SlideShare uma empresa Scribd logo
BRASIL
HIDROGRAFIA
Elaborado e produzido por:
Prof. Luiz Fernando Wisniewski
lfw.geografia@gmail.com
Prof. Lawrence Mayer Malanski
law.malanski@gmail.com
- O que é uma Bacia Hidrográfica ?
- Tipos de Bacias Hidrográficas
- Divisores de águas dos rios brasileiros
- Características dos rios
- Aproveitamento dos rios
- Bacia Amazônica
Hidrelétrica de Belo Monte
- Bacia do São Francisco
-Transposição do São Francisco
- Bacia do Tocantins –Araguaia
- Bacia do Rio Paraná
Bacia do Prata
Hidrovia Tietê - Paraná
ESQUEMA DA AULA
- Elementos de um rio
- Fases dos rios
- Tipos de drenagens
-Foz ou Desembocadura
- Vazão de um rio
- Regime dos rios
- Influência do clima
- Lagos no Brasil
CARACTERÍSTICAS DAS BACIAS
HIDROGRÁFICAS
BACIA HIDROGRÁFICA
É uma área drenada por:
UM RIO PRINCIPAL
SEUS AFLUENTES E
SUBAFLUENTES
INDEPENDENTES:
Apresentam a estrutura típica de bacia hidrográfica:
Rio principal, afluentes e subafluentes.
SECUNDÁRIAS:
Conjunto de pequenas bacias agrupadas.
TIPOS DE
BACIAS HIDROGRÁFICAS
BACIAS INDEPENDENTES
BACIAS SECUNDÁRIAS
TIPOS DE
BACIAS HIDROGRÁFICAS
Planalto das Guianas
O Planalto Brasileiro
Cordilheira dos Andes
DIVISORES DE ÁGUAS
DOS RIOS BRASILEIROS
OS RIOS SEUS ELEMENTOS
E CARACTERÍSTICAS
ELEMENTOS DE UM RIO
Fase de juventude:
Nascentes em lugares altos
e produzem forte erosão
vertical. Vales em forma de
V.
Fase de Maturidade:
Traçado plano e velocidade
das águas constante,
equilíbrio entre
sedimentação e erosão.
Fase de Velhice: Traçado
definido pelo trabalho de
sedimentação, forma
meandros que diminuem a
velocidade das águas.
Os rios podem sofrer processo de rejuvenescimento, que ocorre por um soerguimento do relevo ou, ainda,
por um grande aumento na precipitação na nascente.
FASES DOS RIOS
ARRÉICA:
Os rios que tem toda sua
água infiltrada pelo solo
ou evaporada.
TIPOS DE DRENAGENS
ENDORRÉICA:
Os rios que
deságuam em outros
rios ou lagos.
EXORRÉICA:
Os rios que deságuam
em mares e oceanos.
Delta:
Vários Canais
Estuário:
Único Canal
FOZ OU DESEMBOCADURA
 INTERMITENTES: Durante os períodos de estiagem reduzem seu volume ou secam.
 PERENES: Rios que nunca secam.
Paulo Afonso- Rio São Francisco
QUANTO A SUA VAZÃO
Rio do Sertão Nordestino
POR QUE O RIO SÃO FRANCISCO PASSA PELO SERTÃO PORÉM NÃO SECA ?
 Pluvial: Depende das precipitações (Chuvas).
 Nival: Derretimento da neve das montanhas.
Nascente do Rio Amazonas - Nival Abastecido em seu trajeto pelas chuvas
REGIME DOS RIOS
O REGIME DO RIO AMAZONAS É CONHECIDO COMO MISTO
CLIMA EQUATORIAL: Altos índices pluviométricos.
TROPICAL TÍPICO: Uma estação chuvosa concentrada no verão e
a seca nas outras estações.
SUBTROPICAL: Chuvas bem distribuídas o ano inteiro.
TROPICAL SEMIÁRIDO: Chuvas irregulares.
TROPICAL OCEÂNICO: Com chuvas bem distribuídas durante o
ano devido as influências dos ventos úmidos trazidas do Oceano Atlântico.
IINFLUÊNCIA DO CLIMA
NO REGIME DOS RIOS
O Brasil possuí poucos lagos
A maioria encontra-se no litoral
Formados pelo depósito de sedimentos
e conhecidos como lagos de RESTINGA.
LAGOS NO BRASIL
CARACTERÍSTICAS GERAIS
DOS RIOS BRASILEIROS
Caudalosos de regime pluvial.
Perenes, exceto sertão nordestino.
Foz do tipo estuário em maior parte dos rios.
Predomínio de rios planálticos – hidrelétricas.
Pequena quantidade de lagos, geralmente de restingas.
Rios navegáveis afastados das regiões mais desenvolvidas
Predomínio de drenagem exorréica em direção ao Atlântico.
CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS
RIOS BRASILEIROS
59 % DO BRASIL É PLANALTO
Grande potencial hidrelétrico
APROVEITAMENTO DOS RIOS
41% DO BRASIL É PLANÍCIE
Rios utilizados para navegação
PRINCIPAIS BACIAS
HIDROGRÁFICAS BRASILEIRAS
AMAZÔNICABACIA
Maior bacia hidrográfica da Terra.
Rio principal: Amazonas
 Maior em volume e extensão.
 Rio com regime complexo.
 Foz do tipo mista.
 Domina uma extensa área de terras baixas.
 Maior potencial hidrelétrico do Brasil.
 Nasce na Cordilheira dos Andes e atravessa 7
países.
BACIA AMAZÔNICA
Hidrelétrica de Belo Monte, Rio
Xingu, no estado brasileiro do Pará.
HIDRELÉTRICA DE BELO MONTE
Ambientalistas falam que a sua
construção irá:
Reduzir o fluxo de água
Degradar a flora e fauna local
Causar impactos socioeconômicos
Inundar terras com a formação da represa
Afetar as comunidades tradicionais
SÃOFRANCISCO
BACIA
Nasce na Serra da Canastra – MG
Atravessa o semi-árido
Conhecido como:
Nilo Brasileiro, Rio da Unidade Nacional e Rio dos Currais.
Possui as principais hidrelétricas do nordeste:
Paulo Afonso, Sobradinho, Três Marias e Xingó.
BACIA DO SÃO FRANCISCO
SECA DA NASCENTE DO
RIO SÃO FRANCISCO
2014
Porém continua sendo um rio perene
abastecido pelos seus afluentes
TRANSPOSIÇÃO DO
SÃO FRANCISCO
O PROJETO CONSISTE:
Desviar o rio São Francisco levando água para
outras regiões do semi-árido nordestino.
TOCANTINSARAGUAIA
BACIA
BACIA TOCANTINS-ARAGUAIA
Maior bacia fluvial exclusivamente brasileira
Compartilha sua foz com o rio Amazonas:
Porém não é considerado seu afluente.
Usina Hidrelétrica de Tucuruí:
2ª maior hidrelétrica do Brasil.
No Araguaia, está a ilha do Bananal:
Maior ilha fluvial da Terra.
PARANÁBACIA
BACIA DO RIO PARANÁ
Bacia tipicamente de planalto.
Possui alto potencial hidrelétrico.
Localizada em uma área densamente povoada.
Encontramos a binacional Itaipu (Brasil e Paraguai).
BACIA DO PRATA
COMPOSTA PELOS RIOS:
Paraná
Paraguai
Uruguai
Estendendo-se por 4 países da
América do Sul.
Permite:
O transporte de cargas e de passageiros
HIDROVIA TIETÊ - PARANÁ
Um sistema de eclusas viabiliza a passagem pelos desníveis do terreno
Data: 2013
PARAPAPAPAPAPAPAPAPA
PAPARAPAPARAPAPARA
PARAPAPAPAPAPAPAPAPA CLACK BUM
PAPARAPAPARAPAPARA
A HIDROGRAFIA É RUIM DE ESTUDAR
MAS CAI NA MINHA PROVA E EU NÃO QUERO ME FERRAR
BACIAS DE PLANALTO SÃO FRANCISCO E PARANÁ
ENERGIA ELÉTRICA NÓS VAMOS EXPLORAR
MAS MEU DEUS DO CÉU EU QUERO É NAVEGAR
ENTÃO VAI NA PARAGUAI RIO AMAZONAS E URUGUAI
TOCANTINS-ARAGUAIA, MAS QUE IMENSIDÃO
TOTALMENTE BRASILEIRA NÃO TEM PRA NINGUÉM
FUNK
MC CIDINHO E DOCA – RAP DAS ARMAS
Siga-nos para você ir longe
FACEBOOK
https://www.facebook.com/LinguagemGeografica?ref=bookmarks
TWITTER
https://twitter.com/LinguagemGeog
BLOG
http://www.linguagemgeografica.blogspot.com.br/
GOOGLE+
https://plus.google.com/117942161243326203545/posts
E-MAIL
linguagemgeografica@gmail.com

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Fontes de Energia [8 ano]
Fontes de Energia [8 ano] Fontes de Energia [8 ano]
Fontes de Energia [8 ano]
Vivian Reis
 
Relevo
RelevoRelevo
Fontes de Energia
Fontes de EnergiaFontes de Energia
Fontes de Energia
Rodrigo Pavesi
 
Aula 7º ano - Os cinco reinos dos seres vivos/ Reino Monera
Aula 7º ano - Os cinco reinos dos seres vivos/ Reino MoneraAula 7º ano - Os cinco reinos dos seres vivos/ Reino Monera
Aula 7º ano - Os cinco reinos dos seres vivos/ Reino Monera
Leonardo Kaplan
 
Aula 6º ano - Estrutura do planeta Terra, rochas e solos
Aula 6º ano - Estrutura do planeta Terra, rochas e solosAula 6º ano - Estrutura do planeta Terra, rochas e solos
Aula 6º ano - Estrutura do planeta Terra, rochas e solos
Leonardo Kaplan
 
Sistema respiratório 8º ano
Sistema respiratório 8º anoSistema respiratório 8º ano
Sistema respiratório 8º ano
rdsantos
 
Tigres Asiáticos e Japão
Tigres Asiáticos e JapãoTigres Asiáticos e Japão
Tigres Asiáticos e Japão
Prof. Francesco Torres
 
Impactos ambientais causas e consequências
Impactos ambientais causas e consequênciasImpactos ambientais causas e consequências
Impactos ambientais causas e consequências
Charlles Moreira
 
Principais formas de relevo e os Relevos do Brasil.
Principais formas de relevo e os Relevos do Brasil.Principais formas de relevo e os Relevos do Brasil.
Principais formas de relevo e os Relevos do Brasil.
Lara Lídia
 
Biomas Brasileiros
Biomas Brasileiros Biomas Brasileiros
Biomas Brasileiros
Leandro A. Machado de Moura
 
I.2 O sistema solar
I.2 O sistema solarI.2 O sistema solar
I.2 O sistema solar
Rebeca Vale
 
População brasileira
População brasileiraPopulação brasileira
População brasileira
Prof. Francesco Torres
 
PLANO DE AULA História dos Meus Ancestrais.docx
PLANO DE AULA História dos Meus Ancestrais.docxPLANO DE AULA História dos Meus Ancestrais.docx
PLANO DE AULA História dos Meus Ancestrais.docx
IvanaAlves18
 
Matriz energética
Matriz energéticaMatriz energética
Matriz energética
Roney Gusmão
 
Migraçoes
MigraçoesMigraçoes
Fontes de energia
Fontes de energiaFontes de energia
Fontes de energia
Fernanda Lopes
 
Brasil: urbanização e principais problemas urbanos
Brasil: urbanização e principais problemas urbanosBrasil: urbanização e principais problemas urbanos
Brasil: urbanização e principais problemas urbanos
Deto - Geografia
 
Relevo Brasileiro
 Relevo Brasileiro Relevo Brasileiro
Relevo Brasileiro
Stéfano Silveira
 
Demografia, população mundial 2013
Demografia, população mundial 2013Demografia, população mundial 2013
Demografia, população mundial 2013
João José Ferreira Tojal
 
Climas da terra
Climas da terraClimas da terra
Climas da terra
Lilian Larroca
 

Mais procurados (20)

Fontes de Energia [8 ano]
Fontes de Energia [8 ano] Fontes de Energia [8 ano]
Fontes de Energia [8 ano]
 
Relevo
RelevoRelevo
Relevo
 
Fontes de Energia
Fontes de EnergiaFontes de Energia
Fontes de Energia
 
Aula 7º ano - Os cinco reinos dos seres vivos/ Reino Monera
Aula 7º ano - Os cinco reinos dos seres vivos/ Reino MoneraAula 7º ano - Os cinco reinos dos seres vivos/ Reino Monera
Aula 7º ano - Os cinco reinos dos seres vivos/ Reino Monera
 
Aula 6º ano - Estrutura do planeta Terra, rochas e solos
Aula 6º ano - Estrutura do planeta Terra, rochas e solosAula 6º ano - Estrutura do planeta Terra, rochas e solos
Aula 6º ano - Estrutura do planeta Terra, rochas e solos
 
Sistema respiratório 8º ano
Sistema respiratório 8º anoSistema respiratório 8º ano
Sistema respiratório 8º ano
 
Tigres Asiáticos e Japão
Tigres Asiáticos e JapãoTigres Asiáticos e Japão
Tigres Asiáticos e Japão
 
Impactos ambientais causas e consequências
Impactos ambientais causas e consequênciasImpactos ambientais causas e consequências
Impactos ambientais causas e consequências
 
Principais formas de relevo e os Relevos do Brasil.
Principais formas de relevo e os Relevos do Brasil.Principais formas de relevo e os Relevos do Brasil.
Principais formas de relevo e os Relevos do Brasil.
 
Biomas Brasileiros
Biomas Brasileiros Biomas Brasileiros
Biomas Brasileiros
 
I.2 O sistema solar
I.2 O sistema solarI.2 O sistema solar
I.2 O sistema solar
 
População brasileira
População brasileiraPopulação brasileira
População brasileira
 
PLANO DE AULA História dos Meus Ancestrais.docx
PLANO DE AULA História dos Meus Ancestrais.docxPLANO DE AULA História dos Meus Ancestrais.docx
PLANO DE AULA História dos Meus Ancestrais.docx
 
Matriz energética
Matriz energéticaMatriz energética
Matriz energética
 
Migraçoes
MigraçoesMigraçoes
Migraçoes
 
Fontes de energia
Fontes de energiaFontes de energia
Fontes de energia
 
Brasil: urbanização e principais problemas urbanos
Brasil: urbanização e principais problemas urbanosBrasil: urbanização e principais problemas urbanos
Brasil: urbanização e principais problemas urbanos
 
Relevo Brasileiro
 Relevo Brasileiro Relevo Brasileiro
Relevo Brasileiro
 
Demografia, população mundial 2013
Demografia, população mundial 2013Demografia, população mundial 2013
Demografia, população mundial 2013
 
Climas da terra
Climas da terraClimas da terra
Climas da terra
 

Destaque

Brasil - Climas
Brasil - ClimasBrasil - Climas
Brasil - Climas
Linguagem Geográfica
 
Tipos de Rochas - Magmática, Sedimentares e Metamórficas
Tipos de Rochas  -  Magmática, Sedimentares e MetamórficasTipos de Rochas  -  Magmática, Sedimentares e Metamórficas
Tipos de Rochas - Magmática, Sedimentares e Metamórficas
Linguagem Geográfica
 
Mapa - Atividade Coordenadas Geográficas
Mapa - Atividade Coordenadas GeográficasMapa - Atividade Coordenadas Geográficas
Mapa - Atividade Coordenadas Geográficas
Linguagem Geográfica
 
Coordenadas Geográficas e Localização
Coordenadas Geográficas e LocalizaçãoCoordenadas Geográficas e Localização
Coordenadas Geográficas e Localização
Linguagem Geográfica
 
Escalas Cartográficas e Exercícios
Escalas Cartográficas e ExercíciosEscalas Cartográficas e Exercícios
Escalas Cartográficas e Exercícios
Linguagem Geográfica
 
Atividade - A História Das Coisas
Atividade  - A História Das CoisasAtividade  - A História Das Coisas
Atividade - A História Das Coisas
Linguagem Geográfica
 
Fuso Horário
Fuso HorárioFuso Horário
Fuso Horário
Linguagem Geográfica
 
Atividade - Coordenadas Geográficas
Atividade - Coordenadas GeográficasAtividade - Coordenadas Geográficas
Atividade - Coordenadas Geográficas
Linguagem Geográfica
 
Características da Agricultura e Pecuária
Características da Agricultura e PecuáriaCaracterísticas da Agricultura e Pecuária
Características da Agricultura e Pecuária
Linguagem Geográfica
 
Globalização: a evolução dos video games
Globalização: a evolução dos video gamesGlobalização: a evolução dos video games
Globalização: a evolução dos video games
Linguagem Geográfica
 

Destaque (10)

Brasil - Climas
Brasil - ClimasBrasil - Climas
Brasil - Climas
 
Tipos de Rochas - Magmática, Sedimentares e Metamórficas
Tipos de Rochas  -  Magmática, Sedimentares e MetamórficasTipos de Rochas  -  Magmática, Sedimentares e Metamórficas
Tipos de Rochas - Magmática, Sedimentares e Metamórficas
 
Mapa - Atividade Coordenadas Geográficas
Mapa - Atividade Coordenadas GeográficasMapa - Atividade Coordenadas Geográficas
Mapa - Atividade Coordenadas Geográficas
 
Coordenadas Geográficas e Localização
Coordenadas Geográficas e LocalizaçãoCoordenadas Geográficas e Localização
Coordenadas Geográficas e Localização
 
Escalas Cartográficas e Exercícios
Escalas Cartográficas e ExercíciosEscalas Cartográficas e Exercícios
Escalas Cartográficas e Exercícios
 
Atividade - A História Das Coisas
Atividade  - A História Das CoisasAtividade  - A História Das Coisas
Atividade - A História Das Coisas
 
Fuso Horário
Fuso HorárioFuso Horário
Fuso Horário
 
Atividade - Coordenadas Geográficas
Atividade - Coordenadas GeográficasAtividade - Coordenadas Geográficas
Atividade - Coordenadas Geográficas
 
Características da Agricultura e Pecuária
Características da Agricultura e PecuáriaCaracterísticas da Agricultura e Pecuária
Características da Agricultura e Pecuária
 
Globalização: a evolução dos video games
Globalização: a evolução dos video gamesGlobalização: a evolução dos video games
Globalização: a evolução dos video games
 

Semelhante a Brasil Hidrografia

Bacias hidrogrficas do brasil
Bacias hidrogrficas do brasilBacias hidrogrficas do brasil
Bacias hidrogrficas do brasil
Eponina Alencar
 
Bacias Hidrográficas
Bacias HidrográficasBacias Hidrográficas
Bacias Hidrográficas
Stéfano Silveira
 
Hidrografia do brasil
Hidrografia do brasilHidrografia do brasil
Hidrografia do brasil
rafaelescola412
 
áGuas continentais do brasil
áGuas continentais do brasiláGuas continentais do brasil
áGuas continentais do brasil
Wander Junior
 
Hidrografia no brasil
Hidrografia no brasilHidrografia no brasil
Hidrografia no brasil
Isabella Silva
 
2 ano medio 2 bimestre modulo 38 a 40 2013
2 ano medio 2 bimestre modulo 38 a 40 20132 ano medio 2 bimestre modulo 38 a 40 2013
2 ano medio 2 bimestre modulo 38 a 40 2013
Priscila Martins
 
Bacias_hidrograficas. Água no mundo. Tipos de drenagens;
Bacias_hidrograficas. Água no mundo. Tipos de drenagens;Bacias_hidrograficas. Água no mundo. Tipos de drenagens;
Bacias_hidrograficas. Água no mundo. Tipos de drenagens;
MARIAAPARECIDAALVESD27
 
Perfil hídrico brasileiro
Perfil hídrico brasileiroPerfil hídrico brasileiro
Perfil hídrico brasileiro
Professora Verônica Santos
 
Aspectos da hidrografia do brasil
Aspectos da hidrografia do brasilAspectos da hidrografia do brasil
Aspectos da hidrografia do brasil
Paulo Orlando
 
Cpm geo - bacias hidrográficas 00
Cpm   geo - bacias hidrográficas 00Cpm   geo - bacias hidrográficas 00
Cpm geo - bacias hidrográficas 00
Jakson Raphael Pereira Barbosa
 
Introdução Dissertativa - Estatísticas
Introdução Dissertativa - EstatísticasIntrodução Dissertativa - Estatísticas
Introdução Dissertativa - Estatísticas
Dário Melo
 
Geografia do Brasil
Geografia do BrasilGeografia do Brasil
Geografia do Brasil
Dário Melo
 
Bacia do são francisco
Bacia do são franciscoBacia do são francisco
Bacia do são francisco
Marcos Paulo
 
BACIAS HIDROGRÁFICAS - Geografia 2 - Ensino remoto
BACIAS HIDROGRÁFICAS - Geografia 2 - Ensino remotoBACIAS HIDROGRÁFICAS - Geografia 2 - Ensino remoto
BACIAS HIDROGRÁFICAS - Geografia 2 - Ensino remoto
sw4kfysgx7
 
Hidrografia
HidrografiaHidrografia
Hidrografia
Amadeu Neto
 
Geografia do Brasil
Geografia do BrasilGeografia do Brasil
Geografia do Brasil
Jediael Gonçalves
 
Aula 4: Bacias Hidrográficas Brasileiras
Aula 4: Bacias Hidrográficas Brasileiras  Aula 4: Bacias Hidrográficas Brasileiras
Aula 4: Bacias Hidrográficas Brasileiras
Geisa Andrade
 
Bacia Hidrográfica do São Francisco
Bacia Hidrográfica do São FranciscoBacia Hidrográfica do São Francisco
Bacia Hidrográfica do São Francisco
Naira Delazari
 
Material complementar hidrografia
Material complementar hidrografiaMaterial complementar hidrografia
Material complementar hidrografia
flaviocosac
 
recursos hídricos, geografia
recursos hídricos, geografiarecursos hídricos, geografia
recursos hídricos, geografia
Nilton Goulart
 

Semelhante a Brasil Hidrografia (20)

Bacias hidrogrficas do brasil
Bacias hidrogrficas do brasilBacias hidrogrficas do brasil
Bacias hidrogrficas do brasil
 
Bacias Hidrográficas
Bacias HidrográficasBacias Hidrográficas
Bacias Hidrográficas
 
Hidrografia do brasil
Hidrografia do brasilHidrografia do brasil
Hidrografia do brasil
 
áGuas continentais do brasil
áGuas continentais do brasiláGuas continentais do brasil
áGuas continentais do brasil
 
Hidrografia no brasil
Hidrografia no brasilHidrografia no brasil
Hidrografia no brasil
 
2 ano medio 2 bimestre modulo 38 a 40 2013
2 ano medio 2 bimestre modulo 38 a 40 20132 ano medio 2 bimestre modulo 38 a 40 2013
2 ano medio 2 bimestre modulo 38 a 40 2013
 
Bacias_hidrograficas. Água no mundo. Tipos de drenagens;
Bacias_hidrograficas. Água no mundo. Tipos de drenagens;Bacias_hidrograficas. Água no mundo. Tipos de drenagens;
Bacias_hidrograficas. Água no mundo. Tipos de drenagens;
 
Perfil hídrico brasileiro
Perfil hídrico brasileiroPerfil hídrico brasileiro
Perfil hídrico brasileiro
 
Aspectos da hidrografia do brasil
Aspectos da hidrografia do brasilAspectos da hidrografia do brasil
Aspectos da hidrografia do brasil
 
Cpm geo - bacias hidrográficas 00
Cpm   geo - bacias hidrográficas 00Cpm   geo - bacias hidrográficas 00
Cpm geo - bacias hidrográficas 00
 
Introdução Dissertativa - Estatísticas
Introdução Dissertativa - EstatísticasIntrodução Dissertativa - Estatísticas
Introdução Dissertativa - Estatísticas
 
Geografia do Brasil
Geografia do BrasilGeografia do Brasil
Geografia do Brasil
 
Bacia do são francisco
Bacia do são franciscoBacia do são francisco
Bacia do são francisco
 
BACIAS HIDROGRÁFICAS - Geografia 2 - Ensino remoto
BACIAS HIDROGRÁFICAS - Geografia 2 - Ensino remotoBACIAS HIDROGRÁFICAS - Geografia 2 - Ensino remoto
BACIAS HIDROGRÁFICAS - Geografia 2 - Ensino remoto
 
Hidrografia
HidrografiaHidrografia
Hidrografia
 
Geografia do Brasil
Geografia do BrasilGeografia do Brasil
Geografia do Brasil
 
Aula 4: Bacias Hidrográficas Brasileiras
Aula 4: Bacias Hidrográficas Brasileiras  Aula 4: Bacias Hidrográficas Brasileiras
Aula 4: Bacias Hidrográficas Brasileiras
 
Bacia Hidrográfica do São Francisco
Bacia Hidrográfica do São FranciscoBacia Hidrográfica do São Francisco
Bacia Hidrográfica do São Francisco
 
Material complementar hidrografia
Material complementar hidrografiaMaterial complementar hidrografia
Material complementar hidrografia
 
recursos hídricos, geografia
recursos hídricos, geografiarecursos hídricos, geografia
recursos hídricos, geografia
 

Mais de Linguagem Geográfica

Original as tiras_da_mafalda_-_6ª_parte
Original as tiras_da_mafalda_-_6ª_parteOriginal as tiras_da_mafalda_-_6ª_parte
Original as tiras_da_mafalda_-_6ª_parte
Linguagem Geográfica
 
Original as tiras_da_mafalda_-_5ª_parte
Original as tiras_da_mafalda_-_5ª_parteOriginal as tiras_da_mafalda_-_5ª_parte
Original as tiras_da_mafalda_-_5ª_parte
Linguagem Geográfica
 
Original as tiras_da_mafalda_-_4ª_parte
Original as tiras_da_mafalda_-_4ª_parteOriginal as tiras_da_mafalda_-_4ª_parte
Original as tiras_da_mafalda_-_4ª_parte
Linguagem Geográfica
 
Original as tiras_da_mafalda_-_3ª_parte
Original as tiras_da_mafalda_-_3ª_parteOriginal as tiras_da_mafalda_-_3ª_parte
Original as tiras_da_mafalda_-_3ª_parte
Linguagem Geográfica
 
Original as tiras_da_mafalda_-_2ª_parte
Original as tiras_da_mafalda_-_2ª_parteOriginal as tiras_da_mafalda_-_2ª_parte
Original as tiras_da_mafalda_-_2ª_parte
Linguagem Geográfica
 
Original as tiras_da_mafalda_-_1ª_parte
Original as tiras_da_mafalda_-_1ª_parteOriginal as tiras_da_mafalda_-_1ª_parte
Original as tiras_da_mafalda_-_1ª_parte
Linguagem Geográfica
 
Questionário - A História Das Coisas
Questionário - A História Das CoisasQuestionário - A História Das Coisas
Questionário - A História Das Coisas
Linguagem Geográfica
 

Mais de Linguagem Geográfica (7)

Original as tiras_da_mafalda_-_6ª_parte
Original as tiras_da_mafalda_-_6ª_parteOriginal as tiras_da_mafalda_-_6ª_parte
Original as tiras_da_mafalda_-_6ª_parte
 
Original as tiras_da_mafalda_-_5ª_parte
Original as tiras_da_mafalda_-_5ª_parteOriginal as tiras_da_mafalda_-_5ª_parte
Original as tiras_da_mafalda_-_5ª_parte
 
Original as tiras_da_mafalda_-_4ª_parte
Original as tiras_da_mafalda_-_4ª_parteOriginal as tiras_da_mafalda_-_4ª_parte
Original as tiras_da_mafalda_-_4ª_parte
 
Original as tiras_da_mafalda_-_3ª_parte
Original as tiras_da_mafalda_-_3ª_parteOriginal as tiras_da_mafalda_-_3ª_parte
Original as tiras_da_mafalda_-_3ª_parte
 
Original as tiras_da_mafalda_-_2ª_parte
Original as tiras_da_mafalda_-_2ª_parteOriginal as tiras_da_mafalda_-_2ª_parte
Original as tiras_da_mafalda_-_2ª_parte
 
Original as tiras_da_mafalda_-_1ª_parte
Original as tiras_da_mafalda_-_1ª_parteOriginal as tiras_da_mafalda_-_1ª_parte
Original as tiras_da_mafalda_-_1ª_parte
 
Questionário - A História Das Coisas
Questionário - A História Das CoisasQuestionário - A História Das Coisas
Questionário - A História Das Coisas
 

Último

Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert EinsteinA Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
WelberMerlinCardoso
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 

Último (20)

Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert EinsteinA Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 

Brasil Hidrografia

  • 1. BRASIL HIDROGRAFIA Elaborado e produzido por: Prof. Luiz Fernando Wisniewski lfw.geografia@gmail.com Prof. Lawrence Mayer Malanski law.malanski@gmail.com
  • 2. - O que é uma Bacia Hidrográfica ? - Tipos de Bacias Hidrográficas - Divisores de águas dos rios brasileiros - Características dos rios - Aproveitamento dos rios - Bacia Amazônica Hidrelétrica de Belo Monte - Bacia do São Francisco -Transposição do São Francisco - Bacia do Tocantins –Araguaia - Bacia do Rio Paraná Bacia do Prata Hidrovia Tietê - Paraná ESQUEMA DA AULA - Elementos de um rio - Fases dos rios - Tipos de drenagens -Foz ou Desembocadura - Vazão de um rio - Regime dos rios - Influência do clima - Lagos no Brasil
  • 4. BACIA HIDROGRÁFICA É uma área drenada por: UM RIO PRINCIPAL SEUS AFLUENTES E SUBAFLUENTES
  • 5. INDEPENDENTES: Apresentam a estrutura típica de bacia hidrográfica: Rio principal, afluentes e subafluentes. SECUNDÁRIAS: Conjunto de pequenas bacias agrupadas. TIPOS DE BACIAS HIDROGRÁFICAS
  • 7. Planalto das Guianas O Planalto Brasileiro Cordilheira dos Andes DIVISORES DE ÁGUAS DOS RIOS BRASILEIROS
  • 8. OS RIOS SEUS ELEMENTOS E CARACTERÍSTICAS
  • 10. Fase de juventude: Nascentes em lugares altos e produzem forte erosão vertical. Vales em forma de V. Fase de Maturidade: Traçado plano e velocidade das águas constante, equilíbrio entre sedimentação e erosão. Fase de Velhice: Traçado definido pelo trabalho de sedimentação, forma meandros que diminuem a velocidade das águas. Os rios podem sofrer processo de rejuvenescimento, que ocorre por um soerguimento do relevo ou, ainda, por um grande aumento na precipitação na nascente. FASES DOS RIOS
  • 11. ARRÉICA: Os rios que tem toda sua água infiltrada pelo solo ou evaporada. TIPOS DE DRENAGENS ENDORRÉICA: Os rios que deságuam em outros rios ou lagos. EXORRÉICA: Os rios que deságuam em mares e oceanos.
  • 13.  INTERMITENTES: Durante os períodos de estiagem reduzem seu volume ou secam.  PERENES: Rios que nunca secam. Paulo Afonso- Rio São Francisco QUANTO A SUA VAZÃO Rio do Sertão Nordestino POR QUE O RIO SÃO FRANCISCO PASSA PELO SERTÃO PORÉM NÃO SECA ?
  • 14.  Pluvial: Depende das precipitações (Chuvas).  Nival: Derretimento da neve das montanhas. Nascente do Rio Amazonas - Nival Abastecido em seu trajeto pelas chuvas REGIME DOS RIOS O REGIME DO RIO AMAZONAS É CONHECIDO COMO MISTO
  • 15. CLIMA EQUATORIAL: Altos índices pluviométricos. TROPICAL TÍPICO: Uma estação chuvosa concentrada no verão e a seca nas outras estações. SUBTROPICAL: Chuvas bem distribuídas o ano inteiro. TROPICAL SEMIÁRIDO: Chuvas irregulares. TROPICAL OCEÂNICO: Com chuvas bem distribuídas durante o ano devido as influências dos ventos úmidos trazidas do Oceano Atlântico. IINFLUÊNCIA DO CLIMA NO REGIME DOS RIOS
  • 16. O Brasil possuí poucos lagos A maioria encontra-se no litoral Formados pelo depósito de sedimentos e conhecidos como lagos de RESTINGA. LAGOS NO BRASIL
  • 18. Caudalosos de regime pluvial. Perenes, exceto sertão nordestino. Foz do tipo estuário em maior parte dos rios. Predomínio de rios planálticos – hidrelétricas. Pequena quantidade de lagos, geralmente de restingas. Rios navegáveis afastados das regiões mais desenvolvidas Predomínio de drenagem exorréica em direção ao Atlântico. CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS RIOS BRASILEIROS
  • 19. 59 % DO BRASIL É PLANALTO Grande potencial hidrelétrico APROVEITAMENTO DOS RIOS 41% DO BRASIL É PLANÍCIE Rios utilizados para navegação
  • 22. Maior bacia hidrográfica da Terra. Rio principal: Amazonas  Maior em volume e extensão.  Rio com regime complexo.  Foz do tipo mista.  Domina uma extensa área de terras baixas.  Maior potencial hidrelétrico do Brasil.  Nasce na Cordilheira dos Andes e atravessa 7 países. BACIA AMAZÔNICA
  • 23. Hidrelétrica de Belo Monte, Rio Xingu, no estado brasileiro do Pará. HIDRELÉTRICA DE BELO MONTE Ambientalistas falam que a sua construção irá: Reduzir o fluxo de água Degradar a flora e fauna local Causar impactos socioeconômicos Inundar terras com a formação da represa Afetar as comunidades tradicionais
  • 25. Nasce na Serra da Canastra – MG Atravessa o semi-árido Conhecido como: Nilo Brasileiro, Rio da Unidade Nacional e Rio dos Currais. Possui as principais hidrelétricas do nordeste: Paulo Afonso, Sobradinho, Três Marias e Xingó. BACIA DO SÃO FRANCISCO
  • 26. SECA DA NASCENTE DO RIO SÃO FRANCISCO 2014 Porém continua sendo um rio perene abastecido pelos seus afluentes
  • 27. TRANSPOSIÇÃO DO SÃO FRANCISCO O PROJETO CONSISTE: Desviar o rio São Francisco levando água para outras regiões do semi-árido nordestino.
  • 29. BACIA TOCANTINS-ARAGUAIA Maior bacia fluvial exclusivamente brasileira Compartilha sua foz com o rio Amazonas: Porém não é considerado seu afluente. Usina Hidrelétrica de Tucuruí: 2ª maior hidrelétrica do Brasil. No Araguaia, está a ilha do Bananal: Maior ilha fluvial da Terra.
  • 31. BACIA DO RIO PARANÁ Bacia tipicamente de planalto. Possui alto potencial hidrelétrico. Localizada em uma área densamente povoada. Encontramos a binacional Itaipu (Brasil e Paraguai).
  • 32. BACIA DO PRATA COMPOSTA PELOS RIOS: Paraná Paraguai Uruguai Estendendo-se por 4 países da América do Sul.
  • 33. Permite: O transporte de cargas e de passageiros HIDROVIA TIETÊ - PARANÁ Um sistema de eclusas viabiliza a passagem pelos desníveis do terreno Data: 2013
  • 34. PARAPAPAPAPAPAPAPAPA PAPARAPAPARAPAPARA PARAPAPAPAPAPAPAPAPA CLACK BUM PAPARAPAPARAPAPARA A HIDROGRAFIA É RUIM DE ESTUDAR MAS CAI NA MINHA PROVA E EU NÃO QUERO ME FERRAR BACIAS DE PLANALTO SÃO FRANCISCO E PARANÁ ENERGIA ELÉTRICA NÓS VAMOS EXPLORAR MAS MEU DEUS DO CÉU EU QUERO É NAVEGAR ENTÃO VAI NA PARAGUAI RIO AMAZONAS E URUGUAI TOCANTINS-ARAGUAIA, MAS QUE IMENSIDÃO TOTALMENTE BRASILEIRA NÃO TEM PRA NINGUÉM FUNK MC CIDINHO E DOCA – RAP DAS ARMAS
  • 35. Siga-nos para você ir longe FACEBOOK https://www.facebook.com/LinguagemGeografica?ref=bookmarks TWITTER https://twitter.com/LinguagemGeog BLOG http://www.linguagemgeografica.blogspot.com.br/ GOOGLE+ https://plus.google.com/117942161243326203545/posts E-MAIL linguagemgeografica@gmail.com

Notas do Editor

  1. Pois sua nascente se encontra na região Sudeste onde o clima é o Tropical.