4 marcos - press adit datastore

215 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
215
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

4 marcos - press adit datastore

  1. 1.
  2. 2. Mudanças no comportamento<br />O consumidor brasileiro de imóveis está mudando de comportamento de forma acelerada, tanto para moradia, quanto para investimento, independente do patamar de renda.<br />Os principais fatores motivadores da mudança de comportamento do consumidor são:<br />-O poder de compra do brasileiro aumentou na última década, de tal forma que ele é desejado e cortejado por todos os empreendedores.<br />-O volume da oferta aumentou e pela primeira vez o consumidor pode comparar os produtos e não só os preços dos imóveis. A decisão está saindo do campo de visão dos preços e indo para qualidade de vida.<br />-A mulher está plenamente inserida no mercado de trabalho e também decide de igual para igual com os cônjuges sobre qual produto imobiliário que a família vai comprar.<br />
  3. 3. Esta é a década do crescimento e do fortalecimento do mercado imobiliário brasileiro, novos vetores estão sendo criados, em virtude da alta demanda e aqui surge a necessidade das “Comunidades” serem “Planejadas” .<br />Alguns dados importantes<br />-Em média 30 % de qualquer grupo de renda em qualquer cidade brasileira com mais de 200 mil habitantes querem adquirir imóveis nos próximos 24 meses.<br /> -Esta demanda invariavelmente é caracterizada por 3 grupos:<br />- No segmento AB: 50 % é investimento, 30 % desejo pelo imóvel dos sonhos e 20 % necessidade de adquirir um imóvel.<br />-Na classe C: 20 % é para investimento, 30 % desejo e 50 % necessidade.<br /> -60 % pretendem adquirir nos próximos 12 meses, independente do cenário mundial, as pessoas continuam querendo comprar.<br />
  4. 4. “As palavras têm significado: algumas delas, porém, guardam sensações. A palavra “comunidade” é uma dessas. Para começar, a comunidade é um lugar “cálido”, um lugar confortável e aconchegante. É como um teto sob o qual nos abrigamos da chuva pesada, como uma lareira diante da qual esquentamos as mãos num dia gelado” (BAUMAN, 2003, p. 07).<br />Comunidade planejada?<br />-As famílias querem tudo à mão nos próprios condomínios. A expectativa por novos vetores imobiliários horizontais envolve habitar o cinturão verde do entorno das grandes cidades com vias de acesso rápido às regiões centrais e todas as comodidades.<br />-Supermercados, farmácias, padarias, postos de combustível, escolas e pontos de ônibus para os empregados são esperados por nada menos que 90 % do público que pretende adquirir estes imóveis.<br /> -Estes empreendimentos podem ter pessoas de níveis sociais levemente diferentes (sem extremos), e unidades uni e multifamiliares, desde que o planejamento envolva acessos exclusivos, áreas de lazer próprias de cada grupo e custos separados de condomínio.<br />BAUMAN, Zygmunt. Comunidade, a busca por segurança no mundo atual. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2003. <br />
  5. 5. Segurança<br />Segurança, Segurança e segurança!<br />Hoje em qualquer produto imobiliário 60 % a 70 % da aprovação de um bom conceito está no aparato de segurança, mas afinal que segurança é esta?<br />-As famílias querem uma localização segura, ou seja, que não corra riscos altos de receber em seu entorno vizinhos indesejados no futuro.<br />A música diz: “As grades do condomínio são para trazer proteção, mas também trazem a dúvida se é você que está nesta prisão...” Minha Alma, O Rappa. <br /> -As famílias querem segurança, mas não querem enxergar o aparato de segurança, pois o mesmo lembra a própria insegurança, logo a tendência no futuro é a absorção de “segurança tecnológica”, ou seja, o mais invisível possível com equipamentos modernos.<br />
  6. 6. Lazer, é em casa<br />O Lazer era nos clubes até 1980, foi para dentro dos condomínios nas décadas de 1990 a 2010, agora vai para dentro de casa, graças aos novos programas imobiliários e as empresas de tecnologia como Apple. (homenagem póstuma a Mr. Steve Jobs)<br />-As famílias querem o lazer completo dentro do condomínio onde moram. Os clubes já perderam a freqüência dos seus associados, o clube agora está “em casa”.<br /> -As famílias encurtaram de tamanho, do tamanho médio de 4 pessoas já caminha para 3, mesmo na classe C e mesmo no Norte e Nordeste o tamanho da família já está diminuindo.<br />-Os compradores de classe média e média alta só precisam de 3 dormitórios ou 3 suítes na maioria das capitais, enquanto a sala de TV ou sala ampliada é a tendência com área/varanda gourmet e lavabo de suporte para receber amigos. Este é a tendência, o programa das unidades está ligado ao lazer e ao entretenimento, já os quartos podem até diminuir de tamanho.<br />
  7. 7. Sustentabilidade<br />“Para voltar a nos sentirmos donos de nós mesmos, sem dúvida teremos de começar por nos sentirmos de novo donos da paisagem e por reestruturá-la em seu conjunto” (CHOAY, 2005, p.288).<br />-Só o verde (só o paisagismo) não é mais suficiente, a expectativa é pela reestruturação da interação com a natureza, logo itens de sustentabilidade como ventilação natural para circulação em áreas comuns, coleta seletiva de lixo e uso de energias alternativas ou tecnologias que permitam economia de energia.<br /> -As famílias não querem mais receber imóveis com paisagismo de mudas de plantas e árvores, elas querem paisagismo adulto (como mostrado nos prospectos de venda). Paisagismo adulto é uma tendência, sejam em vasos ou no próprio ambiente, o verde em tamanho adulto e integrado a implantação é uma grande tendência.<br /> -As famílias vão querem cada vez mais o maior nível de preservação original das áreas dos empreendimentos.<br />CHOAY, François. OUrbanismo. Utopias e Realidades, uma antologia. 6ª ed. São Paulo: Perspectiva, 2005. <br />

×