CONS<br />Os fundamentos de uma psicologia narrativa<br />(Aula da Profª Lina Sue Matsumoto – 2010)<br />1<br />TRUTI<br ...
Profª  Lina Sue Matsumoto<br />2<br />PSICOTERAPIA COGNITIVA<br />Gonçalves, O. Psicoterapia Cognitiva Narrativa:  Manual ...
Profª  Lina Sue Matsumoto<br />PSICOTERAPIA COGNITIVA<br />TERAPIA  COGNITIVA  NARRATIVA<br /> Ao procurar apresentar-se c...
PSICOTERAPIA COGNITIVA<br />TERAPIA  COGNITIVA  NARRATIVA<br />Profª  Lina Sue Matsumoto<br />Os fundamentos de uma psicol...
  1. Existência como conhecimento<br />5<br />PSICOTERAPIA COGNITIVA<br />TERAPIA  COGNITIVA  NARRATIVA<br />Profª  Lina S...
Conhecimento  surge aqui visto numa perspectiva muito mais global, não no sentido das representações do mundo “lá fora” m...
 2. Conhecimento como hermenêutica<br />Todo conhecimento (e por implicação, toda existência) tem uma natureza inerentemen...
8<br />PSICOTERAPIA COGNITIVA<br />TERAPIA  COGNITIVA  NARRATIVA<br />Profª  Lina Sue Matsumoto<br /> 2. Conhecimento como...
3. Hermenêutica como Discurso Narrativo<br />O conhecimento é indissociável da existência.<br />Existência  e  conheciment...
10<br />PSICOTERAPIA COGNITIVA<br />TERAPIA  COGNITIVA  NARRATIVA<br />Profª  Lina Sue Matsumoto<br />3. Hermenêutica como...
11<br />PSICOTERAPIA COGNITIVA<br />TERAPIA  COGNITIVA  NARRATIVA<br />Profª  Lina Sue Matsumoto<br />3. Hermenêutica como...
12<br />PSICOTERAPIA COGNITIVA<br />TERAPIA  COGNITIVA  NARRATIVA<br />Profª  Lina Sue Matsumoto<br />3. Hermenêutica como...
13<br />PSICOTERAPIA COGNITIVA<br />TERAPIA  COGNITIVA  NARRATIVA<br />Profª  Lina Sue Matsumoto<br />  4. Discurso Narrat...
14<br />TERAPIA  COGNITIVA  NARRATIVA<br />PSICOTERAPIA COGNITIVA<br />Profª  Lina Sue Matsumoto<br />  4. Discurso Narrat...
Profª  Lina Sue Matsumoto<br />E-mail : lina.sue@hotmail.com<br />Site: linasue.uuuq.com<br />PSICOTERAPIA COGNITIVA<br />...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

AULA OSCAR GONÇALVES I - Profª Lina - 2010

2.917 visualizações

Publicada em

Aula sobre Construtivismo, baseado no capítulo "Os fundamentos de uma psicologia narrativa" (GONÇALVES, O. Psicoterapia Cognitiva Narrativa: um manual de terapia breve. Campinas: Editorial Psy, 1998, capítulo 2)

Publicada em: Tecnologia, Turismo
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.917
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
82
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

AULA OSCAR GONÇALVES I - Profª Lina - 2010

  1. 1. CONS<br />Os fundamentos de uma psicologia narrativa<br />(Aula da Profª Lina Sue Matsumoto – 2010)<br />1<br />TRUTI<br /> VISMO<br />
  2. 2. Profª Lina Sue Matsumoto<br />2<br />PSICOTERAPIA COGNITIVA<br />Gonçalves, O. Psicoterapia Cognitiva Narrativa: Manual de Terapia Breve. Campinas:Editorial Psy. 1998<br />Capítulo 1 :<br />Os fundamentos de <br />uma psicologia narrativa<br />
  3. 3. Profª Lina Sue Matsumoto<br />PSICOTERAPIA COGNITIVA<br />TERAPIA COGNITIVA NARRATIVA<br /> Ao procurar apresentar-se como alternativa aos modelos racionalistas e mecanicistas dominantes na psicologia no decurso do último século, a psicologia narrativa obriga à redefinição de grande parte dos seus pressupostos epistemológicos.<br /> Esta epistemologia é, em nossa opinião, resultante da quadratura alicerçada em quatro conceitos centrais: existência, significação, narrativa e cultura.<br /> Rev. cognitiva (anos 50)  tentar recuperar como programa prioritário da psicologia o esclarecimento acerca das estruturas, processos e conteúdos envolvidos na construção do conhecimento<br />3<br />
  4. 4. PSICOTERAPIA COGNITIVA<br />TERAPIA COGNITIVA NARRATIVA<br />Profª Lina Sue Matsumoto<br />Os fundamentos de uma psicologia narrativa<br /> Em torno deste conceito, organiza-se uma malha de quatro pressupostos:<br />1. Existência como conhecimento;<br />2. Conhecimento como hermenêutica;<br />3. Hermenêutica como discurso narrativo;<br />4. Discurso narrativo como cultura.<br />4<br />
  5. 5. 1. Existência como conhecimento<br />5<br />PSICOTERAPIA COGNITIVA<br />TERAPIA COGNITIVA NARRATIVA<br />Profª Lina Sue Matsumoto<br /> Psicólogos  estudos dos processos de construção de conhecimento = processo de construção ativa.<br /> O conhecimento passa a ser indissociável da própria existência (conhecimento = experiência).<br /> Objeto da psicologia  da sua localização essencialista e intrapsíquica habitual = contexto da experiência do indivíduo.<br /> Todos os seres conhecem, reconhecem, transformam e transformam-se no decurso de sua existência.<br />
  6. 6. Conhecimento  surge aqui visto numa perspectiva muito mais global, não no sentido das representações do mundo “lá fora” mas como um processo contínuo de construção do mundo através da própria vida.<br />Trata-se de uma passagem da visão estritamente epistemológica que tem caracterizado o cognitivismo, para uma visão existencial.<br />6<br />PSICOTERAPIA COGNITIVA<br />TERAPIA COGNITIVA NARRATIVA<br />Profª Lina Sue Matsumoto<br /> 1. Existência como conhecimento<br />
  7. 7. 2. Conhecimento como hermenêutica<br />Todo conhecimento (e por implicação, toda existência) tem uma natureza inerentemente hermenêutica.<br />Hermenêutica  interpretação textos sagrados (leis).<br />Psicanálise à interpretação do discurso individual = interpretar ou levar a que o indivíduo interprete baseado em pressupostos essencialistas (apriorísticos).<br />Gadamer A função hermenêutica da existência é essencialmente criativa e libertadora para a produção de significações múltiplas.<br />7<br />PSICOTERAPIA COGNITIVA<br />TERAPIA COGNITIVA NARRATIVA<br />Profª Lina Sue Matsumoto<br />
  8. 8. 8<br />PSICOTERAPIA COGNITIVA<br />TERAPIA COGNITIVA NARRATIVA<br />Profª Lina Sue Matsumoto<br /> 2. Conhecimento como hermenêutica<br />Assim, compreender o comportamento humano é compreender os sistemas interpretativos utilizados pelos sujeitos no sentido de expandir e dar significado às suas experiências.<br />Subjetividade hermenêutica  necessidade psicológica de dar ordem, sentido e coerência à experiência.<br />As ciências e as artes evoluem para o reconhecimento de que vivemos hoje, não no UNIVERSO mas num MULTIVERSO (MULTIRREALIDADE).<br />
  9. 9. 3. Hermenêutica como Discurso Narrativo<br />O conhecimento é indissociável da existência.<br />Existência e conhecimento vão se organizando no indivíduo, num processo hermenêutico de construção de significados.<br />9<br />PSICOTERAPIA COGNITIVA<br />TERAPIA COGNITIVA NARRAIVA<br />Profª Lina Sue Matsumoto<br />Piaget  primeiros construtivistas.<br />A lógica assume o papel de organizador fundamental.<br />Os psicólogos  entusiasmados com a hipótese de uma formalização matemática do pensamento.<br />
  10. 10. 10<br />PSICOTERAPIA COGNITIVA<br />TERAPIA COGNITIVA NARRATIVA<br />Profª Lina Sue Matsumoto<br />3. Hermenêutica como Discurso Narrativo<br />1ª Revolução Cognitiva  hermenêutica digitalizada da psicologia = nova metáfora = computador.<br />Mas, essa hermenêutica começa a falhar quando procuramos aplicá-la à forma como os seres humanos vão construindo significações sobre a sua própria vida.<br />“...nos aspectos mais diversificados da vida, o sujeito faz essencialmente apelo a aspectos de natureza experiencial, comportando-se de modo contrário àquilo que a lógica ditaria...”<br />A multiplicidade de significados só é possível graças ao poder criativo e múltiplo da linguagem e do discurso humano.<br />
  11. 11. 11<br />PSICOTERAPIA COGNITIVA<br />TERAPIA COGNITIVA NARRATIVA<br />Profª Lina Sue Matsumoto<br />3. Hermenêutica como Discurso Narrativo<br />É na linguagem que se constrói o significado.<br />A linguagem e o discurso constituem meios e fins do processo de significação e conhecimento humano por si só, e não unicamente como reveladores de uma realidade essencial que lhes pré-existe.<br />A linguagem  fenômeno psicológico de 1ª ordem = elemento verdadeiramente fundacional da experiência.<br />Não com o papel “extra-adicional” que a psicologia lhe tem reservado.<br />
  12. 12. 12<br />PSICOTERAPIA COGNITIVA<br />TERAPIA COGNITIVA NARRATIVA<br />Profª Lina Sue Matsumoto<br />3. Hermenêutica como Discurso Narrativo<br />Neste sentido, a narrativa não é algo que escolhemos fazer, mas algo que somos, e, como o ser não é dissociável do conhecer, a narrativa é também aquilo que conhecemos.<br />Tal como a vida, a narrativa é inerentemente aberta e multipotencial, abrindo-nos para uma multirrealidade e multirracionalidade.<br />
  13. 13. 13<br />PSICOTERAPIA COGNITIVA<br />TERAPIA COGNITIVA NARRATIVA<br />Profª Lina Sue Matsumoto<br /> 4. Discurso Narrativo como Cultura<br />As narrativas não podem ser vistas como originando-se e fechando-se no próprio indivíduo, em sistema de exclusividade autopoiética.<br />Discurso Narrativo  elemento fundamental da existência = A narrativa não é um ato mental individual, mas uma produção discursiva de natureza interpessoal.<br />Natureza inerentemente dialógica do conhecimento = Toda a narrativa, como todo o conhecimento, é localizada contextualmente.<br />
  14. 14. 14<br />TERAPIA COGNITIVA NARRATIVA<br />PSICOTERAPIA COGNITIVA<br />Profª Lina Sue Matsumoto<br /> 4. Discurso Narrativo como Cultura<br />Os significados só fazem sentido quando localizados no espaço e no tempo e, portanto, no contexto interpessoal que os enquadra.<br />As narrativas são assim formas de significação que operam num contexto dialógico, situando-se no espaço da interindividualidade.<br />São as narrativas que são sentido à existência, tornando a experiência comum, uma vez que, no ser humano, dar sentido é sobretudo tornar comum.<br />Sou tanto mais autor quanto menos idêntico.<br />
  15. 15. Profª Lina Sue Matsumoto<br />E-mail : lina.sue@hotmail.com<br />Site: linasue.uuuq.com<br />PSICOTERAPIA COGNITIVA<br />Namastê!<br />15<br />

×