BOLETIM ELETRÔNICO 3ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DE POLÍTICAS PARA AS                     MULHERES DE MATO GROSSO               ...
RETIFICAÇÃO DO DECRETO CONVOCATÓRIO DA 3ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DE             POLÍTICAS PARA AS MULHERES DE MATO GROSSO
CONVITE
PROGRAMAÇÃO PARTE EXTERNA PARTE INTERNA
SOLENIDADE DE ABERTURA DA CONFERÊNCIA NO HOTEL FAZENDA
CREDENCIAMENTO                                             PLATÉIA                          DISPOSITIVO DE HONRA        AP...
ANA EMILIA SOTERO, PRESIDENTE CEDM/MT                              VERA ARAÚJO, SECRETÁRIA ADJUNTA DIREITOS HUMANOS       ...
PALESTRA ROSANA RAMOS, SECRETÁRIA EXECUTIVA DA SECRETARIA DE POLÍTICAS PARA AS             MULHERES DA PRESIDÊNCIA DA REPÚ...
PALESTRA ANA EMILIA IPONEMA BRASIL SOTERO, PRESIDENTE DO CONSELHO ESTADUAL DOS DIREITOS DA         MULHER E SUPERINTENDENT...
ANA EMILIA, TIÃO SIMPATIA, ROSELI BARBOSA E NANÁ JUCÁ   ANA EMILIA, TIÃO SIMPATIA E BEATRIZ GREGORY (SPM/PR)VEREADORA DITA...
MULHERES DO MT MAMAS, SOB A PRESIDÊNCIA DA GISELEGLÓRIA, ANA EMILIA E TÂNIA MATOS (COMISSÃO ORGANIZADORA) GLÓRIA, ALESSAND...
VEREADORA LÚCIA, ANA EMILIA, ANGELINA E TÂNIA (MULHERES DE CÁCERES/MT) MULHERES HOMOAFETIVAS GRUPO FORTE E PARTICIPATIVO N...
NOTÍCIAS DA 3ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DE POLÍTICAS PARA AS MULHERESSPM/PR11/10 – Mato Grosso espera 270 delegadas e represen...
SECOM/MTQuarta, 12 de outubro de 2011, 17h51DIREITOS HUMANOSTerceira Conferência Estadual de Políticas para Mulheres de MT...
Quinta, 13 de outubro de 2011, 15h58DIREITOS HUMANOSCAROLINE LANHIRedação/Secom-MTEnfrentar a violência contra a mulher e ...
trata-se de equipamentos que proporcionam maior autonomia para as mulheres, pois permitem queelas tenham um emprego e temp...
MARANHÃO APRESENTA BOAS PRÁTICAS NA CONFERENCIA DE POLÍTICAS PARA MULHERES                                         DO MATO...
Sexta, 14 de outubro de 2011, 17h47DIREITOS HUMANOS3ª Conferência Estadual de Políticas para Mulheres de MT encerra com sa...
PRIORIDADES APROVADAS PELA 3ª CONFERÊNCIA DE MATO GROSSOEIXO I: AUTONOMIA ECONÔMICA E IGUALDADE NO MUNDO DO TRABALHO, COM ...
EIXO VIII: CULTURA, COMUNICAÇÃO, MÍDIAS IGUALITÁRIAS, DEMOCRÁTICAS E NÃODISCRIMINATÓRIAS1. Construir mecanismos de monitor...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Boletim eletrônico 3ª conferência estadual de políticas para as mulheres de mato grosso

583 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
583
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Boletim eletrônico 3ª conferência estadual de políticas para as mulheres de mato grosso

  1. 1. BOLETIM ELETRÔNICO 3ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DE POLÍTICAS PARA AS MULHERES DE MATO GROSSO EM CUIABÁ 13 A 14 DE OUTUBRO DE 2011 DECRETO CONVOCATÓRIO DO GOVERNADOR SILVAL BARBOSA PARA A3ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DE POLÍTICAS PARA AS MULHERES DE MATO GROSSO
  2. 2. RETIFICAÇÃO DO DECRETO CONVOCATÓRIO DA 3ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DE POLÍTICAS PARA AS MULHERES DE MATO GROSSO
  3. 3. CONVITE
  4. 4. PROGRAMAÇÃO PARTE EXTERNA PARTE INTERNA
  5. 5. SOLENIDADE DE ABERTURA DA CONFERÊNCIA NO HOTEL FAZENDA
  6. 6. CREDENCIAMENTO PLATÉIA DISPOSITIVO DE HONRA APRESENTAÇÃO DO TIÃO SIMPATIA - LEI MARIA DA PENHA EM CORDEL
  7. 7. ANA EMILIA SOTERO, PRESIDENTE CEDM/MT VERA ARAÚJO, SECRETÁRIA ADJUNTA DIREITOS HUMANOS ROSELI BARBOSA, PRIMEIRA DAMA DO ESTADO DE MATO GROSSO
  8. 8. PALESTRA ROSANA RAMOS, SECRETÁRIA EXECUTIVA DA SECRETARIA DE POLÍTICAS PARA AS MULHERES DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA PALESTRA CATHARINA BACELLAR, SECRETÁRIA DE ESTADO DA MULHER DO MARANHÃO
  9. 9. PALESTRA ANA EMILIA IPONEMA BRASIL SOTERO, PRESIDENTE DO CONSELHO ESTADUAL DOS DIREITOS DA MULHER E SUPERINTENDENTE DE POLÍTICAS PARA AS MULHERES DE MATO GROSSO
  10. 10. ANA EMILIA, TIÃO SIMPATIA, ROSELI BARBOSA E NANÁ JUCÁ ANA EMILIA, TIÃO SIMPATIA E BEATRIZ GREGORY (SPM/PR)VEREADORA DITA, ANA EMILIA E CÉLIA (MULHERES DE JUARA/MT)
  11. 11. MULHERES DO MT MAMAS, SOB A PRESIDÊNCIA DA GISELEGLÓRIA, ANA EMILIA E TÂNIA MATOS (COMISSÃO ORGANIZADORA) GLÓRIA, ALESSANDRA, ANA EMILIA, JUMELICE, TÂNIA E PATRÍCIA COMISSÃO ORGANIZADORA E EQUIPE DE APOIO
  12. 12. VEREADORA LÚCIA, ANA EMILIA, ANGELINA E TÂNIA (MULHERES DE CÁCERES/MT) MULHERES HOMOAFETIVAS GRUPO FORTE E PARTICIPATIVO NA CONFERÊNCIA
  13. 13. NOTÍCIAS DA 3ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DE POLÍTICAS PARA AS MULHERESSPM/PR11/10 – Mato Grosso espera 270 delegadas e representantes na 3ª ConferênciaData: 11/10/2011A Superintendência Estadual de Políticas Públicas para Mulheres de Mato Grosso e o ConselhoEstadual dos Direitos da Mulher promovem nos dias 13 e 14 de outubro a 3ª Conferência Estadual dePolíticas para Mulheres.O objetivo é discutir a elaboração de políticas públicas focadas na construção da igualdade, naautonomia e no pleno exercício da cidadania das mulheres.A 3ª Conferência contará com a presença da secretária executiva da Secretaria de Políticas para asMulheres da Presidência da República, Rosana Ramos, do representante do Instituto Maria da Penha,Tião Simpatia, da secretária de Estado da Mulher do Maranhão, Catharina Bacellar, dasuperintendente Estadual de Políticas para Mulheres de Mato Grosso, Ana Emília Ipoema BrasilSotero, e das conselheiras do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher, Priscila Batistuta Nóbrega eTânia Regina de Matos.128 DELEGADAS – O evento vai reunir 128 delegadas de diversas cidades do Estado – escolhidasdurante as 18 conferências municipais realizadas em 2011 – e 142 representantes de movimentossociais, sociedade civil organizada e órgãos públicos.Durante a etapa estadual, 55 participantes serão eleitas para representar Mato Grosso na 3ªConferência Nacional de Políticas para as Mulheres, que acontece entre os dias 12 e 15 de dezembro,em Brasília.As conferências acontecem desde de 2004, depois da criação da Secretaria de Políticas para asMulheres (SPM), ligada a Presidência da República, em 2003. Desde então, destacam-se algumasconquistas, entre elas o Plano Nacional de Políticas para as Mulheres, a Lei Maria da Penha e aconstrução do Pacto Nacional.ServiçoO que: 3ª Conferência Estadual de Políticas para Mulheres de Mato GrossoQuando: 13 e 14 de outubroOnde: Hotel Fazenda Mato Grosso, Cuiabá/MT.Contato Comunicação SPMRejane Lopes(61) 9977-3057
  14. 14. SECOM/MTQuarta, 12 de outubro de 2011, 17h51DIREITOS HUMANOSTerceira Conferência Estadual de Políticas para Mulheres de MT discute igualdade e autonomiaCAROLINE LANHIRedação/Secom-MTA Conferência será realizada pelo Governo do Estado, por meio da Superintendência Estadual dePolíticas Públicas para Mulheres e do Conselho Estadual dos Direitos da MulherComeça nesta quinta-feira (13.10) a 3ª Conferência Estadual de Políticas para Mulheres de MatoGrosso. O evento é realizado pelo Governo do Estado, por meio da Superintendência Estadual dePolíticas Públicas para Mulheres e do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher. Serão dois dias deencontro, no qual representantes de 18 municípios mato-grossenses vão elaborar propostas depolíticas públicas focadas na construção da igualdade e na autonomia das mulheres.A expectativa é enorme, afirma a superintendente estadual de Políticas para Mulheres, Ana EmíliaSotero. “Esperamos contribuir com propostas eficazes para a elaboração de políticas públicas para asmulheres de Mato Grosso e do Brasil. Confiamos que, após a realização da Conferência, os organismosde políticas para as mulheres de Mato Grosso serão fortalecidos”.A 3ª Conferência Estadual acontece no Hotel Fazenda Mato Grosso, em Cuiabá, e conta com aparticipação da secretária nacional de Políticas para Mulheres, Rosana Ramos, e de Tião Simpatia,representante do Instituto Maria da Penha. Também estarão presentes a Secretária da Mulher doMaranhão, Catharina Bacellar; as conselheiras estaduais Priscila Batistuta Nóbrega e Tânia Regina deMatos; e a primeira-dama e secretária de Assistência Social de Mato Grosso, Roseli Barbosa.O evento reúne 128 delegadas - escolhidas durante as 18 conferências municipais realizadas em 2011- e 142 representantes de movimentos sociais, sociedade civil organizada e órgãos públicos. Na sexta-feira (14.10), 55 participantes serão eleitas para representar Mato Grosso na 3ª Conferência Nacionalde Políticas para as Mulheres (III CNPM), que acontece entre os dias 12 e 15 de dezembro, em Brasília.O que: 3ª Conferência Estadual de Políticas para Mulheres de Mato GrossoQuando: 13 e 14 de outubroOnde: Hotel Fazenda Mato Grosso, Cuiabá.
  15. 15. Quinta, 13 de outubro de 2011, 15h58DIREITOS HUMANOSCAROLINE LANHIRedação/Secom-MTEnfrentar a violência contra a mulher e fortalecer a autonomia feminina. Esses são os principaistemas discutidos na 3ª Conferência Estadual de Políticas para Mulheres de Mato Grosso. Ao todo, 250representantes de movimentos sociais, sociedade civil organizada e órgãos públicos, estão reunidosCuiabá a fim de elaborar propostas de políticas públicas para mudar e melhorar a realidade dasmulheres no Estado e no Brasil.Onze eixos temáticos recomendados pelo Conselho Nacional dos Direitos da Mulher são debatidos noencontro, mas discussões são intensificadas em torno do enfrentamento à violência contra a mulher edo fortalecimento da autonomia feminina.Para a secretária executiva nacional de Políticas para Mulheres, Rosana Ramos, a autonomia damulher est| diretamente relacionada ao enfrentamento { violência. “A mulher quando tem autonomiaeconômica muitas vezes ela consegue sair da situação de violência. Isso só não resolve porque existemoutras condicionantes, mas ajuda porque elas conseguem trabalhar, sentem-se mais fortalecidas epodem sair da dependência de seus companheiros”.Rosana também ressalta que a Conferência Estadual é muito importante, pois contribuirá para acriação de um Plano Estadual de Políticas para Mulheres - que apresenta prioridades em políticaspara mulheres a serem desenvolvidas pela superintendência do Estado. Além disso, o evento reúnepropostas de diferentes municípios, das quais 20 são escolhidas para serem apresentadas naConferência Nacional de Políticas para as Mulheres.Avanços – Na avaliação da secretária de Assistência Social, Roseli Barbosa, o Estado tem avançado empolíticas para mulheres. “Conseguimos muitos avanços enquanto Governo do Estado: criamos asuperintendência da mulher, assinamos o pacto federativo e outros. Mas existe muita coisa a ser feita,pois a violência contra a mulher ainda é muito grande. Precisamos trabalhar exatamente por políticaspara que a mulher tenha suporte, tenha uma vida digna”.Desde as primeiras conferências municipais e Estaduais realizadas em Mato Grosso, quantidade deconferências municipais realizadas e número de participantes mais que dobrou. “Isso significa quenossos gestores municipais estão entendendo a importância da priorização de políticas para asmulheres”, analisa a presidente do Conselho Estadual de Políticas para Mulheres, Ana Emília BrasilSotero.Já Rosana Ramos pontua como avanço o acesso à informação, principalmente por meio Central deAtendimento à Mulher (Ligue 180). Criado em 2006, o serviço recebeu dois milhões de ligações. Dejaneiro a junho deste ano já foram mais de 290 mil chamadas, sendo dois mil de Mato Grosso.Além disso, a secretária destaca o investimento para a construção de seis mil creches em todo o Brasil- divulgado este ano pela presidente Dilma Rousseff - e lavanderias comunitárias. Segundo Rosana,
  16. 16. trata-se de equipamentos que proporcionam maior autonomia para as mulheres, pois permitem queelas tenham um emprego e tempo para o lazer.Troca de experiências – As conquistas alcançadas pelas mulheres do Maranhão foram expostas noprimeiro dia da Conferência Estadual de Políticas para Mulheres de Mato Grosso. O trabalhodesenvolvido pela Secretaria de Estado da Mulher do Maranhão – Rede Viva Mulher - é consideradoreferência nacional.A Rede é composta por quatro etapas: acolhimento, formação, inclusão e advocacy. “No acolhimento,por exemplo, temos uma carreta que funciona como unidade móvel, com salas de treinamento, salapara escuta individualizada, consultório ginecológico e outros. Acabamos de adquirir um barco paratrabalhar com a população do entorno de um lago muito grande. Temos essa característica de ir lá naponta conhecer a realidade”, conta a secret|ria de Estado da Mulher, Catarina Bacellar.Atividades - Na tarde desta quinta-feira (13.10) os grupos de trabalhos começam a elaborar aspropostas de políticas públicas para mulheres de Mato Grosso. Na sexta-feira (14.10), as 20 propostasprioritárias serão escolhidas, bem como as 55 mulheres que vão representar o Estado na 3ªConferência Nacional de Políticas para as Mulheres (III CNPM), que acontece entre os dias 12 e 15 dedezembro, em Brasília.A 3ª Conferência Estadual é uma realização do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estadode Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), da Superintendência Estadual de Políticas Públicas paraMulheres e do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher. Participaram dos debates as conselheirasPriscila Batistuta Nóbrega e Tânia Regina de Matos; a promotora de Justiça Lindinalva Rodrigues edemais representantes de organismos e movimentos sociais.Também estavam presentes a primeira-dama de Cuiabá, Norma Sueli Galindo; a vice-presidente daAssociação das Primeiras Damas de Mato Grosso, Viviane Bedin; e Tânia Arantes, representando aSala da Mulher da Assembléia Legislativa do Estado.
  17. 17. MARANHÃO APRESENTA BOAS PRÁTICAS NA CONFERENCIA DE POLÍTICAS PARA MULHERES DO MATO GROSSOA convite da Superintendente de Políticas para as Mulheres de Mato Grosso, Ana Emília Sotero, a Secretária de Estado da Mulher, Catharina Bacellar, esteve nesta quinta (13) apresentando as boas práticas na gestão da política para mulheres no Maranhão, durante a III Conferência Estadual de Políticas para as Mulheres do Mato Grosso: a força da Mulher transformando o Mato Grosso. A Conferencia está acontecendo no Hotel Fazenda Mato Grosso, em Cuiabá, onde estão hospedadas as Delegadas eleitas nas Conferências Municipais e Regionais daquele estado. A atração cultural ficou a cargo do Tião Simpatia, do Instituto Maria da Penha, que empolgou o público presentecom o seu repertório, inspirado na Lei Maria da Penha.Segundo Catharina Bacelar, "A Semu já publicou um dos trabalhos do Tião Simpatia, que teve umaexcelente aceitação por todo o Maranhão. Trata-se da Lei Maria da Penha em formato de cordel, ummaterial que traz a Lei em formato lúdico e linguagem acessível".Tião Simpatia confirmou presença na III Conferência Estadual de Políticas para as Mulheres doMaranhão, nos dias 20 e 21 de outubro. Ele e sua esposa Naná atendem ao convite do Instituto CoraçãoAbrigo, ONG presidida pela Secretária Catharina Bacellar, que trabalha o empoderamento das mulheresdo Maranhão."A vinda do Tião Simpatia, para abrilhantar a nossa Conferência, é um presente que o Instituto CoraçãoAbrigo oferece às mulheres do Maranhão", disse Catharina.Tião SimpatiaTião Simpatia é cantor, compositor, repentista e arte-educador. É autor do tema “Lei Maria da Penha” eda Campanha Nacional “Criança não é de Rua”.Participou de vários festivais de música e repente em todo o Nordeste. Tem seis VCDs lançados e umDVD cujo repertório é focado no universo feminino, com ênfase na Lei Maria da Penha.Trabalha em parceria com o Instituto Maria da Penha, divulgando a Lei 11.340/2006 que coíbe aviolência doméstica e familiar, através da música, do repente e da literatura de cordel.
  18. 18. Sexta, 14 de outubro de 2011, 17h47DIREITOS HUMANOS3ª Conferência Estadual de Políticas para Mulheres de MT encerra com saldo positivoCAROLINE LANHIRedação/Secom-MTA 3ª Conferência Estadual de Políticas para Mulheres de Mato Grosso encerrou com uma avaliaçãopositiva tanto por parte de representantes do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher quanto departicipantes de movimentos sociais. Foram dois dias de debates, troca de experiências e elaboraçãode propostas para a conferência nacional, que acontece em dezembro deste ano.Para a presidente do conselho estadual, Ana Emília Sotero, o encontro foi excelente. “Foram montadosseis grupos de trabalho e todos apresentaram propostas consistentes. Isso será levado à 3ªConferência Nacional de Políticas para as Mulheres, que vai reunir problemáticas de todo o país. Aspropostas elaboradas aqui atendem a realidade mato-grossense, mas também estão em consonânciacom a realidade do Brasil”.A militante Iracema Alencar, da Articulação de Mulheres, também avaliou como positiva aconferência, principalmente porque o encontro conseguiu reunir mulheres de diferentesestratificações sociais: negras, quilombolas, indígenas, empresárias, lésbicas e outros.Segundo Iracema, entre as demandas apresentadas pelas delegadas dos 18 municípios do Estadodestacam-se: maior compromisso por parte dos gestores municipais e dar acesso a mais conhecimentoàs mulheres, seja por meio da educação formal ou campanhas informativas.Para solucionar questões como essas, uma das propostas aprovadas é implementar a Política Nacionalde Atenção Integral a Saúde das Mulheres. Outro pedido das mato-grossenses é que seja efetivado oPrograma Nacional pelo Enfrentamento { Violência contra a Mulher. “Isso significa trabalhar todo ouniverso feminino, todas as especificidades da mulher”, explica a militante.O evento reuniu 128 delegadas de 18 municípios do Estado e 142 representantes de movimentossociais, sociedade civil organizada e órgãos públicos. Desse total, 55 participantes foram escolhidaspara representar Mato Grosso na 3ª Conferência Nacional de Políticas para as Mulheres (III CNPM) -que acontece entre os dias 12 e 15 de dezembro, em Brasília - e apresentar as 20 prioridades para asmulheres do Estado.A 3ª Conferência Estadual é uma realização do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estadode Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), da Superintendência Estadual de Políticas Públicas paraMulheres e do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher.
  19. 19. PRIORIDADES APROVADAS PELA 3ª CONFERÊNCIA DE MATO GROSSOEIXO I: AUTONOMIA ECONÔMICA E IGUALDADE NO MUNDO DO TRABALHO, COM INCLUSÃO SOCIAL1. Geração de emprego e renda e ingresso no mundo do trabalho e mercado produtivo conforme agendado trabalho decente;2. Garantir Direitos trabalhistas sociais e previdenciários com equiparação salarial entre homens emulheres;3. Garantir equipamentos sociais: Criação de panificadoras e restaurantes populares e lavanderiascoletivas, educação infantil em tempo integral, transporte coletivo.EIXO II: EDUCAÇÃO INCLUSIVA NÃO SEXISTA, NÃO RACISTA E NÃO HOMOFÓBICA E NÃO LESBOFÓBICA1. Promover a formação inicial e continuada de gestores/as e profissionais da educação para a equidadede gênero, raça/etnia e o reconhecimento das diversidades;2. Estimular a produção e difusão de conhecimentos sobre gênero, identidade de gênero, orientaçãosexual e raça/etnia em todos os níveis de ensino;3. Promover a formação das mulheres (jovens e adultas) para o trabalho, visando reduzir a desigualdadede gênero nas carreiras e profissões;EIXO III: SAÚDE DAS MULHERES, DIRIETOS SEXUAIS E DIREITOS REPRODUTIVOS1. Promover a prevenção e o controle das doenças sexualmente transmissíveis e da infecção peloHIV/AIDS na população feminina;2. Reduzir a mortalidade por câncer cérvico-uterino e a mortalidade por câncer de mamas na populaçãofeminina;3. Garantir a implantação da Atenção Integral à Saúde das Mulheres, por meio do enfrentamento dasdiscriminações e do atendimento às especificidades étnico-raciais, geracionais, regionais, de orientaçãosexual, e das mulheres com deficiência, do campo e da floresta e em situação de rua.EIXO IV: ENFRENTAMENTO DE TODAS AS FORMAS DE VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES1. Promover ações de prevenção a todas as formas de violência contra as mulheres nos espaços público eprivado;2. Implementar a Rede de Atendimento às mulheres em situação de violência;3. Promover a atenção à saúde das mulheres em situação de violência com atendimento qualificado ouespecífico.EIXO V: PARTICIPAÇÃO DAS MULHERES NOS ESPAÇOS DE PODER E DECISÃO1. Criação de mecanismos de apoio à participação político-partidária das mulheres;2. Criação, revisão e implementação de instrumentos normativos com vistas à igualdade deoportunidades entre homens e mulheres e, entre as mulheres, na ocupação de postos de decisão nasdistintas esferas do poder público;3. Sensibilização da sociedade e implementação de estratégias para a ampliação da participação dasmulheres nos espaços de poder e decisão.EIXO VI: DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL NO MEIO RURAL, NA CIDADE, NA FLORESTA, COMGARANTIA DE JUSTIÇA AMBIENTAL, SOBERANIA E SEGURANÇA ALIMENTAR1. Garantir a inclusão produtiva de mulheres do meio rural e urbano, valorizando e preservando osconhecimentos tradicionais associados à biodiversidade;2. Garantir a participação de mulheres nos programas e ações que tratem dos temas de mudançasclimáticas, assentamentos rurais e licenciamento;3. Garantir e fortalecer atividades econômicas desenvolvidas por mulheres e vinculadas à segurançaalimentar.EIXO VII: DIREITO A TERRA, MORADIA DIGNA E INFRAESTRUTURA SOCIAL NOS MEIOS RURAL EURBANO, CONSIDERANDO AS COMUNIDADES TRADICIONAIS1. Regularização fundiária e ambiental, no âmbito rural e urbano;2. Ampliar e qualificar o acesso à assessoria técnica socioambiental, ao crédito especial e à agro-industrialização para assentadas da reforma agrária, quilombolas, comunidades tradicionais, indígenas,ribeirinhas e as demais mulheres que vivem e trabalham no campo e na cidade;3. Garantir o acesso das mulheres aos programas de desenvolvimento sustentável, em especial ao uso deenergia limpa e ao tratamento de dejetos.
  20. 20. EIXO VIII: CULTURA, COMUNICAÇÃO, MÍDIAS IGUALITÁRIAS, DEMOCRÁTICAS E NÃODISCRIMINATÓRIAS1. Construir mecanismos de monitoramento e controle social dos conteúdos veiculados nos espaços demídia e comunicação, assegurando participação ativa, constante e capilarizada da sociedade;2. Estimular a produção e difusão de conteúdos não-discriminatórios e não-estereotipados das mulheres,valorizando as dimensões de raça/etnia, orientação sexual e geração;3. Estimular e garantir que os programas de fomento à produção e difusão cultural valorizem aexpressão das mulheres e sua contribuição social, política, econômica e cultural monitorando a suaefetivação.EIXO IX: ENFRENTAMENTO DO RACISMO, SEXISMO E LESBOFOBIA1. Fortalecer as políticas de enfrentamento da discriminação contra as mulheres atingidas pelo racismo,sexismo, lesbofobia, deficiência, fatores geracionais e outras formas de intolerância e discriminação;2. Formular e implementar programas, projetos e ações afirmativas e de enfrentamento do racismo,sexismo e lesbofobia nas instituições públicas governamentais;3. Apoiar a capacitação de lideranças do movimento de mulheres e feministas na promoção de políticase ações de enfrentamento do racismo, sexismo e lesbofobia e ações afirmativas.EIXO X: ENFRENTAMENTO DAS DESIGUALDADES GERACIONAIS QUE ATINGEM AS MULHERES COMESPECIAL ATENÇÃO ÀS JOVENS E IDOSAS1. Assegurar a implementação de ações de enfrentamento das desigualdades contra as mulheres jovense idosas;2. Ampliar e apoiar a capacitação de mulheres jovens, lideranças dos movimentos feminino e feministana promoção de políticas e ações de enfrentamento das desigualdades geracionais;3. Apoiar a implementação do Estatuto do Idoso e do Estatuto da Criança e do Adolescente.EIXO XI: GESTÃO E MONITORAMENTO DO PLANO1. Construir um Sistema de Acompanhamento da Implementação do PNPM e instituir o Monitoramentoe Avaliação deste Plano nas três esferas (município, estado e federação);2. Incentivar a formulação de Planos estaduais e municipais de políticas para as mulheres nas 27Unidades da Federação;3. Implantar Secretarias de Políticas para Mulheres nas 27 Unidades da Federação. Alessandra Jaqueline Carneiro da Silva Coordenadora pelo Enfrentamento à Violência Ana Emilia Iponema Brasil Sotero Presidente do CEDM/MT

×