Agua

7.759 visualizações

Publicada em

Água como recurso finito e universal. Usos da água. Distribuição no Brasil e no Mundo.

Publicada em: Educação

Agua

  1. 1. A água no mundo
  2. 2. Somos Água
  3. 3. A água é patrimônio de todos os seres vivos. Não apenas da humanidade!
  4. 4. As perspectivas para o próximo século indicam um cenário de escassez da água até o ano 2050, outros já fazem esta previsão para 2025 (revista Veja dez/98): Previsões 1999 2050 (2025) População 6.0 bilhões 9.4 bilhões Mundial Suficiência 92% 58% Insuficiência 5% 24% Escassez 3% 18%
  5. 5. População mundial sem acesso à água
  6. 6. População mundial sem acesso à água 1/6 ~ 1,2 bilhões não tem acesso a água de qualidade População do mundo 6 bilhões Fonte: ONU – Ano Internacional da Água Doce, 2003
  7. 7. Instalações sanitárias
  8. 8. Instalações sanitárias 60% da população da terra com instalações sanitárias 40% da população da terra = 2,4 bilhões sem instalações sanitárias Fonte: ONU – Ano Internacional da Água Doce, 2003
  9. 9. 6.000 crianças morrem por dia de alguma doença relacionada com a água em más condições sanitárias. É mais do que 20 acidentes fatais com jumbos todo dia Fonte: ONU – Ano Internacional da Água Doce, 2003
  10. 10. Doenças transmitidas pela água
  11. 11. Doenças transmitidas pela água Doenças no mundo 20% - Doenças por outros motivos 80% das doenças se deve ao consumo de água em más condições sanitárias Fonte: ONU – Ano Internacional da Água Doce, 2003
  12. 12. A caixa d’água de um vaso sanitário do mundo ocidental usa, a cada descarga, a mesma quantidade de água que utiliza um cidadão médio do mundo em desenvolvimento para lavar, beber e cozinhar durante o dia inteiro. = Fonte: ONU – Ano Internacional da Água Doce, 2003
  13. 13. “Nenhuma medida fará mais para reduzir as enfermidades e salvar vidas nos países em desenvolvimento do que facilitar um acesso geral à água potável e aos serviços de saneamento.” Kofi Anan Secretário Geral da ONU O Informe do Milênio A Assembléia Geral das Nações Unidas declarou 2003 o Ano Internacional da Água Doce. Fonte: ONU – Ano Internacional da Água Doce, 2003
  14. 14. No século XX, o consumo de água aumentou a um ritmo duas vezes maior que a população; Oriente Médio, África Setentrional e Ásia Meridional sofrem uma grave escassez de água. Fonte: ONU – Ano Internacional da Água Doce, 2003
  15. 15. Em alguns países da África e Ásia é necessário, muitas vezes, brigar pela água! Nigéria - 2000
  16. 16. Suprimento de águas nos países em desenvolvimento Tratada 10% 90% sem tratamento Fonte: ONU – Ano Internacional da Água Doce, 2003
  17. 17. • A sobre-exploração das águas subterrâneas para o consumo humano e de irrigação provocou o abaixamento do lençol freático em dezenas de metros em numerosas regiões, obrigando as populações a beber água de baixa qualidade. Fonte: ONU – Ano Internacional da Água Doce, 2003
  18. 18. • As perdas de água por infiltrações, ligações ilícitas e desperdícios, montam a 50% para a água potável e a 60% para a água de irrigação nos países em desenvolvimento. Fonte: ONU – Ano Internacional da Água Doce, 2003
  19. 19. “o único recurso natural que afeta a todos os aspectos da civilização humana” Fonte: ONU – Ano Internacional da Água Doce, 2003
  20. 20. “o único recurso natural que afeta a todos os aspectos da civilização humana” Consumo Humano Fonte: ONU – Ano Internacional da Água Doce, 2003
  21. 21. “o único recurso natural que afeta a todos os aspectos da civilização humana” Irrigação Fonte: ONU – Ano Internacional da Água Doce, 2003
  22. 22. “o único recurso natural que afeta a todos os aspectos da civilização humana” Energia Fonte: ONU – Ano Internacional da Água Doce, 2003
  23. 23. “o único recurso natural que afeta a todos os aspectos da civilização humana” Navegação Fonte: ONU – Ano Internacional da Água Doce, 2003
  24. 24. “o único recurso natural que afeta a todos os aspectos da civilização humana” Pesca Fonte: ONU – Ano Internacional da Água Doce, 2003
  25. 25. “o único recurso natural que afeta a todos os aspectos da civilização humana” Indústria Fonte: ONU – Ano Internacional da Água Doce, 2003
  26. 26. “o único recurso natural que afeta a todos os aspectos da civilização humana” Esporte Fonte: ONU – Ano Internacional da Água Doce, 2003
  27. 27. “o único recurso natural que afeta a todos os aspectos da civilização humana” Lazer Fonte: ONU – Ano Internacional da Água Doce, 2003
  28. 28. “o único recurso natural que afeta a todos os aspectos da civilização humana” Medicina Fonte: ONU – Ano Internacional da Água Doce, 2003
  29. 29. “o único recurso natural que afeta a todos os aspectos da civilização humana” Espiritualidade (Religiosidade) Fonte: ONU – Ano Internacional da Água Doce, 2003
  30. 30. “o único recurso natural que afeta a todos os aspectos da civilização humana” Turismo e Paisagismo Fonte: ONU – Ano Internacional da Água Doce, 2003
  31. 31. “o único recurso natural que afeta a todos os aspectos da civilização humana” Política e Poder A Guerra da Água Águas subterrâneas para o Noroeste da Palestina 140 milhões m3/ano Águas subterrâneas para o Rio Jordão 125 milhões m3/ano Águas subterrâneas para o Oeste da Palestina 320 milhões m3/ano Fonte: Águas Doces no Brasil, Aldo Rebouças, Benedito Braga, José Galizia Tundisi
  32. 32. “o único recurso natural que afeta a todos os aspectos da civilização humana” Artístico e Poético Monet Van Gogh
  33. 33. “o único recurso natural que afeta a todos os aspectos da civilização humana” Ecologia
  34. 34. Áreas, volumes totais e relativos de água dos principais reservatórios da Terra Total de Água da Terra Total de Água Doce 2,5% Água Doce 68,9% Calotas 97,5% Água Polares e Salgada Geleiras 0,3% Água Doce nos rios e lagos 0,9% outros reservatórios 29,9% Água Doce Subterrânea Fonte: Águas Doces no Brasil, Aldo Rebouças, Benedito Braga, José Galizia Tundisi
  35. 35. A crise da água Nas calhas dos rios e lagos tem estocados 200.000 km3 de água. Aí estão os mananciais utilizados para o atendimento das necessidades sócio- econômicas da humanidade. Fonte: Águas Doces no Brasil, Aldo Rebouças, Benedito Braga, José Galizia Tundisi
  36. 36. • Esse volume estocado se esgotaria entre 30 a 40 anos, se não houvesse renovação; • Uma gigantesca renovação dos volumes estocados em rios e lagos é proporcionada pelo ciclo hidrológico; • Uma renovação com grande variabilidade no espaço e no tempo; • Por isso a água é mal distribuída no mundo. Fonte: Águas Doces no Brasil, Aldo Rebouças, Benedito Braga, José Galizia Tundisi
  37. 37. Como o mundo utiliza sua água
  38. 38. Como o mundo utiliza sua água
  39. 39. Quantidade de água gasta, per capita (m³) Dados de 2000
  40. 40. Distribuição da água no mundo segundo níveis de potenciais (oferta) e níveis de uso (consumo) • Brasil - disponibilidades de 10.000 a 100.000 m3/hab/ano e consumo de 100 a 500 m3/hab/ano; • Guiana Francesa, Sibéria, Islândia e Suriname - disponibilidade de mais de 100.000 m3/hab/ano e consumo entre 100, na Guiana e Islândia, e 2.000 na Sibéria e Suriname; • Estados Unidos - disponibilidade entre 2.000 e 10.000 m3/hab/ano e consumo entre 1.000 e 2.000 m3/hab/ano; Fonte: Águas Doces no Brasil, Aldo Rebouças, Benedito Braga, José Galizia Tundisi
  41. 41. Distribuição da água no mundo segundo níveis de potenciais (oferta) e níveis de uso (consumo) • Canadá - disponibilidades de 10.000 a 100.000 m3/hab/ano e consumo de 1.000 a 2.000 m3/hab/ano; • A maioria dos países da Europa tem água disponível considerada suficiente e consumo em nível moderado: 500 a 1.000 m3/hab/ano; Fonte: Águas Doces no Brasil, Aldo Rebouças, Benedito Braga, José Galizia Tundisi
  42. 42. A guerra da água “Modernamente, o conflito mais grave da água é vivenciado por Israelenses e Palestinos, cujos mananciais disponíveis dependem de acordos entre Jordânia, Síria, Líbano, Egito e Arábia Saudita.” Fonte: Águas Doces no Brasil, Aldo Rebouças, Benedito Braga, José Galizia Tundisi
  43. 43. A guerra da água “Israel depende das águas subterrâneas que ocorrem no território palestino ocupado de onde extrai da ordem de 430 milhões m3/ano o que representa 30% do total disponível de 1.420 milhões m3/ano.” Fonte: Águas Doces no Brasil, Aldo Rebouças, Benedito Braga, José Galizia Tundisi
  44. 44. A guerra da água • “Para evitar que haja desequilíbrio nos fluxos subterrâneos na sua faixa costeira e a interface marinha avance na área de Telaviv, Israel impõe severo controle do uso do aquífero pelos palestinos.” • “Estes (os palestinos) contestam o controle de Israel e reclamam o seu direito milenar às águas da área - superficial e subterrânea.” Fonte: Águas Doces no Brasil, Aldo Rebouças, Benedito Braga, José Galizia Tundisi
  45. 45. Países que dependem de água gerada fora dos seus territórios • Esse é um grande desafio que vai continuar no novo milênio: países dependentes das águas de outros países; • O Egito depende dos países da bacia do Nilo que está no centro da África: Burundi, Congo, Eritréia, Etiópia, Kenya, Sudão, Tanzânia e Uganda; • O que fazer o Egito se os países da bacia do Nilo “trancarem” as águas? Fonte: Águas Doces no Brasil, Aldo Rebouças, Benedito Braga, José Galizia Tundisi
  46. 46. Países que dependem de água gerada fora dos seus territórios • Há um potencial de guerra. O Egito, para evitá- la, foi o artífice de uma espécie de Comitê da Bacia do Nilo que seria o órgão responsável pelo gerenciamento da repartição da água pelos países da bacia. O Egito só contribui com 3% da água do “seu” Nilo. Fonte: Águas Doces no Brasil, Aldo Rebouças, Benedito Braga, José Galizia Tundisi
  47. 47. Águas doces no Brasil - Clima • A água no Brasil é também mal distribuída. • O Brasil tem uma das mais densas redes de rios perenes do mundo. Mas, no Nordeste, no semi- árido, há rios não-perenes. 10% do Brasil Equatorial úmido chuvas < 700 mm/ano Tropical semi-árido Subtropical úmido 90% do Brasil Chuvas entre 1.000 e 3.000 mm/ano Fonte: Águas Doces no Brasil, Aldo Rebouças, Benedito Braga, José Galizia Tundisi
  48. 48. Águas doces no Brasil O Brasil produz 53% da água doce da América do Sul e 12 % da água doce do mundo. América do Sul Mundo Outros Outros Países Países Brasil 53% Brasil 12% Fonte: Águas Doces no Brasil, Aldo Rebouças, Benedito Braga, José Galizia Tundisi
  49. 49. Águas doces no Brasil Perigos: • A nossa abundância de água favorece a cultura do desperdício; • Para nós a água um bem infinito da natureza. É um bem sem valor; • Os nossos investimentos são insuficientes para a proteção dos nossos mananciais. Neutralizar os perigos: • Através da distribuição da abundância para equilibrar a escassez. Fonte: Águas Doces no Brasil, Aldo Rebouças, Benedito Braga, José Galizia Tundisi
  50. 50. Águas doces no Brasil Distribuição da água no território Bacias Hidrográficas - Área 72% do território (Amazonas, São Francisco e Paraná) Produzem 80% da água 28% Produzem 20% da água Fonte: Águas Doces no Brasil, Aldo Rebouças, Benedito Braga, José Galizia Tundisi
  51. 51. Águas doces no Brasil Distribuição das águas doces no Brasil Fonte: Águas Doces no Brasil, Aldo Rebouças, Benedito Braga, José Galizia Tundisi
  52. 52. Águas doces no Brasil O estigma da escassez - água e população Os problemas de abastecimento decorrem do crescimento exagerado das demandas e da degradação das águas em níveis nunca imaginados e da cultura da abundância que gera o desperdício. Fonte: Águas Doces no Brasil, Aldo Rebouças, Benedito Braga, José Galizia Tundisi
  53. 53. Águas doces no Brasil O estigma da escassez - água e população Pesquisa IBOPE de 1997 deu os seguintes resultados: • 69% identificam a água como um dos elementos mais importantes a proteger no meio ambiente; • 59% se disseram dispostos a combater o desperdício. Fonte: Águas Doces no Brasil, Aldo Rebouças, Benedito Braga, José Galizia Tundisi
  54. 54. Águas doces no Brasil - Disponibilidades Fonte: Águas Doces no Brasil, Aldo Rebouças, Benedito Braga, José Galizia Tundisi
  55. 55. Águas doces no Brasil - Usos Fonte: Águas Doces no Brasil, Aldo Rebouças, Benedito Braga, José Galizia Tundisi
  56. 56. Águas doces no Brasil Conclusões: Tarefas para o futuro • Reversão do quadro atual de poluição É a maior prioridade nacional em recursos hídricos e saneamento ambiental. Fonte: Águas Doces no Brasil, Aldo Rebouças, Benedito Braga, José Galizia Tundisi
  57. 57. Águas doces no Brasil Conclusões: Tarefas para o futuro • Eficiência dos usos  Atacar as perdas de água tratada nas redes;  Combater os desperdícios pelos usuários;  Combater a erosão do solo;  Combater os métodos ineficientes e ultrapassados de irrigação (inundação, pivot central, canhão aspersor). Fonte: Águas Doces no Brasil, Aldo Rebouças, Benedito Braga, José Galizia Tundisi
  58. 58. Águas doces no Brasil Conclusões: Tarefas para o futuro • Uso e proteção de águas subterrâneas  Cuidar dessa reserva estratégica e notável patrimônio do Brasil. Exemplo: Aquífero Guaraní, na Bacia do Paraná, e Aquífero da Serra das Areias, em Aparecida de Goiânia. Fonte: Águas Doces no Brasil, Aldo Rebouças, Benedito Braga, José Galizia Tundisi
  59. 59. Águas doces no Brasil Conclusões: Tarefas para o futuro • Praticar o planejamento e a gestão integrados dos recursos hídricos; • Descentralização e participação  Responsabilidades compartilhadas da União, Estados e Municípios.  Participação dos cidadãos que são os interessados finais. Fonte: Águas Doces no Brasil, Aldo Rebouças, Benedito Braga, José Galizia Tundisi
  60. 60. Águas doces no Brasil Conclusões: Tarefas para o futuro • Recursos humanos, tecnológicos e difusão • Harmonização das políticas desenvolvimentistas  Promover o desenvolvimento sustentável, ou seja, o desenvolvimento que respeita a preservação do meio ambiente; Fonte: Águas Doces no Brasil, Aldo Rebouças, Benedito Braga, José Galizia Tundisi

×