatoriaol
- Semi-Árido
- Tropical Típico
- Tropical de Altitude
- Tropical Úmido
- Subtropical
FATORES DA
DINÂMICA CLIMÁTICA
FATORES DA
DINÂMICA CLIMÁTICA
Latitude
Altitude
Continentalidade / Maritimidade
Correntes Marinhas
Pressão Atmosférica
Linha do Equador
Trop. Capricórnio
Trop. Câncer
LATITUDE
LATITUDE TEMPERATURA
LATITUDE TEMPERATURA
ALTITUDE
A ÁGUA É UM REGULADOR TÉRMICO
Exemplo:
Niterói, no litoral : Amplitude de 2 ºC
Londrina, no continente : Amplitude de 8 ºC
CONTINENTALIDADE E
MARITIMIDADE
CORRENTES MARÍTMAS
A Pressão Atmosférica é:
Força que o ar exerce na superfície da terra e é medida pelo barômetro.
PRESSÃO ATMOSFÉFIRA
FATORES:
Altitude: Quanto mais próxima do nível do mar, mais gases, portanto, maior pressão.
Temperatura: O ar quente dilata e fica mais leve, logo, quanto mais quente a pressão é
menor.
PRESSÃO ATMOSFÉFIRA
ALTA
PRESSÃO
BAIXA
PRESSÃO
Exemplo:
Regiões Polares Regiões Equatoriais
MASSAS DE AR
DO BRASIL
MASSAS DE AR NO BRASIL
MASSA EQUATORIAL CONTINENTAL (mEc)
QUENTE e ÚMIDA
Verão Inverno
Ec Ec
MASSAS DE AR NO BRASIL
MASSA EQUATORIAL ATLÂNTICA (mEa)
QUENTE e ÚMIDA
Verão Inverno
EaEa
MASSAS DE AR NO BRASIL
MASSA TROPICAL CONTINENTAL (mTc)
QUENTE e SECA
Verão Inverno
Tc Tc
MASSAS DE AR NO BRASIL
MASSA TROPICAL ATLÂNTICA (mTa)
QUENTE e SECA
Verão Inverno
Ta Ta
MASSAS DE AR NO BRASIL
MASSA POLAR ATLÂNTICA (mPa)
FRIA e ÚMIDA
Verão Inverno
Pa Pa
FENÔMENO DA FRIAGEM
PENETRAÇÃO DA POLAR ATLÂNTICA
RELEVO BRASILEIRO BAIXO
QUEDA DA TEMPERATURA NA REGIÃO NORTE
Inverno
Pa
MASSAS DE AR NO BRASIL
Verão
Inverno
Pa
Pa
Tc
Tc
Ea
Ea
Ec
Ec
Ta
Ta
Massa Equatorial Continental (mEc): QUENTE E ÚMIDA
Massa Equatorial Atlântica (mEa): QUENTE E ÚMIDA
Massa Tropical Atlântica (mTa): QUENTE E ÚMIDA
Massa Tropical Continental (mTc): QUENTE E SECA
Massa Polar Atlântica (mPa): FRIA E ÚMIDA
FENÔMENO DA FRIAGEM
RESUMO
MASSAS DE AR
CPTEC / INPE
EFEITOS DO EL NINO LA NINHA
NO BRASIL
EL NIÑO
LA NIÑA
Aquecimento das águas :
Nordeste e Norte as águas tem
temperatura elevada, com o
aumento acaba se tornando uma
zona de baixa pressão.
Centro-Sul irá aumentar a
evaporação levando maior
umidade ao continente.
La Niña esfriamento das águas :
Nordeste e Norte vai se tornar uma
zona de alta pressão atmosférica
dispersora de ventos.
Centro-Sul a temperatura das águas
vão diminuir desta forma
evitando que ocorra a
evaporação.
EFEITOS DO EL NINO E LA NINA
NO BRASIL
Calor e Secas
Calor e Chuvas Abundantes
Chuvas Abundantes
Frio e Secas
CORRENTES MARÍTMAS
DO BRASIL
CORRENTES MARÍTMAS
DO BRASIL
Correntes Quentes Correntes Frias
Corrente de Falkand
Corrente do Brasil
Corrente Sul Equatorial
Corrente das Guianas
CLIMAS
DO BRASIL
DIFERENÇAS ENTRE
CLIMA E TEMPO
TEMPO: Representa as condições meteorológicas
passageiras de um lugar.
Exemplo: Quando está chovendo, nublado ou o dia está ensolarado.
CLIMA: Conjunto de fenômenos meteorológicos que
caracteriza o estado médio da atmosfera na superfície terrestre.
Para definir o clima de uma região, as condições são
acompanhadas por um período de 30 anos.
Exemplo: Tropical, Equatorial, Subtropical, Desértico entre outros.
Podemos dizer que
clima é a sucessão
habitual dos estados
do tempo,
observados durante
um período.
Logo clima e tempo
são duas coisas
distintas.
DIFERENÇAS ENTRE
CLIMA E TEMPO
Em decorrência do Brasil se encontrar em sua maior parte na zona
intertropical os climas brasileiros são predominantemente quentes e
úmidos com as seguintes características:
 Temperaturas médias superiores a 18ºC
 Amplitude térmica inferior a 6ºC
 Diferença de estações caracterizadas pelo regime pluviométrico
 Circulação atmosférica controlada pela Zona de Convergência
Intertropical (ZCIT)
 Baixas pressões equatoriais
 Ventos alísios
 Altas pressões subtropicais
CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS
CLIMAS DO BRASIL
EQUATORIALCLIMA
50
0
150
100
250
200
300
350
400
0C mm
J F M A M J J A S O N D
EQUATORIAL
Temperaturas elevadas
Chuvas abundantes
Ocorre na Amazônia
Baixa amplitude térmica
Alto índice de evaporação
PLUVIOSIDADE
2.000 a 3.000 mm anual15
10
20
25
30
40
35
SEMI-ÁRIDOCLIMA
50
0
150
100
250
200
300
350
400
0C mm
J F M A M J J A S O N D
SEMI-ÁRIDO
Temperaturas elevadas
Chuvas escassas e irregulares
Massa de ar EA limitada pelo relevo
da Borborema
Baixa amplitude térmica
Atuante no Sertão Nordestino
PLUVIOSIDADE
Em torno de 400 mm anual
15
10
20
25
30
40
35
TROPICALTÍPICO
CLIMA
TROPICAL TÍPICO
Temperaturas elevadas
Duas estações bem definidas
Verões chuvosos
Invernos secos
Alto índice de evaporação
Predomínio no Centro-Oeste
PLUVIOSIDADE
Acima de 1500 mm anual
50
0
150
100
250
200
300
350
400
15
10
20
25
30
0C mm
J F M A M J J A S O N D
40
35
TROPICALDEALTITUDE
CLIMA
TROPICAL DE ALTITUDE
50
0
150
100
250
200
300
350
400
15
10
20
25
30
0C mm
J F M A M J J A S O N D
40
35
Semelhante ao Típico, a única
diferença é que devido ao fator
altitude as temperaturas são mais
baixas.
Temperaturas amenas
Duas estações bem definidas
Verões chuvosos
Invernos secos
Alto índice de evaporação
Predomínio no Sudeste
PLUVIOSIDADE
Acima de 1500 mm anual
TROPICALÚMIDO
CLIMA
TROPICAL ÚMIDO
Temperaturas elevadas
Chuvas frequêntes no inverno
Sofre grande influência da Pa
ocorrendo as chuvas frontais
Baixa amplitude térmica
Ocorre em todo Nordeste e Norte
do litoral Sudeste
PLUVIOSIDADE
2.000 a 3.000 mm anual
50
0
150
100
250
200
300
350
400
15
10
20
25
30
0C mm
J F M A M J J A S O N D
40
35
SUBTROPICAL
CLIMA
CLIMA SUBTROPICAL
Grande amplitude térmica
Chuvas bem distribuídas
As 4 estações do ano bem definidas
Ocorre geadas durante o inverno
Clima da Região Sul do Brasil e
pequenas áreas do Sudeste
PLUVIOSIDADE
Superiores a 1200 mm anual50
0
150
100
250
200
300
350
400
15
10
20
25
30
0C mm
J F M A M J J A S O N D
40
35
CLASSIFICAÇÃO DO CLIMA
SEGUNDO KOPPEN-GEIGER
PRIMEIRA LETRA
A - Clima Tropical
B – Clima Árido
C – Clima Temperado
SEGUNDA LETRA
f – Clima Úmido
w – Chuva de Verão
m – Clima de Monções
s – Chuvas de Inverno
TERCEIRA LETRA
a - Verão quente
b - Verão temperado
KOPPEN-GEIGER
Siga-nos para você ir longe
FACEBOOK
https://www.facebook.com/LinguagemGeografica?ref=bookmarks
TWITTER
https://twitter.com/LinguagemGeog
BLOG
http://www.linguagemgeografica.blogspot.com.br/
GOOGLE+
https://plus.google.com/117942161243326203545/posts
E-MAIL
linguagemgeografica@gmail.com

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Europa apresentação
Europa   apresentaçãoEuropa   apresentação
Europa apresentação
robertobraz
 
ASPECTOS FÍSICOS DA EUROPA
ASPECTOS FÍSICOS DA EUROPAASPECTOS FÍSICOS DA EUROPA
ASPECTOS FÍSICOS DA EUROPA
Gustavo Silva de Souza
 
Clima e formaçoes vegetais
Clima e formaçoes vegetaisClima e formaçoes vegetais
Clima e formaçoes vegetais
Prof.Paulo/geografia
 
Região norte
Região norteRegião norte
Região norte
Rosemildo Lima
 
Tipos de clima
Tipos de climaTipos de clima
Tipos de clima
williandadalto
 
Orientacao e localizacao no espaco
Orientacao e localizacao no espacoOrientacao e localizacao no espaco
Orientacao e localizacao no espaco
Prof. Francesco Torres
 
Região nordeste
Região nordesteRegião nordeste
Região nordeste
Edvaldo S. Júnior
 
Localização do território brasileiro
Localização do território brasileiroLocalização do território brasileiro
Localização do território brasileiro
Gabrielly Peixoto
 
Aula para 9º Ano - Europa aspectos naturais, sociedade e economia
Aula para 9º Ano - Europa aspectos naturais, sociedade e economiaAula para 9º Ano - Europa aspectos naturais, sociedade e economia
Aula para 9º Ano - Europa aspectos naturais, sociedade e economia
Michele Wilbert
 
A economia africana
A economia africanaA economia africana
A economia africana
Colégio Nova Geração COC
 
Modulo 12 - América Latina - a produção econômica
Modulo 12 - América Latina - a produção econômicaModulo 12 - América Latina - a produção econômica
Modulo 12 - América Latina - a produção econômica
Claudio Henrique Ramos Sales
 
África - quadro natural e regionalização
África - quadro natural e regionalizaçãoÁfrica - quadro natural e regionalização
África - quadro natural e regionalização
Henrique Pontes
 
Geografia da américa latina
Geografia da américa latinaGeografia da américa latina
Geografia da américa latina
John Fjv
 
Modulo 06 - Fatores e elementos do clima
Modulo 06 - Fatores e elementos do climaModulo 06 - Fatores e elementos do clima
Modulo 06 - Fatores e elementos do clima
Claudio Henrique Ramos Sales
 
Região sul
Região sulRegião sul
Região sul
flaviocosac
 
O sertão e o meio norte
O sertão e o meio norteO sertão e o meio norte
O sertão e o meio norte
flaviocosac
 
África
ÁfricaÁfrica
Hidrosfera -- Revisão 6º ano
Hidrosfera -- Revisão 6º anoHidrosfera -- Revisão 6º ano
Hidrosfera -- Revisão 6º ano
Josecler Rocha
 
Geografia da América do Sul
Geografia da América do SulGeografia da América do Sul
Geografia da América do Sul
Patrícia Éderson Dias
 
População mundial
População mundialPopulação mundial
População mundial
Uilson Pereira da Silva
 

Mais procurados (20)

Europa apresentação
Europa   apresentaçãoEuropa   apresentação
Europa apresentação
 
ASPECTOS FÍSICOS DA EUROPA
ASPECTOS FÍSICOS DA EUROPAASPECTOS FÍSICOS DA EUROPA
ASPECTOS FÍSICOS DA EUROPA
 
Clima e formaçoes vegetais
Clima e formaçoes vegetaisClima e formaçoes vegetais
Clima e formaçoes vegetais
 
Região norte
Região norteRegião norte
Região norte
 
Tipos de clima
Tipos de climaTipos de clima
Tipos de clima
 
Orientacao e localizacao no espaco
Orientacao e localizacao no espacoOrientacao e localizacao no espaco
Orientacao e localizacao no espaco
 
Região nordeste
Região nordesteRegião nordeste
Região nordeste
 
Localização do território brasileiro
Localização do território brasileiroLocalização do território brasileiro
Localização do território brasileiro
 
Aula para 9º Ano - Europa aspectos naturais, sociedade e economia
Aula para 9º Ano - Europa aspectos naturais, sociedade e economiaAula para 9º Ano - Europa aspectos naturais, sociedade e economia
Aula para 9º Ano - Europa aspectos naturais, sociedade e economia
 
A economia africana
A economia africanaA economia africana
A economia africana
 
Modulo 12 - América Latina - a produção econômica
Modulo 12 - América Latina - a produção econômicaModulo 12 - América Latina - a produção econômica
Modulo 12 - América Latina - a produção econômica
 
África - quadro natural e regionalização
África - quadro natural e regionalizaçãoÁfrica - quadro natural e regionalização
África - quadro natural e regionalização
 
Geografia da américa latina
Geografia da américa latinaGeografia da américa latina
Geografia da américa latina
 
Modulo 06 - Fatores e elementos do clima
Modulo 06 - Fatores e elementos do climaModulo 06 - Fatores e elementos do clima
Modulo 06 - Fatores e elementos do clima
 
Região sul
Região sulRegião sul
Região sul
 
O sertão e o meio norte
O sertão e o meio norteO sertão e o meio norte
O sertão e o meio norte
 
África
ÁfricaÁfrica
África
 
Hidrosfera -- Revisão 6º ano
Hidrosfera -- Revisão 6º anoHidrosfera -- Revisão 6º ano
Hidrosfera -- Revisão 6º ano
 
Geografia da América do Sul
Geografia da América do SulGeografia da América do Sul
Geografia da América do Sul
 
População mundial
População mundialPopulação mundial
População mundial
 

Destaque

Tipos de Rochas - Magmática, Sedimentares e Metamórficas
Tipos de Rochas  -  Magmática, Sedimentares e MetamórficasTipos de Rochas  -  Magmática, Sedimentares e Metamórficas
Tipos de Rochas - Magmática, Sedimentares e Metamórficas
Linguagem Geográfica
 
Mapa - Atividade Coordenadas Geográficas
Mapa - Atividade Coordenadas GeográficasMapa - Atividade Coordenadas Geográficas
Mapa - Atividade Coordenadas Geográficas
Linguagem Geográfica
 
Brasil Hidrografia
Brasil Hidrografia Brasil Hidrografia
Brasil Hidrografia
Linguagem Geográfica
 
Coordenadas Geográficas e Localização
Coordenadas Geográficas e LocalizaçãoCoordenadas Geográficas e Localização
Coordenadas Geográficas e Localização
Linguagem Geográfica
 
Escalas Cartográficas e Exercícios
Escalas Cartográficas e ExercíciosEscalas Cartográficas e Exercícios
Escalas Cartográficas e Exercícios
Linguagem Geográfica
 
Atividade - A História Das Coisas
Atividade  - A História Das CoisasAtividade  - A História Das Coisas
Atividade - A História Das Coisas
Linguagem Geográfica
 
Fuso Horário
Fuso HorárioFuso Horário
Fuso Horário
Linguagem Geográfica
 
Atividade - Coordenadas Geográficas
Atividade - Coordenadas GeográficasAtividade - Coordenadas Geográficas
Atividade - Coordenadas Geográficas
Linguagem Geográfica
 
Características da Agricultura e Pecuária
Características da Agricultura e PecuáriaCaracterísticas da Agricultura e Pecuária
Características da Agricultura e Pecuária
Linguagem Geográfica
 
Globalização: a evolução dos video games
Globalização: a evolução dos video gamesGlobalização: a evolução dos video games
Globalização: a evolução dos video games
Linguagem Geográfica
 

Destaque (10)

Tipos de Rochas - Magmática, Sedimentares e Metamórficas
Tipos de Rochas  -  Magmática, Sedimentares e MetamórficasTipos de Rochas  -  Magmática, Sedimentares e Metamórficas
Tipos de Rochas - Magmática, Sedimentares e Metamórficas
 
Mapa - Atividade Coordenadas Geográficas
Mapa - Atividade Coordenadas GeográficasMapa - Atividade Coordenadas Geográficas
Mapa - Atividade Coordenadas Geográficas
 
Brasil Hidrografia
Brasil Hidrografia Brasil Hidrografia
Brasil Hidrografia
 
Coordenadas Geográficas e Localização
Coordenadas Geográficas e LocalizaçãoCoordenadas Geográficas e Localização
Coordenadas Geográficas e Localização
 
Escalas Cartográficas e Exercícios
Escalas Cartográficas e ExercíciosEscalas Cartográficas e Exercícios
Escalas Cartográficas e Exercícios
 
Atividade - A História Das Coisas
Atividade  - A História Das CoisasAtividade  - A História Das Coisas
Atividade - A História Das Coisas
 
Fuso Horário
Fuso HorárioFuso Horário
Fuso Horário
 
Atividade - Coordenadas Geográficas
Atividade - Coordenadas GeográficasAtividade - Coordenadas Geográficas
Atividade - Coordenadas Geográficas
 
Características da Agricultura e Pecuária
Características da Agricultura e PecuáriaCaracterísticas da Agricultura e Pecuária
Características da Agricultura e Pecuária
 
Globalização: a evolução dos video games
Globalização: a evolução dos video gamesGlobalização: a evolução dos video games
Globalização: a evolução dos video games
 

Semelhante a Brasil - Climas

Climatologia E Biogeografia Geral E Do Brasil
Climatologia E Biogeografia Geral E Do BrasilClimatologia E Biogeografia Geral E Do Brasil
Climatologia E Biogeografia Geral E Do Brasil
ProfMario De Mori
 
Clima
ClimaClima
Atmosfera
AtmosferaAtmosfera
Atmosfera
aroudus
 
Tempo e Clima
Tempo e ClimaTempo e Clima
Tempo e Clima
ceama
 
1º ANO -Tempo e Clima
1º ANO -Tempo e Clima1º ANO -Tempo e Clima
1º ANO -Tempo e Clima
ceama
 
Climatologia (Parte 1)
Climatologia  (Parte 1)Climatologia  (Parte 1)
Climatologia (Parte 1)
Hidrologia UFC
 
Geografia Física Do Brasil E Mundial Parte 1
Geografia Física Do Brasil E Mundial   Parte 1Geografia Física Do Brasil E Mundial   Parte 1
Geografia Física Do Brasil E Mundial Parte 1
ProfMario De Mori
 
Climatologia
ClimatologiaClimatologia
Clima 2013 professor edu gonzaga
Clima 2013 professor edu gonzagaClima 2013 professor edu gonzaga
Clima 2013 professor edu gonzaga
Edu Gonzaga
 
Climatologia
Climatologia Climatologia
Climatologia
André Luiz Marques
 
Clima da Região Norte
Clima da Região NorteClima da Região Norte
Clima da Região Norte
victorosa
 
Climatologia - fatores e elementos do clima, fenômenos climáticos e classific...
Climatologia - fatores e elementos do clima, fenômenos climáticos e classific...Climatologia - fatores e elementos do clima, fenômenos climáticos e classific...
Climatologia - fatores e elementos do clima, fenômenos climáticos e classific...
Saulo Lucena
 
1 ano clima
1 ano clima1 ano clima
1 ano clima
Geová da Silva
 
Clima
ClimaClima
Aula introdução a climatologia 1
Aula   introdução a climatologia 1Aula   introdução a climatologia 1
Aula introdução a climatologia 1
Omar Fürst
 
Se Virem Nos 40
Se Virem Nos 40Se Virem Nos 40
Se Virem Nos 40
ProfMario De Mori
 
Clima E Climas Do Brasil Aula
Clima E Climas Do Brasil   AulaClima E Climas Do Brasil   Aula
Clima E Climas Do Brasil Aula
Luciano Pessanha
 
Atmosfera e climas
Atmosfera e climasAtmosfera e climas
Atmosfera e climas
Fernando M. Knapik
 
Aula 40 42 - 1º cga
Aula 40 42 - 1º cgaAula 40 42 - 1º cga
Aula 40 42 - 1º cga
Janaína Kaecke
 
Tipos de clima
Tipos de clima  Tipos de clima
Tipos de clima
espacoaberto
 

Semelhante a Brasil - Climas (20)

Climatologia E Biogeografia Geral E Do Brasil
Climatologia E Biogeografia Geral E Do BrasilClimatologia E Biogeografia Geral E Do Brasil
Climatologia E Biogeografia Geral E Do Brasil
 
Clima
ClimaClima
Clima
 
Atmosfera
AtmosferaAtmosfera
Atmosfera
 
Tempo e Clima
Tempo e ClimaTempo e Clima
Tempo e Clima
 
1º ANO -Tempo e Clima
1º ANO -Tempo e Clima1º ANO -Tempo e Clima
1º ANO -Tempo e Clima
 
Climatologia (Parte 1)
Climatologia  (Parte 1)Climatologia  (Parte 1)
Climatologia (Parte 1)
 
Geografia Física Do Brasil E Mundial Parte 1
Geografia Física Do Brasil E Mundial   Parte 1Geografia Física Do Brasil E Mundial   Parte 1
Geografia Física Do Brasil E Mundial Parte 1
 
Climatologia
ClimatologiaClimatologia
Climatologia
 
Clima 2013 professor edu gonzaga
Clima 2013 professor edu gonzagaClima 2013 professor edu gonzaga
Clima 2013 professor edu gonzaga
 
Climatologia
Climatologia Climatologia
Climatologia
 
Clima da Região Norte
Clima da Região NorteClima da Região Norte
Clima da Região Norte
 
Climatologia - fatores e elementos do clima, fenômenos climáticos e classific...
Climatologia - fatores e elementos do clima, fenômenos climáticos e classific...Climatologia - fatores e elementos do clima, fenômenos climáticos e classific...
Climatologia - fatores e elementos do clima, fenômenos climáticos e classific...
 
1 ano clima
1 ano clima1 ano clima
1 ano clima
 
Clima
ClimaClima
Clima
 
Aula introdução a climatologia 1
Aula   introdução a climatologia 1Aula   introdução a climatologia 1
Aula introdução a climatologia 1
 
Se Virem Nos 40
Se Virem Nos 40Se Virem Nos 40
Se Virem Nos 40
 
Clima E Climas Do Brasil Aula
Clima E Climas Do Brasil   AulaClima E Climas Do Brasil   Aula
Clima E Climas Do Brasil Aula
 
Atmosfera e climas
Atmosfera e climasAtmosfera e climas
Atmosfera e climas
 
Aula 40 42 - 1º cga
Aula 40 42 - 1º cgaAula 40 42 - 1º cga
Aula 40 42 - 1º cga
 
Tipos de clima
Tipos de clima  Tipos de clima
Tipos de clima
 

Mais de Linguagem Geográfica

Original as tiras_da_mafalda_-_6ª_parte
Original as tiras_da_mafalda_-_6ª_parteOriginal as tiras_da_mafalda_-_6ª_parte
Original as tiras_da_mafalda_-_6ª_parte
Linguagem Geográfica
 
Original as tiras_da_mafalda_-_5ª_parte
Original as tiras_da_mafalda_-_5ª_parteOriginal as tiras_da_mafalda_-_5ª_parte
Original as tiras_da_mafalda_-_5ª_parte
Linguagem Geográfica
 
Original as tiras_da_mafalda_-_4ª_parte
Original as tiras_da_mafalda_-_4ª_parteOriginal as tiras_da_mafalda_-_4ª_parte
Original as tiras_da_mafalda_-_4ª_parte
Linguagem Geográfica
 
Original as tiras_da_mafalda_-_3ª_parte
Original as tiras_da_mafalda_-_3ª_parteOriginal as tiras_da_mafalda_-_3ª_parte
Original as tiras_da_mafalda_-_3ª_parte
Linguagem Geográfica
 
Original as tiras_da_mafalda_-_2ª_parte
Original as tiras_da_mafalda_-_2ª_parteOriginal as tiras_da_mafalda_-_2ª_parte
Original as tiras_da_mafalda_-_2ª_parte
Linguagem Geográfica
 
Original as tiras_da_mafalda_-_1ª_parte
Original as tiras_da_mafalda_-_1ª_parteOriginal as tiras_da_mafalda_-_1ª_parte
Original as tiras_da_mafalda_-_1ª_parte
Linguagem Geográfica
 
Questionário - A História Das Coisas
Questionário - A História Das CoisasQuestionário - A História Das Coisas
Questionário - A História Das Coisas
Linguagem Geográfica
 

Mais de Linguagem Geográfica (7)

Original as tiras_da_mafalda_-_6ª_parte
Original as tiras_da_mafalda_-_6ª_parteOriginal as tiras_da_mafalda_-_6ª_parte
Original as tiras_da_mafalda_-_6ª_parte
 
Original as tiras_da_mafalda_-_5ª_parte
Original as tiras_da_mafalda_-_5ª_parteOriginal as tiras_da_mafalda_-_5ª_parte
Original as tiras_da_mafalda_-_5ª_parte
 
Original as tiras_da_mafalda_-_4ª_parte
Original as tiras_da_mafalda_-_4ª_parteOriginal as tiras_da_mafalda_-_4ª_parte
Original as tiras_da_mafalda_-_4ª_parte
 
Original as tiras_da_mafalda_-_3ª_parte
Original as tiras_da_mafalda_-_3ª_parteOriginal as tiras_da_mafalda_-_3ª_parte
Original as tiras_da_mafalda_-_3ª_parte
 
Original as tiras_da_mafalda_-_2ª_parte
Original as tiras_da_mafalda_-_2ª_parteOriginal as tiras_da_mafalda_-_2ª_parte
Original as tiras_da_mafalda_-_2ª_parte
 
Original as tiras_da_mafalda_-_1ª_parte
Original as tiras_da_mafalda_-_1ª_parteOriginal as tiras_da_mafalda_-_1ª_parte
Original as tiras_da_mafalda_-_1ª_parte
 
Questionário - A História Das Coisas
Questionário - A História Das CoisasQuestionário - A História Das Coisas
Questionário - A História Das Coisas
 

Último

Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Pedro Luis Moraes
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 

Último (20)

Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 

Brasil - Climas

  • 1. BRASIL CLIMAS Elaborado e produzido por: Prof. Luiz Fernando Wisniewski lfw.geografia@gmail.com Prof. Lawrence Mayer Malanski law.malanski@gmail.com
  • 2. - Latitude - Altitude - Continentalidade / Maritimidade - Correntes Marinhas - Pressão Atmosférica ESQUEMA DA AULA - Equatorial Continente - Equatorial Atlântica - Tropical continental - Tropical Atlântica - Polar Atlântica - Diferenças entre Clima e Tempo - Características Gerais dos climas no Brasil - Equatoriaol - Semi-Árido - Tropical Típico - Tropical de Altitude - Tropical Úmido - Subtropical
  • 4. FATORES DA DINÂMICA CLIMÁTICA Latitude Altitude Continentalidade / Maritimidade Correntes Marinhas Pressão Atmosférica
  • 5. Linha do Equador Trop. Capricórnio Trop. Câncer LATITUDE LATITUDE TEMPERATURA LATITUDE TEMPERATURA
  • 7. A ÁGUA É UM REGULADOR TÉRMICO Exemplo: Niterói, no litoral : Amplitude de 2 ºC Londrina, no continente : Amplitude de 8 ºC CONTINENTALIDADE E MARITIMIDADE
  • 9. A Pressão Atmosférica é: Força que o ar exerce na superfície da terra e é medida pelo barômetro. PRESSÃO ATMOSFÉFIRA
  • 10. FATORES: Altitude: Quanto mais próxima do nível do mar, mais gases, portanto, maior pressão. Temperatura: O ar quente dilata e fica mais leve, logo, quanto mais quente a pressão é menor. PRESSÃO ATMOSFÉFIRA ALTA PRESSÃO BAIXA PRESSÃO Exemplo: Regiões Polares Regiões Equatoriais
  • 11. MASSAS DE AR DO BRASIL
  • 12. MASSAS DE AR NO BRASIL MASSA EQUATORIAL CONTINENTAL (mEc) QUENTE e ÚMIDA Verão Inverno Ec Ec
  • 13. MASSAS DE AR NO BRASIL MASSA EQUATORIAL ATLÂNTICA (mEa) QUENTE e ÚMIDA Verão Inverno EaEa
  • 14. MASSAS DE AR NO BRASIL MASSA TROPICAL CONTINENTAL (mTc) QUENTE e SECA Verão Inverno Tc Tc
  • 15. MASSAS DE AR NO BRASIL MASSA TROPICAL ATLÂNTICA (mTa) QUENTE e SECA Verão Inverno Ta Ta
  • 16. MASSAS DE AR NO BRASIL MASSA POLAR ATLÂNTICA (mPa) FRIA e ÚMIDA Verão Inverno Pa Pa
  • 17. FENÔMENO DA FRIAGEM PENETRAÇÃO DA POLAR ATLÂNTICA RELEVO BRASILEIRO BAIXO QUEDA DA TEMPERATURA NA REGIÃO NORTE Inverno Pa
  • 18. MASSAS DE AR NO BRASIL Verão Inverno Pa Pa Tc Tc Ea Ea Ec Ec Ta Ta
  • 19. Massa Equatorial Continental (mEc): QUENTE E ÚMIDA Massa Equatorial Atlântica (mEa): QUENTE E ÚMIDA Massa Tropical Atlântica (mTa): QUENTE E ÚMIDA Massa Tropical Continental (mTc): QUENTE E SECA Massa Polar Atlântica (mPa): FRIA E ÚMIDA FENÔMENO DA FRIAGEM RESUMO MASSAS DE AR
  • 21. EFEITOS DO EL NINO LA NINHA NO BRASIL
  • 22. EL NIÑO LA NIÑA Aquecimento das águas : Nordeste e Norte as águas tem temperatura elevada, com o aumento acaba se tornando uma zona de baixa pressão. Centro-Sul irá aumentar a evaporação levando maior umidade ao continente. La Niña esfriamento das águas : Nordeste e Norte vai se tornar uma zona de alta pressão atmosférica dispersora de ventos. Centro-Sul a temperatura das águas vão diminuir desta forma evitando que ocorra a evaporação. EFEITOS DO EL NINO E LA NINA NO BRASIL Calor e Secas Calor e Chuvas Abundantes Chuvas Abundantes Frio e Secas
  • 24. CORRENTES MARÍTMAS DO BRASIL Correntes Quentes Correntes Frias Corrente de Falkand Corrente do Brasil Corrente Sul Equatorial Corrente das Guianas
  • 26. DIFERENÇAS ENTRE CLIMA E TEMPO TEMPO: Representa as condições meteorológicas passageiras de um lugar. Exemplo: Quando está chovendo, nublado ou o dia está ensolarado. CLIMA: Conjunto de fenômenos meteorológicos que caracteriza o estado médio da atmosfera na superfície terrestre. Para definir o clima de uma região, as condições são acompanhadas por um período de 30 anos. Exemplo: Tropical, Equatorial, Subtropical, Desértico entre outros.
  • 27. Podemos dizer que clima é a sucessão habitual dos estados do tempo, observados durante um período. Logo clima e tempo são duas coisas distintas. DIFERENÇAS ENTRE CLIMA E TEMPO
  • 28. Em decorrência do Brasil se encontrar em sua maior parte na zona intertropical os climas brasileiros são predominantemente quentes e úmidos com as seguintes características:  Temperaturas médias superiores a 18ºC  Amplitude térmica inferior a 6ºC  Diferença de estações caracterizadas pelo regime pluviométrico  Circulação atmosférica controlada pela Zona de Convergência Intertropical (ZCIT)  Baixas pressões equatoriais  Ventos alísios  Altas pressões subtropicais CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS CLIMAS DO BRASIL
  • 30. 50 0 150 100 250 200 300 350 400 0C mm J F M A M J J A S O N D EQUATORIAL Temperaturas elevadas Chuvas abundantes Ocorre na Amazônia Baixa amplitude térmica Alto índice de evaporação PLUVIOSIDADE 2.000 a 3.000 mm anual15 10 20 25 30 40 35
  • 32. 50 0 150 100 250 200 300 350 400 0C mm J F M A M J J A S O N D SEMI-ÁRIDO Temperaturas elevadas Chuvas escassas e irregulares Massa de ar EA limitada pelo relevo da Borborema Baixa amplitude térmica Atuante no Sertão Nordestino PLUVIOSIDADE Em torno de 400 mm anual 15 10 20 25 30 40 35
  • 34. TROPICAL TÍPICO Temperaturas elevadas Duas estações bem definidas Verões chuvosos Invernos secos Alto índice de evaporação Predomínio no Centro-Oeste PLUVIOSIDADE Acima de 1500 mm anual 50 0 150 100 250 200 300 350 400 15 10 20 25 30 0C mm J F M A M J J A S O N D 40 35
  • 36. TROPICAL DE ALTITUDE 50 0 150 100 250 200 300 350 400 15 10 20 25 30 0C mm J F M A M J J A S O N D 40 35 Semelhante ao Típico, a única diferença é que devido ao fator altitude as temperaturas são mais baixas. Temperaturas amenas Duas estações bem definidas Verões chuvosos Invernos secos Alto índice de evaporação Predomínio no Sudeste PLUVIOSIDADE Acima de 1500 mm anual
  • 38. TROPICAL ÚMIDO Temperaturas elevadas Chuvas frequêntes no inverno Sofre grande influência da Pa ocorrendo as chuvas frontais Baixa amplitude térmica Ocorre em todo Nordeste e Norte do litoral Sudeste PLUVIOSIDADE 2.000 a 3.000 mm anual 50 0 150 100 250 200 300 350 400 15 10 20 25 30 0C mm J F M A M J J A S O N D 40 35
  • 40. CLIMA SUBTROPICAL Grande amplitude térmica Chuvas bem distribuídas As 4 estações do ano bem definidas Ocorre geadas durante o inverno Clima da Região Sul do Brasil e pequenas áreas do Sudeste PLUVIOSIDADE Superiores a 1200 mm anual50 0 150 100 250 200 300 350 400 15 10 20 25 30 0C mm J F M A M J J A S O N D 40 35
  • 42. PRIMEIRA LETRA A - Clima Tropical B – Clima Árido C – Clima Temperado SEGUNDA LETRA f – Clima Úmido w – Chuva de Verão m – Clima de Monções s – Chuvas de Inverno TERCEIRA LETRA a - Verão quente b - Verão temperado KOPPEN-GEIGER
  • 43. Siga-nos para você ir longe FACEBOOK https://www.facebook.com/LinguagemGeografica?ref=bookmarks TWITTER https://twitter.com/LinguagemGeog BLOG http://www.linguagemgeografica.blogspot.com.br/ GOOGLE+ https://plus.google.com/117942161243326203545/posts E-MAIL linguagemgeografica@gmail.com