SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 37
INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA
“De País Agro-Exportador a Urbano-Industrial”
O QUE É INDÚSTRIA? O QUE É FÁBRICA?
INDÚSTRIA é toda atividade (ECONÔMICA) humana que, através do trabalho, transforma
matérias-primas em bens de consumo ou produção que, em seguida, são
comercializados e que possuem, normalmente, maior valor agregado.
VALOR AGREGADO
MÁQUINAS
ENERGIA
QUALIFICAÇÃO
MÃO-DE-OBRA
SALÁRIO
OBS: Fábrica é o termo utilizado para identificar o conjunto de instalações, equipamentos
e trabalhadores voltados para a transformação de matérias-primas.
O QUE É
INDUSTRIALIZAÇÃO?
Industrialização representa o processo
pelo qual a indústria aparece como o
setor MAIS dinâmico de uma
economia, aquele que agrega mais
valores ao produto total e/ou cria
maior número de empregos.
De outro lado, o processo que provoca
a reversão do crescimento e da
participação da indústria na produção
e na geração de empregos é conhecido
por “desindustrialização”
Estágios da Produção Industrial
• A evolução da matéria prima em produto
transformado ocorreu em 4 estágios. São eles:
1- Artesanato
2- Manufatura
3- Indústria (Maquinofatura)
4- Revolução Técnico-científica (Maquinofatura)
Hoje é típica de países subdesenvolvidos
ARTESANATO
É a produção de caráter familiar na qual o artesão possui os meios de produção (sendo o
proprietário da oficina e das ferramentas) e trabalha com a família em sua própria casa,
realizando todas as etapas, desde o preparo da matéria-prima até o acabamento final, ou
seja, não havendo divisão do trabalho ou especialização para a confecção de algum produto.
MANUFATURA
A manufatura resultou da ampliação do consumo, que levou o artesão a aumentar a produção e o
comerciante a dedicar-se à produção industrial. O manufatureiro distribuía a matéria-prima e o artesão
trabalhava em casa, recebendo pagamento combinado. Esse comerciante passou a produzir. Primeiro,
contratou artesãos para dar acabamento aos tecidos; em seguida tingir; depois tecer e, finalmente, fiar.
Surgiram fábricas com assalariados sem controle sobre o produto de seu trabalho. A produtividade
aumentou por causa da divisão social, isto é, cada trabalhador realizava uma etapa da produção.
INDÚSTRIA MAQUINOFATUREIRA
Na maquinofatura, o trabalhador estava subordinado ao regime de funcionamento da máquina e
à gerência direta do empresário. A produtividade multiplicou com a mecanização da mão-de-
obra, o produto final barateou e o desemprego cresceu.
Estágios de Produção Industrial
ARTESANATO MANUFATURA MAQUINOFATURA
TRABALHO
MANUAL
FAMILIAR
FERRAMENTAS
MANUAIS
DIVISÃO
DO
TRABALHO
MECANIZAÇÃO
ROBOTIZAÇÃO
Trabalho
Assalariado
Trabalho
Primitivo/Servil
ORIGENS:
 Clássica : É aquela que surgiu na
Inglaterra no séc. XVIII, e na
Europa, EUA e Japão no séc. XIX.
VAPOR (carvão mineral)
 Planificada : É aquela que surgiu no
séc. XX nos países socialistas.
 Tardia : É aquela que surgiu nos
países subdesenvolvidos pós 2º
Guerra Mundial.
COMMODITIES, significam mercadorias que tem
uma enorme importância na economia mundial,
alto consumo, pouca industrialização, produzidos
e negociados por várias empresas, com qualidade
quase uniforme.
Industrialização e Urbanização
Brasileira
Professora: Eponina Alencar
Escola de Ensino Fundamental Hugo José de Camelo Lima /
Geografia / 7º anos
Arapiraca – AL, Agosto/2014
Inicio da industrialização
Eram pouco significativa no Brasil, até o século XIX;
Herança da cafeicultura / São Paulo – maior intensidade
Principal fonte de riqueza, cultura do café (séc XIX)
Acumulação monetária:
Enriquecimento dos proprietários de terras e
dos empresários ligados a produção e exportação
do café.
Migrantes Europeus ->
atraídos pelo trabalho nas lavouras de café, já
tinham experiências em fabricas.
Importantes no inicio da industrialização.
Desenvolvimento de infra-estrutura
Cafeicultores, criação das fabricas nas primeiras décadas da
industrialização.
Expansão das ferrovias -> construídas para transportar a produção das fazendas até
o ponto de santos.
Mercado consumidor interno -> ampliação a libertação dos escravizados, se
tornaram mão de obra assalariada.
GUERRAS MUNDIAIS E INDUSTRIALIZAÇÃO
Séc. XIX – graves períodos de crises – repercussões negativas na produção de café no
brasil.
CARACTERÍSTICAS DA INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA
Ocorreu tardiamente
Substituição de importações
Depende de capital e tecnologia de estrangeiros.
Industrialização tardia ou retardatária
200 anos após a revolução iniciada na Inglaterra, séc. XVIII.
Substituição das importações -> os produtos anteriormente importados começaram
a ser fabricados internamente e foram bem recebidos pelo mercado consumidor.
Dependência
Necessidade de importar de países já industrializados e mais desenvolvidos
economicamente;
Depois, atraiu-se tecnologias estrangeiras;
Marca da industrialização brasileira.
Concentração e desconcentração
industrial
Tendência de distribuição das empresas industriais pelo território brasileiro
Prioridade as rodovias – tornaram-se uma necessidade para atender as demandas
de circulação de matérias;
Falta de infra-estrutura – políticas de investimento em infra-estrutura ainda são
insuficientes;
Distribuição espacial
da industria no Brasil
- 2006
• População rural diminuindo, população urbana aumentando;
• Urbanização recente no país – até 1050, as atuais metrópoles de São Paulo e rio de
Janeiro eram referências - Agroexportadora;
• Urbanização e industrialização:
 Industrialização como um fenômeno que vai da simples instalação de fabricas no
lugar(comercio, transportes, operações financeiras, produção de matéria-prima na
agricultura, pecuária e extrativismo);
 Urbanização como pessoas que migram do campo para a cidade.
A urbanização brasileira – ocorreu de
maneira rápida
Urbanização brasileira
Urbanização é um conceito geográfico que representa o desenvolvimento das cidades.
Neste processo, ocorre a construção de casas, prédios, redes de esgoto, ruas,
avenidas, escolas, hospitais, rede elétrica, shoppings, etc. A urbanização do século XX,
foi marcada por importantes características, a começar pelo ritmo bastante acelerado
de crescimento das cidades e pela sua abrangência, agora mundial.
As cidades no Brasil
• Século XVI (ciclo da cana):
pequenos núcleos urbanos no
litoral (principalmente no
Nordeste)
• Séculos XVII e XVIII (ciclo da
mineração): surgimento de
várias vilas no interior
• Século XIX (ciclo do café): várias
cidades, principalmente na
região Sudeste
• Século XX (industrialização):
migração do campo para as
cidades (êxodo rural) e o
crescimento das cidades
Brasil: um país urbano
• A maioria da população brasileira é
urbana. De cada 10 brasileiros, 8
moram na cidade. Porém, nem
sempre foi assim, na década de
1940 a população rural superava a
população urbana. Isso significa que
o Brasil se urbanizou muito
rapidamente, principalmente a
partir da década de 1960.
• A urbanização acelerada da
população brasileira ocorreu junto
com a industrialização do país.
Ocorreu o mesmo em países ricos e
em países pobres que receberam
muitas indústrias.
• O crescimento das cidades e
a urbanização favoreceram a
expansão do comércio e dos
serviços.
• Surgiram as metrópoles:
cidades muito populosas,
que concentram as principais
indústrias, comércios e
prestações de serviço.
• A população passou a se
concentrar mais em algumas
cidades do que em outras,
produzindo a hierarquia
urbana.
Hierarquia das cidades brasileiras
• Metrópoles mundiais: influenciam todo
o país (ex: São Paulo e Rio de Janeiro);
• Metrópoles nacionais: influenciam os
estados onde estão localizadas (ex:
Salvador, Porto Alegre...);
• Metrópoles regionais: cidades com mais
de 1 milhão de habitantes que abrigam
atividades diversificadas (ex: Campinas,
Goiânia...);
• Capitais regionais: cidades de médio e
grande porte que influenciam um vasto
número de municípios à sua volta (ex:
Florianópolis, Cuiabá...);
• Centros regionais: influenciam algumas
cidades em seu entorno (ex: Ilhéus,
Sorocaba...);
• Centros locais: influenciam apenas a
área de seu município.
 Com a concentração de empregos, bens, serviços e
infraestrutura nas cidades, o ambiente urbano se
tornou cada vez mais atraente. Assim, as
populações rurais migram para a cidade em busca
de emprego e de qualidade de vida.
 O uso de máquinas nas práticas agrícolas dispensou
parte dos trabalhadores ocupados na agricultura e
gerou maior produção. Esse processo é chamado de
modernização do campo.
 O fenômeno da migração de trabalhadores das
áreas rurais para as cidades é conhecida como
êxodo rural ou migração rural-urbana (saída da
população do campo para a cidade).
Fatores do êxodo rural
O processo de urbanização brasileiro está relacionado com o
êxodo rural.
Repulsão da força de
trabalho do campo
Atração da força de trabalho
e padrão de vida nas cidades
Latifúndio
Surgimento do trabalho
informal e submoradias
Brasil – Evolução da população rural-
urbana entre 1940 e 2006.
Fonte: IBGE. Anuário estatístico do Brasil, 1986, 1990, 1993 e 1997; Censo demográfico, 2000; Síntese
1950
64%
36%
2000
19%
81%
Brasil – População Rural e Urbana
– 1950-2000
Fonte: IBGEPopulação Rural População Urbana
Fonte: IBGE
No entanto, esse processo de urbanização não se deu de forma
homogênea por todo o território nacional.
Norte - 2000
30%
70%
Nordeste - 2000
69%
31%
Sudeste - 2000
9%
91%
Sul - 2000
19%
81%
Centro-Oeste - 2000
13%
87%
Fonte: IBGE
População Rural
População Urbana
• A urbanização na segunda metade do século
XX foi comum nos países subdesenvolvidos.
Como ocorreu em função de um acelerado
processo de industrialização, a falta de
planejamento foi marcante. A consequência
disso foi o crescimento desordenado nas
cidades. O êxodo rural gerou um excedente
populacional e a falta de investimentos, o
afastamento do Estado.
Consequências da urbanização
Consequências da urbanização
• Na maioria das cidades,
há favelas, cortiços e
moradores sem teto
que habitam terrenos
públicos ou moram
embaixo das pontes.
 O preço da terra urbana é
muito alto para grande parte
da população, que não tem
dinheiro sequer para pagar
um aluguel e acaba morando
em condições extremamente
precárias.
Consequências da urbanização
• Além de contar com pouco verde, as cidades
brasileiras, principalmente as grandes e as
metrópoles, apresentam graves problemas de
poluição do ar e dos cursos de água. Esgotos
domésticos e industriais são, muitas vezes, lançados
diretamente nos rios urbanos.
Consequências da urbanização
• A falta de oferta de transporte
coletivo é um sério problema
urbano brasileiro. Com populações
concentradas em grandes centros e
necessidade de locomoção diária,
os sistemas de transporte não
conseguem atender à demanda
Consequências da urbanização
• Outro problema muito comum em grandes centros é a produção
de lixo. O destino final dos resíduos sólidos é um dos maiores
problemas das cidades brasileiras. São raras as que dão um
tratamento adequado às sobras descartadas por seus
habitantes. Na maior parte das vezes, o lixo é depositado a céu
aberto, nos chamados lixões, sem nenhum outro cuidado.
Consequências da urbanização
• A realidade do desemprego e o
abandono do Estado força
comunidades inteiras à
clandestinidade, criando um
modelo de vida à parte das
normas da sociedade. Assim,
práticas ilegais e criminosas como
jogos de azar, contrabando,
tráfico de drogas e milícias
armadas passam a fazer parte de
seu cotidiano. Muitas vezes,
recorrem de instrumentos
violentos para intimidar o poder
público e garantir seus territórios.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Cap. 4 - A industrialização brasileira
Cap. 4 - A industrialização brasileiraCap. 4 - A industrialização brasileira
Cap. 4 - A industrialização brasileira
profacacio
 
A regionalização do espaço geográfico mundial
A regionalização do espaço geográfico mundialA regionalização do espaço geográfico mundial
A regionalização do espaço geográfico mundial
Uilson Pereira da Silva
 
As revoluções industriais
As revoluções industriaisAs revoluções industriais
As revoluções industriais
vdailce
 
A regionalização e as divisões regionais no brasil
A regionalização e as divisões regionais no brasilA regionalização e as divisões regionais no brasil
A regionalização e as divisões regionais no brasil
Professor
 
Cap. 3 - População brasileira (7º ano)
Cap. 3 - População brasileira (7º ano)Cap. 3 - População brasileira (7º ano)
Cap. 3 - População brasileira (7º ano)
profacacio
 

Mais procurados (20)

Cap. 4 - A industrialização brasileira
Cap. 4 - A industrialização brasileiraCap. 4 - A industrialização brasileira
Cap. 4 - A industrialização brasileira
 
A regionalização do espaço geográfico mundial
A regionalização do espaço geográfico mundialA regionalização do espaço geográfico mundial
A regionalização do espaço geográfico mundial
 
População brasileira
População brasileiraPopulação brasileira
População brasileira
 
As revoluções industriais
As revoluções industriaisAs revoluções industriais
As revoluções industriais
 
Industrialização mundial
Industrialização mundialIndustrialização mundial
Industrialização mundial
 
Industrialização
IndustrializaçãoIndustrialização
Industrialização
 
Capitalismo e sua evolução
Capitalismo e sua evoluçãoCapitalismo e sua evolução
Capitalismo e sua evolução
 
A formação do território brasileiro - 7º ano
A formação do território brasileiro - 7º anoA formação do território brasileiro - 7º ano
A formação do território brasileiro - 7º ano
 
O Processo de Industrialização do Brasil - 7º Ano (2017)
O Processo de Industrialização do Brasil - 7º Ano (2017)O Processo de Industrialização do Brasil - 7º Ano (2017)
O Processo de Industrialização do Brasil - 7º Ano (2017)
 
Setores da economia
Setores da economiaSetores da economia
Setores da economia
 
Relevo
RelevoRelevo
Relevo
 
O Território Brasileiro
O Território BrasileiroO Território Brasileiro
O Território Brasileiro
 
A Regionalização da América
A Regionalização da AméricaA Regionalização da América
A Regionalização da América
 
A regionalização e as divisões regionais no brasil
A regionalização e as divisões regionais no brasilA regionalização e as divisões regionais no brasil
A regionalização e as divisões regionais no brasil
 
O neoliberalismo
O neoliberalismoO neoliberalismo
O neoliberalismo
 
PAÍSES EMERGENTES
PAÍSES EMERGENTESPAÍSES EMERGENTES
PAÍSES EMERGENTES
 
Do meio natural ao meio técnico científico informacional
Do meio natural ao meio técnico científico informacionalDo meio natural ao meio técnico científico informacional
Do meio natural ao meio técnico científico informacional
 
Cap. 3 - População brasileira (7º ano)
Cap. 3 - População brasileira (7º ano)Cap. 3 - População brasileira (7º ano)
Cap. 3 - População brasileira (7º ano)
 
Urbanização brasileira
Urbanização brasileiraUrbanização brasileira
Urbanização brasileira
 
O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO NO BRASIL
O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO NO BRASILO PROCESSO DE URBANIZAÇÃO NO BRASIL
O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO NO BRASIL
 

Destaque

INDUSTRIALIZAÇÃO E URBANIZAÇÃO
INDUSTRIALIZAÇÃO E URBANIZAÇÃOINDUSTRIALIZAÇÃO E URBANIZAÇÃO
INDUSTRIALIZAÇÃO E URBANIZAÇÃO
UEMA
 
MAPA - Comércio Exterior - dez/12
MAPA - Comércio Exterior - dez/12MAPA - Comércio Exterior - dez/12
MAPA - Comércio Exterior - dez/12
AgroTalento
 
Agricultura e industrialização (1)
Agricultura e industrialização (1)Agricultura e industrialização (1)
Agricultura e industrialização (1)
Lucas Nascimento
 
Aula de Física (Ciências no Ensino Fundamental) Máquinas e Trabalho
Aula de Física (Ciências no Ensino Fundamental)  Máquinas e TrabalhoAula de Física (Ciências no Ensino Fundamental)  Máquinas e Trabalho
Aula de Física (Ciências no Ensino Fundamental) Máquinas e Trabalho
Ronaldo Santana
 

Destaque (15)

INDUSTRIALIZAÇÃO E URBANIZAÇÃO
INDUSTRIALIZAÇÃO E URBANIZAÇÃOINDUSTRIALIZAÇÃO E URBANIZAÇÃO
INDUSTRIALIZAÇÃO E URBANIZAÇÃO
 
O processo de industrialização e urbanização do Brasil
O processo de industrialização e urbanização do BrasilO processo de industrialização e urbanização do Brasil
O processo de industrialização e urbanização do Brasil
 
A Evolução Do Setor Agrícola
A Evolução Do Setor AgrícolaA Evolução Do Setor Agrícola
A Evolução Do Setor Agrícola
 
MAPA - Comércio Exterior - dez/12
MAPA - Comércio Exterior - dez/12MAPA - Comércio Exterior - dez/12
MAPA - Comércio Exterior - dez/12
 
Produção industrial de alimentos e seus impactos
Produção industrial de alimentos e seus impactosProdução industrial de alimentos e seus impactos
Produção industrial de alimentos e seus impactos
 
1geo16
1geo161geo16
1geo16
 
O continente africano
O continente africanoO continente africano
O continente africano
 
Aula de higiene pessoal
Aula de higiene pessoalAula de higiene pessoal
Aula de higiene pessoal
 
Maquinas simples
Maquinas simplesMaquinas simples
Maquinas simples
 
Agricultura e industrialização (1)
Agricultura e industrialização (1)Agricultura e industrialização (1)
Agricultura e industrialização (1)
 
Higiene
HigieneHigiene
Higiene
 
Olho e Visão
Olho e VisãoOlho e Visão
Olho e Visão
 
Aula de Física (Ciências no Ensino Fundamental) Máquinas e Trabalho
Aula de Física (Ciências no Ensino Fundamental)  Máquinas e TrabalhoAula de Física (Ciências no Ensino Fundamental)  Máquinas e Trabalho
Aula de Física (Ciências no Ensino Fundamental) Máquinas e Trabalho
 
Agricultura no brasil
Agricultura no brasilAgricultura no brasil
Agricultura no brasil
 
Higiene e Saúde
Higiene e SaúdeHigiene e Saúde
Higiene e Saúde
 

Semelhante a INDUSTRIALIZAÇÃO E URBANIZAÇÃO BRASILEIRA

A IndustrializaçãO Do Brasil Atividade 1º Va
A IndustrializaçãO Do Brasil Atividade 1º VaA IndustrializaçãO Do Brasil Atividade 1º Va
A IndustrializaçãO Do Brasil Atividade 1º Va
ProfMario De Mori
 
Industrialização+brasileira 1
Industrialização+brasileira 1Industrialização+brasileira 1
Industrialização+brasileira 1
eunamahcado
 
A Urbanização Brasileira Milton Santos
A Urbanização Brasileira   Milton SantosA Urbanização Brasileira   Milton Santos
A Urbanização Brasileira Milton Santos
Leidiana Oliveira
 
Industrialização
IndustrializaçãoIndustrialização
Industrialização
BoscOliveira
 

Semelhante a INDUSTRIALIZAÇÃO E URBANIZAÇÃO BRASILEIRA (20)

Industrialização brasileira
Industrialização brasileiraIndustrialização brasileira
Industrialização brasileira
 
A IndustrializaçãO Do Brasil Atividade 1º Va
A IndustrializaçãO Do Brasil Atividade 1º VaA IndustrializaçãO Do Brasil Atividade 1º Va
A IndustrializaçãO Do Brasil Atividade 1º Va
 
Industrialização+brasileira 1
Industrialização+brasileira 1Industrialização+brasileira 1
Industrialização+brasileira 1
 
Industrialização do brasil
Industrialização do brasilIndustrialização do brasil
Industrialização do brasil
 
Urbanização no Brasil Gaby.pptx
Urbanização no Brasil Gaby.pptxUrbanização no Brasil Gaby.pptx
Urbanização no Brasil Gaby.pptx
 
Slides a revolução industrial 2º. ano
Slides a revolução industrial   2º. anoSlides a revolução industrial   2º. ano
Slides a revolução industrial 2º. ano
 
1 industrializacao do-brasil
1 industrializacao do-brasil1 industrializacao do-brasil
1 industrializacao do-brasil
 
Aspectos Do Brasil 1º Mc
Aspectos Do Brasil 1º McAspectos Do Brasil 1º Mc
Aspectos Do Brasil 1º Mc
 
A grande concentração industrial na região sudeste
A grande concentração industrial na região sudesteA grande concentração industrial na região sudeste
A grande concentração industrial na região sudeste
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
A industrialização e trabalho assalariado no brasil
A industrialização e trabalho assalariado no brasilA industrialização e trabalho assalariado no brasil
A industrialização e trabalho assalariado no brasil
 
Urbanização
UrbanizaçãoUrbanização
Urbanização
 
A Urbanização Brasileira Milton Santos
A Urbanização Brasileira   Milton SantosA Urbanização Brasileira   Milton Santos
A Urbanização Brasileira Milton Santos
 
Industrialização - Revoluções.ppt
Industrialização - Revoluções.pptIndustrialização - Revoluções.ppt
Industrialização - Revoluções.ppt
 
Geo24
Geo24Geo24
Geo24
 
A industrialização no Brasil - Material completo
A industrialização no Brasil - Material completoA industrialização no Brasil - Material completo
A industrialização no Brasil - Material completo
 
Aula 1 e 2 - TEÓRICA - Aut. Ind. (PIE) - ENG - 6 NA
Aula 1 e 2 - TEÓRICA - Aut. Ind. (PIE) - ENG - 6 NAAula 1 e 2 - TEÓRICA - Aut. Ind. (PIE) - ENG - 6 NA
Aula 1 e 2 - TEÓRICA - Aut. Ind. (PIE) - ENG - 6 NA
 
Notas sobre o processo da industrialização no Brasil
Notas sobre o processo da industrialização no BrasilNotas sobre o processo da industrialização no Brasil
Notas sobre o processo da industrialização no Brasil
 
Industrialização
IndustrializaçãoIndustrialização
Industrialização
 
Urbanização do Rio de Janeiro
Urbanização do Rio de JaneiroUrbanização do Rio de Janeiro
Urbanização do Rio de Janeiro
 

Mais de Bruno Lima (8)

8º ano países árabes, turquia, irã e afeganistão
8º ano   países árabes, turquia, irã e afeganistão8º ano   países árabes, turquia, irã e afeganistão
8º ano países árabes, turquia, irã e afeganistão
 
Rússia: natureza e espaço socioeconômico
Rússia: natureza e espaço socioeconômicoRússia: natureza e espaço socioeconômico
Rússia: natureza e espaço socioeconômico
 
As duas europa: resquícios da guerra fria
As duas europa: resquícios da guerra friaAs duas europa: resquícios da guerra fria
As duas europa: resquícios da guerra fria
 
GEOGRAFIA DO BRASIL
GEOGRAFIA DO BRASILGEOGRAFIA DO BRASIL
GEOGRAFIA DO BRASIL
 
URSS E A CEI
URSS E A CEIURSS E A CEI
URSS E A CEI
 
NOVA ORDEM MUNDIAL
NOVA ORDEM MUNDIALNOVA ORDEM MUNDIAL
NOVA ORDEM MUNDIAL
 
9º ano - O sudeste asiático
9º ano - O sudeste asiático9º ano - O sudeste asiático
9º ano - O sudeste asiático
 
9º ano - índia
9º ano - índia9º ano - índia
9º ano - índia
 

Último

Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
sfwsoficial
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
carlaOliveira438
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Pastor Robson Colaço
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
VALMIRARIBEIRO1
 

Último (20)

Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
 
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfanálise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 

INDUSTRIALIZAÇÃO E URBANIZAÇÃO BRASILEIRA

  • 1. INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA “De País Agro-Exportador a Urbano-Industrial”
  • 2. O QUE É INDÚSTRIA? O QUE É FÁBRICA? INDÚSTRIA é toda atividade (ECONÔMICA) humana que, através do trabalho, transforma matérias-primas em bens de consumo ou produção que, em seguida, são comercializados e que possuem, normalmente, maior valor agregado. VALOR AGREGADO MÁQUINAS ENERGIA QUALIFICAÇÃO MÃO-DE-OBRA SALÁRIO OBS: Fábrica é o termo utilizado para identificar o conjunto de instalações, equipamentos e trabalhadores voltados para a transformação de matérias-primas.
  • 3.
  • 4. O QUE É INDUSTRIALIZAÇÃO? Industrialização representa o processo pelo qual a indústria aparece como o setor MAIS dinâmico de uma economia, aquele que agrega mais valores ao produto total e/ou cria maior número de empregos. De outro lado, o processo que provoca a reversão do crescimento e da participação da indústria na produção e na geração de empregos é conhecido por “desindustrialização”
  • 5. Estágios da Produção Industrial • A evolução da matéria prima em produto transformado ocorreu em 4 estágios. São eles: 1- Artesanato 2- Manufatura 3- Indústria (Maquinofatura) 4- Revolução Técnico-científica (Maquinofatura) Hoje é típica de países subdesenvolvidos
  • 6. ARTESANATO É a produção de caráter familiar na qual o artesão possui os meios de produção (sendo o proprietário da oficina e das ferramentas) e trabalha com a família em sua própria casa, realizando todas as etapas, desde o preparo da matéria-prima até o acabamento final, ou seja, não havendo divisão do trabalho ou especialização para a confecção de algum produto.
  • 7. MANUFATURA A manufatura resultou da ampliação do consumo, que levou o artesão a aumentar a produção e o comerciante a dedicar-se à produção industrial. O manufatureiro distribuía a matéria-prima e o artesão trabalhava em casa, recebendo pagamento combinado. Esse comerciante passou a produzir. Primeiro, contratou artesãos para dar acabamento aos tecidos; em seguida tingir; depois tecer e, finalmente, fiar. Surgiram fábricas com assalariados sem controle sobre o produto de seu trabalho. A produtividade aumentou por causa da divisão social, isto é, cada trabalhador realizava uma etapa da produção.
  • 8. INDÚSTRIA MAQUINOFATUREIRA Na maquinofatura, o trabalhador estava subordinado ao regime de funcionamento da máquina e à gerência direta do empresário. A produtividade multiplicou com a mecanização da mão-de- obra, o produto final barateou e o desemprego cresceu.
  • 9. Estágios de Produção Industrial ARTESANATO MANUFATURA MAQUINOFATURA TRABALHO MANUAL FAMILIAR FERRAMENTAS MANUAIS DIVISÃO DO TRABALHO MECANIZAÇÃO ROBOTIZAÇÃO Trabalho Assalariado Trabalho Primitivo/Servil
  • 10. ORIGENS:  Clássica : É aquela que surgiu na Inglaterra no séc. XVIII, e na Europa, EUA e Japão no séc. XIX. VAPOR (carvão mineral)  Planificada : É aquela que surgiu no séc. XX nos países socialistas.  Tardia : É aquela que surgiu nos países subdesenvolvidos pós 2º Guerra Mundial. COMMODITIES, significam mercadorias que tem uma enorme importância na economia mundial, alto consumo, pouca industrialização, produzidos e negociados por várias empresas, com qualidade quase uniforme.
  • 11. Industrialização e Urbanização Brasileira Professora: Eponina Alencar Escola de Ensino Fundamental Hugo José de Camelo Lima / Geografia / 7º anos Arapiraca – AL, Agosto/2014
  • 12. Inicio da industrialização Eram pouco significativa no Brasil, até o século XIX; Herança da cafeicultura / São Paulo – maior intensidade Principal fonte de riqueza, cultura do café (séc XIX) Acumulação monetária: Enriquecimento dos proprietários de terras e dos empresários ligados a produção e exportação do café. Migrantes Europeus -> atraídos pelo trabalho nas lavouras de café, já tinham experiências em fabricas. Importantes no inicio da industrialização.
  • 13.
  • 14. Desenvolvimento de infra-estrutura Cafeicultores, criação das fabricas nas primeiras décadas da industrialização. Expansão das ferrovias -> construídas para transportar a produção das fazendas até o ponto de santos. Mercado consumidor interno -> ampliação a libertação dos escravizados, se tornaram mão de obra assalariada. GUERRAS MUNDIAIS E INDUSTRIALIZAÇÃO Séc. XIX – graves períodos de crises – repercussões negativas na produção de café no brasil. CARACTERÍSTICAS DA INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA Ocorreu tardiamente Substituição de importações Depende de capital e tecnologia de estrangeiros.
  • 15. Industrialização tardia ou retardatária 200 anos após a revolução iniciada na Inglaterra, séc. XVIII. Substituição das importações -> os produtos anteriormente importados começaram a ser fabricados internamente e foram bem recebidos pelo mercado consumidor. Dependência Necessidade de importar de países já industrializados e mais desenvolvidos economicamente; Depois, atraiu-se tecnologias estrangeiras; Marca da industrialização brasileira.
  • 16. Concentração e desconcentração industrial Tendência de distribuição das empresas industriais pelo território brasileiro Prioridade as rodovias – tornaram-se uma necessidade para atender as demandas de circulação de matérias; Falta de infra-estrutura – políticas de investimento em infra-estrutura ainda são insuficientes;
  • 18. • População rural diminuindo, população urbana aumentando; • Urbanização recente no país – até 1050, as atuais metrópoles de São Paulo e rio de Janeiro eram referências - Agroexportadora; • Urbanização e industrialização:  Industrialização como um fenômeno que vai da simples instalação de fabricas no lugar(comercio, transportes, operações financeiras, produção de matéria-prima na agricultura, pecuária e extrativismo);  Urbanização como pessoas que migram do campo para a cidade. A urbanização brasileira – ocorreu de maneira rápida
  • 19.
  • 21. Urbanização é um conceito geográfico que representa o desenvolvimento das cidades. Neste processo, ocorre a construção de casas, prédios, redes de esgoto, ruas, avenidas, escolas, hospitais, rede elétrica, shoppings, etc. A urbanização do século XX, foi marcada por importantes características, a começar pelo ritmo bastante acelerado de crescimento das cidades e pela sua abrangência, agora mundial.
  • 22. As cidades no Brasil • Século XVI (ciclo da cana): pequenos núcleos urbanos no litoral (principalmente no Nordeste) • Séculos XVII e XVIII (ciclo da mineração): surgimento de várias vilas no interior • Século XIX (ciclo do café): várias cidades, principalmente na região Sudeste • Século XX (industrialização): migração do campo para as cidades (êxodo rural) e o crescimento das cidades
  • 23. Brasil: um país urbano • A maioria da população brasileira é urbana. De cada 10 brasileiros, 8 moram na cidade. Porém, nem sempre foi assim, na década de 1940 a população rural superava a população urbana. Isso significa que o Brasil se urbanizou muito rapidamente, principalmente a partir da década de 1960. • A urbanização acelerada da população brasileira ocorreu junto com a industrialização do país. Ocorreu o mesmo em países ricos e em países pobres que receberam muitas indústrias.
  • 24. • O crescimento das cidades e a urbanização favoreceram a expansão do comércio e dos serviços. • Surgiram as metrópoles: cidades muito populosas, que concentram as principais indústrias, comércios e prestações de serviço. • A população passou a se concentrar mais em algumas cidades do que em outras, produzindo a hierarquia urbana.
  • 25. Hierarquia das cidades brasileiras • Metrópoles mundiais: influenciam todo o país (ex: São Paulo e Rio de Janeiro); • Metrópoles nacionais: influenciam os estados onde estão localizadas (ex: Salvador, Porto Alegre...); • Metrópoles regionais: cidades com mais de 1 milhão de habitantes que abrigam atividades diversificadas (ex: Campinas, Goiânia...); • Capitais regionais: cidades de médio e grande porte que influenciam um vasto número de municípios à sua volta (ex: Florianópolis, Cuiabá...); • Centros regionais: influenciam algumas cidades em seu entorno (ex: Ilhéus, Sorocaba...); • Centros locais: influenciam apenas a área de seu município.
  • 26.  Com a concentração de empregos, bens, serviços e infraestrutura nas cidades, o ambiente urbano se tornou cada vez mais atraente. Assim, as populações rurais migram para a cidade em busca de emprego e de qualidade de vida.  O uso de máquinas nas práticas agrícolas dispensou parte dos trabalhadores ocupados na agricultura e gerou maior produção. Esse processo é chamado de modernização do campo.  O fenômeno da migração de trabalhadores das áreas rurais para as cidades é conhecida como êxodo rural ou migração rural-urbana (saída da população do campo para a cidade).
  • 27. Fatores do êxodo rural O processo de urbanização brasileiro está relacionado com o êxodo rural. Repulsão da força de trabalho do campo Atração da força de trabalho e padrão de vida nas cidades Latifúndio Surgimento do trabalho informal e submoradias
  • 28. Brasil – Evolução da população rural- urbana entre 1940 e 2006. Fonte: IBGE. Anuário estatístico do Brasil, 1986, 1990, 1993 e 1997; Censo demográfico, 2000; Síntese
  • 29. 1950 64% 36% 2000 19% 81% Brasil – População Rural e Urbana – 1950-2000 Fonte: IBGEPopulação Rural População Urbana Fonte: IBGE
  • 30. No entanto, esse processo de urbanização não se deu de forma homogênea por todo o território nacional.
  • 31. Norte - 2000 30% 70% Nordeste - 2000 69% 31% Sudeste - 2000 9% 91% Sul - 2000 19% 81% Centro-Oeste - 2000 13% 87% Fonte: IBGE População Rural População Urbana
  • 32. • A urbanização na segunda metade do século XX foi comum nos países subdesenvolvidos. Como ocorreu em função de um acelerado processo de industrialização, a falta de planejamento foi marcante. A consequência disso foi o crescimento desordenado nas cidades. O êxodo rural gerou um excedente populacional e a falta de investimentos, o afastamento do Estado. Consequências da urbanização
  • 33. Consequências da urbanização • Na maioria das cidades, há favelas, cortiços e moradores sem teto que habitam terrenos públicos ou moram embaixo das pontes.  O preço da terra urbana é muito alto para grande parte da população, que não tem dinheiro sequer para pagar um aluguel e acaba morando em condições extremamente precárias.
  • 34. Consequências da urbanização • Além de contar com pouco verde, as cidades brasileiras, principalmente as grandes e as metrópoles, apresentam graves problemas de poluição do ar e dos cursos de água. Esgotos domésticos e industriais são, muitas vezes, lançados diretamente nos rios urbanos.
  • 35. Consequências da urbanização • A falta de oferta de transporte coletivo é um sério problema urbano brasileiro. Com populações concentradas em grandes centros e necessidade de locomoção diária, os sistemas de transporte não conseguem atender à demanda
  • 36. Consequências da urbanização • Outro problema muito comum em grandes centros é a produção de lixo. O destino final dos resíduos sólidos é um dos maiores problemas das cidades brasileiras. São raras as que dão um tratamento adequado às sobras descartadas por seus habitantes. Na maior parte das vezes, o lixo é depositado a céu aberto, nos chamados lixões, sem nenhum outro cuidado.
  • 37. Consequências da urbanização • A realidade do desemprego e o abandono do Estado força comunidades inteiras à clandestinidade, criando um modelo de vida à parte das normas da sociedade. Assim, práticas ilegais e criminosas como jogos de azar, contrabando, tráfico de drogas e milícias armadas passam a fazer parte de seu cotidiano. Muitas vezes, recorrem de instrumentos violentos para intimidar o poder público e garantir seus territórios.