SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 19
AMPLIAÇÃO DA MEDICINA NUCLEAR
(GAMA - CÂMARA, SPECT E PET)
(Nome)
Medicina Nuclear
 Utiliza pequenas quantidades de substâncias radioativas ou "traçadores" para o
diagnóstico ou tratamento de doenças.
 mostra a causa da doença;
 função dos órgãos e tecidos.
 Câmara:
 câmara gama ou câmara de cintilação;
 transformação das emissões em imagens;
 informações de como se encontra a função do órgão em estudo.
 O médico nuclear:
 interpreta estes estudos (ou cintilografias);
 determina qual a causa da doença.
 Utiliza técnicas seguras e indolores para formar imagens do corpo e tratar doenças.
 Única por revelar dados sobre a anatomia e a função dos órgãos.
 É uma maneira de coletar informações de diagnóstico médico que, de outra forma,
não estariam disponíveis.
 requereriam cirurgia;
 exames de diagnóstico mais caros.
 A avaliação funcional realizada pela medicina nuclear traz, muitas vezes, informações
diagnósticas de forma precoce em diferentes patologias.
Como se realiza um exame de M.N
 3 passos principais:
 administração do traçador;
 aquisição de imagens;
 análise das imagens.
 A aquisição das imagens, que pode variar de poucas horas/dias.
 Possui detectores especiais que podem captar a imagem dos materiais
radioativos localizados dentro do corpo.
 A imagem, gravada em filme ou em um computador, é, então, avaliada
por seu médico
Em quais casos é indicado
 Danos fisiológicos ao coração;
 Restrição do fluxo sangüíneo ao cérebro;
 Tireóide, rins, fígado e pulmões;
 Tratamento do hipertireoidismo;
 Alívio da dor para certos tipos de câncer dos ossos.
SPECT - tomografia computadorizada por emissão
de fóton único
Radiofarmácia
 RADIOISÓTOPOS: substâncias que emitem radiação, utilizados no seu estado livre
(não marcado) para a obtenção de imagens.
 Os mais usados : Tc99m, I¹³¹ (Iodo) , Tl201 (Tálio), Ga67 (Gálio), Sm153 (Samário) .
 RADIOFÁRMACOS: Quando se adiciona substâncias (fármacos) aos radioisótopos.
Apresentam afinidades químicas por determinados órgãos do corpo e são utilizados
para transportar a substância radioativa para o órgão a ser estudado.
Componentes da câmara gama
 Colimador – permite que os raios gama viagem numa certa direção e atinjam o
detector;
 Cristal – receptor da radiação;
 Fotomultiplicadores – multiplicam o sinal produzido pela luz incidente;
Formação da imagem
 Gama câmara é rotacionada em volta do paciente, capturando múltiplas imagens
bidimensionais (2D);
 A radiação é captada em pontos definidos durante a rotação (normalmente a cada 3-6
graus);
 Tempo de captação é variável (15 a 20 segundos); As imagens podem ser preto e
branco ou coloridas;
 A resolução da imagem depende :
 Energia;
 Espessura do cristal;
 Eficiência de coleta;
 Distância;
 Diâmetro dos furos do colimador.
Aplicações na medicina
 Perfusão de miocárdio;
 Cintilografia óssea;
 Cintilografia de ventilação e de perfusão;
 Perfusão cerebral.
PET/CT – Tomografia por emissão de
pósitron/Tomografia computadorizada
Desenvolvido: Edward Hoffman e Michael E. Phelps em 1973, EUA
Câmara de cintilação
 Na parte frontal, acomoda um tomógrafo computadorizado (CT) e na parte
traseira, acopla o PET.
Detectores
 PET é constituído por 18.400 cristais BGO, os quais detectam duas lesões a uma
distância de 4,5 mm;
 CT – uma tomografia que consegue fazer uma varredura do corpo todo do paciente
em menos de 2 minutos, permitindo cortes com espessura mínima de 1 mm.
Formação da imagem PET/TC
 A imagem é formada pela emissão dos pósitron pelos radionúcleos fixados nos órgãos
do paciente;
 O computador reconstrói os locais de emissão de pósitrons a partir das energias e
direções de cada par de raios gamas;
 Gerando imagens tridimensionais (3D).
Radionuclídeos
 Flúor-18 (FDG- fluorodeoxiglicose) análogo da glicose – Utilizado para estudar o
metabolismo dos órgão e tecidos (meia-vida 2 horas);
 Nitrogênio-13 – Utilizado para estudar perfusão sanguínea de um órgão.
 Oxigênio-15 – Utilizado nos estudos do cérebro;
 Rubídio 82 – Utilizado em estudos de perfusão cardíacos.
Aplicações do exame PET
 PET oncológico – detecta células com alto consumo de glicose;
 PET do cérebro – avalia perfusão sanguínea e atividade de diferentes regiões do
cérebro;
 PET cardíaco – usadas para detectar áreas isquêmicas e fibrosadas.
Conclusão
 Fornece informações que outros métodos não apresentam;
 Sensibilidade elevada em detectar alterações na função de um determinado órgão;
 Os exames são mais sensíveis para detecção de doenças do que a maioria dos outros
exames de diagnóstico;
 Identifica as alterações muito antes do problema se tornar aparente por outros exames.
Referências Bibliográficas
 http://www.cmnabc.com.br/cmnframes.html
 http://www.siemens.com.br/templates/coluna1.aspx?channel=2110&channel_pri_nive
l=2110
 http://www.rem.ind.br/nuclear/medicina_nuclear.asp
 http://www.biodieselbr.com/energia/nuclear/energia-nuclear-saude.htm
 http://pt.wikipedia.org/wiki/Cintigrafia
 http://www.indatir.org.br/o_iodo_t.htm
 http://www.ipen.br
 http://www.santajoana.com.br/servicos/diagnostico_por_imagem.shtml
 http://www.fismed.ufrgs.br/cintilografia.htm
 http://neuroimagens.blog.com/563819/
Muito Obrigada!
(Nome)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Meios de contraste 2
Meios de contraste 2Meios de contraste 2
Meios de contraste 2Edna Souza
 
apostila de radiologia
apostila de radiologiaapostila de radiologia
apostila de radiologianetdow livros
 
EXAMES CONTRASTADOS - INTRODUÇÃO
EXAMES CONTRASTADOS - INTRODUÇÃOEXAMES CONTRASTADOS - INTRODUÇÃO
EXAMES CONTRASTADOS - INTRODUÇÃOMagno Cavalheiro
 
Aula de tomografia 2019
Aula de tomografia   2019Aula de tomografia   2019
Aula de tomografia 2019FLAVIO LOBATO
 
Radiology formação e qualidade da imagem em filme - écran
Radiology formação e qualidade da imagem em filme - écranRadiology formação e qualidade da imagem em filme - écran
Radiology formação e qualidade da imagem em filme - écranCristiane Dias
 
Equipamentos e Acessórios em radioimaginologia
Equipamentos e Acessórios em radioimaginologiaEquipamentos e Acessórios em radioimaginologia
Equipamentos e Acessórios em radioimaginologiaHeraldo Silva
 
Medicina nuclear introdução e assuntos pertinentes à radiologia
Medicina nuclear introdução e assuntos pertinentes à radiologia Medicina nuclear introdução e assuntos pertinentes à radiologia
Medicina nuclear introdução e assuntos pertinentes à radiologia Wendesor Oliveira
 
Aula 02 física do raio x e bases de exames
Aula 02 física do raio x e bases de examesAula 02 física do raio x e bases de exames
Aula 02 física do raio x e bases de examesRicardo Aguiar
 
Interação da Radiação com a Matéria I
Interação da Radiação com a Matéria IInteração da Radiação com a Matéria I
Interação da Radiação com a Matéria Iarianepenna
 

Mais procurados (20)

PROFISSÃO: TECNÓLOGO EM RADIOLOGIA
PROFISSÃO: TECNÓLOGO EM RADIOLOGIAPROFISSÃO: TECNÓLOGO EM RADIOLOGIA
PROFISSÃO: TECNÓLOGO EM RADIOLOGIA
 
Meios de contraste 2
Meios de contraste 2Meios de contraste 2
Meios de contraste 2
 
apostila de radiologia
apostila de radiologiaapostila de radiologia
apostila de radiologia
 
Aula 1 câmara escura
Aula 1   câmara escuraAula 1   câmara escura
Aula 1 câmara escura
 
EXAMES CONTRASTADOS - INTRODUÇÃO
EXAMES CONTRASTADOS - INTRODUÇÃOEXAMES CONTRASTADOS - INTRODUÇÃO
EXAMES CONTRASTADOS - INTRODUÇÃO
 
Radioterapia
RadioterapiaRadioterapia
Radioterapia
 
Mamografia 2
Mamografia 2Mamografia 2
Mamografia 2
 
Aula de tomografia 2019
Aula de tomografia   2019Aula de tomografia   2019
Aula de tomografia 2019
 
Radiology formação e qualidade da imagem em filme - écran
Radiology formação e qualidade da imagem em filme - écranRadiology formação e qualidade da imagem em filme - écran
Radiology formação e qualidade da imagem em filme - écran
 
Densitometriaossea
DensitometriaosseaDensitometriaossea
Densitometriaossea
 
Ressonancia magnetica
Ressonancia magneticaRessonancia magnetica
Ressonancia magnetica
 
Meios de contraste
Meios de contrasteMeios de contraste
Meios de contraste
 
Aula 01 proteção radiológica
Aula 01  proteção radiológicaAula 01  proteção radiológica
Aula 01 proteção radiológica
 
Equipamentos e Acessórios em radioimaginologia
Equipamentos e Acessórios em radioimaginologiaEquipamentos e Acessórios em radioimaginologia
Equipamentos e Acessórios em radioimaginologia
 
Medicina nuclear introdução e assuntos pertinentes à radiologia
Medicina nuclear introdução e assuntos pertinentes à radiologia Medicina nuclear introdução e assuntos pertinentes à radiologia
Medicina nuclear introdução e assuntos pertinentes à radiologia
 
Principios da radiologia
Principios da radiologiaPrincipios da radiologia
Principios da radiologia
 
Aula 02 física do raio x e bases de exames
Aula 02 física do raio x e bases de examesAula 02 física do raio x e bases de exames
Aula 02 física do raio x e bases de exames
 
Interação da Radiação com a Matéria I
Interação da Radiação com a Matéria IInteração da Radiação com a Matéria I
Interação da Radiação com a Matéria I
 
Aula radioproteção
Aula radioproteçãoAula radioproteção
Aula radioproteção
 
RADIOLOGIA DIGITAL
RADIOLOGIA DIGITALRADIOLOGIA DIGITAL
RADIOLOGIA DIGITAL
 

Destaque

SPECT e PET/CT: Física básica, radioproteção e dosimetria
SPECT e PET/CT: Física básica, radioproteção e dosimetriaSPECT e PET/CT: Física básica, radioproteção e dosimetria
SPECT e PET/CT: Física básica, radioproteção e dosimetriaTadeu Kubo
 
Cintilografia: Medicina Nuclear - Conteúdo vinculado ao blog http://fisi...
Cintilografia: Medicina Nuclear - Conteúdo vinculado ao blog      http://fisi...Cintilografia: Medicina Nuclear - Conteúdo vinculado ao blog      http://fisi...
Cintilografia: Medicina Nuclear - Conteúdo vinculado ao blog http://fisi...Rodrigo Penna
 
Medicina Nuclear - Camara Gamma
Medicina Nuclear - Camara GammaMedicina Nuclear - Camara Gamma
Medicina Nuclear - Camara GammaManuel Lazaro
 
Medicina Nuclear
Medicina NuclearMedicina Nuclear
Medicina Nuclearfcisilotto
 
Uso de Cintiladores como Método de Análise - Conteúdo vinculado ao blog ...
Uso de Cintiladores como Método de Análise - Conteúdo vinculado ao blog      ...Uso de Cintiladores como Método de Análise - Conteúdo vinculado ao blog      ...
Uso de Cintiladores como Método de Análise - Conteúdo vinculado ao blog ...Rodrigo Penna
 
Depression Summary Portuguese
Depression Summary PortugueseDepression Summary Portuguese
Depression Summary PortugueseClaudio Pericles
 
Magnetoencefalografia y magnetocardiografia
Magnetoencefalografia y magnetocardiografia   Magnetoencefalografia y magnetocardiografia
Magnetoencefalografia y magnetocardiografia Marcelo Silami
 
Cintilografia de perfusão do miocárdio na miocardiopatia hipertrófica
Cintilografia de perfusão do miocárdio na miocardiopatia hipertróficaCintilografia de perfusão do miocárdio na miocardiopatia hipertrófica
Cintilografia de perfusão do miocárdio na miocardiopatia hipertróficaJoao Bruno Oliveira
 
Aplicações da Medicina Nuclear em Mastologia
Aplicações da Medicina Nuclear em MastologiaAplicações da Medicina Nuclear em Mastologia
Aplicações da Medicina Nuclear em Mastologiacaduanselmi
 
Medicina nuclear introducao
Medicina nuclear introducaoMedicina nuclear introducao
Medicina nuclear introducaoTamara Garcia
 
Controle dos Movimentos nas Plantas - Control of Movement in Plants
 Controle dos Movimentos nas Plantas - Control of Movement in Plants Controle dos Movimentos nas Plantas - Control of Movement in Plants
Controle dos Movimentos nas Plantas - Control of Movement in PlantsLídia Pavan
 
História da música - History of Music in Brazil
História da música  -  History of Music in BrazilHistória da música  -  History of Music in Brazil
História da música - History of Music in BrazilLídia Pavan
 
Trabalho de hospitalar Radiofarmacos
Trabalho de hospitalar Radiofarmacos Trabalho de hospitalar Radiofarmacos
Trabalho de hospitalar Radiofarmacos Mabi Almeida
 
Santa Casa - Jornada De Tec Radiol Petct
Santa Casa - Jornada De Tec Radiol PetctSanta Casa - Jornada De Tec Radiol Petct
Santa Casa - Jornada De Tec Radiol Petctcaduanselmi
 

Destaque (20)

SPECT e PET/CT: Física básica, radioproteção e dosimetria
SPECT e PET/CT: Física básica, radioproteção e dosimetriaSPECT e PET/CT: Física básica, radioproteção e dosimetria
SPECT e PET/CT: Física básica, radioproteção e dosimetria
 
Cintilografia: Medicina Nuclear - Conteúdo vinculado ao blog http://fisi...
Cintilografia: Medicina Nuclear - Conteúdo vinculado ao blog      http://fisi...Cintilografia: Medicina Nuclear - Conteúdo vinculado ao blog      http://fisi...
Cintilografia: Medicina Nuclear - Conteúdo vinculado ao blog http://fisi...
 
Medicina Nuclear - Camara Gamma
Medicina Nuclear - Camara GammaMedicina Nuclear - Camara Gamma
Medicina Nuclear - Camara Gamma
 
Medicina Nuclear
Medicina NuclearMedicina Nuclear
Medicina Nuclear
 
Medicina Nuclear.
Medicina Nuclear.Medicina Nuclear.
Medicina Nuclear.
 
Apostila1cnen
Apostila1cnenApostila1cnen
Apostila1cnen
 
Uso de Cintiladores como Método de Análise - Conteúdo vinculado ao blog ...
Uso de Cintiladores como Método de Análise - Conteúdo vinculado ao blog      ...Uso de Cintiladores como Método de Análise - Conteúdo vinculado ao blog      ...
Uso de Cintiladores como Método de Análise - Conteúdo vinculado ao blog ...
 
Depression Summary Portuguese
Depression Summary PortugueseDepression Summary Portuguese
Depression Summary Portuguese
 
Magnetoencefalografia y magnetocardiografia
Magnetoencefalografia y magnetocardiografia   Magnetoencefalografia y magnetocardiografia
Magnetoencefalografia y magnetocardiografia
 
Cintilografia de perfusão do miocárdio na miocardiopatia hipertrófica
Cintilografia de perfusão do miocárdio na miocardiopatia hipertróficaCintilografia de perfusão do miocárdio na miocardiopatia hipertrófica
Cintilografia de perfusão do miocárdio na miocardiopatia hipertrófica
 
Aplicações da Medicina Nuclear em Mastologia
Aplicações da Medicina Nuclear em MastologiaAplicações da Medicina Nuclear em Mastologia
Aplicações da Medicina Nuclear em Mastologia
 
Medicina nuclear introducao
Medicina nuclear introducaoMedicina nuclear introducao
Medicina nuclear introducao
 
Clase 1 Mn
Clase 1 MnClase 1 Mn
Clase 1 Mn
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
 
Controle dos Movimentos nas Plantas - Control of Movement in Plants
 Controle dos Movimentos nas Plantas - Control of Movement in Plants Controle dos Movimentos nas Plantas - Control of Movement in Plants
Controle dos Movimentos nas Plantas - Control of Movement in Plants
 
História da música - History of Music in Brazil
História da música  -  History of Music in BrazilHistória da música  -  History of Music in Brazil
História da música - History of Music in Brazil
 
Radiologiarevisoaula1 130805121215-phpapp01
Radiologiarevisoaula1 130805121215-phpapp01Radiologiarevisoaula1 130805121215-phpapp01
Radiologiarevisoaula1 130805121215-phpapp01
 
Tom cruise
Tom cruiseTom cruise
Tom cruise
 
Trabalho de hospitalar Radiofarmacos
Trabalho de hospitalar Radiofarmacos Trabalho de hospitalar Radiofarmacos
Trabalho de hospitalar Radiofarmacos
 
Santa Casa - Jornada De Tec Radiol Petct
Santa Casa - Jornada De Tec Radiol PetctSanta Casa - Jornada De Tec Radiol Petct
Santa Casa - Jornada De Tec Radiol Petct
 

Semelhante a Aplicação da medicina nuclear - Expansion of Nuclear Medicine

Medicina Nuclear
Medicina NuclearMedicina Nuclear
Medicina Nuclearlilitha
 
Cintilografia ossea instrumentação
Cintilografia  ossea instrumentaçãoCintilografia  ossea instrumentação
Cintilografia ossea instrumentaçãoRodrigo Pina Almeida
 
Ressonancia magnetica professor desconhecido.pdf
Ressonancia magnetica professor desconhecido.pdfRessonancia magnetica professor desconhecido.pdf
Ressonancia magnetica professor desconhecido.pdfPatriciaFarias81
 
Ressonancia magnetica
Ressonancia magneticaRessonancia magnetica
Ressonancia magneticaTamilaLima
 
Benefícios da Radiação - Raios X
Benefícios da Radiação - Raios XBenefícios da Radiação - Raios X
Benefícios da Radiação - Raios XProfªThaiza Montine
 
Nuclear Medicine Lecture
Nuclear Medicine LectureNuclear Medicine Lecture
Nuclear Medicine LectureRoseliMartins17
 
Tomografia Computadorizada - Introdução
Tomografia Computadorizada - IntroduçãoTomografia Computadorizada - Introdução
Tomografia Computadorizada - Introduçãocelais0814
 
Importancia da radio imagiologia no diagnostico medico(1)
Importancia da radio imagiologia no diagnostico medico(1)Importancia da radio imagiologia no diagnostico medico(1)
Importancia da radio imagiologia no diagnostico medico(1)alvido muaviraca
 
Introdução à radiologia red. giordano
Introdução à radiologia red. giordanoIntrodução à radiologia red. giordano
Introdução à radiologia red. giordanogrtalves
 
Medicina Nuclear Por norma geral
Medicina Nuclear Por norma geralMedicina Nuclear Por norma geral
Medicina Nuclear Por norma geralMcManusMcManus5
 
Aula 8 - Medicina Nuclear.pdf
Aula 8 - Medicina Nuclear.pdfAula 8 - Medicina Nuclear.pdf
Aula 8 - Medicina Nuclear.pdfMaria santos
 
Qualificação Profissional
Qualificação ProfissionalQualificação Profissional
Qualificação ProfissionalOsvaldo Machado
 
Apresentação3.pptx fisica das radiaçaaooooo3
Apresentação3.pptx fisica das radiaçaaooooo3Apresentação3.pptx fisica das radiaçaaooooo3
Apresentação3.pptx fisica das radiaçaaooooo3marioaraujorosas1
 
Tomografia computadorizada tecnologia_e_funcionamento_equipamentos
Tomografia computadorizada tecnologia_e_funcionamento_equipamentosTomografia computadorizada tecnologia_e_funcionamento_equipamentos
Tomografia computadorizada tecnologia_e_funcionamento_equipamentoswelberrj
 

Semelhante a Aplicação da medicina nuclear - Expansion of Nuclear Medicine (20)

Medicina Nuclear
Medicina NuclearMedicina Nuclear
Medicina Nuclear
 
Cintilografia ossea instrumentação
Cintilografia  ossea instrumentaçãoCintilografia  ossea instrumentação
Cintilografia ossea instrumentação
 
Apostila tomografia prof. ricardo pereira
Apostila tomografia   prof. ricardo pereiraApostila tomografia   prof. ricardo pereira
Apostila tomografia prof. ricardo pereira
 
Ressonancia magnetica professor desconhecido.pdf
Ressonancia magnetica professor desconhecido.pdfRessonancia magnetica professor desconhecido.pdf
Ressonancia magnetica professor desconhecido.pdf
 
Ressonancia magnetica
Ressonancia magneticaRessonancia magnetica
Ressonancia magnetica
 
Tomografia computadorizada
Tomografia computadorizadaTomografia computadorizada
Tomografia computadorizada
 
Benefícios da Radiação - Raios X
Benefícios da Radiação - Raios XBenefícios da Radiação - Raios X
Benefícios da Radiação - Raios X
 
Nuclear Medicine Lecture
Nuclear Medicine LectureNuclear Medicine Lecture
Nuclear Medicine Lecture
 
DiagnóStico Por Imagem Prof Vagner Sá
DiagnóStico Por Imagem   Prof  Vagner SáDiagnóStico Por Imagem   Prof  Vagner Sá
DiagnóStico Por Imagem Prof Vagner Sá
 
Tomografia Computadorizada - Introdução
Tomografia Computadorizada - IntroduçãoTomografia Computadorizada - Introdução
Tomografia Computadorizada - Introdução
 
Importancia da radio imagiologia no diagnostico medico(1)
Importancia da radio imagiologia no diagnostico medico(1)Importancia da radio imagiologia no diagnostico medico(1)
Importancia da radio imagiologia no diagnostico medico(1)
 
Aplicação da radioatividade na medicina
Aplicação da radioatividade na medicinaAplicação da radioatividade na medicina
Aplicação da radioatividade na medicina
 
Introdução à radiologia red. giordano
Introdução à radiologia red. giordanoIntrodução à radiologia red. giordano
Introdução à radiologia red. giordano
 
Medicina Nuclear Por norma geral
Medicina Nuclear Por norma geralMedicina Nuclear Por norma geral
Medicina Nuclear Por norma geral
 
Aula 8 - Medicina Nuclear.pdf
Aula 8 - Medicina Nuclear.pdfAula 8 - Medicina Nuclear.pdf
Aula 8 - Medicina Nuclear.pdf
 
Qualificação Profissional
Qualificação ProfissionalQualificação Profissional
Qualificação Profissional
 
Radioisotopos
RadioisotoposRadioisotopos
Radioisotopos
 
Apresentação3.pptx fisica das radiaçaaooooo3
Apresentação3.pptx fisica das radiaçaaooooo3Apresentação3.pptx fisica das radiaçaaooooo3
Apresentação3.pptx fisica das radiaçaaooooo3
 
Tomografia computadorizada tecnologia_e_funcionamento_equipamentos
Tomografia computadorizada tecnologia_e_funcionamento_equipamentosTomografia computadorizada tecnologia_e_funcionamento_equipamentos
Tomografia computadorizada tecnologia_e_funcionamento_equipamentos
 
Ressonância magnética
Ressonância magnéticaRessonância magnética
Ressonância magnética
 

Mais de Lídia Pavan

Fisiologia Cap 29 Guyton Regulación renal del K, Ca, el fosfato y el Mg;
Fisiologia Cap 29 Guyton Regulación renal del K, Ca, el fosfato y el Mg; Fisiologia Cap 29 Guyton Regulación renal del K, Ca, el fosfato y el Mg;
Fisiologia Cap 29 Guyton Regulación renal del K, Ca, el fosfato y el Mg; Lídia Pavan
 
Regulación enzimática/Enzymatic regulations of Biochemistry
Regulación enzimática/Enzymatic regulations of BiochemistryRegulación enzimática/Enzymatic regulations of Biochemistry
Regulación enzimática/Enzymatic regulations of BiochemistryLídia Pavan
 
Ideologia no Cotidiano - Ideology in Everyday Life
Ideologia no Cotidiano  -  Ideology in Everyday LifeIdeologia no Cotidiano  -  Ideology in Everyday Life
Ideologia no Cotidiano - Ideology in Everyday LifeLídia Pavan
 
Evolução da fotografia - Evolution of Photography
Evolução da fotografia  -  Evolution of PhotographyEvolução da fotografia  -  Evolution of Photography
Evolução da fotografia - Evolution of PhotographyLídia Pavan
 
Surrealismo - Surrealism
Surrealismo  -  SurrealismSurrealismo  -  Surrealism
Surrealismo - SurrealismLídia Pavan
 
Relevo brasileiro - Brazilian Relief
Relevo brasileiro  -  Brazilian ReliefRelevo brasileiro  -  Brazilian Relief
Relevo brasileiro - Brazilian ReliefLídia Pavan
 
Placas tectônicas - Tectonic Plates of Brazil
Placas tectônicas  -  Tectonic Plates of BrazilPlacas tectônicas  -  Tectonic Plates of Brazil
Placas tectônicas - Tectonic Plates of BrazilLídia Pavan
 
Doce Inferno - açúcar - guerra e escravidão no Brasil holandês - Sweet Hel...
Doce Inferno - açúcar - guerra e escravidão no Brasil holandês  -   Sweet Hel...Doce Inferno - açúcar - guerra e escravidão no Brasil holandês  -   Sweet Hel...
Doce Inferno - açúcar - guerra e escravidão no Brasil holandês - Sweet Hel...Lídia Pavan
 
Artes Plásticas no Brasil - Fine Arts in Brazil
Artes Plásticas no Brasil  -  Fine Arts in BrazilArtes Plásticas no Brasil  -  Fine Arts in Brazil
Artes Plásticas no Brasil - Fine Arts in BrazilLídia Pavan
 
Divisões das Ciências Sociais - Divisions of Social Sciences
Divisões das Ciências Sociais  -  Divisions of Social SciencesDivisões das Ciências Sociais  -  Divisions of Social Sciences
Divisões das Ciências Sociais - Divisions of Social SciencesLídia Pavan
 
História da Música - History of Music
História da Música  -  History of Music História da Música  -  History of Music
História da Música - History of Music Lídia Pavan
 
A democracia no Brasil - The Democracy in Brazil
A democracia no Brasil  -  The Democracy in BrazilA democracia no Brasil  -  The Democracy in Brazil
A democracia no Brasil - The Democracy in BrazilLídia Pavan
 
Tecido Sanguíneo - Blood Tissue
Tecido Sanguíneo - Blood TissueTecido Sanguíneo - Blood Tissue
Tecido Sanguíneo - Blood TissueLídia Pavan
 
Romantismo em Portugal - Romanticism in Portugal
Romantismo em Portugal  -  Romanticism in PortugalRomantismo em Portugal  -  Romanticism in Portugal
Romantismo em Portugal - Romanticism in PortugalLídia Pavan
 

Mais de Lídia Pavan (20)

Trauma vascular
Trauma vascularTrauma vascular
Trauma vascular
 
Fisiologia Cap 29 Guyton Regulación renal del K, Ca, el fosfato y el Mg;
Fisiologia Cap 29 Guyton Regulación renal del K, Ca, el fosfato y el Mg; Fisiologia Cap 29 Guyton Regulación renal del K, Ca, el fosfato y el Mg;
Fisiologia Cap 29 Guyton Regulación renal del K, Ca, el fosfato y el Mg;
 
Regulación enzimática/Enzymatic regulations of Biochemistry
Regulación enzimática/Enzymatic regulations of BiochemistryRegulación enzimática/Enzymatic regulations of Biochemistry
Regulación enzimática/Enzymatic regulations of Biochemistry
 
Ideologia no Cotidiano - Ideology in Everyday Life
Ideologia no Cotidiano  -  Ideology in Everyday LifeIdeologia no Cotidiano  -  Ideology in Everyday Life
Ideologia no Cotidiano - Ideology in Everyday Life
 
Evolução da fotografia - Evolution of Photography
Evolução da fotografia  -  Evolution of PhotographyEvolução da fotografia  -  Evolution of Photography
Evolução da fotografia - Evolution of Photography
 
Present perfect
Present perfectPresent perfect
Present perfect
 
Marc ferrez
Marc ferrezMarc ferrez
Marc ferrez
 
Surrealismo - Surrealism
Surrealismo  -  SurrealismSurrealismo  -  Surrealism
Surrealismo - Surrealism
 
Cores - Colors
Cores  -  ColorsCores  -  Colors
Cores - Colors
 
Relevo brasileiro - Brazilian Relief
Relevo brasileiro  -  Brazilian ReliefRelevo brasileiro  -  Brazilian Relief
Relevo brasileiro - Brazilian Relief
 
Placas tectônicas - Tectonic Plates of Brazil
Placas tectônicas  -  Tectonic Plates of BrazilPlacas tectônicas  -  Tectonic Plates of Brazil
Placas tectônicas - Tectonic Plates of Brazil
 
Doce Inferno - açúcar - guerra e escravidão no Brasil holandês - Sweet Hel...
Doce Inferno - açúcar - guerra e escravidão no Brasil holandês  -   Sweet Hel...Doce Inferno - açúcar - guerra e escravidão no Brasil holandês  -   Sweet Hel...
Doce Inferno - açúcar - guerra e escravidão no Brasil holandês - Sweet Hel...
 
Artes Plásticas no Brasil - Fine Arts in Brazil
Artes Plásticas no Brasil  -  Fine Arts in BrazilArtes Plásticas no Brasil  -  Fine Arts in Brazil
Artes Plásticas no Brasil - Fine Arts in Brazil
 
Divisões das Ciências Sociais - Divisions of Social Sciences
Divisões das Ciências Sociais  -  Divisions of Social SciencesDivisões das Ciências Sociais  -  Divisions of Social Sciences
Divisões das Ciências Sociais - Divisions of Social Sciences
 
História da Música - History of Music
História da Música  -  History of Music História da Música  -  History of Music
História da Música - History of Music
 
A democracia no Brasil - The Democracy in Brazil
A democracia no Brasil  -  The Democracy in BrazilA democracia no Brasil  -  The Democracy in Brazil
A democracia no Brasil - The Democracy in Brazil
 
Tecido Sanguíneo - Blood Tissue
Tecido Sanguíneo - Blood TissueTecido Sanguíneo - Blood Tissue
Tecido Sanguíneo - Blood Tissue
 
Russia
RussiaRussia
Russia
 
Romantismo em Portugal - Romanticism in Portugal
Romantismo em Portugal  -  Romanticism in PortugalRomantismo em Portugal  -  Romanticism in Portugal
Romantismo em Portugal - Romanticism in Portugal
 
Espanha - Spain
Espanha  -  SpainEspanha  -  Spain
Espanha - Spain
 

Último

Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduraAdryan Luiz
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfEyshilaKelly1
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino FundamentalCartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamentalgeone480617
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdfProfGleide
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundonialb
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024Jeanoliveira597523
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfangelicass1
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxThye Oliver
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 

Último (20)

Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditadura
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino FundamentalCartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
 
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 

Aplicação da medicina nuclear - Expansion of Nuclear Medicine

  • 1. AMPLIAÇÃO DA MEDICINA NUCLEAR (GAMA - CÂMARA, SPECT E PET) (Nome)
  • 2. Medicina Nuclear  Utiliza pequenas quantidades de substâncias radioativas ou "traçadores" para o diagnóstico ou tratamento de doenças.  mostra a causa da doença;  função dos órgãos e tecidos.  Câmara:  câmara gama ou câmara de cintilação;  transformação das emissões em imagens;  informações de como se encontra a função do órgão em estudo.  O médico nuclear:  interpreta estes estudos (ou cintilografias);  determina qual a causa da doença.
  • 3.  Utiliza técnicas seguras e indolores para formar imagens do corpo e tratar doenças.  Única por revelar dados sobre a anatomia e a função dos órgãos.  É uma maneira de coletar informações de diagnóstico médico que, de outra forma, não estariam disponíveis.  requereriam cirurgia;  exames de diagnóstico mais caros.  A avaliação funcional realizada pela medicina nuclear traz, muitas vezes, informações diagnósticas de forma precoce em diferentes patologias.
  • 4. Como se realiza um exame de M.N  3 passos principais:  administração do traçador;  aquisição de imagens;  análise das imagens.  A aquisição das imagens, que pode variar de poucas horas/dias.  Possui detectores especiais que podem captar a imagem dos materiais radioativos localizados dentro do corpo.  A imagem, gravada em filme ou em um computador, é, então, avaliada por seu médico
  • 5. Em quais casos é indicado  Danos fisiológicos ao coração;  Restrição do fluxo sangüíneo ao cérebro;  Tireóide, rins, fígado e pulmões;  Tratamento do hipertireoidismo;  Alívio da dor para certos tipos de câncer dos ossos.
  • 6. SPECT - tomografia computadorizada por emissão de fóton único
  • 7. Radiofarmácia  RADIOISÓTOPOS: substâncias que emitem radiação, utilizados no seu estado livre (não marcado) para a obtenção de imagens.  Os mais usados : Tc99m, I¹³¹ (Iodo) , Tl201 (Tálio), Ga67 (Gálio), Sm153 (Samário) .  RADIOFÁRMACOS: Quando se adiciona substâncias (fármacos) aos radioisótopos. Apresentam afinidades químicas por determinados órgãos do corpo e são utilizados para transportar a substância radioativa para o órgão a ser estudado.
  • 8. Componentes da câmara gama  Colimador – permite que os raios gama viagem numa certa direção e atinjam o detector;  Cristal – receptor da radiação;  Fotomultiplicadores – multiplicam o sinal produzido pela luz incidente;
  • 9. Formação da imagem  Gama câmara é rotacionada em volta do paciente, capturando múltiplas imagens bidimensionais (2D);  A radiação é captada em pontos definidos durante a rotação (normalmente a cada 3-6 graus);  Tempo de captação é variável (15 a 20 segundos); As imagens podem ser preto e branco ou coloridas;  A resolução da imagem depende :  Energia;  Espessura do cristal;  Eficiência de coleta;  Distância;  Diâmetro dos furos do colimador.
  • 10. Aplicações na medicina  Perfusão de miocárdio;  Cintilografia óssea;  Cintilografia de ventilação e de perfusão;  Perfusão cerebral.
  • 11. PET/CT – Tomografia por emissão de pósitron/Tomografia computadorizada Desenvolvido: Edward Hoffman e Michael E. Phelps em 1973, EUA
  • 12. Câmara de cintilação  Na parte frontal, acomoda um tomógrafo computadorizado (CT) e na parte traseira, acopla o PET.
  • 13. Detectores  PET é constituído por 18.400 cristais BGO, os quais detectam duas lesões a uma distância de 4,5 mm;  CT – uma tomografia que consegue fazer uma varredura do corpo todo do paciente em menos de 2 minutos, permitindo cortes com espessura mínima de 1 mm.
  • 14. Formação da imagem PET/TC  A imagem é formada pela emissão dos pósitron pelos radionúcleos fixados nos órgãos do paciente;  O computador reconstrói os locais de emissão de pósitrons a partir das energias e direções de cada par de raios gamas;  Gerando imagens tridimensionais (3D).
  • 15. Radionuclídeos  Flúor-18 (FDG- fluorodeoxiglicose) análogo da glicose – Utilizado para estudar o metabolismo dos órgão e tecidos (meia-vida 2 horas);  Nitrogênio-13 – Utilizado para estudar perfusão sanguínea de um órgão.  Oxigênio-15 – Utilizado nos estudos do cérebro;  Rubídio 82 – Utilizado em estudos de perfusão cardíacos.
  • 16. Aplicações do exame PET  PET oncológico – detecta células com alto consumo de glicose;  PET do cérebro – avalia perfusão sanguínea e atividade de diferentes regiões do cérebro;  PET cardíaco – usadas para detectar áreas isquêmicas e fibrosadas.
  • 17. Conclusão  Fornece informações que outros métodos não apresentam;  Sensibilidade elevada em detectar alterações na função de um determinado órgão;  Os exames são mais sensíveis para detecção de doenças do que a maioria dos outros exames de diagnóstico;  Identifica as alterações muito antes do problema se tornar aparente por outros exames.
  • 18. Referências Bibliográficas  http://www.cmnabc.com.br/cmnframes.html  http://www.siemens.com.br/templates/coluna1.aspx?channel=2110&channel_pri_nive l=2110  http://www.rem.ind.br/nuclear/medicina_nuclear.asp  http://www.biodieselbr.com/energia/nuclear/energia-nuclear-saude.htm  http://pt.wikipedia.org/wiki/Cintigrafia  http://www.indatir.org.br/o_iodo_t.htm  http://www.ipen.br  http://www.santajoana.com.br/servicos/diagnostico_por_imagem.shtml  http://www.fismed.ufrgs.br/cintilografia.htm  http://neuroimagens.blog.com/563819/