A utilização de Blogs no processo de Letramento Digital                                                                   ...
1. IntroduçãoAtualmente muito se tem falado no combate à Exclusão Digital1, na utilização deFerramentas Livres para o Letr...
capacitar o mais rápido possível os alunos a viverem como verdadeiros                      cidadãos neste novo milênio cad...
Além disso, é preciso também e trazer a oportunidade de utilização das novastecnologias como meio de comunicação no âmbito...
Uma definição mínima passa pelo acesso ao computador e aos conhecimentos                          básicos para utilizá-lo....
atrativa. Todo o processo de letramento e de inclusão digital terá forma a partir dosensinamentos do educador que de fato,...
Os primeiros blogs surgiram em meados de 1999, a maioria falava de política e oujornalismo. Nos EUA, no ano de 2004, muito...
Para integrar o Blog nas práticas pedagógicas é necessário que o professor sejaminimamente inteirado dessa nova ferramenta...
integração de ferramentas de outros sites dentro de suas plataformas. É muito comumacessar um blog e encontrar conteúdo di...
Ainda dentro do aspecto de criação de blogs pelos próprios alunos é possível, autilização de blogs para criação de trabalh...
mais além de um mero exercício escolar, mas se trata também de inserção social dentrode um ambiente ainda pouco explorado ...
Referências BibliográficasALMEIDA, Rubens Queiroz de. “O leitor navegador (I)” in: SILVA, EzequielTheodoro da (coord.). A ...
SOARES, Magda. Letramento: um tema em três gêneros. Belo Horizonte, MinasGerais: Autêntica,1998.SOUZA, R.A. Comunicação me...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A utilização de blogs no processo de letramento digital

1.546 visualizações

Publicada em

O presente artigo visa estabelecer relações com a maneira com que os educadores estão utilizando plataformas digitais, como os blogs, para o fortalecimento do Letramento Digital. Construído a partir de uma revisão bibliográfica, o artigo tem como intuito retratar a importância das novas mídias tem dentro do processo educacional. Aqui reunimos autores inseridos na ótica do letramento digital e nos baseamos nos aspectos relevantes de inclusão/exclusão digital e das ferramentas gratuitas na internet.

This article aims to establish relations with the way that educators are using digital platforms such as blogs, to strengthen the Digital Literacy. Built from a literature review, the article has the intention to portray the importance of new media has in the educational process. Here we gather authors inserted into the optical digital literacy and we rely on relevant aspects of inclusion / digital divide and free tools on the Internet.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.546
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
138
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
24
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A utilização de blogs no processo de letramento digital

  1. 1. A utilização de Blogs no processo de Letramento Digital Lívia Dutra JustinoResumoO presente artigo visa estabelecer relações com a maneira com que os educadores estãoutilizando plataformas digitais, como os blogs, para o fortalecimento do LetramentoDigital. Construído a partir de uma revisão bibliográfica, o artigo tem como intuitoretratar a importância das novas mídias tem dentro do processo educacional. Aquireunimos autores inseridos na ótica do letramento digital e nos baseamos nos aspectosrelevantes de inclusão/exclusão digital e das ferramentas gratuitas na internet.Palavras-chaveLetramento Digital, Inclusão Digital, Blogs, Ferramentas Livres.AbstractThis article aims to establish relations with the way that educators are using digitalplatforms such as blogs, to strengthen the Digital Literacy. Built from a literaturereview, the article has the intention to portray the importance of new media has in theeducational process. Here we gather authors inserted into the optical digital literacy andwe rely on relevant aspects of inclusion / digital divide and free tools on the Internet.Key WordsDigital Literacy, Digital Inclusion, Blogs, Tools Free.
  2. 2. 1. IntroduçãoAtualmente muito se tem falado no combate à Exclusão Digital1, na utilização deFerramentas Livres para o Letramento Digital e em suas implicações nos processossociais. O que de fato sabemos é que, no Brasil, boa parte das escolas ainda não se deuconta da importância da utilização das novas mídias para o processo de aprendizagem epara a formação de um conhecimento mais amplo. Mesmo naquelas escolas que jápossuem equipamentos para acesso à internet, a realidade da utilização de computadorespara uso efetivo no processo de letramento ainda é falho. É importante lembrar que mesmo possuindo conexão e computadores várias escolas deixam esses equipamentos sem uso, em geral, pela falta total de formação dos professores e pela ausência de uma política educacional de uso da Internet como instrumento pedagógico e de reforço a pesquisa escolar. Muitas das salas de informática ficam trancadas e acabam sendo alvo de sucateamento e furto de equipamento. (SILVEIRA, 2003, p.21)Professores despreparados e falta de incentivo da própria política pública são alguns dosenormes entraves para que o conhecimento seja expandido livremente para todos. Aolevantar essa questão, o presente artigo tem como intuito discutir o ensino nas escolasatravés da utilização de ferramentas livres, como por exemplo, os blogs. Dentro dessaperceptiva, iremos trabalhar a utilização de blogs como plataforma de letramentodigital. Essa nova ferramenta de ensino pode ser incorporada futuramente pelos alunosdas escolas dentro da sociedade em que vivem. O papel do professor, nesse caso, não éapenas de educador, mas aquele que promove a ampliação da visão do aluno para queno futuro ele próprio possa incluir aquela ferramenta livre na sociedade em que vive. O crescente aumento na utilização das novas ferramentas tecnológicas (computador, Internet, cartão magnético, caixa eletrônico etc.) na vida social tem exigido dos cidadãos a aprendizagem de comportamentos e raciocínios específicos. Por essa razão, alguns estudiosos começam a falar no surgimento de um novo tipo, paradigma ou modalidade de letramento, que têm chamado de letramento digital. Esse novo letramento, segundo eles, considera a necessidade do indivíduos dominarem um conjunto de informações e habilidades mentais que devem ser trabalhadas com urgência pelas instituições de ensino, a fim de1 A exclusão digital é um conceito dos campos teóricos da comunicação, sociologia, tecnologia dainformação, História e outras humanidades, que diz respeito às extensas camadas das sociedades queficaram à margem do fenômeno da sociedade da informação e da expansão das redes digitais. Contraste-se este conceito, por oposição, com a inclusão digital. Disponível em:<http://pt.wikipedia.org/wiki/Exclus%C3%A3o_digital>. Acesso em 9 de junho de 2010.
  3. 3. capacitar o mais rápido possível os alunos a viverem como verdadeiros cidadãos neste novo milênio cada vez mais cercado por máquinas eletrônicas e digitais. (XAVIER, 2005)2. Letramento DigitalPara analisarmos os processos de Letramento Digital nas escolas nacionais é precisoentender o que exatamente acontece dentro das instituições de ensino. Todo o processode letramento está atrelado diretamente à forma de ensino de um país. É através daescola, por exemplo, que são formados cidadãos que serão no futuro a base de umasociedade. Para que tal sociedade se estabeleça e fortifique é imprescindível que oalicerce da mesma seja construído com base na educação. Mas é preciso sempre ter avisão inovadora da educação e que a mesma acompanhe o ciclo contínuo das novasmídias.Diferenciar o Letramento Digital e o processo de Alfabetização é importantepara que não haja confusões, já que ambos estão atrelados à educação. A Alfabetizaçãodiz respeito ao primeiro contato do aluno com as principais ferramentas decomunicação: leitura e escrita.O indivíduo alfabetizado é capaz de ler, entender e transmitir determinadas informaçõesatravés da resignificação e da produção de conhecimento dentro do meio em que vive.Para tanto podemos afirmar que a alfabetização promove a socialização do indivíduo e otransforma de fato em um cidadão capaz de entender e "reclamar" dentro da sociedade.Já o processo de Letramento Digital oferece a diversidade de tratamentos de imagens etextos dentro de um novo contexto que é o digital. Segundo (SOARES, 2003) “letrar émais que alfabetizar é ensinar a ler e escrever dentro de um contexto no qual a escrita ea leitura tenham sentido e façam parte da vida das pessoas”. Entendemos o letramentocomo algo a mais que saber digitar em um computador.Letramento pode ser entendido como a inserção do individuo, já alfabetizado, em ummeio de comunicação que amplia sua visão e traz novas oportunidades de práticassociais. Buzato (2003) define o letramento como conjunto de conhecimentos quepermite às pessoas participarem nas práticas letradas mediadas por computadores eoutros dispositivos eletrônicos no mundo contemporâneo. O Letramento Digital vaimuito além de decodificação de textos: é preciso lidar com diferentes práticas de escrita.
  4. 4. Além disso, é preciso também e trazer a oportunidade de utilização das novastecnologias como meio de comunicação no âmbito social. Não favorecendo esse acesso à informática e não a transformando em aliada para a educação, sobretudo das camadas populares, a escola estará contribuindo para mais uma forma de exclusão de seus alunos, lembrando que isso vai excluí-los de muitas outras instâncias da sociedade contemporânea e que exige dos seus cidadãos um grau de letramento cada vez maior. (COSCARELLI, 2005, p.27)Sabemos que hoje a maior parte das pessoas, quando entram em contato com umTelecentro2, mal conseguem ligar o computador. Para Silveira (2005), essas pessoas sãoos analfabetos digitais, ou seja, são aqueles indivíduos que têm total desconhecimentoda tecnologia de informação e de suas possibilidades.3. Processo Educacional e a utilização de ferramentas livresPossibilitar o contato com a linguagem digital é disponibilizar ao aluno a integraçãodireta com a realidade do mundo em que vivemos. Quanto mais inserido o cidadãoestiver nas novas mídias, mas inserido estará no processo da evolução mundial. Dessaforma, poderá construir um melhor entendimento da sociedade e de como está presentedentro dela. É de extrema importância que os próprios professores saibam lidar com asnovas tecnologias e como aplicá-las em sala de aula.É muito comum ver escolas com os famosos "laboratórios de informática", que em suamaioria são mal utilizados pelos professores. Às vezes a própria instituição de ensino"barra" o contato dos alunos ao trancar os laboratórios igualando-os aos laboratórios deexperimentos científicos de acesso restrito. Esse entrave e bloqueio de acesso aoscomputadores exclui os alunos ao acesso pleno a informação.2 Telecentro é um ambiente voltado para a oferta de cursos e treinamentos presenciais e à distância,informações, serviços e oportunidades de negócios visando o fortalecimento das condições decompetitividade da microempresa e da empresa de pequeno porte e o estímulo à criação de novosempreendimentos. Serve como um instrumento para aproximar os empresários, as instituições públicas eprivadas,as organizações não governamentais e a sociedade em geral. É composto por várioscomputadores interligados em rede local e conectados à internet e tem a orientação de monitorescapacitados para atender às demandas dos usuários dos Telecentros. Disponível em: <http://www.telecentros.desenvolvimento.gov.br/sitio/sobre/apresentacao/>.Acesso em 9 de junho de2010,
  5. 5. Uma definição mínima passa pelo acesso ao computador e aos conhecimentos básicos para utilizá-lo. Atualmente, começa a existir um consenso que amplia a noção de exclusão digital e a vincula ao acesso à rede mundial de computadores. A idéia corrente é que um computador desconectado tem uma utilidade extremamente restrita na era da informação, acaba sendo utilizado quase como uma mera máquina de escrever. Existem inúmeras outras definições, mas nesta introdução o termo em questão será considerado como a exclusão do acesso à Internet. Portanto, a inclusão digital dependeria de alguns elementos, tais como o computador, o telefone, o provimento de acesso e a formação básica em softwares aplicativos. (SILVEIRA, 2005, p.18)Desta forma, podemos afirmar que uma das poucas formas de crescimento do cidadão éa educação e que, em um mundo cada vez mais globalizado, ter o domínio dainformação tecnológica é tão importante quanto ser alfabetizado. As ferramentasfacilitadoras desse novo modelo de educação estão cada vez mais disponíveis naInternet em formato livre, ou seja: com um computador conectado a rede é possível seinteirar de milhares de possibilidades de inovação educacional em uma nova plataformadigital.Por se tratar de uma nova tecnologia, a sensação para muitos alunos pode ser denovidade. E, como sabemos, tudo o que é novo pode ser mais atrativo para acuriosidade. O meio digital é apenas mais uma tecnologia, assim como os livros ecadernos também são, porém esses novos meios possibilitam um maiordesenvolvimento da aprendizagem coletiva, já que para muitas dessas novas mídias acolaboração é essencial.O meio digital não fará milagres dentro das salas de aula, mas mostrará um mundo deinformações e dará ao aluno a possibilidade de buscar suas próprias informações. Sãoinúmeros museus e bibliotecas virtuais espalhadas pela rede, o que estimula a busca deinformação e ampliação da mesma entre a sociedade. Um aluno que tem o domínio datécnica de buscar informações na rede pode ser disseminador de informações na "redeoffline3" em que vive, ou seja, será um ampliador de informações da sociedade.Esses novos meios de informação não diminuem o papel do educador em sala de aula,pelo contrário: o educador passa a ser também o mediador das informações. É oeducador que trará as informações necessárias para tornar a sala de aula ainda mais3 De modo oposto, estar offline (ou off-line) representa a indisponibilidade de acesso do usuário à rede ouao sistema de comunicações. Há também em português, nesse sentido, a expressão "fora de linha", que éde uso bem menos frequente. Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/Online>. Acesso em 9 dejunho de 2010.
  6. 6. atrativa. Todo o processo de letramento e de inclusão digital terá forma a partir dosensinamentos do educador que de fato, antes de qualquer coisa, tenha o domínio dalinguagem básica dos computadores, da Internet e das ferramentas livres para utilizá-losem sala de aula. Ao contrário das mídias tradicionais, a rede de computadores é umambiente totalmente colaborativo e de interação. Prova disso é que alguns educadores jáutilizam aplicativos da Internet para promover debates em sala de aula.4. Blog - Diário apropriado para a EducaçãoO ensino da língua está evoluindo para patamares nunca antes alcançados através datecnologia: chats4, fórums5, sites, e-mails6, listas de discussão na internet e os famososblogs estão sendo utilizados cada vez mais como instrumentos de trabalho nasinstituições de ensino. Essas novas mídias são a mais nova tecnologia do ensinomundial. Novos recursos a favor da educação aumentam gradativamente o nível deletramento digital das pessoas. E é exatamente de uma dessas ferramentas livres daInternet que iremos destacar nessa ultima etapa do artigo: o Blog.Antes de colocarmos em questão a utilização dos blogs no processo de LetramentoDigital é necessário entender melhor o real significado da palavra Blog. Para Hewitt(2007), blog é a contratação da expressão inglesa web log. Log significa diário.Portanto, a princípio, podemos definir Blog como um diário online mantido por seuautor.4 Um chat, que em português significa "conversação", ou "bate-papo" usado no Brasil, é um neologismopara designar aplicações de conversação em tempo real. Esta definição inclui programas de IRC,conversação em sítio web ou mensageiros instantâneos. Disponível em<http://pt.wikipedia.org/wiki/Chat>. Acesso em 9 de junho de 2010.5 Fórum de discussão é uma ferramenta para páginas de Internet destinada a promover debates através demensagens publicadas abordando uma mesma questão. Também é chamado de "comunidade" ou "board".Disponível em<http://pt.wikipedia.org/wiki/F%C3%B3rum_de_discuss%C3%A3o>. Acesso em 9 dejunho de 2010.6 E-mail: E-mail, correio-e, ou ainda email é um método que permite compor, enviar e receber mensagensatravés de sistemas eletrônicos de comunicação. O termo e-mail é aplicado tanto aos sistemas queutilizam a Internet e são baseados no protocolo SMTP, como aqueles sistemas conhecidos comointranets, que permitem a troca de mensagens dentro de uma empresa ou organização e são,normalmente, baseados em protocolos proprietários. Disaponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/E-mail>. Acesso em 15 de junho de 2010.
  7. 7. Os primeiros blogs surgiram em meados de 1999, a maioria falava de política e oujornalismo. Nos EUA, no ano de 2004, muitos políticos ganharam eleitores pelaapropriação de seus blogs. Um fato inédito na Internet foi o aumento crescente de blogsde guerra após os atentados de 11 de setembro7. Inúmeras pessoas criaram blogs pararelatar os incidentes da invasão do Iraque, e tiveram um número expressivo de acessos.Essa é uma das provas de que todo mundo pode ter um blog e transmitir suasinformações livremente para quem quer que seja. De cerca de uma dúzia de blogs no início de 1999 para um "iceberg" de blogs de 4,12 milhões em cinco anos: uma explosão de texto impressionante e ainda não muito bem compreendida que foi maior do que qualquer outra na história da humanidade. E daí se a maioria das palavras escritas não era lida? O que importa é a explosão, não seu formato inicial. (HEWITT, 2007, p.102)Assim como citamos anteriormente, com o advento das novas mídias, a tendência deexpansão de informação pela Internet é cada vez maior. As pessoas com acesso à granderede não estão inseridas necessariamente em um ambiente digital, mas também em umambiente único de informações infinitas. Quem já possui domínio dessa novalinguagem digital cria, de maneira acelerada e contínua, conteúdo e informação, alémclaro de consumir informação de terceiros.O que antes era apenas um diário pessoal na Internet passa agora a se transformar emuma ferramenta de transmissão de informação. O blog passou de mero diário para setornar plataforma de livros, pesquisas escolares, sites de empresas, conteúdo jornalísticoe ferramenta para o letramento digital. Os blogs que começaram apenas como diários deregistro online se tornaram ferramentas indispensáveis como fonte de informação eentretenimento.Para que seja denominado blog é necessário ter uma combinação simples que faz toda adiferença para o leitor: texto, imagens e links para outras páginas de blogs e sites. Alémdisso, em um blog o leitor tem a opção de deixar comentários sobre o conteúdo deixadopelo autor. Essa capacidade de leitores escreverem o que pensam no blog de terceirospossibilita o processo de interação na Internet.7 Os ataques terroristas de 11 de setembro de 2001, chamados também de atentados de 11 de setembro de2001, foram uma série de ataques suicidas contra alvos civis nos Estados Unidos, perpetrados em 11 deSetembro de 2001 e atribuídos à organização fundamentalista islâmica Al-Qaeda. Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/Ataques_de_11_de_setembro_de_2001> Acesso em 9 de junho de 2010.
  8. 8. Para integrar o Blog nas práticas pedagógicas é necessário que o professor sejaminimamente inteirado dessa nova ferramenta. Existem vários sites que disponibilizam,gratuitamente, o acesso e a inscrição de domínios para novos blogs. É preciso que oeducador se atualize sempre com relação a esses novos meios já que a rotatividade deinovações é contínua. A blogosfera8 está evoluindo a um ritmo inacreditavelmente acelerado, abocanhando bom número de leitores, mas ainda há excelentes oportunidades entre centenas de milhões que precisam olhar além da TV para perceber que há um acesso mais rápido, mais específico, mais emocionalmente satisfatório à informação. (HEWITT, 2007, p.21)O blog deve ser visto como mais uma ferramenta de suporte dentro de sala de aula.Uma ferramenta a mais que somará na didática do educador e tornará a prática doensino mais atraente. Essa capacidade de atrair a atenção do aluno com a utilização deuma ferramenta digital acontece por ela por si só ser algo novo. Com os aparatosdigitais o educador deixa de lado o quadro negro e passa a trabalhar com a interação dosalunos com textos e imagens digitalizadas.O educador pode oferecer em sala de aula a criação de um blog colaborativo em quetodos os alunos poderão postar textos, imagens e trabalhos apresentados no decorrer doprocesso educativo. O ato de proporcionar aos estudantes a idéia de eles próprios sãoautores de suas publicações no Blog de fato estimulará novas produções.Existem inúmeras ferramentas gratuitas de blogs pela Internet. Hoje em dia é muitofácil criar um blog atrativo que ofereça ferramentas livres que dispensam conhecimentoem HTML9. A maior parte dos blogs possuem sistemas internos que facilitam a8 Blogosfera é o termo coletivo que compreende todos os weblogs (ou blogs) como uma comunidade ourede social. Muitos blogs estão densamente interconectados; blogueiros lêem os blogs uns dos outros,criam enlaces para os mesmos, referem-se a eles na sua própria escrita, e postam comentários nos blogsuns dos outros. Por causa disso, os blogs interconectados criaram sua própria cultura. Outros termos emuso incluem "Blogtopia", "Bloguespaço", "Bloguiverso", "Blogsilvânia" e "Bloguistão". Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/Blogosfera>. Acesso em 15 de junho de 2010.9 HTML: Abrev. HyperText Markup Language. Linguagem de formatação que está na base da web, quedescreve o conteúdo de qualquer página. No que diz respeito aos weblogs, é regra que os templates de umweblog estejam escritos em HTML, eventualmente (hoje em dia, quase sempre) com alguma CSSassociada.
  9. 9. integração de ferramentas de outros sites dentro de suas plataformas. É muito comumacessar um blog e encontrar conteúdo distribuído por outros sites. Sabemos que amaioria dos blogs tem como principal peça de conteúdo o texto, mas com aconvergência das novas mídias é muito comum ver a integração de vídeos do Youtube10e imagens anexadas aos textos fazendo com que, o conteúdo fique cada vez maisatrativo.A utilização de vídeos e áudios nos blogs trouxe a possibilidade de ampliação doconteúdo. Com isso alguns educadores já utilizam essa idéia para estimular seus alunosna produção textual, na criação de imagens digitais e na troca de informação através deBlogs educativos. Existem várias apropriações de blogs no novo formato de ensinobaseado no letramento digital. Um deles é a utilização do blog para a criação do Blog doProfessor.Alguns professores utilizam a ferramenta como maneira fácil e rápida de atualização desuas aulas, do conteúdo dado em sala de aula, o programa a ser seguido, bibliografiasnas quais os alunos poderão ter acesso e resumo. Neste caso o blog torna-se umaespécie de diário de bordo do professor. Dentro desses blogs o educador tem apossibilidade de: publicar material didático, integrar todas os trabalhos dos alunos,trabalhar em colaboração com os alunos, organizar o que cada aluno produziuseparadamente, criar álbuns de fotografias dos alunos, publicar vídeos feitos em sala deaula, uma apresentação de trabalho, manter um histórico de aprendizado de todos osalunos e criar provar e exercícios online.Outros tipos de blogs educativos são aqueles criados pelos próprios alunos com o intuitode publicação de textos produzidos em sala de aula, artigos, pesquisas e trabalhos feitosem sala de aula. Além disso, o aluno cria o hábito de compartilhar informação. Aoinserir links de sites, fontes de pesquisas, autores e publicações o aluno cria um grandebanco de dados que poderá ser compartilho e discutido entre os colegas de classe.10 YouTube é um site que permite que seus usuários carreguem e compartilhem vídeos em formato digital.Foi fundado em fevereiro de 2005 por três pioneiros do PayPal um famoso site da Internet ligado agerenciamento de transferência de fundos. Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/YouTube>.Acesso em 15 de junho de 2010.
  10. 10. Ainda dentro do aspecto de criação de blogs pelos próprios alunos é possível, autilização de blogs para criação de trabalhos em grupo. Dentro de um blog é possível aorganização e colaboração de todos os integrantes de um mesmo grupo de trabalhosempre mediados pelo professor.Em último lugar vem a tona a criação de blogs de disciplinas em especifico.Normalmente criados pelos professores, esses tipos de blogs tem como intuito integrartoda a sala de aula e conteúdo discutido e produzindo durante o ano letivo em um únicolugar.Neste caso todos os alunos participam da criação de textos, imagens e busca devídeos. Esse tipo de blogs é o mais utilizado pelos professores como meio de publicaçãode trabalhos, integração da turma e avaliação do conteúdo oferecido em sala de aula.ConclusãoA utilização de blogs dentro do processo de letramento digital pode fazer com que hajamaior dinamismo e integração na realização de trabalhos escolares, para facilitar o dia-a-dia de professores e alunos que passam a utilizar a ferramenta como ambiente virtualda sala de aula. Tanto para o aluno quanto para o professor é extremamente interessanteque o conteúdo gerado em sala de aula esteja online, isso traz mais facilidade paradebates de conteúdo e pesquisas.Assim podemos concluir que a utilização de blogs dentro de um ambiente escolar vempara somar ao conteúdo já ensinado pelos educadores. É uma forma mais moderna, umnovo atrativo educacional para os alunos que, têm em seus blogs a possibilidade deprodução, inserção e propagação de seus conteúdos escolares para milhares de pessoas.O blog se torna não somente uma ferramenta de inserção de conteúdo, mas também emum canal exclusivo de determinada esfera educacional em que o papel do professor é demostrar o quão precioso é o domínio da informação e o poder que ela tem. Fazer comque os alunos entendam como postar textos, vídeos e imagens em um blog vai muito
  11. 11. mais além de um mero exercício escolar, mas se trata também de inserção social dentrode um ambiente ainda pouco explorado por algumas faixas sociais.Portanto a utilização de blogs como uma ferramenta educacional é de extrema valia noauxílio dos professores em suas atividades em sala. Os blogs permitem que alunosexponham para o mundo suas “criações” de forma fácil, rápida e sem custo, e isso dealguma forma influencia na vida de cada um deles. O que antes poderia ser um merotrabalho escolar agora pode ser visto e consultado por outros alunos, pesquisadores eprofessores em qualquer lugar do mundo com apenas um click.O uso dos blogs em sala de aula traz a idéia de que todos têm direito a participar dacomunicação e troca de informação de uma maneira geral. Esse novo tipo de tecnologiana escola é praticamente inevitável. Nesse caso o educador passa a ser um mediadordessa nova ferramenta que não tem o intuito de tomar o espaço dos livros e das antigasplataformas de ensino. Pelo contrário, os blogs vieram para somar e modernizar oambiente educacional.
  12. 12. Referências BibliográficasALMEIDA, Rubens Queiroz de. “O leitor navegador (I)” in: SILVA, EzequielTheodoro da (coord.). A leitura nos oceanos da Internet. São Paulo: Cortez, 2003a.BUZATO, M. E. K. Letramento e inclusão: do estado-nação à era das TIC. DELTA.Documentação de Estudos em Lingüística Teórica e Aplicada, v. 25, p. 1-38, 2009.COSCARELLI, Carla Viana. Letramento digital – aspectos sociais e possibilidadespedagógicas. In: _____. , RIBEIRO, Ana Elisa (Orgs.). Letramento digital: aspectossociais e práticas pedagógicas. 2ª Ed. Belo Horizonte: Ceale, Autêntica, 2007.HEWITT, Hugh. Blog – Entenda a revolução que vai mudar seu mundo. ThomasNelson Publishers, 2007.LÉVY, P. As tecnologias da inteligência – O futuro do pensamento na era dainformática. Trad. Carlos Irineu da Costa. Rio de Janeiro: Editora 34, 1993.RECUERO, Raquel da Cunha. Redes Sociais na Internet. Porto Alegre: Sulina, 2009.SILVEIRA, Sérgio Amadeu (Org.); Cassino (Org.) . Software Livre e Inclusão Digital.1. ed. São Paulo: Conrad Editora do Brasil, 2003. v. 01. 340 p.
  13. 13. SOARES, Magda. Letramento: um tema em três gêneros. Belo Horizonte, MinasGerais: Autêntica,1998.SOUZA, R.A. Comunicação mediada pelo computador: o caso do chat. In:COSCARELI, C.V.(org.) Novas tecnologias, novos textos, novas formas de pensar.Belo Horizonte: Autêntica, 2002.XAVIER, A. C. S. Letramento Digital e Ensino. In: SANTOS.C.F. e MENDONÇA. M.(org) Alfabetização e Letramento: conceitos e relações. Autêntica. Belo Horizonte,2005. Disponível em <http://www.ufpe.br/nehte/artigos/Letramento-Digital-Xavier.pdf>. Acesso em 12 maio 2010.Weblogs, webrings e comunidades virtuais. Disponível em:<http://www.pontomidia.com.br/raquel/webrings.pdf>. Acesso em 16 set 2004b.

×