Universidade Federal do Espírito Santo – UFES
Centro de Ciências Agrárias – CCA
Programa de Pós-graduação em Produção Vege...
Introdução
 Sétimo elemento da crosta terrestre em
quantidade;
 Exigência: N > K > P;
 O K é um dos nutrientes mais abu...
Formas de potássio no solo
 Potássio Total
 Potássio Estrutural
 Potássio Trocável
 Potássio Não-trocável
 Potássio F...
Formas de potássio no solo
a) Potássio total
-

Somatório de todas as formas de K em determinado
solo.

b) Potássio Estrut...
Minerais primários que contêm potássio

Ortoclásio (Até 17%)

Biotita (6 a 10%)

Muscovita (7 a 11% de K20)
Minerais secundários que contêm potássio

Vermiculita
Ilita
Formas de potássio no solo
c) Potássio Trocável (Fator Q)
-

Fração de K ligada ás cargas negativas;
Fonte de maior intere...
Formas de potássio no solo
d) Potássio Não-trocável (estrutural + fixado)
-

Teor extraído do solo por uma solução de ácid...
Formas de potássio no solo
e) Potássio Fixado
-

Neutraliza as cargas negativas dos minerais;
Disponibilidade;
Ocorrência ...
Esquema ilustrativo da fixação de K nos minerais de
argila 2:1
Formas de potássio no solo
f) Potássio Precipitado
-

Precipitados;
Dependente do pH e da atividade na solução do
solo;
Ba...
Formas de potássio no solo
g) Potássio na Matéria Orgânica
-

Teor extremamente pequeno;
Não faz parte de nenhuma fração o...
Liberação acumulada de potássio durante a decomposição dos resíduos
culturais de plantas de cobertura, em Argissolo Vermel...
Dinâmica de potássio no solo
Funções do potássio na
planta
 Ativador enzimático;

 Atua na Regulação osmótica da planta;
 Regula a abertura e o fech...
Deficiência de potássio
Deficiência de potássio
Fertilizantes Potássicos
Cloreto de potássio - KCl
É o fertilizante potássico mais utilizado no
mundo;
Coloração: vermelho a branco;
Composição:...
Cloreto de potássio - KCl
Solução

K

CTC

Cl

Solução

Lixiviação !!!!
Sulfato de potássio – K2SO4
 É o segundo fertilizante potássico mais
utilizado no mundo;
 Muito utilizado no fumo e na b...
Sulfato de potássio – K2SO4
Solução

K

CTC

SO4

Solução

Lixiviação !!!!
Nitrato de Potássio– KNO3
 Fertilizante misto: 13% N e 44% K2O;
 Coloração: branco;
 Alto preço;
Adubo foliar.
Sulfato duplo de potássio e
magnésio – K2SO4.2MgSO4
 Fertilizante com baixa concentração de K;
- 22% de K2O;
- 11% de Mg;...
Fertilizantes Orgânicos
 Sempre presente;
 K de origem animal = K mineral;
 Cama de aves ( mais utilizado).
Teor de NP...
Produção de Fertilizantes
Potássicos
Dependências de Fertilizantes
Demanda Brasileira por nutrientes (milhões de
toneladas)
Consumo de adubos potássicos
Importação de fertilizantes potássicos

Pavinato (2012)
Reservas de potássio
Produção de potássio
Produção de potássio
Maior jazida de potássio do mundo;
(25-30% K2O);
950-1100 m, podendo atingir até > 3,500 m.
Produção de potássio - Canadá
Produção de potássio
Produção de potássio
Cloreto de potássio - KCl
Cloreto de potássio - KCl
Cloreto de potássio - KCl
Fontes Alternativas de K
Explotação de K
Explotação de K no Brasil
Projeto Carnalita
Teríamos outras fontes de K no Brasil,
alternativas a silvinita e carnalita?
Resp: Em principio
potencialidades.

não.

...
Minerais silicatados fontes de K
 Vantagens
Ampla ocorrência no território;
Teores consideráveis do elemento: até15%;
...
Micas
 Comum em rochas:


Metamóficas:

Xistos,

migmatitos

e

gnaisses;
Magmáticas: granitos e granitóides;
Sediment...
Micas
 Na substituição isomórfica do Si+4 pelo Al+3 –
neutralizado pela entrado do K nas entre
camadas.
 K das micas – e...
Feldspatos
 N substituição isomórfica do Si+4 pelo Al+3 –
principais cátions que neutralizam cargas (-):
Na, K, Ca ou Ba....


A liberação do K desses materiais e lenta

pois eles são pouco solúveis e depende,
principalmente da granulométria do m...
Xisto
Sienito Nefelínico
Fontes Potenciais de K
Fontes Potenciais de K


Serpentinitos, micaxistos, biotititos e
flogopitos, resíduos da mineração de
esmeralda de Campos...
Glauconita-verdete


Na maioria das regiões do país, há

materiais que são subprodutos da atividade de
mineração.



Atualmente destes subp...


Por outro lado, porque eles contêm

nutrientes que podem ser utilizados para
fertilização transformando-as em materiais...


Objetivou-se com este trabalho comparar

os efeitos da adição de resíduos industriais,
em dois tipos de manejo, sobre a...
MATERIAL E MÉTODOS


O experimento foi conduzido em área de
pastagem degradada localizada no distrito de
Rive, Alegre – E...
MATERIAL E MÉTODOS
O experimento foi disposto em DBC, com
três repetições.





NC (Prezotti et al., 2007).


PRNT (cal...
MATERIAL E MÉTODOS


O primeiro corte da parte aérea da gramínea foi
realizado após 50 dias da germinação das sementes,
s...
RESULTADOS E DISCUSSÃO
RESULTADOS E DISCUSSÃO
CONCLUSÕES

Os teores foliares e o conteúdo de Ca e Mg não
foram influenciado pelos tratamentos estudados;

Com exceção ...
Fontes alternativa de K


As cinzas também são utilizadas com fonte

alternativa de k pelos produtores dedicados a
agricu...
Novas tecnologias no uso da
vinhaça


O emprego da vinhaça como fertirrigação

para a cana-de-açúcar, merece destaque
nac...
Novas tecnologias no uso da vinhaça
•Perguntas ???
Fertilidade do solo   potássio
Fertilidade do solo   potássio
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Fertilidade do solo potássio

5.911 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

Fertilidade do solo potássio

  1. 1. Universidade Federal do Espírito Santo – UFES Centro de Ciências Agrárias – CCA Programa de Pós-graduação em Produção Vegetal Fertilidade do Solo Potássio-k Eng° Agr° Lindomar de Souza Machado Eng° Agr° Luan Peroni Venancio Eng° Agr° Vinícius José Ribeiro
  2. 2. Introdução  Sétimo elemento da crosta terrestre em quantidade;  Exigência: N > K > P;  O K é um dos nutrientes mais abundantes nos solos (0,3 a 30 g kg-1);  Maior parte nas estruturas dos minerais.
  3. 3. Formas de potássio no solo  Potássio Total  Potássio Estrutural  Potássio Trocável  Potássio Não-trocável  Potássio Fixado  Potássio Precipitado  Potássio na Matéria Orgânica  Potássio na Solução do Solo
  4. 4. Formas de potássio no solo a) Potássio total - Somatório de todas as formas de K em determinado solo. b) Potássio Estrutural - Maior representante (90 – 98%); Intemperismo; Suprimento a médio e longo prazo.
  5. 5. Minerais primários que contêm potássio Ortoclásio (Até 17%) Biotita (6 a 10%) Muscovita (7 a 11% de K20)
  6. 6. Minerais secundários que contêm potássio Vermiculita Ilita
  7. 7. Formas de potássio no solo c) Potássio Trocável (Fator Q) - Fração de K ligada ás cargas negativas; Fonte de maior interesse para a nutrição vegetal; 1 a 8% do K do solo.
  8. 8. Formas de potássio no solo d) Potássio Não-trocável (estrutural + fixado) - Teor extraído do solo por uma solução de ácido nítrico fervente, subtraída daquela extraída pelo acetato de amônio ( K trocável). K trocável K não trocável
  9. 9. Formas de potássio no solo e) Potássio Fixado - Neutraliza as cargas negativas dos minerais; Disponibilidade; Ocorrência em solos temperados. Minerais com possibilidade de fixar potássio: Montmorilonita < Mica Hidratada (Ilita) < Vermiculita 
  10. 10. Esquema ilustrativo da fixação de K nos minerais de argila 2:1
  11. 11. Formas de potássio no solo f) Potássio Precipitado - Precipitados; Dependente do pH e da atividade na solução do solo; Baixa participação.
  12. 12. Formas de potássio no solo g) Potássio na Matéria Orgânica - Teor extremamente pequeno; Não faz parte de nenhuma fração orgânica abiótica do solo; Húmus ( carga negativa). h) Potássio na Solução do Solo (Fator I) - Prontamente disponível para as plantas (0,1 a 0,2%); < [20 mg l-1]; Reposição.
  13. 13. Liberação acumulada de potássio durante a decomposição dos resíduos culturais de plantas de cobertura, em Argissolo Vermelho distrófico arênico, de Santa Maria, RS, durante o período de 182 dias após a coleta de amostra de parte aérea no estádio de florescimento.
  14. 14. Dinâmica de potássio no solo
  15. 15. Funções do potássio na planta  Ativador enzimático;  Atua na Regulação osmótica da planta;  Regula a abertura e o fechamento dos estômatos;  Importante para a qualidade dos frutos;  Transporte dos carboidratos.
  16. 16. Deficiência de potássio
  17. 17. Deficiência de potássio
  18. 18. Fertilizantes Potássicos
  19. 19. Cloreto de potássio - KCl É o fertilizante potássico mais utilizado no mundo; Coloração: vermelho a branco; Composição: 60% K2O (50% de K) e 47% Cl; Elevado índice salino.
  20. 20. Cloreto de potássio - KCl Solução K CTC Cl Solução Lixiviação !!!!
  21. 21. Sulfato de potássio – K2SO4  É o segundo fertilizante potássico mais utilizado no mundo;  Muito utilizado no fumo e na batatinha; Coloração: branco; Composição: 50% K2O (41% de K) e 17% S;  Índice salino menor que o KCl.
  22. 22. Sulfato de potássio – K2SO4 Solução K CTC SO4 Solução Lixiviação !!!!
  23. 23. Nitrato de Potássio– KNO3  Fertilizante misto: 13% N e 44% K2O;  Coloração: branco;  Alto preço; Adubo foliar.
  24. 24. Sulfato duplo de potássio e magnésio – K2SO4.2MgSO4  Fertilizante com baixa concentração de K; - 22% de K2O; - 11% de Mg; - 22% de S;  Culturas sensíveis ao cloreto;  Coloração: branco.
  25. 25. Fertilizantes Orgânicos  Sempre presente;  K de origem animal = K mineral;  Cama de aves ( mais utilizado). Teor de NPK – 1 a 4%;
  26. 26. Produção de Fertilizantes Potássicos
  27. 27. Dependências de Fertilizantes
  28. 28. Demanda Brasileira por nutrientes (milhões de toneladas)
  29. 29. Consumo de adubos potássicos
  30. 30. Importação de fertilizantes potássicos Pavinato (2012)
  31. 31. Reservas de potássio
  32. 32. Produção de potássio
  33. 33. Produção de potássio Maior jazida de potássio do mundo; (25-30% K2O); 950-1100 m, podendo atingir até > 3,500 m.
  34. 34. Produção de potássio - Canadá
  35. 35. Produção de potássio
  36. 36. Produção de potássio
  37. 37. Cloreto de potássio - KCl
  38. 38. Cloreto de potássio - KCl
  39. 39. Cloreto de potássio - KCl
  40. 40. Fontes Alternativas de K
  41. 41. Explotação de K
  42. 42. Explotação de K no Brasil
  43. 43. Projeto Carnalita
  44. 44. Teríamos outras fontes de K no Brasil, alternativas a silvinita e carnalita? Resp: Em principio potencialidades. não. Porem com Minerais silicatados – Glauconitas, illitas, feldspatos, muscovitas eleucitas.
  45. 45. Minerais silicatados fontes de K  Vantagens Ampla ocorrência no território; Teores consideráveis do elemento: até15%; Não são fontes de K atualmente, nem possuem outras utilidades.  Desvantagem Insolubilidade em água; Estruturas não sã rompidas facilmente.
  46. 46. Micas  Comum em rochas:  Metamóficas: Xistos, migmatitos e gnaisses; Magmáticas: granitos e granitóides; Sedimentares: siltitos, argilitos e
  47. 47. Micas  Na substituição isomórfica do Si+4 pelo Al+3 – neutralizado pela entrado do K nas entre camadas.  K das micas – estrutural.
  48. 48. Feldspatos  N substituição isomórfica do Si+4 pelo Al+3 – principais cátions que neutralizam cargas (-): Na, K, Ca ou Ba.  Ortoclásio, microclina e sanidina – feldspatos potássicos mais comuns.  10 a 20% de K2O.
  49. 49.  A liberação do K desses materiais e lenta pois eles são pouco solúveis e depende, principalmente da granulométria do material, do tipo de material presente na acidez do solo.
  50. 50. Xisto
  51. 51. Sienito Nefelínico
  52. 52. Fontes Potenciais de K
  53. 53. Fontes Potenciais de K  Serpentinitos, micaxistos, biotititos e flogopitos, resíduos da mineração de esmeralda de Campos Verdes (GO), Itabirito/Nova Era (MG) e Campo Formoso (BA) (Lopes, 2012).  Fonolito (13 % de K2O), ritmito (8 % de K2O), granito (5 % de K2O) (DNPM, 2012).
  54. 54. Glauconita-verdete
  55. 55.  Na maioria das regiões do país, há materiais que são subprodutos da atividade de mineração.  Atualmente destes subprodutos na maior parte destas regiões, são considerados um passivo ambiental se não for utilizado.
  56. 56.  Por outro lado, porque eles contêm nutrientes que podem ser utilizados para fertilização transformando-as em materiais importantes.  A viabilidade da sua utilização dependerá principalmente a distância entre o local de transporte para o local de aplicação.
  57. 57.  Objetivou-se com este trabalho comparar os efeitos da adição de resíduos industriais, em dois tipos de manejo, sobre a nutrição de Brachiaria brizantha cv. Marandu.
  58. 58. MATERIAL E MÉTODOS  O experimento foi conduzido em área de pastagem degradada localizada no distrito de Rive, Alegre – ES.  Realizou-se um experimento seguindo um esquema fatorial 5 x 2, sendo quatro materiais corretivos: calcário; resíduo de mármore; resíduo de mármore + 25 % de resíduo de granito (pp); resíduo de mármore + 50 % de resíduo de granito (pp); testemunha; e duas formas de manejo: com incorporação (I) e sem incorporação (N) dos materiais ao solo.
  59. 59. MATERIAL E MÉTODOS O experimento foi disposto em DBC, com três repetições.   NC (Prezotti et al., 2007).  PRNT (calcário = 96%; mármore = 86,37%), incorporação dos materiais alternativos (cálculo para camada de 0 - 20 cm) e sem incorporação (cálculo para camada 0 - 5 cm).
  60. 60. MATERIAL E MÉTODOS  O primeiro corte da parte aérea da gramínea foi realizado após 50 dias da germinação das sementes, sendo realizado a uma altura de 15 cm em relação ao solo.  O corte da parte aérea foi realizado com ajuda de um gabarito, de 1 m2, lançado aleatoriamente sob cada unidade experimental (UE), estimando-se a produção total. Este procedimento foi realizado com três repetições para cada UE.  Os dados foram submetidos a analise de variância e os tratamentos analisados por meio de contrastes ortogonais entre si, pelo teste F.
  61. 61. RESULTADOS E DISCUSSÃO
  62. 62. RESULTADOS E DISCUSSÃO
  63. 63. CONCLUSÕES  Os teores foliares e o conteúdo de Ca e Mg não foram influenciado pelos tratamentos estudados;  Com exceção do fosforo a incorporação dos resíduos assim como do calcário favoreceu o aumento da disponibilidade de nutrientes para as plantas;  A incorporação dos materiais corretivos em solo ácido melhora a nutrição de N em Brachiaria brizantha.
  64. 64. Fontes alternativa de K  As cinzas também são utilizadas com fonte alternativa de k pelos produtores dedicados a agricultura orgânica.
  65. 65. Novas tecnologias no uso da vinhaça  O emprego da vinhaça como fertirrigação para a cana-de-açúcar, merece destaque nacional. Pela incorporação de K através da vinhaça, deixando-se de se aplicar 120 kg de K2O/ha em media de adubação mineral.
  66. 66. Novas tecnologias no uso da vinhaça
  67. 67. •Perguntas ???

×