Ideiais Nacionalistas

16.109 visualizações

Publicada em

Ideiais Nacionalistas

  1. 1. Ideais nacionalistas O nacionalismo era considerado uma doutrina, filosofia política que pregava valores como o bem estar social. A concepção do nacilionalismo situa-se na Revolução Francesa. Durante o século XVIII e o XIX, com o desenvolvimento da revolução industrial os ideias nacionalistas se propagaram junto com desenvolvimento da economia nacional, a ascensão da classe média, as demandas populares de um governo representativo e o desejo imperialista. Na América Latina, as idéias nacionalistas se disseminaram no início do século XX, associados a um projeto de desenvolvimento de uma economia nacional.  Num primeiro momento este movimento teve características conservadoras e antiliberais. As idéias nacionalistas foram associadas ao pensamento de esquerda de caráter antimperialista que defendia o desenvolvimento.
  2. 2. Os ideais nacionalistas surgiram no Brasil misturando-se, aos projetos de desenvolvimento da economia e o progresso político que teve origem no tenentismo da década de 20 e na revolução da década de 30. Após a Segunda Guerra Mundial, surgiu o nacionalismo brasileiro com seu princípio definido. Este era: a independência econômica, ou seja, a transferência do controle da economia brasileira e do objetivo econômico do país no comando brasileiro. As políticas adotadas buscaram: a industrialização e o progresso da tecnologia; a função keynesianista do estado em relação a economia, o estado interferiu em todos os setores que promovessem a industrialização. Os principais acontecimentos da euforia nacionalista no Brasil foram: a criação da siderúrgica de Volta Redonda, na década de 40; o estabelecimento de um monopólio estatal pelo governo e o refino do petróleo incentivado pelo governo, que culminou com a criação da Petrobrás, na década de 50. Os ideais nacionalistas no Brasil:
  3. 3. A industrialização brasileira aconteceu mediante a substituição de importações, com o incentivo do governo à produção no Brasil de bens primários de consumo por estatais. Esse modelo, que se acentuou com o golpe de 64, teve vários resultados: a manutenção do mercado interno ajudou de forma unânime para o progresso quantitativo, a ampliação da parque industrial e o aprimoramento das máquinas nas fábricas; ao mesmo tempo, a falta de competição, prejudicou o aprimoramento do produto final destinado a um mercado consumidor sem parâmetros de qualidade. Por fim o papel do estado na economia se tornou incontrolavelmente amplo, os setores comandados pelo governo eram, desde o financiamento direto aos produtores por meio de agentes bancários e até nos setores de produção, onde a interferência do estado era desnecessária. A partir da recessão mundial da década de 1980, intensificou-se no país a discussão sobre a adequação do modelo econômico dirigido pelo Estado e as reais finalidades da atividade estatal para o bem-estar da população; quando ouve o ufanismo neoliberal, no Brasil e no mundo. Modelo nacionalista de industrialização:

×