Folclore

2.821 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.821
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
35
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Folclore

  1. 1. Linguagens e códigos e suas tecnologias<br />Artes<br />Competência de área 4 – Compreender a arte como saber cultural e estético gerador de significação e integrador da organização do mundo e da própria identidade.<br />H12 – Reconhecer diferentes funções da arte, do trabalho da produção dos artistas em seus meios culturais.<br />H13 – Analisar as diversas produções artísticas como meio de explicar diferentes culturas, padrões de beleza e preconceitos.<br />H14 – Reconhecer o valor da diversidade artística e das inter-relações de elementos que se apresentam nas manifestações de vários grupos sociais e étnicos.<br />
  2. 2. Retirantes <br />Candido Portinare<br />“De couro era a porta das cabanas, o rude leito aplicado ao chão duro, e mais tarde a cama para os partos; de couro todas as cordas, a borracha para carregar água; o mocó ou alforge para levar comida, a mala para guardar roupa, mochila para milhar cavalo, a peia para prendê-lo em viagem, as bainhas de faca, as bruacas e surrões, a roupa de entrar no mato, os bangüês para curtume ou para apurar sal; para os açudes, o material de aterro era levado em couros puxados por juntas de bois que calcavam a terra com seu peso; em couro pisava-se tabaco para o nariz”<br />
  3. 3. O que é mesmo arte? <br />“A arte é uma forma do ser humano expressar suas emoções, sua história e sua cultura através de alguns valores estéticos, como beleza, harmonia, equilíbrio. A arte pode ser representada através de várias formas, em especial na música, nas artes plásticas, nas danças, entre outras.” Brasil escola<br />O que é Cultura?<br />A palavra cultura abrange várias formas artísticas, mas define tudo aquilo que é produzido a partir da inteligência humana. Está presente desde os povos primitivos em seus costumes, sistemas, leis, religião, em suas artes, ciências, crenças, mitos, valores morais e tudo aquilo que compromete o sentir, o pensar e o agir das pessoas.<br />O que é folclore?<br />Folclore é um gênero de cultura de origem popular, constituído pelos costumes, lendas, tradições e festas populares transmitidos por imitação e via oral de geração em geração. Todos os povos possuem suas tradições, crendices e superstições, que se transmitem através de lendas, contos, provérbios e canções.<br />
  4. 4.
  5. 5. Boto<br />Curupira<br />Cobra grande<br />Macunaíma<br />Vitória <br /> Régia<br />
  6. 6. Matinta Pereira<br />Mapinguari<br />Iara<br />Boitatá<br />
  7. 7. Uirapuru<br />Saci-pererê<br />Caipora<br />Muiraquitã<br />Peixe boi<br />
  8. 8. LOBISOMEM<br />
  9. 9. PERSONAGENS DO FOLCLORE<br />NORDESTINO<br />
  10. 10. Civilizaçãodo Couro<br />O escritor Euclides da Cunha, em seu livro “Os Sertões”, descrevia o vaqueiro como um “guerreiro antigo exausto da refrega”. Sua roupa, o gibão, seria uma espécie de armadura. “É a forma grosseira de um campeador medieval desgarrado em nosso tempo”, contava Cunha, na obra de 1902.<br />
  11. 11.
  12. 12.
  13. 13. ZABÉ DA LOCA <br />Sua história é uma fábula real. Isabel Marques da Silva, a Zabé da Loca, com 84 anos, é tocadora de pífano, uma rudimentar flauta feita inicialmente de bambu (e mais tarde de cano de PVC ou metal), tradicional do Nordeste brasileiro. Desde os sete anos de idade, Zabé trabalhou no campo e fez música no agreste de Pernambuco. Casou, teve três filhos, enviuvou e empobreceu. Sua pobreza a obrigou viver em uma espécie de gruta (loca) e foi no pife que Zabé da Loca aprimorou o seu som.<br />
  14. 14. Banda Cabaçal<br />Irmãos Aniceto<br />
  15. 15.
  16. 16. Folguedos e danças<br />
  17. 17. Os folguedos são festas de caráter popular cuja principal característica é a presença de música, dança e representação teatral. Alguns dos principais folguedos da cultura popular brasileira são:<br />Afoxé, (Bahia), Bumba-Meu-Boi (Norte, Nordeste e todo Brasil), Cavalhada (Sudeste e Centro-Oeste), Maracatu (Pernambuco), Marujada e Reisado (Nordeste).<br />VAQUEJADA<br />Vaquejada é uma manifestação folclórica que acontece em maior número no interior. Nela, o vaqueiro tem que mostrar sua destreza em derrubar o boi em dois ou mais movimentos, montar cavalo xucro, apresentar-se como bom laçador, participar dos jogos de lança e argolinha, dentre outros. <br />A pinga é filha da cana e neta do Satanás, acaba o pai de família e desmoraliza o rapaz , 70 capeta juntos num faz o que a pinga faz! Quem bebe pinga é corno e quem num bebe é muito mais!!!<br />Autor: Eduardo<br />Frases de vaquejada<br />Família, minha razão!Deus, minha direção!Vaquejada, minha paixão!!!<br />Autor: Amanda Ferreira<br />A morte do vaqueiro - Luiz Gonzaga http://www.youtube.com/watch?v=jSWwftxuSQQ<br />
  18. 18. Maracatu<br />Reisados<br />Marujada<br />Bumba-meu-boi<br />
  19. 19. COMO SE FAZ UM CORDEL<br />O cordel é geralmente escrito em sextilha (estrofe com seis versos), ou septilhas (estrofe com sete versos), com sete sílabas poéticas.<br />Veja um exemplo de sextilha de sete sílabas, do cordel Nos caminhos da educação, de minha autoria. Note que o segundo, o quarto e o sexto versos rimam. Os demais versos não rimam:<br />É/ que os/ cor/déis/ sem/pré/ são<br />His/tó/rias/ bem/ tra/ba/lha/das,<br />Pos/su/em/ lin/gua/gem/ fá/cil,<br />Es/tro/fes/ sem/pre/ ri/ma/das,<br />Ver/sos/ sem/pre/ bem/ me/di/dos,<br />Pa/la/vras/ Ca/den/ci/a/das. <br />Em versos metrificados só se conta até a última sílaba forte. <br />
  20. 20. A Moça que Dançou Depois de Morta<br />http://portacurtas.org.br/Filme.asp?Cod=3144#<br />Juro que Vi: O Curupira<br />http://www.portacurtas.com.br/Filme.asp?Cod=2844 <br />O Lobisomem e o Coronel<br />http://www.portacurtas.com.br/Filme.asp?Cod=1518<br />
  21. 21. LENDAS NORDESTINAS<br />ANA JENSEN<br />Mulher que judiava de escravos.Agora, aparece nas ruas de São Luís, Maranhão, em carruagem tomada pelo fogo e puxada por cavalos sem cabeça.<br />ALAMOA<br />É o vulto branco de mulher linda, nua, loura, que aparece a dançar na praia, iluminada pelos relâmpagos de tempestade próxima.Reside em um dos picos da ilha, para onde leva os homens que se apaixonam por ela.Aí transforma-se em caveira.<br />BARBA RUIVA<br />Homem encantado.Tem cabelos e barbas avermelhados, ruivos.Costuma aquecer-se ao sol, deitado na areia da lagoa.Quando sai da água, apresenta barba, unhas e peito cobertos de lodo e lama.Gosta de pegar mulheres para abraçar e beijar.Não faz mal a ninguém.Vive na lagoa de Paranaguá, no Piauí.<br />BICHO HOMEM<br />Grande, atlético, feroz, com um olho só e apenas um pé, que forma no chão uma pegada redonda.Tem dedos monstruosos e aguçadas unhas.<br />É capaz de derrubar a murros uma montanha, beber rios e transportar florestas.Vive escondido nas serranias.É devorador de homens.Corrente, em variantes, no Brasil inteiro.Habita as serras e penhascos do Ceará.<br />PRINCESA JERICOACOARA<br />É uma princesa que mora em uma gruta, cheia de riquezas.Está transformada em serpente, com a cabeça e pés femininos, coberta de escamas de ouro.Só poderá ser desencantada com sangue humano, fazendo-se uma cruz sobre o seu dorso.Aí, ao lado da princesa, aparecerão tesouros e maravilhas da cidade onde ela mora.No Ceará, praia de Jericoacoara.<br />
  22. 22. LENDAS BRASILEIRAS - DIVERSAS<br />BOITATÁ<br />Serpente de fogo, que reside na água.Cobra grande que mata os animais, comendo-lhe os olhos; por isso fica cheia de luz de todos esses olhos.<br />Touro ou boi que solta fogo pela boca.Espírito de gente ruim, que vaga pela terra, tocando fogo nos campos ou saindo que nem um rojão ou tocha de fogo, em variantes diversas.<br /> <br />O CORPO-SECO<br />Homem que passou pela vida semeando malefícios e que sevidiou a própria mãe.Ao morrer, nem Deus nem o Diabo o quiseram, e a própria terra o repeliu enojada de sua carne, e um dia, mirrado, defecado, com a pele engelhada sobre os ossos, da tumba se levantou em obediência ao seu fado, vagando e assombrando os viventes na calada da noite.<br />Boto, Bicho-Papão, Curupira, Chupa-Cabras, Iara D’Água, Jurupari, Lobisomem, Mula-Sem-Cabeça, Saci Pererê<br />
  23. 23. DANÇAS POPULARES<br /> <br />Danças e bailados:Bate-coxa, batuque, capoeira, Catira, chula, jongo, maculelê, samba-lenço, pastoril, pericom, pezinho, quadrilha e ticumbi.<br /> <br />Danças interior paulista: Caranguejo, chapéu, chimarrita, ciranda, inháninha, marrafa, panela de arroz, pinheiro, pombinha branca, quadrilhas juninas, quero bem, sinsará, tontinhas.<br /> <br />Folguedos:Boi-de-mamão, boi-na-vara, caiapós, cavalhadas, carreira-de-cavalos, congadas, cordão-de-bichos, folias-de-reis, folias paulistas, moçanbique, quilombos.<br /> <br />Festas: A doma, o rodeio; congadas e moçambique; festas junias; folia do divino; irmãos da canôa, festa do divino; procissão, nossa Srª dos navegantes; reisado, folia de reis. <br />
  24. 24. LENDAS CRENÇAS DANÇAS BRINCADEIRAS INFANTIS SIMPATIAS<br />

×